BUSCA PELA CATEGORIA "Saúde"

Vida que segue: Servidores que estavam lotados nas Dires se mobilizam em todo o estado

  • Cristina Santos Pita
  • 20 Jan 2015
  • 08:11h

Servidores da 4ª Dires já nomearam o movimento de Janeiro Sombrio | Divulgação | 4ª Dires

A extinção das Dires de todo o Estado atende à Lei Nº 13.204 de 11 de Dezembro de 2014, que cria os Núcleos Regionais de Saúde (NRS) no seu lugar. Contudo, ainda não está definido para qual órgão serão realocados os servidores das Dires e quais funções irão desempenhar. Segundo informações da Sesab, a medida se justifica pela maturidade administrativa atingida pelo Serviço Único em Saúde (SUS), não sendo mais necessária a tutela do Estado. A Secretaria informa ainda que nenhuma ação sobre a alocação funcional dos servidores será tomada pelo Governo do Estado sem que haja diálogo com a categoria Já os servidores argumentam que a extinção das Dires afetará negativamente a prestação de diversos serviços de saúde nos municípios baianos, como também o fornecimento gratuito de medicamentos de alto custo para tratamento de doenças graves, controle de surtos e epidemias, inspeção de hospitais e distribuição de soros e vacinas para hospitais. Em todo o estado os servidores estão se mobilizando para buscar garantir o futuro da categoria. 

Ministério da Saúde regulamenta uso de medicamento no Samu

  • 19 Dez 2014
  • 14:18h

(Foto: Daniel Simurro | Brumado Urgente Conteúdo)

O Ministério da Saúde publicou na edição de hoje (19) do Diário Oficial da União portaria que regulamenta, no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), o uso do medicamento trombolítico Tenecteplase, que pode diminuir o número de mortes por infarto. O medicamento poderá ser usado nas seguintes unidades móveis de suporte avançado: Vida Terrestre, Unidade de Suporte Avançado de Vida: Equipe Embarcação, Veículo de Intervenção Rápida e na Equipe Aeromédico do Componente Móvel Samu. Para ofertar o medicamento, o estado ou o município deverá cumprir requisitos como ter habilitação no Ministério da Saúde de, no mínimo, uma das unidades móveis de suporte avançado do Samu e pactuar a oferta na Comissão Intergestores Bipartite ou no Colegiado de Gestão da Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Estados ou municípios precisam ainda encaminhar documentos definidos na portaria à Coordenação-Geral da Força Nacional de Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS) para formalizar a habilitação.

Britânicos descobrem anticorpo capaz de neutralizar vírus da dengue

  • 16 Dez 2014
  • 07:02h

(Foto: Reprodução)

Cientistas do Imperial College London descobriram uma nova classe de anticorpos capazes de neutralizar as quatro formas do vírus da dengue, conforme publicou nesta segunda-feira (15) a revista britânica "Nature Immunology". Este novo tipo de anticorpo descoberto em humanos, que também neutraliza o estado inicial do vírus presente nos mosquitos, poderia orientar o desenvolvimento de vacinas e tratamentos efetivos para combater a doença. A dengue é uma doença transmitida pela picada do mosquito da família Aedes e infecta 400 milhões de pessoas por ano, especialmente nas regiões tropicais e subtropicais do planeta. Um dos principais problemas que o vírus apresenta é que existem quatro tipos de dengue e ter tido um deles não imuniza a pessoa dos demais. No relatório, a equipe de pesquisadores assinalou que a expansão geográfica da dengue tem aumentado, já que foi registrado um maior número de casos na América Latina e na Austrália, e poderia se estender ao sul da Europa.

Doença nova, febre do Nilo tem primeiro caso confirmado no Brasil

  • Informações da Agência Brasil
  • 09 Dez 2014
  • 16:00h

(Foto: Reprodução)

