BUSCA PELA CATEGORIA "Economia"

Receita Federal diz que vendas em junho cresceram 10,3%

  • Redação
  • 06 Jul 2020
  • 11:30h

Média diária de vendas no último mês foi a maior de 2020 | Foto: Reprodução

A média diária de vendas com nota fiscal eletrônica (NFe) atingiu R$ 23,9 bilhões em junho, o maior patamar de 2020. As vendas tiveram resultado 15,6% maior que o mês de maio e 10,3% superior ao de junho de 2019, informou a Receita Federal. Na comparação com o mês anterior, a queda de abril foi seguida de aumentos de 9,1% em maio e de 15,6% em junho. De acordo com a Receita, o movimento agregado da NFe capta, principalmente, as vendas entre empresas de médio e grande porte, bem como as vendas não presenciais de empresas para pessoas físicas.

Vendas semanais – Segundo a Receita, dados das vendas semanais indicam recuperação gradual. No total, após o pico de R$ 180 bilhões na última semana de maio, as semanas de junho mostraram vendas superiores a R$ 150 bilhões, exceto a semana do feriado de Corpus Christi (R$ 137 bilhões). A última semana de junho registrou vendas de R$ 177 bilhões.

Comércio eletrônico – A Receita informou que em 2020, o comércio eletrônico teve vendas crescentes em quantidade e em volume, com tendência de elevação intensificada a partir de março. Em relação ao mesmo mês de 2019, a média diária de vendas apuradas com a NFe em 2020 cresceu 20,6% em março, 17,5% em abril, 37,4% em maio e 73,0% em junho.

Bancos ainda estudam oferta de crédito garantido por saque-aniversário

  • Kelly Oliveira | Agência Brasil
  • 04 Jul 2020
  • 11:53h

Desde o último dia 26 os maiores bancos do país estão autorizados a operar linha de crédito, mas ainda não lançaram produto no mercado | Foto: Brumado Urgente Conteúdo

Clientes que queiram usar o saque-aniversário do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) como garantia de empréstimos ainda não encontrarão esse tipo de crédito disponível nos cinco maiores bancos do país. Desde o último dia 26, todos os bancos estão autorizados a operar essa linha de crédito. Segundo o Ministério da Economia, as principais instituições financeiras do país estão habilitadas e se preparam para lançar o produto no mercado. “Pelo aplicativo do FGTS desenvolvido pela Caixa, os trabalhadores já podem manifestar o interesse na contratação de operação de crédito e indicar a instituição financeira de interesse”, disse, em nota. “Acreditamos que haverá interesse em oferecer e contratar produtos com base na garantia do saque- aniversário especialmente pela segurança que o uso do recurso sob o FGTS oferece à operação”, acrescentou o ministério. De acordo com a Caixa, mais de 5,3 milhões de trabalhadores já optaram pela sistemática saque-aniversário do FGTS, o que corresponde a cerca de R$ 6,7 bilhões de recursos que serão liberados, por ano.

Cinco maiores bancos

Em nota, o Itaú Unibanco disse que “está sempre atento a oportunidades que ajudem a impulsionar a economia. O banco estuda as condições estabelecidas para avaliar a oferta dessa linha”.

A Caixa afirmou que “as condições da referida linha serão divulgadas oportunamente”. O Santander disse que está trabalhando para oferecer a linha no tempo “mais breve possível”.

O Bradesco informou que está avaliando a possibilidade e o Banco do Brasil não respondeu se ofertará o crédito.

Autorização

Segundo o Ministério da Economia, o trabalhador que estiver com a modalidade de saque-aniversário vigente poderá conceder autorização às instituições com as quais contrate ou pretenda contratar a alienação ou cessão fiduciária do seu saque anual para que acessem as informações cadastrais e financeiras de sua conta vinculada relativas a valores do saque-aniversário.

A totalidade do saldo poderá ser dada em garantia, o que permite ao trabalhador conseguir o máximo de financiamento com base no saque-aniversário a que tem direito. Quanto às taxas de juros, será usado o teto do consignado no serviço público.

