BUSCA PELA CATEGORIA "Eleições 2020"

“Dança das cadeiras”: especulações indicam mudanças bruscas no novo mapa político do Legislativo de Brumado

  • Brumado Urgente
  • 07 Abr 2020
  • 11:01h

(Fotocomposição: Brumado Urgente)

A janela partidária que permitiu a mudança de partidos aos vereadores que irão disputar as eleições de outubro deste ano se findou, mas, ainda existem muitos mistérios nesse cenário, já que o prazo, apesar de ter se encerrado, deixou em aberto o período para que as fichas sejam enviadas até o início da semana que vem. Mas, até que o “mistério” seja totalmente desvendado, o Brumado Urgente, fez uma projeção especulativa de como ficará o novo mapa partidário na Casa Legislativa.

É claro que ainda poderão ter surpresas, mas as mudanças nas cadeiras deverão apontar com uma grande possibilidade de acerto nesse sentido:


Léo Vasconcelos - presidente (DEM); Zé Carlos de Jonas – vice-presidente (PC do B); Ilka Abreu - secretária (DEM); Glaudson Dias (PC do B); Lek (Avante); Lia Teixeira (PC do B); Wanderley Nen (DEM); Zé Ribeiro (PT e pré-candidato a Prefeito); Santinho (PSB); Palito (PP); Girson Ledo (PP); Rey de Domingão (DEM); Elias PIAU (DEM).


Caso essas previsões se confirmem, a base de situação, ou seja, o prefeito Eduardo Vasconcelos (PSB), que já teve 12 parlamentares ao seu favor, agora só teria 04 (Zé Carlos de Jonas, Glaudson Dias, Lia Teixeira e Santinho), o que mostraria uma mudança brusca no quadro.


A oposição, caso as mudanças sejam essas, se reforçará muito, ficando com 2/3 dos vereadores, o que poderá dificultar a aprovação de projetos por parte do Executivo.


Ainda neste ambiente existe a possibilidade do vereador Zé Ribeiro continuar firma na sua pré-candidatura à cadeira de prefeito. Em contato com assessores, isso foi confirmado e dito também que ele está muito confiante.

Dentre os pré-candidatos oposicionistas a prefeito, o advogado Tiago Amorim desistiu e desembarcou no PP do médico Geraldo Azevedo, que já tem confirmado o apoio dos vereadores Girson Ledo, Palito e Lek Cabelereiro.

Outros dois candidatos, o médico Aurino Rocha (PODEMOS) e Emanuel Araújo Lima (PSL), não irão contar, pelo menos até o momento, com apoio de vereadores.

Por fim, o pré-candidato do DEM, o jovem empresário Fabrício Abrantes, poderá ser o que mais venha a lucrar politicamente com essas mudanças, pois com 5 vereadores (Léo Vasconcelos, Ilka Abreu, Rey de Domingão, Nen e Elias Piau), fortalecerá muito a sua base.  

MPE busca evitar candidatos turbinados com verba de fundo público

  • Redação
  • 03 Abr 2020
  • 13:23h

(Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

Na tentativa de prevenir irregularidades e evitar a concentração do fundo partidário nas eleições municipais deste ano, o Ministério Público Eleitoral em São Paulo busca convencer os partidos a assinar uma carta de intenções em que se comprometam a manter “boas práticas” durante a campanha. Entre as discutidas, está a proposta para que as legendas garantam que irão distribuir melhor o fundo entre os seus candidatos, lançar candidaturas femininas reais e competitivas, combater o caixa dois e contratar empresas fornecedoras que assegurem sua efetiva prestação de serviços. A discussão foi anterior à crise do novo coronavírus e depende que o fundão não seja usado para combater os efeitos da pandemia, como sugeriu o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). A carta de intenções será apresentada aos dirigentes partidários em São Paulo em um evento sem data marcada. Em reunião prévia com o Ministério Público Eleitoral, integrantes de ao menos 14 partidos compareceram para discutir os termos: Podemos, DC, PL (antigo PR), Novo, PC do B, PSD, PT, PDT, Progressistas, PTB, SD, PSC, PTC e PSOL. Também participaram do encontro e fizeram sugestões de propostas para a carta a OAB e o Instituto Ethos. Como a Folha publicou, a fiscalização de uso do fundo eleitoral, que este ano será de R$ 2 bilhões distribuídos por todo o país, preocupa autoridades para as eleições municipais deste ano. No ano passado, reportagens da Folha revelaram a existência de desvio de recursos dessa verba pública na campanha de 2018 pelo PSL em Minas e em Pernambuco, por meio de candidaturas de laranjas. Em São Paulo, o Ministério Público abriu um conjunto de ações pedindo a cassação de políticos eleitos em 2018, sob o argumento de que houve fraude à obrigatoriedade de cotas femininas. A atual legislação exige que 30% das candidaturas sejam do sexo feminino e que 30% do fundo eleitoral seja destinados a candidatas mulheres. Esse fundo, custeado pelos cofres públicos, foi criado para financiar campanhas após a proibição da doação de empresas, decidida pelo Supremo Tribunal Federal em 2015.

