Brumado: será que a morte de jovem de apenas 26 anos por complicações da Covid-19 irá promover a consciência coletiva da nossa juventude?

  • Brumado Urgente
  • 22 Fev 2021
  • 15:45h

(Fotocomposição: Brumado Urgente)

A questão é mundial, quando se refere a importância dada à Pandemia provocada pelo novo coronavírus pela juventude, já que, na grande maioria dos cantos do planeta, jovens se aglomeram em festas e eventos como se nada estivesse acontecendo. Muito longe de qualquer julgamento, esse comportamento faz parte do perfil dessa faixa etária, mas, agora, a questão é bem mais séria, pois as vidas de muitos deles podem estar em risco. Apenas no campo das conjecturas, pois ainda isso é possível, as novas vertentes, que são bem mais agressivas e rápidas, podem estar agindo entre nós aqui em Brumado e, conforme o novo padrão das mutações, a idade dos pacientes vem diminuindo, tanto que já são muitos os casos de jovens com menos de 30 anos que acabam sendo infectados pelo vírus que está cada vez mais voraz. Como diz um vídeo muito esclarecedor que está circulando nas redes sociais (veja abaixo), “o vírus não tem cérebro e nem coração” e complementa “mas você tem”, então está na hora de todos colocarem a mão na cabeça e despertar as consciências de que estamos mesmo vivendo o pior momento da pandemia em Brumado e na Bahia. 

Wedson Fonseca era um grande profissional, sendo muito querido por familiares, amigos e clientes | Foto: Reprodução Redes Sociais

Enquanto países europeus já tem índices animadores da imunização, baixando o contágio em até 50%, o Brasil pode amargar, caso a coisa continue como está, como o país que vai liderar as mortes e infecções em todo o mundo. Nesse momento chegam informações, ainda não confirmadas, de que o Toque de Recolher vai ser ainda mais rígido, o que, caso se confirme é uma medida extrema e vem corroborar ainda mais para mostrar o quão grave é o momento atual. Em junho de 2020, no pico da primeira onda, fizemos um editorial (veja aqui) e fomos muito criticados pelos negacionistas, como disseminadores do medo por meio de texto lacradores, mas, passados cerca de 8 meses, a realidade mostrou que existe uma forte razoabilidade em nosso conteúdo, ou seja, o pior poderia ser evitado, mas, infelizmente, a negligência venceu. A morte ocorrida nesta segunda-feira (22) do jovem Wedson Fonseca, de apenas 26 anos, o qual era um brilhante gerente de uma empresa conceituada de informática, que tinha um grande futuro pela frente, veio causar um forte impacto e comoção nos jovens brumadenses, já que inúmeras mensagens de condolência circularam pelas redes sociais. De forma alguma queremos fazer inferência de que ele pode ter desobedecido os protocolos sanitários, mas o fato é que ele tinha 26 anos, uma faixa etária que quase não tinha óbitos registrados. Ficam aqui os nossos mais sinceros sentimentos de pesar aos familiares e amigos, mas, lamentavelmente, a sua morte pode ser um marco para que uma nova postura bem mais consciente da juventude brumadense seja adotada, pelos menos, é o que todos esperam.

ONG usa montagem com Bolsonaro nu em campanha contra desinformação do governo

  • Repórteres sem Fronteira
  • 22 Fev 2021
  • 14:42h

Imagem: Repórteres sem Fronteiras

Em crítica à atuação do governo brasileiro no combate à Covid-19, a ONG Repórteres Sem Fronteira criticou a estratégia adotada de "disseminar desinformações sobre a pandemia". Seus membros lançaram uma campanha pela defesa do direito à informação confiável no Brasil, nesta segunda-feira (22), com uma ação que traz uma fotomontagem do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sem roupa, coberto por uma placa que informa o número de mortes causadas pela doença. O Brasil soma mais de 246.504 mil vidas perdidas para a Covid-19 e 10.168.174 milhões de casos. "Essa campanha propositalmente chocante visa despertar as consciências a reagirem aos ataques permanentes do sistema Bolsonaro contra a imprensa", afirmou Christophe Deloire, secretário-geral da RSF, segundo a coluna de Jamil Chade, no UOL. O objetivo era justamente confrontar o presidente com fatos, já que ele acusa a imprensa pelo caos no país. A campanha foi batizada como " a verdade nua", feita pela agência BETC Paris, a fim de destacar a "importância crucial do jornalismo para garantir o acesso a informações confiáveis sobre a pandemia". "Enquanto a covid-19 provoca estragos no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro contribui para aumentar o número de mentiras em circulação e segue atacando a imprensa - numa tentativa de esconder sua incapacidade de administrar a crise sanitária", diz a campanha. Por isso, os repórteres defendem que"a verdade nua" seja exposta, o que significa apresentar à população "a crua realidade dos fatos, para além das alegações fantasiosas ou manipuladoras".

