BUSCA PELA CATEGORIA "Educação"

Prefeitura de Caetité implanta primeira escola de tempo integral da história do município

  • Mário Filho
  • 07 Mar 2020
  • 10:18h

(Foto: Direcom)

A Escola Municipal Manoel Lopes Teixeira, localizada no bairro Pedro Cruz, é a primeira unidade escolar de Caetité de toda a história a receber o ensino integral e jornada ampliada. As aulas começaram no dia 2 de março com mudanças na grade curricular e a inclusão de novos projetos artístico-culturais, esportivos e de robótica para as crianças e adolescentes. Na noite dessa quinta-feira (05/03), foi realizado um ato simbólico de implantação da nova modalidade de ensino com a presença de autoridades municipais e gestores da unidade escolar. Com cerca de 300 alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental no diurno, a escola recebeu melhoria na sua estrutura física, profissional e pedagógica para receber os estudantes às 7h30 até às 15h30, com café da manhã, almoço e lanche da tarde. De acordo com a secretária de educação do município, Iamara Junqueira, antes do início das aulas foram realizadas reuniões sobre a proposta do ensino integral. “Antes de começar as aulas, nos reunimos, equipe da Secretaria de Educação com uma assessoria técnica, para definir a proposta pedagógica. Os alunos terão as disciplinas da base comum e o incremento de oficinas das mais diversas modalidades esportivas, incluindo natação, de artes e de robótica”, explica Iamara. Essa realização é um orgulho para nós, porque vai ao encontro do ideário de Anísio Teixeira, da educação integral, gratuita e de qualidade”, destacou a secretária, que também agradeceu a confiança de toda comunidade escolar no projeto. “Agradeço os pais, alunos, professores, gestores e equipe de apoio, pela confiança e por abraçar essa iniciativa”.

 

Escola terá aulas de iniciação musical, natação e robótica

Entre os projetos que serão desenvolvidos na escola municipal estão aulas de futsal, vôlei, handebol, natação, iniciação musical, dança, teatro, vivências artísticas e robótica, além das disciplinas regulares e reforço escolar. Para a realização dessas oficinas, a unidade escolar contará com um articulador e 10 educadores sociais (monitores).

A Escola

Construído em 2008 e inaugurado, efetivamente, em 2011, foi somente em julho de 2018, que a Escola Municipal Manoel Lopes Teixeira foi completamente concluído, pela atual gestão, com a entrega do primeiro andar e ampliação de espaços educativos, a saber: laboratório de informática, sala de vídeo e biblioteca, além de 6 salas para desenvolvimento de oficinas, banheiros coletivos masculino e feminino.

O prédio possui 12 salas de aula, 5 banheiros coletivos destinados ao uso dos estudantes, 2 banheiros individuais destinados aos professores e funcionários, 01cantina com depósito, 01 secretaria, 01 diretoria, sala dos professores, 01 sala de coordenação, 02 refeitórios, almoxarifado, área livre coberta, ampla área externa livre descoberta, sala de dança e área de convivência.

O corpo docente em 2020 é composto por 30 professores. A equipe de apoio conta com 02 auxiliares de secretaria, 03 porteiros, 04 merendeiras, 04 profissionais de serviços gerais, 02 vigilantes. A equipe gestora é composta de: 1 diretor e 2 vice-diretoras, 01 coordenadora pedagógica e 01 secretária escolar. 

CONTINUE LENDO

Governo autoriza suplementação de R$ 15 milhões pra universidades

  • Redação
  • 05 Mar 2020
  • 16:08h

(Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

O governo da Bahia, autorizou, nesta quinta-feira (5), a suplementação de R$ 15 milhões para as universidades baianas. O crédito foi publicado no Diário Oficial. Desse total, R$ 6,8 milhões foram destinados para a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Além disso, R$ 3,4 milhões vão para a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). A verba deve ser destinada para a extensão e manutenção da universidade. A Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), vai receber R$ 2 milhões, sendo R$ 300 mil para apoio ao Universidade para Todos, R$ 950 para realização de processo seletivo. A Universidade do Estado da Bahia (UNEB) vai receber R$ 3,4 milhões. Desse total, R$ 320 mil é para a realização de cursos de educação a distância (EAD), R$ 150 mil para a atividades ligadas à cultura e para a renovação da frota da universidade e R$ 500 mil como apoio ao Programa Universidade para Todos.

