BUSCA PELA CATEGORIA "Política"

Rui Costa se antecipa ao PT e confirma Haddad como substituto de Lula

  • Bahia Notícias
  • 11 Set 2018
  • 12:48h

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), antecipou e confirmou a substituição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, durante sabatina do Jornal Bahia Meio Dia, da Rede Bahia, nesta terça-feira (11).“Tenho certeza de que, com o apoio dos nossos senadores @jaqueswagner, @angelocoronel_ e do nosso time de deputados, além de @Haddad_Fernando que hoje será oficializado como substituto de @LulaOficial, vamos continuar a trabalhar muito para a Bahia crescer muito mais”, postou também no Twitter.

Pesquisa Datafolha: Bolsonaro, 24%; Ciro, 13%; Marina, 11%; Alckmin, 10%; Haddad, 9%

  • G1
  • 11 Set 2018
  • 09:06h

O Datafolha divulgou nesta segunda-feira (10) uma nova pesquisa de intenção de voto para presidente da República. É o primeiro levantamento do instituto desde que o Tribunal Superior Eleitoral rejeitou a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência. Lula está preso em Curitiba, condenado a 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. O Datafolha pesquisou o cenário em que o nome de Fernando Haddad, candidato a vice-presidente pelo PT, aparece como possível substituto de Lula na chapa. O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Vamos aos números:

Em relação ao levantamento anterior do instituto, divulgado em 21 de agosto:

  • Jair Bolsonaro oscilou, dentro da margem de erro, de 22% para 24%(com a margem de erro, tem de 22% a 26%);
  • Ciro Gomes tinha 10%, agora tem 13% (pela margem de erro, de 11% a 15%);
  • Marina Silva estava com 16%, agora caiu para 11% (com a margem de erro, tem de 9% a 13%);
  • Geraldo Alckmin tinha 9%, agora, 10% (com a margem de erro, de 8% a 12%);

Ciro, Marina e Alckmin estão tecnicamente empatados.

  • Fernando Haddad tinha 4%, agora cresceu para 9% (com a margem de erro, tem de 7% a 11%);

Fernando Haddad também está tecnicamente empatado, no limite da margem de erro, com Ciro, Marina e Alckmin.

  • Álvaro Dias tinha 4%, agora tem 3% (com a margem de erro, de 1% a 5%);
  • João Amoêdo tinha 2%, agora, 3% (com a margem de erro, de 1% a 5%);
  • Henrique Meirelles também tinha 2%, agora 3% (com a margem de erro, de 1% a 5%);

Os três (Dias, Amoêdo e Meirelles) estão empatados.

  • Guilherme Boulos, Vera Lúcia e Cabo Daciolo tinham 1% cada um e mantiveram 1% (com a margem de erro, têm de 0% a 3%);
  • João Goulart Filho tinha 1%, agora, 0% (com a margem de erro, tem de 0% a 2%);
  • Eymael não pontuou em nenhuma das duas pesquisas.
  • Votos brancos e nulos somavam 22%, agora, 15%.
  • Não responderam ou não quiseram opinar eram 6%, agora, 7%.

Comitê da ONU reafirma manifestação em defesa da candidatura de Lula

  • Folha
  • 11 Set 2018
  • 08:12h

O Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) fez nova manifestação nesta segunda-feira (10) em que reafirma a obrigação do Estado brasileiro de cumprir a recomendação para garantir a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Planalto.   A manifestação responde a um pedido da defesa, que voltou a afirmar que a decisão do órgão é "obrigatória e vinculante", segundo os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira.  O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que barrou a candidatura de Lula com base na Lei da Ficha Limpa, entendeu que a justiça eleitoral não está obrigada a se submeter à ONU.  Já o novo documento da ONU, de três páginas, reafirma que "todas as esferas do governo (Executivo, Legislativo e Judiciário)" estão submetidas aos tratados internacionais assinados pelo Brasil quando se tornou membro da organização.  "O Estado não pode invocar uma lei interna para descumprir uma decisão da ONU", disse Zanin, em referência à Lei da Ficha Limpa. "O Brasil se obrigou a cumpri-la, por tratado." O documento é assinado por dois conselheiros do comitê -que, segundo Teixeira, são os responsáveis por conceder medidas cautelares.  No total, o órgão possui 18 integrantes.  Ele será encaminhado ao STF (Supremo Tribunal Federal), como parte dos recursos já apresentados pela defesa, que pedem a validação da candidatura de Lula ao Planalto.  O ex-presidente está preso em Curitiba desde abril, depois de ter sido condenado em segunda instância na Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro. Pela Lei da Ficha Limpa, ele é considerado inelegível. Lula nega os crimes e diz ser perseguido politicamente.

