Brumadenses contam com empreendimento inédito!

  • 29 Jun 2020
  • 09:53h

Foto: Divulgação (O Memorial da Paz foi inaugurado no dia 27 de junho pelo Grupo Pax Nacional)

No dia 27 de junho, último sábado, o Grupo Pax Nacional de Brumado inaugurou o Memorial da Paz. Um espaço amplo, seguro e confortável para que parentes e amigos possam dar último adeus aos entes queridos. O empreendimento está localizado na Avenida Lindolfo Azevedo Brito (saída para Livramento). Emocionada, a presidente do Grupo Pax Nacional, Perinalva Dias, acompanhada dos empresários Polliana Pitombo e Dermival Júnior, cortou a fita vermelha dando início a cerimônia de inauguração.

Para a presidente da Pax Nacional, o cuidado humanizado e a inovação são marcas da empresa. “É o primeiro memorial da cidade. Ao longo desses mais de 30 anos atuando em Brumado e região temos certeza de que nossa missão é sempre inovar. Estamos empenhados no cuidado com o outro. Quero agradecer a Deus e ao povo de Brumado por mais essa conquista”, afirmou.

Foto: Divulgação

Por causa da pandemia do novo coronavírus a cerimônia foi restrita à família e alguns funcionários que representaram a equipe Pax Nacional. O Memorial da Paz conta com uma estrutura que comporta até dois velórios por vez. O espaço é composto por um salão (que pode ser dividido em dois), copa, área de alimentação e sanitários. Todo ambiente é climatizado, sonorizado e conta com um circuito interno de câmeras de segurança e alarme.

A empresária do Grupo Pax, Polliana Pitombo, destaca que “o Memorial é um espaço para amparar a família e homenagear o ente querido com conforto e segurança. Hoje a cidade de Brumado conta com um ambiente próprio para o momento de despedida. Prezamos pelo respeito e cuidado com nossos clientes para preservar memórias”, conta.

O Memorial da Paz já está disponível para locação.  Os interessados devem entrar em contato com a empresa através dos telefones 77 3441-3594; 77 99926-1098 (whatsapp).


Rifas do Bem chega para Brumado e região

  • Informe Publicitário
  • 29 Jun 2020
  • 08:24h

As rifas online atualmente são uma febre em todo Brasil. E Com isso, surgiu a ideia dos jovens brumadenses Dreyfson Novais e Jorge Meira, em criar um sistema de rifas online para poder oportunizar a realização do sonho de muitos brasileiros, que é de adquirir o seu veículo ou sua motocicleta. As rifas do Bem, além de premiar os adquirentes das cartelas online, também contribui com projetos sociais, já que parte da renda é destinada a instituições sociais. Acesse: https://rifasdobemdj.com.br/ e saiba mais, vale a pena conferir as Rifas do Bem.

O Brasil vai batendo recordes malditos na tragédia da Covid. E quem vai pagar?

  • Levi Vasconcelos
  • 29 Jun 2020
  • 08:20h

(Foto: Reprodução)

No mundo inteiro a Covid fez uma curva ascendente da hora que bateu 50 dias e daí começou a descer. No Brasil, estamos com 95 dias hoje. Sexta que vem completaremos 100. E a curva só faz subir. Fechou a sexta última com 55.961 mortos, 990 do dia. Semana passada eram 49.090 e 1.221 do dia.

A Bahia, do tamanho da França em tamanho e milhares de vezes menor em dinheiro, apesar da marcação de Rui Costa, vai na onda, num ritmo pouco menor, mas sofrendo o assédio dos que chegam de São Paulo.

Como sair desse atoleiro, se a governança da crise virou uma Torre de Babel? Os números estão subindo, os governantes flexibilizando. Prefeito faz de uma forma, outro de outra, todos assediados pela vizinhança. Juiz dá decisão fazendo e desfazendo, promotor recomenda de outra forma e por aí.

