Ovos de Páscoa com preços incríveis é no Comercial Vitória

  • Daniel Simurro / Brumado Urgente
  • 19 Abr 2014
  • 09:12h

O Comercial Vitória oferece uma grande variedade de Ovos de Páscoa com preços incríveis (Foto: Daniel Simurro / Brumado Urgente)

A Páscoa é uma das grandes festas do Cristianismo, que simboliza a morte e ressurreição do Salvador e que envolve as famílias num clima de união e fraternidade. A data também é marcada pelos Ovos de Chocolate, que além da sua beleza plástica se unem ao sabor inigualável do chocolate. A população brumadense, que na sua maioria tem a crença católica, é apaixonada pelos Ovos de Páscoa, que fazem a festa, principalmente da criançada. Em Brumado o Comercial Vitória, localizado na Praça Heráclito Cardoso, é o lugar certo para a sua família adquirir os mais deliciosos Ovos de Páscoa por preços incríveis e imbatíveis. Então, não pense duas vezes, Ovos de Páscoa é no Comercial Vitória, que montou um stand especial com uma grande variedade do produto. Corra e garanta os seus para a sua família, porque, devido à qualidade e aos preços muito convidativos, o grande estoque de Ovos de Páscoa pode terminar. O Comercial Vitória está aberto nesta sexta-feira (18) até às 12 horas. No sábado funcionará em seu horário normal e, no Domingo (20), dia da Páscoa, ficará aberto até as 12 horas. 

A procura, devido aos preços muito convidativos, está sendo muito grande (Foto: Daniel Simurro / Brumado Urgente)

Cúpula da Polícia Baiana garante que não tem a mínima participação na prisão de Prisco

  • Informações do Bocão News
  • 19 Abr 2014
  • 08:51h

(Foto: Roberto Viana)

Depois que o vereador Marco Prisco (PSDB), foi preso na tarde de ontem (18), a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) emitiu uma nota assegurando o cumprimento de todos os itens do acordo firmado com as associações representativas da Polícia Militar (PM), quando do final da paralisação, no último dia 17 de abril. Ainda segundo a nota, a SSP informa que não participou da operação de cumprimento do mandado de prisão do vereador de Salvador, Marco Prisco Caldas Machado. A ação de prisão atendeu pedido do Ministério Público Federal e foi executada pela Polícia Federal.A decisão foi tomada pela Justiça Federal, no último dia 15 de abril, e se refere a diversos crimes praticados durante a greve realizada entre os dias 31 de janeiro e 10 de fevereiro de 2012. De acordo com o esclarecimento, não foi solicitada a reclusão de Marco Prisco em presídios estaduais, devendo o mesmo cumprir a prisão em unidade federal, fora do estado baiano.

Brumado: Polícia e Guarda-Municipal impedem novos saques na madrugada deste sábado (19)

  • Daniel Simurro / Brumado Urgente
  • 19 Abr 2014
  • 08:43h

Foi só dar o anúncio de um possível retorno da Greve da PM que os grupos de saqueadores começaram a se reunir para realizar uma nova onda de saques na cidade. Segundo informações obtidas pelo Brumado Urgente, no início da madrugada deste sábado (19) um bando de aproximadamente 10 pessoas, todos com as cabeças cobertas por camisetas, já estava pronto para agir na Av. Antônio Mourão Guimarães quando se deparou com uma viatura policial que continuou fazendo o patrulhamento na cidade e teve que abortar o seu intento maléfico. Provavelmente o mesmo grupo, cerca de 1 hora e meia depois, tentou novo arrombamento numa loja de celulares que fica na área do Mercado Municipal, mas teve que, mais uma vez, cancelar a sua ação, já que guardas municipais interviram na situação. O clima continua de apreensão na cidade, apesar de aparente tranquilidade nesta manhã, onde o comércio está funcionando normalmente. 

Marco Prisco vai cumprir mandado de prisão preventiva por 90 dias

  • Informações do Correio
  • 19 Abr 2014
  • 08:31h

Prisco: do palanque da assembleia, na quinta-feira, para o presídio (Foto: Betto Jr/Arquivo CORREIO)

O vereador Marco Prisco (PSDB), líder da greve da PM que terminou na quinta-feira, foi preso pela Polícia Federal na tarde de ontem – um dia após o fim do movimento – quando descansava em um resort do complexo hoteleiro Costa do Sauipe, no Litoral Norte. De Sauipe, Prisco foi levado até o aeroporto e seguiu para Brasília em avião da FAB. Ele chegou por volta das 21h ao Complexo Penitenciário da Papuda, na capital federal — presídio de segurança máxima onde irá cumprir o mandado de prisão preventiva por 90 dias.