Inscrições para o programa Mais Estudo encerram hoje (04)

  • Redação
  • 04 Mar 2020
  • 11:48h

(Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

Terminam nesta quarta-feira (4) as inscrições para 10 mil vagas do Programa Mais Estudo. O programa, desenvolvido pela Secretaria da Educação do Estado, contemplará com uma bolsa de R$ 200, por mês, de março a maio, estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental e do 1ª ao 3º ano do Ensino Médio e da 4ª série da Educação Profissional, para que possam dar monitoria em Língua Portuguesa e Matemática aos colegas, contribuindo para o processo de ensino e aprendizagem. O investimento é de R$ 6 milhões nesta primeira etapa do programa para o ano letivo de 2020. Para participar, além de estar regularmente matriculado, o estudante deve ter obtido média igual ou superior a oito na disciplina que pretende atuar como monitor. Além disso, as unidades escolares precisarão fazer a adesão ao programa, preenchendo um formulário disponibilizado no Portal da Educação, mesmo site para que as escolas realizem a inscrição. Também caberá à escola a seleção dos estudantes, bem como mobilizar e registrar, em documento próprio, os professores e/ou articuladores que irão atuar como supervisores dos estudantes monitores. A relação dos estudantes selecionados deverá ser encaminhada à SEC até sexta-feira (6). O programa foi lançado em 2019, quando foram oferecidas 10 mil vagas. As aulas aconteceram no turno diferente ao qual os estudantes estão matriculados. Com a linguagem própria da juventude, os monitores ajudaram os colegas a desenvolverem seus conhecimentos e habilidades, tanto que já há registros de melhoria nas notas dos envolvidos e de redução da reprovação. Os monitores são acompanhados por professores supervisores e coordenadores pedagógicos. 

Estudantes podem se inscrever no Mais Estudo até 4 de março

  • Redação
  • 29 Fev 2020
  • 07:40h

(Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

A segunda edição do Programa Mais Estudo está com inscrições abertas para 10 mil vagas de monitorias para as disciplinas de português e matemática. A iniciativa da Secretaria da Educação do Estado é voltada para alunos do 9º ano do Ensino Fundamental e do 1º ao 4º ano do Ensino Médio. Está é a segunda edição do programa que neste ano tem investimento de R$ 6 milhões. Os estudantes podem se inscrever até o dia 4 de março e devem procurar a secretaria da unidade de ensino na qual estão matriculados. O programa será realizado entre os meses de abril e maio e cada aluno receberá uma bolsa mensal de R$ 200. No Colégio Estadual Governador Otávio Mangabeira, no Saboeiro, na capital baiana, nove estudantes participaram do Mais Estudo. O jovem Thiago Ramos foi um deles e garante que a iniciativa também o ajudou. “É um projeto nota 10 e que só veio para ajudar na democratização do ensino público. A gente tem uma experiência em que se coloca no ponto de vista do professor e para quem pretende ser professor, que é o meu caso, só traz ganhos. É uma ideia excelente fazer com que os alunos que sabem um pouco mais possam compartilhar conhecimento”, destacou. Para se candidatar às vagas de monitoria é necessário que os alunos tenham média a partir de oito pontos em Língua Portuguesa e Matemática em 2019 e a monitoria ocorre em horário oposto às aulas. O secretário de Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, ressalta os pontos positivos do programa. “Tivemos uma boa repercussão no processo estudantil com a realização da primeira edição, e este é um projeto inédito no Brasil. Com o programa, conseguimos fazer com o que estudante fique oito horas a mais na escola com atividade pedagógica. Sendo que duas horas são para tratar de planejamento, organização e formação desses monitores e as outras seis horas é para que ele possa compartilhar com seus colegas o processo de aprendizagem. Já percebemos melhorias nos indicadores de aprovação e evasão nas unidades escolares em que o Mais Estudo foi implantado. Também houve maior envolvimento entre estudantes e professores”. As unidades escolares também devem realizar a adesão ao programa até o dia 4 de março no Portal da Educação, a partir do preenchimento de um formulário. A diretora do Colégio Estadual Otávio Mangabeira, Márcia Menezes, reforça o sucesso do projeto. “A nossa avaliação é muito positiva e com mérito todo do alunado, porque eles abraçaram esse projeto. O impacto foi muito forte em relação ao incentivo para quem precisava estudar mais. Temos um sentimento de gratidão por esta iniciativa”.

