BUSCA PELA CATEGORIA "Tecnologia"

Versão beta do WhatsApp volta ao status antigo

  • 03 Mar 2017
  • 11:05h

Com o lançamento do novo Status do WhatsApp, propriedade que permite o compartilhamento de vídeos e fotos que somem em 24 horas, inspirado no Snapchat e no Instagram, o aplicativo perdeu a opção de colocar a frase de status.  A novidade, lançada há uma semana, não gerou contentamento para todos os usuários da rede social, que acabou rendendo a criação da hashtag #KdMeuStatusDoWhats. No entanto, o recurso antigo ainda pode ser utilizado em uma versão beta para iOS número 2.17.8.14. A informação é do perfil do Twitter @WABetaInfo, que divulga novidades das futuras versões do aplicativo, segundo o site "Uol". De acordo com [email protected], a propriedade antiga fica escondida e aparece como "tagline" ou "slogan". Para Android, a versão beta de número 2.17.85 também possibilita o recurso com o nome "about", que também aparece como "info" na versão anterior a esta. As informações divulgadas são extraoficiais e não apontam se, de fato, o WhatsApp vai retornar com o antigo Status, trazendo ambas as opções para os usuários.  De acordo com o "Uol", o usuário pode passar a usar a versão beta, indo até a página do aplicativo no Google Play (opção para Androids) e clicando em "tornar-se testador". O que também não é confirmado.

Facebook ganha recurso para denunciar suicídios e bullying em transmissões ao vivo

  • TechTudo
  • 02 Mar 2017
  • 14:36h

Após casos de transmissões ao vivo de mortes e suicídio, o Facebook anunciou nesta quarta-feira (1) uma nova iniciativa de prevenção. A partir de agora, a ferramenta de vídeos ao vivo (Facebook Live) conta com um mecanismo de denúncias de transmissões em tempo real com conteúdo suicida ou de automutilação – o site já contava com recursos para esse tipo de caso em posts, mas só agora estendeu a função para os vídeos ao vivo. A ferramenta já está funcionando no Facebook para usuários brasileiros, tanto na versão web quanto nos celulares. O objetivo é combater a alta taxa de suicídios no mundo ao colocar a pessoa que enfrenta um momento difícil em contato com outras pessoas que se preocupam com seu bem-estar. 

Segundo a rede social, tentativas suicidas acontecem com um indivíduo a cada 40 segundos e abrangem, principalmente, a faixa etária de jovens entre 15 e 29 anos — um público bastante presente no Facebook.Sendo assim, qualquer usuário da rede social pode ajudar ao reportar vídeos suspeitos, mesmo que não conheça o autor das imagens. No menu de uma Live do Facebook, basta denunciar a transmissão e selecionar a opção “Suicídio ou Automutilação”. O vídeo em questão é automaticamente enviado para uma central de ajuda do Facebook, onde a equipe se encarrega de prestar apoio à vítima. Ao mesmo tempo, é possível ajudar diretamente um amigo ou conhecido usando um guia online com um fluxo de perguntas e respostas criado em conjunto com o Centro de Valorização da Vida (CVV) – ONG com presença em todo o Brasil — para iniciar uma conversa segura. Na missão de prevenção ao suicídio, a rede social conta com o apoio de entidades como Save.org, National Suicide Prevention Lifeline, Forefront e Crisis Text Line para o suporte de pessoas que já pensaram ou tentaram se suicidar.

CONTINUE LENDO

Twitter vai usar algoritmo para reprimir conteúdo violento, assédio e notícias falsas

  • 01 Mar 2017
  • 20:13h

O Twitter anunciou nesta quarta-feira (1º) um esforço mais amplo para usar algoritmos na identificação de contas potencialmente envolvidas em comportamento abusivo, uma mudança na sua prática de confiar nos usuários para relatar perfis que devem ser revistos por possíveis violação de regras. O Twitter, o Facebook e outras empresas de internet enfrentam crescentes queixas nos últimos anos sobre como monitoram e controlam seu conteúdo, enquanto usuários e governos intensificaram a pressão no Vale do Silício para evitar propaganda extremista violenta, limitar o assédio e o bullying e extinguir notícias falsas. 

