BUSCA PELA CATEGORIA "Educação"

Fies do segundo semestre abre inscrições no dia 3 de agosto

  • 27 Jul 2015
  • 15:02h

(Foto: Ilustração)

O Ministério da Educação divulgou, nesta segunda-feira (27), as regras para a edição do segundo semestre do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). As inscrições começam na próxima segunda-feira (3) e vão até as 23h59 do dia 6. As informações foram publicadas na edição desta segunda do "Diário Oficial da União". De acordo com o edital, as inscrições para o Fies seguirão um modelo diferente das edições anteriores. Agora, os estudantes deverão se candidatar para uma seleção por meio de um sistema semelhante ao usado no Sisutec. As inscrições serão feitas pelo site .http://fiesselecao.mec.gov.br, que, até o início da manhã desta segunda, ainda estava fora do ar. Na nova plataforma, os estudantes precisarão se inscrever para vagas já definidas pelo próprio MEC, por meio de uma portaria publicada no início do mês que abriu o período de adesão das instituições de ensino. Eles serão selecionados com base na nota do Enem. Segundo as novas regras, só poderão participar do processo estudantes que ainda não tenham diploma do ensino superior, que tenham feito o Enem a partir de 2010, com nota final de pelo menos 450 pontos, e que tenham renda familiar mensal bruta per capita de até 2,5 salários mínimos. Professores da rede estadual estão isentos de cumprir os três requisitos, e pessoas que tenham concluído o ensino médio antes de 2010 não precisam cumprir a exigência de ter realizado o Enem, mas devem se encaixar nos outros dois requisitos.

Como será a seleção
O edital diz que "o estudante somente poderá se inscrever em 1 (um) único curso e turno de graduação dentre aqueles com vagas ofertadas no processo seletivo do Fies referente ao segundo semestre de 2015".

Os estudantes que fizeram o Enem serão classificados de acordo com a nota final, sendo que os critérios de desempate, em caso de nota igual, seguirão a seguinte ordem: nota da redação, nota da prova de linguagens, nota da prova de matemática, nota da prova de ciências da natureza e nota da prova de ciências humanas. Já os estudantes que não fizeram o Enem serão classificados de acordo com um cálculo que levará em consideração critérios de renda, raça, profissão e rede de ensino na qual os candidatos estudaram. Pelos cálculos, terão prioridade os candidatos com menor renda familiar bruta mensal, que se autodeclarem pretos, pardos ou indígenas, que tenham estudado na rede pública de ensino e que sejam professores de escolas públicas.

Resultado
A primeira e única chamada do sistema de seleção do Fiesx vai ser divulgada no dia 10 de agosto, assim como a lista de espera dos candidatos não convocados. Depois, os estudantes da lista de espera devem acompanhar as informações pelo site. "Após a divulgação do resultado da chamada única, havendo vaga não ocupada, é de exclusiva responsabilidade do estudante participante da lista de espera do processo seletivo do Fies acompanhar sua eventual pré-seleção na página do FiesSeleção na internet, no endereço eletrônico http://fiesselecao.mec.gov.br", diz o edital. O documento afirma ainda que a aprovação no FiesSeleção "assegura apenas a expectativa de direito às vagas para as quais se inscreveram no processo seletivo do Fies", e que, para garantirem a vaga, os estudantes aprovados devem realizar todo o processo de contratação do financiamento pelo SisFies. Após o resultado, os estudantes pré-aprovados na única chamada do Fies têm até o dia 13 de agosto para concluir o processo de contratação do financiamento. Os estudantes que ficarem na lista de espera terão dez dias corridos, a partir da divulgação de sua pré-seleção no FiesSeleção, para finalizar a contratação do financiamento.

