BUSCA PELA CATEGORIA "Polícia"

Amargosa: Padrinho de 66 anos é preso acusado de abusar de afilhada de 12

  • Bahia Notícias
  • 22 Out 2021
  • 14:56h

Foto: Divulgação / Polícia Civil

Um idoso, de 66 anos, foi preso por suspeita de estupro contra a afilhada de 12 anos. O flagrante ocorreu nesta quinta-feira (21) em Amargosa, no Vale do Jiquiriçá. Uma denúncia da mãe da vítima motivou a prisão.

Segundo o delegado Marcos Diógenes Lopes Maia, o suspeito enviava mensagens com teor sexual para garota e ordenava que ela mandasse fotos íntimas para ele.

“Ele aproveitava-se da confiança da família e cometeu o abuso em uma ocasião que a vítima foi brincar com a filha dele”, disse o delegado. A suspeita é que os abusos começaram há dois meses.

“Conforme apurado, o homem continuava a visitar a residência da família da vítima com pretextos diversos, tentando nova aproximação com ela, o que também configura abuso psicológico”, acrescentou.

Na ação, os policiais apreenderam os celulares da garota e do idoso que devem passar por perícia. A vítima também fará exames conduzidos pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT). O suspeito deve passar pela audiência de custódia.

Polícia Civil aponta como caluniosa denúncia de jornalista contra Eduardo Bolsonaro

  • Bahia Notícias
  • 14 Out 2021
  • 09:33h

Foto: Wilson Dias / Agência Brasil

A Polícia Civil do Distrito Federal entregou o relatório final da investigação aberta para apurar se a jornalista Patrícia Lélis mentiu ao dizer que foi ameaçada pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). A conclusão, de acordo com o Estadão, foi que ela apresentou uma denúncia falsa contra o filho do presidente.

A Polícia Civil do Distrito Federal entregou o relatório final da investigação aberta para apurar se a jornalista Patrícia Lélis mentiu ao dizer que foi ameaçada pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PLS-SP). A conclusão foi que ela apresentou uma denúncia falsa contra o filho do presidente.

“Isso prejudica até mesmo a causa das mulheres que são, de fato, vitimas de violência”, afirma a advogada Karina Kufa, que defende o deputado. “Muitas vezes a demora da aparição da verdade pode prejudicar inocentes”, acrescenta.

“Constatou-se, conforme Laudo Pericial, a existência de indícios de simulação na conversa que conteriam as palavras ameaçadoras atribuídas a Eduardo Bolsonaro, bem como pela impossibilidade de se afirmar que o autor de tais dizeres criminosos seria, de fato, o titular da linha telefônica constante no cabeçalho das mensagens, no caso, o imputado”, diz um trecho do relatório assinado pelo delegado Josué da Silva Magalhães.

Procurada pela reportagem, Patrícia disse que não foi ouvida pelos policiais. Ela mora hoje nos Estados Unidos. Também contou que pediu uma perícia nas mensagens pela Polícia Federal, sem sucesso. “Por meses e meses o processo ficou parado e só começou a “andar” (de forma que a todo momento favorecia Eduardo Bolsonaro) depois que Bolsonaro foi eleito”, afirma.

No início  a investigação buscou analisar se houve abuso do deputado, conforme a versão de Patrícia. A denúncia foi arquivada em 2019 pela Justiça de Brasília, que considerou não haver provas suficientes para abrir uma ação penal contra Eduardo.

Na segunda etapa, os policiais puseram à prova a narrativa de Patrícia, que passou de vítima à investigada. O delegado afirma que ela cometeu o crime de denunciação caluniosa.

“Com base em todos os elementos de informação colhidos durante investigação, verificam-se a existência de autoria e materialidade delitiva que indicam que o indiciada praticou o crime de denunciação caluniosa, uma vez que, de maneira dolosa, imputou falso crime a Eduardo Nantes Bolsonaro, fato esse que deu ensejo a instauração de processo criminal contra quem a indiciada sabia ser inocente”, afirma o relatório.

