Após decreto que facilita porte de armas, Polícia Federal teme sobrecarga

  • Uol
  • 16 Jan 2019
  • 11:08h

Foto : André Ritcher / Agência Brasil

Entidades que representam delegados e agentes da Polícia Federal temem a sobrecarga sobre o órgão após a flexibilização do porte de armas anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) nesta terça-feira (15). O temor é de que as novas regras causem um aumento da demanda sobre a PF, que atualmente é a única responsável pelo registro das armas legais no país e que está com seu quadro de pessoal defasado.  Entre as alterações, o decreto amplia de cinco para 10 anos o prazo para que o registro de posse de uma arma seja renovado e estabelece um limite de quatro armas por pessoa que pode ser ampliado dependendo do caso.  Atualmente, o registro de posse e porte de armas é feito exclusivamente por agentes e delegados da PF em todo o Brasil.  Para o presidente da ADPF (Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal), Edivandir Paiva, a expectativa é de que com a flexibilização das regras, a demanda pelos registros de posse tenderá a crescer e, com isso, aumentará a carga sobre a PF.  "Se você flexibiliza os critérios de registro de posse, vai aumentar a demanda. E se aumentar a demanda, vamos precisar de mais gente. Hoje, o déficit de pessoal da PF é muito grande. O cobertor é curto"afirmou.  Estima-se que o quadro da PF atualmente seja de 10,8 mil policiais, sendo que há um déficit (cargos vagos) de aproximadamente 4.200. O presidente da Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais), Luiz Antônio de Araújo Boudens, diz acreditar que as novas regras vão causar uma sobrecarga inicial na PF. Ele afirma que diversas fases do processo de registro de posse de uma arma demandam a ação de agentes e delegados da PF e que, em razão do quadro enxuto do órgão, a tendência é que os pedidos demorem mais tempo para ser avaliados.  "O processo para registrar uma arma no Brasil demanda muito trabalho. É quase uma investigação que se faz para saber se quem está comprando se encaixa no perfil. É um processo que demanda tempo e pessoal. Com o quadro que temos, se houver aumento da demanda, vamos ter problemas", afirmou Boudens.  Ele explicou que, para ter acesso a uma arma legalizada, o cidadão precisa ir a uma loja, escolher o produto e preencher o cadastro contendo informações pessoais e a declaração de efetiva necessidade. A loja, então, envia os dados para a PF, que analisa os documentos e as informações para deferir ou indeferir o pedido.  Somente após o deferimento do registro é que o comprador pode retirar a arma junto à loja. O registro de posse, no entanto, não permite, obrigatoriamente, que a pessoa possa portar a arma. As regras de porte, mais restritas, não foram alteradas. 

Brasil: Marido cola cartaz em carro para avisar que mulher fez cesárea

  • G1
  • 16 Jan 2019
  • 10:10h

Foto: Reprodução/RPC

Um cartaz colocado no vidro de um carro em Cascavel, no oeste do Paraná, acabou chamando a atenção e viralizando nas redes sociais. Com a frase “Carro lento - minha esposa fez cesária”, o motorista teve a intenção de alertar os outros veículos que poderia trafegar em baixa velocidade. Um dia depois que a família voltou para a casa, lembra o motorista de caminhão Julian José Signoratti - pai da Júlia, de cinco dias, e marido de Daniela de Castilho Baldo -, a sogra teve a ideia de colocar o aviso no carro. “Por causa da cesária, a gente veio devagar. O trânsito muito apavorado, com o povo buzinando, xingando, mostrando o dedo, sentimos necessidade de avisar, porque ninguém estava sabendo o que estava acontecendo”, explicou. De acordo com ele, a mensagem espalhou paciência entre os motoristas. “Deu resultado. Aí ninguém fez mais nada. Teve até gente que buzinou e fez sinal de positivo”, destacou o motorista que disse também ter aprendido a lição. “Você tem que respeitar o próximo.” Desde que a iniciativa foi parar na web, a família só ouve uma pergunta: “E o cartaz?”, contou Daniela. O cartaz, que foi parar no lixo, já que a família não pretende sair de casa até que a mãe se recupere do parto, foi resgatado depois do sucesso na internet. "Nós não esperávamos esta repercussão toda", disse Irene de Castilho. Por causa da fama inesperada, a família decidiu guardar o cartaz já que é a primeira grande história da vida da Júlia e também uma importante lição para se colocar em prática por todos.