 

CONTINUE LENDO

Além de acesso a cursos técnicos e faculdades, Enem possibilita até curso no exterior

  • 25 Jul 2015
  • 08:03h

(Foto: Reprodução)

Quando se inscreve para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o candidato sabe que tem pela frente meses de estudo para responder, da melhor forma possível, 180 questões, e redigir uma redação em dois dias de prova. Mas, na realidade, as possibilidades que o exame abre aos candidatos ainda estão por vir. E elas são muitas: com as notas nas mãos, o estudante tem como opções desde adquirir o certificado do ensino médio ou entrar em uma faculdade até ir para um intercâmbio no exterior, pago pelo governo. Segundo Márcia Kalid, diretora do curso e colégio Oficina, as múltiplas possibilidades oferecidas pelo exame são uma forma de garantir o acesso de mais pessoas à educação. “Hoje, ninguém fica sem fazer Enem porque ele abre possibilidade para várias outras coisas além de uma vaga no ensino superior”, comenta a diretora, destacando que o exame ajuda a democratizar o acesso. “Com ele, qualquer um que tenha feito uma boa pontuação pode ingressar em diversas modalidades de ensino”, reitera.

Passaporte 

Para a estudante Tatiana Scher, 17 anos, o bom desempenho no Enem representa, literalmente, um passaporte. Além de possibilitar seu ingresso no curso de Arquitetura,  da Universidade Federal da Bahia (Ufba), já pensa em garantir uma vaga no Ciências sem Fronteiras (CSF), programa do governo federal que financia o intercâmbio de alunos brasileiros no exterior. Tatiana já tem em mente até o destino do intercâmbio: Espanha. “Quero muito fazer o Ciência sem Fronteiras porque quando você viaja, amplia seu horizonte. Para mim, vai ser muito importante porque vou poder ter contato com a Arquitetura e com a cultura de outro povo”, contou ela, que cursa o 3º ano em uma escola particular de Salvador. Assim como Tatiana, a estudante Amanda Chiacchio, 18, também pretende usar a nota do Enem para conseguir entrar na Ufba e participar do CsF. Por isso, tem estudado oito horas por dia para obter uma pontuação que possibilite sua entrada no disputado curso de Medicina e, claro, no CsF, já que o candidato precisa ter nota mínima de 600 pontos para pleitear uma vaga no intercâmbio. “Tenho estudado muito. Medicina é muito concorrido e o CsF também”, destacou Amanda, que sonha em passar uma temporada de estudos na Inglaterra.

Projetos 
No caso de Maria Aparecida Fernandes, 55 anos, fazer o Enem foi uma maneira de ascender na sua carreira. Ela sempre trabalhou no setor administrativo de empresas e prestou o exame pela primeira vez em 2005, para ingressar na graduação de Administração. Com a nota obtida, conseguiu uma bolsa do Programa Universidade para Todos (Prouni) em uma universidade particular de Salvador. Depois da formatura, ela conta que encontrou dificuldades para ingressar no mercado de trabalho, por conta da idade. Foi quando resolveu, em 2013, usar o Enem novamente, só que dessa vez para ingressar em um curso técnico do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). “A colocação no mercado para mim, que tenho mais de 50 anos, é muito difícil. Então, como queria botar um negócio e já trabalhava com o artesanato, resolvi entrar no curso técnico de modelagem de vestuário, que acrescentou muito a minha vida”, comenta Aparecida, que agora tem como projeto virar chefe de si mesma: pretende montar uma confecção de roupas para o público infantil. O estudante Hugo Nascimento, 22, prestou Enem em 2011 já pensando no Prouni. “Tentar uma faculdade pública não era uma opção por conta das greves. Como eu não tinha como arcar com a mensalidade de uma faculdade particular, tentei o Prouni e fui aprovado”, relembra o rapaz. Hoje, Hugo já está cursando o sétimo semestre de Engenharia Civil na Universidade Salvador (Unifacs). Ele foi contemplado  com bolsa de 100% de gratuidade obtida através do programa.

CONTINUE LENDO

Juros do FIES ficam mais altos

  • 24 Jul 2015
  • 14:00h

(Foto: Reprodução)

Os estudantes que fecharem novos financiamentos pelo Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) pagarão parcelas mais altas. O Conselho Monetário Nacional (CMN) regulamentou o reajuste das taxas de juros dos novos contratos de 3,4% para 6,5% ao ano. O reajuste havia sido anunciado no fim do mês passado pelo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro. As novas taxas haviam sido publicadas no edital com as novas regras do Fies, no início do mês, mas precisavam ser regulamentadas pelo CMN para entrar em vigor. O aumento vale apenas para os 61,5 mil contratos previstos para o segundo semestre deste ano. Quem já é beneficiado pelo programa e precisa renovar os financiamentos continuará pagando as taxas atuais, porque os contratos em vigor não podem ser alterados por apenas uma das partes.

