De Aracatu para o Mundo: Foto da Fazenda Bezerro Gordo é escolhida para representar a caatinga brasileira na COP21

  • Daniel Simurro | Brumado Urgente
  • 11 Dez 2015
  • 17:10h

A foto foi escolhida por representar de forma muito intensa a atual realidade da caatinga brasileira (Foto: Ronaldo Maia Filho | PNUD)

A Fazenda Bezerro Gordo, na zona rural de Aracatu, acabou se tornando um símbolo da Caantiga do Brasil, tendo uma foto fazendo parte do portfólio da COP21, a 21ª Conferência do Clima que foi realizada neste mês de dezembro em Paris, e que teve como principal objetivo costurar um novo acordo entre os países para uma nova ordenação climática no mundo. A foto foi de autoria de Ronaldo Maia Filho, que trabalha no braço brasileiro do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que é o organismo internacional, ou seja, a entidade das Nações Unidas que tem por mandato promover o desenvolvimento e eliminar a pobreza no mundo. Ele é filho do suplente a vereador, Ronaldo Maia, que é o proprietário da Fazenda Bezerro Gordo, que, como todas da região, vem sendo castigada pelas altas temperaturas e pela falta de precipitações pluviométricas. A foto é emblemática e representa com muita intensidade os reflexos das mudanças climáticas que vêm acontecendo no Brasil, revelando a forte estiagem que vem atingindo o sertão nordestino. Espera-se que os líderes mundiais cumpram os protocolos para o bem do meio ambiente, já que, se isso não feito a desertificação da caatinga poderá ser uma realidade daqui algumas décadas, já que as fortes secas apontam para isso.