BUSCA PELA CATEGORIA "Curiosidades"

Estudo contesta teoria de que beber de forma moderada pode trazer benefícios à saúde

  • 08 Abr 2019
  • 10:06h

(Foto: Reprodução)

Você já ouviu falar que beber uma taça de vinho por dia pode fazer bem à saúde?Um estudo publicado na revista científica The Lancet contesta essa e outras teorias que afirmam que beber com moderação pode proteger o corpo de algumas doenças.A pesquisa, conduzida por especialistas do Reino Unido e da China que acompanharam 500 mil adultos chineses durante 10 anos, destaca que mesmo a ingestão moderada de álcool pode aumentar a pressão arterial e o risco de acidente vascular cerebral, o popular derrame.A doença é a que mais mata no Brasil e a que mais causa incapacidade no mundo. Segundo os cientistas, as conclusões são a evidência mais segura até então sobre os efeitos diretos do álcool no organismo e valem para qualquer sociedade no planeta. Mas pesquisadores com quem a BBC conversou e que não participaram do estudo fizeram ressalvas. Já é sabido que o consumo excessivo de bebidas alcoólicas é nocivo à saúde e eleva o risco de derrame. Alguns estudos, entretanto, afirmam que a ingestão de pequenas quantidades podem fazer bem ao organismo, enquanto outros defendem que não há nível seguro para o consumo de álcool.

Aumento do risco de AVC

Os pesquisadores, ligados à Universidade de Oxford, à Universidade de Pequim e à Academia de Ciências Médicas da China, verificaram que uma ou duas doses por dia aumentariam o risco de derrame entre 10% e 15%, percentual que saltaria para cerca de 35% com o consumo de quatro doses por dia. Uma dose é definida como uma taça de vinho ou uma garrafa de cerveja ou uma medida padrão de destilado. A OMS (Organização Mundial de Saúde) estima que 2,3 bilhões de pessoas no mundo consumam bebidas alcoólicas, com uma média de 33g por dia, o que aquivale a aproximadamente duas taças de 150 ml de vinho, uma garrafa de cerveja de 750 ml ou duas doses de 40 ml de destilado. O estudo não encontrou nenhum indício de que a ingestão de bebidas, ainda que de forma reduzida, tivesse efeito "protetor". "As alegações de que o vinho e a cerveja têm efeitos protetores mágicos não se sustentam", diz Richard Peto, coautor do estudo e professor de estatísticas médicas e epidemiologia na Universidade de Oxford. Sobre a relação entre o risco de ataque cardíaco e o consumo de álcool, os pesquisadores afirmaram que os dados eram inconclusivos e que seria necessária uma análise mais aprofundada.

7 de abril - Dia do Jornalista: Pelo reconhecimento e valorização dos que buscam a verdade com esforço e paixão

  • Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ
  • 07 Abr 2019
  • 23:50h

Ser jornalista é buscar entender a realidade para possibilitar que outros a entendam; é verificar os fatos para que opiniões pessoais não prevaleçam; é ouvir os que têm e os que não têm voz e levar para a esfera pública a diversidade de opiniões; é lutar para que os interesses pessoais não se sobreponham aos públicos; é honrar a profissão que se confunde com missão de servir à humanidade.

Neste 7 de abril, Dia Nacional do Jornalista, a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) saúda e homenageia a categoria. À sociedade, pede o reconhecimento e a valorização dos/das profissionais que têm o compromisso ético de buscar a verdade e de reportá-la.

Neste momento de crise geral, em que a desinformação provoca retrocessos históricos no Brasil e em vários outros países, é preciso que as sociedades democráticas valorizem o Jornalismo como atividade essencial à democracia, e reconheçam o/a jornalista como profissionais indispensáveis ao fazer jornalístico.

Desinformação se combate com mais informação. Mas no Brasil, infelizmente, a categoria dos jornalistas tem sido vítima de demissões em massa, arrocho salarial, precarização das relações de trabalho e cerceamento à sua autonomia profissional, ocorridas nos próprios locais de trabalho.

Além das questões específicas, como trabalhadores/as, os/as jornalistas também estão sofrendo as consequências da contrarreforma trabalhista, aprovada no governo Temer, que retirou direitos trabalhistas, contribuindo ainda mais para a precarização das relações de trabalho e achatamento salarial.

E enfrentam outra grande ameaça: a proposta de reforma da Previdência que, na prática, tem como objetivo acabar com a seguridade social, incluída a Previdência Pública.

Como se não bastassem os ataques aos direitos conquistados historicamente pelos/as trabalhadores/as brasileiros/as, os/as jornalistas também são vítimas diretas dos recorrentes atentados às liberdades de expressão e de imprensa. É preciso reafirmar que sem essas liberdades e sem democracia nas comunicações, não há democracia real.

A FENAJ celebra o Dia do Jornalista, mas também chama cada profissional a cumprir o seu papel, honrando o compromisso da categoria que é com a busca da verdade e a produção de informação ética e plural.

A FENAJ também chama os/as jornalistas a se somarem ao conjunto da classe trabalhadora brasileira para resistir aos ataques aos direitos trabalhistas e sociais. Sem ações de resistência, sem esperança e sem luta não há conquistas possíveis.