O Ministério da Saúde confirmou hoje (9) o primeiro caso de febre do Nilo Ocidental no país. O paciente é um trabalhador rural do Piauí, que já recebeu alta hospitalar. Segundo a pasta, o homem, que estava internado no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela, em Teresina, deve passar por reabilitação e fisioterapia. O caso estava em investigação desde agosto. Na época, o trabalhador rural apresentou encefalite e o caso foi notificado como suspeito. A doença foi confirmada após a realização de dois exames sorológicos com reagente para o vírus do Nilo Ocidental-VNO (IH e ELISA). De acordo com o ministério, o caso é isolado e ainda não foi identificada a cadeia de transmissão. A pasta informou que a confirmação da doença não representa risco para saúde pública do país. Mais quatro pessoas apresentaram sintomas neurológicos considerados suspeitos, mas exames feitos em laboratório descartaram a possibilidade de elas estarem com a febre do Nilo. Além dos casos que apresentaram sintomas, foram feitos testes em mais 18 pessoas da região. Todos os resultados deram negativo, informou o ministério. A febre do Nilo Ocidental é uma infecção causada por um vírus e transmitida por meio da picada de mosquitos comuns, principalmente do gênero Culex. A doença é originária do Egito.  Em cerca de 80% dos casos verificados em humanos, não há sintomas. Nos demais casos, os sinais são semelhantes aos da gripe, como febre, fadiga, dores de cabeça e musculares ou articulares. Menos de 1% dos humanos infectados ficam gravemente doentes, com sintomas como febre alta, rigidez na nuca, desorientação, tremores, fraqueza muscular e paralisia. Segundo o Ministério da Saúde, não existe tratamento específico para a doença. O tratamento, basicamente de suporte, envolve hospitalização, reposição intravenosa de fluidos, suporte respiratório e prevenção de infecções secundárias.

MP entra com ação contra o Estado por falta de remédio contra anemia falciforme

  • Da Redação
  • 07 Dez 2014
  • 11:38h

(Foto: Reprodução)

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) ajuizou ação na quinta-feira (4) contra o Estado da Bahia por conta da falta de remédio contra a anemia falciforme por mais de 30 dias para 81 pacientes de Mata de São João. O MP pede liminar para antecipação de tutela contra o Estado por conta da interrupção do fornecimento do medicamento hidroxiureia à Fundação de Hematologia da Bahia (Hemoba), que fazia a distribuição. O MP recebeu denúncia da situação através da mãe de uma criança que tem a doença. A própria Hemoba confirmou a falta do medicamento, que é de fornecimento obrigatório pelo Sistema Unico de Saúde (SUS), segundo portaria do Ministério da Saúde. A promotora Luiza Amoedo pede que a Justiça determine em caráter liminar que o Estado forneça pelo menos 243 frascos do remédio em prazo máximo de cinco dias, contados a partir da decisão - três para cada um dos 81 usuários da comarca. A promotora pede ainda determinação judicial para garantir a disponibilização regular da medicação e a condenação do Estado a pagar indenização por danos morais aos usuários. A promotora alega que o MP notificou o Estado "sucessivas vezes" e não houve retorno. A Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) informou que a indústria responsável por fabricar o medicamento informou através de comunicado em outubro que tinha dificuldades para comercializar o remédio e que o problema acontece nacionalmente.

Uso correto da bicicleta ajuda a evitar lesões

  • Luana Almeida
  • 07 Dez 2014
  • 10:30h

Márcia Meneses percebeu que as dores que sentia na coluna diminuíram após o uso constante da bike | Eduardo Martins | Ag. A TARDE

O bom tempo, a proximidade do verão e o início das férias são um convite à prática de esportes ao ar livre, como o ciclismo. No entanto, antes de sair por aí a pedalar, é preciso estar atento ao uso correto da bicicleta. De acordo com dados do estudo Ergonomia Aplicada ao Design de Bicicletas, desenvolvido pela Universidade de São Paulo (USP), cerca de 30% dos ciclistas brasileiros -  profissionais ou amadores -  sofrem ou já sofreram de dores na coluna e ou problemas musculares por conta do uso indevido  do equipamento. O levantamento aponta que, entre as consequências mais comuns da prática incorreta estão lesões musculares, hérnias de disco, artroses, tendinites, incontinência e infecções urinárias e até problemas de ereção. Especialista em osteopatia, o educador físico e fisioterapeuta Marcelino Lima alerta, também, para o aparecimento de dores na região lombar, cervical, nos joelhos e na panturrilha. Para evitar problemas músculo-articulares,  ele recomenda que os ciclistas, sobretudo os que só praticam o esporte de forma eventual, observem  a altura e condições do banco (selim), a distância do guidom e o tamanho do quadro. "O mercado possui uma variedade de bicicletas, das mais simples às mais equipadas. Porém, é possível obter conforto ao pedalar após ajustes simples", afirma.

Adaptação

Regular a altura do selim é a medida que o especialista considera como fundamental ao conforto e à saúde. "Um banco muito baixo requer que se dobre ainda mais o joelho, o que pode acabar machucando-o, além de causar lesões no quadril", diz Marcelino Lima.