Conquista: PM captura mulher com 18 kg de cocaína

  • Bahia Notícias
  • 10 Out 2021
  • 07:05h

Foto: Divulgação SSP

Dezoito quilos de cocaína foram apreendidos com uma mulher, suspeita de distribuir o entorpecente, no município de Vitória da Conquista. Ela foi conduzida para a Delegacia por equipes da 77ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Vitória da Conquista), na tarde da última sexta-feira (8). 

O Centro Integrado de Comunicações (Cicom) da SSP informou sobre uma movimentação suspeita, em uma residência no bairro de Petrópolis. Rapidamente equipes do Pelotão de Emprego Tático Operacional (Peto) foram verificar a denúncia e avistaram a mulher.

“Flagramos ela transportando a droga para a residência. Abordamos e, com permissão da traficante, revistamos a casa e encontramos o resto dos entorpecentes”, disse.

Com a suspeita ainda foram apreendidos um caderno com anotações do tráfico de drogas, uma balança, um celular e R$ 215. O material foi encaminhado, junto com a mulher, para o Distrito Integrado de Segurança Publica (Disep) de Conquista para a tomada de medidas de Polícia Judiciária.

Quarentena que a Câmara quer implantar bate mal entre os PMs. Afirmam que é retaliação

  • Levi Vasconcelos
  • 18 Set 2021
  • 17:38h

"O afastamento de PMs para disputar mandatos eletivos já é previsto na Constituição. Uma lei não pode mudar isso" | Foto: Brumado Urgente

A instituição da quarenta para juízes, promotores e policiais militares estabelecidas no novo Código Eleitoral, aprovado na Câmara dos Deputados e a caminho do Senado, é algo que parecia já sepultado para os três segmentos, todos reagindo forte, e, de repente, como a fênix, sai das cinzas e ganha vida.

O Código, se aprovado do jeito que está, para valer a partir de 2023, diz que juízes, promotores e PMs, se quiserem se candidatar, têm de cumprir uma quarentena se afastando quatro anos antes. Se já tiver 10 anos de serviço, se aposenta proporcionalmente; se não, é pedido de demissão.

Judicialização

Cabe indagar: alguém já viu alguma vez na vida um juiz ou promotor praticando atos com intensões eleitorais? Os únicos precedentes da história, se é que são, seria com Sérgio Moro, o juiz da Lava Jato, e Deltan Dallagnol, o procurador da causa.

Já na PM a interpretação é outra. Seria, dizem alguns, uma retaliação contra a politização nas corporações, especialmente com o bolsonarismo, no Brasil inteiro.

Hoje, há oficiais da reserva recém-aposentados fazendo campanha abertamente. Mas mesmo que tudo passe como querem os deputados, haverá problema, segundo o ex-deputado Capitão Tadeu, hoje major da Polícia Militar da Bahia, que tem larga convivência com a tropa.

— A questão é que o afastamento de PMs para disputar mandatos eletivos já é previsto na Constituição. Uma lei não pode mudar isso.

Ou seja, se passar, vai dar briga.

Operação prende estudante de medicina e mais 2 por tráfico de drogas

  • BN
  • 17 Set 2021
  • 15:32h

Foto: Divulgação / Polícia Civil

Três homens foram presos - um deles estudante de medicina - em Senhor do Bonfim, no Piemonte Norte do Itapicuru. A Operação PlayBoy foi deflagrada nesta quinta-feira (16) pela delegacia da cidade. Os alvos eram envolvidos no tráfico de drogas local. Segundo a Polícia Civil, foram encontrados porções de maconha e cocaína, embaladas para venda.

“Os outros trabalhavam com instalação de câmeras de monitoramento aqui na cidade. Os três residiam em frente a uma escola particular de classe média alta, onde possivelmente faziam a distribuição das drogas”, relatou o titular da 1ª DT, delegado Leonardo Virgílio.

