BUSCA PELA CATEGORIA "Tecnologia"

Novidade do Snapchat levanta preocupações sobre segurança

  • 23 Jun 2017
  • 17:02h

Foto: Ilustração

Uma atualização do Snapchat, que traz um mapa com a localização dos contatos que o usuário segue, aumentou as preocupações sobre segurança entre os pais de crianças que utilizam com frequência o popular aplicativo. A ferramenta, chamada Snap Map, foi lançada na quarta-feira (21) e foi promovida como uma nova maneira de explorar o mundo. A Academia St. Peter, na cidade de Staffordshire, na Inglaterra, emitiu um comunicado para os pais, alertando que o recurso de compartilhamento de localização permite que pessoas estranhas localizem seus filhos. Em entrevista à BBC, um dos responsáveis descreveu a atualização como perigosa. Os clipes de vídeo e fotos que os usuários postam publicamente podem ser descobertos no mapa, enquanto os membros que optaram por compartilhar sua localização também podem ser vistos. Em resposta à polêmica, a Snap informou que o recurso pode ser desativado a qualquer momento, e que seu intuito é facilitar a busca por restaurantes e pontos de interesse.

WhatsApp deixará de funcionar em alguns celulares em breve

  • Brumado Urgente
  • 14 Jun 2017
  • 10:00h

Foto: Ilustração

O WhatsApp tinha anunciado, no ano passado, que deixaria de funcionar em vários celulares antigos. O porém é que alguns deles continuam muito populares e totalmente funcionais. Os donos desses aparelhos serão impedidos de acessar o aplicativo a partir do dia 30 de junho. Apesar de a lista de dispositivos afetados ser limitada, ela inclui modelos emblemáticos como o iPhone 3GS e versões do BlackBerry. Os smartphones com os seguintes sistemas operacionais não vão mais rodar o aplicativo: BlackBerry OS, BlackBerry 10, Nokia S40, Nokia Symbian S60, Android 2.1, Android 2.2, Windows Phone 7 e iPhone 3GS/iOS 6. A única alternativa para aqueles que quiserem se manter conectados é comprar um celular mais moderno com os sistemas Android, iOS ou Windows Phone. "Por mais que estes aparelhos celulares tenham feito uma importante parte em nossa história, eles não possuem a capacidade requerida para que possamos expandir os recursos de nosso aplicativo no futuro. Esta foi uma decisão difícil de ser feita, porém foi a decisão certa para que pudéssemos oferecer as pessoas, melhores maneiras de manter contato com família, amigos e entes queridos utilizando o WhatsApp", informou a empresa.

Smartphone com bateria recarregável em 5 minutos pode chegar ao mercado em 2018

  • Brumado Urgente
  • 14 Mai 2017
  • 10:33h

Foto: Reprodução

O Uol vinculou notícia sobre um inovação tecnológica que pode surgir em breve, a novidade foi apresentada pela primeira vez em 2015, quando a start-up de Israel StoreDot fez uma demonstração seu "FlashBattery" no CES Tech Show, uma feira comercial do mercado de tecnologia, em Las Vegas. O CEO da empresa, contou à BBC que a bateria deverá entrar em produção de grande escala no início de 2018. Analistas do setor acreditam que o prazo seja curto, mas o executivo diz que já está em curso um projeto-piloto em duas asiáticas de baterias. As primeiras versões da bateria eram mais grossas do que a maioria das usadas em smartphones. Myersdorf, no entanto, afirma que as versões atuais atenderão às exigências mercadológicas. Ele não quis revelar quais fabricantes de smartphones usarão a tecnologia.