Professores da Uneb em assembleia decidem pela continuidade da greve

  • 23 Jul 2015
  • 19:44h

Assembleia no momento da votação. A greve continua (Foto: ADUneb

Os professores da Associação dos Docentes da Uneb (ADUNEB), reunidos em assembleia geral, na manhã desta quinta-feira (23), em Salvador, decidiram pela continuidade da greve. Em pauta estava a avaliação das negociações com o governo e a discussão da proposta de minuta do acordo, que os docentes conseguiram arrancar dos representantes do governador Rui Costa. O documento é fruto dos 70 dias em greve e da ocupação realizada de quarta-feira (15) a sábado (18), na Secretaria Estadual da Educação. Também nesta quinta-feira os professores da Uesb decidiram pela permanência da greve. Ainda hoje Uefs e Uesc também farão assembleias gerais. Após a análise da minuta de acordo, o conjunto dos professores reconheceu os avanços na resolução da pauta, conseguidos depois de muita luta. Porém, embora as discussões estejam encaminhadas, ainda existem pontos a serem fechados. Diante desse cenário, por não confiar nos representantes do governo, a greve continua até o término das negociações. Segundo o Comando de Greve da ADUNEB, toda cautela é necessária. Até o encerramento da greve ainda existe um roteiro de lutas a seguir. Nesta sexta-feira (24), às 15h, acontece nova reunião na Secretaria da Educação. É preciso que se garantam os avanços conquistados nas negociações.A negociação é feita com políticos que fazem um acordo durante o dia e o descumprem no período da noite. 

Representantes do estado que, de maneira irresponsável, deram ordem para a Polícia Militar utilizar a força e desocupar a SEC. Algo que só não aconteceu e acabou em tragédia devido à coragem e união de professores e estudantes do movimento grevista. Entre os compromissos firmados pelo governo estão a garantia da implementação dos direitos trabalhistas dos professores, com a liberação de todas as promoções, progressões e mudanças de regime de trabalho (via suplementação orçamentária); além da continuidade dos fluxos de implementações até o final de 2015. Também foi acordada a revogação da Lei 7176/97, que interfere na autonomia de gestão universitária. O Movimento Docente exigiu que o governo apresentasse uma análise da proposta da minuta da Lei 7176 elaborada pelos professores. O governo disse que entregaria uma resposta somente em 4 de agosto, entretanto, fruto da mobilização da ocupação, esse documento foi enviado no dia 20 de julho (leia aqui o quadro comparativo das minutas). A substituição da norma se dará por meio de um cronograma de trabalho, com prazo de conclusão em até 60 dias. Os professores também estão conseguindo a devolução de cotas do orçamento retiradas das universidades no primeiro trimestre deste ano; e o compromisso de que, até o final de 2015, o governo não realizará cortes e contingenciamento no orçamento. O Movimento Docente ainda apoia e acompanha as negociações da pauta estudantil. Durante a ocupação da SEC, quando os representantes de Rui Costa se negaram a fazer uma reunião conjunta com professores e estudantes (leia mais), a categoria docente, em respeito aos discentes, preferiu o cancelamento da atividade. No protesto dos estudantes desta quarta-feira (22), em frente à Secretaria de Relações Institucionais, vários professores marcaram presença e auxiliaram na logística.

CONTINUE LENDO

Alunos contam como administram tempo na prova do Enem; mestres dão dicas

  • 22 Jul 2015
  • 20:31h

(Foto: Reprodução)

Três minutos. É esse o tempo médio que um candidato deve levar para responder a cada uma das 180 questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Uma média maior do que essa pode significar que o tempo de prova, de 4 horas e meia  no primeiro dia e 5 horas   e meia  no segundo, não seja suficiente para concluir a missão.“Num primeiro momento, como o candidato está nervoso, a tendência é ele achar que não sabe nada. Então, acho que ele deve se concentrar, ir fazendo tudo que sabe e depois voltar para as questões que não sabe fazer”, orienta a professora de Geografia Márcia Khalid, diretora do colégio Oficina, que nos ajudou a elaborar uma lista com 12 dicas de como administrar bem o tempo antes e durante as provas (ver ao lado).