Saudoso professor Odair Fábio Souza Teixeira será homenageado pela Administração “Educar para Libertar”

  • Ascom | PMB
  • 27 Fev 2020
  • 18:35h

(Foto: Ascom | PMB)

Odair Fábio Souza Teixeira desde pequeno deixava claro a sua vocação para a área educacional. Sua vida estudantil já apontava para isso, se formando em magistério no ano de 1994. Rapidamente ele foi lecionar em várias escolas do município, com destaque para a sua atuação no então Colégio Manoel Fernandes Santos. Em seguida exerceu várias funções na rede municipal de ensino, se tornando muito respeitado pela sua importante contribuição para a área educacional do município. Em 2005 iniciou a sua vida acadêmica, cursando Biologia, mas, infelizmente, veio a falecer, deixando uma história de grande relevância. Devido a esse legado tão positivo, a Administração “Educar para Libertar” irá dar o seu nome para o moderno auditório que será entregue nesta sexta-feira (28) na ETI Manoel Fernandes, onde ele tanto brilhou.

Merenda e transporte escolar podem ser afetados pela PEC do Fundeb

  • Rede Brasil Atual
  • 26 Fev 2020
  • 15:50h

(Foto: Reprodução)

Considerado um dos melhores do mundo, o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) atendeu, só em 2017, mais de 41 milhões de estudantes, com investimento de R$ 3,89 bilhões. No mesmo ano, o Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (Pnate) – que faz toda diferença em um país onde nem todas as escolas estão onde deveriam estar, próximas dos alunos – beneficiou 4,54 milhões de alunos, com orçamento de R$ 592,90 milhões, segundo dados do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Estas ações, entre outras essenciais para o acesso, permanência e aprendizado de alunos da pré-escola ao ensino médio, correm sério risco de extinção caso seja aprovado o relatório que a deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO) apresentou nesta terça-feira (18) à comissão especial da chamada PEC do Fundeb, o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação. Não foi votado devido ao pedido coletivo de vistas dos integrantes da comissão Em seu texto, tido como piorado por especialistas devido a pressões, a relatora atrela o Salário Educação, que financia esses programas, à complementação da União ao Fundeb. “O relatório realiza, na prática, uma maquiagem, fruto de reunião liderada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia”, alerta o comitê diretivo da Campanha Nacional pelo Direito à Educação em posicionamento público divulgado esta semana. Segundo o documento, se o texto tal como está for aprovado na comissão especial e passar no plenário da Câmara e depois no Senado, o governo federal ficará livre da responsabilidade com o financiamento adequado da Educação Básica (pré-escola ao ensino médio). E não haverá outra saída aos gestores estaduais e municipais senão utilizar os recursos do próprio Fundeb para custear programas hoje financiados diretamente pelo Salário Educação, “neutralizando assim o potencial de ampliação da complementação ao Fundeb”. “Em outras palavras, as redes públicas permanecerão asfixiadas e os estudantes da educação básica pública continuarão sendo prejudicados”.

