BUSCA PELA CATEGORIA "Saúde"

Pangolim, mamífero em extinção, pode ser possível hospedeiro intermediário do coronavírus, dizem cientistas chineses

  • 08 Fev 2020
  • 08:07h

( Foto: Kham/Arquivo/Reuters)

O pangolim, um pequeno mamífero conhecido por suas escamas e ameaçado de extinção, pode ter tido um papel intermediário na transmissão ao homem do novo coronavírus, que já matou mais de 600 pessoas na China, de acordo com as agências de notícias Reuters e France Presse.A afirmação é de pesquisadores da Universidade de Agricultura do Sul da China. Eles identificaram o pangolim como um possível "hospedeiro intermediário" que facilitou a transmissão do vírus, informou a universidade em um comunicado, sem dar mais detalhes."Esta última descoberta será de grande importância para a prevenção e o controle da origem [do vírus]", informou a Universidade Agrícola do Sul da China, que liderou a pesquisa, em comunicado em seu site.Dirk Pfeiffer, professor de veterinária da Universidade da Cidade de Hong Kong, alertou que o estudo ainda está longe de provar que os pangolins transmitiram o vírus, segundo relato à Reuters."Você só pode tirar conclusões mais definitivas se comparar a prevalência [do coronavírus] entre espécies diferentes com base em amostras representativas, o que essas quase certamente não são", afirmou Dirk Pfeiffer.Mesmo assim, Pfeiffer afirma que ainda é necessário estabelecer um vínculo com os seres humanos através dos mercados de alimentos de Wuhan, considerado o ponto inicial da transmissão do vírus.Embora protegido pelas leis internacionais, o pangolim é um dos mamíferos mais traficados da Ásia. Sua carne é considerada uma iguaria em países como a China e o Vietnã e suas escamas são usadas na medicina tradicional, de acordo com a organização não-governamental World Wildlife Fund (WWF).Em 2016, a Convenção Internacional sobre o Comércio de Espécies Selvagens Ameaçadas de Extinção introduziu o pangolim em uma lista que proíbe sua comercialização. De acordo com as ONGs, porém, apesar desta medida, o tráfico ilegal dessa espécie continua aumentando.

Teste desenvolvido na UFBA pode identificar coronavírus em 3h, diz pesquisador

  • G1
  • 07 Fev 2020
  • 12:04h

(Foto: Reprodução/TV Bahia)

O virologista Gúbio Soares, do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Bahia (UFBA), desenvolveu junto à equipe dele um teste rápido que pode identificar o coronavírus em cerca de 3 horas.Gúbio, que foi um dos pesquisadores que identificaram o zikavírus, conta que o teste é moderno e feito em uma máquina do instituto na Bahia. A técnica, conforme relatou, é a mesma que é usada na China, Alemanha e Estados Unidos. "Nós usamos um teste específico para o coronavírus, que funciona só com coronavírus. Temos um equipamento mais moderno, muito mais sensível para todos os vírus que a gente queira trabalhar. Na realidade ele é um real time mais moderno, mais sensível, com resultado mais breve", explica. O pesquisador conta que a extração do material genético do vírus é feita nesse equipamento. "É um equipamento automatizado, não tocamos no material, colocamos com luva e máscara. A partir dali nós vamos extrair o material genético do vírus e vamos levar para outra máquina. Usamos a secreção da faringe", diz. Sobre o uso do equipamento, Gúbio conta que ele pode ser usado tanto pela rede pública, quanto a particular. Entretanto, ele explica que a rede pública tem um fluxo determinado pelo Ministério da Saúde, e que as amostras são processadas pelos laboratórios públicos. "Meu objetivo é como foi com o zikavírus, que nós identificamos. Veio uma amostra de um hospital particular de Camaçari, e nós processamos essa amostra. Qualquer hospital que quiser mandar as amostras suspeitas para nós [do coronavírus], nós fazemos e damos o resultado ao hospital. Já existe uma normativa de fluxo para os laboratórios públicos, mas nós queremos oferecer nossa capacidade técnica, científica de um descobrimento de vírus, que a gente tem trabalhado aqui, para oferecer ao estado, ao país, à população, e beneficiar principalmente o povo", conta. A Bahia não possui casos suspeitos de coronavírus. Já o Brasil tem nove casos suspeitos, mas nenhum confirmado. A doença já matou 637 pessoas na China. Sobre a doença, o pesquisador diz que os brasileiros não têm motivo para preocupação, até mesmo com a chegada do carnaval. "Esse vírus, já se sabe que ele vai ficar concentrado na China. Existe um controle muito grande do governo da China. Os casos que estão aparecendo no mundo são de turistas que estavam na China e voltaram para os seus países. A população brasileira não precisa entrar nesse medo excessivo, porque aqui no Brasil não vem muito turista chinês para o carnaval. E como a saída do chinês está mais difícil, até pelo controle do país, não vai chegar o vírus aqui no Brasil", diz. Gúbio ainda explicou sobre a taxa de mortalidade e do público de alcance da doença. "A taxa de mortalidade do vírus é muito baixa, é de 2%. Ele atinge, já se sabe, uma população com mais de 60 anos. Para que as pessoas venham morrer têm de ter uma deficiência imunológica, uma doença prévia. Eu acho que a população tem que se tranquilizar. Existe virologista no mundo inteiro já falando sobre isso, de que esse vírus não vai se disseminar, ele vai se controlar na China", conta.

