BUSCA PELA CATEGORIA "Mundo"

Tensão no Oriente Médio: Israel quer reagir, e Irã vê “caso encerrado”

  • Após ataque do Irã por drones, comunidade internacional vê com preocupação novo conflito no Oriente Médio
  • Guilherme Goulart/Metrópoles
  • 15 Abr 2024
  • 12:26h

Foto:Redes sociais/Reprodução/Metrópoles

Sob a ameça de escalada na guerra do Oriente Médio, o Gabinete de Guerra de Israel se mostrou favorável a responder ao ataque do Irã, na noite do último sábado (13/4). No dia seguinte, Benny Gantz, um dos membros do Gabinete de Guerra, afirmou, em comunicado oficial, que os iranianos pagarão pela ofensiva militar.

“Construiremos uma coalizão regional e cobraremos o preço do Irã da maneira e no momento certos para nós”, ameaçou Gantz.

Israel, já em guerra contra o Hamas, foi atingido por mais de 300 projéteis disparados por Teerã, entre drones, mísseis de cruzeiro e mísseis balísticos. Uma base da força aérea em Nevatim, no sul do país, também sofreu danos.

A tensão na região assusta a comunidade internacional, que pede “prudência”. Segundo a RFI, chefes de Estado e de governo de todo o mundo, a Otan e o G7 fizeram apelos em prol de uma desescalada de tensão. “É essencial que o conflito no Oriente Médio não se torne incontrolável”, defendeu a aliança atlântica.

O Conselho de Segurança fez reunião de emergência neste domingo (14/4). E o secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou no sábado “a grave escalada” e pediu “o fim imediato das hostilidades”.

Líderes do G7, grupo formado por Alemanha, França, Reino Unido, Estados Unidos, Canadá, Japão e União Europeia, também se reúnem em videoconferência para discutir estratégias no sentido de evitar crise militar maior.

Entre os países árabes, Egito, Catar, Arábia Saudita e Jordânia alertaram para uma escalada de violência no Oriente Médio e pediram “contenção” a Israel e Irã. A China e a Rússia se uniram aos apelos, pedindo “calma” e resolução do conflito por meio de “vias políticas e diplomáticas”.

Os Estados Unidos fizeram reunião de emergência com a equipe encarregada de segurança nacional, mas reforçou o apoio a Israel. “O nosso compromisso com a segurança de Israel diante das ameaças do Irã é inabalável”, escreveu o presidente americano, Joe Biden, na rede social X.

“Caso encerrado”

De acordo com a RFI, após o ataque, o Irã considera o caso encerrado. Segundo Teerã, a investida foi uma resposta ao bombardeio israelense ao consulado iraniano em Damasco, na Síria, em 1° de abril, que deixou sete mortos, entre eles, um comandante sênior da Guarda Revolucionária do Irã.

O chefe das Forças Armadas iranianas, Mohammad Bagheri, indicou que o ataque contra Israel na noite de sábado “atingiu todos os seus objetivos” e que Teerã não tem “nenhuma intenção” de dar sequência à operação.

“O caso pode ser considerado encerrado”, anunciou a missão iraniana na ONU, em uma mensagem divulgada três horas após a investida.

No entanto, o presidente iraniano, Ebrahim Raïssi, preveniu que, em caso de “comportamento imprudente” de Israel, a próxima operação iraniana será ainda maior do que a de sábado. “A punição do agressor foi realizada”, afirmou.

Contra-ataque

O porta-voz das Forças Armadas Israelenses, Daniel Hagari, indicou que Israel “frustrou” o ataque iraniano interceptando 99% dos projéteis. O ministro israelense da Defesa, Yoav Gallant, pontuou que, com a ajuda dos Estados Unidos e de outros países parceiros, Israel conseguiu defender seu território.

O ministro israelense das Relações Exteriores, Israel Katz, disse que haverá resposta ao Irã. Na tarde desse domingo (14/4), o gabinete de segurança israelense se reuniu para debater sobre como será o contra-ataque.

Navio derruba ponte nos EUA e veículos caem na água

  • Bahia Notícias
  • 26 Mar 2024
  • 12:31h

Foto: Reprodução Redes Sociais

Um navio cargueiro colidiu e derrubou a ponte Francis Scott Key, em Baltimore, nos Estados Unidos. O acidente aconteceu por volta das 1h30 desta terça-feira (26) (2h30, no horário de Brasília).

Com a colisão, a embarcação pegou fogo e acabou afundando. Além disso, diversos veículos caíram na água. As autoridades acreditam que pelo menos 20 pessoas podem estar no rio. As informações são do portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias. Veja o vídeo que mnostra o momento que a ponte desaba:

De acordo com a Autoridade de Transporte de Mariland, todas as pistas foram fechadas em ambas as direções na ponte de 2,6km. As equipes de emergência procuram pelo menos sete veículos que caíram, de acordo com Kevin Cartwright, diretor de comunicações do Corpo de Bombeiros de Baltimore. Nesta época do ano, a água no rio Patapsco tem uma temperatura média de -1°C.

Ele garantiu que as equipes estavam trabalhando “metodicamente e com segurança” para garantir que “todos que operam aqui no local estejam seguros e que possamos progredir sem causar danos adversos a ninguém”.

“Nosso foco agora é tentar resgatar e recuperar essas pessoas”, afirmou Cartwright. Ele apontou que é muito cedo para saber quantas pessoas foram afetadas, mas acredita que é um “evento em desenvolvimento com vítimas em massa”.

NAVIO DE CINGAPURA

Após uma análise inicial, o chefe da comunicação dos bombeiros aponta que parecia haver “alguma carga ou retentores pendurados na ponte”, o que criava condições inseguras e instáveis e isso complicava a operação de resgate.

O navio cargueiro se chama Dali e tem 299, 92 metros de comprimento por  48,2 metros de largura. Ele viajava com a bandeira de Cingapura. A embarcação saiu às 1h de Baltimore (horário local) e seguiria para a capital do Sri Lanka, Colombo.

O Synergy Marine Group, gestor do navio, informou que todos os membros da tripulação, incluindo dois pilotos, foram encontrados. Não há relatos de feridos.

