BUSCA PELA CATEGORIA "Economia"

Venda de veículos usados sobe 0,4% em 2018, diz associação

  • 03 Jan 2019
  • 10:08h

(foto: Juarez Rodrigues / EM / D.A. Press)

A venda de veículos usados ficou quase estável em 2018, segundo a Fenauto, a federação das revendedoras. Foram comercializadas 14.275.382 unidades, número 0,4% maior do que os 14.212.673 exemplares vendidos em 2017. A diferença, de apenas 62,7 mil unidades, representa pouco mais do que a média diária (dias úteis) de vendas em 2018, de 56.874 veículos.

Veículos mais velhos em alta

Separando as vendas por tempo de uso do veículo, é possível notar que os considerados seminovos, com até 3 anos de uso, tiveram acentuada queda de 52,1%. Por outro lado, os "usados jovens", de 4 a 8 anos de uso, e os "usados maduros", de 9 a 12 anos de idade, tiveram crescimento de 27% e 46,5%, respectivamente. O mesmo aconteceu entre os modelos mais velhos, com 13 ou mais anos de uso. Eles tiveram alta de 21,8%. Confira abaixo a tabela com a variação das vendas por idade dos veículos:

Venda de veículos usados por tempo de uso em 2018

  2018 2017 Variação
0 a 3 anos 2,42 milhões 5,06 mi -52,1%
4 a 8 anos 5,78 mi 4,53 mi +27%
9 a 12 anos 2,75 mi 1,88 mi +46,5%
13 anos ou mais 3,34 mi 2,75 mi +21,8%

Fonte: Fenauto

Mais vendidos em dezembro

A Fenauto também divulgou os veículos usados mais vendidos em dezembro. Veja abaixo o ranking de automóveis e comerciais leves e de motos:

Automóveis e comerciais leves

  1. Volkswagen Gol - 83.027 unidades
  2. Fiat Uno - 49.385
  3. Fiat Palio - 49.297
  4. Ford Fiesta - 32.184
  5. Chevrolet Celta - 29.960
  6. Volkswagen Fox - 26.001
  7. Chevrolet Corsa - 24.073
  8. Fiat Strada - 23.892
  9. Fiat Siena - 22.648
  10. Toyota Corolla - 21.119

Motos

  1. Honda CG 150 - 60.492 unidades
  2. Honda CG 125 - 37.326
  3. Honda Biz - 25.425
  4. Honda NXR 150 Bros - 22.229
  5. Yamaha YBR 125 Factor - 9.067
  6. Honda CB 300R - 8.722
  7. Honda XRE 300 - 6.948
  8. Honda CBX 250 Twister - 6.730
  9. Honda Pop 100 - 6.413
  10. Yamaha Fazer 250 - 6.085

Secretário da Receita quer Imposto de Renda mais alto para ricos e contraria proposta de Bolsonaro

  • 03 Jan 2019
  • 08:07h

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O novo secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, afirmou nesta quarta-feira (2) que o governo Jair Bolsonaro estuda criar uma alíquota adicional do Imposto de Renda para quem tiver alta renda. Pela tabela do IR atualmente em vigor, estão isentos do imposto os contribuintes que recebem até R$ 1.903,98 por mês, descontada a contribuição previdenciária. A partir desse valor, as retenções são calculadas com base em alíquotas de 7,5%, 15%, 22,5% ou 27,5% sobre o valor dos rendimentos. Hoje, a alíquota de 27,5% é a mesma para os rendimentos acima de R$ 4.664,68. "O sistema tributário brasileiro precisa ter uma certa progressividade. Não iremos ao extremo de ter apenas uma alíquota [do IR das pessoas físicas], mas poucas alíquotas acho que são absolutamente adequadas. E uma alíquota adicional para altas rendas. Não dá pra estabelecermos números. Não temos parâmetros [a partir de qual renda incidiria essa alíquota maior para alta renda]", disse Cintra. De acordo com o economista, está em análise um projeto de reforma tributária, a ser discutido com o Congresso Nacional. Segundo ele, a ideia é simplificar e reduzir a carga tributária, que atingiu 32,4% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2017. "Estamos ainda analisando as varias alternativas [para o imposto único]. Podemos trabalhar em um IVA [imposto sobre valor agregado], podemos trabalhar em um imposto sobre movimentação financeira, em um imposto sobre faturamento. Nós temos de fazer um complexo de ações. Antes de qualquer coisa, é importante que a gente faça uma limpeza em nosso sistema tributário", declarou. O texto da reforma tributária já foi aprovado pela comissão especial da Câmara e deve ser analisado pelo plenário da Casa antes de seguir para o Senado.

