BUSCA PELA CATEGORIA "Política"

Eleições 2018: Vereadora Lia Teixeira PDT e seu pai Didiu de Cristalândia declaram apoio ao pré-candidato Márcio Moreira

  • 30 Abr 2018
  • 09:19h

Dando continuidade ao fortalecimento da sua pré-candidatura, buscando o apoio de importantes lideranças política de Brumado, o pré-candidato a deputado estadual Márcio Moreira obteve mais dois importantes apoios. Dessa vez em dose dupla, que são da atual vereadora Lia Teixeira e o seu pai Didiu de Cristalândia, o qual tem um histórico muito representativo na política da capital do minério. Após uma reunião, ambos declaram o apoio a Márcio Moreira. A vereadora Lia Teixeira que compõe a base de situação que é liderada pelo prefeito Eduardo Vasconcelos afirmou que “é um momento de analisarmos o que é melhor para a nossa terra, então, em nossa opinião não existe um projeto melhor que o de Márcio Moreira, por isso não poderíamos ficar fora dessa luta e dar a nossa contribuição para esse passo importante que o município de Brumado está dando, já que é uma pré-candidatura que, caso se consolide, irá dar a Brumado a representatividade que todos nós esperamos” e continuou argumentando que “temos a firme confiança na força que Márcio Moreira terá como deputado estadual, o que promoverá novos horizontes para Brumado, fazendo com que os grandes anseios de nossa população de Brumado e, principalmente na região de Cristalândia  e Umburanas, venham a se realizar”. E finalizou destacando que “inclusive em seu mandato quando foi vereador, ele foi responsável pela emenda da construção da atual praça de Cristalândia. Brumado precisa de um filho da terra e tenho a certeza de que o nome certo é o de Márcio Moreira”.

Brumado: Vereador Lek declara apoio às pré-candidaturas de Márcio Moreira e Manelão

  • Brumado Urgente
  • 25 Abr 2018
  • 21:51h

Foto: Brumado Urgente

As pré-candidaturas do ex-vereador Márcio Moreira e do empresário Manelão a cada dia vem ganhando mais musculatura, o que em termos políticos, poderá representar uma expressiva votação em favor da dupla nas próximas eleições. Através de contato telefônico, o vereador Lek ratificou a redação do Brumado Urgente que reitera apoio as pré-candidaturas de Márcio e Manelão, pois, entende que ambos conhecem de perto as demandas do município e que eles reúnem melhores condições de atender os anseios da população que espera por representantes na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal de políticos genuinamente Brumadenses. Lek ainda fez questão de salientar que tudo que for bom para Brumado terá o seu apoio incondicional, frisou o parlamentar municipal.

Presidente da UPB e prefeito de Bom Jesus da Lapa se torna réu em ação movida pelo MPF

  • 25 Abr 2018
  • 09:00h

Após ação ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF) em Bom Jesus da Lapa, a Justiça Federal tornou réu, em 12 de abril, o presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB) e atual prefeito do município por ignorar pedidos de informação feitos pelo órgão. Eures Ribeiro Pereira se recusou a prestar informações referentes à gestão municipal de lixo e resíduos sólidos. Os esclarecimentos seriam utilizados pelo MPF para apurar as condições da cidade após representação feita pela ONG Lapa Limpa, que alegava diversas irregularidades ambientais cometidas pela Ecolurb durante o descarte do lixo. De acordo com a ação, o MPF solicitou ao prefeito informações sobre a gestão dos resíduos sólidos em Bom Jesus da Lapa, indicando as empresas responsáveis pela coleta e pela destinação dos resíduos, em especial dos sólidos hospitalares. Requereu, ainda: o encaminhamento de cópia do plano municipal de gestão integrada de resíduos sólidos, ou a apresentação de justificativa para sua elaboração; e esclarecimentos sobre a titularidade dos imóveis onde se localizavam os “lixões” da cidade. Segundo o MPF, foram enviados três ofícios ao gestor requisitando as informações: o primeiro em agosto de 2014, depois em fevereiro de 2015 e por fim, em maio do mesmo ano. No entanto, de acordo com o órgão, “em que pese o recebimento pelo próprio prefeito, e mesmo diante da exposição das consequências advindas da adoção da postura ilegal, este optou por não responder ao ofício encaminhado, o que sinaliza não uma simples falha administrativa, mas a existência do firme propósito de não atender requisição do Ministério Público”. Na ação, o MPF requereu a condenação do réu nas sanções previstas nos artigos 12, inciso III, da Lei nº 8.429/92, que estabelece, por exemplo, ressarcimento integral do dano, se houver, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos, pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais pelo prazo de três anos.