Desprezo

No entanto, não é apenas a “maquiagem” em relação à complementação do governo federal que a Campanha considera um obstáculo à conquista do direito da educação pública de qualidade. Há críticas quanto ao desprezo a metas do Plano Nacional de Educação, especialmente quanto à implementação do Custo Aluno-Qualidade Inicial (CAQi) e Custo Aluno-Qualidade (CAQ), parâmetros instituídos no Plano Nacional de Educação para corrigir as desigualdades e determinar condições adequadas para oferta do ensino.

No entanto, o sistema CAQ vem enfrentando resistência no Congresso e no governo federal. “Não querem a constitucionalização do CAQ os Ministérios da Educação e da Economia do governo Bolsonaro, e a ONG ‘Todos’ Pela Educação’. Com isso, compõe-se uma aliança tácita contra a universalização de escolas públicas capazes de garantir o processo de ensino-aprendizagem’, destaca o documento.

Outra barreira é à proposta de remuneração por desempenho, fruto do lobby de parlamentares comprometidos com a “reforma empresarial da educação”. “Contudo, caso seja mantido esse mecanismo antipedagógico para distribuição de recursos do Fundeb, é preciso aprimorar a redação do substitutivo, vedando que redes públicas com maior arrecadação e, portanto, com maior capacidade de avançar nas avaliações de larga escala, não sejam ainda mais privilegiadas”, recomenda.

Prejuízo

Em vigor desde janeiro de 2007, o Fundeb expira em 31 de dezembro. Se não for renovado, o montante total de R$ 156 bi destinados pela União, estados e municípios à educação serão totalmente desorganizados na sua implementação. Ao mesmo tempo, 40 milhões de matrículas vão ficar descobertas, o que significa prejuízo enorme para o direito à educação.

“A gente considera que para ser bom, o Fundeb deve ser robusto, ter os recursos necessários para educação básica. Tem muita criança fora da creche, criança e adolescente fora da escola. E tem de viabilizar um padrão de qualidade capaz de dar condições aos professores de ensinar e aos alunos de aprender”, diz o coordenador geral da Campanha, Daniel Cara.

Esse Fundeb robusto, segundo ele, tem de respeitar a tradição de distribuição de recursos e ao mesmo tempo criar recursos equitativos para a sua distribuição: Um sistema híbrido que combine o que já vem sendo feito nos últimos 20 anos como estratégia de distribuição de recursos, que muitas redes se estruturaram com base nessa lógica, com novos mecanismos de distribuição. “Caso contrário, muitos municípios perderiam fontes de recursos, especialmente nas regiões Norte e Nordeste. Seria um caos para quem precisa de mais recursos.”

CONTINUE LENDO

Uesb publica 2ª chamada do Sisu para 1º semestre de 2020

  • Divulgação
  • 20 Fev 2020
  • 09:10h

(Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

Aqueles que ficaram na lista de espera do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para ingresso no primeiro período letivo de 2020, já podem conferir a segunda convocação. No Edital 044/2020, estão listados os candidatos selecionados. A publicação informa que os convocados deverão se matricular no período de 2 a 4 de março, das 8h30 às 11h30 e das 14h30 às 17h30, na Secretaria de Cursos do campus para o qual foi aprovado. No Edital, consta também a relação de documentos necessários para a matrícula. Para mais informações, entre em contato pelos telefones (77) 3261-8612, em Itapetinga; (73) 3528-9654, em Jequié, e (77) 3424-8661, em Vitória da Conquista.

Identidade estudantil pode ser baixada de graça só até hoje (16)

  • Redação
  • 16 Fev 2020
  • 07:16h

(Foto: Reprodução)

Os interessados na identidade estudantil digital têm até este domingo (16) para tentar garantir o documento que é gratuito. É que a Medida Provisória 895/2019, editada pelo presidente Jair Bolsonaro, em setembro, vai perder a validade na segunda-feira (17). A partir dessa data, o Ministério da Educação (MEC), não terá mais autorização para emitir a ID Estudantil. Até as 12h30 deste sábado mais de 320 mil ID estudantis haviam sido emitidas, cada uma a um custo de R$ 0,15 para o governo. O documento dá ao estudante direito a pagar meia-entrada em espetáculos artístico-culturais e esportivos e fica disponível no celular. Segundo o MEC, o objetivo é oferecer uma alternativa à carteirinha de plástico que continua sendo emitida por entidades estudantis como a União Nacional dos Estudantes (UNE) e pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e que custa R$ 35.