Essa modalidade de garantia (cessão ou alienação fiduciária em operações de crédito) foi autorizada pela Resolução 958, de 24 de abril de 2020, do Conselho Curador do FGTS. No dia 27 de maio deste ano, saiu no Diário Oficial da União a Circular nº 909 do Ministério da Economia, que torna pública a versão 1 do Manual de Orientação às Instituições Financeiras pertencentes ao Sistema Financeiro Nacional, produzido pela Caixa Econômica Federal, agente operador do FGTS.

Esse manual estabelece as regras e os procedimentos necessários para que as instituições possam contratar operações.

Saque-aniversário

O saque-aniversário permite a retirada de parte do saldo de qualquer conta ativa ou inativa do FGTS a cada ano, no mês de aniversário, em troca de não receber parte do que tem direito em caso de demissão sem justa causa.

O dinheiro poderá ser retirado até dois meses depois do mês de aniversário. O valor a ser liberado varia conforme o saldo de cada conta em nome do trabalhador. Além de um percentual, ele receberá um adicional fixo, conforme o total na conta. O valor a ser sacado varia de 50% do saldo sem parcela adicional, para contas de até R$ 500, a 5% do saldo e adicional de R$ 2,9 mil para contas com mais de R$ 20 mil.

Ao retirar uma parcela do FGTS a cada ano, o trabalhador deixará de receber o valor depositado pela empresa caso seja demitido sem justa causa. O pagamento da multa de 40% nessas situações está mantido. As demais possibilidades de saque do FGTS – como compra de imóveis, aposentadoria e doenças graves – não são afetadas pelo saque-aniversário.

O ministério lembra que uma das regras da nova operação aprovada pelo Conselho Curador do FGTS determina que o titular da conta vinculada que tiver optado pelo saque-aniversário pode solicitar o retorno à sistemática de saque-rescisão somente após encerrados todos os contratos de cessão e alienação fiduciária que eventualmente tiver contratado. Além disso, caso o trabalhador esteja com a modalidade de saque-aniversário vigente, mas tenha solicitado a alteração para a de saque-rescisão, o retorno a essa modalidade deverá ser cancelado pelo trabalhador previamente à contratação da operação de crédito.

Aplicativo

No AppFGTS e no site, o trabalhador poderá realizar os seguintes serviços: autorização de consulta ao valor do saque-aniversário disponível para alienação/cessão fiduciária; autorização para a instituição financeira consultar e solicitar bloqueio de parte do saldo da conta FGTS; acompanhar a evolução da operação de alienação ou cessão fiduciária contratada com a instituição financeira.

A autorização apresentada pelo trabalhador para consulta de saldo e solicitação de bloqueio terá vigência de acordo com sua opção de contratação.

CONTINUE LENDO

Cambuci anuncia investimento de R$ 43,7 milhões na Bahia

  • Natasha Bin
  • 04 Jul 2020
  • 09:57h

(Foto: Divulgação)

Maior multinacional de esportes do Brasil, a Cambuci S.A., detentora da Penalty, anuncia investimento de R$ 43,7 milhões em suas unidades fabris localizadas na Bahia. O valor será aplicado na modernização e ampliação da capacidade produtiva das fábricas de Itabuna e Itajuípe, no sul do estado. O maior volume será destinado à planta de Itabuna: R$ 31 milhões. Com o aporte, a unidade dedicada à fabricação de bolas irá produzir 725 mil itens a mais por ano.  Já a planta de Itajuípe, responsável pelas categorias de confecção e equipamentos da Penalty, irá receber um investimento de R$ 12,7 milhões, incrementando a produção em mais 5,5 milhões de peças por ano. Projetado para os próximos 15 anos, o montante investido é reflexo do acordo com o governo estadual da Bahia para prorrogação dos incentivos fiscais a partir de 2021. Com o investimento nas unidades fabris, a Cambuci será responsável por mais de 700 empregos na região. O anúncio vem em um período importante para a companhia. Em 2020, a Cambuci completa 75 anos de história e celebra 50 anos com a marca Penalty. "É o momento de olhar para o futuro e projetar onde queremos estar daqui para frente. Estamos projetando o aumento da produção e uma conquista ainda maior do mercado, sempre priorizando inovação, qualidade e o DNA brasileiro que nos consolida como a maior multinacional de esportes do Brasil", pontua Roberto Estefano, presidente do Conselho de Administração da Cambuci.