Ainda segundo a polícia, além da quantidade de maconha e cocaína, também foram encontrados comprimidos de ecstasy, balanças, máquina de débito e crédito, celulares e grande volume de embalagens plásticas.

Os três foram autuados por tráfico de drogas e seguem à disposição da Justiça.

Polícia Federal deflagra operação contra fraude no fundo de pensão dos Correios

  • Redação
  • 17 Set 2021
  • 14:21h

Serão investigados crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa, crimes contra o sistema financeiro nacional e corrupção cometidos contra o Postalis | Foto: Divulgação PF

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (17) a Operação Amigo Germânico, para investigar os crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa, crimes contra o sistema financeiro nacional e corrupção cometidos contra o Postalis – Instituto de Previdência Complementar, do fundo de pensão dos Correios.

Para a ação foram mobilizados 44 policiais federais para cumprir 19 mandados de busca e apreensão pela Justiça Federal no Distrito Federal, Paraná e em São Paulo. A Justiça também determinou o bloqueio de bens dos investigados até o limite do valor dos prejuízos já apurados: cerca de R$ 16 milhões.

As investigações, em parceria com o Ministério Público Federal (MPF), apontam que foram criados quatro Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios Não Padronizados – FIDC NP e, em seguida, diversos ativos do Postalis foram reprecificados em valor diferente de zero, quando deveriam ter sido reavaliados a valor zero. A referida operação, cujos prejuízos foram previamente admitidos pelos alvos investigados, implicou no agravamento da situação já deficitária da entidade.

Os alvos respaldaram seus atos em pareceres jurídicos elaborados por pessoas que possuíam interesse direto na indicação das empresas que, posteriormente, seriam escolhidas como gestora e administradora dos recursos dos FIDC NP.

Ainda segundo a PF, as empresas indicadas para administrar os Fundos de Investimento direcionavam taxas de rebate (comissão) para serem divididos entre os responsáveis pela indicação das empresas que, também atuavam no aconselhamento técnico-jurídico do Postalis. Além disso, por meio de transações dissimuladas, também foram direcionadas vantagens indevidas a gestores da entidade de previdência complementar dos Correios.

Os envolvidos poderão responder pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta de instituição financeira e corrupção passiva e ativa com penas que, se somadas, podem chegar a 42 anos de reclusão.

Novas informações sobre o femincídio que vitimou a jovem Sashira Camilly, veja vídeo

  • Redação
  • 16 Set 2021
  • 14:58h

(Fotos: Reprodução Redes Sociais)

Mais informações se somam ao crime de feminicídio envolvendo três acusados de assassinar a jovem Sashira Camilly, de 19 anos.

A jovem era estudante de engenharia civil da Fainor (Faculdade Independente do Nordeste), instituição de ensino superior privado, e as informações que circulam nas redes sociais dão conta de que os acusados pelo crime eram colegas de faculdade de Sashira.

Ainda não foram reveladas as identidades dos envolvidos no crime nem a natureza da relação que eles tinham com a jovem. O corpo de Sashira Camilly foi encontrado no município de Planalto, a 50 quilômetros de Vitória da Conquista. 

Policiais com salário de até R$ 7.000 ganham de Bolsonaro subsídio para compra de imóvel

  • Mariana Holanda, Ricardo Della Coleta e Bernardo Caram | Folhapress
  • 14 Set 2021
  • 08:11h

(Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assinou uma MP (medida provisória), nesta segunda-feira (13), em que institui programa de financiamento imobiliário subsidiado para agentes de segurança pública.

Com R$ 100 milhões disponíveis em 2021 —primeiro ano de execução—, serão contemplados com os subsídios policiais que recebam até R$ 7.000 por mês.

O programa Habite Seguro, feito pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, é mais um aceno aos policiais, que fazem parte da base eleitoral do presidente.

Policiais federais, rodoviários federais, militares, civis e guardas civis municipais —da ativa e da reserva— terão acesso aos benefícios.

