Faustão fala pela 1ª vez sobre saída da Globo: 'Página virada e olhar para a frente'

  • Bahia Notícias
  • 12 Jan 2022
  • 18:36h

Foto: Reprodução / YouTube

Fausto Silva abriu o jogo sobre a sua saída da Globo em entrevista ao podcast 'Rap 77', do youtuber Júnior Coimbra.

Na conversa, a primeira desde a sua saída repentina da emissora em junho de 2021, o apresentador afirmou que não viu problema com a decisão da antiga casa.

"A partir do momento que eu me antecipei em dizer que ia voltar para a Band, é claro que eles não iam me deixar na vitrine. Não tem problema nenhum. Página virada e olhar para a frente".

O comunicador, que já está de casa nova e estreia na Band no dia 17 de janeiro, mesma data do início do Big Brother Brasil, se mostrou grato aos 33 anos de Globo.

"Fiquei num lugar por 33 anos. Fui muito feliz lá. Consegui trabalhar com gente como o Boni, foi o melhor presente que a vida me deu. Daniel Filho, Carlos Manga, Paulo Ubiratan… Trabalhei com gente que fez a televisão brasileira durante 33 anos".

Animado para o novo desafio na antiga casa, Fausto garantiu que o projeto vem como uma grande novidade em sua carreira. "Vamos tentar fazer um programa diferente por dia. E é o que a gente vai tentar fazer. E, principalmente, levar alegria e otimismo".

Novo aumento dos combustíveis mostra que culpa não é dos estados, diz Wellington Dias

  • por Fábio Zanini
  • 12 Jan 2022
  • 16:35h

Foto: Divulgação / Ccom

Coordenador do Fórum de Governadores, Wellington Dias (PT-PI) diz que o novo aumento dos combustíveis deixou claro que a responsabilidade pela alta de preços é da da Petrobras.
A Petrobras informou que aumentará os preços do diesel nas refinarias em 8% a partir de quarta-feira (12), enquanto a gasolina vendida às distribuidoras terá aumento médio de 4,85%, de acordo com nota publicada pela companhia nesta terça-feira (11).

O diesel passará de R$ 3,34 para R$ 3,61 por litro, enquanto a gasolina subirá de R$ 3,09 para R$ 3,24 por litro.

"Cada vez mais claro, quem faz subir o preço dos combustíveis no Brasil são os aumentos da Petrobras. Sempre sustentamos que o valor do combustível tem a ver com a dolarização do petróleo e a vinculação feita no Brasil. Congelamos por 90 dias o ICMS e mesmo assim os aumentos continuam", afirma o governador do Piauí.

"A ausência de uma proposta sustentável por parte da Petrobras e Ministério da Economia leva a esta instabilidade nos preços", completa Dias, que também é presidente do Consórcio Nordeste.

Os governadores são rotineiramente responsabilizados pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) de serem os culpados pelos reajustes, em razão da incidência de ICMS.

Engenheiro que matou esposa em Porto Seguro tem prisão preventiva mantida pela Justiça

  • Bahia Notícias
  • 12 Jan 2022
  • 14:31h

Foto: Reprodução / Redes Sociais

Responsável por matar a esposa, a jornalista Juliana de Freitas Alves, no dia 31 de dezembro, em Porto Seguro, o engenheiro Reges Amauri Krucinski, de 43 anos, teve sua prisão preventiva mantida pela Justiça. 

Em audiência que ocorreu nesta terça-feira (11), no Fórum de Porto Seguro, o homem disse ter se arrependido do crime. De acordo com o Radar64, ele permanece preso no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep) da cidade baiana. 

O advogado de Reges, Iuri Thomy, não informou a data de quando o engenheiro será transferido para o Conjunto Penal de Eunápolis devido a motivos pessoais. A defesa aguardará o conteúdo da denúncia do Ministério Público para se pronunciar sobre o caso. 

ENTENDA O CASO 

Reges Amauri Krucinski confessou ter matado Juliana, de 41 anos, durante a noite de réveillon. Ele foi autuado em flagrande por feminicídio. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado, mas a vítima já foi encontrada morta (veja aqui).

O crime teria sido presenciado pela filha de Juliana, de 10 anos, e por uma babá da família. Também estavam na casa onde o crime ocorreu uma irmã de Juliana, uma filha de Reges de 13 anos, um bebê de 11 meses, filho do casal, e outra empregada.

Reges ainda precisou de atendimento médico após bater a cabeça contra paredes e grades da carceragem da Delegacia Territorial de Porto Seguro na madrugada do dia 1º de janeiro (lembre aqui).

Minotouro é confirmado em evento de boxe que terá Whindersson Nunes x Popó

  • Bahia Notícias
  • 12 Jan 2022
  • 12:08h

Foto: Reprodução / Instagram

O baiano Rogério Minotouro está de volta aos ringues de boxe. O ídolo do MMA, medalhista de bronze nos Jogos Pan-Americanos de 2007, anunciou que vai compor o card do evento Fight Music Show, responsável por colocar frente a frente Whindersson Nunes e Popó. 