Retomada da Economia: venda de carros novos aumenta 93,5% em junho

  • 02 Jul 2020
  • 15:31h

No 1º semestre de 2020, retração ficou em 36,13%; Fenabrave considera resultados dentro do esperado no cenário da pandemia | Foto: Divulgação

Em consequência da retomada em alguns estados, as concessionárias venderam 194.354 veículos nov0s em junho. O resultado significa um aumento de 93,5% frente a maio (100.422 vendas). No semestre, o setor registrou queda de 36,13% no primeiro semestre, segundo dados  da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Foram comercializadas 1.225.663 unidades de janeiro a junho deste ano, ante 1.918.977 veículos vendidos no mesmo período do ano passado. O balanço da Fenabrave inclui automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas e implementos rodoviários. Para o presidente da entidade, Alarico Assumpção Jr, a queda já era esperada, considerando os efeitos da pandemia da Covid-19, que obrigou o fechamento do comércio e o isolamento social, durante longo período. “Quando avaliamos o mês de junho, na comparação com maio deste ano, já observamos uma expressiva melhora, explicada pelo retorno das atividades dos DETRAN´s, principalmente em São Paulo, que representou 32,1% das vendas nacionais, e da reabertura das concessionárias para vendas na capital paulista e em outras localidades”.

Vale a pena investir em imóveis em tempos de crise?

  • Rodolfo Milone
  • 01 Jul 2020
  • 10:39h

Com a queda de preços no mercado e novas condições de pagamentos, modalidade de investimento pode ser aproveitada ao longo do tempo | Foto: Divulgação

A recessão, a redução de lançamentos pelo mercado e a queda de produção da construção civil já incentivaram os investidores a comprar imóveis para garantir renda extra, haja visto que a aquisição de casas e apartamentos fica ainda mais difícil para quem não possui recursos. Ao longo da pandemia, com as medidas incrementadas para proporcionar mais adesão às compras, o período pode ser favorável para quem busca imóveis para comprar. Desde que o coronavírus chegou ao Brasil, há quase quatro meses, o cenário do setor imobiliário apresenta uma ligeira mudança. Em 2019, quase 10% dos registros de imóveis no Brasil correspondem a vendas de casas e apartamentos. No mesmo período, a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) mencionou que ocorreu uma alta de 37% nos financiamentos imobiliários que possuem recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). Agora, apesar do período, 56% do setor registrou transações – algumas delas iniciadas depois das medidas de restrição. Uma pesquisa da consultoria Brain Inteligência Estratégica revelou que 47% dos entrevistados ainda desejam adquirir um imóvel em 2020. Esta é a segunda edição do levantamento e, na primeira, realizada em março, a intenção de compra era de 55%. Entre os motivos para a apreensão em relação às aquisições estão algumas das incertezas quanto ao futuro e ao bom negócio realizado, como a duração da pandemia (46%), a manutenção de emprego ou renda (24%) e a perda de renda (20%). "Não há dúvida de que é mais complicado, mas há vida neste momento", resume Fábio Tadeu Araújo, sócio da Brain Inteligência Corporativa.

Investimento em imóveis

Mesmo neste cenário, a Caixa Econômica Federal tem anunciado uma série de medidas que visam aquecer o setor da construção civil, como a possibilidade de que pessoas físicas e jurídicas adiem parcelas de financiamentos por três meses e antecipem o recebimento de recursos.