Descompasso

Da fala mansa e serena da ministra Carmen Lúcia, do STF, saiu o enunciado da tese que vai dar a luz da compreensão:

— Acho muito difícil superar [a pandemia] com esse descompasso, esse desgoverno…

Ela diz que a responsabilidade é dos três entes federativos trabalhando em harmonia (como Rui e Neto fazem na Bahia). E conclui:

— A política se faz com todo mundo, todos os cidadãos e para todos os cidadãos. Não segundo a visão de um ou outro governante. Porque isso vai resultar em mortes, e haverá responsabilidade por isso…

Para ver, primeiro rezemos para sobreviver.

Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior

  • Agência Brasil
  • 29 Jun 2020
  • 07:16h

| Método utilizado em estudo foi parecido com os testes realizados para detectar a presença do vírus no organismo(Foto: Reprodução)

Um estudo feito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) tornou mais fácil identificar lugares onde, segundo pesquisadores, a chance de ser infectado pelo vírus SARS-Cov-2, responsável pela pandemia da Covid-19, é bem maior. Os resultados parecem comprovar o que já é protocolo sanitário em todo o Brasil: a residência é o lugar mais seguro para as pessoas nesse momento. A equipe de virologistas responsáveis pelo levantamento coletou amostras de lugares públicos de alta circulação na cidade de Belo Horizonte. O método utilizado foi parecido com os testes realizados para detectar a presença do vírus no organismo: o swab – um tipo de cotonete alongado que, quando friccionado contra superfícies, coleta o material em repouso – foi usado em pontos de ônibus, corrimãos, entradas de hospitais e até mesmo bancos de praças. Das 101 amostra colhidas, 17 continham traços do novo coronavírus. “Para se avaliar o risco de um determinado local, levamos em consideração três elementos: o número de pessoas que podem portar a infecção, o nível de aglomeração esperado nos ambientes e a chance de haver pessoas com a infecção no local”, explicou o infectologista e professor de medicina da UFMG, Matheus Westin. O médico lembra, ainda, que objetos também podem ter partículas infecciosas inertes. Frutas, verduras, caixas e outros itens que ficam expostos podem carregar o vetor de infecção. O estudo classificou as áreas de risco de acordo com os três pilares sanitários identificados pelos médicos.

Linha de frente
O estudo mostrou também que profissionais que trabalham na linha de frente de combate ao novo coronavírus estão muito mais suscetíveis ao contágio, já que a proximidade com infectados é inevitável. “Todas as formas de assistência direta envolvem proximidade. Desde os cuidados primários, como administrar medicação ou conversar com o paciente, aos procedimentos invasivos, como ajustar o ventilador mecânico, aspirar as vias aéreas ou entubar o paciente, tudo isso cria um grande risco de transmissão”, argumenta Westin. Segundo o médico e professor, o investimento em equipamentos de proteção individual (EPIs) de qualidade é crucial, e pode definir se o profissional médico será contaminado ou não ao tratar pacientes. “Boa parte desse equipamento é de uso único. A troca deve ser periódica. Mas não dá pra esquecer que o profissional de saúde, ao chegar em casa, deve lavar bem com água e sabão as vestimentas hospitalares para remover traços de contaminação das roupas”, informou.

Veja o infográfico:

Veterinário morre após cair de lancha durante live da dupla sertaneja Rick & Renner

  • Informações do site O Imparcial
  • 29 Jun 2020
  • 07:06h

(Foto: Reprodução)

Um jovem veterinário, identificado como Isaac Ramos, de 32 anos, desapareceu após cair de uma lancha, após um acidente durante a live da dupla sertaneja Rick & Renner, que foi realizada no último sábado (27), às margens do Rio Tocantins, em Imperatriz, a 626 km de São Luís. De acordo com informações iniciais, duas embarcações teriam colidido durante a apresentação da dupla, que estava sendo transmitida na plataforma Youtube. O local do show solidário que teria doações destinadas ao estado, teria reunido também várias outras embarcações no Náutico Club de Imperatriz. De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA), o acidente aconteceu por volta das 19h e 19h30. O corpo do jovem foi encontrado na manhã deste domingo (28). De acordo com os bombeiros, o corpo foi encontrado cerca de 500 a 600 metros rio abaixo de onde foi o local do acidente.