Oppenheimer vence o Oscar 2024 de Melhor Filme: veja a lista completa

  • Indicado em 13 categorias do Oscar 2024, Oppenheimer terminou a premiação com sete estatuetas, incluindo Melhor Ator e Diretor
  • Ranyelle Andrade/Metrópoles
  • 11 Mar 2024
  • 14:20h

Foto:Reprodução/Internet/Metrópoles

Oppenheimer, do diretor Christopher Nolan, foi consagrado como Melhor Filme na cerimônia do Oscar 2024, realizada neste domingo (10/3), em Los Angeles, nos Estados Unidos.

A obra, que apresenta a trajetória do físico americano J. Robert Oppenheimer no desenvolvimento da bomba atômica durante a Segunda Guerra Mundial, também levou os prêmios de Melhor Diretor, para Nolan; Melhor Ator, para Cillian Murphy; Melhor Ator Coadjuvante, para Robert Downey Jr; Trilha Sonora; Montagem; e Fotografia.

Pobres Criaturas foi outro destaque da noite. O filme, do diretor do grego Yorgos Lanthimos, recebeu 11 nomeações. Dessas, venceu três categorias seguidas, de Melhor Figurino; Maquiagem e Penteado; e Design de Produção. Depois, ainda arrematou a estatueta de Melhor Atriz, para Emma Stone.

Após emplacar a maior bilheteria de 2023, Barbie concorreu em oito estatuetas, mas só levou o prêmio de Melhor Música para What I Was Made For, de Billie Eilish.

Confira a lista completa de vencedores abaixo:

 

Melhor Filme

 

American Fiction
Anatomia de uma Queda
Barbie
Os Rejeitados
Assassinos da Lua das Flores
Maestro
Oppenheimer – VENCEDOR
Vidas Passadas
Pobres Criaturas
Zona de Interesse

Melhor Ator

Bradley Cooper – Maestro
Colman Domingo – Rustin
Paul Giamatti – Os Rejeitados
Cillian Murphy – Oppenheimer – VENCEDOR
Jefrrey Wright – American Fiction

Melhor Atriz

Annet Bening – Nyad
Lilly Gladstone – Assassinos da Lua das Flores
Sandra Hüller – Anatomia de uma Queda
Carry Mulligan – Maestro
Emma Stone – Pobres Criaturas – VENCEDOR

Melhor Diretor

Justine Triet – Anatomia de uma Queda
Martin Scorsese – Assassinos da Lua das Flores
Christopher Nolan – Oppenheimer – VENCEDOR
Yorgos Lanthimos – Pobres Criaturas
Jonathan Glazer – Zona de Interesse

Melhor Ator Coadjuvante

Sterling K. Brown – American Fiction
Robert De Niro – Assassinos da Lua das Flores
Robert Downey Jr. – Oppenheimer – VENCEDOR
Ryan Gosling – Barbie
Mark Ruffalo – Pobres Criaturas

Melhor Atriz Coadjuvante

Emily Blunt – Oppenheimer
Danielle Brooks – A Cor Púrpura
America Ferrera – Barbie
Jodie Foster – Nyad
Da’Vine Joy Randolph – Os Rejeitados – VENCEDORA

Melhor Filme Internacional

Io Capitano (Itália)
Perfect Days (Japão)
A Sociedade da Neve (Espanha)
The Teachers’ Lounge (Alemanha)
Zona de Interesse (Reino Unido) – VENCEDOR

Melhor Roteiro Original

Anatomia de uma Queda – VENCEDOR
Os Rejeitados
Maestro
Segredo de um Escândalo
Vidas Passadas

Melhor Roteiro Adaptado

American Fiction – VENCEDOR
Barbie
Oppenheimer
Pobres Criaturas
Zona de Interesse

Melhor Filme de Animação

O Menino e a Garça – VENCEDOR
Elementos
Nimona
Robot Dreams
Homem-Aranha: Através do Aranhaverso

Melhor Documentário em longa-metragem

Bobi Wine: The People’s President
The Eternal Memory
Four Daughters
To Kill a Tiger
20 Days in Mariupol – VENCEDOR

Melhor Documentário em curta-metragem

The ABCs of Book Banning
Ther Barber of Little Rock
Island in Between
Lost Repair Shop – VENCEDOR
Nai Nai & Wai Pó

Melhor Curta de Animação

Letter to a Pig
Ninety-Five Senses
Our Uniform
Pachyderme
War is Over – VENCEDOR

Melhor Curta-metragem

The After
Invincible
Knight of Fortune
Red, White and Blue
A Incrível História de Henry Sugar – VENCEDOR

Melhor Maquiagem e Penteado

Golda
Maestro
Oppenheimer
Pobres Criaturas – VENCEDOR
A Sociedade da Neve

Melhor figurino

Barbie
Assassino da Lua das Flores
Oppenheimer
Napoleão
Pobres Criaturas – VENCEDOR

Melhor Música

The Fire Inside (Flamin’ Hoit)
I’m Just Ken (Barbie)
It Never Went Away (American Symphony)
Whazhazhe (A Song for my People) (Assassinos da Lua das Flores)
What I Was Made For (Barbie) – VENCEDOR

Melhor Trilha-Sonora

American Fiction
Indiana Jones e A Relíquia do Destino
Assassinos da Lua das Flores
Oppenheimer – VENCEDOR
Pobres Criaturas

Melhor Design de Produção

Barbie
Assassinos da Lua das Flores
Napoleão
Oppenheimer
Pobres Criaturas – VENCEDOR

Melhor Montagem

Anatomia de Uma Queda
Os Rejeitados
Assassinos da Lua das Flores
Oppenheimer – VENCEDOR
Pobres Criaturas

Melhor Edição de Som

Resistência
Maestro
Missão Impossível – Acerto de Contas Parte 1
Oppenheimer
Zona de Interesse – VENCEDOR

Melhor Efeito Visual

Resistência
Godzilla Minus One – VENCEDOR
Guardiões da Galáxia Volume 3
Missão Impossível – Acerto de Contas Parte 1
Napoleão

Melhor Fotografia

El Conde
Assassinos da Lua das Flores
Maestro
Oppenheimer – VENCEDOR
Pobres Criaturas

CONTINUE LENDO

Depois de aumentar o próprio salário, Milei volta atrás

  • Por Folhapress
  • 11 Mar 2024
  • 12:16h

Foto: Divulgação/Bahia Notícias

O presidente da Argentina, Javier Milei, baixou decreto para revogar no sábado (9) um aumento do próprio salário.