"Entendemos que [o programa] pode, sim, atingir grande parte deste efetivo da segurança, que arriscam a sua vida, em defesa da nossa vida, e do nosso patrimônio", disse Bolsonaro em cerimônia no Palácio do Planalto.

O Programa Nacional de Apoio à Aquisição de Habitação para Profissionais da Segurança Pública foi elaborado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública e terá o apoio da Caixa Econômica Federal.

De acordo com nota da Secretaria-Geral do Palácio do Planalto, o programa permitirá a contratação de cotas de crédito imobiliário. A MP, que ainda não foi publicada, deve detalhar critérios e condições para a participação do programa, que prevê ainda outros benefícios.

Caberá à Caixa administrar os R$ 100 milhões, que sairão do Fundo Nacional de Segurança Pública. Outras instituições financeiras também poderão operacionalizar o programa.

A Caixa informou que poderão ser financiados imóveis novos ou usados. O limite de avaliação do imóvel será de R$ 300 mil.

Os subsídios para os policiais e demais agentes será variável, de acordo com o salário.

Ele pode chegar a R$ 2,1 mil para a tarifa de contratação do financiamento e a R$ 12 mil no valor da entrada.

A previsão é que as condições especiais possam ser acessadas a partir de 3 de novembro.

De acordo com o Planalto, o programa integrará, "no que couber, o programa Casa Verde e Amarela, gerido pelo Ministério do Desenvolvimento Regional".

No evento, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou que o banco anunciará nesta semana uma redução em taxas de juros cobradas em financiamentos habitacionais. O movimento ocorre em um momento de alta na Selic (taxa básica de juros).

"A Caixa vai reduzir os juros. Não está aumentando a Selic? Então a Caixa, com o lucro que nunca teve, sem roubar, vai diminuir os juros da casa própria. Mas isso fica para quinta-feira (16)", disse.

Guimarães não apresentou detalhes sobre a redução das taxas.

Participaram da cerimônia o vice-presidente Hamilton Mourão, os ministros Anderson Torres (Justiça e Segurança Pública), Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), Paulo Guedes (Economia), João Roma (Cidadania), Augusto Heleno (GSI), Wagner Rosário (CGU) e Onyx Lorenzoni (Trabalho), e Gustavo Montezano, presidente do BNDES.

Na plateia, estiveram presentes membros da bancada da bala, como o presidente da frente, Capitão Augusto (PL-SP), e os deputados Capitão Derrite (PP-SP), Coronel Tadeu (PSL-SP) e Major Fabiana (PLS-RJ).

Ao final do seu discurso na cerimônia, Bolsonaro propôs às Assembleias Legislativas do país elaborem um projeto como uma espécie de vaquinha: quando um policial ou bombeiro morrer, seus colegas de profissão doam R$ 10 para a família do morto.

A proximidade das forças de segurança com o governo Bolsonaro tem preocupado especialistas, que apontam risco de politização das corporações. Os receios aumentaram no final de maio, após episódios em que policiais militares em Pernambuco e Goiás abusaram das funções durante atos contra o presidente.

Além do mais, os dias que antecederam a manifestação pró-Bolsonaro de 7 de Setembro foram marcados por temores pela possível participação de policiais defensores do presidente.

É comum Bolsonaro ir a formaturas de Forças Armadas e de policiais militares.

No início de junho, ele foi à formatura do curso de aperfeiçoamento da Polícia Militar do Distrito Federal.

Na ocasião, na Academia de Polícia Militar de Brasília, dois altos oficias da Polícia Militar do Distrito Federal invocaram o lema da campanha eleitoral do presidente em 2018, "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos".

Em dezembro do ano passado, Bolsonaro prestigiou 845 soldados formandos da Polícia Militar do Rio de Janeiro. Foi quando disse que os Poderes são independentes, mas o poder é do povo.

Também foi nessa cerimônia em que falou que a imprensa sempre estará contra os policiais e recomendou que eles pensem assim antes de agir.