Para fazer o ajuste, basta se posicionar ao lado da bike e erguer o banco até a altura do osso da bacia. "Nesse tamanho, o ciclista vai tocar o chão apenas com a ponta do pé", esclarece.

É preciso estar atento também ao conforto do banco: "O selim não pode ser muito duro, pois pode ocasionar a compressão do nervo pudendo, na região genital", explica.

O fisioterapeuta recomenda, ainda, que o ciclista mantenha a coluna ereta durante todo o tempo de pedalada.
"É comum, ao pedalar, flexionar   a coluna para frente de forma excessiva. Se posicionar bem sobre o veículo é a melhor maneira de evitar  dores", completa.

Reabilitação

Embora o ciclismo possa ser um vilão para a saúde de quem pratica o esporte de forma inadequada, quem o utiliza  de forma correta percebe melhoras significativas no tratamento para dores na coluna e musculares.

A designer Márcia Meneses, 41, usa a bicicleta como meio de transporte desde 2009, quando decidiu vender o carro. Depois que começou a pedalar com mais frequência, as dores decorrentes de uma hérnia de disco melhoraram significativamente.

Márcia sempre foi esportista, mas dispunha de pouco tempo para  exercitar-se por conta do trabalho. "Eu passava muito horas sentada. Quando comecei a usar mais a bicicleta, percebi  que as dores  provocadas pela hérnia reduziram bastante", relata.

Para  sentir-se mais confortável, a designer optou por  uma bike sem marchas - que, segundo ela, parece ser mais leve - e teve todo o cuidado de adaptá-la de acordo com a própria estatura.

"Me preocupo, também, com a postura. Como pedalo por toda a cidade, procuro permanecer numa posição ereta", afirma.

O ciclismo foi a recomendação do ortopedista do aposentado João Jorge Araújo, 64, para tonificar os músculos da perna após passar sete meses sem se exercitar por conta de uma cirurgia.

"Sentia que não tinha muita firmeza ao caminhar. A bicicleta me deu mais força e segurança", afirma.

 

Dicas básicas para ciclistas eventuais

Selim – Antes de montar, verifique se o banco está compatível com sua altura. Posicione-se ao lado da bike e erga o selim até o osso da bacia

Conforto – Opte por bancos confortáveis. Caso a bicicleta disponível não possua um selim acolchoado, use revestimento de gel, disponível em lojas de acessórios para ciclismo

Compra – Ao comprar uma bicicleta, verifique com o vendedor se o tamanho do quadro é apropriado para sua estatura. Prefira comprar em lojas especializadas

Tipo de bike – Antes de comprar, saiba a real utilização da bicicleta. Para lazer, opte pelas mais simples. Para o uso como meio de transporte, prefira as urbanas com marchas

Exercícios – Antes de começar a pedalar, faça alongamentos  simples

CONTINUE LENDO

Refeição na hora certa traz grandes benefícios à saúde

  • Da Redação
  • 30 Nov 2014
  • 18:14h

(Foto: Reprodução)

Evidências científicas correlacionam o consumo habitual de café da manhã a baixo risco de sobrepeso e obesidade, melhora na capacidade de aprendizagem e performance esportiva. Na atualidade, porém, a diminuição do consumo desta refeição é observada como mudança no nosso comportamento alimentar. De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira, esta refeição deve ter variados tipos de alimentos e atender a 25% das calorias totais da dieta. As principais refeições da população devem ser café da manhã, almoço e jantar, acresci da de pequenos lanches. Um trabalho científico realizado por Trancoso e colaboradores (2010-Revista de Nutrição), através de revisão de estudos na literatura, identificou que o perfil dos consumidores frequentes do café da manhã é de não fumantes, praticantes de atividade física, indivíduos que controlam o peso e que não fazem uso frequente de álcool. Ou seja, há uma relação positiva entre o consumo de café da manhã e um estilo de vida saudável. A realização desta refeição é mais frequente em adultos (18-60 anos). Homens negligenciam mais do que mulheres e apresentam maior tolerância ao jejum.

