BUSCA PELA CATEGORIA "Saúde"

Governo alerta que Nordeste, RJ e ES podem ter surto de dengue

  • 15 Jan 2020
  • 12:04h

(Foto: Reprodução)

Os estados do Nordeste, assim como Espírito Santo e Rio de Janeiro, poderão ter um surto de dengue a partir de março de 2020, afirma o Ministério da Saúde. “A dengue é uma doença sazonal e o quadro é dinâmico e pode mudar em pouco tempo, mas, no momento, os nove estados do Nordeste e as regiões do Sudeste com grande contingente populacional pouco afetadas em 2019 estão no nosso alerta”, afirmou ao G1 o porta-voz do Ministério da Saúde, Rodrigo Said. O Brasil registrou 1.544.987 casos de dengue no ano passado, com 782 mortes, segundo dados da pasta, um aumento de 488% em relação a 2018, um ano considerado atípico pelo Ministério.

Governo federal começa a entregar vacina pentavalente aos estados

  • 14 Jan 2020
  • 13:12h

( Foto: Divulgação/Sesa)

O governo federal começou a entregar aos estados 1,7 milhão de doses de vacina pentavalente, que estava em falta em várias regiões.Em Sorocaba, a Secretaria de Saúde avisou da chegada da pentavalente aos pais, que correram para o posto. Carol tem dois meses e foi imunizada. “A gente está com aquela sensação de alívio por ter vacinado e saber que a primeira dose da Carol já foi dada”, diz Celso Proença Neto, almoxarife. A cidade de São Paulo recebeu 70 mil doses e continua aguardando um novo lote. A pentavalente imuniza contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, além de combater uma bactéria que causa problemas respiratórios. As crianças têm que tomar as doses aos dois, quatro e seis meses. Em julho de 2019, a Anvisa recolheu lotes da pentavalente porque foram reprovados no controle de qualidade. Desde outubro, estava faltando vacina em quase todo o Brasil. O Ministério da Saúde comprou vacinas de outra empresa e enviou na semana passada mais de 800 mil doses e, até o fim desta semana, deve entregar outras 900 mil. Segundo o ministério, os estados são responsáveis por distribuir aos municípios. Em Vitória, a vacinação começou na tarde desta segunda-feira (13). Em Sergipe, as doses ainda estão sendo enviadas para as cidades. Alagoas começou a vacinar nesta segunda. No Acre, os postos ficaram cheios, mas as doses ainda não foram disponibilizadas. O Rio de Janeiro recebeu um lote de 66 mil doses e deve terminar de entregar aos municípios até o dia 23 de janeiro. No Amapá, na terça-feira (14) os postos devem começar a vacinação. Mato Grosso do Sul recebeu 15 mil doses da pentavalente. Cada caixa tem 300 doses. É um vidrinho por vacina aplicada. Só que são 35 mil crianças no estado esperando essa vacinação. “O medo também das doenças voltarem. Por isso, que eu faço de tudo para dar a dele em dia”, afirma uma mãe. O Ministério da Saúde informou que o abastecimento deve ser normalizado em março. A Secretaria de Saúde da cidade de São Paulo disse que a doses recebidas já estão sendo entregues aos postos. O governo do Acre declarou que começa a distribuir a vacina aos municípios nesta terça (14), data de início da vacinação em Sergipe.

Entenda o que é o dietilenoglicol, substância encontrada em cerveja de Belo Horizonte

  • 11 Jan 2020
  • 14:05h

( Foto: Gustavo Andrade/Backer/Divulgação)

O uso de uma substância chamada dietilenoglicol (DEG) no processo de fabricação de cerveja vem sendo investigado pela Polícia Civil de Minas Gerais. Um laudo confirmou a presença da substância em duas garrafas de cerveja encontradas em casas de pacientes internados com sintomas de uma síndrome desconhecida. A polícia informou que o laudo ainda é preliminar e que não há como confirmar a responsabilidade da empresa fabricante no caso. Ele foi realizado pelo Instituto de Criminalística da Polícia Civil. Sete pessoas estão internadas com sintomas de intoxicação em hospitais de Belo Horizonte e de Nova Lima, região metropolitana. Uma morreu. 

O que é o dietilenoglicol?