Rui Costa afirma compromisso em abrir um hospital com leitos de UTI em Caetité para atender região sudoeste

  • Redação
  • 22 Fev 2021
  • 13:51h

(Foto: Reprodução)

Na manhã desta segunda-feira (22), o Comitê de Gestão de Crise para enfrentamento da pandemia voltou a se reunir no Gabinete Civil. No encontro, ficou decidido que Vitória da Conquista irá aderir ao Decreto Estadual nº 20.240, de 21 de fevereiro, que altera os horários da restrição de circulação noturna em municípios baianos. A decisão avaliou o compromisso do governador da Bahia, Rui Costa, em abrir um hospital com leitos de UTI no município de Caetité, na região Sudoeste, até a próxima sexta-feira (26). O acordo ocorreu em conversa telefônica com a prefeita em exercício de Vitória da Conquista, Sheila Lemos, nesse domingo (21). “Nós solicitamos que ele abrisse novas vagas na região. O governador se comprometeu a, até sexta-feira, abrir vagas na região Sudoeste, na cidade de Caetité. E nós vamos aguardar até sexta-feira para ver se realmente isso se concretiza. Então, Conquista é solidária e vai cooperar com o decreto, e, na sexta-feira, nós iremos reavaliar a situação em nossa região”, afirmou a prefeita.

Bolsonaro quer armar população para guerra civil, diz ex-ministro da Segurança e da Defesa

  • Igor Gielow | Folhapress
  • 22 Fev 2021
  • 11:50h

(Foto: Poder 360)

Os decretos de Jair Bolsonaro (sem partido) ampliando o acesso a armas são uma ameaça à democracia, pois politizam uma questão de segurança pública e estimulam guerra civil, e o país pode ver repetidas aqui cenas como a invasão do Capitólio americano na eleição de 2022.

O alerta foi feito em uma carta aberta aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) por um ex-ministro da Segurança Pública e da Defesa, Raul Jungmann. Ele pediu o veto às iniciativas.

O texto, ao qual a Folha teve acesso, é uma crítica dura às políticas armamentistas de Bolsonaro, que Jungmann identifica como "um nefasto processo" que gera "iminente risco de gravíssima lesão ao sistema democrático".

"É inafastável a constatação de que o armamento da cidadania para 'a defesa da liberdade' evoca o terrível flagelo da guerra civil, e do massacre de brasileiros por brasileiros, pois não se vislumbra outra motivação ou propósito para tão nefasto projeto", diz.

Na véspera do Carnaval, Bolsonaro editou mais quatro decretos flexibilizando regras e ampliando acesso a armas de fogo e munições. O PSB e o PT foram ao Supremo questionar a legalidade das regras.

Jungmann se diz especialmente preocupado pelo fato de que Bolsonaro, que desde a campanha eleitoral de 2018 defendia armar o cidadão contra criminosos e tomou várias medidas nesse sentido, agora fala abertamente que o objetivo é político.

Em uma narrativa iniciada na famosa reunião ministerial de 22 de abril de 2020, a ideia é armar o povo contra eventuais ditadores.

O ex-ministro vê o oposto, como diversos críticos do governo têm feito. "Ao longo da história, o armamento da população serviu a interesses de ditaduras, golpes de Estado, massacre e eliminação de raças e etnias, separatismos, genocídios e de ovo da serpente do fascismo italiano e do nazismo alemão", escreveu.

E ele encerra a mensagem lembrando a horda de apoiadores de Donald Trump, o então presidente americano que não aceitava a derrota para Joe Biden no pleito de novembro, que invadiram o Capitólio e interromperam a sessão que confirmava o triunfo do democrata em 6 de janeiro.