Campanha contra pólio é prorrogada até o dia 12 de dezembro

  • Da Redação
  • 29 Nov 2014
  • 07:07h

(Foto: Reprodução)

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Paralisia Infantil, que terminaria nesta sexta-feira (28), foi prorrogada em Salvador por mais duas semanas. Com isso, a vacina estará disponível nos postos de saúde da capital baiana até o dia 12 de dezembro. A campanha é para vacinar crianças de seis meses a cinco anos de idade. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, 42% das crianças de Salvador ainda não foram imunizadas. De acordo com a chefe do setor de imunização da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Doiane Lemos, o prazo foi estendido para que a meta de imunizar pelo menos 95% das 156.066 mil crianças residentes no município seja cumprida. A vacina contra a pólio pode ser encontrada em todos os postos de saúde do município, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. A Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), ainda não tem informações sobre a prorrogação da campanha de vacinação no interior do estado.

Pilates é mais uma arma contra câncer e doenças do coração

  • Carmen Vasconcelos
  • 23 Nov 2014
  • 13:54h

Lucimar Lopes conseguiu adiar por tempo indeterminado uma cirurgia cardíaca após fazer a reabilitaçãoCada sessão de exercícios é personalizada de acordo com o paciente (Foto: Robson Mendes)

Há cerca de cinco anos, a bancária Lucimar Lopes, 56, foi diagnosticada com uma insuficiência cardíaca. Na época, o médico que a acompanhava sugeriu que ela iniciasse uma reabilitação com a técnica de Pilates para preparar o coração para uma cirurgia. “Passei a fazer o Pilates três vezes por semana e parei de cansar o tempo todo, voltei a conseguir trabalhar em casa, minha qualidade de vida melhorou e, até agora, consegui passar sem a cirurgia”, comemora, lembrando que os resultados foram percebidos pelos vizinhos e amigos. “Sou uma divulgadora desse tipo de reabilitação”, conta em tom de brincadeira. Criado nos anos 20 do século passado, o Pilates vem se mostrando uma boa ferramenta para ajudar pacientes com doenças do coração e os que lutam contra o câncer. Isso porque os pacientes costumam sofrer com a perda da massa magra e da força muscular pelo tempo que precisam ficar acamados ou em inatividade por força do uso das medicações. A perda muscular própria nessas situações costuma comprometer a funcionalidade do paciente até mais que a própria doença. A reabilitação física evita a perda da musculatura e ajuda o paciente a suportar o esforço.  Para o cardiologista Otávio Lopes Peixoto, do Hospital Ana Nery, as diversas modalidades de reabilitação, incluindo o Pilates, são úteis para pacientes cardiopatas na medida em que melhoram a qualidade de vida destes pacientes, reduzindo de forma significativa os sintomas da doença cardíaca, possibilitando ainda a redução do número de reinternações hospitalares, além de aumentar a sobrevida. “É inegável a repercussão da reabilitação nos aspectos psicológicos destes pacientes, visto que além da melhora dos sintomas cardíacos, existe também o fortalecimento da autoestima e funcionalidade social dos mesmos”, completa o médico.

 

De acordo com a fisioterapeuta Juliana Simon, especialista pelo Instituto do Coração(Incor/USP) num tipo de reabilitação específica para pacientes com câncer e doenças do coração e pioneira no tratamento no estado, mais que trabalhar o corpo, o Pilates voltado para a reabilitação permite que pacientes possam voltar a se movimentar com tranquilidade, devolvendo a integridade física sem desgastes. “Todas as séries de atividades são desenvolvidas para se adequar à necessidade do paciente, assim alguém com leucemia, por exemplo, não pode ter grandes gastos energéticos, então o movimento precisa respeitar isso”, esclarece, ressaltando que já os pacientes que tiveram câncer de mama ou qualquer problema ósseo precisaram centrar os seus esforços num reforço da musculatura. A reabilitação com o Pilates também respeita etapas de recuperação do paciente e pode ser usada em vários momentos do processo de tratamento, especialmente na hora de reabilitar as pessoas para suas atividades rotineiras. “Tudo é desenvolvido com base fisiológica”, esclarece. Ela destaca que mesmo respeitando as necessidades específicas, é necessário que a prática seja mantida por, no mínimo, duas vezes na semana. Em cada sessão, mesmo quem nunca praticou atividade física regular pode aprender a realinhar a postura do corpo, melhorar a coordenação motora, aumentar a concentração, a força, flexibilidade, além de ampliar o potencial respiratório permitindo que, por consequência, também haja uma estimulação no sistema circulatório e na oxigenação do sangue, fato que estimula a imunidade. Reforço  - Maria Janildes Gomes, 62, era uma pessoa indisposta dentro de casa. Há três anos, ela luta contra uma leucemia que baixava sua imunidade e a deixava cheia de dores no corpo. “Ao contrário do que as pessoas pensam sobre leucemia, digo que a minha vida inteira sempre comi bem, trabalhava, mas era sedentária. A reabilitação duas vezes por semana, mudou minha vida e, hoje, até mesmo minha filha, que começou a reclamar de cansaço quando chegava do trabalho, começou a fazer Pilates”, diz, lembrando que está se preparando para fazer um transplante de medula óssea nos próximos meses. “Retomei prazeres simples como cozinhar e isso tem sido importante”, completa, ilustrando as vantagens do tratamento fisioterápico. Nas palavras da oncologista Júlia Andrade de Oliveira, da Clínica AMO, especificamente em pacientes oncológicos, a prática de atividade física permite que eles vivam mais e melhor. “Exercícios físicos não só reduzem riscos de recidiva de neoplasia e aumentam sobrevida, como permitem uma melhor qualidade de vida, através de melhor manejo de efeitos colaterais como astenia (fraqueza muscular), artralgia e mialgia (dor em articulações e dor muscular), além de melhor controle da ansiedade e depressão, que invariavelmente surgem no paciente que recebe diagnóstico de câncer”, completa. A médica destaca ainda que pacientes que fazem atividade física apresentam menor intensidade de efeitos colaterais com o tratamento (quimioterapia e radioterapia), conseguem se recuperar mais rapidamente de sequelas do tratamento, manter um humor mais equilibrado, melhor qualidade de sono e menor nível de estresse emocional. A cardiologista Maria Cristina Torres Cardoso, da Clínica Serviços Integrados em Medicina (SIM), destaca que antes de ser submetido a qualquer reabilitação física, é importante que o paciente passe por uma avaliação, onde além das atividades físicas, também sejam contempladas as questões nutricionais.

