BUSCA PELA CATEGORIA "Saúde"

Uso indiscriminado de Ritalina pode causar 'genocídio do futuro', diz pediatra

  • Informações da Agência Brasil.
  • 25 Nov 2013
  • 10:44h

Foto: Reprodução

Indicada para tratar portadores de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), a ritalina vem sendo indicada de maneira descontrolada no país. Atualmente, o Brasil ocupa a segunda posição mundial de consumo da droga, atrás apenas dos Estados Unidos. No caso das crianças, que tem o organismo ainda em fase de crescimento, o risco é ainda maior. “Fala-se muito que, se a criança não for tratada, vai se tornar uma dependente química ou delinquente. Nenhum dado permite dizer isso. Então não tem comprovação de que funciona. Ao contrário: não funciona. E o que está acontecendo é que o diagnóstico de TDAH está sendo feito em uma porcentagem muito grande de crianças, de forma indiscriminada”, diz a pediatra Maria Aparecida Affonso Moysés, docente do Departamento de Pediatria da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp. A especialista diz que se não haver um controle mais rigoroso sobre a droga, as gerações futuras poderão sofrer consideravelmente. “A gente corre o risco de fazer um genocídio do futuro”, disse.  A ritalina é um metilfenidato, da família das anfetaminas, e tem como objetivo, melhorar a concentração, diminuir o cansaço e acumular mais informação em menos tempo. Ocorre que a droga pode trazer dependência química, pois tem o mesmo mecanismo de ação da cocaína, e é classificada pela Drug Enforcement Administration como um narcótico. As reações adversas ao consumo da droga se dão em todo o organismo e, no sistema nervoso central, são mais incisivas. “Isso é mencionado em qualquer livro de Farmacologia. A lista de sintomas é enorme. Se a criança já desenvolveu dependência química, ela pode enfrentar a crise de abstinência. Também pode apresentar surtos de insônia, sonolência, piora na atenção e na cognição, surtos psicóticos, alucinações e correm o risco de cometer até o suicídio. São dados registrados no Food and Drug Administration (FDA)”, diz a pediatra. 

Oito passos simples para uma vida mais saudável

  • Atitude Ecycle
  • 16 Nov 2013
  • 06:34h

(Foto: Reprodução)

Uma vida saudável traz diversos benefícios em termos de qualidade de vida e também para o meio ambiente. Primeiramente, o corpo agradece, pois ele vai possuir mais resistência com um sistema imunológico forte, evitando doenças. Depois, o meio ambiente será menos degradado por conta de atitudes mais conscientes e saudáveis, como andar de bicicleta e caminhar, em vez de usar o carro, e subir as escadas, ao invés de utilizar o elevador.  Mas só é possível alcançar esse estilo de vida com uma mudança de atitude e uma maior consciência sobre as ações do dia a dia. Mudanças de comportamento e de rotina são necessárias para que se tenha uma vida saudável. E para ajudar você comessas mudanças, abaixo estão algumas dicas, atitudes e passos que você deve seguir. Confira:  

Lave suas mãos com frequência - a maioria das pessoas toca os olhos ou nariz uma vez a cada três horas. Esse costume não é bom, pois cada esfregada pode transportar vírus. Por isso, é importante lavar as mãos não só antes de fazer uma refeição, mas muitas vezes ao dia, para encerrar a troca de germes;

Beba muito mais água do que o normal - o mesmo ar seco do inverno que provoca as rachaduras dos lábios também suga a umidade do nariz e da garganta. A capacidade de afastar os vírus antes que eles dominem o seu corpo depende de um fluxo constante de secreções, que são auxiliadas pela água. Por isso, tome pelo menos de oito a dez copos por dia. Tenha cuidado com a ingestão de bebidas com cafeína, porque elas desidratam o corpo;

Diminua as porções - é realmente saudável comer de cinco a sete refeições por dia, ou seja, alimentar-se a cada três ou quatro horas. Isso ajuda a não sobrecarregar o seu sistema digestivo, mas também mantém o seu nível de energia e ajuda a combater a ansiedade pelo açúcar. Seu nível de açúcar no sangue vai cair a cada três ou quatro horas. Quando ele cai, o mesmo acontece com o seu nível de energia, incluindo a sua capacidade de lidar com o estresse e de se concentrar. E e aí que aparece o desejo de consumir açúcar, para dar energia. Então, coma pequenas quantidades de carboidratos complexos e proteínas nessas pequenas refeições;