Aécio Neves vira réu no STF por corrupção e obstrução de Justiça

  • 18 Abr 2018
  • 09:00h

Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (17) receber a denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) por suposta prática de corrupção passiva e obstrução de Justiça. Com isso, o senador será transformado em réu pela primeira vez. Por unanimidade, os cinco ministros da turma (Marco Aurélio Mello, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Rosa Weber e Alexandre de Moraes) admitiram a abertura de processo por corrupção e, por 4 votos a 1, por obstrução de Justiça – neste caso, o único voto contrário foi o de Alexandre de Moraes. Com a aceitação da denúncia, Aécio passa a responder ao processo penal na condição de réu e poderá contestar a acusação com novas provas. Só ao final da ação poderá ser considerado culpado ou inocente, em julgamento a ser realizado pela mesma turma do Supremo. Terminado o julgamento, o senador afirmou que provará a 'absoluta legalidade e correção' de seus atos. Junto com o parlamentar, foram denunciados pela PGR e também responderão como réus a irmã dele, Andréa Neves da Cunha, o primo Frederico Pacheco de Medeiros e Mendherson Souza Lima, ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrela (MDB-MG), todos por corrupção.

57% consideram Lula culpado, diz Ipsos; 95% querem continuidade da Lava Jato

  • por Daniel Bramatti | Estadão Conteúdo
  • 14 Abr 2018
  • 18:00h

Foto: Agência Brasil

A maioria da população brasileira (57%) considera que o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, preso e condenado na Operação Lava Jato, é culpado dos crimes atribuídos a ele. O país, porém, está rachado em relação à prisão do petista: 50% são a favor e 46% são contra. Os dados são de pesquisa do instituto Ipsos. "Os resultados mostram que a Lava Jato continua com alto suporte da população e que a prisão de Lula não encerra esse anseio", disse o diretor do Ipsos, Danilo Cersosimo. "Além disso, a polarização do País em torno da figura de Lula segue alta." Conforme o levantamento, a quase totalidade da população (95%) acha que as investigações da Lava Jato devem continuar após a prisão do ex-presidente. Mas há dúvidas sobre a abrangência das mesmas. Para 52% dos entrevistados, não é correto afirmar que "a Lava Jato está investigando todos os políticos". Outros 41% estão de acordo com essa avaliação. A percepção de que "a Lava Jato está investigando todos os partidos" atingiu o mínimo histórico da série de pesquisas Ipsos no fim de semana da prisão de Lula. Apenas 43% dos eleitores manifestaram concordância com a frase, e 47% disseram o contrário. É a primeira vez, em dois anos, que aparece como minoritária a parcela da população que compartilha da avaliação de que todos os partidos são investigados. Em abril de 2016, 66% da população via a Lava Jato como empenhada em investigar todas as legendas - 23 pontos porcentuais a mais do que agora. Na pesquisa, os entrevistadores do Ipsos leem uma série de frases e perguntam se há ou não concordância em relação a elas. O levantamento começou no sábado em que o ex-presidente foi preso e se estendeu até a segunda-feira passada. Foram ouvidas 1.200 pessoas. A margem de erro é de três pontos porcentuais para mais ou para menos. O levantamento mostra que, mesmo com a convicção majoritária da culpa do petista, existe uma forte percepção de que "os poderosos querem tirar Lula da eleição": 73% concordam com essa afirmação, e 23% discordam. A maioria (55%) também concorda com a avaliação de que "a Lava Jato faz perseguição política contra Lula". Outros 41% discordam. Em relação à afirmação de que "a Lava Jato está mostrando que Lula é mais corrupto que os outros políticos", aparece uma nova divisão: 51% discordam, e 44% concordam. 

Brumado: São confirmadas as pré-candidaturas de Márcio Moreira e “Manelão”

  • Brumado Urgente
  • 13 Abr 2018
  • 17:02h

Márcio Moreira e 'Manelão' firmam dobradinha

Foram confirmadas no final da manhã desta sexta-feira (13), as pré-candidaturas do ex-vereador Márcio Moreira e do empresário Emanuel Araújo, mais conhecido por “Manelão”. A dobradinha entre os dois candidatos promete movimentar o cenário político regional, já que “Manelão” teve uma votação expressiva no último pleito das eleições estaduais, e, o ex-vereador Márcio Moreira é muito conhecido no meio político regional, inclusive, dotado de excelente retórica, sobretudo, em situações que exigiam habilidades de conciliação. E sem falar que Márcio contará com o apoio do maior cabo eleitoral de Brumado no momento, o prefeito Eduardo Vasconcelos, que ao longo de sua trajetória política tem demonstrado competência e maestria no comando do município. Ambos os pré-candidatos disputarão o pleito pelo Patriotas, sendo que, Márcio Moreira concorrerá a Deputado Estadual e “Manelão” a Deputado Federal. A campanha política deste ano promete ser uma das mais disputadas, pois, o número de pré-candidatos deve bater todos os recordes.

