Bolsonaro promoveu ‘estratégia de propagação’ do coronavírus, diz estudo

  • Redação
  • 23 Jan 2021
  • 07:01h

Pesquisa analisou as decisões, decretos, medidas provisórias, portarias, leis, instruções normativas e declarações do presidente | Foto: Reprodução

Um estudo divulgado na quinta-feira (21) acusou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de ser responsável pela propagação do novo coronavírus no Brasil. Segundo o levantamento realizado pelo Centro de Pesquisas e Estudos de Direito Sanitário da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP) e pelo Conectas Direitos Humanos, foi criada “uma estratégia institucional de propagação do vírus, promovida pelo governo brasileiro sob a liderança da Presidência da República”. A pesquisa analisou as decisões, decretos, medidas provisórias, portarias, leis, instruções normativas e declarações públicas de Bolsonaro desde março do ano passado. Para os pesquisadores, o mandatário foi omisso em relação à pandemia da Covid-19 e ainda atuou “em prol da ampla disseminação do vírus no território nacional, declaradamente com o objetivo de retomar a atividade econômica o mais rápido possível e a qualquer custo”. O estudo ainda apontou que “a maioria das mortes seria evitável por meio de uma estratégia de contenção da doença, o que constitui uma violação sem precedentes do direito à vida e do direito à saúde dos brasileiros”. Conforme o Ministério da Saúde, em boletim epidemiológico divulgado nesta sexta (22), o número de óbitos pela doença chegou a 215.243.


Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.