BUSCA PELA CATEGORIA "Saúde"

Brasil deve atingir meta de controle da hanseníase este ano, afirma coordenadora

  • 08 Ago 2015
  • 08:44h

(Foto: Reprodução)

O Brasil deve atingir este ano a meta de controlar a hanseníase como um problema de saúde pública, afirmou a coordenadora do Programa Nacional de Eliminação da doença, Rosa Castália Soares. Ano passado, a meta nacional registrada no País foi de 1,27 casos a cada 10 mil habitantes. Embora a estatística geral esteja próxima do compromisso assumido pelo País, (menos de um caso a cada 10 mil habitantes) especialistas dizem que a doença não pode ser considerada controlada. "Alguns Estados apresentam um número muito significativo de casos, como Maranhão", disse o presidente da Associação Internacional de Hanseníase, o brasileiro Marcos Virmond. "Levará ainda cerca de 50 anos para que o problema esteja totalmente controlado no País", completou.

 

Ele cita dois fatores para a dificuldade no controle da doença: a falta de capacitação de profissionais e problemas econômicos. "É uma doença ligada à pobreza. Basta lembrar que, na Europa, os casos foram controlados mesmo antes da existência de um tratamento", completou. Caracterizada pelo aparecimento de manchas e falta de sensibilidade nas áreas afetadas, a hanseníase muitas vezes é confundida por profissionais de saúde com micoses ou, em casos mais avançados, com problemas reumáticos. "São poucos os dermatologistas que associam o sintoma à doença. Eles estão mais preocupados com botox."Professor da Universidade Federal do Pará, Cláudio Salgado, teme que o alcance da meta de um caso a cada 10 mil habitantes desmobilize as ações de prevenção e controle da doença em regiões que ainda necessitam de investimento e melhoria no atendimento. "Como falar que uma doença está controlada se ainda identificamos casos em crianças?". Rosa, no entanto, descarta o risco de desmobilização. "Houve uma melhoria significativa no atendimento, na capacidade de identificação de casos. Isso vai ser mantido", garantiu. Ela lembra que o Brasil assumiu o controle de Doenças Tropicais Negligenciadas que ainda são endêmicas até 2020. "São sete no País. O controle é feito em bloco", completou.

CONTINUE LENDO

Aparelhos para redução de gordura são suspensos pela Anvisa

  • 07 Ago 2015
  • 14:03h

(Foto: Reprodução)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou, nesta quinta-feira (6), a suspensão da fabricação e distribuição dos produtos Critotec Criolipólise e Lipocavitaçao, Criotec Portátil, Criolipólise e Lipocavitação, Cavitec Lipocativição e Radiofrequência e Membrana para Criolipólise. A medida ainda proíbe a divulgação e comercialização dos produtos no site da empesa Lipotec. Anunciados como redutores de gordura, os produtos serão apreendidos e inutilizados. Segundo a Agência Brasil, clínicas de estética e sites femininos explicam na internet que a criolipólise é o "novo método de esculpir o corpo". A Anvisa afirmou que nenhum dos produtos tem o registro, documento que deve ser pedido pela agência reguladora e que é concedido ou não depois de análise sobre a eficácia e a segurança do produto. Procurado pela Agência Brasil, o sócio da empresa que importa o produto no Brasil e responsável pelo site, Ivan Latalisa de Sá, disse que o portal é apenas uma forma de a empresa fazer pesquisa de mercado. Segundo ele, o produto não é vendido no país. (Bahia Notícias). 