Abandone o açúcar - adultos comem uma média de 135 quilos de açúcar por ano. A maioria das pessoas não consegue metabolizar o açúcar que consome porque ele rapidamente se transforma em gordura. E, quando se come o açúcar, o sistema imunológico é "congelado" por até duas horas, durante as quais os vírus e outros organismos estranhos podem atacar seu sistema. Quando tiver vontade de comer doce, experimente deixar algumas frutas congeladas, como amoras, uvas ou abacaxi, para consumi-las depois. Colocar pedaços de bananas no seu iogurte pode ser uma delícia também; 

Nunca pule o café da manhã - pense no seu corpo como uma fogueira de acampamento que "morre" durante a noite. Pela manhã, ele precisa ser alimentado para se manter em pé. E o café da manhã é o caminho para ter seu corpo de volta em forma, com energia. Lembre-se de que o café da manhã é a refeição mais importante do dia, por isso, ao acordar, não pule o café, faça uma refeição reforçada, para poder ter energia de sobra até o almoço;

Coma vegetais sempre - os vegetais são um depósito de vitaminas e minerais essenciais para a sua saúde. Eles vão ajudar na proteção contra resfriados e gripes, principalmente os vegetais mais coloridos, porque eles têm mais nutrientes. Em determinadas épocas do ano, comer um monte de alimentos ricos em vitaminas A e C, como a batata-doce e abóbora, ajuda a aumentar nosso sistema imunológico. Vejaaqui mais benefícios de se ter uma dieta vegetariana;

Não tenha uma vida sedentária, pratique esportes - a prática de exercícios físicos é um importante passo para alcançar uma vida saudável. O exercício ajuda a aumentar a energia, reduzir o estresse e ainda mantém o peso sob controle. Faça um programa de atividades físicas e adicione-o a sua rotina; em primeiro lugar, adicione o fator diversão, realize treinos e esportes divertidos. Procure ouvir músicas enquanto caminha, leia livros enquanto está na bicicleta ergométrica, assista ao noticiário quando você andar na esteira. Sempre que possível, chame um amigo para fazer o exercício com você, pois isso torna a atividade mais divertida e você se envolve mais nela. E lembre-se de que seu corpo necessita de um ou dois dias de descanso;

Dormir bem é muito importante - durma de sete a oito horas todas as noites. Mesmo que você tenha que reorganizar sua agenda, tenha um sono adequado. Mais de uma noite de insônia ou mal dormida pode afetar seriamente o seu sistema imunológico.

CONTINUE LENDO

"Dorme que te fa bene": estudos mostram que quem dorme mais engorda menos

  • Saúde Urgente
  • 13 Nov 2013
  • 08:01h

Pesquisas apontam que quem dormiu menos engordou até um quilo a mais que aqueles que dormiram mais tempo e fizeram a mesma dieta. Outra pesquisa afirma que dormir mais aumenta a capacidade do cérebro

Se você já fez todo tipo de dieta para emagrecer e nada funcionou, talvez o problema com suas gordurinhas não esteja apenas no fato de comer muita ou pouca comida. Já pensou na hipótese de que a culpa pelo seu quilos a mais ser do seu relógio? A quantidade de horas que você gasta dormindo influi diretamente na quantidade de quilos que você ganha. É isso o que diz o Dr. Steve Kubas, da Clínica Mayo, Miami, EUA, "Se você está acordando normalmente antes do que seu corpo iria querer que você acordasse, você estaria, dessa forma,  conduzindo ele a um certo grau de privação de sono que está ligado ao sobre-peso".

A conclusão foi a mesma: quem dorme menos perde menos peso. Isso acontece porque quem passa mais horas acordado, come mais à noite (quando o metabolismo é mais lento). Segundo a pesquisa, esse pessoal toma um café da manhã menos calórico, mas exagera nas comidinhas depois do jantar. No fim das contas, o problema não é a falta de sono, pois os voluntários que puderam dormir até cinco horas por noite (o outro grupo podia descansar por nove horas) queimavam 5% a mais de energia. Porém, consumiam 6% a mais de calorias, o que fazia com que ganhassem um quilo a mais por semana do que os que dormiam mais tempo. Já um outro estudo também feito por pesquisadores americanos da Universidade de Berkeley sugere que a privação do sono tem um efeito duplo na mente no que diz respeito ao apetite e que um deles é estimular a resposta de uma parte do cérebro que administra a motivação de o indivíduo comer comidas gordurosas. Para comprovar a tese, o estudo reuniu 23 jovens saudáveis que puderam dormir cerca de oito horas em uma noite e, depois, foram ao laboratório dos pesquisadores, onde tomaram um pequeno café-da-manhã com torrada e geleia. Logo após, a equipe lhes mostrou 80 imagens de alimentos diferentes e pediram que eles avaliassem a vontade de comer cada item, enquanto uma máquina de exame de imagem media a atividade cerebral dos participantes. Uma semana após esse experimento, os mesmos participantes repetiram o teste, mas, dessa vez, ficaram acordados a noite toda e puderam comer biscoitos e frutas para repor a energia que gastaram durante a noite em que ficaram acordados. Como resultado, os participantes expressaram o desejo de comer 600 calorias a mais que da primeira vez que fizeram o teste. 