Amarildo Bonfim (esquerda) e o presidente do MDB, Jorge Malaquias Filho (direita)

TRF4 marca para dia 18 julgamento de embargos de embargos de Lula

  • 13 Abr 2018
  • 16:00h

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) marcou para o dia 18 deste mês o julgamento dos embargos dos embargos de declaração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do tríplex do Guarujá (SP). Os embargos dos embargos foram protocolados pela defesa de Lula na terça-feira (11), após a prisão do ex-presidente, no sábado (7), por ordem do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, que não aguardou o julgamento do novo recurso na segunda instância. Na ordem de prisão, Moro escreveu que considera que os embargos dos embargos deveriam ser extintos do ordenamento jurídico brasileiro por ter caráter “protelatório”. Segundo o juiz, o objetivo do recurso seria somente o de adiar o cumprimento da pena de 12 e um mês de prisão a qual o ex-presidente foi condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O embargo de declaração é um tipo de recurso destinado a esclarecer obscuridades e contradições de uma sentença, embora não preveja mudança na decisão final de um julgamento. A defesa, porém, aponta contradições que poderiam, em tese, resultar na absolvição de Lula. Um primeiro embargo de Lula já foi negado por unanimidade no fim do mês passado pela Oitava Turma do TRF4 – composta pelos desembargadores João Pedro Gebran Neto, relator, Victor Laus e Leandro Paulsen. No novo embargo, os advogados de Lula argumentam que, no julgamento do primeiro, o relator Gebran Neto caiu em contradição ao reconhecer, em um trecho de seu voto, que a transferência do tríplex para o ex-presidente nunca foi efetivada pela empreiteira OAS, embora em outra parte tenha escrito que a condenação por corrupção passiva ocorreu devido ao recebimento do bem.

Sem Temer, Maia e Eunício, Cármen Lúcia assume presidência

  • 13 Abr 2018
  • 11:00h

Nesta sexta-feira (13), a presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Cármen Lúcia, irá ocupar a Presidência da República, em substituição ao presidente Michel Temer (MDB).  Segundo o G1, a ministra tem previsão de ficar no exercício da Presidência entre a tarde desta sexta e o sábado, já que o presidente Michel Temer vai ao Peru para participar da Cúpula das Américas. Como o Brasil não tem vice-presidente no momento, os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira, são os seguintes na linha sucessória. Contudo, eles também realizam viagens ao exterior. Rodrigo Maia embarcou nesta quinta (12) para o Panamá. Lá, ele participa de reunião do Parlatino, o parlamento latino-americano. A previsão é de retorno também no sábado. Eunício embarcou para uma visita oficial ao Japão, com previsão de retornar apenas no fim de semana seguinte

Ciro Gomes aposta que PT vai apoiar sua candidatura à Presidência, diz coluna

  • 12 Abr 2018
  • 17:00h

Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula

Para o pedetista Ciro Gomes, sem a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições, o PT não terá outra alternativa senão apoiar sua candidatura à Presidência da República. Segundo informações da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, é por isso que ele tem demonstrado apoio a Lula e distância do Partido dos Trabalhadores. De acordo com a publicação, alguns dirigentes e lideranças da legenda também chegaram à mesma conclusão. Mas Ciro reconhece que a maioria do partido ainda prefere lançar um candidato próprio.

Ciro Gomes deve receber título de cidadão baiano das mãos de Deputado no dia 20 abril

  • 11 Abr 2018
  • 18:00h

Foto: Divulgação

O pré-candidato à Presidente da República do PDT, Ciro Gomes, tem agenda marcada para Salvador no próximo dia 20 de abril onde deve receber o título de Cidadão Baiano pela Assembleia Legislativa da Bahia (Alba). A informação foi divulgada pelo site Bahia Notícias pelo deputado estadual Roberto Carlos (PDT), nesta segunda-feira (9), durante a inauguração de passarela do governo do Estado em Salvador. “Tratamos com o cerimonial, mas pode mudar com esse processo de Lula. Vamos entrar em contato para definir, mas já está pré-marcado”, disse o parlamentar ao site. As informações são do Bahia Notícias.