 

A decisão judicial que culminou na prisão do vereador foi expedida pelo juiz federal da 17ª Vara Especializada Criminal Antonio Oswaldo Scarpa, na terça-feira (dia em que a greve começou), em resposta a um pedido de prisão preventiva do Ministério Público Federal (MPF) do dia anterior. Por segurança,o MPF não quis identificar o procurador à frente do caso, mas, por intermediação da assessoria, esclareceu que a decisão de pedir a prisão de Prisco teve o fim de “garantir a ordem pública”, pois o vereador estava na iminência de liderar uma nova greve e já respondia um processo por oito crimes (ver lista na página ao lado) relacionados à greve de 2012, quando  chegou a ficar preso por 40 dias. Alguns desses crimes estão previstos na Lei de Segurança Nacional. “Mesmo sendo réu, ele iniciou um novo movimento, que resultou na greve, em que ele poderia voltar a praticar os mesmos crimes aos quais ele já respondia”, informou o MPF.  Apesar de o mandado ter sido expedido na terça-feira, a prisão só foi realizada  ontem — um dia após o fim da greve. Segundo a Polícia Federal, responsável por cumprir a ordem judicial, a demora foi “o tempo mínimo necessário para operacionalizar a prisão e transferência dele”, disse o delegado Tiago Sena, responsável pela comunicação da Superintendência Regional da PF na Bahia. Segundo ele, a ordem judicial cobrava uma transferência imediata de Prisco para um presídio federal. “Era preciso ver  vaga, avião, tudo organizado”, disso. O advogado que defende o vereador, Fábio Brito, disse ter ingressado com um pedido de habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), na noite de ontem. “(A prisão) foi ilegal, porque o juiz concedeu a ordem devido à iminência da greve, para preservar a ordem pública, para evitar a greve. Perdeu o objeto, já que a greve acabou”. Segundo ele, o pedido de prisão preventiva elaborado pelo MPF cita o Relatório de Inteligência 9800/2014, da Secretaria da Segurança Pública do Estado (SSP-BA). A procuradoria alega no pedido que o relatório “dá conta de que a situação (de greve) pode se repetir, sob a liderança do requerido (Prisco)”. “O Estado disse que não ia perseguir ninguém, mas participou diretamente no pedido de prisão de um vereador eleito com mais de 15 mil votos”, reclamou Brito. Para os procuradores do MPF, o fim da greve não tira a eficácia da decisão judicial. A greve encerrada na quinta, para o MPF, é o exemplo de que Prisco voltou, e pode voltar, a reincidir em crimes pelos quais já responde.  Ainda segundo o MPF, como o vereador é acusado de “crime político grave”, qualquer recurso contra sua prisão só poderá ser ajuizado no Supremo Tribunal Federal (STF). 

CONTINUE LENDO

Lotomania pode pagar prêmio de R$ 40 milhões neste sábado (19)

  • Da Redação
  • 19 Abr 2014
  • 08:21h

Foto: Reprodução

A Caixa Econômica Federal sorteia, neste sábado (19), o concurso 1.444 da Lotomania, especial de Páscoa, que está acumulado em R$ 40 milhões. O sorteio será realizado às 20h25 (horário de Brasília), em Gramado, no Rio Grande do Sul. Na Lotomania, o jogador pode escolher entre 50 números para tentar acertar os 20 números que serão sorteados. O preço da aposta é único e custa apenas R$ 1,50. O sorteio será feito neste sábado (19), às 20h (horário de Brasília). Se apenas um apostador ganhar e o prêmio for depositado na poupança, o rendimento seria de aproximadamente R$ 210 mil no primeiro mês. O valor do prêmio também é suficiente para comprar 50 imóveis de R$ 800 mil cada. Ainda no sábado, a Caixa também fará o sorteio do concurso 1.592 da Mega-Sena, que está acumulado em R$ 2 milhões. O sorteio será realizado às 20h25 (horário de Brasília). A aposta mínima é de R$ 2 e pode ser feita até as 19h em qualquer uma das mais de 12 mil lotéricas do Brasil.

