Brasil ultrapassa meio milhão de casos confirmados, com 29.314 óbitos

  • Agência Brasil
  • 01 Jun 2020
  • 07:37h

Com 480 mortes registradas nas últimas 24 horas, país tem 514.849 casos de pessoas infectadas com a doença | Foto: Reprodução

O Brasil chegou a 514.849 casos do novo coronavírus, mais de meio milhão de pessoas infectadas com a doença, com a inclusão nas estatísticas de 16.409 novos casos. Com 480 mortes registradas nas últimas 24 horas, o número de óbitos pela Covid-19 chega a 29.314. Os números foram atualizados, no início da noite deste domingo (31), pelo Ministério da Saúde. Do total de casos confirmados, 278.980 (54,2%) estão em acompanhamento e 206.555 (40,1%) pacientes se recuperaram. Há ainda 4.208 óbitos em investigação. São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de mortes: 7.615. O estado é seguido, em número de óbitos, pelo Rio de Janeiro (5.344), Ceará (3.010), Pará (2.923) e Pernambuco (2.807). Na sequência, aparecem Amazonas (2.052), Maranhão (955), Bahia (667), Espírito Santo (604), Alagoas (443), Paraíba (360), Rio Grande do Norte (305), Minas Gerais (271), Rio Grande do Sul (224), Amapá (222), Paraná (182), Distrito Federal (170), Piauí (161), Sergipe (158), Rondônia (156), Santa Catarina (136), Acre (148), Goiás (124), Roraima (116), Tocantins (73), Mato Grosso (61) e Mato Grosso do Sul (20). Já em número de casos confirmados, aparecem nas primeiras posições do ranking São Paulo (109.698), Rio de Janeiro (53.388), Ceará (48.489), Amazonas (41.378) e Pará (37.961). Entre as unidades da federação com mais pessoas infectadas estão ainda Maranhão (34.639), Pernambuco (34.450), Bahia (18.392), Espírito Santo (13.690) e Paraíba (13.162). Na comparação internacional, o Brasil figura em segundo lugar no número de pessoas infectadas (514 mil), atrás dos Estados Unidos (EUA), com mais de 1,7 milhão de casos, de acordo com balanço divulgado pela Universidade Johns Hopkins, que reúne os números oficiais dos países. Em número de óbitos, o Brasil ocupa a quarta colocação, atrás de Estados Unidos (104.319), Reino Unido (38.571) e Itália (33.415).

Brumado: Município confirma mais três casos de Covid-19

  • 31 Mai 2020
  • 20:55h

Através da Secretaria Municipal de Saúde, Brumado confirmou na noite deste domingo (31), mais três novos casos do Covid-19 no município. Desta forma a cidade totaliza 31 casos confirmados, sendo que, destes 31 casos, 14 já foram curados, ficando com 17 casos ativos, e apenas 2 seguem hospitalizados.

Vale ressaltar que comparando com outras cidades da região, levando-se em conta o número de habitantes, Brumado tem uma nas menores taxas de contágio, fato que vem a corroborar com a tese de que a sociedade civil organizada e os poderes municipais e estaduais, vêm desenvolvendo um bom trabalho de combate ao coronavírus. Mas mesmo diante disso, a Secretaria Municipal de Saúde reforça o apelo a toda população para o uso de máscara, sem se descuidar das medidas de higiene pessoal, sobretudo, a lavagem correta das mãos com água e sabão, como também, o uso do álcool em geral.

Ato pró-democracia em SP tem confusão e confronto entre manifestantes e PMs

  • BN
  • 31 Mai 2020
  • 17:57h

Foto: Reprodução I GloboNews

O ato pro-democracia organizado por integrantes de torcidas organizadas terminou em confusão na tarde deste domingo (31), na Avenida Paulista, em São Paulo. Segundo o G1, os participantes do ato entraram em confrontos com policiais militares e manifestantes que faziam outro protesto em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Os policiais utilizaram bomba de gás lacrimogênio para dispersar os torcedores, que revidaram com pedras. Houve correria. Até por volta de 14h35, não havia informações sobre feridos. Inicialmente, estavam no protesto integrantes da torcida organizada Gaviões da Fiel, do Corinthians. Contudo, logo depois houve uma união com torcidas arquirrivais corintianas, do Palmeiras e do Santos. Pelo menos três torcedores foram detidos pela Polícia Militar (PM) e levados a uma delegacia da região.

