BUSCA PELA CATEGORIA "Mundo"

Vaticano condena sacerdote acusado de pedofilia a cinco anos de prisão

  • 24 Jun 2018
  • 16:00h

O Tribunal do Vaticano condenou neste sábado (23) a cinco anos de prisão o sacerdote Carlos Alberto Capella, ex-conselheiro da Nunciatura de Washington, nos Estados Unidos, por posse e troca de material pornográfico infantil. O julgamento começou sexta-feira (22), mas a decisão foi tomada hoje. O promotor Gian Piero Milano tinha pedido uma pena de cinco anos e nove meses de prisão, enquanto a defesa solicitava a condenação mínima, sem especificar o período que o acusado ficaria detido. A Promotoria do Vaticano argumentou que Capella deveria ser condenado porque possuía grande quantidade de fotos e vídeos com menores em atos sexuais explícitos. Ele era acusado da posse e transmissão das imagens, já que havia feito postagens do material em um blog criado na plataforma Tumblr. A defesa afirmou que o comportamento de Capella não é sinal "periculosidade", mas sim de um "problema psicológico". Para comprovar a tese, os advogados do sacerdote apresentaram uma avaliação que mostrava que ele não revelava "tendências de pedofilia" e sofria de "problemas relativos à sua fragilidade". Capella teve a oportunidade de falar no julgamento antes da sentença e disse estar arrependido. Ele também afirmou que esperava que a situação fosse considerada com um incidente no caminho de sua vida sacerdotal. 

Redes sociais perdem espaço como fonte de notícia,diz relatório global

  • 24 Jun 2018
  • 12:00h

Nos últimos anos, as redes sociais se tornaram uma fonte importante de acesso a notícias. Contudo, esta tendência começa a mudar. A conclusão é do Relatório sobre Notícias Digitais do Instituto Reuters, um dos mais conceituados do mundo. O estudo, divulgado nesta semana, entrevistou milhares de pessoas em 37 países para entender os hábitos de consumo de jornalismo. Segundo a pesquisa, o índice de pessoas que se informam pelas redes sociais caiu em diversos mercados importantes, como Estados Unidos (6%), Reino Unido e França. “Quase a totalidade disso se deve à diminuição da busca, publicação e compartilhamento de notícias do Facebook”, analisam os autores. Apesar disso, a rede social ainda é a mais utilizada para ler notícias (36%), seguida de Whatsapp (15%), Twitter (11%), FB Messenger (8%) e Instagram (6%). Na comparação entre países, o Brasil ainda é o local pesquisado em que o Facebook tem maior popularidade como fonte de notícias (66%), seguido por Estados Unidos (45%), Reino Unido (39%) e França (36%). Por outro lado, aplicativos de troca de mensagens, como Whatsapp, FB Messenger, Telegram e Skype, estão ganhando espaço como palco de troca de notícias. Entre os brasileiros entrevistados para a pesquisa, quase a metade (48%) afirmou usar o Whatsapp para acesso a conteúdo jornalístico. O país só fica atrás da Malásia, onde o índice foi de 54%. O percentual vem crescendo também em outros países, como Espanha (36%) e Turquia (30%).

Trump recua e decreta que imigrantes ilegais e seus filhos sejam detidos juntos

  • 21 Jun 2018
  • 11:00h

Sob pressão doméstica e internacional, o presidente Donald Trump voltou atrás nesta quarta-feira (20), em sua política de separar famílias que cruzam a fronteira dos EUA com o México de maneira ilegal. Desde maio, pelo menos 2.300 crianças foram enviadas a abrigos sem a companhia dos pais, algumas das quais ainda bebês ou com poucos anos de idade. Decreto assinado por Trump determina que todos os integrantes da família permaneçam detidos juntos, enquanto durar o processo criminal contra os adultos, sob acusação de violarem leis migratórias dos EUA. Os procedimentos podem se arrastar durante meses, o que certamente levará entidades de defesa dos direitos da criança a questionar a detenção. Imagens de menores mantidos em jaulas e a gravação de vozes de crianças que choravam e gritavam por seus pais em abrigos ajudaram a impulsionar a crítica à medida, que se tornou uma das mais impopulares adotadas por Trump desde o início de seu mandato. Integrantes de seu Partido Republicano se declararam contrários à prática e a ex-primeira-dama Laura Bush a comparou aos campos de internamento de japoneses nos EUA durante a 2.ª Guerra - que classificou como um dos mais vergonhosos episódios da história americana. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mercosul firma compromisso para adotar rótulo frontal de alerta em alimentos