Eleições fazem com que dez ministros deixem seus cargos no governo

  • 08 Abr 2018
  • 16:00h

Foto: Divulgação

Com o fim do prazo para desincompatibilização de cargos públicos, dez ministros deixaram o governo do presidente Michel Temer para concorrerem nas eleições deste ano. Outro ministro deve ser exonerado neste sábado (7), além do ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, que deixou o cargo no fim do mês de março. Segundo a legislação eleitoral, os ministros de Estado devem estar afastados de funções públicas seis meses antes da eleição caso queiram se candidatar para mandatos eletivos. Este é o mesmo prazo para que ocorram as filiações partidárias dos aspirantes às eleições. À meia-noite de ontem (6), também se encerrou a chamada janela partidária, que permite, durante 30 dias, aos deputados mudarem de partido sem risco de perder os mandatos. A maioria dos agora ex-ministros retoma seus mandatos na Câmara dos Deputados e concorrerá à reeleição para o cargo, mas alguns decidiram, pela primeira vez, buscar uma vaga no Senado, que desta vez terá renovação de 2/3 dos senadores, cujo mandato é de oito anos. É o caso de Marx Beltrão (PSD), que comandou o Ministério do Turismo até a última quinta-feira (5) e agora vai disputar o Senado por Alagoas. Ele deve, inclusive, disputar em uma chapa concorrente à de seu colega de Esplanada dos Ministérios, Maurício Quintella (PR), que deixou o ministério dos Transportes nos últimos dias para disputar uma das duas vagas ao Senado pelo mesmo estado. Embora tenha retornado à Câmara, o ex-ministro Mendonça Filho (DEM), que chefiava a Educação, ainda não decidiu se vai se candidatar ao governo de Pernambuco ou se concorrerá à reeleição como deputado. Já Paulo Rabello de Castro, que era presidente do BNDES, quer ocupar o cargo mais alto do Executivo. Pré-candidato à Presidência da República pelo PSC, ele já tem participado de eventos partidários pelo país. O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (MDB), teve a exoneração publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) nessa sexta-feira (6), mas ainda não tem uma posição fechada sobre sua candidatura ao governo do Pará. As negociações com o partido de Barbalho vão continuar nos próximos meses e levarão em conta a análise do cenário político do estado. Em 2014, ele concorreu ao governo local, mas foi derrotado no segundo turno por Simão Jatene (PSDB). Outra candidatura indefinida é a de Henrique Meirelles, que confirmou a saída do ministério da Fazenda nessa sexta-feira (6) e a sua exoneração também foi publicada na edição extra do DOU. Após se filiar ao MDB no início da semana, ele ainda mantém segredo se vai disputar o cargo de vice na possível tentativa de reeleição do presidente Michel Temer, ou se buscará uma união do partido em prol do seu nome à frente da chapa. De acordo com a Lei de Inelegibilidades (Lei Complementar nº 64/1990), além de ministros de Estado e magistrados, presidentes, diretores e superintendentes de empresas públicas, bem como chefes de órgãos que fazem assessoramento direto, também devem pedir exoneração na mesma data. Candidatos à reeleição para os cargos de governador e presidente da República não precisam deixar o cargo.

PSB anuncia filiação de Joaquim Barbosa, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal

  • 07 Abr 2018
  • 17:00h

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) anunciou que o ex-presidente e ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa, se filiou à legenda na noite desta sexta-feira (6), em São Paulo. Conforme o PSB, Barbosa se filiou para iniciar a discussão, dentro do partido, de uma possível candidatura à Presidência da República. O PSB vai definir em julho, durante convenção, se terá ou não candidato próprio ao Palácio do Planalto. Segundo a assessoria do PSB, Barbosa deve começar a viajar pelo país, e o partido espera que o nome dele passe a constar das pesquisas de intenção de voto. Haverá um ato público de filiação, informou a assesoria, em data ainda não definida. No ato de assinatura de filiação, na noite desta sexta (6), o presidente da legenda, Carlos Siqueira, elogiou a trajetória de Barbosa. "Ele deixou sua marca pessoal de firmeza e independência, e, ao colocar em discussão na corte pautas progressistas contribuiu para um significativo avanço civilizatório da sociedade brasileira”, afirmou. Indicado para ministro do STF pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Barbosa permaneceu no STF de 2003 a 2014, e assumiu a presidência da Corte entre 2012 e 2014. Relator do processo do mensalão, levou o caso a julgamento em 2012 com voto pela condenação da maioria dos acusados.