A indicação da pró Márcia é uma das estratégias que o estudante Gustavo Guimarães, 17 anos, pretende adotar no Enem deste ano. Apesar de ainda cursar o 3º ano do ensino médio no Colégio São Paulo, ele já é um veterano no exame. “Eu já fiz o Enem nos dois últimos anos e acho que valeu a pena ter feito, porque você ganha experiência, leva vantagem”, aponta. Gustavo, que quer estudar Medicina, conta ainda que sempre reserva uma hora para fazer a redação e os 30 minutos finais para preencher o gabarito.Ao longo da prova, ele diz que procura não perder muito tempo. “Eu leio o primeiro período do texto, o enunciado e vou para as questões. Se conseguir resolver com a ideia central do texto, ótimo. Se não, volto para ler tudo”, explica Gustavo, que também pretende gastar, em média, três minutos por questão. “O candidato não pode pegar as primeiras questões e perder, de cara, oito a dez minutos”, alerta Márcia Khalid.


Sem fórmulas 
Mas, para a especialista em educação e professora do Instituto Federal da Bahia (Ifba) Telma Brito, não há uma fórmula para se fazer a prova e vencer o tempo. Pelo menos, não uma que sirva para todo mundo. “Eu acho que não tem um método fechado. Acho que é uma coisa que tem que ser construída antes, no processo de aprendizagem, ao longo do ensino médio”, afirma. Ou seja, cada caso é um caso. “Na prática dos simulados, o estudante vai percebendo a sua estratégia e os seus limites, por onde ele deve começar”, analisa ela. Aluna do 3º ano do colégio Isba, Verbena Amorim, 17, vem construindo sua estratégia há dois anos. Ela já fez as provas em 2013 e 2014 e já considera ter se acostumado com a prova. “Já se tornou familiar para mim devido a tais experiências e simulados. Ajudou bastante a controlar o meu tempo e faz uma notável diferença quando se faz para valer”, comenta a candidata.
Para aprender a controlar melhor o tempo e usá-lo a seu favor, Verbena diz que procura resolver questões em casa - normalmente, menos do que um simulado inteiro, por conta da dificuldade de conciliar aulas, provas e estudos para determinado vestibular.  “Eu tento separar um tempo para cada disciplina do dia que eu tive. Por exemplo, química, história e biologia. No simulado que o colégio disponibiliza, tento fazer as questões de Linguagens/Humanas primeiro. Três minutos para cada, por ser as que tenho mais facilidade e peso no curso que quero”, explica a candidata ao Bacharelado Interdisciplinar  de Humanidades e, depois, ao curso de Psicologia.
 
Treinamento 
Já a estudante Fernanda Argolo, 19, não se prende à sequência formal da prova. “Eu não fico presa nas questões. Vou fazendo as que são mais fáceis, mudo de prova...”. Nem sempre ela prefere começar pela redação. “Depende muito. Pode ser que eu esteja melhor para começar matemática”, ilustra. Fernanda também já fez o Enem outras vezes e agora estuda num cursinho visando o curso de Medicina. “Treinar em casa também é importante para se acostumar com o tempo. Para quem não conhece o tempo da prova, fica bem  mais difícil”. Ainda no 1º ano do ensino médio do colégio Acesso, em Feira de Santana, a estudante Brenda Borges, 14, vai fazer o Enem, este ano, pela primeira vez. O objetivo é ir se habituando ao formato da prova. “Eu estou fazendo o Enem, este ano, exatamente para estar preparada para os próximos anos”, relata. Como ainda não viu todos os conteúdos, Brenda não sabe exatamente que assuntos estudar, mas já sabe como vai começar: “Farei as questões que eu souber primeiro”.