Em entrevista ao Ag. Fight, o organizador do evento, Mamá Brito, anunciou que Minotouro enfrentará Leonardo Guimarães, o Leleco, ex-UFC, na luta co-principal. Além disso, o ex-BBB Yuri Fernandes vai encarar o medalhista olímpico Esquiva Falcão. 

"Vai ter a luta Popó e Whindersson, que foi difícil fechar, e o Rogério Minotouro, vai ser uma honra fazer uma luta de boxe, sendo que ele foi bronze no Pan-Americano, contra Leleco, que já lutou UFC. E 100kg, tá?", contou o organizador. 

Brito confirmou ainda que o humorista Tirulipa será o apresentador dos combates e o cantor Wesley Safadão fará um dos shows. A arena terá capacidade para de 2,5 mil a 3 mil espectadores. 

Em reaplicação do Enem 2021, 67% dos inscritos faltaram à prova

  • por Folhapress
  • 12 Jan 2022
  • 09:55h

Foto: Reprodução / Igor do Vale / G1

Dos 340.659 inscritos, apenas 33,2% (112.931) compareceram, no domingo (9), ao primeiro dia de provas da reaplicação da edição 2021 do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Os ausentes somaram 227.728, o que representa 68,8% do total de inscritos.
 

O número de faltosos foi divulgado nesta terça-feira (11) pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira). A abstenção foi maior (72,7%) entre aqueles que obtiveram o direito à isenção de taxa de inscrição após decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) tomada em setembro. As informações são da Agência Brasil.
 

A maior taxa de comparecimento foi registrada entre pessoas privadas de liberdade ou submetidas a medidas socioeducativas que incluam privação de liberdade (Enem PPL). Nesse caso 34.190 participantes realizaram, 63% dos 54.227 inscritos.
 

Se considerados somente os inscritos com isenção de taxa e aqueles que tiveram direito a fazer a prova devido a alguma dificuldade na primeira aplicação, o maior nível de abstenção foi registrado em Minas Gerais, de 76,4%. O estado foi atingido por fortes chuvas no fim de semana, quando foram registradas diversas interdições provocadas por enchentes e desabamentos nas rodovias.
 

As demais unidades da federação, porém, não ficaram muito atrás, e também registraram número alto de faltosos, como Mato Grosso do Sul (75,8%), Goiás (75,1%) e Tocantins (74,7%). Em números absolutos, a abstenção foi maior em São Paulo, onde 29.191, ou o equivalente a 74,6% dos 39.152 inscritos, faltaram.
 

Tiveram direito a participar da reaplicação do Enem 2021 as pessoas com direito à isenção de taxa por decisão judicial e os participantes que tiveram pedido aceito devido a alguma dificuldade na primeira aplicação, além das pessoas privadas de liberdade que se inscreveram no Enem PPL.
 

Assim como no Enem regular, os participantes farão em dois domingos quatro provas objetivas de 180 questões, sendo 45 questões em cada área do conhecimento: linguagens, ciências humanas, ciências da natureza e matemática, além da prova de redação.
 

No domingo (9), foram aplicadas as provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias e Redação. No próximo domingo (16) serão aplicados os exames de matemática e ciências da natureza.
 

Ao todo, são 4.618 locais de prova, sendo 1.435 para o Enem PPL, 2.249 para os participantes isentos que se inscreveram após nova oportunidade e 934 para a reaplicação de quem teve o pedido aceito.
 

Com relação à equipe de aplicação, há 54.053 pessoas envolvidas, sendo 10.470 para o Enem PPL, 40.315 para os isentos ausentes do Enem 2020 e 3.268 da reaplicação.
 

Asteroide de 1 km de largura passará 'perto' da Terra na próxima semana, diz Nasa

  • Bahia Notícias
  • 12 Jan 2022
  • 06:53h

Foto: Pixabay

Um asteroide de aproximadamente um quilômetro de largura passará pela Terra no dia 18 de janeiro, próxima terça-feira, de acordo com o Centro de Estudos de Objetos Próximos à Terra da Nasa, que rastreia cometas e asteroides potencialmente perigosos que têm potencial de colisão. As informações são da CNN Brasil.

O corpo que se aproxima é conhecido como 7482 (1994 PC1) e foi descoberto em 1994, segundo a Nasa. Ele está a cerca de 1.931 milhão de quilômetros de distância do nosso planeta, movendo-se a uma velocidade de 76.192 km/h. 

Ninguém espera que o 7482 (1994 PC1) atinja a Terra, mas é o mais perto que um asteroide chegará nos próximos dois séculos, de acordo com as projeções da agência espacial. Espera-se que o sobrevoo ocorra na terça-feira, 18 de janeiro, às 18h51 no horário de Brasília.

O maior asteroide a passar pela Terra é o 3122 Florence (1981 ET3), que voou e não colidiu com nosso planeta em 1 de setembro de 2017. Estima-se que ele tenha entre quatro e 8,4 quilômetros de largura e faça outra passagem próxima à Terra em 2 de setembro de 2057.

Embora seja improvável que 7482 (1994 PC1) seja visível a olho nu, astrônomos amadores com um pequeno telescópio devem ser capazes de localizá-lo, de acordo com o site EarthSky.