Crianças que brincam com celulares e tablets dormem menos

  • 16 Abr 2017
  • 09:05h

(Foto; Reprodução)

Crianças que passam horas brincando com smartphones e tablets dormem menos que os que não interagem com tecnologia. Estudo publicado na Scientific Reports, site da revista científica Nature, indica que cada hora que crianças pequenas entre seis meses e três anos passam usando aparelhos eletrônicos com tela de toque pode estar relacionada a 15 minutos a menos de sono. Ao mesmo tempo, a pesquisa também revelou que brincar com esse tipo de tecnologia ajuda a desenvolver habilidades motoras mais rapidamente. Especialistas afirmam que o estudo é "oportuno", mas que não há razões para que pais se preocupem com os achados da pesquisa. Apesar da proliferação de telas de toque nos domicílios, ainda falta compreender o real impacto desses aparelhos no desenvolvimento da primeira infância. 

O estudo foi conduzido pela Birkbeck, que faz parte da Universidade de Londres, com 715 pais de crianças com até três anos de idade. Perguntou-se a frequência com a qual os bebês brincavam com smartphones e tablets e também detalhes do padrão de sono das crianças. Concluiu-se que 75% das crianças usavam aparelhos do tipo diariamente; essa porcentagem era de 51% entre crianças de seis e 11 meses, e de 97% entre crianças de 25 e 36 meses de idade. As crianças que brincam com os aparelhos dormem menos à noite e mais durante o dia. E, de um modo geral, contabilizam 15 minutos a menos de sono para cada hora que passam brincando com esses eletrônicos. Tim Smith, um dos pesquisadores que participou do estudo, afirma que o tempo de sono perdido não é muito quando se dorme um total de 10, 12 horas por dia. "Mas cada minuto importa no desenvolvimento infantil por causa dos benefícios do sono", afirma. As conclusões do estudo não são definitivas, mas Smith diz que a pesquisa indica que telas de toque podem estar associadas a problemas do sono. Por outro lado, a pesquisa também mostrou que crianças que usam ativamente as telas de toque (arrastando elementos, em vez de apenas assistir a imagens) aceleraram o desenvolvimento de habilidades motoras.

CONTINUE LENDO

Entenda o 'Jogo da Baleia Azul' e os riscos envolvidos

  • 15 Abr 2017
  • 15:10h

Um sinistro jogo viral tem causado alarme no mundo todo. É o jogo da Baleia Azul, disputado pelas redes sociais, que propõe desafios macabros aos adolescentes, como bater fotos assistindo a filmes de terror, automutilar-se, ficar doente e, na etapa final, cometer suicídio. Aparentemente o fenômeno começou na Rússia, mas está se espalhando – inclusive no Brasil, como sugerem o caso da jovem de 16 anos morta no Mato Grosso e uma investigação policial em andamento na Paraíba. Na Rússia, em 2015, uma jovem de 15 anos se jogou do alto de um edifício; dias depois, uma adolescente de 14 anos se atirou na frente de um trem. Depois de investigar a causa destes e outros suicídios cometidos por jovens, a polícia ligou os fatos a um grupo que participava de um desafio com 50 missões, sendo a última delas acabar com a própria vida. 

A preocupação aumentou ano passado, quando fontes diversas chegaram a divulgar, sem confirmação, 130 suicídios supostamente vinculados a comunidades online identificadas como “grupos da morte”. Tudo na internet se espalha muito rápido, mesmo as coisas mais inacreditáveis. Neste caso não é diferente. O fenômeno ganhou visibilidade e vem se alastrando pelo mundo. Em alguns países, como Inglaterra, França e Romênia, as escolas têm feito alertas às famílias, depois que adolescentes apareceram com cortes nos braços, queimaduras e outros sinais de mutilação. Jogos com apelos de riscos letais têm virado moda entre os adolescentes. Um exemplo é o jogo da asfixia, que gerou vítimas no Brasil. Outro é o “desafio do sal e gelo”, no qual, para serem aceitos no grupo, os adolescentes devem queimar a pele e compartilhar as imagens nas redes sociais. Embora exista há anos, o desafio voltou com força recentemente. Sem falar no “Jogo da Fada”, que incita crianças o gás do fogão de madrugada, enquanto os pais dormem. As recomendações para as famílias são: monitorar o uso da internet, frequentar as redes sociais dos filhos, observar comportamentos estranhos e, sobretudo, conversar e conscientizar os adolescentes a respeito das consequências de práticas que nada têm de brincadeira. Atenção redobrada com os jovens que apresentem tendência a depressão, pois eles costumam ser especialmente atraídos por jogos como o da Baleia Azul. Também as escolas devem colocar o assunto em pauta e incorporar no currículo, cada vez mais, a educação para a valorização da vida, o respeito pela vida dos outros e o uso consciente das mídias e tecnologias.