Bolsonaro assina decreto que fixa salário mínimo em R$ 998 em 2019

  • 02 Jan 2019
  • 09:04h

Foto: Evaristo Sá/AFP

Decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e publicado nesta terça-feira (1º) em edição extra do "Diário Oficial da União" fixou o salário mínimo em R$ 998 neste ano. O valor atual é de R$ 954. Com isso, o valor ficou abaixo da estimativa que constava do orçamento da União, de R$ 1.006. O orçamento foi enviado em agosto do ano passado pelo governo Michel Temer ao Congresso. O que a equipe econômica do governo Michel Temer dizia é que a inflação de 2018 (um dos fatores que determinam o valor) vai ser menor que o projetado anteriormente - quando foi proposto salário mínimo de R$ 1.006 em 2019. De acordo com informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócioeconômicos (Dieese), o salário mínimo serve de referência para o rendimento de cerca de 48 milhões de trabalhadores no Brasil.

Pedido de aposentadoria pela regra 85/95 termina e benefício integral fica mais difícil

  • 31 Dez 2018
  • 16:07h

A partir desta segunda-feira (31), o trabalhador que pretende se aposentar por tempo de contribuição terá que trabalhar por mais tempo para conseguir o benefício sem o desconto do fator previdenciário. Isso porque entrou em vigor a regra 86/96, conforme previsto por lei sancionada em 2015 - até agora, a regra vigente era a 85/95. Pela regra anterior, da fórmula 85/95, a soma entre a idade e o tempo de contribuição no caso das mulheres deveria ser de pelo menos 85 anos e no caso dos homens, de 95 anos, para que o trabalhador ou trabalhadora tenham direito à aposentadoria com o benefício integral. Agora, essa soma exigida sobe um ponto para ambos, passando a ser de 86, para mulheres, e 96, para homens, segundo o INSS. Homens e mulheres que tenham atingido o tempo mínimo de contribuição (35 anos para eles, 30 para elas) também podem se aposentar sem atingir essa pontuação. Mas, nesse caso, o valor da aposentadoria é reduzido pelo fator previdenciário. Esse mecanismo reduz o valor do benefício de quem se aposenta por tempo de contribuição. A fórmula, criada em 1999, se baseia na idade do trabalhador, tempo de contribuição ao INSS e expectativa de sobrevida do segurado. Quanto menor a idade no momento da aposentadoria, maior é o redutor do benefício. Assim, a partir de agora, os trabalhadores só poderão optar pela não incidência do fator previdenciário no cálculo de sua aposentadoria quando o total resultante da soma da idade e do tempo de contribuição, incluídas as frações, na data de requerimento da aposentadoria, for igual ou superior a 86 pontos, se mulher; ou 96 pontos, se homem. Algumas situações podem elevar o tempo total de contribuição, mediante comprovação, como trabalho em atividades insalubres, período de alistamento militar, tempo de estudo em escola técnica e ação trabalhista que reconheceu vínculo. O trabalhador que não atingir a pontuação mínima ainda pode requerer a aposentadoria por tempo de contribuição, mas o cálculo do benefício levará em conta o desconto do fator previdenciário. Os segurados podem pedir a aposentadoria pelo aplicativo ou site Meu INSS.