Em 2019 Bahia registrou 83 notificações de sequelas associadas à infecção por Zika

  • Bahia Notícias
  • 07 Fev 2020
  • 10:10h

(Foto: Reprodução)

A Bahia fez no ano passado 83 notificações ao Ministério da Saúde (MS) referentes à Síndrome Congênita associada à infecção pelo vírus Zika (SCZ). O número representa 5,7% do total de casos notificados em todo o Brasil em 2019, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela pasta. No período as regiões Nordeste e Sudeste somaram o maior número de notificações, 527 e 574, respectivamente. Em todo o Brasil o número foi de 1.462. A SCZ é um conjunto de sinais e sintomas presentes em crianças nascidas de mães infectadas pelo vírus da Zika durante o período gestacional. Além da microcefalia, demais alterações compõem o espectro da SCZ, a exemplo de alterações oftalmológicas, atraso de desenvolvimento neuropsicomotor, deformidades articulares e de membros, entre outras. Do total notificado, sete foram confirmados como SCZ e seis são considerados prováveis. Outras 66 ocorrências seguem sob investigação. Dois casos foram classificados como inconclusivos e outros dois excluídos. No Brasil, 72 casos foram confirmados em 2019 e 821 continuam sendo investigados.  Por quatro anos, entre meados de 2015 e meados de 2019, a Bahia esteve entre cinco estados com maior número de casos notificados. Com 14,9%, o estado foi o segundo com mais registros, atrás apenas de Pernambuco (16,2%). Em terceiro lugar aparece São Paulo (10,3%), depois o Rio de Janeiro (6,6%) e a Paraíba (6,6%). Nesse período, a maioria dos casos notificados concentrou-se na região Nordeste (56,9%) do país, seguido das regiões Sudeste (26,1%) e Centro-Oeste (7,7%). Uma medida provisória que concede pensão vitalícia no valor de um salário mínimo (R$ 1.045,00) para crianças que nasceram com microcefalia decorrente do vírus da Zika foi aprovada pelo Senado nesta quarta-feira (5). O benefício será destinado às crianças nascidas entre 1º de janeiro de 2015 e 31 de dezembro de 2019 e que também recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). A proposta, que seguiu para sanção presidencial, prevê que a pensão especial seja "mensal, vitalícia e intransferível".