Ainda em junho, ao sair de um culto na cidade de Anápolis (GO), Bolsonaro desceu do carro para cumprimentar um a um, com aperto de mão, policiais militares designados para fazer a segurança do evento.

Também mirando a categoria, o presidente é um defensor do excludente de ilicitude. Esse projeto quer que agentes de segurança que cometam excessos em operações tenham penas abrandadas.

Policiais e integrantes das Forças Armadas sempre foram o público de Bolsonaro ao longo de sua carreira política. Desde o início do governo, houve também momentos de incômodo de lideranças da área de segurança com o governo.

Integrantes da "bancada da bala" no Congresso pressionaram pela recriação do Ministério da Segurança Pública, a partir do desmembramento da Justiça, mas o pleito não foi atendido.

Os problemas com congressistas ligados a policiais foi um dos motivos para a escolha de Anderson Torres como novo ministro da Justiça. Com relação estreita com a chamada bancada da bala, o delegado federal tem como desafio buscar reaproximar a frente parlamentar do Palácio do Planalto.

CONTINUE LENDO

Com tiroteios cada vez mais frequentes, coronel Xavier avisa: ‘Precisamos conversar’

  • Levi Vasconcelos
  • 13 Set 2021
  • 19:22h

"A sociedade deve parar para discutir esse assunto com todo o carinho. Essa briga não é só do pessoal da segurança, é de todos" | Foto: Polícia Militar da Bahia

Uma lamentável constatação: os tiroteios nas ruas, antes comuns no Rio de Janeiro, cá só esporádicos, a cada dia estão mais frequentes. Só nos últimos 15 dias em Salvador aconteceram em Valéria, IAPI, Fazenda Grande, São Caetano e também no Porto da Barra.

A questão: na medida em que o tempo passa, a situação só piora. E aí, qual é o caminho para encontrar o caminho da vida de antes? Com a palavra o coronel Manoel Xavier de Souza Filho, ou coronel Xavier, comandante de Operações Policiais Militares da Bahia, o terceiro na hierarquia da PM:

— Acho que a sociedade deve parar para discutir esse assunto com todo o carinho. Essa briga não é só do pessoal da segurança, é de todos.

Aprendizado

As tensões em Salvador também crescem no interior, e o coronel Xavier diz não acreditar, como dizem, que os traficantes do Rio de Janeiro, acossados lá, migraram para cá.

— Creio mais que alguns traficantes de cá passaram um tempo no Rio, e aprenderam algumas táticas lá, como no Nordeste de Amaralina. Antes, eles corriam aleatórios. Agora, já usam tática semelhantes às da polícia.

Diante do cenário, ganham corpo a tese da liberação das drogas e passar a tratar o assunto como questão de saúde pública, em vez de questão de segurança, segundo a qual a PM está numa briga que não é dela.

Coronel Xavier diz que é uma saída. Certo é que do jeito que vai a guerra só cresce.

Após morte de policial, governo da Bahia critica legislação e dispara 'os policias estão enxugando gelo''

  • David Mendes
  • 13 Set 2021
  • 13:38h

Governador diz que policiais enfrentam bandidos com fuzil, metralhadora, pistola automática e equipamentos sofisticados | Foto: Brumado Urgente

O governador Rui Costa (PT) defendeu a necessidade de uma reforma no atual código penal brasileiro, ao lamentar e prestar solidariedade aos dois policiais militares mortos durante operações em Salvador e em Porto Seguro, neste final de semana.

“Infelizmente tivemos o óbito de um tenente, vai aqui a minha solidariedade. No sábado perdemos um soldado em Porto Seguro. Já repeti isso dezenas de vezes, vai a minha revolta com esse modelo criminal existente no Brasil. A lei criminal precisa mudar rapidamente. É inaceitável que a mesma pessoa seja presa uma, duas ou três vezes, muitas respondendo por crime de homicídio”, condenou, durante entrevista à Rádio Metrópole, na manhã desta segunda-feira (13).

O líder baiano afirmou ainda que, como cidadão, pai de família, considera “inaceitável”.