Alvo de intensas críticas por elevar seu salário e dos ministros e secretários, Milei culpou a ex-presidente Cristina Kirchner. "Acabo de ser informado que, em decorrência de um decreto assinado pela ex-presidente Cristina Kirchner em 2010, que estabelecia que os dirigentes políticos deveriam ganhar sempre mais que os funcionários da administração pública, foi concedido um aumento automático aos quadros políticos deste governo", disse em publicação em uma rede social.

Em 21 de fevereiro, Milei havia concedido um aumento de 30% no salário-mínimo - abaixo da inflação acumulada, que em janeiro bateu em 98,8%, e do esperado pelos sindicatos. A Argentina vive um aumento da pobreza em meio a medidas de austeridade fiscal implementadas por Milei.

No sábado (9) de manhã, a deputada peronista e ex-ministra do Desenvolvimento Social Victoria Tolosa Paz compartilhou a normativa do governo que concedia um aumento de 48% aos funcionários do Poder Executivo. "Milei mente com esse discurso de austeridade", disse a legisladora.

A medida foi rechaçada em diversas postagens nas redes sociais.

Mais tarde, em um comunicado, a Casa Rosada afirmou ter revogado, por meio de um decreto, "a normativa estabelecida por Cristina Fernández de Kirchner que vinculava os aumentos dos trabalhadores da administração pública nacional aos salários dos funcionários".

"Esta medida foi projetada e executada com o objetivo de proteger os bolsos da casta", afirmava o documento divulgado no X. Além disso, o comunicado afirmava que "a situação herdada é crítica, e os argentinos estão fazendo um sacrifício heroico". E concluía: "É hora de os políticos pagarem o custo do desfalque que causaram".

Milei e Cristina bateram boca pelas redes sociais. A ex-presidente afirmou que Milei está destruindo as pensões e os salários dos argentinos.

"Acredito que o senhor lê o que assina, não? No decreto de janeiro, o senhor não incluiu expressamente as autoridades, e no de fevereiro, o senhor e os seus funcionários foram incluídos", escreveu a ex-vice-presidente.

"Eu achava que você era mais corajoso, Presidente. Aí descobrimos que o senhor e seus funcionários aumentaram o salário em 48%". E completou com uma alfinetada: "E não lhe ocorre uma desculpa melhor do que me culpar, por um decreto que assinei há 14 anos? ...Não dá para ser mais casta e menos original".

O mandatário argentino respondeu.

"Olá Cristina. Acabei de cancelar os aumentos de salário de todo o gabinete. Já que a vi tão preocupada com as aposentadorias, o que acha de eu cancelar os $ 14.000.000 [cerca de R$ 82 mil, pelo câmbio oficial] que você recebe de aposentadoria privilegiada e lhe conceder uma aposentadoria mínima? Acho que você não vai reclamar. Saudações", postou o presidente argentino.

Partido oficializa Nicolás Maduro como candidato às eleições presidenciais

  • Por Folhapress
  • 11 Mar 2024
  • 10:12h

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), atualmente no poder, oficializou, neste domingo (10), Nicolás Maduro como seu candidato nas próximas eleições presidenciais de 28 de julho. O ditador já era o candidato natural do chavismo e foi escolhido após três dias de assembleias pelo país.

Na rede social X, o PSUV publicou que os militantes resolveram dar seu "apoio ao presidente Nicolás Maduro". A proclamação oficial como candidato é esperada para o dia 15 de março, embora o ditador já tenha reconhecido o apoio de seus seguidores.

"Agradeço todas as suas expressões de amor, todas as suas bênçãos, todo o seu apoio e vamos unir todos que puderem ser unidos e convocados do povo para domingo, 28 de julho", disse o mandatário em áudio também divulgado no X.
O líder Diosdado Cabello, considerado o número dois do chavismo, havia afirmado na quarta-feira que "não tinha dúvidas" de que Maduro seria o candidato "por consenso" do PSUV.

O agora candidato está em campanha há semanas e tem aumentado suas aparições públicas, algo que não era habitual --assim como os anúncios de programas sociais de "nova geração". Ele também prometeu a criação de novas obras públicas.

Enquanto isso, a oposição deve definir um candidato diante da inabilitação política de María Corina Machado, que venceu nas primárias da principal coalizão Plataforma Unitária em outubro passado. Embora Machado insista que será candidata, na prática sua candidatura está suspensa por 15 anos pela justiça eleitoral.

A habilitação de candidatos tem sido um dos pontos críticos dos diálogos entre o governo e a oposição, com mediação da Noruega. Em outubro passado, ambas as partes assinaram um acordo em Barbados para organizar a eleição com a presença de observadores internacionais.

A oposição esperava que o acordo permitisse a Machado se apresentar às eleições, mas a Suprema Corte, acusada de agir sob influência do governo, confirmou a inelegibilidade em 26 de janeiro. A oposição exige que sua candidata seja habilitada.

A data de julho respeita o acordo de realizar as eleições no segundo semestre de 2024, embora coloque em xeque os prazos para a formação de missões de observação internacional. O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) enviou, na quinta-feira (7), convites à União Europeia (UE), à ONU e ao Carter Center para observarem o processo.

No sábado (9), a oposicionista disse na rede social X que o diretor de sua campanha no estado de Barinas, Emill Brandt, havia sido sequestrado pelo regime de Nicolás Maduro. Com Brandt, já são quatro os dirigentes de seu partido que foram detidos.

Em janeiro, três líderes regionais da equipe de campanha de Machado foram presos acusados de estarem supostamente relacionados com planos conspirativos contra o governo de Maduro.

Eles estão detidos na sede do Helicoide, um edifício construído nos anos 1950 para ser centro comercial, mas que se tornou uma prisão do serviço de inteligência venezuelano. Organizações de direitos humanos qualificam o lugar como "centro de torturas".