'Não vejo preconceito no Brasil', afirma general Hamilton Mourão

  • Folha
  • 10 Set 2018
  • 17:02h

Diante de números que mostram a maior incidência de homicídios entre negros e pobres no Brasil, durante entrevista à rádio Jovem Pan nesta segunda-feira (10), o general Hamilton Mourão (PRTB), vice na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), disse que não vê a existência de preconceito no país."Não vejo preconceito no Brasil, sinceramente. Pertenci durante 50 anos a uma instituição na qual isso não existe. Durante a 2ª Guerra Mundial nós éramos a única divisão multiétnica. Os americanos tinham uma divisão só de negros, o que era um problema. Os ingleses tinham tropas de indianos. Você coloca muito bem que dos nossos mais de 60 mil homicídios 90% são homens que morrem e uma grande parte deles são uma população mais morena. Isso porque estão centrados nas comunidades mais carentes. Se não entrarmos nessas comunidades e dermos saúde, instrução, continuaremos eternamente nesse problema", disse. "A verdade é a seguinte. Para mim, homicídio é homicídio. Não interessa se é homem negro, branco, pardo, amarelo ou mulher. Se é um homossexual ou não. É um homicídio. É um crime que tem que ser investigado", disse. "Em uma sociedade de massa, se não houver lei igual para todos, ou seja, a execução legal do direito, nós vamos para a barbárie." Em sua primeira agenda como candidato, no começo de agosto, Mourão afirmou que o Brasil herdou "indolência" do índio e "malandragem" do africano. Posteriormente, disse ter se expressado mal.

Cerca de 2 milhões de mesários devem trabalhar no 1º turno das eleições 2018

  • 10 Set 2018
  • 16:08h

Pelo menos 1,9 milhão de mesários devem trabalhar em todo o Brasil durante o 1º turno das eleições deste ano. A estimativa é do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com base em uma norma que determina, no mínimo, quatro mesários por seção eleitoral. Segundo o TSE, cerca de 50% do total de mesários são voluntários. No exterior, aproximadamente 7 mil pessoas também participam como mesários em seções eleitorais. Esse eleitor poderá votar apenas para presidente. O número exato de mesários só deve ser oficializado após o 1º turno das eleições, de acordo com o TSE. Nas eleições de 2014, o órgão estimou em 2,4 milhões o número de pessoas atuando como mesários. Em 2010, o número divulgado foi de 2,1 milhões de mesários. Para ser mesário, o eleitor precisa completar 18 anos até o 1º turno das eleições e tem de estar em dia com a Justiça Federal. Os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) estimulam que os eleitores se voluntariem para a atividade pelo programa "Mesário Voluntário". Candidatos e os respectivos parentes não podem ser mesários. Neste ano, os mesários foram convocados até 8 de agosto. O estado de São Paulo reúne o maior número de mesários. Serão, pelo menos, 388.672 mesários distribuídos em quase 100 mil seções eleitorais. Cada mesário recebe um auxílio-alimentação por turno trabalhado. O valor é determinado por cada estado, obedecendo o teto de R$ 35, segundo uma portaria do TSE publicada em fevereiro de 2017. Em SP, o valor é de R$ 30.

Veja outros benefícios em ser mesário:

  • Dois dias de folga para cada dia trabalhado como mesário;
  • Dois dias de folga para cada dia de treinamento oferecido pela Justiça Eleitoral;
  • Certificado dos serviços prestados à Justiça Eleitoral;
  • Auxílio-alimentação de até R$ 35;
  • Preferência no desempate em concursos públicos (desde que previsto em edital);
  • Utilização das horas trabalhadas nas eleições como atividade curricular complementar em algumas universidades.