"Lembremo-nos dos recentes fatos ocorridos nos EUA. Nossas eleições estão aí, em 2022. E pouco tempo nos resta para esconjurar o inominável presságio", diz o ex-ministro.

Bolsonaro, um admirador de Trump, nunca condenou os eventos -- que levaram ao impeachment do americano na Câmara, e posterior absolvição pelo Senado.

Além das ações no Supremo, há uma série de projetos visando derrubar as iniciativas de Bolsonaro no Congresso.

Deputados e ativistas de esquerda vêm falando o que disse Jungmann, mas a carta do ex-ministro tem outro peso, não só pelos cargos que ocupou.

Ele tem bom trânsito no Supremo e também nas Forças Armadas, que comandou como ministro. É indisfarçável entre alguns generais do serviço ativo o desconforto com as políticas de Bolsonaro para o setor, desde o começo do governo.

Assim, ressoa também um trecho em que ele afirma que Bolsonaro está usurpando prerrogativas dos militares ao ampliar o acesso a armas.

"O armamento da população proposto -- e já em andamento --, atenta frontalmente contra o seu papel constitucional [dos militares], e é incontornável que façamos a defesa das nossas Forças Armadas", afirmou Jungmann, que ocupou os postos no governo de Michel Temer (MDB, 2016-18), e também foi ministro do Desenvolvimento Agrário de Fernando Henrique Cardoso (PSDB, de 1996 a 2002).

Sessão do Legislativo foi antecipada para as 16h30m desta segunda-feira (22)

  • Brumado Urgente
  • 22 Fev 2021
  • 11:00h

(Foto: Brumado Urgente)

Após reunião entre o Setor Jurídico e a Mesa Diretora da Casa Legislativa de Brumado ficou acertado que a sessão ordinária desta segunda-feira (22) irá ocorrer, mas em horário antecipado, às 16h30m, devido à alteração do Toque de Recolher. A sessão, devido ao protocolo sanitário mais rígido que foi adotado, não terá presença da população, mas quem quiser acompanhar pode sintonizar a Rádio Câmara 103.3 ou por meio do site e das redes sociais do Sudoeste Acontece.

Guanambi: Vereador de 42 anos é intubado após contrair a Covid-19 pela segunda vez

  • Informações do Sudoeste Acontece
  • 22 Fev 2021
  • 10:44h

(Foto: Reprodução)

O vereador Hélio Pereira da Silva, o Lelé, está internado desde quarta-feira (17) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral de Guanambi (HGG), em tratamento das complicações da Covid-19. O parlamentar teve a doença agravada nos últimos dias e precisou ser intubado neste sábado (20) para receber auxílio de ventilação mecânica na respiração. Neste domingo (21), ele reagiu melhor ao tratamento. O quadro de saúde do vereador de 42 anos é considerado estável. O caso de Lelé é de reinfecção pelo coronavírus, já que ele testou positivo em novembro passado e havia se recuperado. Agora, ele teve parte de seu pulmão comprometido por conta do avanço da doença.

Tristeza na região: Sandra morreu atropelada e população pede justiça

  • Redação
  • 22 Fev 2021
  • 10:11h

(Foto: Reprodução Redes Sociais)

A polícia procura pelo motorista do carro que atropelou e matou na noite deste sábado (20/02), SANDRA BREIA CAVALCANTE PAIM, no acidente registrado na Rua José Moreira Sobrinho “ladeira da balança”, na cidade de Jequié. Segundo informações colhidas pelo ALERTA JEQUIÉ, o motorista de uma pick up preta, perdeu o controle do veículo e foi pra cima da vítima que estava acompanhada de duas crianças, sua neta e filha, no entanto, com o puro instinto de cuidar e proteger, Sandra conseguiu empurrar e salvá-las. Populares acionaram o SAMU, mas a vítima faleceu no hospital. A polícia está em busca das imagens de câmeras de segurança para ajudar na identificação do carro e do motorista responsável pelo CRIME, que tirou a vida de uma pessoa do bem.

Poder Legislativo de Brumado deverá alterar horário e até dia das sessões durante o toque de recolher

  • Brumado Urgente
  • 22 Fev 2021
  • 09:12h

(Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

Com a publicação da alteração no Decreto do Governo do Estado, a qual antecipou o toque de recolher a partir dessa segunda-feira (22), para às 20: horas, as sessões ordinárias do Poder Legislativo de Brumado deverão ser alteradas. Em contato com o setor jurídico da Casa da Cidadania, fomos informados que uma reunião será realizada nesta manhã para decidir as mudanças, mas, ao que tudo indica, as alterações deverão ser aprovadas pela Mesa Diretora. Provavelmente será marcado um novo dia enquanto durar esse período de restrições mais rigídas, as sessões irão ocorrer no período da manhã.