Brasil descarta mais 3 casos suspeitos de coronavírus e investiga 9, diz Ministério da Saúde

  • G1
  • 06 Fev 2020
  • 16:05h

(Foto: Reprodução)

O Brasil tem 9 casos suspeitos de coronavírus em investigação, de acordo com o Ministério da Saúde. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (6), por volta das 10h, durante uma reunião do ministro Luiz Henrique Mandetta com os secretários de saúde dos estados e capitais do país.O levantamento anterior, das 12h desta quarta (5), apontava 11 casos suspeitos. Três deles foram descartados e outro, de Minas Gerais, foi acrescentado ao acompanhamento. Ao todo, 24 suspeitas já foram descartadas.Assim, os casos suspeitos estão em Minas Gerais (1), Rio de Janeiro (1), Rio Grande do Sul (3), Santa Catarina (1) e São Paulo (3).De acordo com o Ministério da Saúde, é considerado caso suspeito se o paciente apresentar febre e ao menos um sintoma respiratório (como tosse, dificuldade para respirar, entre outros) e também se viajou à China nos últimos 14 dias ou se teve contato próximo com alguém que tem suspeita ou é um caso confirmado de coronavírus.Os casos confirmados são definidos após análises laboratoriais que detectam o 2019-nCoV.

Confira a situação até as 10h desta quinta (6):

Senado aprova MP que dá pensão vitalícia às crianças com microcefalia causada pelo zika

  • 06 Fev 2020
  • 12:08h

(Foto: Reprodução/FioCruz)

O plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (5) a medida provisória que concede pensão vitalícia no valor de um salário mínimo (R$ 1.045,00) para crianças que nasceram com microcefalia decorrente do zika vírus.O benefício será destinado às crianças nascidas entre 1º de janeiro de 2015 e 31 de dezembro de 2019 e que também recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). Com a aprovação pelo Senado, a proposta segue para sanção presidencial. O projeto prevê que a pensão especial será "mensal, vitalícia e intransferível". O BPC é um auxílio no valor um salário-mínimo mensal à pessoa com deficiência e ao idoso com 65 anos ou mais que não tem condições de se sustentar. Embora seja destinado às crianças atualmente beneficiárias do BPC, não poderá haver acúmulo dos dois auxílios. A pensão começará a ser paga um dia após o cancelamento do pagamento do BPC. Conforme a MP, a pensão também não poderá ser paga junto com indenizações, devidas pela União, decorrentes de decisões judiciais. "O reconhecimento da pensão especial ficará condicionado à desistência de ação judicial que tenha por objeto pedido idêntico sobre o qual versa o processo administrativo", diz a MP. A MP determina que o INSS e a Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev) terão de viabilizar as informações para pagamento da pensão dentro de 60 dias, após a publicação da lei. Um exame realizada perícia para checar se a microcefalia da criança foi causada por contaminação pelo vírus zika. O texto diz que o novo benefício não dará direito a abono ou pensão por morte. A medida provisória tem força imediata de lei assim que é publicada, mas precisa do aval do Congresso para ter caráter definitivo. A MP, editada em setembro de 2019, perderia a validade na próxima quarta-feira (12), caso a tramitação não fosse concluída no Congresso.

Brasil tem mais de 30 mil casos notificados de dengue nas primeiras semanas de 2020

  • 06 Fev 2020
  • 11:03h

(Foto: Pixabay/Divulgação)

O Brasil tem 30.763 casos prováveis de dengue, diz novo boletim do Ministério da Saúde. A região mais afetada pela doença é a Centro-Oeste, com 32,5 casos para cada 100 mil habitantes. O estado de São Paulo concetra 30,4% das notificações do país.

Dengue em 2020:

  • São Paulo registra 10.271 casos prováveis
  • Paraná é o segundo estado com mais registros: 8.463
  • A maior concentração de casos por habitantes está no Acre: 92,41 a cada 100 mil
  • Em segundo lugar está o Mato Grosso do Sul, com uma taxa de 76,61 a cada 100 mil

De acordo com o ministério, a "incidência dos casos de dengue retorna ao canal endêmico". Há, ainda, outra ressalva: as últimas semanas de 2019 apresentaram um número baixo quantitativo de casos devido ao atraso das notificações. Os dados são referentes ao período de 29 de dezembro de 2019 a 18 de janeiro de 2020.A doença apresentou 24 casos graves confirmados e 158 com sinais de alarme. Outros 49 permanecem em investigação. Cinco pessoas morreram devido à infecção por dengue, localizadas no Acre (1), em São Paulo (1) e no Mato Grosso (3). Outras 27 mortes estão sob análise dos órgãos de saúde.