CONTINUE LENDO

Saiba como evitar os temíveis ácaros

  • Ana Claudia Amorim
  • 16 Nov 2014
  • 10:05h

(Foto: Reprodução)

Nesta época do ano, o calor e as chuvas favorecem o aumento de problemas respiratórios. Isso porque ambientes muito úmidos e quentes facilitam a proliferação de ácaros, parasitas que provocam irritações no nariz e na garganta. Esses seres minúsculos sobrevivem em lugares como colchões, tapetes e travesseiros e se alimentam de escamas de pele humana. De acordo com a clínica geral do Hospital Federal da Lagoa, no Rio de Janeiro, Rúbia Americano, os ácaros liberam excrementos que causam diversas doenças alérgicas no ser humano como rinite, asma alérgica e dermatite. Rúbia Americano explica que o tratamento para essas complicações começa com a prevenção. “Quanto menos cortinas, tecidos, quando menos usarmos, prolongadamente roupas de cama melhor. Expor ao sol e o ferro de passar roupa podem ser usados como um fator de prevenção. Isso tudo pode ajudar as pessoas que têm esse problema que é bem específico, não é para todo mundo, é bem especificamente para que tem essa tendência de problemas respiratórios.” A estudante, Cássia Dantas, sabe bem disso. Como sofre de alergia respiratória, ela conta que está atenta aos cuidados com a limpeza para evitar novas crises. “Tem a questão do ácaro também que acaba incomodando. Para quem é alérgico é bem complicado isso, o ambiente tem que ficar bem limpo e aí, quando ele acumula sujeira, acaba transmitindo outras coisas pra gente.” Ainda de acordo com a médica clínica geral, Rúbia Americano, o tratamento de irritações respiratórias e cutâneas causadas por ácaros é medicamentoso, mas se a pessoa se expuser novamente ao parasita, o problema alérgico reaparece. Por isso, as medidas de prevenção não podem ser interrompidas. 

Academias públicas poderão gerar energia com equipamentos de ginástica

  • Da Redação
  • 04 Nov 2014
  • 21:28h

(Foto: Reprodução)

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou nesta terça-feira (4) que academias de ginástica se tornem micro ou minigeradoras de energia elétrica. Isso será possível a partir da adaptação de equipamentos, de forma a aproveitar a força motriz humana aplicada durante os exercícios. Por enquanto, a permissão vale apenas para academias públicas disponibilizadas nas ruas pela prefeitura do Rio de Janeiro. Elas fazem parte de um projeto piloto, em parceria com a empresa Adabliu Eventos e a concessionária Light Serviços de Eletricidade. “Toda energia gerada será computada e compensada nas instalações da prefeitura”, informou o relator do processo na Aneel, Reive Barros dos Santos. “Trata-se do reaproveitamento de energia. Ela seria desperdiçada, caso não fossem utilizados sistemas de conversão eletromecânica do trabalho durante a prática desportiva e injeção de eletricidade na rede de distribuição de energia elétrica”, acrescentou.