Outra medida anunciada é que haverá um período de seis meses de carência para o início dos pagamentos de novos contratos de financiamento de imóveis. Com o conjunto de ações, a instituição financeira pretende injetar aproximadamente R$ 43 bilhões na economia para minimizar os impactos gerados pela doença. Desse modo, é possível adquirir casas e apartamentos com o objetivo de alugar ou vender posteriormente. Isso porque, além dessas medidas que possibilitam o financiamento, os preços tendem a estar mais baixos. 

Para procurar por valores mais acessíveis, o investidor pode procurar por eventos como leilões de casas e apartamentos. "Mesmo com imóveis de valores mais acessíveis, muitas pessoas buscavam uma negociação melhor, queriam economizar na compra para realizar outros investimentos, como o de melhoria no próprio bem. Agora, por conta da crise, podemos dizer que os proprietários estarão mais dispostos a isso, bem como os interessados em comprar também. Afinal, não sabem quando poderão encontrar bons preços novamente e a tendência é de alta com a retomada da economia nos próximos anos", ressalta Adonias Reis, corretor imobiliário, em entrevista ao portal Terra.

CONTINUE LENDO

Agências dos Correios passam a renegociar dívidas via Serasa

  • Redação
  • 30 Jun 2020
  • 07:38h

(Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

A partir desta segunda-feira (29), os devedores com o nome inscrito na Serasa poderão renegociar os débitos atrasados ou negativados em mais de 7 mil agências dos Correios espalhadas por todo o Brasil. Com descontos que podem chegar a 90%, os refinanciamentos podem ser feitos diretamente nos guichês de atendimento. Segundo a Serasa, a parceria com os Correios é importante para ajudar a parcela da população sem acesso à internet. O processo é rápido. Basta o consumidor ir à agência mais próxima com o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e algum documento oficial com foto e pedir o serviço Serasa Limpa Nome no balcão. A consulta e a impressão do boleto para o pagamento levarão de dois a cinco minutos. Esse é o terceiro serviço oferecido pela Serasa nas agências dos Correios. Atualmente, o cliente também pode verificar a situação do CPF por meio do serviço Meu Serasa e analisar o CPF, o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) e a pontuação na Serasa de terceiros por meio do serviço “Você Consulta”. A consulta aos dados de terceiros permite proteger o consumidor de fraudes e de prejuízos com quem se deseja fazer uma negociação. Relançado há quase dois anos, o Serasa Limpa Nome fechou mais de 9,7 milhões de acordos e concedeu mais de R$ 344 bilhões em descontos na plataforma. Além das agências dos Correios, o serviço de renegociação está disponível no site da Serasa e nos pontos de atendimento da empresa. Para usar os serviços da Serasa nos Correios, o consumidor precisa pagar taxas de administração. Cada dívida renegociada custa R$ 3,60. A impressão da segunda via de boletos custa R$ 2,60 por acordo. O serviço Meu Serasa, de autoconsulta, custa R$ 14. O serviço Você Consulta, para análise de dados de terceiros, cobra R$ 21,60.

Na contramão do mundo, Candeias gera 1.440 empregos durante pandemia

  • Redação
  • 28 Jun 2020
  • 07:47h

Fábrica de chapas de acrílico será reativada e a expectativa é que movimente aproximadamente R$ 10 milhões | Foto: Divulgação

Enquanto no mundo inteiro as cidades têm registrado aumento no número de desempregados, Candeias está indo na direção contrária, gerando 1.440 empregos durante a pandemia causada pelo novo coronavírus. Um dos grandes fatores responsáveis por isso é a reabertura de uma fábrica de chapas de acrílico. A Unigel havia sido fechada em 2015, devido à concorrência com a China. “Havia uma série de desvantagens mercadológicas, além da baixa demanda, que não permitiu a manutenção da nossa fábrica à época”, disse o diretor comercial da empresa, Wendel da Souza, em entrevista à revista Veja. No entanto, com a pandemia uma demanda inesperada pelo produto passou a surgir. De acordo com o diretor, a empresa já possui vendas até agosto, e a expectativa é de que a demanda permaneça “extremamente alta” até dezembro. A fábrica baiana produz chapas acrílicas que são usadas nas incubadoras de pacientes em hospitais, divisórias para empresas, bloqueios acrílicos em caixas de lojas, entre outros produtos semelhantes.