Covid-19: Prefeitos querem 100% do fundo eleitoral para a saúde dos municípios

  • Redação
  • 23 Mar 2020
  • 09:42h

(Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

Com a pandemia de Coronavírus, os prefeitos baianos devem ter dificuldades financeiras. A União dos Municípios da Bahia (UPB) fez reunião virtual e os gestores decidiram de forma democrática defender que os recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha, conhecido como Fundão Eleitoral, e do Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos, o Fundo Partidário, sejam destinados à saúde dos municípios. Segundo o presidente da entidade, Eures Ribeiro, que também é prefeito de Bom Jesus da Lapa, no Oeste da Bahia, as prefeituras não dispõem de recurso para conter a proliferação da doença. “Imagina contratar mais médicos, comprar medicamentos, com a queda de receita que teremos nos próximos meses. Adiar ou não as eleições é irrelevante discutir neste momento, o importante é ter medidas de prevenção do coronavírus e de fortalecimento da saúde dos municípios”, explica.  Estima-se que o Fundo Eleitoral conta com R$2 bilhões para financiar as eleições deste ano. “É onde a gente sabe que tem bilhões parados e que podem ser usados nesse momento 100% para a saúde dos municípios”, defende Eures Ribeiro, que pretende levar o pleito dos prefeitos baianos para ser incluída na pauta da Confederação Nacional de Municípios (CNM), da qual é vice-presidente.

Ministro da Saúde recomenda adiamento de eleições no Brasil por conta do coronavírus

  • M1
  • 22 Mar 2020
  • 13:38h

Na avaliação de Mandetta, é o momento de o Congresso Nacional tratar o assunto para que o combate à crise do coronavírus não seja contaminado pela ação política | Foto: Brumado Urgente Conteúdo

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, recomendou o adiamento das eleições deste ano, previstas para outubro. Ele participou de uma teleconferência com prefeitos neste domingo (22), ao lado do presidente Jair Bolsonaro. De acordo com o jornal O Globo, na avaliação de Mandetta, é o momento de o Congresso Nacional tratar o assunto para que o combate à crise do coronavírus não seja contaminado pela ação política. Ele ainda sugeriu responder ao questionamento do prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho (PSDB), que pediu a liberação de recursos que, segundo ele, estariam sendo represados pelo estado do Pará, governado por Helder Barbalho (MDB). "Estou alertando que todos vocês precisam, com todas as diferenças políticas, (se entender). Aliás, eu faço aqui até uma sugestão para vocês discutirem. Está na hora de o Congresso olhar e falar: 'olha, adia (as eleições)'. Faça um mandato tampão desses vereadores e prefeitos. Eleição no meio do ano vai ser uma tragédia. Vai todo mundo querer fazer ação política. Eu sou político. Não esqueçam disso", declarou o ministro, que reforçou a necessidade de ter um diálogo aberto e eficiente entre os entes da federação. "Nós não podemos (repassar recursos) de forma desintegrada. Eu faço de um jeito, vocês de outro. Se não daqui a pouco vocês vão estar pagando mais para um médico de hospital A, menos para o hospital B. Tira enfermeiro de lá e traz para cá. Assim vai haver bateção de cabeça. Eu vou descentralizar e fazer com que vocês trabalhem o máximo liberdade", disse Mandetta.

