Após delação, Justiça manda soltar suspeito de hackear autoridades

  • G1
  • 05 Dez 2019
  • 10:07h

(Foto: Reprodução)

A Justiça Federal determinou nesta quarta-feira (4) a libertação de Luiz Henrique Molição, um dos suspeitos de envolvimento na invasão de celulares de autoridades, entre as quais o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e procuradores da Lava Jato. A libertação ocorre um dia depois de o juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, homologar (validar) a delação de Molição. Com a homologação, a Justiça confirma a punição negociada por ele com órgãos de investigação em troca das informações que forneceu e considera que não houve coação. Estudante de direito, Molição foi preso em setembro, em Sertãozinho (SP), em uma das etapas da Operação Spoofing, da Polícia Federal, deflagrada em julho para desarticular uma suposta organização criminosa que praticava crimes cibernéticos. De acordo com as investigações da PF, o grupo teve acesso a contas do aplicativo de troca de mensagens Telegram de autoridades. Outro dos presos na operação, Walter Delgatti Neto, admitiu à Polícia Federal que entrou nas contas de procuradores da Lava Jato e disse ter repassado mensagens ao site The Intercept Brasil, que publicou uma série de reportagens com diálogos entre as autoridades.

 

 


Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.