O Twitter e seus rivais têm confiado durante muito tempo em relatórios de potencial abuso enviados por usuários, às vezes para o desgosto de grupos que os acusavam de fazer muito pouco para impedir discurso de ódio ou assédio. O Twitter, que já usa tecnologia para tentar limitar algumas comunicações, ainda revisará os relatórios dos usuários sobre possíveis abusos. O Twitter também disse que vai limitar por um período de tempo não especificado a funcionalidade de contas consideradas abusivas pelo seu algoritmo, uma restrição que poderia permitir, por exemplo, que apenas os seguidores vejam os tweets desse usuário. Atualmente, as contas são excluídas ou suspensas quando marcadas como abusivas. "Pretendemos agir apenas em contas nas quais estamos confiantes, com base em nossos algoritmos, de que o comportamento é abusivo", disse o vice-presidente de engenharia, Ed Ho, em um post no blog. "Como essas ferramentas são novas, às vezes cometeremos erros, mas sabemos que estamos trabalhando ativamente para melhorar todos os dias".

CONTINUE LENDO

Status do WhatsApp com fotos que desaparecem chega para todos no Brasil

  • 23 Fev 2017
  • 09:26h

O novo recurso do WhatsApp, que permite usar uma foto que desaparece em 24h no status, chegou aos usuários do Brasil nesta quarta-feira (22) - a expectativa é que até o fim do dia todos que têm o app atualizado. A novidade, anunciada essa semana, é similar a recursos do Snapchat e Instagram Stories, permitindo compartilhar imagens, gifs, textos e vídeos que desaparecem em um dia. O serviço estava em fase de testes em vários países. A novidade está disponível para aparelhos Android e iOS, além do Windows Phone. Os status que são publicados com fotos aparecem "por alguns segundos" - não se sabe precisamente quantos. Se houve legenda ou qualquer texto, o tempo é maior. Vídeos podem ter até 45 segundos. Segundo comunicado da empresa, será possível configurar a privacidade para o uso do recurso - você poderá compartilhar suas atualizações com alguns contatos. É possível responder às atualizações de status de amigos. Ao clicar em responder, você enviar uma mensagem em uma conversa privada para a pessoa.  A empresa informou ainda que é possível tirar print da tela de status - por enquanto, o dono da postagem não será notificado do screenshot.

Instagram libera galerias com até 10 fotos ou vídeos em uma mesma postagem

  • 22 Fev 2017
  • 20:09h

Instagram começou  a liberar a partir desta quarta-feira (22) a publicação de combinações de até 10 fotos ou vídeos por postagem. Até então, era possível colocar no ar apenas um dos tipos de conteúdo de cada vez. A novidade, que vale para todos os países, começa a chegar aos usuários ao poucos. Deve chegar ao Brasil nas próximas semanas. Nos perfis, as publicações com múltiplas imagens serão indicadas com um ícone no canto superior que simula fotografias sobrepostas. A sinalização já ocorre com vídeos, que possuem o símbolo de uma câmera. Quando um desses álbuns aparecer no feed de notícias, o usuário só terá de deslizar o dedo para os lados caso queira ver todas as fotos e vídeos. Veja o passo a passo:

• Toque no botão para carregar fotos;
• Selecione o novo ícone para subir vários vídeos e fotos;
• Antes de publicar, é possível colocar filtros de uma vez só nos vídeos e fotos ou editá-los um a um;
• Para trocar a ordem das imagens, basta tocar sobre foto ou vídeo escolhido, segurar e levar para a posição escolhida;
• Legendas e indicação de localização valem para todo o post; o mesmo vale para curtidas e comentários;
• Já a marcação de amigos pode ser feita a cada foto ou vídeo.