Vacina contra ebola tem êxito em teste e pode acabar com surto, diz OMS

  • Uol Notícias
  • 31 Jul 2015
  • 19:05h

Pesquisador trabalha na produção de vacina contra o vírus ebola no Instituto The Jenner em Oxford, na Inglaterra

O mundo está pela primeira vez prestes a ser capaz de proteger os seres humanos contra o ebola, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta sexta-feira (31), após dados de um teste na Guiné mostraram que uma vacina foi 100 por cento eficaz. Os resultados iniciais do estudo, que testou a vacina VSV-ZEBOV, da Merck e da NewLink Genetics, em cerca de 4.000 pessoas que estiveram em contato próximo com um caso de ebola confirmado, mostrou 100 por cento de proteção após dez dias. Os resultados foram descritos como "notáveis" e "virada no jogo" por especialistas em saúde. "Acreditamos que o mundo está prestes a ter uma vacina eficaz contra o ebola", disse a especialista em vacinas Marie Paule Kieny, da OMS, em uma entrevista à imprensa em Genebra. A vacina pode agora ser usada para ajudar a acabar com o pior surto de ebola já registrado até hoje, que matou mais de 11.200 pessoas na África Ocidental desde que foi detectado em dezembro de 2013.

 

A diretora-geral da OMS, Margaret Chan, disse que os resultados, publicados online na revista médica The Lancet, são um "desdobramento extremamente promissor". "Esta vai ser uma virada de jogo", disse ela a jornalistas. "Vai mudar a gestão do atual surto de ebola e de futuros surtos." Esse e outros experimentos de imunização foram acelerados com enorme esforço internacional de pesquisadores para conseguirem testar terapias e vacinas enquanto o vírus ainda estava circulando com força. "Sabíamos que era uma corrida contra o tempo e que o experimento tinha de ser realizado sob as circunstâncias mais difíceis", diz John-Arne Röttingen, chefe da área de controle de doenças infecciosas no Instituto Norueguês de Saúde Pública e presidente do grupo de acompanhamento do experimento. A entidade beneficente Médicos sem Fronteiras (MSF), que vem liderando a luta contra o ebola na África Ocidental, está agora apelando para que a VSV-ZEBOV seja levada aos outros focos do surto, Libéria e Serra Leoa, onde a entidade diz que poderia quebrar cadeias de transmissão e proteger os trabalhadores de saúde na linha de frente do atendimento aos doentes. (Reportagem adicional de Tom Miles, em Genebra, e Ben Hirschler, em Londres)

CONTINUE LENDO

Bahia registra mais de 94 mil casos de dengue, zika e chikungunya até julho

  • 30 Jul 2015
  • 09:38h

(Foto: Reprodução)

Até o fim de julho deste ano, a Bahia registrou 94.723 casos suspeitos de dengue, chikungunya e zika, conforme boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado nesta quarta-feira (29). O boletim aponta que deste montante, 50.896 das suspeitas são de dengue. As notificações de zika vem na sequência: foram 34.518 casos. Segundo informações do portal G1, a pasta ainda verificou 9.312 ocorrências de chikungunya. Das 417 cidades do estado, 371 apresentaram casos de dengue registrados pela Vigilância Epidemiológica. Lideram as ocorrências Itabuna (5.817), seguida de Ilhéus (5.106), Salvador (3.662), Luis Eduardo Magalhães (2.523), Feira de Santana (2.075), Jequié (1.963), Simões Filho (1.598), Arací (1.177), Serrinha (1.000) e Barra (953). Juntos, esses municípios concentram 50,84% dos casos. Dos casos confirmados na Bahia, 12 receberam sinal de alarme e 19 foram registrados como graves. Nove pessoas morreram da doença. 

Em relação à chikungunya, as cidades com maior incidência da doença são: Feira de Santana, Riachão do Jacuípe, Baixa Grande, Ribeira do Pombal, Amélia Rodrigues, Valente, Camaçari, Salvador, Simões Filho, Capela do Alto Alegre, Ipirá, Nova Fátima e Pé de Serra. A Sesab também investiga casos em Cansanção, Gavião, Lauro de Freitas, Pintadas, Serrinha, Ichu, Retirolândia, Santaluz, Una, Banzaê, Cruz das Almas, Mata de São João e Ponto Novo. A zika ocorreu em 199 cidades, com destaque para Salvador (44,16%), Camaçarí (15,90%), Jequié (3,63%) e Porto Seguro (3,11%), com 82% dos casos. Segundo a Sesab, das 34.518 notificações da doença, a maioria dos casos foi observada em pessoas na faixa etária entre 20 e 39 anos. Até o dia 23 de julho ainda foram registrados 115 casos da Síndrome de Guillan-Barré, relacionada a pacientes de zika. Do total, 53 foram confirmadas, 24 foram descartadas e 32 ainda são investigados. (*Bahia Notícias). 