"É possível que nós precisemos avançar para fechar comércio durante o dia", diz Vilas-Boas

  • A TARDE
  • 22 Fev 2021
  • 08:37h

E entrevista foi concedida antes da internação | (Foto: Reprodução)

Nesta, que foi a última entrevista concedida antes de se internar, o secretário de Saúde do estado, Fábio Vilas-Boas, disse que estamos vivendo o pior momento da pandemia no país. E isso, porque a população não tem colaborado, principalmente os mais jovens. De acordo com Fábio, que está há 11 meses na minha de frente do combate à covid, a pandemia não mudou a cara. “Os jovens que perderam o medo”. E alerta. “É possível que precisemos avançar para fechar comércio durante o dia”. Confira abaixo a entrevista na íntegra: 

Secretário, você está na linha de frente da pandemia há 11 meses e agora é acometido com a doença. O que muda ao se ver infectado?

É uma boa pergunta. Essa é uma experiência única que a gente passa. Onze meses tentando evitar, usando todas as medidas de prevenção, e logo agora, já perto da vacina, a gente acaba pegando. É um misto de frustração com sensação de impotência. A gente, ao mesmo tempo, fica preocupado com outras pessoas que também estão se contaminando, a gente não sabe se esse vírus que me pegou já é uma dessas variantes mais contagiosas, porque eu não relaxei nada. Foram onze meses fazendo tudo direitinho, e agora de uma hora para outra eu me contamino. Mas, felizmente, eu estou conseguindo atravessar aqui sem piorar, mas é uma batalha. É uma experiência única, porque você sabe que da mesma forma que você pode melhorar, você pode piorar. Isso é uma loteria. Além do mais, ao longo da minha vida de médico, fui treinado a colocar-me na posição dos meus pacientes, entender a sua condição a partir da sua perspectiva e, muitas vezes, vivenciar seu sofrimento. A compaixão é o mais nobre sentimento que um médico pode desenvolver. Como gestor público a compaixão me ajuda a tomar decisões todos os dias. Assim é que ao ser contaminado e viver na pele essa doença terrível, sinto-me mais perto de cada uma das pessoas que sofreram e estão sofrendo a dor da perda da saúde e o medo da morte.

Como você avalia o estágio atual da pandemia?

Nós estamos vivendo o pior momento da pandemia em todo o Brasil. No país inteiro, os hospitais estão lotados, nós estamos vendo a emergência de mutações que agravam a transmissão. A população não tem colaborado, principalmente os mais jovens, que hoje são a maioria dos que são diagnosticados e até internados. A população abaixo de 40 anos hoje já ultrapassa os 50% das pessoas internadas nas UTIs. E chegando ao ponto máximo hoje de aberturas de leitos, tanto de UTI quanto de enfermaria, não nos resta outra alternativa senão restringir a liberdade das pessoas de se locomoverem, de frequentarem os espaços. Se nós tivéssemos uma postura diferente, se as pessoas estivessem compreendendo que o momento de pandemia é grave e que não deveriam estar aglomerando, isso não seria necessário. Mas como não tem sido dessa forma, as medidas foram adequadamente lançadas e deverão ser agravadas na medida em que ou piore a situação dos hospitais, ou não surta o efeito que nós esperamos que surta com esse toque de recolher à noite. É possível que nós precisemos avançar para fechar comércio durante o dia.

Caminhamos para um lockdown?

O lockdown é um termo que não se aplica ao Brasil. O que a gente precisa fazer é, caso não surta o efeito, é fazer um fechamento mais intenso do comércio não essencial. Você se recorda que a gente passou um tempão com os shoppings fechados, tudo fechado. E hoje nós estamos mantendo os shoppings, o comércio aberto, e só está sendo fechado à noite. Se essa medida que começa hoje, sexta-feira, não der resultado em uma semana, a gente vai ter que sentar e reavaliar.