“Não sou jurista, não sou formado em Direito, mas estou falando como pai de família. Não aceitaria, em nenhuma hipótese, um filho meu ser morto por um bandido e depois de dois ou três anos de cumprir pena ele esteja solto. Eu não aceitaria e me revoltaria. A vida é um bem sagrado que Deus nos deu”, lamentou

Para Rui, a política do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em querer facilitar o acesso a armas de fogo também contribuiu para o crescimento da violência.

“O Brasil virou um dos maiores consumidores de drogas do mundo e 80% dos homicídios no país estão vinculadas ao tráfico, e é o tráfico de drogas é quem financia o crime organizado, a morte de adolescentes e de policiais, isso acrescido a essa atitude irresponsável do presidente da República que liberou e facilitou o uso e a compra de armas no país”, disse.

Para o chefe do Executivo baiano, é visível o crescente número de armas em circulação no país.

“Sei que alguém pode dizer: ‘só foi liberado para pessoas de bem, de família’, mas, independentemente de quem compra, essas armas acabam chegando nas mãos dos bandidos. E hoje, a polícia tem que ir para rua pra enfrentar bandido com fuzil, metralhadora, pistola e com equipamentos sofisticados, e mesmo essas pessoas sendo presas, rapidamente contratam escritórios fortes de advocacia, com bastante influência e, com base na lei, essas pessoas são colocadas em liberdade (… ) Pela frouxidão da legislação brasileira, os policiais estão enxugando gelo”.

Polícia Civil fecha casa clandestina de apostas no centro e 2 colombianos são levados ao Disep

  • Redação
  • 11 Set 2021
  • 07:33h

(Foto: Divulgação SSP | Bahia)

Após denúncias Anônimas, equipes da 10ª Coorpin da Polícia Civil e Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos, compareceram no final da tarde de ontem (10/09/2021) em uma galeria no Centro de Vitória da Conquista e conduziram um casal de Colombianos  que aplicavam golpes através de um Bingo clandestino  que funcionava no local, onde eram realizados sorteios. A promessa de prêmios era feita através do pagamento de R$ 1 mil em espécie feita por sorteio através de um globo. Estes sorteios constituem contravenção penal de jogos de azar e não têm efeitos jurídicos válidos além de não gerar obrigações de pagamento. Tais sorteios não possuem nenhuma garantia para quem participa. A atividade ilícita pode ser configurada também como crime contra a economia popular e lesão ao consumidor. A realização de rifa, loteria e bingo são considerados jogos de azar – cuja exploração é uma exclusividade dos governos federal e estadual. A investigação continua para verificar a existência do crime de lavagem de dinheiro, já que os colombianos alegaram que um indivíduo  que reside em Teixeira de Freitas é o dono do negócio. Os valores obtidos se originam de uma infração penal, que é a realização de sorteios ou de promoções com distribuição de prêmios não autorizadas. O estabelecimento onde funcionava a jogatina foi fechado e todo o material apreendido.

Fonte: DPC Odilson Pereira

‘O Professor’, chefe de quadrilha de assalto a bancos, é preso pela Draco

  • Redação
  • 09 Set 2021
  • 11:03h

Criminoso era o mentor dos ataques e possuía mandados em aberto pela Justiça da Bahia e de Sergipe | Foto: Reprodução

O líder de uma quadrilha responsável por ataques a agências bancárias e uma lotérica, conhecido como “O Professor”,  foi preso por policiais do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), no bairro de São Cristóvão, na quarta-feira (8). Com passagens pelo mesmo crime, o acusado também era explosivista do grupo e tinha mandados de prisão em aberto pela Justiça da Bahia e de Sergipe, relativos a roubos a bancos.

Agências bancárias dos municípios de Conceição da Feira, Salinas das Margaridas e uma casa lotérica em Simões Filho, são algumas das instituições financeiras atacadas pelo grupo chefiado pelo acusado. O apelido faz alusão ao personagem da série cuja história refere-se a nove ladrões que roubaram a Casa da Moeda Real e o Banco Central da Espanha.

