Representantes de comunidades envolvidas na divisão territorial entre Conquista e Anagé são contrários ao desmembramento

  • BRF
  • 22 Jul 2019
  • 14:14h

(Foto: Reprodução)

No último sábado, 20, moradores de diversas localidades da região de José Gonçalves e Bate Pé se reuniram no Povoado da Roseira para discutir a realização do plebiscito que vai definir a situação da população local e manifestar que todas as 34 localidades envolvidas têm o desejo de continuar pertencendo a Vitória da Conquista. A reunião é mais uma mobilização contrária à Ação Direta de Inconstitucionalidade impetrada pela Prefeitura de Anagé, em 2012, que pede a revogação da Lei Estadual nº 12.564/2012, que atualiza os limites dos municípios que integram o território de identidade de Vitória da Conquista. O vereador Professor Cori destacou que desde 2014 tem buscado, ao lado do ex-vereador Arlindo Rebouças, e com o apoio de vereadores como Edjaime Rosa (Bibia) e Viviane, a correção do equívoco. “O Tribunal de Justiça da Bahia, na época, reconheceu como se essa região pertencesse a Anagé, porque para eles os serviços de educação, saúde, estradas, limpeza de aguadas era feito por Anagé. Foi isso que foi dito lá, aí o vereador Arlindo me procurou e disse que a gente precisava evitar que uma injustiça fosse cometida. Aí nós levamos a documentação a todas as instituições comprovando que os serviços eram oferecidos pela Prefeitura de Conquista”.

Cori disse ainda que o trabalho continuará para que a população seja ouvida e que as comunidades afetadas continuem sendo atendidas pelo município de Vitória da Conquista. “Anagé não dispõe dos serviços básicos para o referido território e esses serviços já são oferecidos pelo município de Vitória da Conquista. Por isso, defendemos, desde o início, a realização de um plebiscito, para que as comunidades possam escolher”, finalizou o parlamentar.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Vitória da Conquista, Balbino Vieira dos Santos, lembrou que desde o início do impasse a população se manifestou contrária à ideia de pertencer a outro município. “Desde o início, recolhemos mais de 6 mil assinaturas. Se for necessário, conseguiremos novamente. Nós não aceitamos agora fazer parte de Anagé. O pessoal que é de lá quer fazer parte de Conquista, como é que a gente que é daqui vai fazer parte de Anagé? Vamos nos unir e lutar até o fim para não deixar que isso aconteça”.

O morador da Fazenda Lagoa das Pedras, distrito de José Gonçalves, Gilberto Almeida Sampaio, destacou que passar a pertencer a outro município é perder as origens “Nasci e quero permanecer na região de Conquista. É muito triste que queiram tirar as nossas origem sem ao menos nos consultar”.
Também participaram da reunião os vereadores Edjaime Rosa (Bibia) e Viviane, e o ex-vereador Arlindo Rebouças.

Desmembramento
Conquista
Comunidades
Anagé

Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.