Em pesquisa feita após ataque, Bolsonaro aparece com 30% das intenções de voto

  • Bahia Notícias
  • 10 Set 2018
  • 15:09h

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) aparece com 30% das intenções de voto em pesquisa FSB/BTG Pactual divulgada nesta segunda-feira (10). O levantamento foi o primeiro realizado depois do ataque sofrido por Bolsonaro na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais. Na segunda posição aparece Ciro Gomes (PDT), com 12% das intenções de voto. Em seguida, três candidatos registraram 8%: Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede) e Fernando Haddad (PT). João Amoêdo (Novo) e Alvaro Dias (Podemos) tiveram 3%. Os eleitores de Bolsonaro são os que têm mais certeza do seu voto. Para 78% deles, a decisão é definitiva. Nesse quesito, Haddad (68%) aparece em segundo lugar, seguido por Alvaro Dias (62%), Amoêdo (59%), Ciro (58%), Alckmin (49%), Boulos (40%), Marina (37%) e Meirelles (24%). O levantamento foi realizado entre os dias 8 e 9 de setembro com 2000 eleitores e a margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Ela foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TRE) com o número BR-01522/2018.

TSE nega mais prazo, e PT tem até amanhã (11) para substituir Lula

  • 10 Set 2018
  • 11:05h

(Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE)

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, negou na noite deste domingo (9), pedido dos advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para prorrogar o prazo para o PT substituir o candidato à Presidência da República. Na decisão que barrou a candidatura de Lula, no último dia 1º, o TSE permitiu que a coligação formada por PT, PCdoB e PROS defina o substituto até esta terça-feira (11). A defesa de Lula queria estender o prazo até o dia 17 de setembro com o argumento de que tenta reverter a declaração de inelegibilidade do ex-presidente junto ao Supremo Tribunal Federal (STF). Caso o partido não apresente substituto na chapa, de acordo com entendimento da Justiça eleitoral, ficará fora da corrida presidencial e o tempo de propaganda na TV será redistribuído entre os demais partidos. A candidatura de Lula foi alvo de 16 impugnações (contestações) no TSE. Na madrugada de sábado (1º), o TSE rejeitou pedido de registro de candidatura do ex-presidente, com base na Lei da Ficha Limpa. A lei proíbe candidaturas de políticos condenados em órgão colegiado da Justiça. Lula foi condenado em janeiro pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do triplex em Guarujá (SP), no âmbito da Operação Lava Jato. Desde abril, ele cumpre pena de 12 anos e 1 mês de prisão em Curitiba.

Quase 88 mil pedem para votar em outra cidade no 1º turno, 4% a mais que em 2014

  • 09 Set 2018
  • 17:09h

O número de eleitores que pediram para votar em outra cidade no 1º turno das eleições de 2018 cresceu 4,3% em comparação com 2014. Foram 87.979 solicitações neste ano, ante cerca de 84.349 quatro anos atrás. A alta é levemente superior à do eleitorado, que cresceu 3,1% no período, para 147,3 milhões. Para o 2º turno, foram feitos 83.494 mil pedidos de voto em trânsito em 2018, 5,1% a mais que os 79.452 de 2014. Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). São Paulo, maior colégio eleitoral do país, é o estado que terá maior movimentação de eleitores no 1º turno. Há 9,7 mil eleitores de outras partes do país que pretendem votar no estado, e mais 8 mil que são do estado mas votarão em cidades diferentes ainda dentro de SP. Além deles, outros 7,9 mil eleitores registrados para votar em São Paulo vão fazê-lo em outros estados do país ou no Distrito Federal. Na sequência está Minas Gerais, onde 3,4 mil eleitores de outros estados votarão, e 6,7 mil registrados no estado votarão em uma cidade diferente de seu domicílio eleitoral, mas ainda dentro de Minas. Outros 5,5 mil registrados em Minas vão votar em outros estados do país ou no Distrito Federal. Na maior parte dos estados (21), a maioria dos eleitores que pediram para votar em trânsito querem fazê-lo em outro estado. Apenas em Amazonas, Maranhão, Minas Gerais, Santa Catarina e São Paulo que pediram para votar em trânsito em outra cidade do mesmo estado supera 50% do total de pedidos. O número de eleitores que vota em trânsito é muito pequeno em relação ao total do eleitorado: os 88 mil representam 0,06% do total de 147,3 milhões aptos a participar das eleições de 2018. Entre as Unidades da Federação, a maior proporção de eleitores que solicitaram voto em trânsito é no Distrito Federal, onde 0,14% dos eleitores realizaram a solicitação. Ainda de acordo com os dados do TSE, 25.616 militares solicitaram voto em trânsito para as eleições de outubro no primeiro turno, além de 11.993 presos. Outros 1.442 eleitores com problemas de acessibilidade fizeram a solicitação de voto em trânsito para a Justiça Eleitoral.