WhatsApp anuncia recurso para compartilhar fotos, vídeos e GIFs que somem em 24 horas

  • 21 Fev 2017
  • 07:04h

(Foto: Reprodução)

O WhatsApp anunciou nesta segunda-feira (20) que as imagens que somem em 24 horas chegaram ao serviço de mensagens rápidas. Com isso, o Facebook faz do bate-papo um novo concorrente do Snapchat, depois de já ter colocado o Instagram em rota de colisão com o app do fantasminha. Os usuários poderão compartilhar com os amigos fotos, vídeos e GIFs que se autodestroem. Esses conteúdos não serão enviados nas mensagens. Serão reunidos na aba Status, que ficará no lugar dos Contatos. Bastará tocar na foto de algum amigo para que elas sejam mostradas. Um ícone de câmera também foi incluído na entrada do app para que os usuários possam produzir imagens de forma mais rápida para publicar como Status ou serem enviadas diretamente a algum contato. Fora isso, antes de serem publicadas, as imagens poderão ser editadas. Emojis, textos e palavras manuscritas poderão ser incluídas. A atualização chega a usuários da Holanda e França, e ainda nesta semana, para os de Reino Unido, Espanha, Itália, Israel e Arábia Saudita. Os usuários de demais países, incluindo os brasileiros, receberão o recurso em breve.

Bloqueio do WhatsApp é vedado pelo Marco Civil da Internet, afirma empresa

  • 20 Fev 2017
  • 13:16h

(Foto: Reprodução)

A defesa do aplicativo de mensagens WhatsApp argumentou para o Supremo Tribunal Federal (STF) que o bloqueio do programa pela Justiça é inconstitucional, fere o direito à livre expressão e livre iniciativa e é vedado pelo Marco Civil da Internet. A Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF 403), proposta em 2016, discute a possibilidade de juízes determinarem o bloqueio do WhatsApp. O aplicativo apresentou defesa diante à audiência pública do STF. O WhatsApp já foi bloqueado em quatro situações no Brasil. Em relação ao Marco Civil da Internet, o aplicativo defende que ele não pode ser utilizado para um pedido de bloqueio. “Não há nada no Marco Civil da Internet que permita a suspensão do acesso dos usuários a um aplicativo, como ocorreu nas ordens de bloqueio até agora”, afirma o documento. O aplicativo também argumenta que o bloqueio fere à libre iniciativa, à livre concorrência e à igualdade, além de afirmar que as ordens de bloqueio são ineficazes. “Elas não servirão ao objetivo de auxiliar nas investigações policiais porque os criminosos simplesmente migrarão para outras plataformas de mensagens criptografadas”, afirma a defesa.

Próximo Whatsapp terá recurso de postagens que se auto-apagam após 24 horas

  • 18 Fev 2017
  • 08:11h

Uma nova atualização do Whatsapp tem um recurso que permite publicações temporárias, que desaparecem depois de 24 horas, de modo similar ao Snapchat e ao “Stories” do Instagram.A função foi descoberta em uma versão de testes ao qual o site WAbetainfo teve acesso. Os usuários poderão marcar quais contatos poderão ver as publicações feitas na nova seção “status”, que também ficará aberta a receber comentários. Nessa versão, poderão ser postados textos, fotos ou vídeos de até 45 segundos, e haverá confirmação de visualização, de modo similar às mensagens convencionais, segundo o WAbetainfo. A nova função foi encontrada na versão do WhatsApp para iOS de número 2.17.4. Ainda não há nenhum anúncio oficial por parte do Whatsapp de que a função encontrada na versão de testes fará parte do aplicativo. Tanto o Instagram, que tem recurso similar, quanto o Whatsapp pertencem ao Facebook. // Veja.

Senha no WhatsApp já está valendo para todos; conheça função

  • 15 Fev 2017
  • 20:03h

(Foto: Reprodução)

A verificação em duas etapas para o WhatsApp já está disponível para todos os usuários. Com ela, é possível colocar uma senha no aplicativo que servirá como uma camada extra de segurança quando a pessoa for cadastrar o WhatsApp em novos aparelhos. Além disso, periodicamente o app pede que o usuário insira a senha, em uma rotina de segurança. Para quem tem medo de esquecer a senha e acabar "trancado" fora do seu WhatsApp, é possível cadastrar também um email. Caso o usuário esqueça os números, pode inserir o email e receberá uma mensagem com os procedimentos necessários para redefinir a senha. Quem preferir, pode não inserir nenhum email, mas nesse caso, se esquecer a senha, deve ficar sem acesso à conta. A função já está disponível nas versões para iPhone, Android e Windows Phone. É bom lembrar que o recurso é opcional. Quem estiver com a última versão do app, deve ir até Configurações > Conta > Verificação em Duas Etapas > Ativar. 