Menina com leucemia deixa carta para voluntária antes de morrer

  • 16 Jan 2019
  • 09:05h

Foto: Arquivo pessoal/Gabriella Pereira

A voluntária Gabriella Pereira, de 23 anos, passou os últimos dois anos visitando a menina Jullia, de oito, em um orfanato de São Paulo. Jullia lutava contra a leucemia, um tipo de câncer que começa na medula óssea, tecido responsável pela fabricação de todos os elementos do sangue. A doença se agravou no começo deste ano, e a menina deixou uma carta para Gabriella. "Obrigada por vir me ver"."Ela me ensinou a saber o que é ter um amor de mãe, sem ser mãe. Em não reclamar das coisas, eu nunca vi ela reclamando de nada", disse Gabriella ao G1.A carta chegou na última quarta-feira (9), mesmo dia que Jullia morreu. A carta foi escrita no dia 1º de janeiro em uma agenda da Branca de Neve. O texto começa no dia 27 de janeiro, não por acaso. "É o dia do meu aniversário. A Jullia queria me entregar nesse dia", lembra Gabriella. Mas a voluntária recebeu a carta no mesmo dia que Jullia foi morar 'com papai do céu', como escreveu. "Quero te pedir obrigado por me conhecer, por vir me ver", diz a carta escrita com a ajuda de uma assistente social. "Você é a minha melhor amiga e eu queria que você fosse a minha mãe, pedi para o papai do céu me fazer sarar, porque aí você ia arrumar os documentos e me adotar." "Tia Gabi, eu te amo, e estou pintando as bolinhas do calendário igual você disse e só faltam duas fileiras para o dia do seu aniversário, mas estou muito doente e com dor, por isso, se eu for morar com o papai do céu, não fica triste, porque eu te amo e só você é a minha melhor amiga", assinou Jullia no final da carta. Gabriella conta que até conhecer Jullia fazia trabalhos voluntários com moradores em situação de rua, visitava albergues e orfanatos. Entregava comida, cobertores e fraldas aos desamparados. "Quando conheci a Jullia parei com os projetos e só me dedicava a ela", afirmou. A jovem sempre que podia visitava a menina no orfanato. "Dia das Crianças, aniversário, Natal, entre outras datas, sempre tive comigo que precisava dar uma passadinha pra ver a magrelinha, porque as outras crianças tinham alguém que visitava e ela tinha apenas eu, sua irmã foi adotada quando tinha meses, mais a Júlia estava com 8 e tinha leucemia e lutava pela cura todos os dias", relatou Gabriella em um post que viralizou nas redes sociais. "Tenho comigo que fiz tudo que pude, todos os pedidos que fez em vida foram realizados e não me arrependo de nenhum deles." Ao G1, Gabriella revelou que pensou sim em adotar a menina, mas "Eu sempre tive vontade da adoção desde que conheci ela. Como sou nova é uma decisão muito difícil, não sou casada. Não tenho casa própria, é muito difícil. Não cheguei a dar entrada na papelada." Depois da morte de Jullia, Gabriella, moradora de Barueri, que trabalha no departamento jurídico de um banco em São Paulo, diz que vai parar com o voluntariado. "Nos próximos anos não vou mais trabalhar com isso. Não tenho mais estrutura. Vou seguir minha carreira."

PT e PSOL querem suspender novo decreto de posse de armas

  • Uol
  • 16 Jan 2019
  • 08:04h

(Getty Images/Reprodução)

Ao menos dois partidos se organizam para contestar o decreto que flexibiliza a posse de arma no Brasil, assinado nesta terça-feira, 15, pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). O PT vai entrar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), no Supremo Tribunal Federal, e um projeto de decreto legislativo (PDC) na Câmara dos Deputados - estratégia que também será adotada pelo PSOL. Ambos têm o objetivo de suspender o decreto. Segundo Paulo Pimenta (PT-RS), líder do partido na Câmara, a ação deve ser protocolada ainda nesta semana. O partido também pretende entrar com um projeto de decreto legislativo na Câmara, em fevereiro, quando acabar o recesso. "Esse decreto (que facilita o posse de armas) terá consequências gravíssimas", disse Pimenta. "Neste momento parece mais pagamento de promessa à indústria de armas do País."O argumento que o PT deve usar para a Adin é que o decreto extrapola os poderes do Executivo e modifica regras que deveriam passar pelo Legislativo. O deputado criticou fortemente pontos do decreto e o considerou um "escárnio". "Teremos uma explosão dos índices de criminalidade", disse. "Mergulhará o País em um caos de violência."