O dietilenoglicol (DEG) é uma substância de cor clara, viscosa, não tem cheiro e tem um gosto adocicado. A fórmula química é C4H10O3. Ela é anticongelante e de uso bastante comum na indústria. A ingestão pode provocar intoxicação com sintomas como insuficiência renal e problemas neurológicos. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a substância é um solvente orgânico altamente tóxico que causa insuficiência renal e hepática, podendo inclusive levar a morte quando ingerido. A intoxicação por DEG pode ocorrer quando ele é usado de forma inapropriada em preparações químicas, substituindo outros produtos não tóxicos para o ser humano. Desde 1937, foram registradas dezenas de casos de intoxicação em diferentes países.

Síndrome causa morte e ao menos 7 internações em MG

  • G1
  • 09 Jan 2020
  • 09:05h

( Foto: Reprodução/TV Globo)

Dois novos casos de uma síndrome desconhecida, até agora denominada nefroneural, foram registrados em Belo Horizonte. A informação é da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Os pacientes são homens de 56 e 64 anos, moradores do bairro Buritis, na Região Oeste da cidade. Até o momento, nove notificações foram registradas. Uma delas foi descartada por não apresentar os mesmos sintomas e por ter doença renal prévia. A média de dias entre o início dos primeiros sintomas e a internação foi de 2,5 dias. Os exames laboratoriais estão sendo analisados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed). Até agora, um homem, que morava em Ubá e estava internado em Juiz de Fora, na Zona da Mata, morreu. O corpo de Paschoal Dermatini Filho foi levado para Belo Horizonte onde irá passar por necropsia. Em dezembro, ele esteve na casa da filha, moradora do Buritis. O marido dela está internado com suspeita da doença. Belo Horizonte é o local provável de exposição de todos os oito casos suspeitos da síndrome desconhecida, até agora denominada nefroneural. A informação foi confirmada pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (8).Técnicos da pasta estão na capital mineira para prestar apoio às Secretarias de Estado e Municipal de Saúde na investigação das causas do aparecimento de sintomas de insuficiência renal aguda com alterações neurológicas.

Justin Bieber confirma diagnóstico de doença de Lyme

  • 09 Jan 2020
  • 07:05h

( Foto: Reprodução/Instagram)

O site americano TMZ noticiou nesta quarta-feira (8) que Justin Bieber foi diagnosticado com a doença de Lyme em 2019. O cantor confirmou a informação através de um post no Instagram."Enquanto muitos ficavam dizendo que 'Justin Bieber está horrível' ou usando drogas, eles não perceberam que recentemente fui diagnosticado com a doença de Lyme. Não apenas isso, eu tive um caso crônico de mononucleose que afetou a minha pele, meu cérebro, minha energia e minha saúde no geral", escreveu. A informação veio à tona depois de uma fonte da publicação americana assistir à série documental "Seasons", que mostra os bastidores da vida de Bieber, inclusive os períodos difíceis que enfrentou nos últimos anos. O cantor também falou sobre o vídeo, que será lançado no dia 27 de janeiro, no post. "Essas coisas serão explicadas na série documental que eu vou colocar no YouTube em breve. Vocês vão poder saber sobre tudo que estou lutando e superando", continua. "Os últimos anos foram difíceis, mas ter o tratamento certo me ajudará a lidar com essa doença incurável. Voltarei e melhor do que nunca". Segundo o site, os médicos não conseguiam diagnosticar a doença que o cantor sofria até o final do ano passado. "Justin estava realmente enfrentando uma depressão extrema porque estava sofrendo e ninguém sabia o que havia de errado com ele", diz a matéria do TMZ. Com o diagnóstico correto, Bieber está se tratando com os remédios adequados e se prepara para lançar um disco e sair em turnê em 2020. A primeira faixa, "Yummi", foi lançada na última sexta-feira (3).

 

SAÚDE MENTAL

  • Karoll Trindade
  • 07 Jan 2020
  • 21:42h

Foto:(Renato Santos)

Decidi publicar um texto da psicóloga Karoll Trindade, que como profissional atua em Brumado, cidade do interior da Bahia, mais precisamente na região sudoeste, onde reside e tem ministrado palestras em escolas, universidade e igrejas, sempre exaltando a necessidade da busca pela saúde mental. Algumas perguntas deixo para sua reflexão antes de continuar a leitura.

