Twitter vai usar algoritmo para reprimir conteúdo violento, assédio e notícias falsas

  • 01 Mar 2017
  • 20:13h

O Twitter anunciou nesta quarta-feira (1º) um esforço mais amplo para usar algoritmos na identificação de contas potencialmente envolvidas em comportamento abusivo, uma mudança na sua prática de confiar nos usuários para relatar perfis que devem ser revistos por possíveis violação de regras. O Twitter, o Facebook e outras empresas de internet enfrentam crescentes queixas nos últimos anos sobre como monitoram e controlam seu conteúdo, enquanto usuários e governos intensificaram a pressão no Vale do Silício para evitar propaganda extremista violenta, limitar o assédio e o bullying e extinguir notícias falsas. 

O Twitter e seus rivais têm confiado durante muito tempo em relatórios de potencial abuso enviados por usuários, às vezes para o desgosto de grupos que os acusavam de fazer muito pouco para impedir discurso de ódio ou assédio. O Twitter, que já usa tecnologia para tentar limitar algumas comunicações, ainda revisará os relatórios dos usuários sobre possíveis abusos. O Twitter também disse que vai limitar por um período de tempo não especificado a funcionalidade de contas consideradas abusivas pelo seu algoritmo, uma restrição que poderia permitir, por exemplo, que apenas os seguidores vejam os tweets desse usuário. Atualmente, as contas são excluídas ou suspensas quando marcadas como abusivas. "Pretendemos agir apenas em contas nas quais estamos confiantes, com base em nossos algoritmos, de que o comportamento é abusivo", disse o vice-presidente de engenharia, Ed Ho, em um post no blog. "Como essas ferramentas são novas, às vezes cometeremos erros, mas sabemos que estamos trabalhando ativamente para melhorar todos os dias".