Jovem de 16 anos casa em hospital na BA 1h30 após dar à luz, e bebê acompanha cerimônia

  • 16 Jan 2019
  • 07:09h

Foto: Correio da Cidade

Já imaginou se tornar mãe e casar no mesmo dia, em um intervalo de apenas uma hora e meia? Não, né? Mas foi o que aconteceu com Vanessa da Paz Machado, de 16 anos, na Bahia. Com casamento marcado há seis meses, a adolescente entrou em trabalho de parto poucas horas antes da cerimônia, no último fim de semana. Depois da surpresa, o casamento acabou ocorrendo na recepção do hospital onde a noiva deu à luz, e contou com a ilustre presença do recém-nascido. Três dias depois da cerimônia e dois dias após receber alta médica, Vanessa ainda lembra emocioada do dia em que, segundo ela, realizou dois sonhos: ser mãe e se casar. "Eu achei meio difícil, mas depois fiquei muito feliz por me tornar mãe e me casar ao mesmo tempo. Não esperava por isso. Estou muito feliz por tudo isso que aconteceu. Ficou marcado na minha vida. Foi uma sensação muita boa. Realizei dois sonhos em um só", descreveu. O fato curioso ocorreu na cidade de Santo Estêvão, a cerca de 150 km de Salvador. Por volta das 5h30 do sábado (12), Vanessa começou a sentir as dores do parto e foi levada para o Hospital Dr. João Borges de Cerqueira Geral, no centro da cidade. Quando saiu de casa, na zona rural, ela não imaginava que o pequeno Wanderson Benjamim nasceria, já que o parto estava previsto para o dia 21 de janeiro. "A gente estava em casa, no dia anterior, arrumando tudo, deixando tudo bonito, e ela descansando. Uma 5h30 do dia do casamento ela sentiu dores. Levamos ela imediatamente para o hospital. Aí, quando chegou lá eles disseram que meu filho iria nascer", contou Anderson dos Santos Moreira, de 23 anos, marido de Vanessa. Vanessa deu à luz às 18h30, onze horas depois das primeiras dores. Wanderson chegou com 50 centímetros e 2,6 kg. Ao longo do dia, a família já havia negociado realizar o casamento no hospital. A cerimônia só dependia do nascimento de Wanderson. O pequeno veio ao mundo em um parto natural, sem complicações. Com isso, a mamãe e o bebê foram liberados pelos médicos para a união. Vanessa e o noivo se casaram às 20h. A gente não quis mudar, porque já estava tudo certo, tudo pronto para o casamento. Já tinha uns seis meses planejando a cerimônia. Quando chegou no dia, ele [Wanderson] disse que queria assistir o casamento dos pais dele", disse o noivo. O casamento ocorreu com 250 convidados a menos que o programado. Ao lado de 50 familiares e amigos, além de funcionários do hospital, Vanessa selou o compromisso com o marido. Com direito a vestido de noiva, juiz de paz, dama de honra e alianças "entregues" por Wanderson, a cerimônia durou cerca de 20 minutos. Porém, por recomendação médica, a noiva ficou sentada durante o casamento. O bebê estava no colo da tia materna. Após a cerimônia, mãe e filho voltaram para o quarto do hospital. Enquanto isso, Anderson foi para a casa da família de Vanessa, para receber os outros convidados do casamento, que aguardavam no local onde a festa iria ocorrer antes da mudança de planos. Vanessa e Wanderson só receberam alta no domingo (13). Ao chegar em casa, a noiva ainda posou para fotos ao lado do marido e do filho. Wanderson é o primeiro filho do casal, que está junto há dois anos. Vanessa e Anderson se conheceram em uma praça da cidade e não se separaram mais. O casamento era um sonho dos dois, antes mesmo da descoberta da gestação, em abril do ano passado. Agora, a família está morando na casa dos pais de Vanessa. Anderson conta que a mãe dele, que é avó coruja, viaja cerca de 7 km entre o centro da cidade, onde mora, até a zona rural, sempre que quer ver o neto. "As avós babam mais que tudo. Minha mãe sempre está aqui. Quando vem, são 7 km na vinda e 7km na volta", disse. São as avós de Wanderson que ajudam nos cuidados ao recém-nascido, já que os pais não têm experiência. Ao lado da família, o pequeno transborda amor.