CONTINUE LENDO

Vacina de dengue em teste é mais eficaz a partir de 9 anos de idade

  • G1
  • 28 Jul 2015
  • 15:03h

(Foto: Reprodução)

A vacina contra dengue desenvolvida pelo laboratório Sanofi Pasteur – cujos documentos para registro no Brasil já foram submetidos à Anvisa em março – é mais eficaz a partir dos 9 anos de idade. A conclusão é de uma análise combinada de dois grandes testes clínicos feitos pela empresa na Ásia e na América Latina. A partir dessa faixa etária, a vacina é capaz de proteger 66% dos indivíduos contra a dengue. Os resultados anteriores, que incluíam crianças mais novas, tinham demonstrado 56% de proteção (no estudo da Ásia) e 60,8% de proteção (no estudo da América Latina). Nesse grupo etário, a imunização também é bem mais eficaz para quem já foi infectado por um dos quatro sorotipos do vírus. Quem já pegou dengue tem uma proteção de 82%. Enquanto isso, quem nunca pegou a doença tem apenas 52% de proteção garantida. As novas conclusões foram publicadas nesta segunda-feira (27) na revista “The New England Journal of Medicine”.

O estudo também traz como novidade o acompanhamento dos participantes do estudo por um período maior de tempo. Um achado possivelmente negativo da análise foi que, entre as crianças menores de 9 anos, as que pegaram dengue no terceiro ano depois da vacinação tiveram maior risco de desenvolver casos graves da doença em comparação às que não tinham sido vacinadas. Segundo a médica Sheila Homsani, gerente do departamento médico da Sanofi Pasteur, esses resultados ainda são preliminares e corroboram a indicação de que a vacina seja recomendada somente a maiores de 9 anos. Um editorial sobre o estudo publicado na revista científica destacou que a vacina foi eficaz em reduzir as hospitalizações por dengue em até 80%. Porém, um ponto fraco seria o fato de ela não trazer uma boa proteção contra o sorotipo 2 da dengue (essa proteção variou de 35 a 50%). Além disso, o fato de que quem não tem histórico de infecções por dengue fica menos protegido. Até o momento, não existe nenhuma vacina contra dengue aprovada no mundo. A vacina da Sanofi Pasteur é a que está em fase mais adiantada. Segundo Sheila, depois de os documentos para registro terem sido submetidos à Anvisa em março, a expectativa é que a agência conclua a análise até o fim do ano.  Mas existem outras iniciativas de desenvolvimento da imunização contra a dengue, inclusive por instituições brasileiras. O Instituto Butantan, em parceria com os Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos (NIH), desenvolvem um desses projetos. Já a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) está envolvida em dois projetos. A farmacêutica japonesa Takeda também está na corrida pelo desenvolvimento de uma vacina contra dengue.

CONTINUE LENDO

Ministério da Saúde convoca população para fazer teste da hepatite C

  • Agência Brasil
  • 28 Jul 2015
  • 09:17h

(Foto: Reprodução)

Em atenção ao Dia Mundial da Luta contra as Hepatites Virais, lembrado hoje (28), o Ministério da Saúde está convocando a população para fazer o teste da hepatite C e se vacinar contra as hepatites A e B. O teste pode ser feito nos postos da rede pública de saúde. A recomendação é feita especialmente para pessoas com mais de 40 anos. O Ministério da Saúde considera primordialmente esta faixa etária porque nas décadas de 80 e 90 havia mais uso de drogas injetáveis, transfusões de sangue e hemodiálise com menor controle e sexo desprotegido. Considerado pelo Ministério da Saúde como um grave problema de saúde pública, a hepatite é uma inflamação do fígado. Pode ser causada por vírus, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. São doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas, mas quando aparecem podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