Fãs de Raul Seixas fazem encontros online e recordam sucessos no aniversário do músico

  • por Ana Beatriz Gonçalves | Folhapress
  • 28 Jun 2020
  • 16:21h

Foto: Reprodução / Uol

Todo e qualquer fã ou admirador de Raul Seixas leva consigo o dia 21 de agosto na memória. Há quem diga que a data de sua morte seja o momento de exaltar o legado deixado pelo cantor baiano, que moveu e ainda move milhares de pessoas com suas canções. A passeata anual "raulseixista" acontece nessa data desde o ano seguinte à morte do artista, em 1989, nas escadarias do Theatro Municipal, no centro de São Paulo. Apesar disso, tem que prefira também celebrar a existência de Raul no dia de seu nascimento: 28 de junho de 1945, há exatos 75 anos.

Desta vez, com uma comemoração virtual e atípica, devido à pandemia do novo coronavírus, os milhares de fã-clubes do cantor espalhados pelo Brasil celebram a existência do ídolo através de transmissões ao vivo nas redes sociais.
A Semana Viva Raul, organizada pelos kavernistas [nome adotado em homenagem ao segundo álbum do músico] é apenas um dos festejos que acontecem nesta data que prestigia a vida do "pai do rock brasileiro". A Warner Music Brasil, responsável por lançar quatro álbuns do artista, entre eles "Mata Virgem" e "A Panela do Diabo", anunciou um compilado de 30 faixas de Raul Seixas -disponível em todas as plataformas de streaming- como uma forma de homenagear sua contribuição para o universo musical.

Desde os 16 anos participando de eventos destinados ao artista, a pedagoga Gabriela Mousse, 38, afirma que nos últimos três anos as celebrações realizadas no dia do aniversário do cantor se tornaram mais populares até mesmo entre os fãs.

"A galera não comemorava muito, o aniversário realmente ficou apagado por muito tempo, mas para nós, são 75 anos com Raul. Ele é imortal, tanto que usamos o slogan: 'Raul vive'", diz Mousse, que é uma das responsáveis por organizar a passeata anual "raulseixista" na região do ABC paulista.

"Celebramos Raul sempre, porque não vamos cantar parabéns se falamos que ele é eterno?", completa a pedagoga, que mantém aos domingos o programa "Mosca na Sopa", na rádio web Plano B, dedicada ao ídolo.

Raul Seixas, dono de um legado de 26 anos e 17 discos lançados, também gostava de celebrar datas de nascimento. Johnny Boy Chaves, músico com quem Raulzito gravou seu último disco, "A Panela do Diabo", conta que flagrou o cantor admirando seu ídolo, Elvis Presley, em um dia 8 de janeiro. "Nunca me esqueço quando cheguei na casa dele, no dia de aniversário do Elvis."

Apesar de ter iniciado a carreira em 1968, quando integrou o grupo Raulzito e os Panteras, o cantor baiano ganhou notoriedade com seu primeiro disco solo, "Krig-ha, Bandolo!", de 1973. Seu estilo contestador e místico chamou atenção e, a partir daí, emplacou uma lista de canções que ecoam até hoje, entre elas "Metamorfose Ambulante", "Ouro de Tolo", "Mosca na Sopa", "Tente Outra Vez", "O Dia Em Que a Terra Parou" e "Cowboy Fora-da-Lei".