  • 17 Jun 2018
  • 08:00h

Foto: Divulgação

Os países do Mercosul firmaram o compromisso de adotar a rotulagem frontal nas embalagens dos alimentos para tornar a leitura mais simples e alertar o consumidor dos componentes nutricionais dos produtos. Proposta pelo governo brasileiro, a medida foi tema de uma declaração assinada, nesta sexta-feira (15), pelos ministros da Saúde do Brasil, Gilberto Occhi; da Argentina, Adolfo Luis Rubinstein; do Paraguai, Carlos Morinigo; do Uruguai, Jorge Basso e o do Chile, Alfredo Bravo, durante a 42ª Reunião Ordinária de Ministros de Saúde do Mercosul, em Assunção, no Paraguai. “Temos uma preocupação crescente com o aumento da obesidade e doenças crônicas não transmissíveis. Todos temos responsabilidade com a saúde. Queremos dar, assim, condições para que as pessoas possam fazer escolhas melhores e mais saudáveis, contribuindo para esse esforço de prevenção de doenças”, afirmou Occhi. Considerando o crescimento do sobrepeso e da obesidade em todos os grupos etários nos países do bloco Mercosul, a medida irá facilitar a identificação da quantidade de nutrientes considerados críticos, como o açúcar, sódio e as gorduras totais, trans e saturadas, que estão associadas a doenças crônicas, como a hipertensão e o diabetes. A proposta determina ainda que o rótulo alerte a população do conteúdo excessivo desses nutrientes, apontando um limite máximo. Além da rotulagem frontal, durante o evento foram debatidos também assuntos como o acesso universal à saúde, medicamentos essenciais, tabagismo, doenças imunopreveníveis e migração. 

Presos iniciam greve de fome por TV a cabo para a Copa do Mundo

  • 13 Jun 2018
  • 13:00h

Foto: Ilustrativa

Um grupo de presos da província de chubut, na Argentina, escreveu uma carta e deu início a uma greve de fome com o objetivo de conseguir assistir os jogos da Copa do Mundo, que se inicia nesta quinta-feira (14). De acordo com informações do jornal Olé, o sinal de televisão dos presos caiu há alguns dias e gerou protestos. A carta foi enviada para a direção do presídio e o único pedido é o retorno da programação. Caso contrário, eles não vão aceitar as refeições.Ainda segundo a publicação, a carta diz que os presos ameaçam entrar com um pedido de habeas corpus se o problema não foi resolvido antes do Mundial.A seleção Argentina faz a sua estreia na Copa no próximo sábado (16), contra Islândia, às 10h (de Brasília), em Moscou. Depois, a alviceleste joga contra a Croácia e a Nigéria no grupo D da competição.

Dólar termina semana com valorização de 2,68%, cotado a R$ 3,767

  • 03 Jun 2018
  • 18:00h

O dólar comercial encerrou o pregão desta sexta-feira (1º) com alta de 0,8%, cotado a R$ 3,767. No acumulado da semana, a moeda norte-americana se valorizou 2,68% frente ao real. Na máxima do dia, a moeda dos Estados Unidos chegou a ficar em R$ 3,771.   A alta do dólar foi fortemente influenciada pelo anúncio da demissão de Pedro Parente da presidência da Petrobras, efeito que também se refletiu sobre as ações preferenciais da companhia, que chegaram a cair quase 14,8%.  O índice Ibovespa, principal indicador de negócio da Bolsa de Valores no país, terminou o dia com leve alta de 0,64%, com 77.239 pontos.