Dilma disputará Senado por Minas Gerais

  • 06 Abr 2018
  • 09:00h

Em meio à turbulência provocada pela expedição do mandado de sua prisão, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva alinhavou com a ex-presidente Dilma Rousseff o lançamento da candidatura da petista ao Senado por Minas Gerais. A ex-presidente mudará seu domicílio eleitoral para Minas Gerais nesta sexta-feira (6), onde passará a morar. O anúncio oficial será feito amanhã em Belo Horizonte. Dilma e outras lideranças petistas estão reunidas com Lula no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo. O ex-presidente se dirigiu ao local onde começou a carreira como líder sindical depois de ser informado da determinação de sua prisão pelo juiz federal Sergio Moro. No entorno do prédio, militantes, curiosos e viaturas policiais.  Dentro, sindicalistas e parlamentares petistas aguardavam ansiosos no segundo andar uma fala do ex-presidente, que estava até as 20h50 trancado na sala da presidência, onde poucas pessoas eram autorizadas a entrar. O clima era de confraternização, com políticos sendo cumprimentados pelos presentes. Estavam os deputados Paulo Teixeira e Paulo Pimenta, e o pré-candidato à Presidência pelo PSOL, Guilherme Boulos. O sindicato distribuiu cartazes com o rosto de Lula e os dizeres “Tô com Lula”. Lá estavam também o ex-governador do Ceará Cid Gomes (PDT) e o líder da oposição na Câmara, José Guimarães (PT).  Jornalistas foram hostilizados por militantes com ovos, gelo e berros de “vão embora, urubus!”, direcionados sobretudo à equipe da Rede Globo. O deputado Orlando Silva (PC do B) falou com a imprensa antes de entrar no sindicato. Para ele, a ordem de prisão “nos aparece um atropelo completo” e “mais um abuso de autoridade” por parte do Judiciário. 

Lula não se apresentará, diz presidente de sindicato

  • 06 Abr 2018
  • 08:00h

Anfitrião de Lula, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, o Wagnão, enviou uma mensagem a sindicalistas afirmando que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não se apresentará à Justiça, como determinou o juiz Sergio Moro. No aviso, Wagner revelou a intenção de impedir o acesso da polícia à sede do sindicato. Lula pretende descansar em casa ainda nesta madrugada, mas, segundo Márcio Macedo, vice-presidente do PT, os sindicalistas insistem para que ele permaneça no sindicato, onde foi montada uma estrutura para seu pernoite. Líder do PT no Senado, Lindbergh Farias defende que Lula não se apresente. Segundo ele, a presença de militantes às portas do sindicato pesará para que o ex-presidente resista. "Se querem prender Lula, que executem o mandado de prisão. Vai ser que nem na ditadura, quando o Exército entrou aqui. Uma vergonha internacional", diz Lindbergh. Coordenador do MST, João Paulo Rodrigues diz que o movimento fechará 85 rodovias nesta sexta-feira (6). Os sem-teto chegarão em 20 ônibus a São Bernardo do Campo.

Deputados estaduais da Bahia ainda não votaram nenhum projeto desde o retorno das férias, há 2 meses

  • G1 Bahia
  • 04 Abr 2018
  • 17:00h

Foto: Reprodução/TV Bahia

Os deputados estaduais da Bahia retornaram das férias no dia 1º de fevereiro, mas até esta terça-feira (3), dois meses e dois dias depois, eles ainda não votaram nenhum projeto, por falta de quórum nas sessões, número mínimo de políticos estabelecido para que as votações possam ocorrer. Além das férias, eles tiveram folga no carnaval e na Semana Santa, contabilizando menos de 30 dias de trabalho. Nesta terça, haveria a primeira sessão de votação de projetos na Alba, mas o plenário estava vazio. A sessão foi abertas às 14h45 e encerrada dois minutos depois, porque não havia um número de deputados suficiente para votação. Logo após o início da sessão, foi feita uma chamada que constatou a presença de apenas 20 deputados. Para que a sessão aconteça, é preciso no mínimo 21 dos 63 políticos da Casa. Já para votação, são necessários pelo menos 32 deputados. O vice-presidente da Alba, o deputado Luiz Augusto (PP), justificou as ausências dos deputados. "Uma coisa é trabalho e outra coisa é votação. O deputado trabalha mais no gabinete, atrás de algumas coisas para os prefeitos, para as regiões, discutindo nas sessões. Eu acho que o trabalho não é só na hora de votar. Votar é um período muito pequeno", destacou. Um deputado estadual da Bahia custa, em média, R$ 157 mil por mês aos cofres públicos. Eles ganham salários de R$ 25.322,25, verba idenizatória de R$ 32 mil, usada para combustível e outras despesas, e verba de gabinete de R$ 100 mil.