Fevereiro Roxo: o mês de alerta sobre Alzheimer, lúpus e fibromialgia

  • Luisa Medeiros
  • 06 Fev 2020
  • 09:49h

O Fevereiro Roxo, assim como o Outubro Rosa e o Novembro Azul, é uma campanha de conscientização sobre doenças e a importância de fazer o correto diagnóstico e tratamento. A campanha é focada na conscientização sobre 3 doenças incuráveis: o Lúpus, a Fibromialgia e o Alzheimer. Mas por que 3 doenças que, aparentemente, não têm nada em comum? Porque todas são condições para as quais a medicina ainda não tem cura, mas o diagnóstico precoce ajuda a manter a qualidade de vida dos pacientes. O mês de conscientização, então, pretende levar informações sobre as doenças, os sintomas e os tratamentos disponíveis.

Doença de Alzheimer

O Alzheimer é uma doença que provoca perda da capacidade cognitiva, memória e demência por conta do acúmulo da proteína beta-amiloide no cérebro do seu portador.

Atinge especialmente os idosos e, muitas vezes, pode ser confundida com sintomas normais da idade, sendo considerada, por essa razão, uma doença de difícil diagnóstico.

A doença de Alzheimer evolui lenta e gradualmente, afetando cada vez mais regiões do cérebro e trazendo mais prejuízos para a vida do paciente, que, nos estágios finais, pode precisar de assistência para realizar funções básicas, como tomar banho.

Como as outras doenças combatidas no Fevereiro Roxo, o Alzheimer ainda não tem cura e o entendimento sobre o modo que afeta o organismo, apesar dos avanços dos últimos anos, continua sendo pouco.

É uma das doenças que mais cresce em diagnósticos no mundo. Um estudo da  Universidade Johns Hopkins aponta que, até 2050, mais de 100 milhões de pessoas terão Alzheimer.

Fibromialgia

A fibromialgia é uma doença reumatológica que acomete por volta de 3% da população brasileira, em sua maioria mulheres. A principal característica é uma dor muscular crônica e generalizada acompanhada de sintomas como fadiga, alterações de sono, memória e humor.

Infelizmente, a fibromialgia não tem cura e a medicina ainda não entende muito bem como a doença opera dentro do corpo humano.

Sabe-se que, sem tratamento, ela pode evoluir para incapacidade física e limitação funcional, complicações com bastante impacto sobre a qualidade de vida do paciente.

Ainda assim, com o tratamento adequado, que envolve tanto o uso de medicamentos quanto a prática de terapias, como fisioterapia e acupuntura, é possível que o paciente tenha uma grande melhora na qualidade de vida e possa viver normalmente.

Lúpus

O nome científico é “Lúpus Eritematoso Sistêmico” (LES) e é considerado uma doença inflamatória autoimune que pode afetar diversos órgãos e tecidos do corpo, como a pele, as articulações, os rins e o cérebro.

É considerada uma doença autoimune, pois ocorre quando o próprio sistema imunológico ataca tecidos saudáveis do corpo por engano.

Em casos mais graves, especialmente se não for tratado adequadamente, o lúpus pode matar.

Ainda não se sabe ao certo qual a causa e o que faz com que o sistema imunológico ataque os tecidos saudáveis do corpo, entretanto, estudos presentes na literatura médica e científica indicam que as doenças autoimunes podem acontecer devido a uma combinação de fatores hormonais, infecciosos, genéticos e ambientais.

Normalmente, a pessoa descobre que tem lúpus após ter uma crise desencadeada por algum desses gatilhos:

  • A exposição à luz solar de forma inadequada e em horários inapropriados;
  • Infecções, que podem iniciar o lúpus ou causar uma recaída da doença;
  • O uso de alguns antibióticos, medicamentos usados para controle de convulsões e pressão alta.

Lema: “Se não houver cura que, no mínimo, haja conforto”

O lema do Fevereiro Roxo tem tudo a ver com as doenças sobre as quais quer conscientizar. Nenhuma das 3 (Doença de Alzheimer, Lúpus e Fibromialgia) tem cura.