Contra as hepatites A e B existe imunização, a primeira para crianças entre um e dois anos e a segunda, em três doses, para quem tem até 49 anos. As duas vacinas podem ser tomadas durante todo o ano nos postos de vacinação do Sistema Único de Saúde. “São vacinas que já estão mudando a história dessas enfermidades. As próximas gerações muito provavelmente serão livres da hepatite A e da hepatite B. Mas para a hepatite C precisamos convocar todos aqueles com mais de 40 anos, que tiveram procedimentos cirúrgico, que receberam sangue, que fizeram qualquer tipo de procedimento antes de 1993 para que procurem o posto mais próximo para fazer a testagem da hepatite C”. Sem o teste, a pessoa que tem o vírus só vai sentir sintomas quando a doença estiver em estágio muito avançado. A transmissão da hepatite C, causado pelo vírus HCV, se dá pelo sangue contaminado, por relação sexual, de mãe para filho e em ambiente hospitalar. OMinistério da Saúde lançou ontem um novo protocolo para o tratamento da doença com 90% de cura. A estimativa é que 1,4 milhão de pessoas tenham a doença no Brasil mas apenas 120 mil são confirmados e 100 mil em tratamento, já que nem todos tem esta recomendação. Todos os anos surgem aproximadamente dez mil novos casos e três mil mortes associadas à hepatite C no país. A hepatite A é causada pelo vírus VHA e desde 2005 apresentou uma queda de 69% no número de casos. A doença se concentra em crianças entre cinco e seis anos e a maioria dos casos é benigna. O vírus é transmitido basicamente por ingestão de alimento ou água contaminada. Em 2014 foram registrados 6.363 casos, mas a doença não tem notificação obrigatória, então provavelmente este número é subnotificado. Em geral, o quadro de hepatite A se resolve espontaneamente em um ou dois meses. Em alguns casos, porém, pode demorar seis meses para o vírus ser eliminado totalmente do organismo. A hepatite B é causada pelo vírus HBV e é transmitida por sexo desprotegido, sangue contaminado e de mãe para filho, além disso ele pode ser contraído em ambiente hospitalar contaminado. São aproximadamente 17 mil novos casos por ano.O tratamento é todo oferecido na rede pública.

CONTINUE LENDO

Zika Vírus também pode ser transmitido por relação sexual; entenda

  • 11 Jul 2015
  • 17:00h

(Foto: Ilustração)

O médico infectologista Kleber Luz, professor de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), lembra que, no caso do Zika Vírus, a transmissão não acontece somente através da picada do mosquito Aedes aegypti — ou Aedes albopictus, mais específico para a Zika e que já está no Brasil e em Salvador. O mosquito albopictus já existe em Salvador — foi identificado por pesquisadores no Vale do Canela. O inseto veio exportado para o Brasil em contêineres de navios, segundo o subsecretário da Saúde, Roberto Badaró. Segundo Luz, outro aspecto importante são as possibilidades de transmissão: perinatal (de mãe para filho), transfusão de sangue e via sexual.  “Esses vírus acabam tendo essas possibilidades de transmissão, além, é claro, pelo mosquito do gênero Aedes”, explicou Luz, na apresentação aos 250 médicos, na quarta-feira (8), no Hospital Geral Roberto Santos. Outro aspecto observado sobre o Zika Vírus é o grau de eficiência.“O Zika está se mostrando altamente virulento. Pelo que a gente nota, é necessário uma quantidade pequena para o desenvolvimento do vírus”, disse o infectologista Fábio Amorim, do Hospital Couto Maia e da Clínica Cehon.

Antibiótico Amoxicilina é suspenso por desvio de qualidade

  • 06 Jul 2015
  • 16:13h

(Foto:Divulgação)

Uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), publicada nesta segunda-feira (6) no Diário Oficial da União, suspende a distribuição, comercialização e uso do lote AX4144A2D (validade até setembro de 2016) do medicamento Amoxicilina 500 mg cápsulas, fabricado pela empresa Aurobindo Pharma Indústria Farmacêutica Ltda. De acordo com o texto, o próprio fabricante encaminhou à agência comunicado de recolhimento voluntário do produto em razão de desvio de qualidade por presença de corpo estranho em um blister (embalagem) lacrado do lote. A Aurobindo Pharma Indústria Farmacêutica Ltda. informou à Agência Brasil que já encaminhou uma carta a todos os clientes e estabelecimentos que receberam o lote, orientando sobre a devolução do medicamento. 