Tribunal Regional Eleitoral da Bahia suspende atendimento presencial

  • Bahia Notícias
  • 11 Jan 2022
  • 13:55h

Foto: Divulgação

Com o aumento da contaminação de Covid-19 no estado, o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) vai suspender, a partir desta segunda-feira (10), o atendimento presencial. Segundo o órgão, a suspensão é válida até o próximo dia 31 de janeiro e segue a Portaria Nº 05/2022, assinada pelo presidente da Corte baiana, desembargador Roberto Frank. 

 

Os serviços oferecidos pela Justiça Eleitoral aos cidadãos funcionarão normalmente, mas de forma on-line, pelo Núcleo de Atendimento Virtual ao Eleitor (NAVE), por meio do site do Eleitoral baiano www.tre-ba.jus.br; através do Telegram (@maiatrebot) e também pelo telefone (71) 3373-7000. 

 

O TRE baiano lembra que as solicitações de regularização, alistamento eleitoral (1º título) e atualizações no cadastro (transferência de seção ou domicílio eleitoral, alteração de endereço, nome etc.) podem ser feitas virtualmente, com auxílio do NAVE ou pelo Título Net.     

 

Também de forma virtual, por meio do site do TRE-BA, os cidadãos poderão ter acesso às certidões fornecidas pela Justiça Eleitoral, a exemplo das certidões de: composição partidária, crimes eleitorais,  filiação partidária, negativa de alistamento e quitação eleitoral.

 

A Portaria Nº 5/2022 está disponível no Diário da Justiça Eletrônico (DJe) desta segunda-feira com data de publicação de terça-feira (11/1), com edição já disponível no site do Regional. Conforme o documento, serão mantidas as realizações das sessões e audiências, de forma virtual ou semipresencial, nos termos da Resolução TRE-BA Nº 22, de 23 de julho de 2021. As atividades remotas serão exercidas pelos servidores no horário de expediente normal do Tribunal, estabelecido nos termos da Portaria Nº 159/2019.

Deputadas propõem punir omissões de testemunhas de violência contra a mulher

  • por Felipe Dourado / Bruno Leite
  • 11 Jan 2022
  • 11:53h

Foto: Elza Fiuza / Agência Brasil

Em meio às votações da PEC dos Precatórios, do Orçamento de 2022 e do aumento do programa Auxílio Brasil, o fim do ano passado também viu uma última cartada da bancada feminina em favor da proteção de mulheres vítimas de violência de gênero no Brasil. A deputada Renata Abreu (Podemos-SP) assinou a autoria de um Projeto de Lei que pretende tipificar como omissão os indivíduos que presenciarem ou souberem de atos de violência contra a mulher e não denunciarem às autoridades no prazo de 24 horas do ocorrido.

 

O PL 2952/21, apresentado à mesa da Câmara no início de dezembro, foi idealizado após a circulação viral de um vídeo mostrando uma mulher sendo espancada pelo companheiro enquanto uma pessoa assiste sem interferir. A ocasião gerou revolta nas redes sociais e suscitou a campanha "em briga de marido e mulher a gente salva a mulher".

 

A proposta tem ainda mais relevância e contexto quando recordamos os dados do último Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado no fim de julho do ano passado, e que trouxe dados alarmantes acerca da violência de gênero no país. De acordo com relatório, dos 3.913 homicídios de mulheres, 1.350 foram tipificados como feminicídio. O recorte ainda indicou que 3,6 a cada 100 mil mulheres foi morta no país em 2020. Na Bahia, o recorte é ainda mais assustador, com a taxa de homicídios de mulheres de 6,2 a cada 100 mil mulheres.

 

A deputada federal Lídice da Mata (PSB-BA) explica que há, no estado, dados que mostram que uma mulher é violentada na Bahia a cada hora. Ela cita o caso da jornalista baiana Juliana Freitas, morta pelo companheiro na frente da própria filha em Porto Seguro, no último dia 31 de dezembro (relembre aqui). 

 

"É preciso que isso tenha visibilidade e que haja um posicionamento da política baiana, que não se resume a um posicionamento das deputadas, mas sim a um movimento das mulheres como um todo e uma resposta da Secretaria de Segurança Pública (SSP) na investigação", cobra a deputada.

 

Vale ressaltar que, do número de casos de mulheres assassinadas na Bahia, cerca de 25,7% foram enquadrados na tipificação de feminicídio - que é quando a mulher é morta apenas por ser mulher, não enquadrado latrocínio ou outros tipos de homicídio.

 

VIOLÊNCIA DENTRO DE CASA

O maior índice de violência contra a mulher continua sendo cometido dentro de casa. Dos dados divulgados pelo Anuário - que coletou e analisou dados disponíveis pelas Polícias Civis de cada unidade da federação - mais de 81,5% dos feminicídios foram cometidos por companheiros ou ex-companheiros, seguidos à distância por parentes - cerca de 8,3% dos acusados. Conhecidos e desconhecidos ocuparam as duas últimas vagas, somando cerca de 10,11% dos casos.