Veja algumas dicas para manter seu WhatsApp mais seguro:

* Duas etapas: A verificação apresentada no texto acima é a última novidade de segurança do WhatsApp.  Como a senha criada não é enviada por mensagem de SMS, caso o SIM do celular seja clonado não será possível habilitar uma nova conta somente com o número do aparelho e o código de confirmação que o app envia.

* App atualizado: Além de novidades, as atualizações trazem também correções de seguranças que são disponibilizadas periodicamente. Muitas vezes você pode nem perceber, mas é importante manter o app em sua última versão para evitar ataques.

* Celular com senha: Quando perdemos ou temos o celular roubado, uma preocupação grande deve ser, além da perda material, o vazamento de informações. O bloqueio de tela com senha ou PIN é importante para evitar que o bandido tenha acesso direto de maneira rápida aos seus dados. 

* Desconfie de mensagens e correntes: "Reenvie para x amigos para desbloquear função tal" tem se tornado um meio comum de atrair pessoas para golpes. O WhatsApp não tem intenção de cobrar pelo serviço, não há opção para desbloquear mais cores no aplicativo e nem algo do tipo. Desconfie de mensagens que ofereçam algo diferente para você.

CONTINUE LENDO

Chamadas entre telefone fixo e móvel ficarão mais baratas a partir do dia 25

  • 15 Fev 2017
  • 18:05h

(Foto: Reprodução)

As chamadas entre telefone fixo e móvel ficarão até 19,25% mais baratas a partir do dia 25 de fevereiro, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). De acordo com o órgão, os valores das chamadas locais de fixo-móvel terão redução de 16,49% a 19,25%, dependendo da empresa de telefonia fixa. Já as ligações interurbanas terão queda de 7,05% a 12,01%. O motivo da queda é a redução da tarifa de interconexão, que é o valor que uma empresa cobra da outra pelo uso da rede. Em 2014, a Anatel aprovou um cronograma de redução da tarifa de interconexão, que se estenderá até 2019. Desde o ano passado essa tarifa é calculada pelo chamado modelo de custo. Assim, a Anatel calcula qual o custo real das empresas com equipamentos e organização interna.

Apps informais do FGTS faturam até R$ 70 mil por mês

  • 13 Fev 2017
  • 19:07h

(Foto: Reprodução)

A Liberação do saque das contas inativas do FGTS deixou não apenas os trabalhadores ansiosos para receber o dinheiro. Desenvolvedores de aplicativos que tratam do serviço também surfam na onda e registram alta nos downloads e na receita. A companhia com mais apps do gênero, por exemplo, viu seu faturamento saltar 22 vezes e chegar a R$ 70 mil mensais. Apesar de a Caixa Econômica Federal (CEF) possuir seu próprio aplicativo, que dá acesso ao extrato das contas do FGTS, o G1 identificou mais de 30 outros serviços nas lojas virtuais do Google e da Apple. Para Android, o sistema operacional do Google usado por mais de 90% dos smartphones brasileiros, são oferecidos 29 aplicativos. Já para iOS, da Apple, são apenas três.

 