Milei anuncia pacote 'anticasta', com corte de verbas a partidos e lei ficha limpa

  • Por Júlia Barbon | Folhapress
  • 02 Mar 2024
  • 11:25h

Foto: Reprodução / Redes Sociais/Bahia Notícias

Em um forte discurso de mais uma hora voltado ao Congresso Nacional, o presidente argentino Javier Milei anunciou um novo pacote de leis "anticasta" e convocou líderes políticos a assinar um acordo com dez princípios para o país, alternando a fala com confrontações a legisladores, governadores, jornalistas e sindicalistas.

O pacote divulgado nesta sexta (1º) inclui criar uma lei da ficha limpa, eliminar o financiamento público a partidos e proibir a reeleição de sindicalistas. Prevê também sobrepor acordos salariais de empresas àqueles decididos coletivamente por setor e descontar o dia do funcionário público que fizer greve.

No estilo morde e assopra, o presidente abriu oficialmente o ano legislativo nesta sexta (1º) combinando frases como "se buscam conflito, conflito terão" e "não vamos dar marcha atrás, vamos seguir acelerando" com outras como "não buscamos a confrontação" e "[o conflito] não foi o caminho que escolhemos".

Em meio a uma briga com governadores e deputados desde que seu pacote de reformas liberais apelidado de "lei ônibus" travou no Congresso, Milei agora convidou os 24 líderes provinciais argentinos a assinarem, no próximo dia 25 de maio, "um acordo de dez pontos para reconstituir as bases da Argentina".

São eles, nas palavras do governo:

A inviolabilidade da propriedade privada

O equilíbrio fiscal inegociável

A redução do gasto público a níveis históricos, em torno de 25% do PIB (Produto Interno Bruto)

Uma reforma tributária que reduza a pressão fiscal, simplifique a vida dos argentinos e promova o comércio

A rediscussão da coparticipação federal de impostos para acabar de uma vez por todas com o modelo extorsivo atual

Um compromisso das províncias de avançar na exploração dos recursos naturais do país

Uma reforma trabalhista moderna que promova o trabalho formal

Uma reforma previdenciária que dê sustentabilidade ao sistema, respeite aqueles que contribuíram e permita, a quem preferir, aderir a um sistema privado de aposentadoria

Uma reforma política estrutural que modifique o sistema atual e realinhe os interesses dos representantes e dos representados

A abertura ao comércio internacional, de maneira que a Argentina volte a ser uma protagonista no mercado global

Grupos de mídia europeus vão à Justiça contra Google em ação de US$ 2,3 bi

  • Por Folhapress
  • 01 Mar 2024
  • 16:30h

Foto: Reprodução / Exame

Uma coligação formada por mais de 30 grupos de comunicação, de 17 países da Europa, foi à Justiça contra o gigante das buscas online Google, da Alphabet, alegando perda de competitividade no mercado de mídia digital, segundo a agência de notícias Reuters nesta quarta-feira (28).
 

Empresas de países como Espanha, Suécia, Holanda, Noruega, Dinamarca, Polônia e Bélgica movem uma ação no valor de US$ 2,3 bilhões (R$ 11,4 bilhões) contra o Google, no momento em que o grupo está sob o escrutínio de reguladores antitruste no continente europeu.
 

Os grupos de comunicação, entre eles o alemão Axel Springer, dono do jornal Bild e da plataforma Politico, defendem que a menor concorrência no mercado de mídia publicitária os levou a registrar perdas.
 

De acordo com as empresas, sem a posição dominante do Google, elas poderiam ter cobrado mais pelo espaço publicitário e obtido receitas maiores para sustentar as respectivas operações.
 

Em comunicado enviado à agência, um porta-voz do Google disse que a empresa se opõe ao processo, acrescentando que é "especulativo e oportunista". "O Google trabalha de forma construtiva com editores em toda a Europa. [As nossas ferramentas de publicidade] adaptam-se e evoluem em parceria com esses mesmos editores."
 

Em 2021, o Google e os reguladores antitruste franceses fecharam um acordo em que a big tech concordou em pagar quase US$ 270 milhões (R$ 1,33 bilhão) em multas e alterar seu sistema e práticas de publicidade, para não mais prejudicar editoras e outros vendedores de anúncios.
 

Em comunicado, a coligação afirmou ter decidido consolidar os seus pedidos de indenização contra o Google, a fim de evitar múltiplas reclamações em diferentes países. O caso foi aberto na Holanda e está sendo movido pelos escritórios de advocacia Geradin Partners e Stek.
 

Um comunicado divulgado nesta quarta pela defesa dos grupos de comunicação diz que "já passou da hora de ver o Google ser responsabilizado por seus abusos e compensar as vítimas". "Já foi dedicado tempo suficiente para chegar ao cerne dos atos ilícitos do Google em 'ad tech', que agora são claros para todos verem", disse Damien Geradin, sócio-fundador da Geradin Partners.

Ex-Star Trek e Marvel, ator Kenneth Mitchell morre aos 49 anos

  • Kenneth Mitchell, de Star Trek: Discovery e Capitão Marvel, morreu após complicações de esclerose lateral amiotrófica
  • Leonardo Meireles/Metrópoles
  • 26 Fev 2024
  • 17:07h

Foto:Albert L. Ortega/Getty Images

Morreu aos 49 anos o ator canadense Kenneth Mitchell. Ele interpretou vários personagens em Star Trek: Discovery e fez ainda Joseph Danvers, pai de Carol Danvers em Capitã Marvel. Ele teve complicações de esclerose lateral amiotrófica (ELA), de acordo com anúncio da família nas redes sociais, e morreu no sábado (24/2).

“Com o coração pesado, anunciamos o falecimento de Kenneth Alexander Mitchell, amado pai, marido, irmão, tio, filho e querido amigo. Durante cinco anos e meio, Ken enfrentou uma série de desafios terríveis devido à ELA. E no verdadeiro estilo Ken, ele conseguiu superar cada um com graça e comprometimento, para viver uma vida plena e alegre em cada momento”, diz a publicação (veja aqui, em inglês) feita no domingo (25/2).

O longo texto diz que Kenneth vivia “segundo os princípios de que cada dia é uma dádiva e nunca andamos sozinhos”, além de ser “doador, um ouvinte, um sentimentalista e um excelente observador do que o rodeia”.