Doença faz homem descobrir que não é pai dos 3 filhos e é infértil

  • 15 Jan 2019
  • 20:08h

Richard fez o teste porque não estava conseguindo engravidar Emma, sua atual mulher Foto: Reprodução/Facebook

O empresário britânico Richard Mason, com 54 anos, não acreditou quando recebeu a notícia de que tinha uma fibrose cística que havia provocado infertilidade durante toda a sua vida – afinal, ele tinha três filhos. "Pensei que o diagnóstico estava errado", disse Mason em uma entrevista ao programa BBC Radio 5 Live. Preocupado, ele questionou sua ex-mulher, Kate, se era o pai biológico dos três filhos do casal. Como ela garantiu que sim, Mason manteve a esperança de que os exames estivessem errados. Mas não estavam. O empresário de fato teve fibrose cística durante a vida toda. A doença hereditária é considerada grave e afeta diversos órgãos, em um processo obstrutivo causado pelo aumento da viscosidade dos mucos. Na maioria dos homens afetados, a doença leva à infertilidade. No Brasil, ela afeta uma em cada 10 mil pessoas. As irmãs de Mason já tinham a doença, e ele havia feito um teste para descobrir se também havia nascido com ela porque não estava conseguindo engravidar sua segunda mulher, Emma. Testes de DNA confirmaram: os gêmeos Ed e Joal, de 19 anos, e Willem, de 23 anos, não eram filhos biológicos de Mason. Mason havia se separado de sua ex-mulher em 2007, depois de 20 anos de casamento. Ao descobrir que os três filhos nascidos durante o matrimônio não eram seus, resolveu processar a ex-mulher por fraude de paternidade. Kate foi condenada a devolver US$ 320 mil dos quase US$ 5 milhões que havia recebido no acordo de divórcio. A Justiça permitiu que ela mantivesse em segredo a identidade do verdadeiro pai dos jovens. "Eu não sabia o que era real e o que não era. Foi como se eu tivsse vivendo em Matrix (o filme)", disse Mason ao jornal inglês The Daily Mail. "Durante muito não consegui pensar em outra coisa", contou o empresário ao BBC Radio 5 Live. "Em algum momento do futuro vou descobrir quem é o pai biológico, tenho certeza. Não sei se é um de meus amigos, pode ser alguém muito próximo de mim", disse Mason à BBC. "Quando você tem um mistério assim em sua vida e é afetado por ele dessa forma, qualquer pessoa gostaria de saber a verdade." Mason está oferecendo US$ 6,4 mil para quem o ajudar a descobrir quem é o pai biológico de seus filhos. A BBC tentou entrar em contato com Kate, a ex-mulher de Mason, mas não recebeu nenhuma resposta. Apesar de conseguir uma vitória no processo contra a ex-mulher, Mason não teve paz. Por causa da disputa legal, seus filhos decidiram cortar suas relações com ele. "Ver o que eles estão fazendo no Facebook me parte o coração. Meu mais velho se formou há pouco tempo e eu sequer fui convidado", disse Mason. Hoje só Ed, um dos gêmeos de 19 anos, mantém contato com ele. Em um programa do canal ITV, Mason mandou um recado para os filhos. "Não fiz nada de errado. Eu amo vocês e as portas estão abertas. Apenas venham, e lhes darei o maior abraço que já receberam na vida", afirmou. Joel, um dos filhos gêmeos, explicou ao The Daily Mail porque não fala com o pai de criação. "É um homem muito manipulador, não é o tipo de pessoa com quem você queira estar. Comecei a notar quando tinha 15 anos", disse Joel, que afirmou, no entanto, não ter a intenção de procurar seu pai biológico. "Richard continua sendo meu pai e não vou buscar a verdade. Duvido  que (o pai biológico) sequer saiba que nós existimos", disse. Mason também diz sentir que os jovens continuam sendo seus filhos. "Eles são meus filhos. Você se sente traído, sente essa sensação de raiva que não se pode explicar. Mas eu sigo sendo o pai", disse Mason.