O estupro na mídia

  • Por Lilia Diniz / OI
  • 19 Abr 2014
  • 07:05h

Um em cada quatro brasileiros acredita que se uma mulher usa roupas provocantes merece ser atacada. O dado é muito abaixo dos 65% divulgados inicialmente pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) na pesquisa “Tolerância Social à Violência contra Mulheres”, mas ainda é alarmante: 58,5% dos entrevistados pelo Ipea afirmam que se as mulheres soubessem como se comportar haveria menos estupros. O estudo ganhou destaque na mídia e levou a um intenso debate sobre a violência sexual contra mulheres no Brasil. Somente em 2009 o estupro deixou de ser crime contra os costumes e passou a ser tipificado como crime contra a dignidade e a liberdade sexual. Em 2012, mais de 500 mil casos de estupro foram notificados no Brasil. O Ipea estima que apenas 10% dos casos sejam reportado à polícia. Mais da metade das vítimas que procuram atendimento médico têm menos de 13 anos. O impacto físico e emocional do abuso sexual costuma ser duradouro e inclui estresse pós-traumático e transtornos de comportamento. O Observatório da Imprensa exibido ao vivo pela TV Brasil na terça-feira (15/4) discutiu o comportamento da mídia diante dos alarmantes índices de ataques contra mulheres. Alberto Dines recebeu no estúdio de São Paulo a socióloga e pesquisadora Fátima Pacheco Jordão. Especializada em pesquisa de opinião, é diretora da Fato, Pesquisa e Jornalismo e integrante do Conselho Nacional de Autorregulação Publicitária (Conar), do Instituto Patrícia Galvão e do Instituto Vladimir Herzog. O jornalista Leonardo Sakamoto também participou no estúdio de São Paulo. Voltado para a área de Direitos Humanos, é professor de Jornalismo na PUC-SP e diretor da ONG Repórter Brasil. No Rio de Janeiro o programa contou com a presença da jornalista Flávia Oliveira, de O Globo. Repórter de Economia, assina a coluna Negócios&Cia, uma coluna na editoria Sociedade e tem um blog.

Em editorial, antes do debate no estúdio, Dines sublinhou que os erros podem levar a lições que não seriam aprendidas de outra forma. “A extraordinária repercussão tanto da pesquisa como da errata, graças à adesão das redes sociais, está oferecendo à sociedade brasileira um debate com inédita dimensão. Esta inesperada conscientização tornará mais efetivas as políticas públicas e a legislação em vigor em defesa da mulher. Os 26% de brasileiros que justificavam os estupros como resposta à provocação causada pelo uso de roupas sensuais, se ouvidos novamente, poderão ter mudado de opinião. Perceberam que nenhuma violência pode ser justificada, a não ser em sociedades que fizeram opção pela tirania e pela brutalidade”, disse Dines. Para ele, é importante que o debate não se limite à questão do vestuário feminino.

O programa entrevistou o presidente do Ipea, Marcelo Neri, que expicou o erro: “Nós tivemos um pequeno grande erro, pequeno porque foi uma troca dados, tabelas, foi uma coisa que aconteceu, não deveria acontecer, estamos revisando os nossos procedimentos de checagem. Uma em cada quatro pessoas ter uma visão individual tolerante em relação ao ataque interpretado como estupro é algo muito grande, de qualquer maneira”. Neri acredita que é importante ter um olhar sobre a clientela das políticas públicas e tentar entender a cabeça das mulheres e homens envolvidos nessas situações. É necessário causar a mudança, de valores e de tolerância.

Para Junia de Vilhena, do Instituto de Psicologia da PUC-Rio, é preciso discutir o assunto sem tabus. “Tem que discutir, sim, tem que debater, sim. Acho que é um avanço monstruoso você falar isso, sem banalizar, mas colocar na pauta, colocar para as mulheres: ‘Olha, você não é culpada, você é vítima’.” Ela explicou que o estupro não está ligado somente ao sexo, é o crime do patriarcado. “Tem a ver com poder. ‘O seu corpo me pertence. Você não é nada, você é um objeto e eu vou usufruir dele da melhor maneira que eu quiser’. É uma sociedade que objetifica muito a mulher. Para vender qualquer coisa, você está lá colocando uma mulher. É o país da bunda. Você tem medidas que pode tomar. Agora, precisa ser uma decisão política. É importante as mulheres serem donas de seus corpos? É importante elas não serem mais submetidas a essas situações degradantes? Se for, vamos trabalhar em cima disso”, propôs a psicóloga.