 

Aliado à proximidade afetiva dos agressores e assassinos às vítimas, cerca de 54% dos crimes de feminicídio foram cometidos literalmente dentro de casa.

 

MULHERES NEGRAS FIGURAM COMO MAIORES VÍTIMAS

Outro número que assusta é o do perfil etnográfico das vítimas. Em um país onde mais de 80% da população é preta, parda ou indígena, quase 62% das mulheres mortas apenas por serem mulheres são negras. Brancas ocupam a segunda colocação nesse triste ranking, representadas por 36,5% das vítimas. Indígenas e amarelas representaram menos de 1% dos casos, cada.

 

ENTENDA O PL
Todos esses dados serviram de insumo para a deputada Renata Abreu (Podemos-SP) desenhar a Proposta de Lei nº 2952/21. De acordo com o texto da deputada, as testemunhas, oculares ou não, de casos de qualquer tipo de agressão contra mulheres, teriam até 24 horas para comunicar às autoridades competentes, sob pena de reclusão de um a seis meses, podendo ser dobrada ou triplicada em casos mais graves.

 

A proposta foi apresentada no início de dezembro e, com o tumulto do fim de ano em meio às votações da PEC dos Precatórios, do Orçamento Anual para 2022 e outros temas de natureza mais urgentes, ficou de ser encaminhada pelo presidente da Casa Arthur Lira (PP-AL) para as comissões competentes antes de ser apreciada em plenário. Com isso, a deputada espera ver a pauta em discussão ainda no primeiro semestre desse ano.

Covid-19: Em meio a alta de casos, Conselho de Saúde defende adoção de mais restrições

  • por Vitor Castro / Nuno Krause
  • 11 Jan 2022
  • 09:01h

Foto: Reprodução / Paula Fróes / GOVBA

Em meio a uma pandemia de Covid-19 e diversos surtos de gripe (H3N2) no estado, um sinal de alerta se acende para os poderes públicos. A segunda-feira (10) foi marcada por uma série de anúncios, a nível municipal e estadual, visando frear o avanço das contaminações pelo SarsCov2. Diante deste cenário, o Conselho Estadual de Saúde da Bahia (CES-BA) demonstra preocupação e defende a adoção de medidas mais restritivas. 

 

Para o presidente do CES, Marcos Sampaio, o momento é considerado crítico. De acordo com ele, o número de pessoas que estão aguardando regulação para leitos, além dos indicadores de ocupação destes já demonstram a necessidade de recuo nas medidas de flexibilização. 

 

“Um momento muito crítico. Os indicadores, em alguns aspectos, são piores do que no início da pandemia. Estamos vivendo, em minha opinião, uma quarta onda, e precisamos ter muita atenção. O indicador mais importante neste momento está sendo as portas de entrada dos atendimentos de urgência e emergência, tanto públicas quanto privadas. O tempo de espera. Os trabalhadores começam também a dar sinais de cansaço”, avaliou. 

 

Nesta segunda, o secretário da Saúde de Salvador, Léo Prates, afirmou que a cidade "não vai comportar" a alta demanda de pacientes do interior do estado que vêm se tratar na capital. "Eu fui diretamente nas UPAs, funcionando aos fins de semanas, os multicentros, a vacinação. Precisamos que todos façam esforço, governo federal, do estado, as prefeituras, porque sozinhos não vamos suportar. A gente ouve falar que o Ministério [da Saúde] quer reduzir o financiamento para as prefeituras. Seria o colapso final do Sistema de Saúde, porque a maioria não vai suportar", disse (relembre aqui). 

 

O prefeito Bruno Reis, por outro lado, destacou que a capital tem realizado "uma série de manobras" para evitar problemas, e garantiu que, "neste momento, não há como ter um colapso no Sistema de Saúde". Na opinião do gestor, colapso significa "fechar a porta da UPA [Unidade de Pronto Atendimento] e deixar de atender".

 

De acordo com o último boletim epidemiológico emitido pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), nesta segunda-feira (10) a Bahia registra uma taxa de ocupação de 44% nas enfermarias adulto, 68% nas enfermarias pediátricas. Já as unidades de tratamento intensivo (UTIs) têm uma ocupação de 83% na pediátrica e 63% na adulto. 

 

Para o presidente do Conselho Estadual de Saúde, estes são dados alarmantes. “Se a gente for pegar os dados, e pegar os critérios que foram utilizados anteriormente, o próprio dado já diz qual é a etapa que devemos entrar. Eu comemorei essa coerência no decreto diminuindo o número de público nos eventos (entenda aqui). Mas 3 mil pessoas ainda é um número muito grande. Eu acho que precisa unificar as decisões”, comentou.