Bandidos clonam contas de WhatsApp para aplicar golpes

  • Alfredo Henrique | Folhapress
  • 15 Jan 2019
  • 19:07h

Criminosos estão clonando contas de WhatsApp para se passar por parentes ou amigos das vítimas e pedir a transferência de dinheiro para conta de laranjas.Uma professora de 51 anos que preferiu não se identificar levou um susto. "Temos um grupo de amigas, de mais de duas décadas. Nos falamos muito em grupo. No começo do mês passado [6 de dezembro] uma delas que é 'super certinha' me chamou no privado para pedir dinheiro emprestado". Segundo a vítima, o perfil da amiga afirmou que precisava de R$ 2.270 para pagar uma conta com urgência. "Ela me garantiu que depositaria o valor no dia seguinte. Como a conheço e sei que é uma pessoa correta, fiz a transferência", relata. A professora não desconfiou que a conta passada pela "amiga" estivesse no nome de um homem. A polícia conseguiu identificar o responsável pela conta: um adolescente de 17 anos. Quando pensava que havia ajudado a amiga, o perfil falso pediu mais R$ 2.000. "Ai fiquei desconfiada. Entrei no Facebook da minha amiga e nele havia uma mensagem afirmando que o Whatsapp dela havia sido clonado e estavam pedindo dinheiro em nome dela", conta. A amiga que teve a conta clonada, também professora, descobriu que estava sem seu WhatsApp quando criminosos tentaram extorquir dinheiro da filha dela. "Minha filha me ligou umas 20h perguntando se eu estava bem. Aí, falou que eu havia pedido dinheiro, mas ela desconfiou e, aí, percebemos que minha linha havia sido clonada." A professora tentou cancelar sua linha de celular imediatamente. O procedimento, no entanto, só pôde ser feito no dia seguinte. Enquanto a linha da professora não era bloqueada, a quadrilha entrou em contato com mais três amigas dela, que não caíram no golpe.

GOLPE DE CLONAGEM DE WHATSAPP

O QUE É?

Após o bandido obter dados pessoais de um usuário, ele liga na companhia telefônica se passando pelo cliente e habilita um novo chip de celular com o mesmo número, apesar de não ter roubado o aparelho; O criminoso se passa por parente ou amigo da vítima, para facilitar a transferência de dinheiro para contas de laranja; Depois de ter conseguido o número da conta corrente ou do cartão de crédito, utilizando outro método fraudulento, o golpista consegue evitar que o correntista receba alertas de compras ou códigos de segurança (ex. Token SMS), enviados pelo banco; Um indício deste golpe é quando o celular para de funcionar repentinamente.

COMO EVITAR?

Proteja seus dados pessoais, sem revelar senhas e número de documentos para desconhecidos;

Quando perceber qualquer movimentação estranha em sua conta corrente, poupança, ou celular para de funcionar repentinamente, avise seu gerente ou contate a operadora do seu celular;

Desconfie de ligações ou mensagens inesperadas;

Comunique às empresas responsáveis assim que desconfiar de qualquer ação em seu nome; 

Registre boletim de ocorrência na delegacia mais próxima.