CONTINUE LENDO

Entidade muda idade mínima para exame de próstata de 45 para 50 anos

  • Informações da Folha.
  • 08 Nov 2013
  • 07:20h

Uma nova recomendação da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) muda de 45 para 50 anos a idade para que seja feito o primeiro exame de próstata. Segundo tipo de câncer mais comum entre homens brasileiros e o sexto em ocorrência no mundo entre todos os tumores, a neoplasia é motivo de ação de entidades de saúde durante o Novembro Azul. A SBU informa que homens negros ou com casos da doença na família devem fazer o teste a partir dos 45 anos. Anteriormente, a idade mínima para esses casos era de 40 anos. A entidade ressalta, porém, que a idade mínima para o exame é apenas uma orientação, por conta de já existir um protocolo nacional de rastreamento para este tipo de câncer. O Instituto Nacional de Câncer (Inca) não recomenda exames de rastreamento na ausência de sintomas. A SBU diz que a mudança de idade para o exame de próstata está de acordo com as últimas descobertas científicas e deve diminuir o excesso de diagnósticos de tumores pouco agressivos.

‘Perder a virilidade é ainda o maior problema’, diz oncologista sobre temor ao exame de próstata

  • por Francis Juliano
  • 02 Nov 2013
  • 08:40h

Ator Samuel L. Jackson pede para homem não ser 'burro' em campanha

Homem que é homem faz exame de próstata. Essa sentença poderia ser rebatida por algum baiano resistente: “Aonde!”. Pois é, aí é que mora o perigo, a ignorância e, pior, o tumor. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de próstata é o segundo mais mortífero entre o público masculino brasileiro, atrás apenas do de pele. Dados do Ministério da Saúde (MS) apontam mais de 50 mil casos novos por ano no país, com mais de 12 mil mortes no período. No mundo, a neoplasia é a sexta mais comum e a mais prevalente em homens, e representa 10% do total de cânceres espalhados internacionalmente. Para tentar frear esses índices, o Novembro Azul, evento internacional em defesa da saúde do homem, será permeado de ações para informar a necessidade do diagnóstico precoce do câncer de próstata, responsável pela redução em até 80% dos riscos da doença. Segundo especialistas, o maior inimigo do homem é a ideia que ele tem dele mesmo. “O preconceito em perder a virilidade ainda é o maior problema”, diz o oncologista baiano Alberto Nogueira, do Instituto de Hematologia e Oncologia da Bahia (Ihoba). 

Caso o tumor de próstata seja descoberto depois de algum tempo, as chances são reduzidas a zero e o temor da perda da virilidade fica mais radical. “Se o homem não fizer o tratamento preventivo aí é que pode ter essa preocupação aumentada. Quando o câncer de próstata estiver avançado o tratamento indicado é a castração”, explicou o médico. O perigo da descoberta tardia é que o tumor pode se expandir para órgãos vizinhos como reto, bexiga e vesículas seminais. Dificuldade de urinar, frequência urinária alterada, ou diminuição do jato da urina são sintomas do tumor. O diagnóstico precoce pode ser feito através de exames de sangue, como o teste do PSA (sigla em inglês para antígeno prostático específico). A idade recomendada para adotar o procedimento anualmente é a partir dos 45 anos, porém casos na família podem exigir o controle antes de se completar 40 anos. De acordo com Nogueira, o procedimento pode ser feito tanto em clínicas como postos de saúde. “Basta ter um médico, uma luva e xilocaína [anestésico]”, relatou.  Os fatores de risco da doença incluem, além de idade avançada (acima de 50 anos), histórico familiar, fatores hormonais e ambientais, e hábitos alimentares, como alimentação gordurosa; além de sedentarismo e excesso de peso. Outro problema alertado pelo médico é o câncer de pênis. Apesar de ser menos incidente que o de próstata, ocorre com mais frequencia no Nordeste. Nogueira diz que o procedimento para evitar a neoplasia é simples, como uso de água e sabão. “Basta puxar a pele e lavar internamente o órgão”, orienta. A inspiração para o Novembro Azul surgiu na Austrália, em 2003, dentro das comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, realizado dia 17 de novembro. Dali em diante o que o evento tem mais pedido aos homens é saúde, mas, principalmente, coragem.

CONTINUE LENDO