Nova cepa encontrada no AM pode ser mais infecciosa e letal entre jovens

  • Redação
  • 19 Jan 2021
  • 11:59h

Exames já apontam lesões mais graves no pulmão e nem todos os pacientes apresentam sintomas | Foto: Paula Fróes/GOVBA

A nova cepa da Covid-19 descoberta no Amazonas pode ser mais infecciosa e mais letal entre os jovens, de acordo com informações do UOL. Profissionais de saúde que trabalham na linha de frente em Manaus já começaram a apontar uma maior gravidade dos casos e o avanço nas contaminações em menos tempo do que na primeira onda. Dados oficiais divulgados pelo governo do Amazonas mostram que pessoas mais jovens estão morrendo. Nos últimos 30 dias, em cada dez vítimas fatais, quatro tinham menos de 60 anos. Segundo o infectologista e pesquisador Noaldo Lucena, em entrevista ao UOL, a situação do novo coronavírus em Manaus está diferente do que registrado anteriomente. “Claramente estamos diante de um ser invisível que é muito mais patogênico e transmissível. Hoje chegam famílias inteiras com os sintomas ao mesmo tempo, antes era um de cada vez”, disse. De acordo com ele, os exames em pacientes já apontam lesões mais graves no pulmão. A maior parte das pessoas atendidas por ele apenas nos primeiros 19 dias do ano apresentavam comprometimento do órgão acima de 50%. Em alguns casos, o paciente chegava a 90% com necessidade de internação imediata. Ainda de acordo com Lucena, apesar da gravidade nos casos, nem todos os pacientes apresentam sintomas. Em alguns casos, apenas com exames clínicos é possível notar a gravidade da situação. “Quando vemos a imagem tomográfica, não acredita como há um comprometimento tão grande com tão pouca repercussão clínica notória”, pontuou.