Petrobras reduz preço médio da gasolina nas refinarias em 3% nesta sexta-feira (28)

  • 28 Dez 2018
  • 10:05h

A Petrobras informou que reduzirá o preço médio da gasolina vendida em suas refinarias em 3%, para R$ 1,5087 reais por litro, a partir de sexta-feira (28), segundo informação do site da estatal.A redução ocorre após o preço médio da gasolina da petroleira ter caído cerca de 4% nesta quinta-feira.A política de preços da Petrobras para a gasolina segue indicadores internacionais, como o dólar e o barril do petróleo.O dólar recuou sobre o real nesta quinta-feira (27). Além disso, os preços do petróleo caíram cerca de 4%, conforme os índices de Wall Street também tiveram movimento negativo e o mercado de petróleo focou em sinais de desaceleração da economia global e produção recorde.O repasse dos ajustes da gasolina da Petrobras às bombas, no entanto, dependem de diversas variáveis, como margens de distribuição e revenda, mistura obrigatória de etanol anidro, entre outras.

Prazo para sacar o abono PIS/Pasep 2016 termina na sexta-feira (27)

  • 26 Dez 2018
  • 10:10h

Foto: Reprodução/TV Fronteira

Um total de 1,8 milhão de trabalhadores têm até a próxima sexta-feira (28) para sacar o abono salarial PIS/Pasep ano-base 2016. O valor ainda disponível é de R$ 1,3 bilhão. Segundo o Ministério do trabalho, 7,46% das pessoas ainda não sacaram os recursos. Inicialmente, o prazo limite para fazer o resgate era 29 de junho, mas a prorrogação foi autorizada em 11 de julho por resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat). Já foram pagos R$ 16,7 bilhões para 22,7 mil trabalhadores. A região com maior percentual de beneficiários a receber o abono 2016 é a Centro-Oeste, onde 11,63% das pessoas com direito ao recurso ainda não foram ao banco receber. O estado com mais trabalhadores que ainda não retiraram o dinheiro é São Paulo. São 410,5 mil pessoas, ou 6,95% do total de beneficiários. O valor ainda disponível para esses trabalhadores é de mais de R$ 297 milhões. Já o Distrito Federal é a unidade da Federação (UF) com maior número proporcional de beneficiários com direito ao saque que ainda não retiraram o valor. Na capital federal, 29,33% estão nessa situação. São 148,5 mil trabalhadores com R$ 110 milhões para retirar.

Você pode perder até R$ 954 se não sacar o abono do PIS de 2016 até sexta (28)

  • Uol
  • 24 Dez 2018
  • 14:02h

Quem trabalhou durante o ano de 2016 e ganhou até dois salários mínimos, em média, por mês pode ter até R$ 954 esperando para ser sacado no banco. Segundo o Ministério do Trabalho, 1,8 milhão de trabalhadores ainda não resgataram o dinheiro do abono salarial do PIS/Pasep, o que corresponde a 7,46% do total de pessoas com direito ao recurso. O prazo para o saque vai até 28 de dezembro. Quem perde o prazo de saque do abono salarial fica sem o dinheiro, que vai para o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador). Porém, já houve casos de trabalhadores que conseguiram na Justiça o direito de receber o dinheiro após o fim do prazo. 

Quem tem direito ao abono? Como saber se tenho direito?

Para saber se tem direito ao abono salarial, é possível fazer a consulta das seguintes maneiras: PIS (trabalhador de empresa privada): Pasep (servidor público): Como saber qual é meu número do PIS/Pasep? Bolsonaro pode acabar com abono do PIS? Dá para usar app para saber se tenho dinheiro do PIS/Pasep? Minha dívida atrasada vai fazer 5 anos; não preciso mais pagar? quem trabalhou com carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2016 ganhou, no máximo, dois salários mínimos, em média, por mês está inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos é preciso que a empresa onde trabalhava tenha informado seus dados corretamente ao governo no Aplicativo Caixa Trabalhador no site da caixa (www.caixa.gov.br/PIS), clique em "Consultar pagamento" pelo telefone de atendimento da Caixa: 0800 726 0207 pelo telefone 158 da central de atendimento do Ministério do Trabalho nos postos da Superintendência Regional do Trabalho, antiga DRT