 

Mesmo que remotas, especulações de cancelamento das eleições municipais de 2020 começam a crescer nos bastidores da política e do judiciário eleitoral

  • Brumado Urgente
  • 15 Mar 2020
  • 10:53h

(Fotocomposição: Brumado Urgente)

Na onda dos adiamentos e cancelamentos provocados pela pandemia de Coronavírus, além das Olimpíadas de Tóquio, da NBA, da Libertadores, do Brasileirão, dos espetáculos culturais e até das sessões legislativas, agora, o “sweell” das especulações começa a atingir os bastidores da política, apesar de ainda muito remotas, conversas apontam para um possível cancelamento das eleições municipais de outubro deste ano. O estopim para isso foi uma matéria do megaportal UOL, a qual citava a preocupação do TSE sobre o atrasado das urnas eleitorais que são fabricadas na China. Apesar de ainda muito contestada, a possibilidade começou a se encorpar com as declarações de um magistrado da corte eleitoral, o qual citou que “ainda é muito cedo para qualquer definição, mas caso a situação venha a se agravar o TSE terá que se curvar a um “dado da medicina”, já que o coronavírus é uma questão de saúde pública. Outra vertente é que o novo presidente que assumirá no lugar de Rosa Weber, o ministro Luis Roberto Barroso, é conhecido por ter uma postura rígida e muito precavida, então, caso mesmo as urnas atrasem ou não cheguem, existiria sim uma possibilidade de adiamento do pleito. Com isso as correntes que defendem a união das eleições, ou seja, que sejam realizadas concomitantemente nos municípios, nos estados e na união, ganham fôlego e podem pressionar para que isso venha ocorrer. Vale ressaltar que essa possibilidade ainda é muito pequena, mas, em tempos de coronavírus, tudo pode acontecer.  

Girson Ledo se filia ao PP e declara apoio ao pré-candidato Geraldo Azevedo

  • Brumado Urgente
  • 13 Mar 2020
  • 11:17h

Girson Ledo no momento da sua filiação e confirmação do apoio à pré-candidatura de Geraldo Azevedo (Foto: Brumado Urgente)

Após o seu desembarque do grupo de situação, o vereador Girson Ledo foi procurado por várias lideranças políticas brumadenses, mas, após analisar as propostas ele, juntamente com a sua assessoria, decidiu qual o caminho que vai trilhar visando as eleições municipais de outubro. Em reunião com o presidente do PP, médico pediatra Geraldo Azevedo, Girson Ledo, primeiramente se filou a legenda e, em seguida, confirmou o seu apoio à pré-candidatura de Azevedo. Na oportunidade o médico oftalmologista Zé Clemente também esteve presente ao encontro. “Creio que tomei a melhor decisão, então, agora vamos caminhar firmes na busca de uma renovação política para Brumado”, expressou o vereador que agora integrará a bancada oposicionista no Legislativo.

Girson Ledo desembarca do grupo de situação e já começa a costurar o seu futuro político visando as eleições municipais

  • Brumado Urgente
  • 11 Mar 2020
  • 13:50h

O vereador Girson Ledo não faz mais parte da bancada de situação (Foto: Brumado Urgente)

A insatisfação do vereador Girson Ledo ao tratamento recebido pela administração municipal, a qual só vinha aumentando, já que o atendimento às suas indicações e solicitações, segundo ele, sempre recebiam uma negativa, acabou sendo o esteio para ele desembarcar do grupo de situação. Ele também não vem escondendo o seu descontentamento sobre os sucessivos vazamentos de áudios, os quais, segundo ele, são muito comprometedores e desgastantes, já que envolvem membros do alto escalão da atual gestão. A confirmação dessa mudança de postura foi feita pelo próprio parlamentar ao Brumado Urgente após uma reunião com os vereadores da base, ocorrida nesta quarta-feira (11). Muito seguro ele afirmou que “infelizmente a recíproca com a gestão municipal, que já estava tendo cada vez mais ruídos, acabou tendo um desgaste irreversível, então, diante disso, só nos restou deixar o grupo de situação. Os áudios que vem sendo vazados contribuíram muito também para a minha decisão em deixar a base do governo municipal”. Questionado sobre outros motivos que podem ter contribuído, ele destacou que “fizemos inúmeros pedidos e indicações, sendo que, muito poucos foram atendidas. Como temos o Bairro Olhos d’Água como um dos pontos principais de nossas ações, tivemos uma reunião com o vice-prefeito Édio Pereira nesta terça-feira (10), solicitando a pavimentação das ruas José Bebiano dos Santos e Augusto Meira Alves e recebemos o não como resposta, o que acabou sendo a gota d’água” e subindo o tom disparou que “então diante desta nova negativa não tivemos escolha a não ser deixar o grupo de situação”. Sobre qual o seu futuro político, ele observou que “já estamos em contato com todos os pré-candidatos a prefeito e, nos próximos dias, anunciaremos qual deles terá o nosso apoio”.