O coro das redes sociais

A jornalista Nana Queirós, idealizadora da campanha “Eu não mereço ser estuprada” nas redes sociais, explicou que decidiu fazer o protesto virtual porque não é seguro para as mulheres se manifestarem nas ruas. “Eu achei também que seria mais fácil encorajar as mulheres a mostrarem que o seu corpo é um objeto político e não um objeto social nas redes sociais. Eu acho que a coisa mais importante que a gente conseguiu com essa campanha foi quebrar um tabu. Pela primeira vez, nós temos mulheres falando sobre abuso sexual, sobre sexo, sobre como elas enxergam o próprio corpo”. Nana acredita que o brasileiro ainda culpa a vítima pelo estupro: “Isso é um absurdo. O único culpado pelo estupro é o psicopata que se excita pelo medo alheio. A questão no Brasil é falta de educação. Os meninos de 15 anos estavam achando que estuprar era um tema engraçado para fazer piada. E a gente quer mostrar que não: estupro não tem graça, ninguém está rindo”.

Observatório exibiu o depoimento da jornalista Clarissa Thomé, que teve a mãe morta, no Rio de Janeiro. “Eu sou filha da jornalista Silvia Thomé, a minha mãe foi assassinada praia de Piratininga e ela foi atacada por um maníaco sexual a 600 metros da nossa casa. E a minha mãe não merecia ser estuprada”, relembrou Clarissa. Para ela, a roupa não pode servir de desculpa para que mulheres sejam abordadas: “A pessoa quando sai, sai como ela quiser. Ela pode andar de saia curta, ela pode andar de sutiã, ela pode andar sem sutiã, ela pode andar de biquíni e as pessoas não podem ser atacadas pela forma como elas se vestem. Senão, o que sobra para a gente? Sobra uma sociedade bárbara”.

Inicialmente, Clarissa não iria tornar a sua história pública, mas acabou mudando de ideia quando tomou conhecimento da campanha na internet. “Eu não pensei em me manifestar porque é uma história muito íntima, que me marca muito. Mas quando eu vi o depoimento daquela professora de Brasília, Daiara Figueroa, e no cartaz estava lá ‘Eu não mereci ser estuprada’, eu fiquei muito emocionada como ela se expôs. Isso era uma história que ninguém conhecia e ela se expôs daquela maneira. Eu quis ser solidária, ‘não é só você, você não está sozinha, nós somos muitas’.”

Para ela, a mídia não pode silenciar diante do tema. “Eu acho que a imprensa tem que falar, sim, sobre esse crime sexual. Muitas vezes a gente vê uma matéria dessa e fala ‘que mundo cão!’. Mas é importante falar que isso existe, é importante falar que essa é a nossa realidade. O lado bom dessa pesquisa é que todo mundo pôde falar: ‘Nós não querermos mais essa sociedade, nós estamos dando um basta nisso’. É claro que continuam encoxando as moças no metrô, mas também está claro que a gente não suporta mais. Foi uma voz só, todo mundo se uniu numa voz só para dizer que a gente não quer mais essa sociedade”, disse Clarissa.

De olhos fechados para a realidade

No debate ao vivo, Dines comentou que profissionais da Comunicação contribuem para piorar a situação ao usar a imagem das mulheres para alavancar vendas de produtos como carros e cervejas. Para Fátima Pacheco Jordão, o tema é relegado à invisibilidade e ganha notoriedade apenas em situações pontuais, como ocorreu a partir do erro do Ipea. “Na verdade, o jornalismo, com algumas exceções de colunistas e observadores, não oferece à sociedade uma visão absolutamente verdadeira, correta. Prevalecem, de longe, as representações enviesadas, masculinas, patriarcais, que tornam a mulher, de fato, não só o objeto, mas também a vítima.” Para ela, o erro do Ipea serviu para a sociedade perceber que a situação precisa ser alterada.

Há um ano, o Instituto Patrícia Galvão e a Secretaria de Políticas para as Mulheres realizaram uma pesquisa que revelou que 80% dos brasileiros admitem que a mulher que apanha seguidamente corre alto risco de ser assassinada. “Nós já estamos até começando a ter uma certa complacência com relação a um crime muito mais complicado do que uma série de violências”, criticou a socióloga. Ela acredita que há décadas as políticas para as mulheres são negligenciadas enquanto as delegacias especializadas preparam melhor a sociedade para lidar com a violência sexual contra mulheres.