Repasse federal para creches e pré-escolas foi o menor em 10 anos

  • Redação
  • 13 Fev 2020
  • 19:47h

(Foto: Reprodução)

O montante repassado pelo governo federal, em 2019, para prefeituras investirem em creches e pré-escolas foi o menor em dez anos. No ano passado, as gestões municipais receberam R$ 307,8 milhões para construção e melhoria da infraestrutura da rede. O montante é 33% menor ao repassado em 2018, quando os municípios receberam do governo federal R$ 457,9 milhões. Os dados são do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), do Ministério da Educação, obtidos pela GloboNews via Lei de Acesso à Informação. A queda expressiva em 2019 é aproximadamente $ 100 milhões menor do que o repassado em 2015, ano de recessão econômica em que foram repassados R$ 401 milhões. No ano seguinte, o valor aumentou para R$ 492,4 milhões e oscilou em 2017 (repasse de R$ 427,1 milhões) e em 2018 (repasse de R$ 457,9 milhões). O Ministério da Educação não se pronunciou. Segundo a publicação, 830 obras em creches e pré-escolas feitas com repasses do FNDE estão paralisadas. As intervenções são registradas no Sistema de Monitoramento, Execução e Controle do MEC (Simec).

Escolas estaduais podem abrigar cursos de graduação da Ufba

  • Redação
  • 12 Fev 2020
  • 08:03h

Experiências similares já acontecem em unidades da rede no interior; parceria foi discutida nesta terça (11) Redação |Foto: Claudionor Jr./SEC

As aulas de cursos de graduação de diferentes áreas, ofertados pela pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), podem passar a ser ministradas nas dependências das escolas estaduais. A possibilidade foi discutida nesta terça-feira (11) em uma reunião entre o secretário da Educação, Jerônimo Rodrigues, e o pró-reitor de Ensino e Graduação da instituição, Penildon Silva Filho. A ideia é que sejam implantados nas escolas cursos nas áreas de Saúde, Teatro e Tecnologia. As expectativas, de acordo com o secretário, são de fortalecer a educação básica. “Para nós, esta articulação e a aproximação com as universidades públicas é fundamental e promove esta ponte de integração com o ensino superior, mediante a oferta de cursos, trabalhos de extensão; grupos de pesquisa e da inclusão destas comunidades”. Sob outra perspectiva, o pró-reitor da Ufba também fez uma análise positiva da possibilidade. “Nossa proposta é compartilhar espaços em escolas para, juntos, termos atividades de ensino, de pesquisa e de extensão que possam, inclusive, favorecer a formação profissional dos alunos no Ensino Médio”. Penildon pontuou ainda a possibilidade de implantar nas escolas, por exemplo, um curso de Biotecnologia. “Uma clínica-escola de Fisioterapia, uma clínica-escola de Fonoaudiologia; um polo da Universidade Aberta do Brasil (UAB); e um campus universitário de Ciência, Tecnologia e Cultura, com a presença forte da Escola de Teatro”.

Complexos Integrados de Educação
Modalidades da educação básica e ensino superior já são realidade nos Complexos Integrados de Educação (CIEs) presentes em Porto Seguro, Itamarajú e Itabuna, por meio de uma parceria entre a Secretaria de Educação do Estado (SEC) e a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Em Ipiaú e Eunápolis, junto à Universidade do Estado da Bahia (Uneb), também já ofertam cursos de graduação em unidades integradas.

De acordo com a Sec, CIEs têm buscado planejar, executar e avaliar um conjunto de ações inovadoras em conteúdo, método e gestão, direcionados à melhoria da oferta e da qualidade do ensino médio, na proposta da modalidade integral.