Governador Rui Costa faz campanha em Conquista no próximo sábado (15)

  • Blog do Rodrigo Ferraz
  • 09 Set 2018
  • 15:06h

Foto: Brumado Urgente

No próximo sábado (15) o governador do Estado da Bahia, Rui Costa, estará cumprindo agenda em Vitória da Conquista fazendo campanha em busca da reeleição. O mandatário estará ao lado do candidato a vice, João Leão, os candidatos ao Senado Federal, Jaques Wagner e Ângelo Coronel, além dos diversos candidatos a deputado federal e estadual da sua base de apoio, militantes, apoiadores e comunidade em geral. O roteiro da atividade de campanha na capital do Sudoeste baiano ainda não foi divulgado, mas tudo leva a crer que Rui fará uma caminhada e corpo a corpo em busca do voto do eleitorado conquistense.

Boatos e teorias da conspiração sobre atentado a Bolsonaro se espalham

  • Folha
  • 08 Set 2018
  • 11:11h

Teorias conspiratórias, notícias falsas e boatos circulam nas redes sociais desde o atentado que o deputado Jair Bolsonaro (PSL) sofreu na quinta-feira (6). “A faca saiu sem sangue, a camiseta dele não manchou, na foto no hospital, os médicos estavam sem luvas… Pra mim foi facada de marketing”, diz uma mensagem encaminhada pelo WhatsApp. “Sem sangue e cara de dor fingida. Reparem que há uma pessoa com distintivo da PF”, diz uma publicação compartilhada no Facebook. Segundo levantamento da FGV-DAPP (Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas), a maioria das mensagens postadas no Twitter vieram de perfis céticos (40,5% do total). Pessoas que, apesar das informações vinculadas pela imprensa, pelos boletins médicos e por órgãos oficiais, tendem a desconfiar do que aconteceu e acreditam que o ocorrido é uma armação para criminalizar a esquerda. De acordo com a metodologia da FGV, cerca de 8,7% dos usuários do campo da esquerda criticaram quem estava duvidando da situação e 7% dos perfis de direita compartilharam a crítica. Segundo a FGV, o atentado contra Bolsonaro é o acontecimento com maior repercussão imediata na rede social desde as eleições de 2014. Um dos tuítes mais replicados foi o do pastor Silas Malafaia. Ele disse que “o criminoso que tentou matar Bolsonaro é militante do PT e assessora a campanha de Dilma ao senado em Minas.” Adelio Bispo de Oliveira nunca foi do PT. Ele foi filiado ao PSOL entre 2007 e 2014. O líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo disse à Folha que se equivocou ao dizer que Adelio Bispo de Oliveira é funcionário da ex-presidente Dilma. Até a conclusão desta reportagem, Malafaia não havia removido o tuíte. O líder religioso afirmou que o autor do crime é militante de esquerda pelo que viu em fotos na internet. “Esses esquerdopatas são os reis da dissimulação e do cinismo, eles mesmos que infiltram notícias falsas”, declarou. Desde quinta, uma foto em que Adelio aparece em manifestação com Lula circula na internet. Ela é falsa. Segundo checagem da Agência Lupa, foi manipulada a partir de imagem retirada do site do PT.

Bolsonaro no Twitter: 'Estou bem e me recuperando'

  • 07 Set 2018
  • 14:52h

Jair Bolsonaro é levado até ambulância para ser transferido ao hospital Albert Einstein, em São Paulo (Foto: Reprodução/TV Globo)