“Uma de suas qualidades mais cativantes como amigo é que Kenny adorava ver os outros brilharem. Ele era um condutor para conectar amigos e gostava muito de uma boa história”, continua a postagem.

Além dos sucessos de Star Trek e Capitão Marvel, o canadense apareceu na série pós-apocalíptica Jericho, no qual fez Eric Green.

Kenneth Mitchell descobriu a doença em 2020

Em 2020, foi diagnosticado com ELA, doença neurológica progressiva que afeta os neurônios, as células nervosas responsáveis por transmitir sinais do cérebro aos músculos voluntários.

Mitchell contava, em entrevistas, que começou a sentir os primeiros sintomas da ELA ainda em 2018, como espasmos constantes nos músculos. Segundo ele, parecia que estava em um filme.

“Foi assim que me senti, como se eu estivesse assistindo aquela cena em que alguém é informado de que tem uma doença terminal. Foi apenas uma descrença completa, um choque”, relatou em uma das entrevistas.

Começou a usar cadeira de rodas em 2019, mas não parou de interpretar. Inclusive, usou o equipamento no seriado The Old Man, ao lado de Jeff Bridges.

Mitchell deixa sua esposa Susan, e os filhos Lilah e Kallum.

Argentina vive explosão de casos de dengue e invasão de mosquitos

  • Por Júlia Barbon | Folhapress
  • 22 Fev 2024
  • 15:10h

Imagem ilustrativa | Foto: Arquivo / Agência Brasi

Nas ruas, as pessoas caminham se dando tapas. Na televisão, repórteres recomendam evitar sair ao entardecer e usar repelentes à prova de suor. Nas farmácias, o produto frequentemente está em falta ou é vendido a preços exorbitantes.

Assim como o Brasil, a Argentina vive uma explosão dos casos de dengue nos últimos meses, somada a uma invasão de mosquitos na Grande Buenos Aires desde o último fim de semana. Uma nuvem preta de pernilongos chegou a ser filmada se aproximando da capital, depois do calor e das chuvas que caíram na região na semana passada.

Especialistas explicam que os invasores são da espécie Psorophora ciliata e não estão associados ao Aedes aegypti, transmissor da dengue, mas o fato contribuiu para acender os alarmes para um possível pico da doença e reforçou as recomendações de uso de repelente e eliminação de focos de água parada.

O país registrou 48.366 casos suspeitos ou confirmados desde agosto de 2023 até o início de fevereiro, segundo o último boletim do Ministério da Saúde local. No mesmo período do ano anterior, as notificações não chegaram nem a mil. Foram contabilizadas 35 mortes até o momento.

"Até semana passada, quem ingressava com febre pedíamos exame, e todos davam positivo. Agora, vamos começar a diagnosticar apenas por nexo epidemiológico [sintomas e histórico do paciente]", diz Daniela Gill, presidente da Sociedade de Infectologia de Rosário, terceira maior cidade da Argentina.

A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) emitiu um alerta epidemiológico na sexta-feira (16) por um aumento geral da dengue na região das Américas.

No Cone Sul, região que abrange Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai, houve um crescimento de 254% na notificação de casos suspeitos nas cinco primeiras semanas do ano, em relação à média dos cinco anos anteriores nesse intervalo. No Brasil, a alta foi de 218%.

Por enquanto, a rede de saúde argentina está dando conta da demanda. A zona mais afetada é a da fronteira com Brasil e Paraguai, como a província de Missiones, onde o governo local começou a expandir na última sexta-feira as chamadas Unidades de Hospitalização Breve nos hospitais.

"Nós classificamos os grupos febris como de impacto leve, moderado ou mais severo. As UHBs são para pacientes com impacto moderado, que encontrarão nessas instalações tratamento temporário para o quadro clínico agudo", explicou o diretor de epidemiologia, Javier Ramírez, à imprensa.

As internações são de até seis horas, para que o paciente receba líquidos e tenha pressão arterial e temperatura controladas, que determinarão se é aconselhável que a pessoa vá para casa, por exemplo, e depois volte para repetir o controle em 24 horas.

De acordo com ele, isso faz parte de uma terceira fase do plano de gestão integrada contra a dengue, sendo a primeira fase ações de manejo contra o mosquito, com limpeza em locais com água parada, e a segunda, a busca ativa de pacientes febris no território e a atenção em unidades de saúde.

"Não houve estresse até o momento a nível sanitário, mas como sabemos que a dengue se dá de maneira exponencial, vai haver momentos em que a quantidade de casos vai superar a capacidade operativa", alerta Analía Chumpitaz, diretora de promoção e prevenção da província de Santa Fé.

Ela chama atenção para o momento crítico pelo qual a Argentina está passando, social e economicamente, com a maior inflação interanual do mundo, de 254%. "A situação é mais crítica a respeito dos insumos, dos trabalhadores, e isso obviamente repercute no sistema de atenção, apesar de termos um sistema robusto", diz.

O último boletim epidemiológico indica que os casos que se concentravam na região da fronteira agora começam a se espalhar para baixo: em direção ao Centro do país, que inclui a capital e as províncias de Buenos Aires, Córdoba e Santa Fé, e ao Noroeste, em locais como Jujuy e Salta. No Sul, os casos ainda são isolados.

As autoridades argentinas destacam que a dengue chegou mais cedo nesta temporada, com um aumento sustentado de notificações desde setembro, e que persistiu mesmo no inverno. A infectologista Daniela Gill também ressalta um crescimento das internações de jovens.

"Só tivemos dois meses sem casos. Estamos indo a um cenário de endemia, como há em toda a região tropical e subtropical, ou seja, com casos todos os meses do ano. Isso, obviamente, devido às mudanças climáticas e às temperaturas cada vez mais altas", afirma a epidemiologista Analía Chumpitaz.

Diferentemente do Brasil, onde 5 milhões de doses da nova vacina contra a dengue estão sendo distribuídas na rede pública, a Argentina e o Paraguai só têm o imunizante na rede privada. O custo é de 70.842 pesos (cerca de R$ 320 na cotação paralela), preço proibitivo para grande parte da população.