Fábio Vilas-Boas diz que taxa de contágio está abaixo de 5% na Bahia

  • BN por Milena Lopes
  • 31 Mai 2020
  • 15:12h

Foto: Paulo Victor Nadal I Bahia Notícias

Neste domingo (31), o Secretário da Saúde da Bahia (Sesab), Fábio Vilas-Boas, divulgou através da sua conta no Twitter um gráfico que apresenta diminuição do contágio de coronavírus no estado. Em uma análise de cerca de 40 dias sobre a média do número de casos, os últimos dias de maio apresentaram redução em comparação ao restante do mês e a segunda quinzena de abril. 

O secretário declarou que na última semana foi possível manter a média de contaminação no estado abaixo de 5%. Ele também ressalta que, mesmo com apresentação de diminuição da linha, ainda é preciso dar atenção para localidades com o índice alto de contágio, como Jequié, com 7%, e Eunápolis, Porto Seguro, Itamaraju, com 8%. Até agora, a Bahia já registrou 17.626 casos confirmados de Covid-19, segundo o último boletim divulgado pela Sesab. No total, 5.709 pessoas foram recuperadas e 638 óbitos aconteceram devido a doença.

RUIVALDO: O NOME MAIS DOCE PRONUNCIADO NA UNEB

  • João Batista de Castro Júnior
  • 31 Mai 2020
  • 13:48h

Em fevereiro do ano passado fui a São Paulo, onde fui submetido a uma delicada cirurgia sob anestesia geral. Preferi ir sozinho para não ocupar os tantos amigos e amigas que sempre gentilmente ofereceram seus valiosos préstimos em minha vida.

Se naquela hora, entretanto, pudesse escolher uma companhia, seria Ruivaldo. Mas não havia como. Ele já estava diagnosticado com câncer de estômago e se encontrava em Salvador se preparando para a cirurgia de remoção do órgão. Após a intervenção cirúrgica a que fui submetido, alterei o roteiro de minha viagem de retorno e segui para nossa capital baiana.

Estando lá, um UBER me levou até a casa da mãe dele, no IAPI. A felicidade dele em me ver ali foi algo que nunca esquecerei. Abracei-o e dei-lhe de presentes alguns exemplares de mangostão, que tinha comprado com esse fim no Mercado Municipal de São Paulo, uma fruta mais que deliciosa que ele não conhecia mas exultou em provar.  

As horas que passamos juntos em companhia de sua mãe e irmãos foram só de boas risadas. Os assuntos variaram sobre literatura, inclusive espírita, rumos acadêmicos, recomeços. Ele me apresentou à mãe como um grande amigo e eu então revelei a ela: “lembro-me como se fosse hoje de quando conheci seu filho no pátio da UNEB, perto de umas cadeiras. Ele queria falar com o Coordenador do Curso e eu me apresentei dizendo que estava falando com o dito-cujo. Rimos, demo-nos as mãos e nos abraçamos”.

Contei a ela também que senti, naquele instante, como se já conhecesse aquele homem, apesar de essa ser uma frase tão batida. Mas era verdade. Cultivamos uma amizade tão quintessenciada a partir dali que pedi desculpas aos demais colegas para dizer que ele era meu candidato à sucessão na Coordenação, o que todos fraternalmente aceitaram. Infelizmente, por um detalhe normativo da UNEB, não deu certo. A Universidade perdia de ter aquele que seria o mais humano dos seus Coordenadores.

O entusiasmo que se levantou com a presença de Ruivaldo na UNEB era partilhado por todos. Como Coordenador, me cabia obrigatoriamente fazer o possível para que aquele espírito de luz ali permanecesse a bem da nossa comunidade acadêmica. Apesar de afirmar estar gostando da experiência sertaneja, sempre dizia da justificada necessidade de estar em companhia da esposa Laura e das filhas Sofia e Luísa, que residiam em Salvador.