Mas para Johnny Boy, o fato de o colega ter ganho ainda mais relevância após sua morte se explica pela comoção pública. "Virou um certo estigma, mas o nascimento foi antes de toda essa loucura. Raul deixou muito claro que ele era um ator, que viveu esse personagem que ele mesmo criou. Se a gente for ver a trajetória dele, era um cara comum de barba, óculos e paletó", diz o músico, que ressalta a importância de homenagear o aniversário do amigo.

AMOR DE GERAÇÕES

Entre utopias e ideais que defendia fervorosamente, como a Sociedade Alternativa, Raul Seixas cativou, e ainda cativa, diferentes gerações. O estudante de administração Lucas Babics tem um carinho para lá de especial por Raulzito. Aos três anos, ele perdeu o pai, um grande fã do artista. "Sempre que ouço não deixo de lembrar, é uma conexão que criei com a música dele."

"Na maioria das músicas Raul fala sobre a morte, a vida, é uma maneira de lidar e entender a magnitude de certas coisas", acrescenta Babics, que diz ainda que aos dez anos aprendeu a tocar violão por causa do artista. "Tinha um CD com 25 músicas baixadas do Raul. Foi assim meu início na música, hoje em dia toco outros instrumentos e componho."

Para Johnny Boy o motivo pelo qual o intérprete de "Gita" ainda consegue se conectar com as pessoas, independentemente de suas idades, é pela sutileza em transmitir mensagens impactantes. "Com o passar do tempo as pessoas foram decodificando esses significados."

A linguagem utilizada por Raul em suas canções é algo que Babics também destaca. "É muito simples, por isso ele se tornou o grande artista da música popular brasileira. Não tem grandeza técnica." Um exemplo é sua avó Maria Brasília, 80, que também escuta Raul Seixas, mesmo com o mal de Alzheimer. "Ela sempre lembra das letras. Escutamos Raul Seixas juntos."

O ÍDOLO RAUL

Autor do livro "O Raul Que Me Contaram" (2017), Tiago Bittencourt, 34, diz que sua história com o músico baiano não foi de amor à primeira vista. "Achava meio megalomaníaco", conta o escritor sobre a canção de sucesso "Eu Nasci Há 10 Mil Anos Atrás", de 1976. Foi apenas na adolescência que a identificação com as letras e filosofias revolucionárias de Raul, começou a surtir efeito em sua vida. "Acreditava que ia mudar o mundo e ele era a minha trilha sonora."

A partir de então, além de colecionar discos, Bittencourt mergulhou nos livros sobre a história do cantor, sem imaginar que 20 anos depois, escreveria sua própria obra com relatos de pessoas ligadas diretamente ao músico, como a ex-mulher Kika Seixas, Roberto Menescal, e o cantores Marcelo Nova e Jerry Adriani, entre outros nomes.

Hoje atuante da cena "raulseixista", o escritor diz que precisou abandonar seu "olhar de fã" para conseguir compreender o artista e a pessoa. "Quis abordar o alcoolismo, e não foi doloroso para mim. Muita gente me pergunta como lido com as críticas relacionadas a Raul e eu falo: 'Ele não é meu pai'. A história é do jeito que ela é, não tem essa coisa de passar pano."

Já Sylvio Passos, 57, conheceu de perto todos esses "excessos" de Raul Seixas. Apelidado de "Silvícola" pelo ídolo, Passos se tornou amigo do cantor baiano após fundar o primeiro fã-clube oficial "Raul Rock Club" justamente na data de aniversário do cantor, em 28 de junho de 1981.

O primeiro encontro com o ídolo ocorreu assim que o cantor baiano se mudou para São Paulo. Com 17 anos, Passos fez um anúncio em um jornal que mudou sua vida. "Falei que comprava tudo que se referia a Raul, inclusive seu endereço e seu telefone de contato."

Assim que conseguiu o que queria, o estudante do ensino médio precisou criar coragem para ligar para Raulzito. "Ele mesmo atendeu e me convidou para almoçar. Depois desse episódio, tranquei os estudos e resolvi seguir o 'raulseixismo'. De lá para cá a gente nunca mais se desgrudou."