‘O Brasil vai surpreender o mundo’, diz Guedes sobre recuperação econômica

  • Redação
  • 26 Jun 2020
  • 08:12h

Declaração ocorreu em live realizada com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido)| Foto: Reprodução/Facebook

Ministro da Economia, Paulo Guedes definiu o povo brasileiro como “valente” e garantiu que o Brasil vai surpreender o mundo com o trabalho de recuperação econômica passada a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A declaração ocorreu em live realizada com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), na noite de quinta-feira (25).”O Brasil vai surpreender o mundo. É um povo valente. Vamos furar as duas ondas e sair do lado de lá”, disse. Para conseguir o feito, ele falou em investimentos, especialmente em gás natural, para tornar a energia barata e maior acessibilidade à cesta básica. “Precisamos justamente abrir novos horizontes de investimento. Então vem investimento em gás natural: o choque da energia barata. Isso vai chegar no botijão de gás daqui a pouco, que vai ficar barato. Vamos fazer depois a reforma tributária e reduzir os IPIs. Vamos também tornar a cesta básica mais acessível. Tudo isso mais acessível pra população. Comprar fogão e geladeira, se a gente tirar os IPIs, isso desaba, o preço desaba. Nós vamos retomar nossa agenda de reformas estruturantes”, afirmou. O ministro também indicou que estuda implantar um bônus a pequenos empresários que cumprirem com os pagamentos de empréstimos tomados durante a crise. “Para o sujeito pequenininho que foi lá, pegou empréstimo, trabalhou bem, conseguiu se recuperar e pagou o empréstimo, a gente dá o bônus de adimplência e perdoa o crédito. Estamos estudando isso”, declarou Guedes. 

Serasa Limpa Nome e Ativos promovem ação para ajudar consumidores a quitarem suas dívidas por 100 reais

  • Giovanna Luna
  • 16 Jun 2020
  • 10:14h

(Foto: Reprodução)

A Serasa está ampliando ainda mais as possibilidades para os consumidores com dívidas resolverem suas pendências e regularizar o nome em um momento difícil para a vida financeira. A partir de agora, quem tem dívidas entre R$ 200,00 e R$ 1.000,00, originadas pelo parceiro Ativos dentro do Serasa Limpa Nome, poderá quitá-las integralmente pelo valor de R$ 100,00. Segundo a empresa, a ação pode beneficiar mais de 1,5 milhão de consumidores que se encontram nesta situação, justamente a parcela da população que mais está com dificuldade até para receber auxílios. “O objetivo é ajudar ainda mais as pessoas endividadas, que estão sofrendo com desemprego ou redução de renda, o que dificulta conseguir crédito; mais uma oportunidade de retomar suas atividades e ter de volta serviços essenciais”, explica Lucas Lopes, diretor do Serasa Limpa Nome. Para ter acesso a mais esta opção para negociar dívidas, o consumidor precisa acessar o site do Serasa Limpa Nome – que desde abril tem uma nova marca e um novo endereço: www.serasa.com.br. O consumidor também encontra as mesmas condições no aplicativo do Serasa disponível para Android e iOS.

Pesquisa da SEI aponta que economia da BA se manteve estável no 1º trimestre de 2020 em relação a 2019

  • Redação
  • 07 Jun 2020
  • 10:42h

(Foto: Reprodução)