Então, me acudiu uma ideia para impedir que ele um dia pedisse remoção para Camaçari, para onde em realidade prestara o concurso docente: oferecer a ele uma vaga que me tinha sido dada na UNIGRAD para lecionar na pós-graduação em Guanambi. Ele aceitou e ficou maravilhado com a cidade. Logo em seguida, fui contactado por alguém da UniFG para saber de meu interesse em lecionar lá. Não deu outra: era no fundo a oportunidade de Ruivaldo. Disse a ele que tinha recusado mas indicado o seu nome. Difícil descrever a minha alegria e a dele também ao revelar que, por conta disso, tinha decidido se mudar com a família para o sertão.

Tudo o mais que eu possa falar de meu amigo que nunca deixou de me chamar de “irmão” já é conhecido da comunidade acadêmica da UNEB em Brumado: um sujeito iluminado como poucos, que parecia flutuar na bondade e na paciência com que a todos tratava. Um baita professor de Penal e Processo Penal que encantou os estudantes pela magna competência.

De Ruivaldo, se tivesse que fazer uma síntese, lançaria mão das palavras de Emmanuel para dizer que  foi um cara que ligou “a lâmpada do coração à usina do Amor de Deus”.

A UNEB teve a honra de tê-lo como professor. E que saiba usufruí-la pela eternidade, porque certamente não teremos outro assim. A Universidade em Brumado perde o mais humano dos seus docentes.

Jesus o abençoe, meu amigo. Privei da companhia da nobreza espiritual a seu lado e sou muito orgulhoso disso. Nos reencontraremos qualquer dia desses. Mas quero deixar bem claro que, mesmo sabendo disso, me sinto só nesse mundo sem companhias tão beneméritas a me ajudar, ainda que silenciosamente, no processo de crescimento emocional.

Vitória da Conquista, Bahia, 29 de maio de 2020.

CONTINUE LENDO

Volta às aulas em debate: propostas vão de 'apagar' primeiro semestre a corte de carga horária

  • Globo
  • 31 Mai 2020
  • 11:47h

(Foto: Reprodução)

Após o adiamento do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), já começaram os debates no país sobre o que acontecerá com o calendário letivo. Corte de 25% da carga horária de 2020, reinício em agosto e aproveitamento de horas não presenciais são algumas das opções colocadas na mesa. O dilema entre especialistas é conseguir reduzir ao máximo as desigualdades potencializadas pelo ensino remoto emergencial, que não abrange todos os estudantes brasileiros.— O alcance do ensino remoto é limitado e a efetividade é ainda mais restrita. É impossível, por exemplo, alfabetizar — afirma João Marcelo Borges, diretor de Estratégia Política do Todos Pela Educação. — Ele foi elaborado às pressas em uma situação de enorme estresse mental, sanitário, social e econômico. Se o Brasil passasse dois anos se preparando para iniciar aulas remotas em 2023, haveria soluções testadas, professores capacitados e materiais produzidos, condições que não existem atualmente.

OAB repudia declaração de Bolsonaro de chamar Exame de Ordem de 'caça-níquel'

  • Redação
  • 31 Mai 2020
  • 10:21h

(Foto: Reprodução)

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) repudiou a declaração do presidente Jair Bolsonaro sobre a realização do Exame de Ordem. Nesta sexta-feira (29), o presidente chamou o exame de um verdadeiro “caça-níquel” da OAB.  O Conselho Federal e o Colégio de Presidentes de Seccionais da OAB divulgaram nota oficial em que manifestam “absoluta indignação” e repudiam as declarações do presidente..“Ao afirmar que o Exame de Ordem é um ‘caça-níquel muitas vezes’, o mandatário da nação demonstra completo desconhecimento das finalidades da Lei nº 8.906/1994 e desinformação sobre os requisitos necessários ao exercício da profissão da advocacia, tão importante para a cidadania e a justiça”, diz a nota. A OAB afirma que o Exame de Ordem é aplicado desde 1994, já foi declarado como constitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e é uma importante etapa para o bacharel em Direito que deseja exercer a advocacia plenamente, e com o mínimo de condições técnicas, as atribuições da profissão.  “Sua legalidade decorre do art. 8°, inciso IV, da Lei 8.906/94, o qual estabelece que, “para inscrição como advogado, é necessária a aprovação em Exame de Ordem”. Tal dispositivo se coaduna com o artigo 5º, inciso XIII, da Constituição Federal, que disciplina ser "livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer”, explica a OAB.  “Diferentemente do que foi mencionado pelo presidente da República, o Exame não exerce, nunca exerceu e jamais exercerá função arrecadatória. Pelo contrário, o certame atualmente é aplicado em aproximadamente 180 cidades do Brasil, com as isenções previstas em lei, sem nenhum recurso público e com valores módicos, similares aos praticados em concursos pelos órgãos governamentais”, diz o manifesto de repúdio. A OAB frisa que o Exame é uma proteção ao cidadão, sobretudo, em tempos que há uma proliferação de cursos de Direito no país. “Atualmente, são mais de 1.700, muitos deles com aproveitamento mínimo no Exame de Ordem, o que reitera a necessidade de sua manutenção, inclusive como forma de fomentar a melhoria da qualidade do ensino jurídico”  A OAB sinaliza que outras categorias desejam realizar um exame parecido para atuação na área, ainda mais na área de saúde. A instituição reitera que atua contra o “estelionato educacional” em muitos locais do nosso Brasil. 