Vacinação contra gripe prossegue até esta sexta-feira (19)

  • 18 Jun 2015
  • 10:45h

(Foto: Reprodução)

Mesmo com o término da campanha de vacinação contra a gripe, 12 postos de saúde vão continuar oferecendo a dose contra a influenza para as mais de 146 mil pessoas que ainda não foram imunizadas em Salvador. As unidades abrem normalmente até amanhã, das 8h às 17h.  O público alvo é crianças (entre 6 meses e menores de 5 anos), gestantes, trabalhadores de saúde e idosos. “A proliferação do vírus da gripe é muito mais suscetível nesse período, sobretudo no nosso estado, onde as pessoas costumam viajar ao interior para comemorar o São João e a tendência é que elas estejam em espaços com grande aglomeração. Por isso, estamos dando mais uma oportunidade de vacinação nas unidades de referência espalhadas pela cidade”, explicou a chefe do Setor de Imunização da Secretaria Municipal da Saúde, Doiane Lemos. A 17ª Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe começou no dia 4 de maio e tinha como previsão de encerramento no dia 22 daquele mês. O prazo, entretanto, foi prorrogado pelo ministério na tentativa de atingir a meta. A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para este ano – A/H1N1, A/H3N2 e influenza B. O governo ressaltou que a dose é segura e considerada uma das medidas mais eficazes na prevenção de complicações e casos graves de gripe. Para receber a dose, é importante levar o cartão de vacinação e um documento de identificação. Pessoas com doenças crônicas ou com outras condições clínicas especiais também precisam apresentar prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem se dirigir aos postos em que estão registrados para receber a dose, sem necessidade de prescrição médica. A vacina é contraindicada para pessoas com histórico de reação anafilática ou para pessoas que tenham alergia grave a ovo de galinha e seus derivados.

Medicamentos mais eficazes para hepatite C serão doados pelo SUS

  • Agência Brasil
  • 16 Jun 2015
  • 09:40h

(Foto: Reprodução)

Três novos medicamentos para hepatite C serão oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) até o final do ano, na previsão do Ministério da Saúde. Segundo a pasta, os remédios – daclatasvir, sofosbuvir e simeprevir – aumentam as chances de cura e reduzem o tempo de tratamento. A adoção dos medicamentos foi aprovada pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS. O novo tratamento tem taxa de cura de 90%, enquanto o usadoatualmente tem eficácia de cura que varia entre 50% e 70%. Outra vantagem do tratamento, segundo o ministério, é a duração de 12 semanas, contra as 48 semanas da terapia atual. Os novos remédios provocam menos desconforto aos pacientes, já que todo o tratamento é por via oral. Conforme o Ministério da Saúde, os medicamentos serão adquiridos de maneira centralizada pela pasta para distribuição aos estados. Segundo o ministério, os remédios poderão ser indicados tanto para pacientes que acabaram de receber o diagnóstico de hepatite C quanto para aqueles que já completaram o tratamento atual, mas que não se curaram. No primeiro ano de uso dos medicamentos, será adquirido o suficiente para o atendimentode 15 mil pacientes. A estimativa do ministério é que a compra seja num valor de R$ 500 milhões.

Sesab recomenda municípios a continuar a vacinação contra a gripe

  • 16 Jun 2015
  • 08:10h

Governo recomenda aos municípios que não conseguiram atingir a meta de 80%, que continuem a vacinar as pessoas que fazem parte do grupo alvo | FOTO: Reprodução/Secom |

Apesar da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza (gripe) ter sido encerrada na última sexta-feira, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) está recomendando aos municípios que não conseguiram atingir a meta de 80%, que continuem a vacinar as pessoas que fazem parte do grupo alvo: idosos a partir de 60 anos, trabalhadores de saúde, povos indígenas, crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que afeta o sistema respiratório e pode levar a complicações graves e ao óbito, especialmente nos grupos de alto risco para as complicações da infecção (crianças menores de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais).