 

Ainda de acordo com Marcos Sampaio, a falta de alinhamento entre governo estadual e municipal, podem trazer resultados negativos no futuro. “O que temos sentido falta é de que não dá para trabalhar somente com os indicadores da Covid. Precisamos trabalhar com os indicadores das síndromes gripais. Uma pessoa que estiver gripada com H3N2 e tomou duas ou três doses da Covid pode entrar em qualquer espaço. Não existe ainda um critério. Medidas mais duras de restrições devem sim ser tomadas, ampliadas. Não sei se seria o momento de lockdown, mas medidas mais duras precisam ser sinalizadas. Você tá vivendo três ondas. Covid, Síndrome de Gripe e H3N2. Precisa tratar e criar medidas de restrição para esses cenários. Não adianta exigir o passaporte de vacina e ter uma pessoa que viaje gripada em um ônibus, entre em um estabelecimento público, por exemplo”, defendeu.

 

Para Sampaio, ainda não é o momento de suspender completamente as atividades, mas sim de reduzir gradativamente, do mesmo modo que estas foram flexibilizadas.

 

“Você foi flexibilizando de forma coordenada, então precisa fazer um plano coordenado de medidas. Não dá para chegar e fechar tudo, também porque precisamos nos preocupar com economia. Agora, não dá para dizer que não terá a lavagem do Bonfim, como é o caso de Salvador, mas nenhuma festa paga foi interrompida. Não dá para criar essa ideia de que para os pobres as medidas são duras, de evitar a mobilidade das pessoas. Mas os mais ricos da cidade, que podem pagar ingresso, com alto índice de acometimento dos próprios artistas. Precisa-se criar medidas para que pessoas com síndromes gripais cumpram um mínimo de quarentena. Não dá para entrar em mercado, em cinema, ir para Shopping, transitar nos ônibus, porque aumenta o contágio”, finalizou.

Guanambi: OAB-BA aprova primeiro desagravo de 2022

  • OAB-BA aprova primeiro desagravo de 2022
  • 11 Jan 2022
  • 06:48h

Foto: Divulgação OAB-BA

Em favor do advogado Eunadosn Donato de Barros, desagravo foi aprovado menos de um dia depois de a seccional tomar conhecimento do caso

A OAB-BA aprovou um desagravo em favor do advogado Eunadosn Donato de Barros, que teve suas prerrogativas violadas na cidade de Guanambi. O desagravo é o primeiro aprovado em 2022 e foi acolhido menos de um dia depois de a seccional tomar conhecimento do caso.

Eunadson foi vítima de comentários desrespeitosos, como “advogadozinho” e “advogado de porta de delegacia”, formulados pelo deputado federal Charles Fernandes em programa na Rádio Alvorada 90.9 FM. 

O pedido de desagravo foi apresentado à seccional pela OAB de Guanambi no último dia 5. Como a Câmara de Prerrogativas da nova gestão ainda não havia sido instalada, a diretoria pediu um parecer à Procuradoria de Prerrogativas e conseguiu aprovar o pedido ad referendum, menos de dois dias depois do ocorrido.

"Quando o assunto é defesa de prerrogativas, não podemos esperar. A decisão de pedir um parecer jurídico serviu justamente para dar agilidade a mais um caso inaceitável de violação das nossas garantias. No que depender da OAB-BA, não deixaremos impune nenhum caso de violação. Vamos tomar todas as medidas que forem necessárias", ressaltou a presidente da seccional, Daniela Borges. 

A OAB de Guanambi chegou a publicar uma nota de repúdio às ofensas. No texto, o presidente da subseção, Edvard Júnior, disse que as falas do deputado "consolidam não apenas um ataque pessoal individualizado, mas fraturam prerrogativas da comunidade jurídica nacional, indo em fissura direta da democracia".

'Flurona' pode causar quadros respiratórios mais graves? Entenda

  • por Samuel Fernandes | Folhapress
  • 10 Jan 2022
  • 18:10h

Foto: Unsplash

Casos de 'flurona', como ficou conhecida a coinfecção de Covid-19 e influenza, já foram registrados em algumas partes do país. Os diagnósticos surgem em um momento em que o Brasil enfrenta uma forte onda de quadros gripais severos que já lotam hospitais em algumas cidades.
A reportagem conversou com alguns especialistas para entender se existe alguma peculiaridade em casos de uma pessoa que é infectada por dois vírus e quais os efeitos que a dupla infecção por Covid-19 e influenza pode ter em um paciente.

O primeiro ponto é que uma dupla infecção causada por vírus é comum, explica Fernando Spilki, virologista e coordenador da Rede Corona-ômica BR-MCTI, um projeto de laboratórios que sequencia os genomas de amostras do Sars-Cov-2 no Brasil.

"Quando você vai estudar fora de um período de pandemia [...], você encontra um percentual muito alto de coinfecção [entre diferentes vírus]", afirma.

 

 

Spilki detalha que, em 2020, primeiro ano da pandemia, já tinham sido detectados casos de coinfecção entre Sars-CoV-2 e H1N1. Esses diagnósticos eram mais raros porque havia pouca circulação de influenza no Brasil. No entanto, o cenário mudou.
 

"Agora, a tempestade perfeita está formada: você tem muitas infecções por H3N2, especialmente por essa cepa Darwin que é responsável por esse surto atual no Brasil, e por outro lado você tem [...] uma onda se formando com ômicron. Então vai dar muita chance para que as pessoas se coinfectem com esses dois [patógenos]", diz.
 