CONTINUE LENDO

Chega de áudio no WhatsApp! Dá para transformar voz em texto, sem digitar

  • Uol
  • 13 Abr 2017
  • 15:44h

(Foto: Reprodução)

As mensagens de áudio no WhatsApp parecem ser uma unanimidade. Parecem... mas não são! Tem quem ame, mas também tem um bom time que odeia. Por isso, ensinamos aqui um caminho alternativo, que deve agradar quem não gosta de ficar digitando longas mensagem e também quem não suporta ficar ouvindo os áudios, especialmente aqueles de mais de dois minutos. Estamos falando da opção "ditado", que aparece nos teclados de dispositivos iOS e Android. Notou que você não precisa fazer nenhum download e nem mudar nada no WhatsApp para parar imediatamente de mandar áudio para os outros? É só clicar no botão com um microfone desenhado e começar a falar. Automaticamente sua voz é transformada em texto, que aparece na tela. Enquanto você estiver falando, o "ditado" vai transcrevendo. 

Dá até para falar palavrões (no iOS, eles aparecem escritos, enquanto no Android ele viram asteriscos). A função entende também risadas. Um sonoro "rárárá" se transforma em "hahaha", mas o sistema não entende o "kkkkk". A função é ainda mais prática no iPhone, porque o sistema saca as pontuações. É só você falar "ponto", "vírgula", "abre aspas", "interrogação", etc... que a pontuação aparece na tela – mas vão te achar meio louco na rua, é bem verdade. Claro, nem tudo é perfeito. Você vai precisar revisar o texto antes de enviar, mas o resultado é bem satisfatório, especialmente se você conseguir falar de forma clara e um pouco mais lenta.Um dica boa é a função ditado serve para outros aplicativos também e pode ser super útil na hora de escrever e-mails ou fazer anotações, por exemplo

CONTINUE LENDO

Golpe no WhatsApp afeta 300 mil brasileiros prometendo ovo de Páscoa grátis

  • 07 Abr 2017
  • 17:07h

O WhatsApp se transforma em um vetor de ataques digitais cada vez mais usado pelo cibercrime. Um novo golpe detectado pela empresa de segurança PSafe atingiu 300 mil brasileiros em apenas 24 horas. Para atingir tantas pessoas, bastou prometer um ovo de Páscoa grátis.  Infelizmente, esse tipo de ataque já se tornou comum. A pessoa recebe uma mensagem de alguém conhecido (e possivelmente infectado) com orientações sobre uma suposta promoção; ao clicar no link, o usuário é convidado a preencher um questionário falso, compartilhar o link com amigos e fornecer informações pessoais que possam causar prejuízo financeiro, podendo cadastrar o número de celular em serviços pagos de SMS, ou baixar aplicativos maliciosos que deixam o celular vulnerável.  No caso do golpe do ovo de Páscoa, o esquema envolve a promessa de que as lojas da marca Kopenhagen estão distribuindo um Ovo Língua de Gato para quem participasse da promoção. Obviamente, não é verdade.