Argentina atinge 57% de pobres, maior número em 20 anos

  • Por Julia Barbon | Folhapress
  • 19 Fev 2024
  • 18:13h

Foto: Reprodução / Instagram

A Argentina atingiu 57% de pobres e 15% de indigentes em janeiro, os maiores números em 20 anos. Esses índices já seguem uma tendência de aumento há mais de uma década no país, mas dispararam nos últimos dois meses, impulsionados pela explosão de preços após medidas iniciais do presidente Javier Milei.
 

As projeções são do Observatório da Dívida Social da UCA (Universidade Católica Argentina) e costumam estar um pouco acima dos números oficiais do Indec, o equivalente ao IBGE, que só divulgará no fim de março suas cifras de pobreza do segundo semestre de 2023.
 

Entenda as causas da crise econômica e da inflação na Argentina Milei tenta conter impacto da explosão de preços na classe média Argentino corta refeições e se limita a macarrão e ensopado em 1º mês de Milei "Após mais de duas décadas de vigência de um regime inflacionário, de empobrecimento e expansão dos programas sociais, aos quais se soma um novo programa econômico de ajuste ortodoxo, a pobreza continua crescendo apesar da assistência pública", destaca o estudo.

A porcentagem de pobres representa 27 milhões de pessoas se projetada a todo o país. Segundo a série histórica, a última vez em que a Argentina atingiu níveis tão ruins foi em 2004, quando alcançou 55%, durante a gestão do peronista Néstor Kirchner e três anos após uma de suas piores crises econômicas e sociais.
 

A principal causa desse aumento é a corrida inflacionária que os argentinos têm vivido todos os dias e em todos os setores principalmente desde dezembro, quando Milei assumiu a Presidência, desvalorizou fortemente a moeda local, diminuiu subsídios e eliminou congelamentos impostos pelo seu antecessor Alberto Fernández.
 

A intenção do ultraliberal é corrigir a distorção dos valores nas gôndolas e estancar a impressão de dinheiro, que gera mais inflação.
 

Ele quer reduzir os gastos e a interferência do Estado, zerar o déficit fiscal e reequilibrar as contas públicas, admitindo que nos primeiros meses isso exigirá "sacrifícios" da população.
 

Na sexta-feira (16), o governo comemorou seu primeiro superávit financeiro em janeiro.
 

"É a primeira vez desde agosto de 2012 que o governo nacional gasta menos do que arrecada e que o pagamento de juros da dívida não deixa as contas no vermelho", afirmou a gestão em nota.
 

Nas ruas, porém, o efeito imediato das medidas foi uma instabilidade nos preços, com remarcações que variam muito dependendo do produto, e um freio no consumo.
 

A classe baixa corta refeições, enquanto a classe média deixa de ir a restaurantes, opta por marcas mais baratas e cancela viagens ou planos de saúde, por exemplo.
 

Os dados da UCA indicam que a pobreza saltou de 45% no terceiro trimestre de 2023 para 50% em dezembro, e então para 57% em janeiro.
 

"O maior aumento foi experimentado pelos lares das classes trabalhadoras ou médias não beneficiárias de programas sociais", diz o órgão.
 

Já a indigência, que está dentro desse número, passou de 10% no terceiro trimestre de 2023 para 14% em dezembro e 15% em janeiro. O órgão conclui que a elevação dos planos sociais pelo governo de Milei amorteceu o crescimento da indigência que era previsto para o mês passado.
 

Sua gestão ampliou os valores do auxílio por filho e do cartão alimentar e, na sexta, véspera da volta às aulas, anunciou um incremento no auxílio escolar. Isso ao mesmo tempo em que revisa quem recebe os benefícios e ameaça retirá-los de quem bloquear ruas em protestos.
 

Segundo Agustín Salvia, diretor do observatório da UCA, a inflação explica cerca de metade dos percentuais de pobreza na Argentina.
 

"Portanto, se se consegue baixá-la a um dígito, se produzirá um fenômeno de estabilização inclusive no planejamento dos gastos das famílias e nos pequenos negócios. É fácil voltar ao patamar dos 40%", afirmou ao canal LN+.
 

Ele pondera também que o país não está passando por uma explosão do desemprego, apesar de ver um aumento do subemprego, o que por enquanto está evitando uma eventual "catástrofe social".

CONTINUE LENDO

Netanyahu diz que deixar de invadir Rafah significaria 'perder a guerra' para o Hamas

  • Por Folhapress
  • 18 Fev 2024
  • 14:20h

Foto: Agência Lusa

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, afirmou neste sábado (17) que deixar de invadir a cidade de Rafah, ao sul da Faixa de Gaza, equivaleria a "perder a guerra" para o Hamas.

O premiê ainda disse que o Exército israelense seguirá com o plano independentemente do desfecho de um acordo para a libertação de reféns levados pelo grupo terrorista em 7 de outubro do ano passado. "Mesmo que tenhamos sucesso, entraremos em Rafah", afirmou Netanyahu à imprensa.

A declaração ocorre no momento em que o governo de Israel está sob intensa pressão internacional contra a ofensiva terrestre. Localizada na região da fronteira com o Egito, Rafah abriga hoje cerca de metade dos 2,4 milhões de habitantes de Gaza, forçados a se deslocar para o sul da Faixa ainda no início da guerra.

A comunidade internacional tem alertado para a possibilidade de um massacre na cidade. Tel Aviv, por sua vez, afirma que uma ação terrestre é necessária para eliminar membros e estruturas do Hamas que ali operariam.

O primeiro-ministro israelense tem prometido estabelecer uma "passagem segura" para os civis deslocados em Rafah, mas não está claro para onde poderiam ir tantas pessoas que estão amontoadas em barracas improvisadas na cidade que faz fronteira com o país egípcio.

Rafah é a única cidade de Gaza em que as forças de Israel não entraram desde o começo da guerra com o Hamas, embora a região tenha sido bombardeada diariamente.

Neste sábado, Netanyahu também disse que a negociação de uma trégua no conflito foi frustrada por demandas "delirantes" apresentadas pelo Hamas. Negociadores israelenses foram enviados ao Cairo, no Egito, a pedido do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, mas o premiê diz estar fechado a novas tratativas até que o grupo terrorista mude suas exigências.