Estados Unidos lançam missão tripulada ao espaço após quase uma década;; veja vídeo

  • Redação
  • 31 Mai 2020
  • 09:44h

(Foto: NASA/Bill Ingalls))

A tarde deste sábado (30) entrou para a história com o lançamento do voo espacial da SpaceX Falcon 9. A nave leva dois astronautas veteranos da Nasa à Estação Espacial Internacional em uma missão histórica tripulada pela empresa aeroespacial SpaceX. previsão é que o voo até a ISS dure entre 19 e 20 horas.  O presidente norte-americano Donald Trump compareceu ao Centro Espacial Kennedy, na Flórida, para assistir a decolagem. A Nasa realizou, ainda, uma transmissão especial, via internet, da decolagem da nave espacial que levará os astronautas Robert Behnken e Douglas Hurley até a Estação Espacial Internacional.  A primeira tentativa de lançar o voo foi na quarta-feira (27), mas foi adiada para este sábado devido ao mau tempo, pois havia possibilidade de tornado. A missão, chamada Demo-2, será também “o primeiro voo em órbita de astronautas norte-americanos em foguetes norte-americanos a partir de solo americano desde o final da era do ônibus espacial, em 2011”, conforme definiu a própria Nasa. 

Mães menores de idade já podem pedir auxílio emergencial

  • Redação
  • 31 Mai 2020
  • 08:17h

(Foto: Reprodução)

A partir deste sábado (30), as mães com menos de 18 anos podem pedir o auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras). A novidade está disponível na 16ª versão do aplicativo Caixa Auxílio Emergencial, que está sendo liberada hoje pela Caixa Econômica Federal. Incluída pelo Congresso durante a tramitação da medida provisória que instituiu o benefício, a extensão do auxílio emergencial para mães menores de idade havia sido sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro no último dia 15. O cadastro no auxílio emergencial pode ser pedido até 3 de junho. A vice-presidente de Tecnologia da Caixa, Tatiana Thomé, explicou como funcionará a novidade em entrevista coletiva hoje à tarde. A mãe menor de idade precisa cadastrar pelo menos dois membros da família (ela própria mais um filho, no mínimo). Caso a adolescente pertença a uma família maior, com algum membro que tenha se cadastrado no auxílio emergencial, precisará fazer o cadastro compatível com o do outro membro da família. Mães grávidas não poderão fazer o cadastro porque o aplicativo pedirá o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) do filho. O processo se dará de forma igual ao dos demais cadastramentos. Ao entrar no aplicativo, a mãe digitará nome completo, número do CPF, nome da mãe e data de nascimento, conforme constam nos cadastros da Receita Federal. O aplicativo oferece a opção “mãe desconhecida”, caso a requerente não conheça a mãe.Finalizado o cadastro, os dados serão enviados à Dataprev, empresa estatal de tecnologia, que comparará as informações prestadas com as 17 bases de dados disponíveis para ver se o requerente cumpre as condições da lei para receber o auxílio emergencial. A usuária poderá acompanhar, no próprio aplicativo, se o benefício foi aprovado, negado ou se o cadastro foi considerado inconclusivo (quando as informações prestadas não conferem com os bancos de dados do governo).