O pior problema desse tipo de ataque é que ele alcança rapidamente um público muito grande. São mais de 100 milhões de brasileiros no WhatsApp, e muitos deles não têm familiaridade com tecnologia para perceber quando estão sendo vítimas de um ataque.  A situação piora porque a mensagem normalmente vem de alguém conhecido, muitas vezes amigo ou parente, então já há uma relação de confiança prévia que facilita ainda mais a infecção. No caso do golpe do ovo de Páscoa, a mensagem pode incluir até mesmo um “acabei de receber o meu”, que passa uma pessoalidade que pode enganar os mais inocentes.Infelizmente, esse tipo de ataque depende muito do bom senso do usuário e experiência que muitos não têm ao lidar com tecnologia. É sempre bom ficar atento com URLs estranhas que chegam com a promessa de alguma recompensa tentadora. Via de regra, empresas não gostam de distribuir gratuitamente seus produtos, especialmente algo tão caro quanto um ovo de Páscoa de uma marca grande, então o desconfiômetro é sempre a melhor pedida.

CONTINUE LENDO

WhatsApp dará 2 minutos para usuário apagar mensagens enviadas

  • 28 Mar 2017
  • 18:08h

(Foto: Reprodução)

O WhatsApp vai permitir apagar uma mensagem em até 2 minutos após após ela ser enviada em uma conversa, segundo imprensa americana especializa em tecnologia. A versão da ferramenta, ainda em fase de testes, já havia sido desenvolvida em outra versão do aplicativo para troca de mensagens. Atualmente, só é possível apagar a mensagem enquanto ela ainda não foi enviada do celular, por alguma falha no sistema de envio. É possível ainda apagar a mensagem já enviada, porém, ela só desaparece da conversa, e não impede a leitura do usuário que a recebeu. A nova função, que já está presente no principal rival do WhatsApp, o Telegram, vai dar dois minutos para o usuário se arrepender. O tempo do Telegram é maior: 48 horas após o envio. O destinatário da mensagem não conseguirá ler o texto, mas receberá um alerta avisando que o remetente retirou a informação.

Samsung oferece até R$ 2.4 mil em aparelho usado para desconto na compra de um celular novo

  • 27 Mar 2017
  • 17:55h

(Foto: Reprodução)

Quem pensa em comprar algum smartphone da família Galaxy S7 e Galaxy A 2017 pode dar o celular antigo como entrada e pagar a diferença na promoção da Samsung. A ação faz parte do  programa Trade In, uma parceria entre a marca e a Trocafone, e é válida até o próximo domingo (2). O bônus máximo para descontos chegar até R$ 2,4 mil. Segundo a Samsung, o consumidor precisa verificar se seu modelo de tablet ou smartphone está na lista do programa de Trade In da Samsung. Basta ir a uma Loja Samsung ou procurar na lista. Se o modelo for contemplado pela promoção, o próximo passo é a análise do aparelho usado nas Lojas Samsung. Lá eles vão avaliar ano de lançamento, marca, modelo e avarias do aparelho. Após a análise, o consumidor poderá usar o bônus na compra do novo modelo. “Nestes primeiros meses de 2017, queremos demonstrar como os modelos das famílias Galaxy S7 e Galaxy A 2017 são os mais inovadores do mercado, oferecendo vantagens exclusivas para os clientes Samsung”, explicou Demetrius Oliveira, diretor da Divisão de Samsung Stores, Loja Online e Acessórios da Samsung Brasil.

Bônus e troca
Para os consumidores que adquirirem um Galaxy S7, o consumidor irá receber a avaliação do aparelho usado, que pode chegar até R$ 1,4 mil. A Samsung ainda oferecerá um bônus de R$ 750, apenas para a troca do celular usado iPhone 4S ou inferior, ou R$ 1 mil, apenas para a troca do celular usado iPhone 5 ou superior, totalizando um desconto de até R$ 2,4 mil. Já para a compra de um Galaxy A5 2017 ou um Galaxy A7 2017, a Samsung garante um bônus extra de até R$ 300 para compra. Esse valor será acrescentado na avaliação do aparelho ofertado para a troca. Nesse caso, o desconto pode chegar a R$ 1,7 mil.

Pela internet
Também é possível fazer o processo pela internet. Basta entrar no site da Samsung e seguir os passos:  Avaliar o celular usado, comprar o um novo aparelho na Loja Samsung Online. Após receber o produto, o consumidor deve usar o cupom enviado por e-mail para vender seu celular usado para a Trocafone por + 20%. Depois disso, basta enviar o aparelho e receber o pagamento.