O primeiro-ministro afirmou ainda que um acordo diplomático mais amplo com os palestinos só poderá ser alcançado por meio de negociações diretas, livres de pré-condições.

Na semana passada, o presidente americano disse que a resposta militar de Israel em Gaza é "exagerada", na crítica mais contundente do mandatário dos EUA a Israel desde o início da guerra.

Biden pediu ao premiê israelense que uma operação militar em Rafah não aconteça a menos que um plano "crível e realizável" garanta a segurança da população, segundo comunicado da Casa Branca. O chefe do Executivo americano também demandou "medidas concretas e urgentes para melhorar a eficácia e a consistência" da assistência humanitária destinada aos civis palestinos.

Diversos apelos contra a invasão a Rafah foram feitos por lideranças diplomáticas nos últimos dias. "O povo de Gaza não pode desaparecer completamente", escreveu a ministra alemã das Relações Exteriores, Annalena Baerbock, nas redes sociais.

Já o Ministério das Relações Exteriores da Arábia Saudita alertou no sábado para as "repercussões muito sérias de um ataque em Rafah" e pediu uma reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU.

O chefe da diplomacia britânica, David Cameron, por sua vez, expressou estar "profundamente preocupado" com a ofensiva e afirmou que "a prioridade deve ser uma pausa imediata nos combates, além do envio de ajuda e retirada dos reféns".

Chefe de ONG detida na Venezuela está em prisão de serviço de inteligência

  • Por Folhapress
  • 14 Fev 2024
  • 17:29h

Foto: Divulgação/Bahia Notícias

A ativista venezuelana Rocío San Miguel, diretora da ONG Controle Cidadão, foi levada para a prisão do serviço de inteligência da Venezuela, em Caracas, após ser detida na última sexta-feira (9).

A transferência de Rocío foi realizada três dias após sua prisão. O local da detenção foi confirmado pelo advogado Joel García, que faz parte de defesa da ativista. Até então, não se sabia qual era o paradeiro dela. A última informação que se tinha era de denúncias de que ela havia sido submetida a um "desaparecimento forçado" após ser detida no aeroporto internacional Simón Bolívar, em Maiquetía.

Diretora de ONG é acusada de "traição" e "terrorismo". Na segunda-feira (12), o promotor Tarek William Saab publicou no X (o antigo Twitter) que o MP (Ministério Público) vai pedir para que o tribunal antiterrorismo da Venezuela cuide do caso.

Ex-marido de diretora de ONG também continua preso. O militar reformado Alejandro José Gonzales De Canales Plaza, que foi casado com Rocío, está detido por "suposta prática dos crimes de revelação de segredos políticos e militares relativos à segurança da nação, obstrução de administração da Justiça e associação". Ele foi preso na Direção Geral de Contra-Inteligência Militar da Venezuela.

A família da ativista foi liberada, mas vai ter que cumprir medidas cautelares. Segunda a defesa de Rocío, a filha, o pai e dois irmãos dela também estavam presos, mas foram soltos. Os quatro, porém, estão proibidos de deixar o país e falar com a imprensa, e também foram obrigados a se apresentar à Justiça periodicamente.
 

MP ACUSA ATIVISTA DE INTEGRAR TRAMA CONSPIRATÓRIA
 

Para o MP, Rocío e seus familiares fazem parte do grupo chamado "Brazelete Blanco". O governo Nicolás Maduro descreveu esse grupo como autor de um plano para atacar uma base militar em Táchira, na fronteira com a Colômbia, para, posteriormente, assassinar o presidente venezuelano.
 

O governo venezuelano alega que Maduro é alvo de outros planos conspiratórios. Só em 2023, afirma ter neutralizado cinco "conspirações" envolvendo militares, jornalistas e ativistas de direitos humanos. Em 2014, Rocío foi acusada pelo próprio ditador da Venezuela. À época, Maduro disse que a ativista estava envolvida em uma "revolta militar".

Rebeldes atacam navio com milho do Brasil para o Irã no mar Vermelho

  • Por Igor Gielow | Folhapress
  • 13 Fev 2024
  • 08:49h

Foto: Reprodução

Em um incidente inédito no teatro secundário da guerra Israel-Hamas no mar Vermelho, rebeldes houthis dispararam dois mísseis contra um navio transportando milho do Brasil para o Irã --Teerã é o principal aliado do grupo xiita que domina parte do Iêmen.
 

É a primeira vez que uma carga brasileira entra na linha de tiro na região desde que os houthis passaram a atacar embarcações mercantes e militares que associam a Israel, Estados Unidos ou Reino Unido, em apoio ao grupo terrorista palestino.
 

Ao que tudo indica, foi um engano. Segundo disse na TV do grupo o porta-voz houthi, Yahya Saree, o Star Isis era um navio americano. Os registros em sites de monitoramento de tráfego marítimo mostram que ele tem bandeira das ilhas Marshall, território associado aos EUA, mas é de propriedade grega.

Mais cedo ou mais tarde isso iria acontecer, mas não deixa de ser irônico que o navio tivesse produtos do Brasil, país que tem criticado duramente a condução da guerra por Israel, indo em direção ao patrocinador dos houthis, o Irã.
 

O episódio ainda está nebuloso. O que se sabe é que os rebeldes dispararam dois mísseis antinavio de suas posições em terra na margem iemenita do estrieto de Bab al-Mandab (o "portão das lágrimas" entre a península Arábica e o Chifre da África).
 

Segundo relatos de militares americanos operando na região, o Star Isis não chegou a ser atingido. Já a empresa de segurança naval britânica Ambrey disse que a embarcação foi atingida, mas sem danos significativos. De todo modo, segundo o site de monitoramento Marine Traffic, o navio seguiu viagem.
 

Ele deixou o porto de Vila do Conde, no Pará, no dia 12 de janeiro. Sua chegada ao porto de Band Imam Khomeini, no Irã, está prevista para o dia 19 deste mês. Até pela rota para o Irã, ele não desviou do mar Vermelho circunavegando a África, como tantas embarcações nessa crise.
 