Vaguininho confirma pré-candidatura ao Legislativo de Brumado

  • Redação
  • 07 Mar 2020
  • 15:34h

Vaguininho não esconde o otimismo para o pleito municipal (Foto: Rede Sociais)

O sentimento de renovação vem alimentando já há um bom tempo os planos da família Mota em Brumado, que tem como líder o empresário “Beto Mota”. Agora, em 2020, essa tendência se mostra ainda mais forte, então diante disso, foi confirmada a pré-candidatura de seu filho “Vaguininho” que tem uma ótima experiência no ramo administrativo, além de ser estudante de Direito. Outra motivação foi a visão futurista do prefeito Eduardo Vasconcelos, então, nessa conexão positiva, “Vaguinho” vem confirmar que irá para a disputa. Muito otimista ele expressou que “está na hora de se promover uma renovação na Câmara de Vereadores, então, vamos colocar o nosso nome para ser avaliado pelo eleitorado” e ainda ressaltou que “quero ser um parceiro desse projeto que está transformando Brumado num lugar bem melhor para se viver”.

Prazo de janela partidária tem início na próxima quinta-feira (5)

  • Redação
  • 01 Mar 2020
  • 18:09h

Calendário divulgado pelo TSE considera a mudança partidária em busca de recursos e apoio político para as campanhas eleitorais | Foto: Brumado Urgente Conteúdo

Será iniciado na próxima quinta-feira (5) o prazo para que vereadores que queiram disputar a reeleição ou a prefeitura mudem de partido. A chamada janela partidária segue até o dia 3 de abril, seis meses antes das eleições de 2020. O primeiro turno será realizado no dia 4 de outubro. O calendário divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) leva em consideração a mudança partidária em busca de recursos e apoio político para as campanhas eleitorais. Também em abril, mas no dia 4, todos os partidos que pretendem disputar as eleições devem estar com registro aprovado na Corte. Ainda em abril, o TSE deve lançar uma campanha nas emissoras de rádio e televisão para incentivar a participação das mulheres nas eleições e esclarecer o eleitor sobre como funciona o sistema eleitoral brasileiro. Já em junho, o TSE deve divulgar o valor corrigido do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), criado pelo Congresso. Estão previstos R$ 2 bilhões para o fundo. Em julho, os partidos já poderão realizar convenções internas para escolher seus candidatos. Os registros deverão ser feitos na Justiça Eleitoral até 15 de agosto. A partir do dia seguinte, estarão autorizadas as propagandas eleitorais nas ruas e internet. O período acaba no dia 3 de outubro, véspera do pleito. A partir de 19 de setembro, nenhum candidato poderá ser preso, exceto se for flagrante. Dez dias depois, a regra se estende aos eleitores. Prefeitos, vice-prefeitos e vereadores eleitos deverão ser diplomados até 19 de dezembro.

Com prazo se esgotando, está chegando a hora da "onça beber água" para os partidos pequenos

  • Redação
  • 24 Fev 2020
  • 19:41h

(Fotocomposição: Brumado Urgente)