Você sofre de depressão, ansiedade ou outro transtorno psicológico qualquer? Qual a diferença que faria em sua vida se você conseguisse dominar sua mente a ponto de poder conduzir a sua vida sem os sofrimentos causados por sentimento de culpa, crenças limitantes e doenças psicossomáticas?

Certo de que esse texto pode ajudar você a uma vida melhor, recomendo a sua leitura.

Karoll Trindade

“Luxo hoje é ostentar saúde mental.” Ultimamente ouvimos com frequência esta frase, mas qual a causa dela está cada vez mais presente no dia a dia. Quando falamos em luxo, logo vem à cabeça carros, casas, bens materiais, as pessoas estão se tornam cada vez mais competitivas, valorizando e intensificando o que é palpável, esquecendo assim o que de fato é raro e valioso.

Estamos vivendo a geração mais vulnerável dos últimos tempos. E a causa dessa vulnerabilidade é essa ostentação “invertida”, é muito bom ter bens materiais, mas a busca incansável destes bens nos faz esquecer de buscar o que deveria ser prioridade, como o luxo tão raro da saúde mental. Observando os ambientes profissionais encontramos colaboradores em uma busca  constante e desenfreada para ser e ter o melhor, enquanto no âmbito familiar encontramos lares vazios de amor, acolhimento e aconchego, cheios de críticas, amarguras e negatividades que somando com outras questões geram conflitos emocionais.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem o maior número de pessoas ansiosas do mundo: 18,6 milhões de brasileiros (9,3% da população) são ansiosas. A ansiedade é a segunda doença mais comum, depois da depressão. Sofremos uma epidemia de doenças mentais. Tempos difíceis.

Com essa realidade, o que devemos ostentar? o que de fato é um luxo? O que vale mais?

 Devemos nos manter saudáveis emocionalmente, ‘ostentar’ o que de fato é necessário, cuidar e valorizar aquilo que não tem preço. Nossa saúde mental vale mais do que os bens materiais que almejamos conquistar.

Não devemos atropelar as coisas em busca do resultado final, sem saúde mental não conseguiremos ir adiante. Reflita sobre isso, valorize sua saúde mental, procure ajuda profissional e ostente saúde mental.

Casos de Chikungunya na Bahia aumentaram 134% em 2019; número ainda pode crescer

  • Bahia Notícias
  • 04 Jan 2020
  • 12:05h

(Foto: Reprodução)

No período de 30 de dezembro de 2018 a 10 de dezembro de 2019 a Bahia registrou 10.191 casos prováveis de Chikungunya. O número, se comparado com o mesmo período de 2018, foram notificados 4.354 casos prováveis, o que representa um crescimento de 134%. De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) um total de 212 municípios notificaram casos suspeitos da doença durante o ano. Os dados mais atualizados da pasta, de 10 dezembro, foram contabilizados oito óbitos por Chikungunya. Desses, dois foram na cidade de Feira de Santana (confirmados por critério laboratorial), dois em Candeias (um confirmado por critério laboratorial e um confirmado por critério clínico epidemiológico), três em Madre de Deus (confirmados por critério laboratorial) e um em Salvador (confirmado por critério laboratorial).A Sesab ainda destacou que quatro mortes permanecem sob investigação: dois em Candeias, um em Salvador e um em Madre de Deus.

BA teve 3,1 mil casos suspeitos de Zika até início de dezembro; 119,9% a mais que 2018

  • Bahia Notícias
  • 04 Jan 2020
  • 09:08h

(Foto: Reprodução)

O número de casos suspeitos de de Zika até 10 de dezembro de 2019 na Bahia cresceu 119,9%, de acordo com o balanço mais recente da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab). o estado também registrou aumento significativo nos casos de dengue e chikungunya (veja aqui e aqui).A pasta recebeu notificações de 3.160 casos prováveis de Zika no estado. No mesmo período de 2018, foram notificados 1.437 ocorrências prováveis. O boletim ainda indica que 186 municípios realizaram notificação para o agravo e existe um óbito em investigação por Zika, no município de Terra Nova.