As eleições e as festas de final de ano se cruzaram e fizeram os números crescer. E a gente tem também o impacto do Carnaval, que não foi mensurado por conta do tempo, já que foi no último final de semana. Essa é uma situação bomba relógio, prestes a explodir, que preocupa, secretário?

Preocupa muito. Nossa análise retrospectiva mostra que 14 dias após esses eventos índices – São João, eleições, Natal, Réveillon, e agora o Carnaval – 14 dias depois nós subimos de patamar. E o que a gente viu no Natal e no Réveillon, a gente viu no Carnaval agora. Várias festas, várias em casas, em apartamentos... Essas festas aglomeraram pessoas, pessoas jovens, isso sem dúvida vai se traduzir sob a forma de maior contágio e maior necessidade de internação.

O que representa, na prática, o estrangulamento das redes públicas e privadas que está prestes a acontecer?

Representa o risco de aumentar a taxa de óbitos. Hoje nós conseguimos atender toda a população, ninguém fica para trás por falta de UTI.

Vamos chegar no estágio de ter que escolher quem vai viver e quem vai morrer?

Eu torço que isso não aconteça nunca. É por isso que nós estamos ainda abrindo mais leitos e fazendo essas medidas restritivas. Exatamente para que isso nunca venha a acontecer. Nós estamos andando um passo à frente para não ver aqui na Bahia o que aconteceu em Manaus. A medida do governador foi acertada, e outras medidas restritivas serão lançadas mão antes, preventivamente, para que não venha a entrar em colapso o Sistema de Saúde.

E o detalhe que mais da metade dos casos da Covid aqui na Bahia são de pessoas até 40 anos. O que esses números significam, secretário? A pandemia mudou a cara no estado?

Não, não foi a pandemia que mudou a cara, não. São as pessoas jovens que perderam o medo. Os idosos se mantiveram resguardados e os mais jovens, destemidos, corajosos, foram para a rua. Como a maioria tem sintomas leves, eles acham que vale à pena correr o risco.

Como você avalia o estágio atual da vacinação e a suspensão por falta de doses?

É lamentável que nós estejamos constatando que vivemos uma ilusão vacinal. A população acha que está sendo vacinada, quando na verdade nós estamos aplicando uma vacina numa parcela ínfima. Era para termos vacinado no primeiro mês 1 milhão e 800 mil pessoas na Bahia, só no primeiro grupo. E até agora nós só vacinamos cerca de 400 mil pessoas, apenas. E não há previsão de curto prazo de uma quantidade de vacina significativa. Na última quarta-feira, os governadores tiveram uma reunião com o ministro da saúde e ele apresentou um cronograma de vacinação. No dia seguinte, o Butantan desmentiu os números do Ministério. E na reunião com os governadores, o presidente do Butantan estava presente e ele não contestou os números apresentados. Então como é que você consegue fazer um mínimo de planejamento se quem é responsável pelo fornecimento principal da vacina no Brasil, que é o Instituto Butantan, não consegue numa reunião confirmar os números e nega, menos de 24 horas depois, depois de todos os governadores terem sido notificados? Nós estamos cegos, perdidos, não temos em quem confiar e acreditar.

Diante desse negacionismo do Governo Federal, o que fazer para solucionar a questão da vacinação em massa da população?

Eu não acho que tenha negacionismo, não. Eu acho que houve uma falha estratégica de tomada de decisão de aquisição de vacinas lá atrás. E isso está sendo difícil de corrigir. O Governo Federal deveria ter feito aquisições, contrato de compras grandes lá atrás, lá em agosto. Nós aqui da Bahia fomos e fizemos um compromisso de compra com os russos, mesmo antes de haver registros deles na Anvisa, em agosto. O Ministério poderia ter feito a mesma coisa com todos os fabricantes de vacina. Na verdade, deveria ter feito isso. E hoje a gente vê um cenário internacional em que os grandes fabricantes já estão com seus compromissos de produção com outros países e a gente está vindo para o final da fila, infelizmente.

O governo do estado entrou no STF para poder importar a Sputnik V. Em que ponto está essa negociação, secretário?