A sociedade brasileira está repleta de exemplos de tolerância à violência contra mulheres, de acordo com a jornalista Flavia Oliveira. “Só não vê quem não quer. Tem na música, tem na propaganda. Tem em cada esquina, como o assédio que se sofrem, muitas vezes, de homens fardados. O que eles chamam de cantada, de galanteio, se não for bem recebido pela mulher é replicado como uma ofensa de conotação gravíssima. Meninas e mulheres convivem com isso historicamente, é secular essa tolerância à violência contra a mulher”, analisou a entrevistada. Ela ressaltou que parte das mulheres acaba contribuindo para perpetrar este comportamento ao criar seus filhos homens sob o filtro do preconceito.

Dines questionou se as jornalistas não deveriam reagir de forma mais veemente, uma vez que estão em maior número do que os homens nas redações. Flávia Oliveira afirmou que a pauta foi contagiada pelo movimento das redes sociais. “Todo debate é bem-vindo, mesmo que ele não seja exatamente uma grande contribuição à causa, mas à medida que alguém se manifesta publicamente sobre uma determinada mazela social, a reação que esse pensamento equivocado vai causar vai ser muito positiva para o debate”, avaliou a jornalista. Ele disse que nas redações há debates ferrenhos entre homens e mulheres, sobretudo a respeito de cantadas e galanteios, usados para justificar comportamentos agressivos em relação às mulheres.

Machismo disseminado

Leonardo Sakamoto ressaltou que os homens são criados para serem inimigos das mulheres por instituições como igrejas, escolas, famílias, governos e a mídia. “Entre a pesquisa do Ipea e a correção – e eu acho que isso talvez tenha sido um dos maiores desgostos que eu tive –, uma série de jornalistas de grandes veículos de São Paulo, Rio, Brasília, fizeram um esforço, um malabarismo mental tamanho para tentar deslegitimar a pesquisa do Ipea em qualquer circunstância”, criticou Sakamoto. Diante do erro do Ipea, jornalistas homens assumiram o papel de reprodução do machismo e do patriarcado.

Professor universitário, Sakamoto contou que frequentemente alunas são submetidas à violência sexual nos campi. E os rapazes acreditam que este comportamento é biologicamente justificável nos homens. “Se ele como estudante faz isso, ele vai ser daquele mesmo grupo de jornalistas que acabaram atacando a pesquisa e dizendo que a pesquisa é uma grande besteira”, lamentou Sakamoto. Para ele, a geração fruto da Constituição de 1988 não foi educada para entender os direitos fundamentais. Apesar de ter acesso à informação, o caldo de cultura onde foram criados impede que evoluam.

 

A imagem tóxica

Alberto Dines # editorial do Observatório da Imprensa na TV nº 720, exibido em 15/4/2014

Todos os caminhos levam à verdade. Inclusive os equívocos. Assumidos e corrigidos a tempo, erros podem ser providenciais, sobretudo para nos oferecer lições que de outra forma não aprenderíamos.

Este é o caso do lamentável tropeço dado pelo prestigioso Ipea, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, na divulgação de uma importante sondagem de opinião sobre o estupro e a violência contra a mulher.

A extraordinária repercussão tanto da pesquisa como da errata, graças à adesão das redes sociais, está oferecendo à sociedade brasileira um debate com inédita dimensão. Esta inesperada conscientização tornará mais efetivas as políticas públicas e a legislação em vigor em defesa da mulher.

Os 26% de brasileiros que justificavam os estupros como resposta à provocação causada pelo uso de roupas sensuais, se ouvidos novamente, poderão ter mudado de opinião. Perceberam que nenhuma violência pode ser justificada, a não ser em sociedades que fizeram opção pela tirania e pela brutalidade.

O importante é que o debate não se limite à questão do vestuário feminino. A mulher como objeto e a fabricação de um pseudoerotismo no qual engajam-se os meios de comunicação e publicitários, há pelo menos uma geração, estão criando valores e distorções existenciais que vão na contramão do que se entende como civilização. A mulher sensual está hoje em anúncios de apartamentos, automóveis, viagens, comida, bebida e até em diplomas universitários.