Quinze dias após sorteio da Mega da Virada, último ganhador que fez aposta na Bahia não retirou prêmio

  • 15 Jan 2019
  • 18:06h

Foto: Alan Oliveira/ G1

Quize dias após o sorteio da Mega da Virada, um dos três ganhadores que realizaram a aposta em Euclides da Cunha, a 315 km de Salvador, não resgatou o prêmio. Conforme a Caixa Econômica Federal, até o fim da manhã desta terça-feira (15), o vencedor não tinha sacado os quase R$ 6 milhões referentes ao prêmio. Os outros dois jogos premiados também foram feitos na cidade, mas em dois estabelecimentos diferentes. Além de Euclides, outros cinco municípios baianos tiveram vencedores. São eles: Salvador (1), Feira de Santana (1), Mata de São João (1) e Valença (1) . As dezenas 05 - 10 - 12 - 18 - 25 - 33 foram sorteadas na noite de 31 de dezembro de 2018. Cada aposta levou R$ 5.818.007,36. Um dos jogos vencedores no estado foi um bolão com 10 cotas, feito na capital baiana. Com o prêmio dividido, cada um dos participantes do bolão levará R$ 581.800,73. Os outros jogos foram feitos nas cidades de Feira de Santana, Mata de São João e Valença. Segundo a Caixa Econômica, uma das apostas foi feita no portal Loterias Online. A Caixa não detalhou em qual das três cidades o jogo online foi feito, mas disse que o prêmio já foi resgatado. Os primeiros a retirarem o prêmio foram o apostador de Valença, no baixo Sul da Bahia, e o dono de uma das cotas do bolão de Salvador. O resgate foi feito no dia 2 de janeiro.

Após ficar viúvo, idoso de 94 anos se forma em Direito e quer fazer pós-graduação

  • 15 Jan 2019
  • 17:10h

Foto: Ronaldo Daros/RBS TV

Um senhor de 94 anos colou grau em Direito no último sábado (12), em Cachoeira do Sul, no Rio Grande do Sul. Simão Sklar recebeu das mãos do filho o diploma de conclusão do curso. Ao G1, ele contou que é uma emoção muito grande colar grau nesta idade. O filho dele, José Luiz Sklar, também formado em Direito, afirmou que entregar o diploma para o pai “é um pouco até 'antinatural'”. “Normalmente, são os pais que entregam aos filhos", diz. Durante a solenidade, Simão recebeu homenagens de oradores e paraninfos, que o citaram como exemplo de garra e superação. Sem pressa, Simão concluiu o curso em sete anos. Em breve, ele prestará a prova do Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e quer fazer pós-graduação. A decisão de voltar a estudar ocorreu quando se tornou viúvo. Três meses após a morte da esposa, que fora sua primeira namorada, ele teve um estalo: “'estou tendo uma atitude covarde, eu não posso fazer isso, que exemplo que eu vou deixar pro meu pessoal?'", se questionou.

MP denuncia João de Deus por estupro de vulnerável e violação sexual e faz novo pedido de prisão

  • 15 Jan 2019
  • 16:10h

Foto: Reprodução/JN

O médium João de Deus foi denunciado nesta terça-feira (15) por novos crimes de estupro de vulnerável e abuso sexual mediante fraude durante atendimentos espirituais realizados em Abadiânia. Além disso, o Ministério Público fez um novo pedido de prisão. O documento envolve crimes contra quatro mulheres de Goiás e uma de São Paulo. O médium segue preso no Núcleo de Custódia e nega os crimes. Além das cinco vítimas, a denúncia conta com relatos de mais oito mulheres do Distrito Federal, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão e Rio Grande do Sul. No entanto, ele não foi denunciado por esses casos por terem prescrito. De qualquer forma, eles ajudam a embasar a denúncia. Os crimes ocorreram entre 1990 e 2018. "A prescrição acontece quando o Estado não é informado a tempo. O prazo máximo para se denunciar é de 20 anos, com uma benesse que reduz o prazo pela metade em caso de menor de idade e se o acusado tem mais de 70 anos", afirmou a promotora de Justiça Paula Moraes. Em nota, o advogado Alberto Toron, que defende João de Deus, disse que "chega a ser medonho o que os membros do MP está fazendo no caso", pois não informam a defesa de nada e marcam interrogatório um dia antes, não dando o tempo necessário para que os advogados leiam todo o documento. Os promotores alegam que infomaram a defesa três dias antes, na sexta-feira (11). Toron pontuou ainda que o proceso "é a antítese do que deve ser um processo no estado democrético de direito". A denúncia foi protocolada no Fórum de Abadiânia às 11h30. O pedido de prisão preventiva contido nela é para proteger as vítimas nas fases de depoimento na Justiça, de acordo com os promotores. “O novo pedido refere-se a preservar a integridade das vítimas e a garantir coleta de depoimentos na fase judicial, tendo em vista que as vítimas relataram temer represálias, aos quais as levaram a não denunciar antes”, disse o promotor Augusto Cezar Borges Sousa.