Como princesa Diana, Meghan Markle omite 'obediência' de votos de casamento

  • 19 Mai 2018
  • 15:00h

Meghan Markle decidiu não pronunciar a palavra "obediência" dos tradicionais votos de casamento na cerimônia com o príncipe Harry neste sábado (19).Com isso, ela segue os passos da tradição iniciada pela princesa Diana -- que também foi seguida por Kate Middleton em seu casamento com o príncipe William em 2011. Em inglês, os votos tradicionais para a mulher costumam citar "love, cherish and obey" (amar, cuidar e obedecer em português). Meghan, no entanto, omitiu a palavra obedecer dos votos e parou em "love and cherish" (amar e cuidar). Feminista, Meghan defende a igualdade de direitos entre homens e mulheres e é representante da ONU Mulheres, braço da Organização das Nações Unidas para a promoção da igualdade de gênero. Meghan é formada em comunicação pela universidade americana de Northwestern, em Illinois. Ela também manteve por três anos um blog de estilo de vida chamado "The Tig", dedicado a assuntos femininos, e se engajou em campanhas por igualdade de gênero. Em uma postagem no blog, Meghan chegou a escrever: "Nunca quis ser uma mulher que almoça; sempre quis ser uma mulher que trabalha".

Facebook pode ser multado por Justiça brasileira por causa de vazamento de dados

  • 22 Abr 2018
  • 16:00h

O Facebook foi notificado pela justiça brasileira por causa do vazamento de dados no escândalo com a Cambridge Analytica. De acordo com informações do site Folha de São Paulo, a informação foi confirmada pelo Ministério da Justiça. Ainda conforma informações do site, cerca de 87 milhões de pessoas foram atingidas pela coleta de dados pela empresa britânica de marketing digital, das quais 443 mil seriam usuários brasileiros. A notificação foi expedida via Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor (Senacon), vinculada ao Ministério da Justiça e traz uma série de questionamentos, como, por exemplo, o número preciso de brasileiros atingidos e a finalidade da captura de dados dos usuários. A empresa de Mark Zuckerberg tem até 10 dias para respondê-las. Caso contrário, a Senacon poderá instaurar processo administrativo contra a empresa e aplicar multa, que pode chegar a mais de R$ 9 milhões.

Trump anuncia bombardeio à Síria após supostos ataques de armas químicas

  • 14 Abr 2018
  • 10:00h

Foto: Reprodução/ ABC

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou na noite desta sexta-feira (13) uma ofensiva contra o regime de Bashar al-Assad após o registro de supostos ataques com armas químicas na Síria. De acordo com o pronunciamento da Casa Branca, uma série de bombardeios no território sírio com apoio de britânicos e franceses tenta atingir bases do regime de al-Assad. Trump já havia sinalizado que os EUA poderiam atuar contra o ditador sírio, que recebe apoio da Rússia. No pronunciamento, o presidente norte-americano pediu que os compatriotas orassem por "aqueles que sofrem na Síria". A ofensiva acirra as tensões entre EUA e Rússia.

Policiais argentinos culpam ratos pelo desaparecimento de 500 kg de maconha

  • 12 Abr 2018
  • 18:00h

Três oficiais da polícia de Buenos Aires, na Argentina, estão sob investigação após o desaparecimento de 540 quilos de maconha de um depósito policial. Os agentes alegaram que a droga sumida foi "comida por ratos". Um protocolo do órgão de segurança afirma que cada encarregado do depósito deve fazer um inventário de todos os bens guardados e entregá-lo ao funcionário que o sucede na tarefa. Foi assim que o oficial Emilio Portero detectou a falta de meia tonelada de maconha no depósito. Ele avisou a divisão de assuntos internos da polícia, que abriu uma investigação. Descobriu-se que três oficiais anteriores que prestaram serviço antes de Emilio não haviam feito esse procedimento. convocados a prestar esclarecimentos, deram o mesmo testemunho: a droga havia sido comida por uma infestação de ratos. Segundo o jornal El Patagónico, uma perícia foi instaurada pelo Ministério da Segurança e concluiu que, pelo fato da droga estar muita seca, pelo tempo de armazenamento, os ratos que se alimentaram dela deveriam estar mortos. Contudo, nenhum cadáver de animal foi encontrado no depósito. Os oficiais estão sob investigação para se descobrir o que foi feito da droga.