Até R$ 70 mil por mês

A gaúcha ID Desenvolvimento é responsável por sete dos serviços oferecidos na Google Play. Aberta pela desenvolvedora Ingrid Marques Borba, técnica em informática de 21 anos, e o marido, Douglas Eduardo Rodrigues Farias, de 24 anos, a empresa está por trás da Basic4Brasil, que possui 51 apps na loja do Google, a maioria sobre serviços do governo, como IPVA, Imposto de Renda e Bolsa Família. As ideias de um novo serviço surgem a partir do noticiário. “Fico atenta às notícias, daí atualizo o que mudou ou faço outro [aplicativo]”, conta Ingrid. Tiradas da internet, as informações são compiladas antes de compor as várias sessões dos apps. O desenvolvimento de todo o programa, diz ela, não dura mais que um dia. “Todos [os aplicativos] são informativos. A minha intenção é levar informação para o usuário. Eu não sei muito programar, porque a programação é meio difícil. O que eu sei dá pra tirar uma renda, que é o nosso salário.” Esses vários aplicativos sobre FGTS surgiram antes do anúncio da liberação do saque do dinheiro de contas inativas. Mas só deslancharam depois de o presidente Michel Temer anunciar a novidade em dezembro do ano passado. Ingrid conta que, se até então faturava aproximadamente R$ 3 mil por mês, desde que a liberação do dinheiro foi anunciada passou a ter receitas mensais que giravam entre R$ 50 mil e R$ 70 mil – por dia, a empresa chega a ganhar US$ 1 mil. O lucro vem de anúncios veiculados nos apps por um programa do Google, que remunera os serviços de acordo com sua audiência. Os sete serviços da Basic4Brasil de FGTS recebem 250 mil visualizações por dia – só o “FGTS Inativo” é visto 100 mil vezes por dia.

CONTINUE LENDO

Saiba identificar notícias falsas e evitar golpes online

  • 12 Fev 2017
  • 12:11h

(Foto: Reprodução)

O que a morte de Bin Laden, o desaparecimento de voo MH370 da Malaysian Airlines e o nascimento do bebê real têm em comum? Todos foram notícias de interesse internacional e que geraram a curiosidade dos usuários da internet em acessar informações não oficiais, como fotos e vídeos. Não por acaso, esses eventos também foram usados como isca por cibercriminosos para espalhar, em redes sociais, campanhas maliciosas como spam e fraudes online. Segundo o analista de segurança da fabricante de antivírus russa Kaspersky Lab, Thiago Marques, os cibercriminosos se aproveitam de notícias de grande interesse para oferecer suposto acesso a detalhes que não estão disponíveis por fontes oficiais e, assim, viralizar campanhas e programas maliciosos com a intenção de infectar o maior número de vítimas possível. "Notícias com imagens polêmicas, especialmente em redes sociais, são frequentemente utilizados por cibercriminosos como isca que levam a sites falsos, como também para espalhar malware ou software indesejado", alerta Marques. Não é à toa que o Facebook está organizando uma grande campanha mundial para evitar a disseminação de notícias falsas em sua plataforma. Tanto o Facebook como o Google enfrentaram críticas generalizadas por permitir que artigos de fontes não confiáveis se espalhassem durante as eleições presidenciais dos EUA e líderes europeus expressaram preocupação de que tal desinformação possa afetar os próximos eventos políticos em todo o continente. Ainda segundo o especialista, ao clicar em links de notícias falsas, o usuário pode ser redirecionado para uma página em que, supostamente, poderá ver o vídeo, imagem ou informação. Porém, antes de acessar o site, a página pode exigir que o internauta compartilhe uma mensagem nas redes sociais e instale um plugin. Em muitos casos, o software faz download de um programa indesejado que exibe automaticamente anúncios enquanto o usuário navega na web, a fim de gerar lucro aos seus autores. 

Além disso, outras campanhas podem espalhar spam e até mesmo baixar outros malwares que roubam as senhas para serviços bancários online e, portanto, o dinheiro de suas vítimas. "A maioria dos usuários acredita em tudo o que vê ou lê na internet, sem se preocupar em verificar a autenticidade da notícia", comenta Marques. "Com isso, a internet e redes sociais tornaram-se o local perfeito para a criação e expansão de conteúdo falso e enganoso, graças à rápida capacidade de compartilhamento", completa o especialista. As dicas para evitar cair no conto do vigário são simples, porém efetivas. Segundo a Kaspersky Lab, o usuário deve procurar informações sobre fatos diretamente em fontes oficiais. O internauta também deve evitar clicar em links de sites duvidosos. A curiosidade, nestes casos, pode causar problemas sérios. Utilizar um antivírus atualizado no computador ou dispositivo móvel também é outra atitude que pode assegurar as informações pessoais mais críticas.