CONTINUE LENDO

Ainda em greve, professores da Uesb disparam críticas contra Waldenor, Zé Raimundo e Fabrício

  • Informações da Adusb
  • 22 Jul 2015
  • 08:25h

(Foto: Resenha Geral)

Os professores da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, em greve desde o dia 13 de maio, vêm a público repudiar o silêncio e omissão dos parlamentares Waldenor Pereira Filho, Deputado Federal (PT) e ex-reitor da UESB, José Raimundo Fontes, Deputado Estadual (PT) e ex-presidente da ADUSB e Jean Fabrício Falcão, Deputado Estadual (PCdoB) e ex-aluno da UESB, em relação à Greve e por contribuírem para o agravamento da crise das Universidades Estaduais Baianas. Enquanto os docentes das Universidades da Bahia reivindicam respeito aos direitos trabalhistas, mais recursos e autonomia para as Instituições, esses parlamentares preferem o silêncio tácito de quem consente com o sucateamento de nossas Universidades e o fim da carreira do magistério público superior. Nunca é demais lembrar ao povo da Bahia a importância das Universidades Públicas Estaduais (UESB, UNEB, UESC e UEFS), especialmente sua interiorização no Estado, para o desenvolvimento socioeconômico das regiões onde estão inseridas. Todavia, ao invés de investir na ampliação e na melhoria da qualidade dessas Instituições, o Governo, responsável pela manutenção de mais de 60 mil estudantes fora de sala de aula, mente e protela o processo de negociação com os professores das Universidades. Além de reduzir o investimento no ensino superior público e socialmente referenciado, Rui Costa (PT) não respeita direitos trabalhistas. A carreira dos professore(a)s das quatro universidades estaduais baianas foi regulamentada em lei, por meio de duras lutas contra o governo carlista, autoritário e repressor. Agora, com a conivência de Waldenor Pereira, José Raimundo e Jean Fabrício Falcão, o Governo do Partido dos Trabalhadores confisca direitos assegurados em lei. Diante do exposto, professoras e professores da UESB, reunidos em assembléia geral no campus de Jequié, no dia 28 de maio de 2015, repudiam veementemente a atitude desses parlamentares e de todos aqueles que, em nome do governo do Estado, confundem a opinião pública ou se omitem diante da gravíssima situação imposta pelo Governo petista às Universidades Estaduais da Bahia em geral e, a UESB em particular, razão pela qual se aprova a presente moção de repúdio.

Gov da Bahia tentou colocar a PM à frente das negociações da greve das Ueba

  • ADUNEB
  • 21 Jul 2015
  • 08:33h

(Foto: ADUNEB)

O Comando de Greve da ADUNEB repudia veementemente a atitude do governo da Bahia que, de maneira truculenta, tentou criminalizar o Movimento Grevista colocando a PM, o braço armado do estado, para ser interlocutora da greve das Universidades Estaduais da Bahia (Ueba). O problema aconteceu na última sexta-feira (17), durante a ocupação da Secretaria Estadual da Educação (SEC). A reivindicação pacífica de professores e estudantes defende à educação pública superior.  A falta de habilidade política, do governo petista de Rui Costa, na negociação da greve das Ueba, quase proporcionou uma tragédia. Professores e estudantes que estavam na ocupação foram ameaçados pela Polícia Militar de serem retirados à força do local. Segundo o comandante de um dos batalhões, a ordem teria vindo direta do governador. O avanço nas negociações aconteceu graças à coragem dos manifestantes, que em defesa da educação pública e das Ueba, não se intimidaram com a pressão da PM e se recusarem a desocupar o prédio.

 

(Foto: ADUNEB)