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, afirmou na tarde desta sexta-feira (7), em sua conta no Twitter, que está se recuperando após ter levado uma facada durante ato de campanhano Centro de Juiz de Fora, em Minas Gerais nesta quinta-feira (6). "Estou bem e me recuperando", disse. Depois, em outro tweet, Bolsonaro agradeu à família e aos médicos. Bolsonaro foi internado na manhã desta sexta no Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo. A transferência de Bolsonaro da Santa Casa de Juiz de Fora para o centro médico da capital paulista foi decidida pela família após médicos avaliarem o estado de saúde dele como "extremamente estável". A cúpula do Einstein considerou que a transferência correu bem. Os principais riscos que serão monitorados são o de pneumonia - porque o candidato ficou muito tempo em choque e perdeu cerca de dois litros de sangue - e o de infecção - por causa do vazamento de massa fecal na cavidade abdominal. A previsão do período de internação é de sete a dez dias. A retomada das atividades só deve ocorrer em 20 dias. Boletim médico divulgado às 14h20 desta sexta diz que Bolsonaro passou por exames e está em boas condições clínicas. No início da tarde, o hospital divulgou boletim médico informando que Bolsonaro deu entrada às 10h43 e levado à Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O candidato “passará por exames e uma avaliação médica realizada por equipe multidisciplinar”, segundo o boletim, assinado pelo diretor superintendente do hospital, Miguel Cendoroglo. Apoiadores do candidato estavam na porta do hospital aguardando a chegada da ambulância. “Eu amo ele”, disse a professora Luci do Vale Rocha, de 60 anos. Acompanhada da amiga Valeria de Oliveira, aposentada de 71 anos, ela vestia camiseta com foto de Bolsonaro e carregava uma bandeira do Brasil.

Candidatos à presidência ainda não visitaram a Bahia na campanha; Marina deve ser a 1°

  • 07 Set 2018
  • 12:55h

Dos seis estados brasileiros que ainda não receberam nenhuma visita de candidatos à Presidência da República nas primeiras 3 semanas de campanha, a Bahia irá quebrar o jejum na próxima semana. Marina Silva (Rede), desembarcará em Salvador no próximo dia 10 de setembro (veja aqui). Além da Bahia, Paraíba, Rio Grande do Norte e Roraima – este último vive uma crise com a chegada de venezuelanos, não receberam os candidatos à presidência. Os dados são de um levantamento feito pelo G1. A campanha eleitoral começou em 16 de agosto. Desde então, e até quarta-feira (5), 11 dos 13 presidenciáveis tiveram agendas de campanha. Eles realizaram um total de 232 visitas a alguma cidade do país, e visitaram 20 estados e o DF. O principal destino dos postulantes ao Planalto é São Paulo.  A Bahia, até agora, só recebeu Fernando Haddad (PT), única visita possível da chapa petista que é encabeçada, ainda, pelo ex-presidente preso Luiz Inácio Lula da Silva. Nesta sexta-feira (7), Salvador também pode receber a visita de General Mourão (PRTB), candidato a vice-presidente de Jair Bolsonaro (PSL). 

TSE aprova candidatura de Jair Bolsonaro à Presidência

  • EBC
  • 06 Set 2018
  • 14:09h

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou hoje (6), por unanimidade, o registro de candidatura do deputado Jair Bolsonaro, do PSL, à Presidência da República. Este foi o último dos 13 registros de candidaturas apresentados a ser julgado pela Corte. Durante o julgamento, o plenário do TSE afastou, por unanimidade, duas contestações que pesavam contra a candidatura, ambas apresentadas na forma de “notícias de inelegibilidade”. Numa delas, um advogado do Rio de Janeiro argumentou que Bolsonaro não poderia concorrer por ser réu em duas ações penais no Supremo Tribunal Federal (STF). Isso porque a Constituição prevê o afastamento do presidente caso ele venha a adquirir esse status jurídico. O relator do registro, ministro Og Fernandes, não aceitou o argumento. Ele destacou que a condição de réu não consta como critério de inelegibilidade em nenhuma lei, sendo assim “não é apta a obstar a candidatura”. Ele foi acompanhado por todos os seis ministros que participaram do julgamento. A outra contestação, que alegava que Bolsonaro havia infringido a legislação eleitoral ao pedir votos em um templo religioso, foi igualmente rejeitada por unanimidade pelos ministros do TSE, que entenderam os argumentos como inaptos a impedir a candidatura. O relator Og Fernanddes, entretanto, encaminhou o caso para exame da Procuradoria-Geral Eleitoral (PGR), “para que tome providências se assim achar necessário”. Os ministros do TSE também aprovaram nesta quinta-feira (6), também por unanimidade, o registro de candidatura do vice na chapa de Bolsonaro, o general da reserva Hamilton Mourão. Candidato da coligação “Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos”, formada por PSL e PRTB, Bolsonaro, de 63 anos, é capitão da reserva do Exército e atualmente cumpre o sétimo mandato como deputado federal. Filiou-se ao PSL, seu nono partido, para disputar a eleição presidencial. Natural de Glicério (RJ), Bolsonaro construiu carreira política no Rio de Janeiro. Declarou patrimônio de R$ 2,3 milhões.