Está no STF. Tendo duas ações: primeiro, existe a ação nossa no STF; segundo, nós temos a ação que é a MP 1003 que foi votada no Senado há 15 dias, e nessa MP está aprovada a agência russa equiparada ao nível das agências principais do mundo. E ao fazer isso, o Senado diz à Anvisa que ela tem 5 dias para poder autorizar a Sputnik. Só que essa MP não foi ainda sancionada pelo presidente. Ele precisa sancionar ou vetar. Se ele sancionar, 5 dias depois a Anvisa será obrigada a autorizar a importação. Resolve o nosso problema. Se ele vetar, o clima no Congresso é que o veto será derrubado. Então mais cedo ou mais tarde, via Congresso ou via STF, nós vamos ter autorização para importação da Sputnik.

Nos últimos dias, o senhor começou um diálogo junto comgovernador muito mais intenso junto aos prefeitos na tentativa também de endurecer as medidas de enfrentamento à Covid. Como tem sido esse diálogo, secretário? Com os prefeitos.

Nós mantemos diálogo regular com a união dos municípios, com o conselho de secretários municipais de saúde, fazemos reuniões periódicas, no mínimo duas vezes por semana, para poder acompanhar a pandemia. Tivemos a transição no começo de janeiro, em que várias secretarias foram trocadas, 70% das secretarias foram substituídas. Entrou grande parte de pessoas sem nenhuma experiência, pela primeira vez. Nós treinamos esses secretários, tivemos um trabalho adicional de fazer a substituição com o carro andando, trocar o pneu com o carro andando. Isso determinou uma redução das notificações, já foi corrigido. Hoje os municípios estão funcionando adequadamente, as vacinas já estão sendo todas aplicadas. Eu acho que a relação do estado com os municípios nunca esteve tão boa.

A rede está pressionada pelas cirurgias eletivas e pelas outras comorbidades que começaram a demandar uma atenção por parte da população. Como conciliar essas duas demandas com o crescimento dos casos de Covid?

Não tem como conciliar. São competitivas. A gente ampliou o número de leitos Covid o máximo que pôde, suspendeu as cirurgias eletivas durante esse período, e temos agora que restringir a movimentação das pessoas para poder reduzir o número de acidentes de carro e moto que são a principal causa de internação nesses nossos hospitais. Eu acho que com o fechamento dos bares à noite, isso vai dar uma boa ajuda.

O que mais tem tirado seu sono e preocupado nessa fase atual da pandemia, secretário?

A maior preocupação nossa é não saber como será o futuro. A gente se prepara para o pior, mas torce para o melhor. A gente não sabe se a qualquer momento vai surgir uma outra mutação que vai tornar o vírus mais agressivo, nós não temos mais folga de leitos, gordura para poder queimar. Nossa última reserva, que é a Fonte Nova, essa semana já vai ser reaberta. Depois que isso for aberto, só nos restará ir avançando para os leitos não Covid dos hospitais. E as outras doenças vão ser cada vez mais impactadas pela pandemia.

Há algum tipo de controle sobre possíveis variantes que estejam circulando na Bahia? Tem algum diagnóstico mais preciso sobre isso?

Nós fazemos um monitoramento genômico regularmente. Nós temos um sequenciador no Lacen, adquirimos um outro. Nós diariamente estamos fazendo um acompanhamento dessas emergências de mutações. Por enquanto não tem nada de anormal.

Tem alguma previsão de investimento maior para fazer uma testagem em massa da população? Facilitar o acesso à testagem?

Não. Trabalhando com o Lacen na sua capacidade máxima. E não há nenhuma razão nesse momento para fazer testagem em massa. Nós temos que garantir o teste para quem tiver sintomas e for para as UPAs. Nós adquirimos testes de antígeno nasais que dão resultado instantâneo, isso tem ajudado a qualificar nossas internações.

Mesmo sendo médico, o senhor recusou-se a ser vacinado antes dos servidores da SESAB. A que se deveu isso?

O meu papel como gestor é o de dar exemplo. Embora eu estivesse na lista de vacináveis, por ser médico e ainda atender em consultório, minha maior atividade, não resta dúvida, é como gestor público. Diante da escassez das vacinas, fui contra funcionários da administração centralizada da SESAB receberem a vacina antes da população geral de idosos de maior risco. Coloquei-me ao lado dos servidores, para que soubessem que seu chefe só seria vacinado junto com eles e que poderiam confiar em mim.