Avião que caiu na Rússia passou por revisão completa há um mês

  • Uol
  • 12 Fev 2018
  • 13:02h

Reprodução

O avião de passageiros AN-148, que caiu no domingo (11) nos arredores de Moscou com 71 pessoas a bordo (http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimasnoticias/2018/02/11/aviao-com-71-pessoas-cai-nos-arredores-de-moscou.htm), tinha passado em janeiro por uma revisão completa de manutenção, informou nesta segunda-feira a Saratovskie Avialinii, companhia aérea proprietária da aeronave. A revisão, conhecida como "tipo C", é realizada a cada dois anos e inclui, entre outras coisas, "a revisão do motor, da fuselagem e das asas", afirma um comunicado divulgado pela companhia aérea baseada na cidade de Saratov, que suspendeu os voos de todos seus AN-148 A aeronave passou, além disso, pela revisão de manutenção obrigatória que se deve fazer antes de cada voo "sem que se detectasse nenhuma falha", acrescentou a companhia aérea. O avião, que caiu minutos depois de decolar do aeroporto. No entanto, a tripulação do fatídico voo regular 6W 703 entre Moscou e a cidade de Orsk, no sul dos Urais, acabava de começar seu turno. Cerca de mil pessoas, 191 veículos e nove aviões não pilotados participam dos trabalhos de busca dos corpos das vítimas do acidente e dos destroços da aeronave acidentada. "Por enquanto foram encontrados mais de 200 fragmentos dos corpos dos falecidos", disse à imprensa local Sergei  Poletikin, chefe do Ministério de Situações de Emergências para a região de Moscou. Por sua vez, a ministra de Saúde, Veronika  Skvortsova, afirmou que será necessária uma semana para coletar todos os restos mortais do local da tragédia. Poletikin também anunciou a localização das duas caixas-pretas do AN-148, que serão analisadas por especialistas do Comitê de Aviação Estatal russo, encarregado de investigar as causas do acidente. A grande dispersão dos fragmentos da aeronave, sobre uma superfície de pelo menos 30 hectares, a neve e as caraterísticas do terreno dificultam os trabalhos de busca.

Naufrágio mata 90 pessoas na costa da Líbia

  • 03 Fev 2018
  • 15:00h

Um barco que levava imigrantes da Líbia para a Europa naufragou na manhã desta sexta-feira (2) na costa do país africano, deixando cerca de 90 mortos. De acordo com a Organização Internacional de Migração, apenas três pessoas sobreviveram ao afundamento, que aconteceu próximo à cidade de Zuwara (a 100 quilômetros de Trípoli). Até a noite desta sexta (1º), segundo o órgão, dez corpos haviam sido encontrados, sendo oito de paquistaneses e dois de líbios, mas o restante continuava desaparecido. A porta-voz da organização, Olivia Headon, afirmou que o número de paquistaneses que tentam entrar na Europa pela Itália em barcos saindo da Líbia tem aumentado nos últimos meses. Estima-se que, no incidente dessa sexta, a maior parte das vítimas seja daquela nacionalidade. "Ainda temos de verificar o número exato de pessoas que perderam a vida durante a tragédia", disse Headon em Tunis, na Tunísia. Segundo ela, as informações iniciais sugerem que o barco naufragou porque estava superlotado.  Cálculos indicam que cerca de 600 mil pessoas já tentaram entrar na Europa ilegalmente, a partir da Líbia, nos últimos quatro anos. O fluxo, porém, diminuiu a partir de julho de 2017, depois de medidas do governo local para conter a imigração –o pacote foi anunciado em resposta à pressão da Itália e da União Europeia.

 

.

 

 

 

Papa Francisco faz casamento de comissários de bordo durante voo no Chile

  • 18 Jan 2018
  • 19:00h

Foto: Vincenzo Pinto /Reuters

O Papa Francisco fez o casamento de um casal de comissários de bordo durante um voo que ia de Santiago para Iquique, no norte do Chile, nesta quinta-feira (18), segundo a Reuters. Paula Podest Ruiz, de 39 anos, e Carlos Ciuffardi Elorriga, 41, contaram que já tinham se casado no civil, mas tinham programado o casamento no religioso em uma paróquia em Santiago, que ficou muito danificada no terremoto de 2010. Eles perguntaram se ele abençoaria a união deles, mas o pontífice foi mais além. “Vocês querem que eu faça o casamento de vocês?”, indagou o Papa Francisco. Apesar da surpresa da proposta, os noivos aceitaram e o papa presidiu uma breve cerimônia na parte dianteira do avião. O presidente da companhia Latam, Ignacio Cueto, foi chamado para ser testemunha. Como em qualquer casamento, Francisco abençoou as alianças e depois pediu a um dos cardeais que o acompanham para preparar a ata do matrimônio para que pudesse ser um evento legal. "Celebrante: Francisco", lê-se na ata do casamento, preparada por um cardeal, segundo a Efe. O porta-voz do Vaticano, Greg Burke, afirmou que a cerimônia é válida. “Tudo é oficial”, declarou.