Bahia registrou 752 casos suspeitos de sarampo em 16 municípios em 2019

  • Bahia Notícias
  • 03 Jan 2020
  • 11:06h

(Foto: Reprodução)

O número de casos confirmados de sarampo em 2019 na Bahia chegou a 48 na segunda semana de dezembro. Porém, o número final pode ser ainda maior. O boletim epidemiológico mais atualizado da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) é do dia 14 de dezembro e indica que, até a data, foram notificados 752 casos "que atendem aos critérios de definição de caso suspeito de sarampo". Do número total, além dos 48 confirmados (6,4%) e dos 448 que foram descartados (59,6%), outros 256 (34,%) permanecem sob investigação. Foram confirmados casos de sarampo em 16 municípios da Bahia. Em três deles a Sesab descartou o status de surto ativo após o controle da doença: Cairu, no baixo sul do estado, Jacobina, no centro norte, e Ribeira do Pombal, no semiárido. A Secretaria de Saúde ressaltou que os outros 13 municípios com surto ativo vêm intensificando ações de controle para interrupção das cadeias epidemiológicas. Para isso, as cidades vêm adotando estratégias de vacinação a depender de cada situação e intensificando a busca ativa de casos novos nas áreas de risco e nas unidades de saúde da rede pública e privada. As crianças menores de um ano de idade representam a faixa etária de maior risco para o sarampo, porém o maior número de casos (11) está entre 20 a 29 anos de idade. De acordo com a distribuição por sexo, 62% são homens e 33% mulheres. O sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é através da vacinação. O Ministério da Saúde informa que revisa periodicamente os critérios de indicação da vacina. Para isso leva em conta as características clínicas da doença, idade, ter adoecido por sarampo durante a vida, ocorrência de surtos, além de outros aspectos epidemiológicos. Em 2018 o Brasil perdeu a certificação de país livre do sarampo, conferido pela Organização Panamericana de Saúde (OPAS), após registrar casos da doença. O certificado havia sido obtido em 2016. Para perdê-lo, é preciso haver transmissão sustentada, ou seja, a ocorrência de um mesmo surto por mais de 12 meses (lembre aqui e aqui).

RANKING DAS NOTIFICAÇÕES

Quanto aos casos notificados na Bahia, Salvador lidera a lista dos municípios baianos com 234 registros. Ao olhar para o interior, Feira de Santana é a cidade com maior número ao somar 53. Em seguida aparecem Santo Amaro (30), Camaçari (24), Presidente Tancredo Neves (22), Ribeira do Pombal (11), Gandu e Ipiaú (10), Maracás (9), Jacobina (8), Ituberá (7), Camacan (6), Irará (5), Cairu (4), Andorinha (3) e Palmeiras (2).Ao considerar os casos confirmados, Santo Amaro se destaca com 17 casos, seguida por Gandu com 6. Os demais municípios contabilizam entre um e três casos confirmados.

Como os amigos podem fazer bem ou mal para sua saúde

  • G1
  • 02 Jan 2020
  • 14:02h

(Foto: Reprodução)

No começo de um novo ano, várias pessoas adotam resoluções para ter um estilo de vida mais saudável. Muitas acham que fazer dieta ou se inscrever numa academia é mais fácil quando amigos e familiares adotam a mesma resolução. Mas nem todas as decisões que afetam a nossa saúde são conscientes e intencionais, já que tendemos a copiar o comportamento de amigos, colegas e parentes que admiramos. Infelizmente, também imitamos os hábitos ruins para a nossa saúde, como fumar ou comer demais. Esse fenômeno ajuda a explicar por que condições não contagiosas, como doenças do coração, derrames e câncer, parecem se espalhar de uma pessoa a outra como uma infecção. Seus amigos podem te engordar? Pessoas que valorizamos e com quem estamos em constante contato formam nossa rede social. O Estudo Cardíaco de Framingham (Farmingham Heart Research), liderado por pesquisadores de universidades como Harvard e Cambridge, analisa o poder desses contatos sociais desde os anos 40, ao acompanhar três gerações de moradores de Framingham, em Massachusetts, nos Estados Unidos. A pesquisa indica que temos mais chance de nos tornarmos obesos se alguém de nosso círculo íntimo for obeso. Conforme o estudo, uma pessoa é 57% mais propensa a se tornar obesa se tiver como amigo ou amiga uma pessoa muito acima do peso. No caso de ter uma irmã ou irmão obeso, o percentual é de 40%. E uma pessoa que tem parceiro obeso tem chance 37% maior de ficar acima do peso.