CONTINUE LENDO

Brumado: motociclista não resiste aos ferimentos e vem a óbito após queda na Ponte do São Jorge

  • Brumado Urgente
  • 22 Fev 2021
  • 07:34h

O acidente atraiu inúmeros populares | Fotocomposição: Brumado Urgente

Os acidentes envolvendo motocicletas continuam liderando as ocorrências do sistema viário em Brumado, sendo, infelizmente, acompanhado de vítimas fatais. Um acidente ocorrido por volta das 17h30m deste domingo (21) na Ponte do Bairro São Jorge foi mais um desses, onde o condutor de uma motocicleta perdeu a direção e acabou colidindo com o “guard rail” e indo ao solo. Segundo informações apuradas pelo Brumado Urgente ele teria tido um mal súbito e perdeu o controle da moto. Na queda ele teve um forte impacto, o que pode ter causado um traumatismo cerebral. De prenome Natalício, mas conhecido pelo apelido de “Quinho”, ele tinha 36 anos e foi levado com urgência pela equipe do SAMU 192, mas acabou não resistindo aos ferimentos vindo a óbito na sequência. Ele estava trabalhando na construção da Faculdade de Medicina e era muito querido por amigos e familiares. Ele deixa esposa e uma filha pequena. Os nossos sentimentos à família enlutada.

Brasil tem que aumentar vacinação em 11 vezes para conter coronavíus em um ano

  • Redação
  • 22 Fev 2021
  • 06:59h

Atualmente, o país consegue imunizar uma média de 185 mil pessoas por dia | Foto: Reprodução

Para conseguir conter as contaminações pelo novo coronavírus em um ano, o Brasil terá que ampliar a vacinação em quase 11 vezes e atender 2 milhões de pessoas por dia. A previsão foi feita por um estudo publicado em fevereiro pelo Programa de Pós-Graduação em Modelagem Computacional da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora) e Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação da UFSJ (Universidade Federal de São João del-Rei). Atualmente, o país consegue imunizar uma média de 185 mil pessoas por dia. Para ampliar a cobertura vacinal, seria necessário aumentar 10,7 vezes o número de vacinados diariamente contra a doença. A meta, contudo, pode demorar a chegar, isto porque parte das cidades do país já paralisaram a vacinação por falta de doses.

Governo divulga lista das cidades com novo toque de recolher que se iniciará às 20h

  • Redação
  • 22 Fev 2021
  • 06:55h

(Foto: Reprodução Youtube)

A circulação de pessoas nas ruas e o funcionamento de serviços não essenciais passam a ficar restritos em 381 cidades baianas. O decreto nº 20.233, que instituiu o toque de recolher em grande parte da Bahia, foi atualizado pelo Governo do Estado neste domingo (21). A região oeste é a única exceção Foram incluídos os municípios de América Dourada, Barra do Mendes, Barro Alto, Caém, Cafarnaum, Caldeirão Grande, Canarana, Capim Grosso, Central, Gentio do Ouro, Ibipeba, Ibititá, Irecê, Itaguaçu da Bahia, Jacobina, João Dourado, Jussara, Lapão, Mairi, Miguel Calmon, Mirangaba, Morro do Chapéu, Mulungu do Morro, Ourolândia, Piritiba, Presidente Dutra, Quixabeira, São Gabriel, São José do Jacuípe, Saúde, Serrolândia, Tapiramutá, Uibaí, Umburanas, Várzea da Roça, Várzea do Poço, Várzea Nova e Xique-Xique. A restrição na circulação das pessoas compreende o período das 20h às 5h. O atendimento presencial em bares, restaurantes, lojas de conveniência e demais estabelecimentos similares que comercializem bebidas alcóolicas deve ser encerrado às 18h. Apenas o delivery de alimentos fica permitido até as 23h. A medida vale até o dia 28 de fevereiro.

Brumado: Músico brumadense Chiquinho Amorim foi um dos ganhadores do festival on-line “Varanda dos Festivaleiros” em Minas Gerais

  • 21 Fev 2021
  • 18:47h

Foto: Divulgação

O músico instrumentista brumadense Chiquinho Amorim, mais uma vez, esteve divulgando o nome da cidade de Brumado, mostrando a riqueza da nossa cultura musical ao conquistar uma premiação no Festival on-line "Varanda dos Festivaleiros", no estado de Minas Gerais com a canção "Trama", do saudoso compositor Edilson Dhio, ao lado do grande intérprete conquistense Ítalo Silva.