PRF faz novo apreensão de cocaína, maconha, MDA e lindocaína na região

  • Redação
  • 31 Mai 2020
  • 08:12h

(Foto: Divulgação PRF)

A Polícia Rodoviária Federal de Vitória da Conquista apreendeu uma grande quantidade de drogas ckmk cocaína, maconha, MDA e lindocaína, na noite deste sábado (30), no trecho da BR 116 que dá acesso ao Aeroporto Glauber Rocha As drogas estavam escondidas em caixas, malas e outro suportes que estavam dentro de um carro de passeio. Foram 63 kg de maconha, 13 kg de cocaína, 05 kg de MD e 15 kg de lindocaína. O condutor do carro, de 34 anos, que não teveo nome divulgado, e toda a droga apreendida foram levados para o Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep).

 

Apresentador da Record, José Eduardo (Bocão) está com coronavírus

  • M1
  • 30 Mai 2020
  • 14:08h

(Foto: Reprodução)

O apresentador da Rádio Metrópole, José Eduardo está com coronavírus. O jornalista, que comanda também o Balanço Geral da Record Bahia, estava com leve mal estar domingo e fez o teste de Covid-19. O resultado foi divulgado hoje, quando ele não apresenta mais nenhum sintoma da enfermidade. Desde a primeira suspeita, o comunicador se recolheu e não frequentou nenhuma das empresas em que atua. José Eduardo está isolado e cumprirá o período de 14 dias, até realização de novo exame. Além de comunicador, Zé é também empresário e líder absoluto de audiência tanto na TV Record, quanto nos horários que apresenta no Grupo Metrópole (de 9h às 10h da manhã e, no final da tarde, de 19h às 20h).

Morador de Caculé que estava em tratamento em Salvador que contraiu a Covid-19 vem a óbito

  • Brumado Urgente
  • 30 Mai 2020
  • 11:45h

A SESAB confirmou a contaminação e a morte e incluiu Caculé na lista dos municípios atingidos pela doença (Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

As informações sobre moradores da região sudoeste que vêm sendo vítimas do novo coronavírus começam a aumentar e preocupar. Segundo comunicado um desses pacientes, natural de Caculé, que fica localizado a cerca de 100km de Brumado, o qual estava em tratamento contra uma doença em um hospital de Salvador, morreu na última sexta-feira (29), após ser infectado pela Covid-19. Em boletim a SESAB, incluiu Caculé na lista municípios baianos com casos confirmados da doença. O paciente era um idoso, morador da zona rural da cidade de Caculé e estava há vários dias internado em Salvador para se tratar de uma doença que ainda não foi divulgada, durante esse tratamento ele teria se contaminado pelo vírus. A secretaria de saúde de Caculé, em nota divulgada confirmou que familiares e amigos do paciente serão testados para o coronavírus e ficarão em isolamento domiciliar.

Bolsonaristas que agrediram enfermeiros em protesto são indiciados pela Polícia Civil

  • Redação
  • 30 Mai 2020
  • 11:05h

Suspeitos por ação em Brasília vão responder por infrações de menor poder ofensivo | Reprodução/Sindicato dos Enfermeiros do DF

A Polícia Civil do Distrito Federal indiciou três pessoas após as agressões de um grupo de militantes bolsonaristas contra profissionais de enfermagem durante a realização de uma manifestação na Praça dos Três Poderes, em Brasília, em 1º de maio. Segundo informações da Folha de S. Paulo, o termo circunstanciado com os indiciamentos chegou ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios nesta sexta-feira (29). Foram indiciados Sabrina Nery Silva, Marluce Carvalho de Oliveira Gomes e Renan da Silva Sena. Os suspeitos, no entanto, foram indiciados por infrações de menor poder ofensivo. Vão responder pelos crimes de injúria e por infringir determinação do poder público destinada a impedir introdução e propagação de doença contagiosa —por causa das políticas de combate à pandemia de coronavírus. Além dos outros dois crimes previstos no Código Penal, Sena também vai responder sob suspeita de ameaça. O processo corre em segredo de Justiça. A reportagem da Folha não conseguiu contato com os indiciados. As agressões promovidas por militantes bolsonaristas ocorreram no fim de semana do feriado do Dia do Trabalho, em 1º de maio. Os alvos do grupo foram cerca de 60 profissionais de enfermagem que realizavam um protesto silencioso na Praça dos Três Poderes em homenagem aos colegas de profissão mortos durante o combate à pandemia do novo coronavírus. Os participantes também exibiam cartazes pedindo melhores condições de trabalho durante a epidemia e para que as pessoas respeitassem as políticas de isolamento social. Dentre os agressores estava Renan da Silva Sena, que chegou a cuspir em uma estudante que defendia as colegas. Sena era funcionário terceirizado no MDH (Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos), comandado por Damares Alves. A pasta, no entanto, efetivou o desligamento do funcionário dias após o episódio.