O drama das crianças que precisam ser vigiadas para não 'comer até morrer'

  • G1
  • 30 Dez 2019
  • 15:26h

(Foto: Reprodução)

A geladeira da casa de Hector Fernandez está sempre trancada. A porta da cozinha também. Assim como a despensa e o armário de remédios. Qualquer lugar que contenha alguma coisa remotamente comestível fica fechado com chaves, que ficam escondidas sob o travesseiro de Hector à noite. Não é que ele seja paranoico com ladrões. É porque seu filho tem uma condição genética incurável: a síndrome de Prader-Willi. A condição, batizada em homenagem aos dois pesquisadores que a descobriram, em 1956, faz com que uma pessoa tenha uma fome insaciável. Hector diz que, se não for supervisionado, Christian, de 18 anos, pode, de fato, comer até morrer. "Ele já comeu comida de cachorro da tigela, do lixo, esvaziou um tubo inteiro de pasta de dente na boca. Para ele, é tudo comida...", diz ele, sendo interrompido por Christian, que diz estar com fome. Hector dá a ele uma única fatia de abacaxi, pré-cortada para garantir que ele não consuma mais açúcar do que é necessário pela manhã.

Número de agrotóxicos registrados bate novo recorde; 94,5% são genéricos, diz governo

  • G1
  • 28 Dez 2019
  • 14:05h

(Foto: Reprodução/TV Diário)

O Brasil aprovou o registro de 474 agrotóxicos em 2019, maior número documentado pelo Ministério da Agricultura, que divulga esses dados desde 2005. É um volume 5,5% maior do que o de 2018, quando foram liberados 449 pesticidas — um recorde até então. Os registros vêm crescendo no país desde 2016. Do total de 2019, 26 dos pesticidas são inéditos (5,4%) e 448 são genéricos (94,5%), ou seja, são "cópias" de princípios ativos inéditos — que podem ser feitas quando caem as patentes — ou produtos finais baseados em ingredientes já existentes no mercado. A última leva de liberações do ano foi publicada na última sexta-feira (27), no "Diário Oficial da União", com 36 agrotóxicos, todos genéricos. Até novembro, o total estava em 439, mas um registro divulgado durante o ano acabou suspenso por erro, totalizando os 474 em dezembro. De todos os produtos liberados ao longo do ano, 40 são biológicos (8,4%). Pela legislação brasileira, tanto esses produtos, utilizados na agricultura orgânica, quanto os químicos, aplicados na produção convencional, são considerados agrotóxicos.

A técnica de detectar câncer de próstata que pode 'revolucionar a saúde dos homens'

  • G1
  • 27 Dez 2019
  • 16:03h

(Foto: Reprodução)

câncer de próstata é uma das formas mais comuns de câncer entre homens, com cerca de 1,2 milhões de novos casos ao ano, segundo a Associação Espanhola contra o Câncer. Ainda assim, o procedimento utilizado para diagnosticá-lo é pouco preciso. "Tradicionalmente, usamos um teste de sangue para identificar níveis elevados de um antígeno específico da próstata (PSA, na sigla em inglês) e então fazemos uma biópsia. Isso quer dizer que tiramos um tecido da próstata para examiná-lo no microscópio", explica à BBC Mark Emberton, professor de oncologia intervencionista da University College London (UCL). "Mas os níveis de PSA não são um indicador confiável do câncer de próstata: cerca de 75% dos homens que obtêm um resultado positivo não têm o câncer, enquanto que (o teste) não detecta a doença em cerca de 15% dos homens que a têm." Hoje em dia, adiciona o especialista, "diagnosticamos tumores que são inofensivos, o que leva a exames e operações desnecessárias, e ignoramos cânceres que são prejudiciais, deixando que a enfermidade se multiplique e se espalhe pelo corpo sem controle".  Atualmente, Emberton faz parte do projeto ReIMAGINE liderado pela UCL, com pesquisadores do Imperial College e do King's College de Londres, além de médicos do hospital da UCL. A equipe está analisando se as imagens por ressonância magnética podem servir para fazer um diagnóstico efetivo de câncer de próstata em homens, da mesma forma que as mamografias são utilizadas para detectar o câncer de mama em mulheres. "Esperamos que, usando a ressonância magnética, possamos mudar a forma com que se diagnostica e se trata o câncer de próstata", diz Emberton. "Sabemos, por pesquisas internacionais, que a ressonância pode reduzir notavelmente e de forma segura o número de pacientes que precisam de uma biópsia invasiva." "Esses estudos fizeram com que, recentemente, as recomendações de saúde oficiais mudassem. Agora, sugere-se que a ressonância seja o primeiro teste para os homens que tenham suspeita do câncer de próstata e sejam encaminhados ao hospital pelo clínico-geral".

