Dia do ferroviário: histórias de quem faz o trem andar

  • Victor Hugo Fonseca | public relations
  • 26 Abr 2019
  • 17:31h

Foto: Brumado Urgente I Conteúdo

No dia 30 de abril, comemora-se o Dia do Ferroviário, uma homenagem a todos aqueles que trabalham nas estradas de ferro do Brasil. Essa data remete à inauguração da primeira linha ferroviária do Brasil, a Estrada de Ferro Petrópolis, que tinha mais de 14 quilômetros e, ligava o Rio de Janeiro até Raiz da Serra (RJ). Por trás dos vagões, locomotivas, dos trilhos e dormentes têm mãos, pessoas e muitas histórias. A VLI, empresa que administra a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), integra essa história e conta com um time de mais de 7 mil pessoas, muitas delas personagens das ferrovias brasileiras.

 

Nos bastidores de uma ferrovia há um grupo enorme de profissionais que contribuem para os trens estarem na linha e prontos. Josikelle Oliveira, supervisora de Manutenção é uma dessas figuras e integra esse grupo há 15 anos. Antes do estágio no curso técnico de eletrotécnica Josikelle nunca tinha visto uma locomotiva de perto. “No primeiro dia na oficina eu vi uma máquina e fiquei impactada. Nascia ali um sentimento especial”, lembra. Hoje, ela supervisiona uma equipe de 35 pessoas. O objetivo é garantir que os vagões e locomotivas que circulam entre Minas Gerais e Rio de Janeiro estejam nas melhores condições de uso. Antes de cada partida, as composições são inspecionadas. No dia a dia ela carrega o orgulho de ser ferroviária. “Eu nem conhecia o setor. Sinto que a ferrovia me ajudou a ser vencedora”, enaltece.

Na Bahia, Ednilson da Silva, 51 anos (32 de ferrovia) tem orgulho de ver a 4ª geração da família a trabalhar no setor.  Além de conhecer as histórias do avô e do pai, o ferroviário assiste a filha dar os primeiros passos no segmento. “Quando eu ingressei era sonho de muita gente ser concursado da Rede. Depois desse tempo todo ainda sinto a paixão. Trabalhar na ferrovia é diferente. Há uma dinâmica que nos desafia todo o dia e não tem rotina”, conta.

Nos incontáveis quilômetros de vai e vem do trem, Ednilson foi auxiliar, maquinista até ocupar o posto de inspetor de tração. Ele acompanha as equipes durante as manobras e atua para garantir o melhor fluxo possível. Compartilhar toda a experiência é uma missão. “Daqui a pouco eu vou parar, mas nem penso nisso no momento. Quero deixar todo meu conhecimento para os colegas. Sinto uma grande satisfação em fazer isso”, destaca.

 

Sobre a VLI

A VLI tem o compromisso de apoiar a transformação da logística no país, por meio da integração de serviços em portos, ferrovias e terminais. A empresa engloba as ferrovias Norte Sul (FNS) e Centro-Atlântica (FCA), além de terminais intermodais, que unem o carregamento e o descarregamento de produtos ao transporte ferroviário, e terminais portuários situados em eixos estratégicos da costa brasileira, tais como em Santos (SP), São Luís (MA) e Vitória (ES). Escolhida como uma das 150 melhores empresas para se trabalhar pela revista Você S/A pelos últimos quatro anos e a melhor do segmento de Serviços de Transporte pela Istoé Dinheiro em 2018, a VLI transporta as riquezas do Brasil por rotas que passam pelas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste.


Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.