Entretanto, o fato de uma doença não ter cura não significa que o portador não possa ter qualidade de vida.

É exatamente esse o gancho da campanha. Dar mais atenção ao bem-estar, mantendo uma rotina saudável, compartilhando informações e mostrando que o tratamento deve ser encarado como uma mudança necessária na vida do paciente.

Como surgiu?

O Fevereiro Roxo surgiu em 2014, na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais.

Não existe um calendário oficial de conscientização, mas o trabalho geralmente é feito por Organizações Não Governamentais (ONGs) e, muitas vezes, apoiado por prefeituras e governos estatais, que promovem palestras, ações de informação e até mutirões de saúde

Um fato interessante é que, além de roxo, o fevereiro também é laranja, pois outra campanha, buscando alertar a população sobre a leucemia, também ocorre no segundo mês do ano.

Como são ambas campanhas importantes, em vez de escolher uma ou outra, muitos lugares fazem o Fevereiro Roxo e Laranja.

CONTINUE LENDO

China tem mais de 550 mortes e 28 mil casos de coronavírus

  • 06 Fev 2020
  • 09:09h

(Foto: Reprodução)

A província chinesa de Hubei, epicentro de um surto de coronavírus na China, registrou 70 novas mortes e 2.987 novos casos confirmados da doença nesta quarta-feira (5), disse a comissão de saúde local. O aumento leva o total de mortes em decorrência do vírus para 564 até o final desta quarta-feira, incluindo um óbito em Hong Kong. O número total de casos confirmados da infecção sobe para 28.060 na China.

Quarentena no Brasil

Nesta quarta, o Senado brasileiro aprovou o projeto que prevê regras para quarentena para que os brasileiros possam ser trazidos da cidade chinesa de Wuhan e estabelece medidas de enfrentamento ao coronavírus.

Coronavírus: China tem 425 mortes e 20,4 mil casos confirmados

  • 04 Fev 2020
  • 08:08h

A província de Hubei teve 2.345 novas infecções por coronavírus desde o domingo (2), diz comunicado do governo chinês. Como esses novos registros, a China tem 425 mortes e mais de 20.400 mil casos confirmados da doença.

Situação na província de Hubei:

  • 13.522 casos no total
  • 10.990 estão em tratamento no hospital
  • 58.544 pessoas em observação

Até a noite desta segunda-feira (3), 23 países e a China tinham confirmado infecções pelo 2019 n-CoV. No final de semana, as Filipinas confirmaram a primeira morte devido à doença.O número de mortes pelo novo coronavírus já ultrapassou o total registrado pela Síndrome respiratória aguda grave (SARS) na China continental: desde dezembro, o 2019 n-CoV levou a 425 mortes na região, enquanto a Sars registrou 361 em todo o surto em 2002 e 2003. Mas o número de pessoas que se recuperaram em todo o país também aumentou nos últimos dias, sugerindo que a taxa de mortalidade do novo vírus é relativamente baixa.

Construído em 10 dias, hospital recebe primeiros pacientes com coronavírus na China

  • G1
  • 03 Fev 2020
  • 13:06h

(Foto: Chinatopix via AP)

Os primeiros pacientes com o novo coronavírus chegaram nesta segunda-feira (3) ao hospital que foi construído em 10 dias em Wuhan, cidade chinesa onde começou a epidemia. Chamado Huoshenshan, o hospital possui 1.000 leitos.

Veja a situação do vírus até a manhã desta segunda-feira (3):

  • 361 mortes na China
  • 1 morte nas Filipinas
  • 17.238 casos suspeitos na China
  • 148 casos suspeitos em outros países

A mídia estatal informou que os pacientes chegaram às 10h (horário local) ao hospital, mas não foram divulgadas identidades ou o estado de saúde dos pacientes, de acordo com a agência Associated Press. A estrutura de 25 mil metros quadrados começou a ser construída no dia 23 de janeiro. O canteiro de obras foi ocupado por cem tratores e quatro mil trabalhadores que se revezaram em três turnos de trabalho, de acordo com a agência Xinhua. Um segundo centro médico, o Leishenshan, com capacidade para 1.500 leitos, está em construção e deve ser inaugurado nos próximos dias. Cerca de 50 milhões de pessoas estão impedidas de deixar Wuhan, que é capital da província de Hubei, e cidades vizinhas. Até o momento, mais de 360 pessoas morreram e mais de 17 mil foram infectados em diferentes partes do mundo. Na quinta-feira (30), em meio à crise, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou emergência internacional.