União reconhece situação de emergência em Manoel Vitorino e Tanhaçu

  • Bahia Notícias
  • 15 Jan 2019
  • 15:09h

Foto: Reprodução / Blog do Anderson

A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil reconheceu a situação de emergência enfrentada pelos municípios baianos Manoel Vitorino e Tanhaçu. A decisão, que é decorrente dos estragos causados pelas enxurradas, foi publicada em portaria do Diário Oficial da União (DOU), nesta terça-feira (15).Em julho, o governo do estado já havia reconhecido a situação de Tanhaçu por conta da estiagem e, em dezembro, foi a vez de Manoel Vitorino (veja aqui e aqui). Na época, o município contabilizava 31 pessoas afetadas pelas chuvas.

Motorista de aplicativo é preso suspeito de estuprar passageira e anotar perfil de rede social no corpo da vítima

  • 15 Jan 2019
  • 14:08h

Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um motorista de aplicativo, de 41 anos, foi preso suspeito de estuprar uma passageira e marcar a rede social dele no corpo da vítima, em Goiânia. Segundo a Polícia Civil, ele se aproveitou que a jovem, de 22 anos, estava embriagada e não conseguia reagir ao crime.O crime aconteceu na madrugada de sexta (11), quando a vítima deixou uma reunião com amigos e seguiu para casa, na região leste da capital. “Foi uma amiga que chamou o motorista pelo aplicativo. A jovem disse que se lembra apenas de flashs, do motorista vestindo a roupa e mandando ela descer do carro na rua da casa dela”, disse a delegada Ana Elisa Gomes.Em nota, a Uber, empresa na qual o motorista é cadastrado, "lamenta o crime terrível que foi cometido", que "nenhum comportamento criminoso é tolerado" e qie "o motorista foi banido do aplicativo assim que a denúncia foi feita". Além disto, "repudia qualquer tipo de comportamento abusivo contra mulheres e acredita na importância de combater, coibir e denunciar casos de assédio e violência"  De acordo com as investigações, o motorista manteve a vítima no carro por três horas, sendo que o percurso deveria durar cerca de 15 minutos. Na manhã de sexta-feira, a jovem procurou a Polícia Civil para denunciar o crime. “Ela fez exames no IML que comprovaram o estupro. Além disso, o motorista anotou o Instagram dele na canela dela usando uma caneta”, relatou a delegada. O homem foi preso no sábado (12) e ficou em silêncio durante todo o depoimento. Ele vai responder por estupro de vulnerável, devido ao fato da vítima estar embriagada e não conseguir reagir ao crime, e foi encaminhado para o Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. O carro do suspeito também foi apreendido para ser periciado. De acordo com a polícia, ele já tem passagens pela polícia por contrabando e homicídio culposo no trânsito. O homem também trabalha em programas de assistência social vinculados à Prefeitura de Aparecida de Goiânia. Em nota, a Secretaria de Assistência Social de Aparecida de Goiânia informou que, "desde que ficou sabendo da denúncia e da prisão do suspeito" retirou-o da da função que ele ocupava no órgão e o exonerou do cargo em comissão que ele ocupava desde maio de 2017.

Bolsonaro assina decreto e diz que posse de arma garante 'legítimo direito à defesa'