A economia da Bahia se manteve estável no primeiro trimestre de 2020, comparada ao mesmo período de 2019, segundo apontou levantamento da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), divulgado na sexta-feira (5). De acordo com o estudo, o Produto Interno Bruto (PIB) no estado fechou o primeiro trimestre com leve alta de 0,3%. O estudo revela que as medidas de isolamento social, adotadas a partir da segunda quinzena de março para conter os efeitos inicias da crise sanitária, ainda não apresentaram o real impacto na economia baiana. De acordo com a SEI, essa situação será sentida, principalmente, no segundo e terceiro trimestres de 2020. Puxando o índice para cima, a agropecuária baiana cresceu 3,9% nos meses de janeiro, fevereiro e março, devido ao desempenho de algumas culturas relevantes nesses três primeiros meses do ano. O setor Industrial baiano também obteve taxa de crescimento positiva de 4,5%. Já o setor de serviços registrou retração de 1,8% e foi responsável por manter o índice de crescimento da economia em 0,3%, já que o setor representa quase 69% do PIB do estado. Também houve retração na construção civil (-1,9%) e nas atividades de eletricidade e água (-2,8%), principalmente pela redução no consumo de energia da classe industrial e comercial. No 1º trimestre de 2020, o PIB baiano totalizou R$ 73,9 bilhões, sendo R$ 65,6 bilhões referentes ao Valor Adicionado (VA) a preços básicos – o que representa 88% do PIB - e R$ 8,3 bilhões aos Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios.

Com reajuste de 5% da Petrobras, gás de cozinha fica mais caro a partir de hoje (04)

  • Redação
  • 04 Jun 2020
  • 08:26h

(Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

O preço médio do gás liquefeito de petróleo (GLP) vendido pela companhia às distribuidoras foi reajustado em 5% pela Petrobras e fica mais caro a partir desta quinta-feira (4). Com isso, o preço médio da Petrobras será equivalente a R$ 24,08 por botijão de 13 quilos (kg). No acumulado do ano, a redução é de 13,4%, ou R$ 3,72 por botijão de gás de cozinha de 13 kg. Um reajuste já havia sido aplicado em maio.

Em meio à pandemia, Azaleia irá demitir 600 funcionários da indústria em Itapetinga

  • BN
  • 28 Mai 2020
  • 09:07h

(Foto: Reprodução)

O sindicato dos calçadistas revelou que a Vulcabras/Azaleia vai demitir, a partir desta quinta-feira (28), cerca de 600 funcionário de sua unidade localizada na cidade de Itapetinga. Segundo o advogado do Sindiverdade, as demissões atingirão todos os colaboradores que residem em outras cidades da região, como Itororó, Macarani, Itambé, Caatiba e Maiquinique. Outras cidades devem ser afetadas, de acordo com o site Sudoeste Hoje. A empresa deve anunciar oficialmente a demissão nesta quinta-feira (28), após uma assembleia que vai ocorrer na fábrica.

‘Tem que vender essa porra logo’, diz Guedes sobre o Banco do Brasil

  • Redação
  • 23 Mai 2020
  • 17:13h

Em seu discurso, Guedes afirma que a instituição é um "caso pronto de privatização" | Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

O ministro da economia Paulo Guedes, fez duras críticas ao Banco do Brasil na reunião ministerial do dia 22 de abril, que teve o vídeo divulgado na última sexta-feira (22) após a quebra de sigilo da gravação determinada pelo ministro Celso de Mello, do STF. Na gravação, Guedes afirma que a instituição é um “caso pronto de privatização”, e o governo “tem que vender essa porra logo”. “O Banco do Brasil não é tatu nem cobra. O Banco do Brasil não é tatu nem cobra. Porque ele não é privado, nem público. Então se for apertar o Rubem, coitado. Ele é super liberal, mas se apertar ele e falar ‘bota o juro baixo’, ele: ‘Não posso, senão a turma, os privados, meus minoritários, me apertam.’ Aí, se falar assim ‘bota o juro alto’, ele: ‘Não posso, porque senão o governo me aperta’. O Banco do Brasil é um caso pronto de privatização”, disse o ministro. Em seu discurso, Guedes ainda afirmou que o Governo pode fazer o que bem entender, tanto com a Caixa e o BNDES. “O senhor já notou que o BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social] e a Caixa, que são nossos, públicos, a gente faz o que a gente quer. Banco do Brasil, a gente não consegue fazer nada e tem um liberal lá. Então, tem que vender essa porra logo”, disse Guedes. O Banco do Brasil é uma empresa de economia mista, no qual o governo é sócio majoritário, mas há participação de pessoas físicas e jurídicas. Em resposta ao ministro da economia, Jair Bolsonaro chega a pedir que o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, seja “dispensado” da próxima reunião.