Nesta midiatização do sexo e coisificação da mulher pode estar a incubadora da furiosa onipotência que intoxica o comportamento masculino.

 

A mídia na semana

>> É um dos segredos mais bem guardados do mundo mIdiático, mas tudo indica que o governo sabe-tudo dos Estados Unidos tinha conhecimento que Glenn Greenwald e a sua colega Laura Poitras chegariam aos Estados Unidos no último fim de semana para receber o mais cobiçado prÊmio do jornalismo internacional. É a primeira vez que entram nos Estados Unidos desde junho do ano passado, quando os dois começaram a divulgar informações vazadas pelo ex-agente Edward Snowden sobre a espionagem americana. Os jornalistas estavam preparados para constrangimentos, por isso vieram acompanhados por um advogado e um jornalista. Entraram sem qualquer problema porque o governo americano ficaria ainda mais encalacrado do que está se Glenn Greenwald fosse preso na véspera de ser agraciado com o Pulitzer. Não sendo jornalista, Snowden, que está asilado em Moscou, não receberia o tratamento VIP caso volte aos Estados Unidos: seria imediatamente preso e julgado por traição.

>> A última profissão romântica está se transformando na mais perigosa: no Afeganistão, uma fotógrafa alemã de 48 anos, premiada com o Pulitzer, foi morta com um tiro quando se preparava para cobrir as eleições. No mesmo dia, em Caracas, a jornalista Nairobi Pinto, de 29 anos, da Globovisión, foi sequestrada por encapuzados na porta de casa e não há notícias sobre seu paradeiro [ela foi libertada na segunda-feira, 14/4]. E para lembrar a fama do Brasil em matéria de violência contra a imprensa, no protesto contra a reintegração de posse do prédio da Oi, no Rio, um repórter do Globo foi detido e humilhado pela PM sob a acusação de incitar a violência.

>> A regulamentação da mídia voltou à ordem do dia com dois pronunciamentos quase simultâneos na última semana. A tensão eleitoral não recomendaria levar para o palanque tema tão explosivo, mas aconteceu. Em entrevista concedida a blogueiros, o ex-presidente Lula pediu que não se perca tempo e se retome imediatamente o plano para regular a mídia e acabar com a deformação de informações. já o presidente do STF, Joaquim Barbosa, está preocupado com a falta de pluralismo e fez uma afirmação que deixará muita gente intrigada: a liberdade de expressão não é um valor absoluto.

CONTINUE LENDO

Guajerú: Jiboia de mais de 2 metros é encontrada morta no meio rural

  • Informações do Iguajeru
  • 18 Abr 2014
  • 22:01h

Foto: Nem Rocha (Reprodução Facebook)

Uma cobra da espécie jiboia foi encontrada morta nesta sexta-feira (18) em uma das vias que liga o município de Guajeru a comunidade da Bananeira. O animal, tinha aproximadamente 2,20m, e aparentemente foi morta por moradores da comunidade. A jiboia, no tamanho adulto, pode chegar até a 4 metros de comprimento. Ela naturalmente vive na copa das árvores das florestas da América do Sul e da América Central. No Brasil, pode encontrar-se em diversos locais, como na Mata Atlântica, mangues, no Cerrado, na Caatinga e na Floresta Amazônica – sobretudo nas regiões Norte e Nordeste. É um animal basicamente de hábitos noturnos, muito dócil e não é venenosa. Alimenta-se de pequenos mamíferos (principalmente ratos), aves e lagartos que matam por constrição, envolvendo o corpo da presa e sufocando-a. Uma Jibóia nascida em cativeiro credenciado pelo Ibama pode custar de 1050 a 6000 reais.

PMBA emite nota para desmentir prisão de presidente da Força Invicta

  • Informações do Bahia Todo Dia
  • 18 Abr 2014
  • 21:50h

Foto: Reprodução

Após boatos lançados nas redes sociais, o Comando da Polícia Militar da Bahia enviou uma nota à imprensa para desmentir a suposta prisão do tenente coronel Edmilson Tavares, que integra os quadro da instituição e é o presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia - Força Invicta.