Os fatos

Na manhã de sexta-feira, após os manifestantes realizarem um protesto com vaias e apitaço, devido à presença do secretário da educação, Osvaldo Barreto no prédio, várias viaturas da PM, inclusive da Rondesp, foram chamadas. Policiais passaram a circular pelo local, inclusive com metralhadoras em punho. O Comando de Greve da ADUNEB reforça que a manifestação legítima e realizada de maneira pacífica, em defesa do orçamento e da qualidade das Ueba, para beneficiar diretamente mais de 60 mil estudantes e cerca de 5,5 mil docentes. Para piorar a situação, dois integrantes da Rondesp entraram na ocupação e informaram que estavam sendo interlocutores, enviados pelo próprio governo, para agendar uma reunião que trataria sobre a utilização das dependências da SEC pelos manifestantes.  Na citada reunião com o chefe de gabinete da SEC, Wilton Cunha, foi acertado que a ocupação do saguão continuaria, assim como também estava permitida a utilização de um dos banheiros do prédio.  No início da noite, na tentativa de intimidar professores e alunos, o comando da PM foi à SEC afirmando ter autorização para a desocupação do local. Segundo Cunha, o chefe de gabinete da SEC, a partir daquele momento ele estava desautorizado a negociar com os Comandos de Greve, função que passaria a ser exercida pela PM. Diante do fato e, ao contrário do que supunha no governo e PM, a comunidade acadêmica não se intimidou e afirmou que não sairia do local. Reconhecendo a força do Movimento Grevista, para evitar uma tragédia, naquela mesma noite o governo aceitou realizar duas reuniões ao mesmo tempo. Uma com os docentes e a outra com o Movimento Estudantil.  Com o avanço das negociações e, somente por isso, após plenária realizada no início da manhã do sábado, os manifestantes decidiram pela desocupação do prédio da SEC. Os professores da ADUNEB ressaltam que a questão, além de evidenciar o despreparo do governo e incompetência política nas negociações, deixou clara a força da classe trabalhadora organizado, que resistiu à pressão e obrigou Rui Costa a negociar. Só a luta muda a vida!

CONTINUE LENDO

Vestibular FTC acontece neste domingo (19) em Vitória da Conquista

  • 18 Jul 2015
  • 16:04h

(Foto: Reprodução)

A Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) realiza o seu vestibular tradicional no próximo domingo (19), em Vitória da Conquista, Itabuna, Feira de Santana, Jequié e Salvador. Na capital, as provas acontecem pela manhã, das 9h às 12h e no interior, no período da tarde, das 14h às 17h. As inscrições seguem até esta sexta-feira (17). Em Vitória da Conquista estão sendo disponibilizadas 470 vagas em oito cursos. Serão realizadas as provas dos vestibulares dos cursos de graduação em Administração (100 vagas), Publicidade e Propaganda (50 vagas), Sistemas de Informação (50 vagas), Psicologia (50 vagas), Engenharia Civil (30 vagas), Nutrição (40 vagas), Educação Física (100 vagas) e Enfermagem (50 vagas).

Prazo para participar da lista de espera do ProUni começa nesta sexta-feira

  • 17 Jul 2015
  • 09:31h

(Foto: Ilustração)

Os estudantes que não foram pré-selecionados para as bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni) podem, a partir desta sexta-feira, participar da lista de espera do programa. A lista será usada pelas instituições de ensino para ocupar as bolsas que não foram preenchidas nas etapas anteriores. O prazo para participar vai até segunda-feira. Para integrar a lista, basta acessar o site do ProUni e confirmar a adesão. Os estudantes serão convocados pelas instituições de acordo com a nota que tiraram no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014. A relação dos candidatos participantes da Lista de Espera será divulgada no dia 23 de julho de 2015. Todos os candidatos deverão comparecer, entre os dias 24 a 27 de julho nas respectivas instituições e entregar a documentação para comprovação das informações prestadas na inscrição.

 

Além dos estudantes que não foram selecionados nem na primeira nem na segunda chamada do programa, podem participar da lista de espera aqueles que foram selecionados, mas na segunda opção de curso, escolhida na hora da inscrição. Eles poderão concorrer a bolsas na primeira opção de curso. Os estudantes cujo curso escolhido em primeira opção não formou turma poderão concorrer, na lista de espera, à segunda opção de curso. O ProUni seleciona estudantes para bolsas de estudo parciais ou integrais em instituições privadas de ensino superior. Nesta edição são ofertadas 116.004 bolsas.