Vereadora Lúcia Rocha comenta o caso da suposta agressão a médico do Hospital de Base de Conquista

  • 18 Mai 2015
  • 09:36h

(Foto: Reprodução)

Um médico do Hospital de Base de Vitória da Conquista prestou queixa na noite de ontem (sábado) no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep) alegando que havia sido agredido verbalmente e fisicamente pela vereadora Lúcia Rocha (DEM). Segundo o boletim de ocorrência, o profissional iria colocar uma pessoa na emergência, quando a parlamentar alegou que o espaço seria disponibilizado para um parente da política.Em nota divulgada oficialmente no site do legislativo conquistense, a vereadora se defendeu. Leia a nota na íntegra: “Ao chegar ao hospital presenciei uma cena crítica. A paciente estava em uma maca baixa, quase no chão, com aparelhos para ajudar na sua respiração. Ela havia sofrido um AVC e estava com 40º de febre”- relatou. A vereadora disse que uma enfermeira de nome Fernanda a ajudou, juntamente com outro enfermeiro e conseguiram uma maca alta para que a paciente não ficasse tão próxima ao chão.

Conquista: Em dia de fúria vereadora e médico do HB protagonizam confusão que virou caso de Polícia

  • 17 Mai 2015
  • 10:50h

(Foto: Reprodução)

No final da tarde deste sábado, 17, uma confusão envolvendo a vereadora Lúcia Rocha e o médico plantonista da urgência do Hospital de Base chamou a atenção de pacientes e funcionários. Tudo teria começado quando a vereadora exigia que fosse disponibilizada uma maca e um respirador para um paciente, porém a unidade de saúde estava lotada e não havia como a solicitação ser atendida. Ela teria iniciado uma discussão com o médico Austelino Ferreira e dado um leve empurrão, relataram algumas testemunhas. A polícia foi chamada, mas Lúcia Rocha desapareceu entre os corredores. De acordo com funcionários do hospital, foi registrada uma ocorrência contra a legisladora, que não foi encontrada. 

Médico diz ser possível realizar 1º transplante de cabeça em dois anos

  • 15 Mai 2015
  • 10:09h

O neurocirurgião italiano, Sérgio Canavero, diz que pode fazer o primeiro transplante de cabeça em dois anos. Ele diz que vai apresentar a técnica em uma conferência nos Estados Unidos, em junho. Cientistas de várias partes do mundo dizem que esse tipo de cirurgia é impossível, com as técnicas conhecidas hoje. O procedimento duraria 36 horas e envolveria uma equipe de cem médicos para ligar um corpo saudável à cabeça de um paciente e já tem candidato: é o russo Valery Spirdonov, de 30 anos, que sofre de um tipo de atrofia muscular que leva à morte precoce. O médico está buscando patrocínio para a cirurgia, que ele calcula que vá custar R$ 45 milhões, e um país que aceite o transplante. Será preciso achar também um doador do corpo. O presidente da Academia Brasileira de Neurologia, doutor Rubens Galhardi, disse que a ideia ainda é muito distante do mundo real e que a comunidade científica praticamente não tem informações sobre isso. O russo que pretende passar pelo procedimento disse que reconhece as chances de dar certo são pequenas, mas que, ao menos, a experiência poderá levar médicos a acertarem a técnica no futuro.

Evento sobre dieta nutritiva acontece pela primeira vez em Conquista

  • Mirian Neto I ConquistaUrgente
  • 05 Mai 2015
  • 08:16h

Foto: Divulgação

Pela primeira vez em Vitória da Conquista o evento 'Alimentação alcalina e desintoxicante com Sheila Waligora' sobre dieta nutritiva. O evento será no dia 17 de maio no restaurante Alecrim, localizado na Av. Olívia Flores, nº 393, Candeias. Inscrições e informações na Clínica Vida Animal pelo telefone (77) 3425 - 1054. As inscrições vão até o dia 12/05.