CONTINUE LENDO

Twitter anuncia medidas para conter ódio na rede

  • 12 Fev 2017
  • 10:05h

(Foto: Reprodução)

As redes sociais se tornaram um dos palcos principais para o assédio e a disseminação do ódio. Sob a proteção de um pretenso anonimato, e alegando a liberdade de expressão, pessoas em todo o mundo usam essas ferramentas para agredirem e discriminarem outras. Para tentar conter esse problema, o Twitter anunciou na terça-feira novas medidas. A principal delas é que a equipe de segurança da companhia vai tentar identificar as pessoas que foram suspensas permanentemente da rede, mas que cismam em retornar com novas contas. Segundo o Twitter, o objetivo é tornar mais eficaz o banimento de uma das mais “prevalentes e danosas formas de comportamento”, de contas que são criadas especificamente para o assédio a uma determinada pessoa. Além disso, a companhia promete trabalhar numa "busca segura", que remove as publicações que possuam conteúdo potencialmente sensível dos resultados de buscas. Os tweets de contas bloqueadas e suspensas temporariamente também serão excluídos. A empresa também trabalha em métodos para identificar respostas potencialmente abusivas e de "baixa qualidade", que ficarão em segundo plano em relação ao conteúdo mais relevante.

Agora é possível proteger seu WhatsApp com senha

  • 10 Fev 2017
  • 16:04h

(Foto: Reprodução)

O WhatsApp, que pertence ao Facebook, liberou nesta quinta-feira (9) um recurso que promete aumentar a segurança no aplicativo. A autenticação de duas etapas permite que os usuários criem uma senha de seis dígitos para proteger suas conversas e outras informações pessoais. A novidade surge no ato do primeiro login, quando você configura o WhatsApp em um novo aparelho. A autenticação de duas etapas já é utilizada por aplicativos bancários e até serviços de e-mail. O recurso permite que o usuário personalize uma senha de seis dígitos para garantir que sua conta pessoal não seja utilizada em nenhum outro dispositivo. Uma vez feito isso, a função estará ativa para o número de telefone. Além do código, o usuário terá que fornecer um endereço de e-mail que será usado para redefinir sua senha caso a esqueça. "Assim você não corre o risco de ficar sem acesso a sua conta caso se esqueça de seu código de acesso", explica o WhatsApp. Quem não quiser ativar a autenticação em dois fatores não será obrigado a isso. Aqueles que ativarem o recurso de segurança serão solicitados a inserir o código periodicamente, explica o WhatsApp. Para usar a função, você precisa ir às configurações de conta do aplicativo e ativá-la manualmente.

Mau uso do celular aumenta os casos de problemas no pescoço

  • Tribuna da Bahia
  • 29 Jan 2017
  • 08:06h

(Foto: Ilustração)

Como utilizar o celular de forma correta? De acordo com Pricilla Antunes, fisioterapeuta osteopata do Centro Avançado de Movimento e Performance de Piracicaba (CAMP Piracicaba / ITC Vertebral), "em posição ideal, com as orelhas alinhadas com os ombros, o peso transmitido ao pescoço é de aproximadamente 5 quilogramas. Esse valor vai sendo aumentado quando inclinamos o pescoço para frente para olharmos a tela do celular. A postura correta, portanto, pede cabeça erguida e braço levantado na altura dos olhos para facilitar a visualização da tela, sem sobrecarregar o pescoço", explica. Pricilla alerta também para o mau uso do aparelho, que pode ocasionar dores na cabeça ligadas a tensões na nuca e no pescoço, dores nos braços e nos ombros. "Deve-se procurar auxílio de um fisioterapeuta antes mesmo de qualquer desconforto para orientações preventivas". O tratamento, segundo a especialista, inclui técnicas de correção postural, como o RPG (Reeducação Postural Global), além de Pilates, Osteopatia, massagem, e exercícios de alongamento e estabilização segmentar. E atenção aos que não procuram ajuda logo que o problema aparece! "Com o tempo, esse mau alinhamento da coluna pode causar problemas às estruturas do pescoço, como a perda ou até mesmo a inversão da curvatura fisiológica da coluna cervical, agravando ainda mais os sintomas".