Não é só para as disputas majoritárias que as expectativas para o fim da folia pairam, nas brigas por vagas nas Câmaras de Vereadores também, agora com um consenso consagrado: a única coisa absolutamente certa é que o dinheiro será curtíssimo, ou nenhum. Mais ainda: como em 2018, as coligações partidárias estão proibidas nas eleições deste ano, o que acontece pela primeira vez na história. É cada partido por si, e é exatamente por isso que nos bastidores eles travam intensa guerra para tentar agregar lideranças medianas e pequenas. É fácil entender. Candidatos de pouco voto, com 500 ou mil, muito serviam para engordar as coligações antes, agora a pretensão é que eles prestem o mesmo serviço aos partidos.E é aí que o bicho pega, segundo Rivailton Pinto, presidente do pequeno PTC, um dos 14 partidos que a cláusula de barreira de 2019 (a obrigatoriedade de um percentual de votos em pelo menos nove estados) que perdeu até o Fundo Partidário e sobrevive de doações. — Eles oferecem vantagens, cargos e até dinheiro, mas nós, os pequenos, vislumbramos a chance de eleger vereador com pouco voto. Estamos ganhando. Se está mesmo vai se ver em março, quando acaba o prazo de filiação partidária para quem vai disputar a eleição de outubro. E é por isso que essa briga vai esquentar depois da folia.

Lula é convidado para participar da campanha eleitoral em Conquista; convite pode ter sido estendido para Brumado

  • Brumado Urgente
  • 19 Fev 2020
  • 09:45h

Lula ao lado do deputado Waldenor Pereira em reunião em Brasília nesta terça-feira (18) | Foto: Divulgação

O deputado federal Waldenor Pereira convidou pessoalmente o ex-presidente Lula para participar da campanha eleitoral do PT em Vitória da Conquista, na disputa pela sucessão municipal. O convite foi feito na manhã de hoje (18) em Brasília, durante o planejamento de ações das bancadas do PT na Câmara Federal e o Senado em 2020, visando o enfrentamento ao Governo Bolsonaro. Lula se mostrou entusiasmado com o convite pra retornar a Vitória da Conquista, segundo Waldenor . “Fiquei impressionado mesmo foi com a disposição dele para o enfrentamento ao governo fascista e destrutivo de Bolsonaro, que atenta contra os direitos dos cidadãos “, disse o deputado sobre o ex-presidente. Na oportunidade, segundo fontes consultadas pelo Brumado Urgente, o convite teria sido estendido para Brumado, que fica a cerca de 200 km de Vitória da Conquista, onde o PT também deverá disputar a prefeitura, tanto que já anunciou a pré-candidatura do líder do partido na Câmara de Vereadores, vereador Zé Ribeiro. Tentamos contato com Waldenor para confirmar essa possibilidade, mas não obtivemos sucesso, mas os líderes petistas brumadenses não negam que, caso isso venha acontecer, eles irão ficar muito satisfeitos, já que o apoio do ex-presidente é considerado vital para o enfrentamento aos regimes de direita, como é o de Brumado, segundo eles.

Novas regras eleitorais poderão levar os candidatos à ilegalidade

  • por Marcos Lopes*
  • 15 Fev 2020
  • 07:36h

(Foto: Divulgação)

O Congresso Nacional, como de costume, promoveu mudanças nas regras eleitorais de 2020, algumas benéficas para a equidade da disputa, outras são inseridas na legislação eleitoral sem mensurar sua aplicabilidade em todos os contextos, criando empecilhos que podem incentivar os candidatos(as) praticarem ilegalidades. Estamos referindo ao dispositivo criado pela Lei Federal nº 13.878/2019, que definiu que o “candidato(a) poderá usar recursos próprios em sua campanha até o total de 10% (dez por cento) do limite de gastos de campanha para o cargo em que concorrer”. Essa atualização da Lei Federal nº 9.504/97 (Lei Geral das Eleições) tem em sua concepção tornar a disputa eleitoral mais justa, coibindo que os candidatos(as) que detêm grande poder econômico desequilibrem o pleito com uso de seus recursos pessoais, consequentemente tornando todos dependentes do financiamento privado e público.

Podemos definir o financiamento privado como os recursos doados à campanha pelos apoiadores do candidato(a), os amigos, familiares, por exemplo, os quais devem atentar quanto ao limite de 10% dos seus ganhos auferidos no ano anterior. Já o financiamento público refere-se aos fundos eleitorais, constituídos de recursos públicos, distribuídos aos partidos seguindo regras legais, como os tamanhos das bancadas no Congresso, porém,sua distribuição dentro do partido para seus candidatos(as)é definida internamente, seguindo critérios próprios e individuais.