No encontro desta terça, também estiveram presentes o subsecretário da Educação, Danilo Souza; a superintendente de Políticas para a Educação Básica, Manuelita Brito; o superintendente da Educação Profissional e Tecnológica, Ezequiel Westphal; o coordenador Executivo de Projetos Estratégicos da SEC, Marcius Gomes; o diretor do Instituto de Ciências da Saúde da Ufba, Roberto Paulo Correio, além da coordenadora da UAB na Ufba, Márcia Rangel, e de professores da instituição federal.

CONTINUE LENDO

Após atraso, lista de espera do Sisu é liberada pelo governo

  • G1
  • 11 Fev 2020
  • 07:08h

(Foto: Reprodução)

A lista de espera do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foi entregue às universidades nesta segunda-feira (10), de acordo com nota do Ministério da Educação (MEC). A lista é a relação dos alunos que não foram aprovados diretamente para uma das 237 mil vagas em instituições públicas de ensino superior oferecidas via Sisu, mas que manifestarem interesse em ser convocados caso houvesse desistência entre os primeiros selecionados.A lista foi preparada pelo ministério com base nas notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Agora com os dados dos estudantes, as universidades já podem começar a convocar aqueles que tiveram as notas mais altas para efetivar as matrículas. Cada instituição segue seu próprio cronograma e divulga em seus sites as convocações.

Após relatos de erros, MEC adia lista de espera do Sisu

  • G1
  • 08 Fev 2020
  • 11:04h

(Foto: Reprodução)

O Ministério da Educação (MEC) divulgou em nota, nesta sexta-feira (7), que a divulgação da lista de espera do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2020 para a convocação dos aprovados vai ocorrer, somente, na segunda-feira (10). Na nota o ministério não justifica o motivo da mudança da data.A convocação dos aprovados é realizada pelas instituições de ensino e era esperada para começar a ser divulgada na sexta-feira (7).A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) emitiu um comunicado, avisando aos candidatos que a divulgação da lista de espera do Sisu havia sido adiada.“Por recomendação do Ministério da Educação (MEC), a lista de espera, que deveria ser divulgada nesta sexta-feira, dia 7 de fevereiro, será divulgada oportunamente, quando o próprio MEC liberar as listas de espera definitivas”, diz a nota da UFCSar. A Universidade Federal do Cariri (UFCA) também divulgou nota informando que havia recebido recomendação do Ministério da Educação para não utilizar para a convocação "a lista de candidatos por ordem de classificação enviada anteriormente pela pasta".A Nota da UFCA ainda disse: "O MEC instruiu as Instituições de Ensino Superior que participam desta edição do Ssu a aguardarem a lista definitiva de candidatos, que será enviada posteriormente. Assim, a convocação dos candidatos da Lista de Espera do Sisu 2020.1 encontra-se suspensa, até posterior comunicado do MEC".A Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB) informou em nota que havia divulgado a lista de espera do Sisu, conforme cronograma estabelecido, na quinta-feira (6) e que na sexta-feira (7) foi notificada pelo sistema do Sisu para que a instituição não utiliza-se a Lista de Espera divulgada. A UFOB informou que retirou do site a Lista de Espera divulgada e que aguardar a classificação definitiva.O prazo para que os estudantes que não foram classificados na primeira chamada manifestassem interesse em entrar na lista de espera terminou na terça-feira (4). Na quinta (6), houve relatos em redes sociais de que o sistema não teria considerado as inscrições no caso dos que escolheram apenas uma opção de curso.Procurado pelo G1 sobre os relatos feitos em redes sociais, o MEC não deu retorno até a mais recente atualização desta reportagem.

