Homem é preso com caminhão de mudança carregado de cigarros contrabandeados

  • informações do G1 Bahia
  • 03 Jun 2019
  • 07:46h

Homem é preso na Bahia e 365 mil maços de cigarros contrabandeados são apreendidos em caminhão de mudança — Foto: Divulgação

Um homem de 41 anos foi preso após ser flagrado transportando 365 mil maços de cigarros contrabandeados em um caminhão de mudança, no sudoeste da Bahia. A prisão e apreensão ocorreu neste final de semana, quando o motorista passava pela BR-116, no trecho da cidade de Vitória da Conquista. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), responsável pela ação, a mercadoria, avaliada em aproximadamente R$ 1,5 milhão, era transportada de forma oculta, em meio a objetos de uma mudança. A PRF detalhou que os cigarros foram encontrados durante ações de fiscalização de combate a criminalidade. No caminhão, com placas de São Paulo, estavam centenas de caixas contendo pacotes de cigarros paraguaios. Durante a fiscalização no caminhão, foram encontrados também indícios de adulterações nos elementos identificadores do veículo. Questionado, o condutor informou que não acompanhou o carregamento e que era a primeira viagem que fazia para o patrão. Disse, ainda, que saiu da cidade de Horlândia (SP) com destino as cidades de Recife (PE) e Parnamirim (RN). Além disso, receberia R$ 2.500 pelo transporte da carga. O motorista e o veículo foram encaminhados à delegacia local para os procedimentos cabíveis. Já a carga de cigarros foi apresentada na Secretaria da Receita Federal em Vitória da Conquista (BA). De acordo com a PRF, em janeiro deste ano, foi sancionada a Lei 13.804, que o condutor que utilize o veículo para a prática do crime de receptação, descaminho, contrabando, condenado por um desses crimes em decisão judicial transitada em julgado, terá cassado o documento de habilitação ou será proibido obter a habilitação para dirigir veículo automotor pelo prazo de cinco anos. Ainda segundo a PRF, em 2019, a PRF na Bahia já apreendeu cerca de 2,2 milhão de maços de cigarro, cujo montante do produto é avaliado em quase R$ 10 milhões. Estes números já superam a quantidade do ano passado, quando foram apreendidos cerca de 1,1 milhão de maços.