Mesmo com esse cenário, Spilki afirma que não existem indicações que um diagnóstico positivo de gripe e Covid possa acarretar situações mais graves nos pacientes.
 

"A gente inclusive vê casos de coinfecção em pessoas com doença leve, então não é o fato de ter a coinfecção [que necessariamente indica a severidade da doença]", afirma.
 

É a mesma visão de Cristina Bonorino, imunologista e professora da UFCSPA (Universidade Federal de Ciência da Saúde de Porto Alegre).
 

"Parece ser uma coisa intuitiva dizer que, se tem mais de um vírus ao mesmo tempo, vai ficar pior, mas na verdade não é isso que acontece, depende muito da pessoa, da idade, das comorbidades", afirma.
 

Para o caso de coinfecções com Sars-CoV-2, Bonorino explica que "nenhum [estudo] mostra um risco aumentado", mas ela também ressalta a necessidade de continuar monitorando a situação, já que o coronavírus ainda é muito novo.
 

Ela também diz que os casos de coinfecção agora estão sendo mais relatados porque as medidas sanitárias estão sendo relaxadas, o que não tinha acontecido em larga escala anteriormente.
 

"A gente teve uma queda nos casos de influenza no ano passado por causa do distanciamento e por causa das máscaras, que inibem a circulação de todos os vírus. No que as restrições começaram a afrouxar, começaram os pequenos surtos de outros vírus e agora está tendo de gripe", afirma.
 

Aspecto parecido é apontado por Maurício Nogueira, professor da faculdade de medicina de São José do Rio Preto. Ele diz que a maior circulação de diversos vírus pelo país é "reflexo da total liberalização que a gente fez depois de dois anos parados".
 

O panorama crítico já é sentido em diferentes regiões. Hospitais, por exemplo, já precisam lidar com o aumento de pacientes com Srag (Síndrome Respiratória Aguda Grave). Gerson Salvador, médico do hospital universitário da USP (Universidade de São Paulo), já observou o aumento de casos críticos no atendimento a pacientes.
 

Ele relata que, em meados de novembro, já era visível o aumento do número de pacientes com Srag e que a maioria era de casos positivos de influenza. Salvador relaciona isso com a epidemia de gripe no Rio de Janeiro.
 

Em dezembro, no entanto, os números de casos a Covid-19 também subiram. "A gente viu aumentar muito rápido os casos de Covid-19. Nesse momento, a gente tem que lidar com pacientes com influenza e Covid grave", relata Salvador.
 

O médico, entretanto, reitera que essa situação não se relaciona necessariamente à coinfecção em si de coronavírus e influenza, mas sim à alta taxa de disseminação dos dois vírus pelo Brasil, que podem resultar em complicações respiratórias mesmo em infecções de somente um dos patógenos.
 

"Estar infectado com dois vírus ao mesmo tempo não quer dizer que vai ter quadro de maior gravidade. [Isso] não é uma outra doença", afirma.
 

Nogueira também defende que a coinfecção entre vírus não deve ser o ponto central de preocupação, por ser "um fenômeno relativamente comum".
 

"Nós temos que nos preocupar com a Covid, com as formas de transmissão e com a vacinação", diz.
 

Os diagnósticos de Sars-CoV-2 voltaram a subir de forma vertiginosa diante da variante ômicron, que tem uma alta taxa de transmissibilidade.
 

Um levantamento feito com mais de 2.400 amostras de testes RT-PCR especiais identificou uma prevalência média de 92% da nova variante nos positivados a Covid-19 no Brasil.
 

Dados preliminares também já indicam que o esquema vacinal de duas doses ou dose única tem redução significativa de anticorpos neutralizantes contra a ômicron. Mesmo assim, os imunizantes ainda são de extrema importância para evitar casos graves da doença, como hospitalizações e mortes.
 

Para Nogueira, inclusive, a transmissão exacerbada da ômicron e a vacinação defeituosa de crianças são os grandes problemas sanitários brasileiros que precisam ser enfrentados.
 

"A ômicron, a alta taxa de transmissão e o atraso para vacinar criança: esses são problemas que a gente tem que discutir", conclui.

CONTINUE LENDO

Ministério da Saúde pedirá liberação de autoteste de Covid-19 para a Anvisa

  • Bahia Notícias
  • 10 Jan 2022
  • 17:50h

Foto: AEN/Divulgação

O Ministério da Saúde vai pedir à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ainda nesta semana uma autorização para o uso de autoteste de Covid-19 no Brasil. Outros países já utilizam esse teste para agilizar o diagnóstico da doença.

Segundo o G1, atualmente, a venda do autoteste não é liberada no Brasil. O exame pode ser feito em casa com a coleta do material no nariz com cotonete ou por saliva. O autoteste, no entanto, tem sensibilidade menor do que outros exames, como o RT-PCR, e está sujeito ao erro do paciente não treinado.

Na sexta-feira (7), a Anvisa emitiu uma nota esclarecendo que as regras atuais só permitem “o registro de autoteste de doenças infectocontagiosas passíveis de notificação compulsória, como a Covid-19, caso haja uma política de saúde pública e estratégia de ação estabelecida pelo Ministério da Saúde”.