Nesse contexto, as opções de financiamento das campanhas eleitorais de 2020 podem resumir em:

  • Recursos Pessoa Física (respeitando os 10% do ganho auferido no ano anterior pelo doador);
  • Recursos dos Fundos Públicos Eleitorais (Fundo Partidário e Fundo Especial de Financiamento de Campanha – FEFC); e
  • Recursos próprios do Candidato. Limitado a 10% do limite de gastos para o cargo que concorrer.

Com o afastamento crescente entre eleitores e candidatos, as doações de pessoas físicas acontecem timidamente, somente por pessoas muito próximas do candidato e a maioria nega-se aparecer nos registros de doadores, impedindo que a doação aconteça.

Já os recursos públicos dos fundos só chegam às campanhas apadrinhadas ou de interesse da direção partidária superior, sendo quase que completamente distribuídos entre os candidatos das capitais e grandes cidades.

Chegamos aos Recursos Próprios do candidato(a). Esse foi limitado em 10% do limite de gastos para o cargo que estiver disputando. Como citado acima, esse limite foi pensado para trazer paridadeeconômica para as campanhas, controlando os candidatos ricos, porém, não observaram aplicabilidade desse limite nos pequenos municípios brasileiros.

Ocorre que esses 10% do limites de gastos do cargo, para candidaturas a prefeito(a)na maioria dos pequenos municípios representará algo entre R$ 12.000,00 e 15.000,00 reais para o seu autofinanciamento, considerando um cenário que o candidato(a) não receba recurso dos fundos públicos eleitorais e a provável baixa arrecadação entre as pessoas físicas, estaremos vivenciando uma campanha inexequível.

No cenário dos candidatos(as) ao legislativo, o cenário é ainda mais preocupante, pois o limite de autofinanciamento para os vereadores(as) em pequenas cidades, será em sua grande maioria, um valor entre R$ 1.200,00 e R$ 1.500,00.

Agrava-se ainda mais, quando a Lei não criou distinção para esse limite quando trata das doações estimáveis em dinheiro, aquelas quando o candidato é obrigado a registrar em sua campanha a utilização de um bem móvel ou imóvel próprio. Esses registros deverão ser incluídos dentro do limite de recursos próprios do candidato.

Numa visão democrática, esse limite poderia fomentar umamaior participação político-partidáriaentre os membros da agremiação, proporcionando condições iguais para aqueles que quisessem disputar a indicação do partido para concorrer as eleições, onde o partido teria recursos para custear a campanha. Porém a falta de critérios legais na distribuição dos recursos públicos acompanhada da concentração de poder da direção partidária, tornaram os partidos políticos ambientes anti-democráticos, dominados pelos “grandes caciques”.

Nessa perspectiva, inevitavelmente,veremos várias campanhascriativas, no intuito de burlar essa regra, através de “caixa 2”e doações fraudulentas, enfim, uma regra que fomentará ilegalidades, cabendo a Justiça Eleitoral e a sociedade fazerem a devida fiscalização.

* Marcos Lopes é contador especializado em Gestão Pública, Contabilidade Pública e Prestação de Contas Eleitorais.

 

CONTINUE LENDO

Em nova viagem a Salvador, Zé Ribeiro estreita relação com o governo do estado e fortalece apoio do PT à sua pré-candidatura

  • Brumado Urgente
  • 21 Nov 2019
  • 08:44h

Zé Ribeiro ao lado do presidente estadual do PT, Éder Valadares, na busca da construção de uma candidatura própria da legenda em Brumado (Foto: Assessoria Parlamentar)

O líder do PT na Casa Legislativa de Brumado, vereador Zé Ribeiro, começa a intensificar o seu planejamento pré-eleitoral e, dentre as várias ações que estão na pauta, as viagens a Salvador ocupam um lugar de destaque, já que, segundo ele, é uma forma muito positiva de estreitar os laços com o governo do estado. Na última semana, ele esteve novamente na capital soteropolitana, desta feita acompanhado do presidente da legenda em Brumado, Márcio Aguiar, onde visitou várias secretárias, buscando sempre novas conquistas para o município. Apesar da viagem ter um escopo político, o parlamentar esteve na secretaria de educação, onde teve um encontro com o secretário Jerônimo Rodrigues, onde ele reiterou a sua solicitação para a cobertura das quadras do CEB, CEEP e Getúlio Vargas. O secretário garantiu que irá se empenhar ao máximo para atender à reivindicação e também falou de outros avanços que serão operacionalizados nas escolas estaduais em Brumado. Outro encontro importante ocorreu com a superintende de segurança alimentar, Dra. Rose Ponde, que falou sobre a ampliação do programa do leite que já distribuiu mil litros diários, como também o aumento da aquisição dos produtos oriundos da agricultura familiar, para dar mais qualidade aos alimentos distribuídos nas escolas. Ribeiro também manteve contato com o secretário Carlos Martins da Justiça Social e reivindicou o aumento das ações no campo social.