Coronavírus: governo diz que trará todos os brasileiros que quiserem sair de Wuhan, na China

  • 03 Fev 2020
  • 07:09h

(Foto: Reprodução)

Os ministérios da Defesa e das Relações Exteriores afirmaram em nota, neste domingo (2), que o governo trará de volta todos os brasileiros que se encontram em Wuhan – a cidade mais afetada pela epidemia de coronavírus na China – e que manifestem desejo de retornar. No comunicado, as pastas afirmam que o governo "adota todas as medidas necessárias". A decisão foi anunciada após a divulgação de um vídeo em que um grupo de brasileiros pede ajuda. Na mensagem, eles lembraram de operações feitas por outros países para retirarem seus cidadãos da China. Além disso, comprometem-se a passar um período em quarentena após desembarcarem aqui. O governo diz que, assim que chegarem, esses cidadãos serão submetidos a uma quarentena "de acordo com os procedimentos internacionais, sob a orientação do Ministério da Saúde". A ordem para cumprir quarentena é só para brasileiros. Estrangeiros que chegam em voos provenientes da China não são obrigados a ficar isolados. Fontes do governo disseram que a questão preocupa, mas ainda não há uma decisão sobre o assunto.O Ministério da Saúde não se manifestou sobre a livre circulação de estrangeiros que chegam da China. A Anvisa orientou as companhias áreas: quer ser informada sobre a presença de passageiros com sintomas característicos da doença. Nesses casos, eles serão isolados e acompanhados.

Brasileiros em Wuhan gravam apelo a Bolsonaro por retirada da China

  • G1
  • 02 Fev 2020
  • 13:06h

(Foto: Reprodução/YouTube via BBC)

Um grupo de brasileiros na China fez um apelo ao governo de Jair Bolsonaro para a retirada de cidadãos do país afetado pelo surto do coronavírus.Na carta-aberta, gravada em um vídeo publicado no YouTube na manhã deste domingo, 2, eles lembram as operações de evacuação já feitas por diversos países e dizem estar dispostos a passar pelo período de quarentena fora do território brasileiro. A carta-aberta é datada de 30 de janeiro, e todos os que assinam a carta são residentes —alguns ainda estão em Wuhan, na província de Hubei, epicentro do surto, e outros já deixaram a região."Nós somos homens, mulheres e crianças de vários estados e regiões do Brasil. Estudantes e trabalhadores, indivíduos e famílias de brasileiros na China", diz um dos brasileiros no vídeo. "No momento em que essa carta está sendo escrita, não há, entre nós, quaisquer casos de contaminação comprovada ou até mesmo sintomas de infecção por coronavírus", afirma outro. Todos os brasileiros terminam o vídeo dizendo: "Brasil, casa de todos nós".Questionado neste domingo, 2, pela BBC News Brasil, o Palácio do Planalto informou que não comentará sobre o vídeo.O presidente Jair Bolsonaro vem até agora descartando a possibilidade de repatriação dos brasileiros. Nesta sexta, 31, ele afirmou que o governo estuda estratégias para buscar esses brasileiros que vivem na China e querem retornar ao Brasil. Mas, segundo ele, é preciso antes resolver entraves diplomáticos, jurídicos e orçamentários. O presidente se reuniu na sexta, 31, com ministros no Palácio da Alvorada, em Brasília, para discutir estratégias e a situação de brasileiros nessas áreas de risco na China.O grupo de brasileiros, que se reveza no vídeo lendo trechos da carta-aberta, lembra também da colaboração logística que o governo chinês tem oferecido a essas operações, já conduzidas por países como Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, entre outros. O período de quarentena, uma vez fora do território chinês, tem sido de 14 dias, tempo considerado máximo para que sintomas possam se manifestar.Uma das razões pelas quais o governo brasileiro não estaria organizando a retirada de brasileiros seria a falta de legislação específica para determinar a quarentena dos brasileiros em território nacional após o desembarque. "Nós não temos uma lei de quarentena. Ao trazer brasileiros para cá, nossa ideia obviamente era colocar em local para quarentena, mas qualquer ação judicial tira de lá e aí seria uma irresponsabilidade", disse Bolsonaro.No vídeo, no entanto, os brasileiros mencionam que estariam dispostos a cumprir o período em um local seguro fora do Brasil.O presidente brasileiro também mencionou os custos envolvidos em uma operação de repatriamento de brasileiros. A jornalistas, afirmou que um voo fretado pode custar até US$ 500 mil (R$ 2,1 milhões). "Pode ser pequeno para o tamanho do orçamento brasileiro, mas precisa de aprovação do Congresso", disse.