O Homem Integral, um livro atual.

  • João Batista de Castro Júnior. Doutor em Linguística e Cultura pela UFBA. Professor da Universidade do Estado da Bahia, campus Brumado, inclusive na Pós-Graduação Sociedade e Linguagem, e ex-Professor da Faculdade Independente do Nordeste (FAINOR), em Vit
  • 30 Mai 2020
  • 09:30h

Publicada originariamente em 1990, a obra O homem integral, de Joanna de Ângelis, fruto do intercurso mediúnico com Divaldo Franco, tem espantosa atualidade para esse momento de alta octanagem emocional na sociedade brasileira, por trás da qual há comportamentos neuróticos percebidos através de pistas linguageiras deixadas aqui e ali.

Nessas horas, como gosta de lembrar a Análise do Discurso, a sabedoria proverbial alemã do Der Teufel steckt im Detail –  traduzível como “o Diabo mora no detalhe” – é de extrema utilidade analítica. Com tal bússola discursiva, guiada pelas lentes dessa obra de psicologia espírita, pode-se tentar desenhar, ainda que imprecisamente, os bastidores da efusiva e buliçosa linguagem que aparece com tanta ostensividade nas redes sociais de comunicação, que são de logo enquadráveis nestas palavras da autora: “Os extrovertidos conquistadores ocultam, às vezes, largos lances de timidez, solidão e desconfiança, que têm dificuldade em superar. Suas reuniões ruidosas são mais mecanismos de fuga do que recursos de espairecimento e lazer” (p. 45).

neurose da solidão, como ela denomina, esconde muitos aspectos ocultos, um dos quais é o medo, pois, “na luta furiosa, as festas ruidosas, as extravagâncias de conduta, os desperdícios de moedas e o exibicionismo com que algumas pessoas pensam vencer os medos íntimos apenas se transformam em lâminas baças de vidro pelas quais observam a vida sempre distorcida” (p. 24-25).

Nas causações poliédricas das neuroses, os mitos jogam igualmente considerável papel. Aqueles que regeram a humanidade por séculos sempre apresentaram um deus vingador e punitivo, a exemplo, na tradição judaica, de Adão e Eva expulsos do paraíso por uma falha que não mereceu o amoroso perdão de um pai, ou do mito de Prometeu, que, por entregar o fogo aos mortais, o que metaforiza o advento da técnica, foi castigado impiedosamente por um Zeus enciumado e possessivo, na mitologia pagã.  

Esse amedrontamento mítico foi em certa medida demolido a partir sobretudo do pensamento cartesiano na celebração da descoberta induzida pela dúvida científica. Mas isso a seu turno trouxe consigo outros mitos: “A fé cega substituída pela ditadura da razão destruiu ou substituiu os mitos nos quais se sustentavam os homens, apresentando outros”, diz então Joanna (p. 89). Mesmo admitindo que essa substituição tenha tido lá seus benefícios, os medos apenas mudaram de alocação com as inovações científicas, pois, se por um lado, o ser humano passou cada vez mais a suspeitar que os limites do seu conhecimento eram acanhados, por outro, passou a desconfiar que aquilo que nem ele nem a ciência sabem é assustador. 

Os novos mitos são, assim, outro cimento para o mesmo edifício de inseguranças, ainda mais que, quanto mais se conhece, mais se teme o desconhecido. Embora pareça contraditório, essa angulação ajuda a explicar a procura apressada e superficial de novidades, porque elas são buscadas na tentativa de tapar os buracos do medo, quando, em realidade, podem é estimular o mecanismo da supercompensação, como bem dizia o psicanalista austríaco e médico psiquiatra Alfred Adler. Mesmo tendo aberto larga divergência teórica com Freud, Adler admitia que os sintomas neuróticos são fundamentalmente defensivos, já que o neurótico amedrontado supercompensa sua baixa autoestima e sua insegurança buscando o autoengrandecimento com a necessidade recorrente de mostrar seu valor, quase sempre fazendo seus atos ser acompanhados de arrogante desqualificação do mérito alheio ou mesmo de equiparações fictícias.