  • 15 Jan 2019
  • 13:05h

Foto: Reprodução/NBR

O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta terça-feira (15), em cerimônia no Palácio do Planalto, um decreto que facilita a posse de armas.O texto permite que o cidadão compre até quatro armas de fogo. Em casos específicos, o limite pode ser ultrapassado. A validade do registro passa dos atuais 5 anos para 10 anos. O direito à posse é a autorização para manter uma arma de fogo em casa ou no local de trabalho, desde que o dono da arma seja o responsável legal pelo estabelecimento. Para andar com a arma na rua, é preciso ter direito ao porte, que exige regras mais rigorosas e não foi tratado no decreto. O texto assinado por Bolsonaro modifica um decreto de 2004, que regulamenta o Estatuto do Desarmamento. O Estatuto dispõe sobre regras para posse e porte de arma no país. "Como o povo soberanamente decidiu por ocasião do referendo de 2005, para lhes garantir esse legítimo direito à defesa, eu, como presidente, vou usar essa arma", disse Bolsonaro, ao mostrar uma caneta e assinar o decreto.No discurso, o presidente afirmou que o decreto restabelece um direito definido no referendo. Na época, a maioria da população rejeitou trecho do Estatuto do Desarmamento que tornava mais restrita a posse de armas. "Infelizmente o governo, à época, buscou maneiras em decretos e portarias para negar esse direito", disse Bolsonaro. "O povo decidiu por comprar armas e munições e nós não podemos negar o que o povo quis nesse momento", completou. A flexibilização, contudo, é um tema que divide a população. Segundo pesquisa do Instituto Datafolha divulgada em 31 de dezembro, 61% dos entrevistados consideram que a posse de armas de fogo deve ser proibida por representar ameaça à vida de outras pessoas.

Mãe presa por tentar vender filho de 12 anos na BA disse que tinha raiva por menino ser fruto de estupro

  • 15 Jan 2019
  • 12:16h

Foto: Reprodução/TV Bahia

A mulher que foi presa por tentar vender o filho de 12 anos, em Santa Maria da Vitória, no oeste da Bahia, revelou em depoimento à polícia que venderia o adolescente po raiva, porque o garoto é fruto de um estupro.O homem suspeito de negociar a compra do garoto, um idoso de 71 anos, foi preso no fim da manhã desta terça-feira (15), na cidade de Botuporã, no sudoeste baiano. Segundo a polícia, ele já tinha passagem por tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo. De acordo com o delegado e coordenador regional da Polícia Civil, Alexandre Haas, que investiga o caso, Maria Roque Rocha disse também ser revoltada com a mãe dela. A polícia não tem informações sobre quem teria estuprado a mulher. Maria Roque Rocha mora em Botuporã e viajou na sexta-feira (11) para Santa Maria da Vitória, com o intuito de vender o filho. Ainda em depoimento, a mulher disse que a criança seria levada para uma outra família brasileira que está morando no Japão. Ela contou que, pelo menino, receberia R$ 5 mil na rodoviária e outros R$ 65 mil quando o garoto chegasse no país asiático. O delegado, entretanto, contestou a versão da mulher e afirmou que a história de que ele seria levado para o Japão foi um pretexto que o aliciador inventou para iludir o menino. O garoto é filho único e está na casa de um tio. Ele será acompanhando pelo Conselho Tutelar.

PIS começa a ser pago nesta terça-feira (15)

  • iBahia
  • 15 Jan 2019
  • 11:08h

Nesta terça-feira (15),os correntistas da Caixa Econômica Federal poderão começar a retirar o pagamento do novo lote do Programa de Integração Social (PIS). Serão beneficiados os trabalhadores nascidos nos meses de janeiro e fevereiro, e que tenham direito ao PIS. Os repasses serão nos valores de R$ 84 a R$ 998, de acordo com o número de meses trabalhados. Para quem não tem conta na Caixa, a data para receber o abono é dia 17 de janeiro. A retirada do pagamento será feita nos caixas eletrônicos, casas lotéricas, nos correspondentes Caixa Aqui, com o Cartão Cidadão, ou nas agências da Caixa Econômica mediante apresentação do número do PIS e de um documento de identificação.  Vale lembrar que tem direito ao abono as pessoas que estão cadastradas há mais de cinco anos, com renda média de até dois salários mínimos do ano-base e que já trabalhou pelo menos trinta dias com carteira assinada.  O pagamento do PIS 2018-2019 é realizado segundo o calendário disponibilizado pelo órgão gestor do programa, que depende do mês de aniversário do trabalhador.  Para tirar todas as dúvidas sobre o PIS, você pode baixar o aplicativo Caixa Trabalhador. O aplicativo também tem informações sobre outros programas sociais da Caixa.