INSS começa a pagar segunda parcela do 13º a aposentados e pensionistas

  • Redação
  • 21 Mai 2020
  • 17:16h

O depósito da segunda parte desse abono anual será realizado no período de 25 de maio a 5 de junho, conforme tabela de pagamento | Foto: Brumado Urgente Conteúdo

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começa, na próxima segunda-feira (25), a pagar o 13º de aposentados e pensionistas. O depósito da segunda parte desse abono anual será realizado no período de 25 de maio a 5 de junho, conforme a tabela de pagamento de 2020. A antecipação do 13º é uma das medidas anunciadas pelo governo federal para o enfrentamento da pandemia da covid-19. Para aqueles que recebem um salário mínimo, o depósito da antecipação será feito entre os dias 25 de maio e 5 de junho, de acordo com o número final do benefício, sem levar em conta o dígito verificador. Segurados com renda mensal acima do piso nacional terão seus pagamentos creditados entre os dias 1º e 5 de junho. Segundo o Ministério da Economia, em todo o país, 35,8 milhões de pessoas receberão seus benefícios de maio. O INSS injetará na economia um total de R$ 71,5 bilhões. Desse total de pagamento referente a maio, 30,8 milhões de beneficiários receberão a segunda parcela do 13º, o equivalente a R$ 23,8 bilhões. Por lei, tem direito ao 13º quem, durante o ano, recebeu benefício previdenciário de aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente ou auxílio-reclusão. Na hipótese de cessação programada do benefício, prevista antes de 31 de dezembro de 2020, será pago o valor proporcional do abono anual ao beneficiário. Nesta parcela, vale lembrar, é feito o desconto do Imposto de Renda (IR). Aqueles que recebem benefícios assistenciais – Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social (BPC/LOAS) e Renda Mensal Vitalícia (RMV) – não têm direito ao abono anual.

Eures prevê momentos difíceis para as finanças municipais. É o efeito Covid

  • Levi Vasconcelos
  • 21 Mai 2020
  • 11:39h

"Auxílio emergencial vai amenizar nossa situação, mas temos o dever de esclarecer à população que o valor está bem abaixo do que estamos perdendo"| Foto: UPB

Diz-se no mundo empresarial que muita gente que vai sobreviver ao corona vai preferir ter morrido. No político, se diz que muitos dos que vão vencer as eleições de outubro lamentarão pela vitória.

O vilão nas duas vertentes é único: o coronavírus. O imenso baque que ele deu na economia mundial, num efeito cascata, vai desaguar nas finanças municipais.

No primeiro quadrimestre, tudo normal. O prejuízo começa agora. Do início da pandemia, em março, até dezembro, são 10 meses. A ajuda que o governo federal vai mandar agora equivale a quatro. Mas vai ser o montante de quatro dividido por 10.

Perdas

Os 417 municípios baianos vão receber R$ 1,342 bilhão dos R$ 23 bilhões que irão para as prefeituras do país. Eures Ribeiro (PSD) – foto, prefeito de Bom Jesus da Lapa e presidente da UPB, diz que o valor repõe apenas 30% da queda de arrecadação.

Ou seja, 70% da perda de arrecadação ainda ficarão na conta dos municípios.

— Temos que reconhecer. O auxílio emergencial vai amenizar nossa situação crítica, mas temos o dever de esclarecer à população que o valor está bem abaixo do que estamos perdendo de arrecadação.

Eures diz que já em abril a receita do ICMS, uma das principais dos municípios, teve redução média de 31,22% se comparado a abril de 2019. Em alguns municípios baianos, esse percentual chegou a 50%.

É esse cenário que paira sobre o ano eleitoral de 2020.