Vale é condenada a pagar R$ 8 milhões a parentes de família que morreu em pousada

  • G1
  • 12 Nov 2019
  • 19:58h

(Foto: Reprodução)

Parentes de Adriano Ribeiro da Silva, 61 anos, e dos filhos dele, Luis Taliberti Ribeiro da Silva, de 31 anos, e Camila Taliberti da Silva, 33 anos, que morreram na tragédia de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, vão receber R$ 8,1 milhões em indenização por danos morais da Vale. A Barragem de Córrego do Feijão, pertencente à mineradora, se rompeu no dia 25 de janeiro, matando mais de 250 pessoas. Luiz, a mulher dele, Maria de Lurdes da Costa Bueno, de 59 anos, os filhos e a nora Fernanda Damian de Almeida, 30 anos, grávida de 5 meses, estavam hospedados na pousada Nova Estância que desapareceu sob a lama. A família viajou para a cidade mineira para visitar o Museu Inhotim. Na sentença, o juiz Rodrigo Heleno Chaves, da 2ª Vara Cível, Criminal e de Execuções Penais da Comarca de Brumadinho, afirmou que a "ré não nega a sua responsabilidade sobre os fatos" e, portanto, "sua responsabilidade pela reparação dos danos causados aos autores é fato incontroverso nos autos". Em nota, a Vale informou que ainda não foi intimada da decisão. Disse ainda que "é sensível à situação das famílias e dará encaminhamento ao caso, respeitando a privacidade dos envolvidos."


Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.