CONTINUE LENDO

Professores aprovados em processo seletivo do estado são convocados

  • 16 Jul 2015
  • 10:01h

(Foto: Reprodução)

Foi divulgado o resultado do processo seletivo simplificado da Secretaria da Educação da Bahia que vai contratar temporariamente professores para atuar no interior do estado. A relação dos 603 aprovados está disponível no Portal da educação  ou no Diário Oficial de quarta-feira (15). Seiscentos e três docentes convocados devem comparecer no prazo de dez dias úteis nos Núcleos Regionais de Educação (NRE) aos quais pertencem os municípios para os quais foram selecionados. A contratação é de caráter emergencial e será feita por meio do Regime Especial de Direito Administrativo (Reda). Os professores aprovados vão atuar na Educação Básica. Entre os documentos necessários para a efetivação estão o original e cópia da carteira de identidade, CPF e certidão de nascimento ou de casamento e original e cópia do diploma, devidamente registrado de conclusão do curso de nível superior no qual concorreu.

Novo Reda
No próximo dia 26 de julho, um novo processo seletivo para 6.145 professores da rede estadual será realizado pela secretaria de Educação, pelo Reda. Do total de vagas, 4.616 são para a Educação Básica, 1.282 para a Educação Profissional e 247 para a Educação Indígena. Nesta seleção, 30% das vagas são reservadas aos candidatos negros e 5% às pessoas com deficiência. As provas serão realizadas nos 27 municípios sede dos Núcleos Regionais de Educação, com previsão de entrada em sala de aula ainda no início do segundo semestre.

CONTINUE LENDO

Redução de verbas federal em 75% pode parar pós-graduação, diz Ufba

  • 13 Jul 2015
  • 15:08h

(Foto: Reprodução)

Os recursos para pós-graduações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) na Universidade Federal da Bahia (Ufba) diminuíram em 75% dos valores atribuídos inicialmente, segundo divulgou nesta sexta-feira (10) a instituição. Em ofício encaminhado à Pro-Reitoria de Ensino de Pós-Graduação da Ufba. O valor voltado aos programas da Ufba foi reduzido para R$1.068.925,00 - a previsão inicial era de R$ 4.275.700,00. Em nota, a universidade diz que "a implementação desta medida levará à paralisação, de fato, da atividade de pós-graduação na Universidade Federal da Bahia", pois os valores empenhados já passam dos R$ 2 milhões. O Programa de Apoio à Pós-Graduação (Proap), da Capes, é quem repassa anualmente recursos de custeio que bancam passagens para alunos e docentes irem a congressos, para professores externos participarem de bancas de mestrado e doutorado, para manutenção de equipamentos, entr eoutros. A Ufba informou que enviou ofício à diretoria da Capes pedindo reexame da medida adotada e, enquanto isso, suspendeu o empenho de quaisquer novos valores de despesas, até "um melhor esclarecimento da situação".  A PROPG fez reunião com coordenadores de pós-graduação para discutir o assunto. Segundo o coordenador da Póscom, da faculdade de Comunicação, Edson Dalonte, a princípio não é possível dizer que isso vai comprometer o calendário deste semestre. (Correio)

MEC e Planejamento vão marcar reuniões para discutir greves nas universidades

  • 10 Jul 2015
  • 10:02h

Foto: Divulgação / CCA / UFPB

O Ministério da Educação (MEC) vai propor reuniões conjuntas com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão para discutir a pauta dos trabalhadores em educação. O compromisso foi feito pelo secretário de Educação Superior da pasta, Jesualdo Pereira Farias, que se reuniu nesta quinta-feira (9) com representantes da Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras (Fasubra). Os funcionários técnico-administrativos estão em greve desde o dia 28 de maio em 65 universidades e instituições federais, segundo a entidade. De acordo com o MEC, Farias se comprometeu com temas propostos pela Fasubra, por exemplo, a democratização da universidade e o redimensionamento da força de trabalho. Também aceitou a proposta de negociar com a  Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) e fazer reuniões conjuntas com o Ministério de Planejamento para discutir essas questões. Segundo a Fasubra, o secretário agendou uma reunião com a entidade para o próximo dia 16 a fim de tratar da contratação de técnicos. Uma nova reunião com o Planejamento foi pré-agendada para o dia 21. Além dos técnicos, professores universitários de 32 estão em greve, de acordo com a Agência Brasil. Na Universidade Federal da Bahia (Ufba), onde docentes e técnicos já estão em greve há mais de um mês, um novo corte na verba da pós-graduação fez com que as aulas do programa também fossem suspensas.