Universidades federais adiam divulgação da lista de espera do Sisu

  • Uol
  • 07 Fev 2020
  • 20:05h

( Foto: Reprodução)

A Ufob (Universidade Federal do Oeste da Bahia), que chegou a liberar uma lista ontem, informou hoje que o MEC (Ministério da Educação) enviou uma notificação à instituição para dizer que a relação "não deveria ser utilizada pela instituição" e que uma outra lista definitiva será disponibilizada em breve. A UFPel (Universidade Federal de Pelotas), por sua vez, informou que o MEC não disponibilizou a lista de espera do Sisu e nem informou um novo prazo para que isso aconteça. Já a Ufscar (Universidade Federal de São Carlos) comunicou que a divulgação das listas de espera foi adiada por recomendação do próprio MEC. Segundo o comunicado, "por recomendação do Ministério da Educação, a lista de espera, que deveria ser divulgada nesta sexta-feira, dia 7 de fevereiro, será divulgada oportunamente, quando o próprio MEC liberar as listas de espera definitivas". Em nota, a UFCA (Universidade Federal do Cariri), no interior do Ceará, informou que a lista de espera enviada pelo MEC "não deverá ser utilizada para convocação". Segundo a universidade, a decisão foi tomada após recomendação do ministério. Mais cedo, o MEC disparou um comunicado à imprensa informando que a convocação para lista de espera do Sisu tinha início hoje. "As convocações da lista de espera do Sisu do primeiro semestre de 2020 começam nesta sexta-feira, 7 de fevereiro", diz o texto publicado pelo MEC. "Para acompanhar as próximas chamadas os candidatos precisam verificar as convocatórias que serão realizadas pelas instituições de ensino superior onde manifestaram interesse em participar dessa etapa. Cada instituição possui um cronograma próprio", continua o comunicado. 

Candidatos reclamam de erro na lista de espera do Sisu

  • G1
  • 06 Fev 2020
  • 18:06h

(Foto: Reprodução)

Estudantes que tentam uma vaga em universidades públicas por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) reclamam daquilo que consideram ser um novo erro no sistema: desta vez, alegam que o site não considerou a inscrição na lista de espera no caso dos que escolheram apenas uma opção de curso. Procurado pelo G1, o Ministério da Educaçao (MEC) não deu retorno até a mais recente atualização desta reportagem. A atual edição do Sisu foi marcada por reclamações e questionamentos judiciais. O próprio resultado do Sisu 2020 só foi liberado após o STJ atender um recurso do MEC em ação que questionava a conduta do governo federal na resolução de erros na correção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).Em outro questionamento, o Ministério Público Federal (MPF) de Brasília solicitou esclarecimentos sobre cursos que tiveram um número inferior de vagas destinadas ao percentual da população com deficiência.

Senado aprova convite para Weintraub dar esclarecimentos sobre Enem 2019

  • G1
  • 05 Fev 2020
  • 10:03h

(Foto: Reprodução)

A Comissão de Educação do Senado aprovou nesta terça-feira (4) o convite do ministro da Educação, Abraham Weintraub, para prestar esclarecimentos sobre erros no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. A solicitação foi feita pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da Rede e da minoria no Senado. Inicialmente, o senador pediu a convocação do ministro, o que obrigaria a ida de Weintraub à Casa para prestar os esclarecimentos. Porém, a convocação foi transformada em convite pelos senadores durante o debate. Randolfe afirma que, caso Weintraub não aceite o convite, buscará a aprovação de uma convocação. O líder afirmou que nem o ministro e nem o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) esclareceram todas as dúvidas levantadas por estudantes e especialistas relacionadas ao exame. "Diante dos questionamentos quanto à credibilidade do exame, somente uma auditoria minuciosa poderá evitar os riscos de judicialização", escreveu Randolfe no requerimento. Erros na correção da prova afetaram milhares de candidatos. Segundo o Inep, foram encontradas inconsistências no gabarito de milhares de estudantes por causa de erros da gráfica que imprimiu a prova. Na Câmara dos Deputados, Weintraub já foi convocado a prestar esclarecimentos duas vezes. Em maio, o ministro tratou dos bloqueios de verbas da Educação. No mesmo mês, ele foi ao Senado apresentar quais seriam as prioridades de sua gestão.Em dezembro, o motivo da convocação pelos deputados foram declarações do ministro de que haveria produção de drogas em universidades federais. Ao comparecer à Casa, ele reafirmou que há "plantações de maconha" e "laboratórios de droga" nessas instituições.