Fachin nega pedido da defesa de Lula para suspender inelegibilidade

  • 06 Set 2018
  • 10:08h

O ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF) (Foto: Carlos Moura/STF)

O ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), negou o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para suspender a inelegibilidade do petista. No pedido analisado por Fachin, a defesa pretendia que a condenação determinada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) no âmbito da Lava Jato, no caso do triplex do Guarujá, fosse suspensa. Os advogados apresentaram como argumento a decisão liminar (provisória) do Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), que pediu ao Brasil para garantir os direitos políticos de Lula. Para o ministro, o pronunciamento do comitê da ONU não suspende a condenação de Lula. Fachin concluiu que a decisão do comitê tem apenas efeito eleitoral, e não criminal. "O pronunciamento do Comitê dos Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas não alcançou o sobrestamento do acórdão recorrido, reservando-se à sede própria a temática diretamente afeta à candidatura eleitoral", diz a decisão do ministro. Fachin entendeu, ainda, que o argumento da defesa não possui elementos suficientes para garantir a concessão do pedido. Fachin determinou o arquivamento do caso, mas a defesa de Lula ainda pode recorrer para que a questão seja julgada em plenário. "As alegações veiculadas pela defesa não traduzem plausibilidade de conhecimento e provimento do recurso extraordinário, requisito normativo indispensável à excepcional concessão da tutela cautelar pretendida. Registro que esta decisão limita-se à esfera cautelar, de modo que não traduz exame exauriente e definitivo da pretensão recursal explicitada em sede extraordinária", afirmou Fachin. O ministro destacou que suspender os efeitos da condenação indicaria a admissibilidade do recurso contra a decisão do TRF-4, que ainda nem foi enviado ao STF. "Não se trata de medida processual manejada a fim de impugnar o acórdão, proferido pelo Tribunal Superior Eleitoral, que culminou no indeferimento do registro da candidatura do ora requerente. O que se tem em apreço, em verdade, é o debate acerca da manutenção ou sobrestamento dos efeitos do acórdão proferido, na seara processual penal, pelo respectivo Tribunal Regional", observou Fachin.

Pesquisa Ibope: Bolsonaro mantém liderança; Ciro sobe e empata com Marina

  • Estadão
  • 06 Set 2018
  • 07:09h

Na primeira pesquisa Ibope/Estado/TV Globo após o indeferimento da candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o deputado Jair Bolsonaro (PSL) segue na liderança da corrida presidencial, com 22% das intenções de voto nas eleições 2018. Ele tem dois pontos porcentuais a mais do que no levantamento anterior, divulgado há duas semanas. Ciro Gomes (PDT) subiu três pontos, de 9% para 12%, e empatou numericamente com Marina Silva (Rede), que não se moveu. A preferência pelo tucano Geraldo Alckmin, detentor de quase metade do tempo do horário eleitoral gratuito e representante da maior coligação da disputa, passou de 7% para 9%. O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) aparece com 6%, dois pontos acima do registrado na pesquisa anterior. Inscrito originalmente como vice de Lula, Haddad deve assumir em breve o posto de titular da chapa.  Nas simulações de segundo turno, Bolsonaro perde para Ciro (44% a 33%), Marina (43% a 33%) e Alckmin (41% a 32%), e empata tecnicamente com Haddad (36% para o ex-prefeito, 37% para o deputado). As entrevistas da pesquisa começaram a ser feitas no sábado, um dia após o início do horário eleitoral – o tempo, portanto, foi exíguo para captar a intensidade do impacto da propaganda dos candidatos no rádio e na TV.Uma mudança ficou clara, no entanto: houve queda expressiva na parcela do eleitorado disposta a votar nulo ou em branco, de 29% para 21%. A taxa de indecisos oscilou para baixo, de 9% para 7%.