Zé Ribeiro ao lado do secretário estadual de Educação, Jerônimo Rodrigues (Foto: Assessoria Parlamentar)

Mas o mote da visita foi o fortalecimento da sua agenda pré-eleitoral, então, nesse sentido, o primeiro encontro foi com o deputado federal Afonso Florence e com o presidente estadual da legenda, Éder Valadares, os quais se comprometeram a dar todo o apoio para que o PT em Brumado tenha candidatura própria, o que é, inclusive, uma imposição do ex-presidente Lula que defende a oxigenação do PT feita inicialmente nos municípios. O projeto, segundo Zé Ribeiro, já estaria acertado, inclusive com aval do governador Rui Costa e do senador Jaques Wagner, que contará com o apoio de todos os deputados aliados do governo que tiveram votos em Brumado, leia-se, Waldenor Pereira, Zé Raimundo, Florence e Vitor Bonfim. Muito otimista Zé Ribeiro expressou que “foi mais uma viagem muito produtiva e, desta vez, o projeto pré-eleitoral ficou mais robusto, o que não deixou ainda mais animados”.

A consolidação do projeto vai ser buscada na integração entre os diretórios estadual e municipal (Foto: Assessoria Parlamentar)

Após assumir postura oposicionista, Elias Piau oficializa apoio à pré-candidatura de Fabrício Abrantes

  • Daniel Simurro | Brumado Urgente
  • 18 Nov 2019
  • 16:34h

O vereador Elias Piau, seu sogro José Pereira Logo e o empresário Fabrício Abrantes (Foto: Assessoria Parlamentar)

O vereador Elias Piau que recentemente anunciou em pronunciamento na Tribuna Livre do Legislativo de Brumado a sua ida em definitivo para a oposição, agora, o parlamentar deu mais um passo importante em sua agenda política, ao assumir o apoio oficial à pré-campanha do empresário Fabrício Abrantes. A oficialização se deu na última quinta-feira (14), em reunião em sua residência, no Bairro Baraúnas, a qual contou com a presença de familiares e moradores. Questionado pelo Brumado Urgente sobre quais foram os motivos que o levaram a tomar a decisão de apoiar o empresário ele, muito seguro, expressou que “minha bandeira política sempre foi a defesa dos interesses do povo acima de tudo, então, diante disso, eu vim analisando as propostas de Fabrício e, rapidamente, percebi que existia uma total sincronia, pois ele tem no diálogo com a população um de seus principais pilares, então, isso facilitou muito a minha decisão”. Sobre sua possível ida para o DEM, ele respondeu que “ainda não decidi se continuarei no PV ou irei para outra legenda, pois ainda não é hora para tal”.

Kassab promete extinguir diretório municipal do PSD que não tenha candidato a prefeito

  • Redação
  • 11 Nov 2019
  • 22:04h

(Foto: Reprodução)

Gilberto Kassab reassumiu o comando do PSD, que criou em 2011, com um plano ousado para o partido. O ex-ministro quer ter candidatos a prefeito em todas as cidades e promete extinguir o diretório municipal do PSD onde a determinação não for seguida. “Que razão tem o partido de existir se não tem um candidato a prefeito?”, questionou Kassab, segundo o jornal Estado de S.Paulo.  Para as eleições de 2020, Kassab quer equilibrar o PSD entre apoios que vão da direita a esquerda, para que a sigla tenha candidaturas competitivas nas cidades mais importantes. No plano federal, evita embates com o presidente Jair Bolsonaro e atua como um dos mais importantes operadores políticos do projeto do governador João Dória (PSDB).