Dor para urinar e sangramento podem ser sinais de câncer de próstata

  • Da Redação
  • 02 Nov 2014
  • 07:53h

(Reprodução)

Um em cada seis homens deverá ter câncer de próstata. Segundo dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer), a estimativa é que o número de casos da doença aumente em 60% até 2015; três quartos ocorrem a partir dos 65 anos. Hoje, não há como prevenir o câncer de próstata, mas realizar exames preventivos ajudam a detectar a doença ainda em estágio inicial e ter chance de cura de até 85%. Em estágios iniciais, o câncer de próstata não causa nenhum tipo de sintoma, explica o coordenador do Departamento de Uro-oncologia da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), Lucas Nogueira. Por isso, é recomendável que os homens façam os exames de prevenção, que são o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico) e o exame de toque retal. Assim, é possível detectar a doença ainda em estágio inicial elevando as chances de cura. Já nos casos mais avançados, o câncer de próstata pode causar diversas consequências graves ao paciente, como dores ósseas e até paralisia nas pernas, alerta o urologista do Hospital das Clínicas de São Paulo Cesar Camara. Ocorre também sangramento e dificuldade muito grande para urinar. A dificuldade para urinar acontece também no crescimento benigno da próstata, mas isso nós descobrimos realizando os exames.

Novembro Azul: A importância da prevenção

  • Da Redação
  • 01 Nov 2014
  • 09:44h

(Foto: Reprodução)

Depois do Outubro Rosa, que intensificou a prevenção do câncer de mama nas mulheres, o Novembro Azul vem chamar a atenção do público masculino para o tumor maligno de próstata. Exclusivo dos homens (a próstata é um glândula que só existe no homem), esse tipo de câncer é segundo mais prevalente entre os homens. Só para este ano, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) prevê a ocorrência de 68,8 mil casos novos no país, 12.930 no Nordeste, e 3.450 casos na Bahia. O número de óbitos estimado pela enfermidade é de 13.129. O preconceito e a falta de informação ainda são o maior inimigo para o controle da doença, que quando diagnosticada em exames (toque retal ou laboratorial) anuais tem 90% cura. 

Chikungunya atinge 35 cidades baianas; Vigilância estima zerar transmissão local em 6 meses

  • Da Redação
  • 22 Out 2014
  • 17:34h

(Foto: Reprodução)

A febre chikungunya já atinge 35 municípios na Bahia, segundo último relatório da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab). De acordo com a pasta, até o dia 21 de outubro foram notificados 1.267 casos no estado. Feira de Santana, no centro norte, ainda é a primeira em registros, com 371 casos confirmados de 1.015 notificações feitas, e Riachão do Jacuípe, na mesma região, tem 82 casos confirmados, com174 notificações. As outras confirmações da doença ocorreram em Salvador, com dois casos, e em Alagoinhas, Cachoeira e Amélia Rodrigues, que registraram um caso confirmado cada uma. No entanto, segundo a Sesab, todos os registros fora de Feira tiveram foco na segunda maior cidade do estado. De acordo com a coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Sesab, Jesuína Castro, um plano de ação estadual foi aprovado na sexta-feira (17) com representantes de secretarias de saúde do interior para intensificar o combate à doença. 

Ipiaú: Secretária de Saúde diz que caso suspeito de Chikungunya foi dengue clássica

  • Informações do Giro em Ipiaú
  • 22 Out 2014
  • 17:29h

Secretária disse que a Vigilância Epidemiológica está em alerta. (Foto: Giro em Ipiaú)

A Secretária de Saúde do município de Ipiaú, Jamine Barros, revelou nesta quarta-feira(22), durante entrevista ao Programa Institucional da Prefeitura, na Fm Ipiaú, que o resultado do exame do caso suspeito de chikungunya deu negativo. Segundo a secretária, o caso foi de identificado como dengue clássica. Ainda de acordo com Jamine Barros, o paciente foi atendido em Ipiaú, mas reside em Dário Meira. A secretária reafirmou o empenho dos Agentes de Endemias do município no controle dos casos de dengue e outras doenças. A Vigilância Epidemiológica da 13ª Dires investiga outros casos suspeitos em Itagibá e Dário Meira. A infecção pelo vírus chikungunya provoca sintomas parecidos com os da dengue, porém mais dolorosos.