CONTINUE LENDO

Brasileiros competem nos EUA com app para monitorar febre amarela

  • 24 Mar 2017
  • 14:08h

(Foto: Reprodução)

Dez adolescentes de Goiânia criaram um aplicativo que monitora focos suspeitos de febre amarela e, com isso, foram selecionados para representar o Brasil em um torneio internacional de robótica na sede da Nasa, nos Estados Unidos. O grupo ficou em primeiro lugar no campeonato nacional da Lego depois de desenvolver a ferramenta para celular e um robô que desempenha, sozinho, 16 funções em menos de três minutos (veja vídeo acima).O professor José Nazaré Júnior, coordenador do projeto de robótica da escola Sesi da Vila Canaã, na capital, diz que se sente orgulhoso com o resultado do trabalho dos alunos. Segundo ele, o objetivo foi criar, além do trabalho lúdico com os robôs, uma ferramenta que protegesse os macacos, que, para ele, servem como barreira da febre amarela para ser humano.“Já é notório que os animais protegem as pessoas da febre amarela. Então, a ideia foi criar um aplicativo integrado com os centros de zoonoses para que, assim que algum macaco for encontrado morto em algum lugar, o órgão seja imediatamente notificado para apurar se há ou não a presença do vírus naquela região. Desenvolvemos esta ideia junto com os alunos e foi um sucesso, não tínhamos noção da repercussão”, disse ao G1.O aplicativo Sentinelas foi criado pelos estudantes em agosto do ano passado e já é utilizado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia. A ferramenta é gratuita e está disponível na loja de aplicativos de aparelhos com sistema Android. A interface do app é dividida em três partes, uma para conscientização sobre a doença, com todas as informações a respeito do vírus, uma com a notificação, para envio das fotos, e outra sobre como prevenir a febre amarela.

Messenger, do Facebook, libera uso de menções e de 'reações' e 'botão não curti'

  • 23 Mar 2017
  • 18:08h

(Foto: Reprodução)

O Facebook anunciou nesta quinta-feira (23) a chegada das reações, botões alternativos ao “curtir”, ao Messenger, serviço de comunicação da rede social. Além dos cinco ícones originais e o sinal de positivo, a empresa incluiu a opção do “não curti”. Outra novidade é a menção de amigos e contatos nominalmente em uma conversa para que eles recebam uma notificação.Até agora, esses botões podiam ser usados para interagir apenas com publicações na rede social -- seu uso não era possível em comentários a posts nem em mensagens enviadas pelo bate-papo.Para adicionar uma reação, o usuário terá de pressionar a mensagem até que surja a lista com a opção de botões. Os emojis listados são os habituais "amor", "sorriso", "uau", "triste", "zangado" e o "curtir", chamado pelo Facebook de "sim". Segundo a rede social, o sétimo ícone, um polegar voltado para baixo, não é o "não curti", mas o "não".As reações também serão liberadas para o chat do Messenger no Workplace, a plataforma de comunicação do Facebook para empresas.Tanto os novos botões para bate-papo quanto as menções começam a ser liberados nesta quinta e devem chegar a todos os usuários nos próximos dias.

WhatsApp traz de volta 'status antigo' em definitivo em versão para Android

  • G1
  • 14 Mar 2017
  • 18:03h

(Foto: Reprodução)

O "status antigo" do WhatsApp voltou em definitivo. Depois de lançar uma versão para testes na quinta-feira (9) que retomava os recados no perfil, como "Ocupado" ou "Na academia", o aplicativo de mensagens anunciou que a função começará a ser disponibilizada para todos os aparelhos com sistema operacional Android a partir desta terça-feira (14).A versão para iPhones será lançada "em breve", segundo o WhatsApp, que disse ainda que o WhatsApp Status, recurso que imita o Snapchat e permite compartilhar fotos, vídeos e GIFs que somem em 24 horas, seguirá funcionando.