Infecção causada por novo parasita assusta cientistas brasileiros

  • Metropoles
  • 27 Dez 2019
  • 08:00h

(Foto: Reprodução)

Em setembro, cientistas brasileiros identificaram um novo protozoário, uma mutação dos micro-organismos da família Crithidia, que seria responsável por uma doença muito parecida à leishmaniose visceral. Ainda não se sabe muito sobre o protozoário, que deve receber o nome de Cridia sergipensis, mas especialistas estão preocupados com a gravidade da infecção causada por ele. O maior foco do parasita é, por enquanto, em Sergipe. O estado tem a mais alta taxa de mortalidade por leishmaniose do país. Casos suspeitos desde 2011 estão sendo analisados pelos cientistas e 150 amostras do Hospital Universitário (HU) de Aracaju serão revistas. Até agora, 58 já foram analisadas e a presença do protozoário foi identificada, sozinho ou acompanhado da Leishmania infantum, em 34 delas – destes, pelo menos dois pacientes morreram. “É certo que a gente tem notado um aumento na gravidade, de mortalidade, mas a gente não sabe qual a participação desse parasita nisso. A gente só sabe que ele existe e está contaminando pessoas. O resto estamos pesquisando, ciência só pode cravar com provas”, afirma Roque Almeida, imunologista e chefe do Laboratório de Biologia Molecular do HU, em entrevista ao Uol. Três pessoas estão sendo tratadas atualmente com suspeita da infecção pelo parasita, todas em estado grave. “Um caso é de uma criança que tratou, mas teve recidiva e está abarrotada de parasita na medula. A gente não vê essas coisas com frequência, e nos preocupa porque começamos a ter casos graves”, explica o pesquisador. A infecção pelo novo parasita não tem sintomas claros e específicos e, por isso, ainda pode ser confundida com a leishmaniose. O Cridia sergipensis é, possivelmente, uma mutação do protozoário Crithidia faticulada, que é da mesma família do Leishmania infantum, responsável pela leishmaniose, e do Tryopanosoma cruzi, da Doença de Chagas, e não transmite a doença para o ser humano, apenas insetos e plantas.

Brasil tem quase 13,5 mil casos confirmados de sarampo em 2019, diz Ministério da Saúde

  • G1
  • 19 Dez 2019
  • 13:01h

(Foto: Reprodução)

O Brasil registrou 13.489 casos confirmados de sarampo no ano de 2019, conforme os dados mais atualizados do Ministério da Saúde. Eles se referem aos casos notificados até 23 de novembro. Os estados de São Paulo e Paraná lideram em número de casos notificados no período mais recente de circulação do vírus, de 1º de setembro a 23 de novembro. Até essa mesma data, foram registradas 15 mortes pela doença em todo o país. Foram notificados em todo o Brasil 57.5619 casos suspeitos de sarampo em 2019, mas os confirmados correspondem a 23,4% desse total. Mais de 32% desses casos permanecem sob investigação. O país teve dois surtos diferentes, um no início do ano concentrado na região Norte, e outro mais para o fim do ano, e mais difuso. Considerando o último período analisado pelo Ministério, 17 unidades da federação identificaram o vírus do sarampo em circulação. Do total de casos confirmados no último período de circulação do vírus, 75,8% estão em 147 municípios de São Paulo, a maioria na região metropolitana da cidade. No estado de São Paulo, houve 12.296 casos confirmados, sendo 2.702 nos últimos 90 dias. Dos 173 municípios com casos de sarampo, 45 (25,6%) não atingiram a meta de vacinação de 95% do público alvo. Já o Paraná registrou 429 casos confirmados, sendo 405 nos últimos 90 dias. Dos 19 municípios com casos de sarampo, 6 (31,5%) não atingiram a meta de vacinação de 95%.