Incansável incentivador de festivais, não só como participante, mas também como produtor, Chiquinho Amorim, desde 2012, busca difundir a boa música, pois acredita no poder da cultura como um importante instrumento na transformação de um povo.

Nova companhia aérea, Itapemirim inicia operações em março

  • 21 Fev 2021
  • 14:38h

Empresa famosa pelo transporte rodoviário terá hubs nos aeroportos de Brasília, Cofins (MG) e Guarulhos (SP) | Foto: reprodução Instagram da companhia

Aterrisou neste sábado, em Natal (RN), a primeria aeronave da Itapemirim Transportes Aéreos, um airbus A320. A empresa planeja iniciar operações daqui a 27 dias, voando entre as capitais São Paulo , Rio de Janeiro, Curitiba, Florianópolis e Fortaleza. O olhar mais atento ao nome não se engana. O grupo que controla a nova companhia do setor aéreo brasileiro – e que nasce em um momento de crise e muitas indefinições no cenário econômico – é o mesmo que opera o mercado rodoviário. Os hubs serão Segundo a empresa, o foco é iniciaremos as operações no transporte aéreo com grande foco no atendimento dos nossos passageiros, iniciando um novo marco de qualidade e de competitividade nos principais mercados que atuaremos.

Chuva: Lagoa do Clube de Campo Guanambi transborda e peixes descem pela rua; veja vídeo

  • Agência Sertão
  • 21 Fev 2021
  • 11:29h

(Foto: Reprodução Redes Sociais)

As chuvas intensas que caíram em Guanambi no fim da tarde deste sábado (20) fizeram a lagoa do Clube de Campo transbordar. Foram aproximadamente 85 mm de precipitação entre as 16 e as 18h, causando vários pontos de alagamentos pela cidade.

Esta é a terceira vez que a lagoa transborda desde 2018. A última foi a quase um ano, quando também foram registradas imagens dos peixes escoando pela rua, chamando a atenção de vizinhos do local e de pessoas quem passava pela via. O transbordamento desde sábado foi o mais intenso dos três.

Desta vez, um morador conseguiu capturar mais de meia dúzias de tilápias de tamanho médio e colocá-las em um balde com água. A foto chamou a atenção e foi compartilhada nas redes sociais.

As chuvas intensas que caíram em Guanambi no fim da tarde deste sábado (20) fizeram a lagoa do Clube de Campo transbordar. Foram aproximadamente 85 mm de precipitação entre as 16 e as 18h, causando vários pontos de alagamentos pela cidade.

Esta é a terceira vez que a lagoa transborda desde 2018. A última foi a quase um ano, quando também foram registradas imagens dos peixes escoando pela rua, chamando a atenção de vizinhos do local e de pessoas quem passava pela via. O transbordamento desde sábado foi o mais intenso dos três.

Desta vez, um morador conseguiu capturar mais de meia dúzias de tilápias de tamanho médio e colocá-las em um balde com água. A foto chamou a atenção e foi compartilhada nas redes sociais.

No local sempre existiu a formação do curso d’água no período chuvoso. No entanto, o crescimento da cidade impermeabilizou o solo e fechou as passagens, restando à água apenas a rua para seguir seu percurso.

Além disso, outras lagoas que se conectavam com a lagoa do Clube de Campo foram aterradas e deram lugar a ruas e construções. Hoje, toda vez que chove forte, a água tenta de alguma forma procurar o seu espaço e pode acabar causando transtornos.

Alagamentos

Vários pontos de alagamentos foram registrados em Guanambi neste sábado após o temporal que atingiu a cidade. A situação mais crítica ocorreu mais uma vez no bairro São Francisco, onde a água invadiu casas e estragou móveis e eletrodomésticos.

Também ocorreram pontos de alagamento nas Avenidas Barão do Rio Branco, também no bairro São Francisco, e Deolinda Martins, no bairro Santa Catarina. A água também invadiu casas no bairro Lagoinha e alagou uma pista de caminhada recém construída no bairro Gurungas.

Previsão

Deve continuar chovendo em Guanambi e em toda a região até o fim do mês. Os modelos meteorológicos e os institutos de pesquisa estimam que pode chover entre 60 e 90 mm nos próximos dias. A chuva deve se estender e voltar a se intensificar até meados de março, com pequenos intervalos de estiagem até lá.