Casal é preso por manter 13 filhos acorrentados nos EUA

  • G1
  • 16 Jan 2018
  • 18:00h

Uma mulher e um homem foram presos na noite desta segunda-feira (15) em Perris, na Califórnia, suspeitos de manterem os 13 filhos, com idades entre 2 e 29 anos, acorrentados, famintos e imersos na sujeira na casa dos pais. Louise Anna Turpin e David Allen Turpin foram presos depois que uma das filhas do casal, uma jovem de 17 anos, fugiu da casa no domingo (14) e chamou a polícia. A adolescente telefonou para o serviço de emergência 911 de um celular que encontrou na residência. A adolescente, que estava "magérrima" e parecia ter apenas dez anos, segundo a polícia, "afirmou que seus doze irmãos e irmãs eram mantidos em cativeiro na casa por seus pais, detalhando que alguns estavam acorrentados". Ainda não se sabe por quanto tempo os filhos foram mantidos em cativeiro. A princípio, a polícia pensou que se tratava de 12 menores, "desnutridos e muito sujos", mas depois percebeu que havia sete adultos, com idades entre 18 e 29 anos. Seis das 13 vítimas (incluindo a adolescente que fugiu) eram menores, e a mais nova tinha apenas dois anos. As autoridades fixaram uma fiança de US$ 9 milhões para os pais, denunciados por tortura, cárcere privado e por colocar os filhos em risco. Interrogados pela polícia, os pais não puderam "dar qualquer explicação razoável sobre por que motivo mantinham os filhos acorrentados". As vítimas foram alimentadas e estão recebendo tratamento, enquanto os serviços de defesa da infância abriram uma investigação. Não há informações sobre o estado de saúde dos filhos do casal.

Mãe é presa após fingir doença do filho e fazê-lo passar por 13 cirurgias

  • 17 Dez 2017
  • 15:00h

Uma mãe foi presa por causar lesão grave ao filho, no estado americano do Texas, depois de convencer médicos de que a criança tinha uma rara condição genética. Kaylene Bowen levou o pequeno Christopher, de 8 anos, 323 ao hospital e conseguiu que ele passasse por 13 operações cirúrgicas, todas desnecessárias, no tratamento às supostas doenças. A informação é da Agência O Globo. De acordo com o "USA Today", Kaylene, de 34 anos, teve a guarda retirada do filho depois que a equipe médica do Centro Médico para Crianças do Texas alertou as autoridades. Enquanto a americana forçava as cirurgias, ela levantava recursos na internet com campanhas de financiamento coletivo e fotos de seu filho em tratamento. Uma delas arrecadou US$ 8 mil (cerca de R$ 24 mil) para a batalha do garoto contra uma malformação congênita. Ainda segundo a publicação, a farsa foi descoberta quando a mãe levou o pequeno ao centro médico de Dallas, no mês passado, e alegou que ele havia sofrido uma convulsão. O "Star-Telegram" teve acesso aos documentos médicos, segundo os quais os médicos desconfiaram que os sintomas do garoto haviam sido provocados. Os profissionais chamaram então o Serviço Protetivo das Crianças. Kaylene nega as acusações. Os investigadores suspeitam que o abuso médico contra a criança tenha começado quando ele tinha semanas de vida, em 2009. Até 2016, ele foi levado ao hospital 323 vezes. A americana tentava desde então colocar Christopher na lista de transplantes de pulmão e anunciava no Facebook que ele tinha câncer. A polícia investiga se Kaylene sofre de uma doença mental na qual o portador inventa ou causa doenças ou ferimentos em uma pessoa sob seus cuidados. O pai do menino, Ryan Crawford, separado da americana, destacou à rede "NBC" que o comportamento extremo começou logo após o nascimento de Christopher. "Os problemas escalaram até eventualmente ela dizer que meu filho estava morrendo. Eu estava horrorizado porque, até onde eu sabia, meu filho estava bem. Ele poderia ter morrido (com a ação da mãe). Apenas Deus o salvou", frisou o pai, que disse se sentir responsável por não conseguir interromper a sequência de cirurgias.