Integrante da banda Putos Brothers Band e dono também de um acervo raro de Raul, Passos lembra com bom humor quando sua família descobriu que ele abandonaria tudo para seguir o cantor. "Ficaram horrorizados, porque Raul tinha uma péssima fama de doidão e drogado", diz Passos, que pretendia cursar jornalismo ou psicologia. "Mas no cotidiano, percebi o quão parecido ele era comigo e com todo mundo. Fora de cena, era uma cara com dores, contas para pagar, alegrias e tristezas."

CONTINUE LENDO

Apoio a democracia cresce e chega a 75%, identifica Datafolha

  • 28 Jun 2020
  • 12:04h

Foto: Agência Senado

Levantamento do Instituto Datafolha identificou que o apoio do brasileiro à democracia cresceu em meio ao agravamento da crise política do governo Jair Bolsonaro. Os dados indicam que o apoio a democracia atingiu o maior índice da série histórica do Datafolha.

Do total de  2.016 entrevistados, 75% consideram o regime democrático o mais adequado, enquanto 10% afirmam que a ditadura é aceitável em algumas ocasiões.

Foram os pesquisadores aplicaram o questionário  por telefone nos dias 23 e 24 deste mês. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

Na última pesquisa em qie foi feito esse questionamento, no mês de dezembro de 2019, 62% das pessoas apoiavam a democracia e um número semelhante ao de agora, 12%, a ditadura.

A migração pró-democracia ocorreu entre aqueles para quem tanto faz o regime: o contingente caiu de 22% para 12%, ressalta reportagem da Folha de S. Paulo.

Governo do Estado reconhece situação de emergência em Licínio de Almeida

  • Redação
  • 28 Jun 2020
  • 10:38h

(Foto: Reprodução)

O governador Rui Costa (PT) reconheceu situação de emergência decretara pela prefeitura de Licínio de Almeida , no sudoeste, por conta da estiagem. A informação consta na edição deste sábado (27) do diário oficial do estado. O decreto municipal foi assinado pela prefeitura local no dia 10 de junho e é válido por 180 dias a partir desta data.

Primeira morte por coronavírus no Brasil aconteceu dia 12 de março, diz MS

  • Redação
  • 28 Jun 2020
  • 10:06h

(Foto: Reprodução)

A primeira morte por coronavírus confirmada foi confirmada como se tivesse acontecido no dia 16 de março. No entanto, neste sábado (27), o Ministério da Saúde indicou que há uma nova data para primeira vítima da Covid-19: 12 de março. Segundo o portal G1, o governo federal informou que a vítima foi registrada em São Paulo. Foi uma paciente de 57 anos que foi levada ao Hospital Municipal Doutor Carmino Cariccio, na Zona Leste da capital paulista, um dia antes. 

TRE-BA é uma das cortes eleitorais mais produtivas do país, diz CNJ

  • Redação
  • 28 Jun 2020
  • 09:24h

(Foto: Reprodução)

O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) é o primeiro colocado em dois tópicos de produtividade estabelecidos pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) durante a pandemia. A informação foi divulgada neste sábado (27), pela corte eleitoral baiana. Na 14ª semana de trabalho remoto, que corresponde ao período entre 15 e 21 de junho, o TRE-BA está em primeiro lugar no total de sentenças e acórdãos, tendo expedido 419 de um montante de 2.612. A Bahia também lidera as movimentações processuais neste período, com 17.382 serventias judiciárias de um total de 103. 374.

