'Ouso dizer que o Brasil é o país mais violento do mundo', declara relator da Lava-Jato

  • Claudia Cardozo / João Brandão
  • 22 Ago 2019
  • 17:10h

(Foto: Reprodução)

O relator dos processos da Operação Lava Jato no Tribunal Regional Federal (TRF) da 4º Região, João Pedro Gebran Neto, nesta quinta-feira (22), durante o 4° Simpósio de Combate a Corrupção, promovido pela diretoria regional da Bahia da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF-BA), disse que o Brasil é “o país mais violento do mundo”. Ao falar sobre a violência, Gebran Diz fez uma referência ao um suposto saudosismo das pessoas de que antes as coisas eram melhores. Gebran falou da quantidade de homicídios e o "estado de coisas" que precisa ser mudado, ao se referir a um julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o sistema penitenciário. Gebran também apresentou dados da transparência internacional que o Brasil está em 105° lugar no índice de percepção da corrupção. "Brasil não é o único lugar no mundo suscetível a isso, mas é um país que tem falhas sociais que permite isso”, disse. A nova corrupção não se relaciona a milícias, máfia italiana, PCC, novo cangaço e tal como ilustrado, segundo ele. E sim com entes públicos como a Petrobras. “O Estado brasileiro foi cooptado para o crime. E, com isso, o estado não funcionava”, contou.