Por trás disso não está senão o medo, adverte Joanna de Ângelis: “O medo de ser deixado em plano secundário, de não ter para onde ir, com quem conversar, significaria ser desconsiderado, atirado à solidão” (p. 28). Por isso que se ostenta ruidosamente uma felicidade abrigada no acesso ao poder mítico da ciência, com a "terrível preocupação para ser visto, fotografado, comentando, vendendo saúde, felicidade, mesmo que fictícia” (ib.).

Essa ambientação cultural regida pelo mito da onisciência científica, o que inclui a psicofarmacologia, que chegou a transbordar para fora do âmbito rigoroso das prescrições médicas, é, na verdade, uma das raízes neuróticas, pois suas ficções de felicidade tanto podem induzir isolamento até o limite de uma fobia social quanto podem fazer o indivíduo tomá-las como o parâmetro inflexível da vivência coletiva ordenada. Neste último sentido é que pode ser lido o seguinte trecho da obra: “A violência, que irrompe desastrosa, arma os novos Rambos com equipamentos de vingança em nome da justiça, enfrentando as forças do mal que se apresentam numa sociedade injusta, promovendo lutas lamentáveis, sem controle” (p. 48).  Segundo ela, nesses momentos, se “descamba para o grotesco, fomentando o pavor, ironizando os valores dignos e desprezando as Instituições” (ib.).

A autora não minimiza o papel primoroso das religiões, capaz de diminuir “o volume da violência”, pois “sem o mito da salvação pela fé, toda essa potencialidade seria canalizada na direção da agressividade destruidora” (p. 90). Mas também adverte contra os desencontros religiosos, porquanto “nas várias escolas de fé espocam a rebelião, as disputas lamentáveis, a maledicência ácida ou o distanciamento formando quistos perigosos no corpo comunitário” (p. 69).

Sua abordagem, que passa pela compreensão de que o Inconsciente de cada indivíduo “está sempre a ditar-lhe o que fazer e o que realizar” (p. 123), sugere então “uma nova conduta e, para isso, a psicologia profunda se torna o estudo de uma nova linguagem libertadora” (p. 121), ou seja, “uma nova linguagem que rompa com o atavismo, com a memória da sociedade, acumulada de símbolos, falsos uns e inadequados outros” (p. 122), o que significa dizer uma linguagem “sem autopunição, sem autojulgamento, sem autocondenação” (p. 121), implicando, por consequência, “renovar-se sempre para melhor, agindo com correção, sem consciência de culpa, sem autocompaixão, sem ansiedade, viver o tempo com dimensão atemporal" (p. 121-122).

Essa fisionomia, em arremate, fará com que a "sociedade amedrontada" (p. 25) ceda lugar a novos símbolos que se incorporarão pouco a pouco "ao cotidiano, ensinando disciplina, controle, respeito por si mesmo, aos outros, às autoridades, que no homem se fazem indispensáveis para a feliz coexistência pacífica" (p.49).

Enfim, esse livro, que tem outros relevantes aspectos aqui não focalizados, merece ser lido e relido por ser inegavelmente, como diriam os romanos, um lectio magistralis.

Vitória da Conquista, 29 de maio de 2020.

CONTINUE LENDO

Conquista recebe pacientes de mais de 15 municípios com coronavírus; Brumado continua na lista

  • Redação
  • 30 Mai 2020
  • 08:33h

(Foto: Reprodução)

Nesta sexta-feira (29), os leitos para tratamento de Covid-19 estão ocupados por pacientes de: Vitória da Conquista, Ipiaú, Anagé, Jequié, Guanambi, Urandi, Pau Brasil, Itapetinga, Belmonte, Caetanos, Brumado, Cândido Sales, Itamarajú, Eunápolis, Itacaré, Poções e Rio do Antônio. A rede hospitalar de Vitória da Conquista disponibiliza 114 leitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) destinados exclusivamente, para o tratamento do novo coronavírus, sendo 64 enfermarias e 50 Unidades de Terapia Intensiva As definições operacionais adotadas pela Vigilância Epidemiológica municipal são especificadas pela Nota Técnica COE Saúde Nº 54 de 8 de abril de 2020, da Secretaria de Saúde do Estado.