Pente-fino do INSS corta mais da metade dos benefícios

  • 24 Dez 2018
  • 12:53h

Realizado desde o segundo semestre de 2016, o pente-fino do INSS cortou em mais da metade os auxílios-doença e as aposentadorias por invalidez no Brasil. De acordo com informações da Folha de S. Paulo, baseadas em dados do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), das 1,182 milhão de perícias realizadas, foram cancelados 651 mil benefícios, o que representa 55,07% do total. Deste montante, 577,4 mil foram cortados após perícia, enquanto 73,7 mil deixaram de ser pagos porque o segurado foi convocado, mas não compareceu ao exame. No balanço do da revisão do MDS contam os números até o dia 15 de dezembro. Segundo a pasta, 39,5 mil benefícios ainda precisam passar por perícia, dos quais cerca de 10 mil são de auxílio-doença e 30 mil, de aposentadoria por invalidez.  O pente-fino tem sido mais rigoroso com os segurados que recebem auxílio-doença. A cada dez perícias realizadas, quase nove resultam no cancelamento do auxílio. Ao todo foram convocados 471,6 mil segurados para a revisão. Destes, 369 mil tiveram o benefício cortado após a perícia e 45,7 mil deixaram de receber por não comparecer ao exame. No total, foram 414,8 mil cortes, o que representa 88%. Na aposentadoria por invalidez, o percentual é menor, de 29%. Foram realizadas 710,8 mil perícias no período, com corte em 236,3 mil benefícios.

Mega-Sena, concurso 2.109: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 280 milhões na Mega da Virada

  • G1
  • 21 Dez 2018
  • 07:07h

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.109 da Mega-Sena, realizado na noite desta quinta-feira (20) em Conselheiro Pena (MG). O prêmio acumulou. As apostas para a Mega-Sena da Virada começam a ser exclusivas a partir desta sexta-feira (21). Com isso, os outros concursos da Mega-Sena serão suspensos até o dia 31 de dezembro. O prêmio do concurso da Virada é estimado em R$ 280 milhões, segundo a Caixa Econômica Federal. Veja as dezenas sorteadas: 04 - 12 - 16 - 34 - 44 - 49.A quina teve 125 apostas ganhadoras; cada uma levará R$ 25.268,09. A quadra teve 7480 apostas vencedoras; cada uma receberá R$ 603,22.

Brasil ganha 10 milhões de internautas em 1 ano, aponta IBGE

  • 20 Dez 2018
  • 15:08h

Em apenas 1 ano, o número de internautas no Brasil cresceu cerca de 10 milhões de pessoas, sendo que os idosos representam a faixa etária com maior crescimento de novos usuários da rede.É o que aponta um levantamento divulgado nesta quinta-feira (20) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) feito no quarto trimestre de 2017. Ele faz parte das coletas da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD).

Veja outros destaques do estudo:

  • o número de domicílios com acesso à web subiu para 75% contra 69% em 2016;
  • a principal finalidade de acesso é enviar mensagens por aplicativos diferentes de e-mail, ou seja, redes sociais;
  • a área rural do país foi a que mais registrou expansão no número de domicílios conectados, que chegaram a 41%; nas áreas urbanas subiu para 80%;
  • o celular continua sendo o principal dispositivo para usar a internet, responsável por 98% dos acessos;
  • o número de domicílios que acessam a internet pela TV subiu de 11%, em 2016, para 16%; e o número de casas com computador e tablets continua caindo.