"Para a adoção de uma eventual política pública que possibilite o uso de autoteste para Covid-19, é fundamental considerar os fatores humanos e a usabilidade do produto, medidas de segurança do produto, limitações, advertências, cuidados quanto ao armazenamento, condições ambientais no local que será utilizado, intervalo de leitura, dentre outros aspectos”, completou a agência.

A Anvisa informou que ainda não recebeu uma solicitação formal.

RHI Magnesita abre cadastro em banco de talentos para PCD’s

  • ASCOM RHI MAGNESITA I Thobias Almeida
  • 10 Jan 2022
  • 15:08h

Inscrições são voltadas para pessoas com deficiência que residam em Brumado (Foto: Laércio de Morais I Brumado Urgente)

Diversidade e Inclusão são princípios da RHI Magnesita. Com base nisso, a companhia criou um banco de talentos voltado para pessoas com deficiência (PCD), o que reforça o seu compromisso de proporcionar um ambiente de trabalho diverso e acolhedor.

Os interessados devem cadastrar os currículos  no site da empresa. Nessa fase, as inscrições são direcionadas a moradores de Brumado ou àqueles que tenham disponibilidade de se mudar para o município baiano.

O objetivo da RHI Magnesita é promover a diversidade e o respeito, bem como reforçar a base de dados de currículos de PCD’s com vistas a contratações futuras. A empresa recorre ao banco de talentos para preencher as vagas que recorrentemente são abertas na unidade. 

Os interessados devem ter um perfil dinâmico, gostar de manter contato com diversas áreas e pessoas, ser organizado e estar disposto a trabalhar em uma equipe multicultural.

Os pré-requisitos para a inscrição no banco de talentos são:

  • Formação: Ensino Médio Completo;
  • Vivência com atividades operacionais de áreas como produção, laboratório, manutenção industrial, construção civil e áreas relacionadas;
  • Disponibilidade para residir em Brumado;
  • Disponibilidade para revezamento de turno.

Sobre a RHI Magnesita

A RHI Magnesita é o resultado da combinação da RHI e Magnesita para formar o fornecedor líder global de produtos, sistemas e serviços refratários de alta qualidade que são indispensáveis para processos industriais de alta temperatura, superiores a 1.200°C em uma ampla gama de indústrias, incluindo aço, cimento, metais não ferrosos e vidro, entre outros. Com uma cadeia de valor verticalmente integrada, desde matérias-primas até produtos refratários e soluções completas com base no desempenho, a RHI Magnesita atende mais de 10 mil clientes em quase todos os países ao redor do mundo.

A Empresa possui uma diversificação geográfica incomparável, com mais de 14.000 funcionários em 35 principais unidades de produção e mais de 70 escritórios de vendas. A RHI Magnesita pretende usar sua posição de liderança global em termos de receita, maior escala, portfólio de produtos complementares e presença geográfica diversificada em todo o mundo para atuar com as oportunidades em países e regiões que se beneficiem de perspectivas de crescimento econômico mais dinâmicas.

CONTINUE LENDO

Suprema Corte da Espanha decide que pagar dívida com sexo oral é legal

  • Bahia Notícias
  • 10 Jan 2022
  • 14:10h

Foto: Reprodução/Facebook/Conselho Geral do Poder Judiciário da Espanha

A Suprema Corte da Espanha analisou um caso curioso de pagamento de dívidas. Uma mulher recorreu na Justiça pelo direito de validar a quitação de uma dívida de R$ 96,3 mil em débitos por meio de sexo oral. O pedido também denunciou uma situação de coerção sexual.

Segundo argumentou a defesa da mulher, ela teria feito um acordo com seu ex-cunhado para saldar o valor em questão com a realização do ato sexual por sucessivas vezes. Conforme noticiou o portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias, o tribunal de primeira instância não viu ilegalidade no pagamento, pois considerou que houve consenso entre as partes.

Após pagar a dívida por 16 meses e se recusar a continuar fazendo sexo oral no ex-cunhado, já que considerava ter saldado o débito, a mulher teve que recorrer à Suprema Corte, pois o credor passou a pedir a quitação em dinheiro.

A mulher denunciou a coerção sexual e a primeira instância local considerou que não houve agressão por parte do homem, devido ao acordo que haviam feito de forma consensual.

Após recorrer da decisão, a ação chegou até o Supremo Tribunal da Espanha, que decidiu não analisar a questão por não se tratar de matéria constitucional. Dessa forma, foi mantido o entendimento de primeira instância.

Maioria de cursos de direito não aprova nem 30% na OAB

  • por Estêvão Gamba e Sabine Reghetti | Folhapress
  • 10 Jan 2022
  • 12:09h

Foto: Divulgação

Nove em cada dez instituições que oferecem o curso de direito no Brasil aprovam menos de 30% dos seus alunos na prova da OAB (Exame da Ordem dos Advogados do Brasil). O desempenho mínimo na avaliação é obrigatório para o exercício da advocacia no país.
 