Bares e restaurantes: 35% já fecharam unidades definitivamente no Brasil

  • Isabela Bolzani | Folhapres
  • 28 Jun 2020
  • 08:51h

(Foto: Reprodução)

Perto de completar 100 dias de portas fechadas, o setor de bares e restaurantes enxerga com preocupação o novo adiamento de reabertura feito pelo governo municipal de São Paulo. O último levantamento realizado pela ANR (Associação Nacional dos Restaurantes) em parceria com a Galunion aponta que 35% dos bares e restaurantes com mais de uma unidade já fecharam lojas permanentemente por conta do isolamento social para deter a pandemia do coronavírus. Outros 15% dos estabelecimentos afirmaram que não conseguirão manter os seus negócios após a pandemia. A pesquisa foi feita entre os dias 5 e 17 de junho. Na sexta-feira (26) o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), protelou a reabertura do segmento para 3 de julho.

A previsão inicial era de que os bares, restaurantes e salões de beleza já poderiam funcionar nesta segunda-feira (29), mas Covas afirmou que, por recomendação do Centro de Contingência, as mudanças só aconteceriam se a capital permanecesse nessa fase por uma semana.

Segundo o presidente da ANR, Cristiano Melles, o governo é descuidado com o setor, que já demitiu 1,3 milhão de pessoas desde o começo da pandemia - 600 mil apenas em São Paulo.

"Cada semana que passa o número de restaurantes que não conseguirão reabrir aumenta e, se considerarmos o alarme falso de sexta-feira, esse contingente ainda pode subir. Muitos pegaram o pouco dinheiro que tinham para fazer um estoque e reabrir nessa segunda-feira e entregaram os pontos, já que parte dos alimentos é perecível e ainda terá que ser jogada fora", disse.

Outro ponto que preocupa o setor é a falta de acesso ao crédito - tanto por programas do governo como pelo próprio sistema financeiro.

Ainda de acordo com a pesquisa, 76% das empresas que buscaram novas linhas para financiar o negócio tiveram suas propostas recusadas. A mesma porcentagem também já fez uso da MP 936, referente à suspensão ou redução de jornada e salário.

Para o presidente da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), Percival Maricato, nem mesmo o Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), linha do governo mais recente voltada para os pequenos empresários, deve ser de grande valia ao setor.

"Mesmo com esse último programa, ainda há restrição de faturamento, e a maioria não receberá a ajuda. Sem contar as exigências de garantias, que ainda limitam o acesso ao crédito. Isso é um problema tão relevante quanto a retomada. É preciso financiamento para reposição de estoque, recontratação de funcionário e para que o empresário consiga colocar toda essa engrenagem para funcionar", disse.

Segundo Melles, presidente da ANR, o segmento também continua em contato com o governo para tentar flexibilizar o horário de funcionamento, ainda restrito a seis horas por dia.

"Pedimos para que ao menos possamos separar, manter o restaurante aberto por três horas durante o almoço e três horas durante a janta. Seria ao menos uma saída, mas nossos pedidos não têm eco. Fazemos reunião, e eles falam que entendem o setor, mas as medidas vêm muito diferentes do que foi conversado", afirmou.

CONTINUE LENDO

Bahia registra 884 novos infectados pela Covid-19 e total passa de 65 mil; nº de mortes sobe para 1.697

  • G1/BA
  • 28 Jun 2020
  • 08:13h

Bahia registra 884 novos infectados pela Covid-19 e total passa de 65 mil | Foto: Secom

A Bahia registrou 884 novos casos da Covid-19 e 55 óbitos nas últimas 24h, segundo boletim divulgado neste sábado (27) pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab). Com a atualização dos dados, o estado contabiliza 65.244 pessoas contaminadas. Apesar de ter registrado 884 novos casos nas últimas 24 horas, o órgão contabilizou mais 7.938 casos que não tinham sido validados pelas secretarias municipais. De acordo com a Sesab, a validação desses casos foi uma decisão da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) de não aguardar mais a validação dos municípios, que estava demorando demasiado, com casos acumulados por mais de 30 dias, constando apenas como “notificados”. Ainda no boletim, a Sesab anunciou que o número de óbitos aumentou para 1.697 e o de curados para 39.993. O órgão aponta que 23.554 pessoas permanecem monitoradas pela vigilância epidemiológica e com sintomas da Covid-19, que são os chamados casos ativos. As confirmações ocorreram em 386 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (47,91%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Itajuípe (1.415,26), Gandu (1.404,19), Ipiaú (1.351,56), Uruçuca (1.169,65) e Salvador (1.084,17). O boletim epidemiológico deste sábado contabiliza ainda 7.944 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19, 154.293 casos descartados e 73.512 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde, até as 17h deste sábado.