Drones já substituem trabalhadores dentro de empresas no Brasil

  • G1
  • 14 Mar 2017
  • 08:05h

(Foto: Reprodução)

s não têm carteira assinada, mas pegam no batente em grandes empresas no Brasil. Fazem barulho. Não por melhores condições de trabalho, mas com suas hélices. Podem se locomover a 110 km/h, fazendo o trabalho de dois ou mais homens. Os veículos aéreos não tripulados, ou drones, começam a ser recrutados para executar funções antes realizadas por pessoas.Da mineradora Vale à companhia de energia AES Tietê, empresas ouvidas pelo G1 afirmam que os empregados substituídos não são demitidos, mas realocados para tarefas “mais nobres”. Gastam até R$ 500 mil com os robozinhos, mas economizam outros milhares com mão de obra.Ganham ainda em eficiência e precisão. E isso antes de o governo finalizar a regulamentação das maquininhas voadoras. Lá do alto, elas já vigiam plantas industriais, entram em minas e encontram falhas em telhados. A tendência é que o avanço de robôs, não só dos drones, e de outras tecnologias mude a dinâmica no mercado de trabalho.Tanto é que o estudo “A Revolução das Competências” do ManpowerGourp, apresentado no Fórum Econômico de Davos, aponta que 45% das atividades feitas por humanos no ambiente de trabalho podem ser automatizadas dentro de dois ou três anos.Todas as vezes que tinha de monitorar suas 12 usinas hidrelétricas, a AES Tietê montava uma operação de guerra. Levando equipamentos, um carro conduzia uma equipe que checaria as áreas verdes do entorno da represa e suas margens.

 Barcos iriam para a água medir a vasão da água e o acúmulo de material. O fundo do reservatório era averiguado por um mergulhador. Hoje, essas três atividades são executadas por drones aéreos, aquáticos e subaquáticos.“Gerenciar borda de reservatório é algo bem difícil. São quase 4 mil km de borda”, diz Ítalo Freitas, presidente da AES Tietê. O uso de drones não só permite cobrir grandes espaços, mas coletar dados com precisão cirúrgica. Drones registram imagens de alta resolução enquanto voam por uma rota predeterminada. “Se você não tiver uma tecnologia que inove nessas inspeções, pode até inspecionar, mas não com essa qualidade.”Já na Vale os drones são os responsáveis pelo levantamento topográfico das minas a serem exploradas e das rochas que foram rejeitadas. Ao processar as fotos aéreas em um software, a empresa consegue determinar o relevo de uma região e a quantidade de material rejeitado. Os drones gastam um terço do tempo de um scanner, o equipamento mais moderno, e custam metade do preço.“Há mais segurança, porque não expõe pessoas ao risco”, diz Eunírio Zanetti, pesquisador Instituto Tecnológico da Vale (ITV). Um drone no ar significa que um ser humano não terá de ficar com um olho na rocha e outro em equipamentos gigantes, como caminhões com a altura de prédios de quatro andares –-só o pneu tem 4 metros de altura-- e capazes de transportar 400 toneladas.Antes dos drones, os funcionários da Manserv, empresa de manutenção e limpeza, tinham de percorrer todo a extensão de um telhado antes de iniciar os reparos. Após as máquinas decolarem e passarem a averiguar do ar possíveis danos nas estruturas, eles só entram em ação para colocar a mão na massa. “O aumento de produtividade é de 70%”, diz Ricardo Moreira, diretor-geral da área de facility da empresa.Na Flex, fábrica de eletrônicos, os drones agem como seguranças: fazem rondas. Mas com a vantagem de olhar tudo de cima e captar qualquer objeto suspeito automaticamente. O projeto foi criado pelo instituto de pesquisa FIT.“Quando o drone observa alguma coisa diferente no perímetro do campus, ele manda essa informação para a central, que é o bunker, que avisa a portaria ou área de segurança que começa a navegar a pilotar o drone. Entende esse é uma pessoa ou um animal. Identificando ser uma pessoa, faz um acesso da polícia local”, explica Marcos Bregantin, diretor de novos negócios da FIT.Localizada de um lado da Rodovia José Ermírio de Moraes enquanto, do outro, está a Penitenciária 2 de Sorocaba, a fábrica já teve em seus arredores um sujeito identificado pelos drones. O homem foi prontamente preso pela polícia.