A região, antes da crise, concentrava 15% do comércio marítimo do mundo. O Brasil é o maior exportador de milho para o Irã, com uma previsão de vender 4,5 milhões de toneladas do grão neste ano para o país do Oriente Médio.
 

O Star Isis é um graneleiro da categoria Panamax, que é certificada para transitar com o máximo de tamanho possível pelo canal do Panamá, e pode transportar até 80 mil toneladas de carga. O navio é operado pela Star Bulk Carriers, de Atenas, que direcionou perguntas para a força-tarefa liderada pelos EUA no mar Vermelho.
 

Formada para reagir à crise, a Operação Guardião da Prosperidade se vale de outras forças-tarefas já em ação na região, notadamente a CTF (Força-Tarefa Combinada, na sigla inglesa) 153, que já era liderada pelos EUA. Há também forças europeias independentes na região, reforçadas recentemente por navios alemães e dinamarqueses.
 

A CTF-153 é 1 das 5 equipes multinacionais em toda a região do Oriente Médio. A CTF-151, que age primariamente contra a pirataria no mar Vermelho e golfo de Áden, foi assumida pela Marinha do Brasil no final de janeiro.
 

Ela opera dois navios, um sul-coreano e outro, japonês, e pode eventualmente interferir em defesa de outras embarcações ou se proteger em caso de ataques houthis.

CONTINUE LENDO

Incêndios se espalham pelo Chile, causam grandes explosões e matam 51

  • Por Folhapress
  • 05 Fev 2024
  • 08:39h

Foto: Reprodução Redes Sociais/Bahia Notícias

Ao menos 51 pessoas morreram em decorrência dos grandes incêndios florestais que estão devastando as regiões do centro e sul do Chile.

O número de vítimas pode aumentar, disse o presidente chileno Gabriel Boric ao anunciar estado de emergência. Ele sobrevoou as áreas afetadas hoje e decretou estado de emergência na tentativa de reunir "todos os recursos necessários" para conter o fogo.

"Se você for orientado a sair de um local, não hesite em fazer isso. As chamas estão avançando rápido e as condições climáticas tornam o controle difícil. Há temperaturas altas, ventos fortes a baixa umidade.", Presidente Gabriel Boric em comunicado.

Viña del Mar, famosa cidade litorânea turística, teve ruas inteiras queimadas na noite de sábado. Milhares de pessoas que haviam deixado suas casas após uma ordem de evacuação só encontraram destroços queimados quando retornaram, e corpos cobertos por panos jaziam nas ruas. Uma espessa fumaça cinza pairava sobre a cidade.

Depósito de gás em Viña del Mar explodiu diversas vezes ao ser atingido pelo fogo. O incêndio também destruiu uma fábrica de tintas e indústrias de produtos químicos em cidades próximas, como El Salto.

Mais de mil casas foram destruídas e 46 mil hectares de vegetação foram queimados. O fogo continua a avançar, principalmente devido às condições climáticas e apesar dos esforços das equipes de combate aos focos.

As áreas mais afetadas ficam perto das praias do Pacífico, onde funcionam empresas vinícolas, agrícolas e madeireiras. As regiões estão entre 80 e 120 km a noroeste de Santiago. Durante essa temporada, também se recebe um grande número de turistas.

Autoridades locais impuseram um toque de recolher obrigatório. O alerta vale a partir das 21h (horário local) e irá permitir o acesso de abastecimentos de combustíveis de emergência nas zonas afetadas.

Itamaraty acompanha a situação de brasileiros no Chile. Em comunicado da noite de sábado (3), o Ministério das Relações Exteriores lamenta os mortos e feridos no país e diz estar "monitorando a situação por meio do Consulado-Geral do Brasil em Santiago".

O Chile e outros países do sul da América da Sul estão sofrendo com uma onda de calor há dias. Na Argentina, os bombeiros estão lutando contra um incêndio de grandes proporções desde o final de janeiro, que já destruiu mais de 3 mil hectares de terra no Parque Nacional Los Alerces. Na Colômbia, mais de 17 mil hectares de florestas foram destruídas em janeiro por incêndios.

Grammy é acusado de silenciar casos de assédio com contratos de sigilo

  • Por Folhapress
  • 04 Fev 2024
  • 11:48h

Foto: Divulgação / Grammy

A Academia de Gravação, organização por trás do Grammy, foi acusada de encobrir múltiplos casos de abuso sexual em seu quadro interno. Uma reportagem do Los Angeles Times afirma que a entidade obrigou mulheres a assinar contratos de confidencialidade após elas denunciarem crimes do tipo.

Procurada pelo jornal americano, a Academia diz que tem política de tolerância zero sobre má conduta sexual e que trabalha nos últimos quatro anos para mudar a cultura da organização. A entidade também declara que vai continuar a ouvir, mudar e trabalhar para fazer o melhor em todos os departamentos.

As acusações envolvem cinco mulheres que trabalharam na Academia em diferentes períodos desde os anos 1990 e que afirmam terem sido silenciadas pelo grupo. A maior parte cita o antigo conselheiro geral da organização, Joel Katz, que está previsto para ser homenageado na cerimônia deste ano do Grammy, que acontece no próximo domingo.

Entre as mulheres se destaca Terri McIntyre, ex-diretora executiva da divisão da Academia em Los Angeles, que afirma que Katz ofereceu dinheiro para ela em troca de seu silêncio sobre as denúncias de assédio. Uma das ofertas aconteceu em 2001, anos depois dela deixar o grupo, e foi da altura de US$ 1 milhão.

McIntyre abriu no ano passado um processo contra Mike Greene, o antigo presidente do grupo, alegando que ele a estuprou em duas ocasiões diferentes. Greene renunciou o comando da Academia em 2002, após chegar a um acordo na justiça americana de US$ 650 mil em outro processo que o acusava de assédio sexual. Outra mulher que trabalhou para ele também confirmou ao Times a existência dos acordos de confidencialidade.

Enquanto Mike Greene negou as acusações, Joel Katz não comentou o caso publicamente. A organização ainda lida no momento com um processo movido contra seu ex-CEO, Neil Portnow, que é acusado de crime de estupro na justiça americana.

A cerimônia do Grammy deste ano acontece neste domingo (4) em Los Angeles.