Em greve há 55 dias, professores das universidades estaduais interditam rodovias

  • 09 Jul 2015
  • 10:21h

Foto: Divulgação ADUSB

Os professores das Universidades Estaduais da Bahia realizam um protesto em diversas rodovias em todo o estado na manhã desta quinta-feira (9). Há 55 dias em greve, a categoria cobra investimento do governo nas universidades e a garantia dos direitos trabalhistas. A Associação dos Docentes da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (ADUSB) marcou o início das manifestações para as 7h desta quinta. Na BR-116, o protesto ocorre nos trechos da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e Lagoa das Flores (Vitória da Conquista). Os professores também interditaram a pista em frente ao campus de Eunápolis da Universidade Estadual da Bahia (UNEB), na BR-101, e próximo à Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), na BR-415. A categoria cobra a ampliação do número de professores e investimento de 7% da receita líquida de impostos (RLI) para o orçamento das Instituições. Em nota, a ADUSB afirma que as universidades estaduais passam por uma grave crise orçamentária. “Faltam professores, salas de aula, materiais para laboratórios, combustível e recursos para o pagamento de água, luz e telefone, por exemplo. Mesmo com o crescimento total do orçamento, as verbas para manutenção, investimento e custeio foram reduzidas em R$ 19 milhões nos últimos dois anos”, diz a nota.

UESB: Fique atento ao período de isenção da taxa de inscrição do Vestibular 2016

  • Mirian Neto I ConquistaUrgente
  • 09 Jul 2015
  • 07:59h

(Foto: Reprodução)

Entre os dias 15 de julho e 6 de agosto, estarão abertas as inscrições para isenção total  do pagamento da taxa de inscrição do Vestibular Uesb 2016. De acordo com o Edital 100/15, que delibera a seleção, os interessados em concorrer à isenção deverão se inscrever exclusivamente pela internet, através do link que será disponibilizado aqui na data de início da seleção. Ainda segundo o referido Edital, podem participar da seleção alunos optantes pelo sistema de reserva de vagas ou cotas adicionais; alunos oriundos de cursos pré-vestibulares comunitários e populares, quilombolas e pessoas com deficiência; alunos oriundos da rede pública de ensino do Brasil não optantes pelo sistema de reserva de vagas ou cotas adicionais; servidores da Uesb ou de outra Universidade Estadual da Bahia e seus dependentes. Os pedidos de isenção dos candidatos serão analisados pela Comissão Permanente de Vestibular (Copeve) e a classificação observará os critérios listados no Edital 100/15. Nesse mesmo documento, é possível ter acesso a todas as informações sobre a concessão da isenção do Vestibular 2016. Mas, em caso de dúvida, os interessados podem entrar em contato com a Comissão pelo telefone (77) 3424-8757, em Vitória da Conquista; (77) 3261-8604, em Itapetinga; e (73) 3528-9665, em Jequié; ou ainda pelo e-mail [email protected] (Ascom UESB)

Ministério da Educação divulga hoje resultado da segunda chamada do ProUni

  • 06 Jul 2015
  • 10:01h

(Foto: Ilustração)

O resultado da segunda chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni) será divulgado nesta segunda-feira (6) pelo Ministério da Educação, na internet. Os estudantes pré-selecionados têm até o próximo dia 10 para comprovar nas instituições de ensino as informações prestadas no momento da inscrição. É de responsabilidade do candidato verificar na instituição os horários e o local ao qual deve comparecer para apresentar os documentos necessários. Quem perder o prazo ou não comprovar as informações é automaticamente reprovado.  Entre os documentos a serem apresentados estão um de identificação, comprovantes de residência, de rendimento do estudante e de integrantes do grupo familiar e comprovantes de ensino médio. Quem não foi pré-selecionado na segunda chamada ainda poderá manifestar interesse em participar da lista de espera entre os dias 17 e 20 de julho, na página do ProUni.

 

Nesta segunda edição de 2015 foram ofertadas 116.004 bolsas por 856 instituições particulares de educação superior. Das bolsas disponíveis, 68.971 são integrais e 47.033, parciais. O programa é destinado aos estudantes que querem concorrer a bolsas de estudo parciais e integrais em instituições particulares de educação superior, com base na nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

CONTINUE LENDO