Os dados foram tabulados pela Folha considerando a porcentagem de aprovados no exame da OAB em relação aos presentes nas provas em três anos (de 2017 a 2019). Três exames são realizados por ano.
 

Ao todo, 790 instituições de ensino superior que têm curso de direito foram avaliadas. Isso representa todas as escolas ativas do país com pelo menos 50 presentes ao ano nos exames da ordem (que não tenham zerado na prova).
 

Na maioria delas (679), menos de 30% dos alunos e ex-alunos que fizeram o exame tiveram nota suficiente para passar na prova.
 

Uma delas é o Centro Universitário de Bauru, a 330 km da capital paulista, mais conhecido como Instituto Toledo de Ensino (ITE). A escola está em 122º lugar no ranking nacional da OAB (com 28,82% de aprovados no exame).
 

O ITE virou assunto recentemente, em abril, quando a advogada Claudia Mansani Queda de Toledo assumiu a presidência da Capes, agência federal ligada ao MEC que avalia a pós-graduação no país. Toledo era reitora da instituição, que foi criada pela sua família.
 

Foi lá, também, que estudou o ministro da Educação, Milton Ribeiro.
 

Um número ainda menor de escolas --5,4% do total de instituições avaliadas-- consegue aprovar pelo menos metade dos seus alunos no exame da OAB. Em 1º lugar nacional está a FGV Direito Rio (Escola de Direito do Rio de Janeiro) com 79,33% de aprovados, seguida pela USP (73,64%) e pela UFMG (73,10%).
 

O curso de direito tem a maior demanda nacional ""passou, em 2014, o número de ingressantes de administração de empresas.
 

"É uma formação muito procurada por causa de profissões jurídicas que remuneram muito bem. Tem basicamente biblioteca, lousa e giz --e há muitos cursos de má qualidade", afirma Nina Stocco Ranieri, que é professora da Faculdade de Direito da USP.
 

Ela tem se dedicado a pesquisar indicadores de avaliação de cursos jurídicos. "É um curso conservador, as leis são conservadoras. Os cursos têm de repensar o seu formato", avalia Ranieri.
 

Quem tem repensado é justamente a líder nacional em aprovação na OAB, FGV Direito Rio. O curso de direito da instituição nasceu há menos de 20 anos em período integral, baseado em projetos e com grande apelo internacional --há disciplinas em inglês, e os alunos são estimulados a fazer intercâmbio. Na grade tem até linguagem de programação.
 

"A prova da ordem é apenas um indicador, uma consequência do rigor acadêmico", avalia Sérgio Guerra, diretor do curso.
 

Outro aspecto que ele considera fundamental para o bom desempenho no exame é a proximidade entre professores e alunos -"que têm nome e sobrenome". Isso é um diferencial: turmas de direito chegam a ter centenas de estudantes, o que dificulta interações com docentes e mentorias mais personalizadas.
 

A Folha avaliou as instituições de ensino superior que oferecem direito a partir do seu cadastro no MEC. No caso de escolas com mais de um curso ou com graduação em mais de um campus, foi feita uma média da aprovação na OAB de todos os alunos daquela instituição.
 

Apenas no caso da USP --que oferece o curso de direito no Largo de São Francisco (em São Paulo) e em Ribeirão Preto (330 km da capital paulista)--, foi feita uma análise específica das taxas de aprovação na OAB em cada campus.
 

O curso de São Paulo foi criado por decreto imperial em 1827 ""anterior à própria instituição da USP, universidade à qual o Largo de São Francisco foi incorporado mais de um século depois.
 

Já o curso de Ribeirão Preto tem menos de quinze anos, e já passou por uma reformulação do projeto pedagógico em 2017.
 

Se fosse uma escola independente, a USP de Ribeirão Preto seria líder nacional com 79,88% de aprovados no exame da ordem. Assim como a FGV Direito Rio, a graduação USP do interior de São Paulo é em período integral e tem abordagem multidisciplinar, com disciplinas que vão além da área jurídica.
 

Essa é a segunda vez que a Folha avalia a porcentagem de aprovação na OAB dos cursos de direito oferecidos no país, considerando o percentual de aprovados finais no exame. A primeira análise foi publicada no RUF - Ranking Universitário Folha de 2019.
 

No RUF, foi avaliada a aprovação nos exames da ordem de 2015, 2016 e 2017. Na época, a Unesp liderava em aprovação na OAB no país, seguida pelas federais de Pernambuco (UFPE) e de Viçosa (UFV).
 

Também foram analisados no ranking indicadores como titulação do corpo docente, nota dos formandos no Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes) e percepção do mercado de trabalho.
 

Com todos esses aspectos, as melhores escolas de direito do país no RUF 2019 foram, respectivamente, USP, UFMG e FGV-SP (que, nos dados do MEC, é uma instituição diferente da FGV Rio).
 

Como considera os exames da OAB de 2017 a 2019, o retrato atual da Folha é anterior à Covid-19. Para Nina Ranieri, a pandemia pode ter piorado a qualidade dos cursos de direito do país, que não se prepararam para a oferta da formação de maneira remota.
 

"Temo que os próximos resultados sejam ainda piores."