Seguro-desemprego pode ser solicitado pela internet a partir desta quarta-feira; saiba como

  • 19 Dez 2018
  • 19:10h

Os trabalhadores poderão solicitar a partir desta quarta-feira (19) o seguro-desemprego pela internet. Por meio do Portal Emprega Brasil, o trabalhador poderá fazer todo o processo e liberar o pagamento do segundo-desemprego sem ter que ir presencialmente a uma agência de atendimento do Ministério do Trabalho. O serviço estará disponível a partir das 18h desta quarta-feira. Segundo o Ministério do Trabalho, as informações fornecidas pelo trabalhador serão comparadas com as informações da base de dados do governo, como o da Receita Federal. Saiba o que é preciso informar para solicitar o seguro-desemprego:

  1. Confirmar os dados do requerimento;
  2. Atualizar informações pessoais;
  3. Atualizar a formação acadêmica;
  4. Indicar as experiências profissionais;
  5. Indicar os objetivos profissionais;
  6. Efetuar pesquisa de vagas de emprego;
  7. Verificar a disponibilidade de cursos de qualificação;
  8. Confirmar a solicitação do benefício.

Segundo Márcio Borges, coordenador do programa de seguro desemprego do Ministério do Trabalho, a medida vai desafogar as agências do Ministério do Trabalho, além de evitar que trabalhadores tenham que se deslocar por grandes distâncias para garantir o benefício.

IPVA fica 3,65% mais barato em 2019, anuncia governador da Bahia

  • Marina Hortélio
  • 18 Dez 2018
  • 12:14h

O Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) vai ficar, em média, 3,65% mais barato para os contribuintes baianos em 2019. A medida foi anunciada hoje (17) pelo governador Rui Costa. A tabela com os valores revisados vai ser divulgada amanhã (18) pela Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz-BA), juntamente com o calendário de pagamento do imposto. Os caminhões vão ter o maior alívio no imposto, com uma queda de 4,86%. Já o IPVA sobre os automóveis vai sofrer uma redução de 3,2% e, para as motos, de 3,23%. Para os ônibus e micro-ônibus, o imposto cairá 3,66%. O IPVA sobre os veículos utilitários vai ficar 3,28% mais barato. Os novos valores foram criados com base em pesquisa realizada pela Fundação de Pesquisas Econômicas (Fipe), a partir dos preços praticados no Estado em outubro de 2018. As informações estarão disponíveis no site da Sefaz-BA.

Pequenos negócios apostam em vendas melhores para o Natal

  • ASN Bahia
  • 17 Dez 2018
  • 19:07h

Mais de 68% dos empresários de pequenos negócios acreditam que as vendas de Natal serão melhores ou iguais ao ano passado. As melhores expectativas estão na área do Comércio, seguido do setor de Serviços, segundo pesquisa sobre vendas e contratações para o final de ano, realizada pelo Sebrae entre os meses de agosto e outubro. O levantamento, que ouviu mais de 5,8 mil empreendedores, apontou que quase 20% dos entrevistados pretendem reforçar o quadro de funcionários, com a contratação de temporários para o período que antecede os festejos natalinos. Para 30% dos entrevistados as vendas de Natal de 2018 serão melhores que as vendas de 2017. Já 38% acreditam que serão iguais em comparação ao ano passado, enquanto 26,7% estão pessimistas. As melhores expectativas estão entre os Microempreendedores Individuais (MEI), segmento onde 35% creem na melhoria das vendas e 38% avaliam que serão iguais ao Natal passado e 24% responderam que irá piorar. Em seguida estão as Micro e Pequenas Empresas (ME), onde 43% acham que venderão igual a 2017 e 27% avaliam que haverá uma melhora, considerando ainda que 26% dos entrevistados não estão otimistas. Entre as Empresas de Pequeno Porte (EPP), 61% esperam uma melhoria ou que suas vendas se manterão iguais ao ano passado, mas 32% acham que serão piores. O Comércio é o segmento mais otimista com a perspectiva de melhoria nas vendas. A pesquisa apontou que 33% acham que 2018 será melhor que 2017, enquanto que 38% avaliam que será igual ao ano passado, e 25% acreditam em uma piora. No setor de Serviços os números são praticamente semelhantes, mas na Indústria, os que acham que não haverá mudanças nos negócios em relação a 2017, são 38%, e os que creem em melhora ou piora somam 28%, cada. Os mais otimistas estão nas regiões Norte e Nordeste, com 37% e 33%, respectivamente. Os pessimistas são do Sudeste, Sul e Centro-Oeste, que totalizam 30% em cada região.