Equipes do Draco também cumpriram o mandado de prisão de outro integrante da quadrilha, nesta quinta, em Salvador. De acordo com o titular da Coordenação de Repressão a Crimes Contra Instituições Financeiras, do Departamento, delegado Odair Carneiro, outros membros do grupo já foram identificados e diligências estão sendo realizadas para a localização dos mesmos.

“Trata-se de um trabalho de investigação contínua e em conjunto com a Polícia Militar, por meio diversos grupamentos, a exemplo da Rondesp/Leste e o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). Vamos seguir identificando e retirando das ruas os envolvidos com ataques a instituições financeiras”, pontuou.

O diretor do Draco, delegado José Bezerra Júnior, fez um breve balanço do combate aos grupos de assaltantes a banco. “Já tivemos dezenas de prisões, apreensões e algumas quadrilhas já foram desarticuladas. Esse trabalho vai continuar. Muitas ações são desenvolvidas entre a Polícia Civil e outras forças policiais, a exemplo da Operação Aerarium, que integramos junto com as polícias Militar e Rodoviária Federal”, afirmou.

Mucuri: Filho de ex-vereador e outro homem são mortos a tiros

  • Redação
  • 08 Set 2021
  • 17:09h

(Fotos: Reprodução)

O filho de um ex-vereador e atual diretor municipal de obras de Mucuri, no Extremo Sul, e outro homem foram mortos a tiros na madrugada da segunda-feira (6). Segundo a Polícia Civil, Vomberto Cundes Alves estava na companhia de Zenilton dos Santos Souza quando foram atingidos a tiros.

A suspeita é que os atiradores chegaram a bordo de um veículo e surpreenderam as vítimas que estavam em frente a um bar, no Centro da cidade. Zenilton veio a óbito no local. Já Vomberto – filho do ex-vereador Vomberto Alves de Souza – chegou a ser levado para uma unidade de saúde, mas não resistiu aos ferimentos.

Na tarde desta terça-feira (7), Vomberto Cundes Alves, que tinha 28 anos, foi sepultado, segundo informou o Teixeira Hoje. O caso foi registrado na Polícia Civil de Teixeira de Freitas.

A autoria e a motivação do crime devem ser investigadas pela delegacia de Mucuri.

34ªCIPM participa de palestra sobre o tema da Violência Contra a Mulher

  • Ascom | 34ª CIPM
  • 08 Set 2021
  • 16:31h

(Foto: Ascom 34ª CIPM)

Por solicitação do gerente administrativo da Empresa IMI Fabi Talco S/A, Natanael Aganette, foram realizadas duas palestras (em Catiboaba e na Mina de Cabeceiras), para colaboradores da empresa com o tema Violência Contra a Mulher.

A empresa desenvolveu a campanha Agosto Lilás e na oportunidade, a Cabo PM Valdilena foi convidada para abordar o tema. “Esse tipo de ação educativa aspira fomentar uma convergência social que abrace a prevenção da violência doméstica e familiar contra as mulheres como algo inerente à dignidade da pessoa humana”, disse a policial militar.

Conquista: Homem é preso acusado de abusar sexualmente de 3 netas, ele colocava filmes pornôs para elas assistirem

  • BRF
  • 08 Set 2021
  • 15:05h

(Foto: Reprodução)

Policiais civis do Núcleo da Criança e do Adolescente , prenderam nesta data, um homem em cumprimento ao mandado de prisão preventiva em desfavor do mesmo.

O preso é acusado de abusar sexualmente , por reiteradas vezes, de suas três netas, entre sete e doze anos de idade, tudo narrado pela vítimas, que relataram toda a violência sexual sofrida.

Absurdamente, o abusador ainda aliciava os netos, também crianças e adolescentes, passando filmes com teor pornográficos para assistirem, momento que os estimulavam a manterem relações sexuais com as crianças. presenciando todo o abuso, a fim de satisfazer a sua lascívia sexual.