Novo líder do movimento, Capitão Tadeu decreta greve dos PMs

  • A TARDE
  • 18 Abr 2014
  • 17:53h

Em nota enviada a tropa pelas redes sociais, nesta sexta-feira, 18, o deputado Capitão Tadeu Fernandes orienta que todos suspendam as atividades imediatamente, até que o governo providencie a soltura de Prisco. Segundo Capitão Tadeu, o governo traiu a boa vontade dos policiais militares ao mandar prender Prisco um dia após o acordo que pós fim à greve. O parlamentar afirmou que saiu da condição de moderador para assumir a função de liderança do movimento. A assessoria da Secretaria de Segurança Pública da Bahia informou que não se pronunciará sobre o caso por ter sido uma descição da Justiça Federal.

Valec cumpre exigências e TCU autoriza obras dos lotes 6 e 7 da Ferrovia Oeste Leste

  • Da Redação
  • 18 Abr 2014
  • 17:09h

Obras da ferrovia em Jequié (BA) - Foto: Alberto Coutinho

O Tribunal de Contas da União (TCU) liberou na quarta-feira (16) os lotes 6 e 7 da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol). Com o anúncio, o trecho, que já possuía a Licença de Instalação concedida pelo Ibama, pode ter as obras iniciadas. O secretário estadual da Casa Civil em exercício, Carlos Mello, comemorou a notícia. “Mais dois lotes liberados para o início das obras é um grande passo para a concretização deste projeto, que é muito importante para a Bahia e o Brasil”. O secretário afirma que “a Fiol vai trazer inúmeros benefícios para nosso estado, como a atração de empresas e indústrias, resultando na geração de emprego e renda. Ela vem para desenvolver ainda mais a Bahia, impulsionando e fortalecendo a nossa economia”.

 

Os 159 quilômetros do Lote 6 passam pelos municípios de Serra do Ramalho, Santa Maria da Vitória, São Félix do Coribe, Jaborandi e Correntina. O valor aprovado em licitação para a execução da obra é de R$ 575,1 milhões. O Lote 7, com extensão de 161 quilômetros, também atravessa a cidade de Correntina, avançando por Barreiras e São Desidério. São 161 quilômetros e investimento da ordem de R$ 535,7 milhões. Relatório - A Valec efetuou as correções propostas pelo TCU, como consta em relatório do tribunal: ‘A Valec reconhece a existência de falhas, mormente no que diz respeito à elaboração de projetos executivos e à gestão e fiscalização das respectivas obras e serviços. Diante disso, a empresa vem adotando medidas saneadoras no intuito de adequar os procedimentos, contratos, normas, especificações e metodologias utilizadas”. De uma ponta a outra, a ferrovia vai desde a cidade de Figueirópolis, no estado de Tocantins, à cidade baiana de Ilhéus. Na Bahia, a Fiol estende-se por 1.100 quilômetros. Quando estiver integrada ao Porto Sul permitirá o escoamento da produção baiana, principalmente de grãos e minérios. O investimento previsto para as obras no estado soma R$ 6 bilhões e mais de 6,3 mil empregos diretos.

CONTINUE LENDO

Polícia Federal prende líder da greve da PM, Marco Prisco

  • A TARDE
  • 18 Abr 2014
  • 16:32h

Lucio Tavora/ AG. A Tarde

O líder do movimento grevista da Polícia Militar (PM), Marco Prisco, foi preso da tarde desta sexta-feira, 18, a pedido do Ministério Público Federal na Bahia (MPF-BA). Prisco estava em um resort, na Linha Verde, quando foi detido pela Polícia Federal (PF). O pedido foi feito na segunda-feira, 14, dentro da ação penal movida pelo MPF em abril de 2013, que denunciou sete vereadores, soldados e cabos da PM por diversos crimes, a maioria deles contra a segurança nacional, praticados durante a greve realizada entre os dias 31 de janeiro e 10 de fevereiro de 2012. A intenção do pedido de prisão preventiva é garantir a ordem pública. Segundo informações do MPF, Marco Prisco é processado por crime político grave, e qualquer recurso contra sua prisão só pode ser ajuizado no Supremo Tribunal Federal (STF). A prisão será cumprida inicialmente em presídio federal localizado fora do estado da Bahia. A prisão gerou uma repercussão para os policiais militares que, por meio de um grupo fechado no Whatsapp, afirmaram que se a decisão não for revogada, a categoria fará nova greve. "Estamos tentando saber ao menos pra onde ele vai ser encaminhado. isso é um sequestro orquestrado pela justiça. Estão levando ele para um avião e ninguém pode acompanhá-lo, estamos seguindo em outro veículo", escreveu um dos policiais no grupo. 