Contratações

As Empresas de Pequeno Porte 15% pretendem contratar de dois a 10 funcionários temporários, conforme a pesquisa. Mas 80,1% dos empresários tanto de EEP, ME e os MEI responderam que não vão fazê-lo, isso nos segmentos do Comércio, Indústria e Serviços e praticamente em todas as regiões do país. Somente no Norte e Centro-Oeste os percentuais de empresários que não pretendem recrutar empregados no período natalino são inferiores a 80%, ficando em 75% e 79% respectivamente. Foi no Sul e Sudeste onde os índices foram maiores, com 84%. Ainda segundo o estudo do Sebrae, mais de metade dos empresários (52,2%) têm encontrado dificuldade em contratar mão de obra qualificada, enquanto 25,8% não tiveram esse problema. Isso acontece principalmente nas EPP (63%), seguido pelas ME (57%) e, por último, os MEI (40%). O principal segmento prejudicado com a falta de qualificação é a Indústria (55%), tendo na sequência Serviços (53%) e Comércio (50%). A situação acontece praticamente em todas as regiões do país, mas é mais acentuada no Nordeste (55%) e Centro-Oeste (53%) e menor no Sudeste (49%).

Principais números da pesquisa

• Mais de 68% acreditam que as vendas irão melhorar ou que serão iguais a 2017
• Cerca de 26% acreditam que irão piorar em relação ao ano passado
• 38% do Comércio, Indústria e Serviços acreditam que manterão as vendas de 2017
• Mais de 80% dos entrevistados não pretendem fazer contratações temporárias neste final de ano
• 52,2% dos empresários encontram dificuldade em contratar mão de obra qualificada
• Expectativas de vendas estão melhores no Norte (37%) e Nordeste (33%)

Preço da gasolina cai 4,1% em dezembro

  • O Globo
  • 17 Dez 2018
  • 08:01h

Foto: Laércio de Morais I Brumado Urgente

Após muitas queixas dos consumidores em relação aos repasses da redução de preço dos combustíveis nas refinarias da Petrobras, os preços tiveram uma pequena queda nas bombas nos últimos dias. Entre 9 e 15 de dezembro, a gasolina estava sendo vendida no Brasil a um preço médio de R$ 4,365 o litro, uma redução da ordem de 4,15% em comparação aos R$ 4,554 cobrados na semana de 18 a 24 de novembro, de acordo com dados da pesquisa semanal de preços dos combustíveis da Agência Nacional do Petróleo (ANP). O óleo diesel, cujos subsídios estabelecidos pelo governo federal desde maio terminam no próximo dia 31, também vem apresentando uma redução gradual nos postos de revenda. De acordo com a ANP, na última semana, o litro do diesel era vendido a um preço médio de R$ 3,524 por litro, inferior aos R$ 3,566 cobrados em média na semana anterior, e cerca de 3,45% inferior aos R$ 3,650 da semana de 18 a 24 de novembro último.

Pagamento do PIS-Pasep para nascidos em dezembro começa hoje (13)

  • 13 Dez 2018
  • 11:02h

Começa a ser pago nesta quinta-feira (13) o abono salarial PIS do calendário 2018-2019, ano-base 2017, para os trabalhadores da iniciativa privada nascidos em dezembro. No caso do Pasep, que é pago para servidores públicos por meio do Banco do Brasil, o pagamento começa para quem tem final da inscrição 4. O PIS é pago na Caixa Econômica Federal. De acordo com o calendário, os nascidos nos meses de julho a dezembro receberão o PIS ainda no ano de 2018. Já quem nasceu entre janeiro e junho receberá o PIS no 1º trimestre de 2019. Em qualquer situação, o recurso ficará à disposição do trabalhador até 28 de junho de 2019, prazo final para o recebimento. A estimativa do Ministério do Trabalho é que, ao todo, serão pagos R$ 18,1 bilhões para 23,5 milhões de trabalhadores.