CONTINUE LENDO

WhatsApp retoma ‘status antigo’, mas mantém imagens que somem em versão de testes

  • 10 Mar 2017
  • 12:33h

(Foto: Reprodução)

O whatsApp liberou nesta quinta-feira (9) uma versão para testes que traz de volta o status antigo, que permite a usuários darem recados a seus contatos sem precisar enviar mensagens. O retorno não exclui o Status, novo recurso implantado no fim de fevereiro que permite compartilhar fotos, vídeos e GIFs que somem em 24 horas, uma função nascida no Snapchat e transposta pelo Facebook para o app. O recurso foi reintroduzido na versão beta 2.17.95 do bate-papo, disponível apenas para o sistema operacional Android e aos usuários que se dispõem a testar as novidades do aplicativo antes que seja liberado a todos na Google Play (veja abaixo como virar um testador). Nessa versão, o usuário tem de seguir outro caminho para conseguir inserir um status antigo. Tem de acessar o menu principal, que fica no topo do app, à direita. A partir daí selecionar Configurações > Sua foto de perfil > About and phone number. Há a opção de escolher um recado pronto, como “disponível”, “ocupado”, “bateria prestes a acabar” ou “só chamadas urgentes”. Mas é possível escrever um aviso original ao selecionar “Definido como”. 

O tamanho desse texto é limitado a 139 caracteres Antes de o WhatsApp transformar o status em uma aba para compartilhar imagens que se autodestroem, esse recurso era usado não apenas para transmitir recados, mas também para dar indiretas. A exclusão da possibilidade de dar cutucadas e a própria inclusão de uma ferramenta bastante similar à de outro aplicativo gerou uma onda de reclamações, críticas e piadas na internet.

Para receber as atualizações das versões beta no Android:

 

  1. Vá à página do aplicativo na Google Play;
  2. Escolha a opção "tornar-se testador";
  3. Atualize o aplicativo sempre que uma nova versão de teste for liberada.

CONTINUE LENDO

Dispositivos móveis só deverão ter velocidade 5G a partir de 2020

  • 05 Mar 2017
  • 10:06h

(Foto: Reprodução)

Nova banda de comunicação para dispositivos móveis, o 5G só deve começar a ser implantado em 2020. O anúncio foi pela diretoria da GSMA, órgão que reúne de operadoras a desenvolvedores de software e define padrões do mercado. De acordo com eles, o 5G, que será também um dos principais suportes para a internet das coisas, será um propulsor da quarta revolução industrial. "É uma tecnologia que habilitará novos tipos de serviços, em especial no que diz respeito à automatização, é algo diferente do que vimos até agora", afirmou Marco Galvan, diretor sênior da GSMA durante entrevista à Folha de S. Paulo no Mobile World Congress, em Barcelona. "O 5G só se tornará uma realidade se encontrar condições para isso, com políticas públicas e investimentos adequados", acrescentou. O foco da organização está na modernização da regulamentação do mercado nos países, além de investimentos em infraestrutura para que a cobertura seja expandida. As definições na velocidade não serão feitas antes porque 2020 é o prazo que a GSMA espera para resolver a questão regulamentação. "Talvez tenhamos alguns países mais desenvolvidos, como Coreia do Sul, testando alguns sistemas antes disso, mas duvido que alguém vá produzir algo fora do padrão. Não é vantajoso criar um padrão paralelo e depois lidar com a incompatibilidade de equipamentos produzidos em larga escala", pontua Galvan. Os Jogos Olímpicos na Coreia do Sul, em 2018, são apontados como uma oportunidade para testar as tecnologias com o público.