Livramento: Três veículos incendiados em plena madrugada de Sexta-feira Santa

  • Daniel Simurro / Brumado Urgente
  • 18 Abr 2014
  • 11:51h

Os veículos foram incendiados em frente ao comando da PM (Foto: Carlos Silva)

A Sexta-Feira Santa no município de Livramento de Nossa Senhora começou em clima de apreensão e mistério já que 3 veículos foram incendiados durante a madrugada. Segundo informações do radialista Carlos Silva, que está na cidade participando do aniversário do MotoClube da cidade, os carros foram incendiados por volta das 2 horas da manhã, numa ação, segundo ele, de origem criminosa. Os veículos, que estavam sendo guardados na frente  do Comando da PM, tinham sido apreendidos nas várias blitzes que vêm sendo realizadas na cidade, os quais estavam irregulares e poderiam ir para leilão, caso os respectivos proprietários não buscassem a regularização de seus automóveis. O fato chamou a atenção, já que aconteceu em frente ao comando militar. A Polícia já iniciou as investigações e a possibilidade de ter sido um incêndio criminoso é a mais provável. 

Comunicado: Sepultamento de Thierre Amaral

  • Brumado Urgente
  • 18 Abr 2014
  • 08:59h

(Foto: Divulgação)

A Família do jovem Thierre Amaral que foi vítima de um acidente fatal na tarde desta quinta-feira, na Av. João Paulo I em Brumado comunica que o sepultamento ocorrerá às 11h00m da manhã desta sexta-feira (18) no Cemitério Senhor do Bonfim, no centro da cidade. 

Corpo de Gabriel García Márquez será cremado no México, diz família

  • 18 Abr 2014
  • 08:45h

Gabriel García Márquez (Foto: Divulgação)

O corpo do escritor colombiano Gabriel García Márquez, que morreu nesta quinta-feira, será cremado “em particular” e na segunda-feira acontece uma homenagem no Palácio de Belas Artes da capital mexicana. Assim disse a diretora do Instituto Nacional de Belas Artes (Inba), María Cristina García Cepeda, em comunicado que leu em nome da família em frente à casa do Nobel de literatura, no sul da capital mexicana. “O Conselho Nacional para a Cultura e as Artes (Conaculta), a pedido da família de Gabriel García Márquez, informa que o corpo do escritor será cremado em particular. Na segunda-feira a partir das 16 horas será realizada uma homenagem no Palácio de Belas Artes, onde o público poderá homenagear seu legado”, finalizou María Cristina. A diretora do Inba foi acompanhada de Jaime Abello, diretor-geral da Fundação Gabriel García Márquez, que afirmou que esta é a única informação que vai ser divulgada sobre a morte do escritor colombiano. O autor de “Cem Anos de Solidão” morreu nesta quinta às 14h (horário local,16h em Brasília) em sua residência da capital mexicana, após estar doente desde as últimas semanas.

Feriadão tem calor e poucas chuvas

  • Da Redação
  • 18 Abr 2014
  • 08:42h

(Foto: Reprodução)

Para este final de semana prolongado devido aos feriados da Semana Santa e do Dia de Tiradentes (dia 21 de abril), o tempo na Bahia será de temperaturas elevadas e poucas chuvas na maior parte da Bahia. Esta condição de tempo se deve à massa de ar quente e seco que continua atuando sobre grande parte da Bahia, contribuindo para reduzir a nebulosidade e as chuvas, principalmente nas regiões Oeste, Norte, São Francisco, Chapada Diamantina e Sudoeste. Além disso, essa massa de ar também mantém as temperaturas elevadas nessas áreas, com máximas variando entre 31°C e 35°C, o que poderá provocar chuvas fracas em áreas isoladas do Oeste baiano. Nas regiões do Recôncavo, Nordeste e Sul, as condições do tempo serão influenciadas predominantemente pela umidade vinda do Oceano Atlântico que, somada a temperaturas, também elevadas (máximas de até 34°C), favorecerá o aumento da nebulosidade, deixando o céu nublado a parcialmente nublado com chuvas fracas. Mesmo com essa previsão de tempo quente em praticamente toda a Bahia, em algumas localidades são esperadas temperaturas mais amenas, a exemplo das áreas serranas das regiões da Chapada Diamantina e Sudoeste, onde as mínimas poderão chegar aos 17ºC.