Coronavírus: número de mortes na China passa de 300

  • 02 Fev 2020
  • 07:00h

(Foto: Reprodução)

Subiu para 304 o número de mortes causadas pelo novo coronavírus na China. O balanço mais recente, divulgado neste sábado (1º) pela TV estatal chinesa, indica também que já são 14.380 pessoas infectadas no país.Foram confirmadas 45 novas mortes e 1.921 casos da doença respiratória causada pelo vírus na província de Hubei, onde começou a epidemia.A cidade de Wuhan, epicentro do surto, foi isolada pelas autoridades para tentar evitar novos contágios. Voos e viagens de trens estão suspensos.Além da China, mais de 20 países registraram casos da doença.

No Brasil, só suspeitas

Por aqui, o Ministério da Saúde informou neste sábado (1) que há 16 casos suspeitos. Nenhum foi confirmado. Os pacientes são de Ceará (1), São Paulo (8), Paraná (1), Santa Catarina (2) e Rio Grande do Sul (4).

Brasil tem 12 casos suspeitos do novo coronavírus, aponta Ministério da Saúde

  • G1
  • 31 Jan 2020
  • 18:51h

(Foto: GNews)

Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira (31) que o Brasil tem 12 casos suspeitos do novo coronavírus 2019 n-CoV. Nenhum caso foi confirmado.Cinco estados estão com pacientes em investigação médica: Ceará (1), Paraná (1), Rio Grande do Sul (2), Santa Catarina (1) e São Paulo (7)..

Caso em Minas Gerais

O balanço que considerava os dados de até 12h desta sexta incluiu um caso em Minas Gerais, estado que apareceu na lista do Ministério. Com ele, o total de casos chegava a 13. Entretanto, durante a apresentação, realizada a partir das 16h, o secretário-executivo da pasta anunciou que após a inclusão do caso na lista foi recebida a confirmação de que o paciente deu negativo para coronavírus.O ministério informou que as amostras de casos suspeitos serão analisadas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. Em breve, também pelo Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, e pelo Instituto Evandro Chagas, no Pará.

OMS declara emergência global por epidemia de coronavírus

  • 30 Jan 2020
  • 17:03h

(Foto: Reprodução)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou nesta quinta-feira (30) que os casos do novo coronavírus 2019 n-CoV são uma emergência de saúde pública de interesse internacional. São milhares de infecções na China e em 18 países. Com isso, uma ação coordenada de combate à doença deverá ser traçada entre diferentes autoridades e governos."Devemos lembrar que são pessoas, não números. Mais importante do que a declaração de uma emergência de saúde pública são as recomendações do comitê para impedir a propagação do vírus", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.Até o momento, a OMS havia usado a denominação "emergência de saúde pública de interesse internacional" apenas em casos raros de epidemias que exigem uma vigorosa resposta internacional, como a gripe suína H1N1 (2009), o zika vírus (2016) e a febre ebola, que devastou parte da população da África Ocidental de 2014 a 2016 e ainda atinge a República democrática do Congo desde 2018.