Na contramão do mundo, Candeias gera 1.440 empregos durante pandemia

  • Redação
  • 28 Jun 2020
  • 07:47h

Fábrica de chapas de acrílico será reativada e a expectativa é que movimente aproximadamente R$ 10 milhões | Foto: Divulgação

Enquanto no mundo inteiro as cidades têm registrado aumento no número de desempregados, Candeias está indo na direção contrária, gerando 1.440 empregos durante a pandemia causada pelo novo coronavírus. Um dos grandes fatores responsáveis por isso é a reabertura de uma fábrica de chapas de acrílico. A Unigel havia sido fechada em 2015, devido à concorrência com a China. “Havia uma série de desvantagens mercadológicas, além da baixa demanda, que não permitiu a manutenção da nossa fábrica à época”, disse o diretor comercial da empresa, Wendel da Souza, em entrevista à revista Veja. No entanto, com a pandemia uma demanda inesperada pelo produto passou a surgir. De acordo com o diretor, a empresa já possui vendas até agosto, e a expectativa é de que a demanda permaneça “extremamente alta” até dezembro. A fábrica baiana produz chapas acrílicas que são usadas nas incubadoras de pacientes em hospitais, divisórias para empresas, bloqueios acrílicos em caixas de lojas, entre outros produtos semelhantes.

OMS anuncia necessidade de arrecadar mais R$ 170 bilhões para ações de combate à Covid-19

  • Bahia Notícias
  • 27 Jun 2020
  • 18:26h

Foto: Reprodução / UOL

Para dar conta das ações de combate ao coronavírus, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou um chamado para arrecadar cerca de R$ 170,97 bilhões. O objetivo é usar esse montante para executar ações nos próximos 12 meses.

Segundo informações da Agência Brasil, o orçamento calculado pela entidade visa financiar estratégias da iniciativa conjunta, batizada de Acelerador de Acesso das Ferramentas de Combate à Covid-19. Ela é organizada pela própria instituição com apoio de governos, empresas e demais entidades da sociedade civil. “O investimento é significativo, mas diminui o tamanho quando comparado o custo da Covid-19: o custo total do trabalho do acelerador é menos de um décimo do que o Fundo Monetário Internacional estima que a economia global está perdendo a cada mês devido à pandemia”, aponta a OMS no comunicado divulgado nessa sexta-feira (26). 

Algumas das metas incluem 500 milhões de testes para países de renda média baixa e 2 bilhões de doses de vacinas, das quais 1 bilhão deve ser disponibilizada até o fim de 2021. Toda a iniciativa engloba ainda a oferta de diagnósticos e o fortalecimento dos sistema de saúde dos países, entre outras ações.

Pandemia Gelada: Conquista registra 10 graus; a menor temperatura do norte/nordeste

  • Redação
  • 27 Jun 2020
  • 14:16h

(Foto: Reprodução)

O inverno na chamada "Suíça Baiana" está com tudo e não está prosa, chegando no pedaço com muita intensidade. Nesta madrugada de sexta para sábado, Vitória da Conquista registrou temperatura mínima de 10,8 graus, segundo a estação de meteorologia da UESB. A informação foi divulgada durante reportagem exibida neste sábado pela TV Sudoeste para todo o estado da Bahia. Segundo a reportagem a sensação térmica foi até menor, na casa dos 9 a 8 graus nos pontos mais altos da cidade. E tem mais previsão de frio e garoa neste sábado e nos próximos dias também.