Pulseira permite que pais com deficiência auditiva se comuniquem com seus bebês

  • 01 Abr 2019
  • 18:05h

(Foto: Divulgação)

Quatro estudantes de design de produtos criaram uma pulseira para pais deficientes auditivos se comunicarem com seus bebês. Eles são do Instituto Mauá de Tecnologia, em São Bernardo Campo, no ABC Paulista. Para desenvolver o projeto, tiveram ajuda da equipe de engenharia. "A partir da ideia, eles vieram até nós da engenharia e falaram o que precisavam", conta Fernando de Almeida Martins, professor de eletrônica. O sistema funciona com duas pulseiras. Uma fica com o bebê e outra com os pais. O bebê chora e o sinal é enviado automaticamente para pulseira dos pais e ela vibra. “O sinal funciona por wi-fi, a conexão da pulseira é por Bluetooth e tem também um sistema por rádio (GPRS)”, explica o estudante Luiz Henrique Ferreira. O equipamento foi desenvolvido como trabalho de conclusão de curso dos quatro estudantes. Agora formados, eles querem lançar o produto no mercado em até dois anos. “Por enquanto é protótipo. Estamos atrás de investidor para alavancar o projeto, para trazer felicidade pra quem está precisando”, declara Mateus Cherem, estudante.

Moto voadora começa a ser vendida por US$ 380 mil

  • Auto Esporte
  • 26 Mar 2019
  • 19:24h

Foto: Reprodução/Youtube

A empresa americana Jetpack Aviation anunciou a produção da primeira moto voadora para a venda. Chamado de Speeder, o modelo pode ser encomendado pela internet ao preço de US$ 380 mil - valor equivalente a R$ 1,5 milhão. Alguns fabricantes estão trabalhando no desenvolvimento de motos voadoras, baseadas em drones, pelo mundo. Em Dubai, por exemplo, a polícia local participou de testes com um modelo similar feito por russos. Ao contrário dos carros voadores, essas motos não possuem pneus e rodas, ou seja, só são feitas para voar e não rodar em estradas. Veículos de 4 rodas e capazes de voar também já estão à venda no mundo, eles são apontados por autoridades como possível solução para problemas de transporte. O modelo ainda está em fase de desenvolvimento e para fazer a reserva o interessado precisa desembolsar US$ 10 mil e, futuramente, pagar o restante da quantia. Ainda não há um prazo definido para a entrega das primeiras unidades. De acordo com a fabricante, apenas 20 unidades serão produzidas para a venda ao público comum. Conhecida por fabricar o equipamento que leva o mesmo nome da empresa, um tipo de mochila com turbinas que faz uma pessoa voar, a Jetpack tem como objetivo fornecer a moto voadora para governos e implementos militares no futuro. Apesar de as primeiras unidades terem destino recreativo, a empresa espera que a moto voadora possa ser utilizada em resgates em áreas remotas no futuro. Movida por 4 turbinas, a diesel ou querosene, a moto voadora pode ultrapassar os 240 km/h e chegar à altura de 4.500 metros. Sua autonomia varia de 10 a 22 minutos. No entanto, a Jetpack ressalta que, como o veículo ainda está em desenvolvimento, o desempenho ainda pode ter alterações. Nos Estados Unidos, os futuros donos terão que passar por treinamento e ter uma licença para voar. Ainda haverá uma versão da moto com velocidade reduzida que não precisará da habilitação, apenas treinamento.

Superlua 'Minhoca! promete atrair a atenção de todo o mundo na próxima quinta-feira (21)

  • Brumado Urgente
  • 19 Mar 2019
  • 19:45h

Em Brumado a SuperLua 'Minhoca' promete atrair atenção dos amantes dos mistérios da noite, ja que o satélite estará 30% mais brilhante e 14% maior, | Foto: Daniel Simurro | Brumado Urgente)

Na quinta-feira (21), a "Superlua de minhoca" surgirá, sendo a terceira e última Superlua que apreciaremos neste ano, justamente na madrugada de 21 de março no Hemisfério Sul. O nome peculiar se deve ao fato de que no Hemisfério Norte do planeta o inverno chega ao fim, o solo começa a descongelar, e dele começam a surgir minhocas. Índios norte-americanos batizaram a Superlua assim para se nortear quanto à mudança do inverno para a primavera. A NASA garantiu que, quando acontece isso, a Lua pode influenciar os mares e causar problemas em algumas zonas costeiras, especialmente trazendo ondas grandes e tempestades, devido à baixa pressão atmosférica sobre a área afetada. No Hemisfério Sul, será a primeira Lua do outono ou a "Superlua de ceifa", por ser a estação da colheita. Em janeiro, a Superlua Sangue gerou um grande impacto, já que o eclipse lunar total pôde ser observado de vários locais do planeta. Em Brumado, os amantes dos mistérios noturnos já se preparam com seus binólucos, lunetas e telescópios para observar esta última superlua de 2019. 

Beijo 'roubado' é crime? Entenda a lei de importunação sexual

  • 04 Mar 2019
  • 12:46h

Foto: reprodução / Freepik

lei de importunação sexual entrou em vigor em setembro de 2018, após ser aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, que exercia a Presidência da República de forma interina.Este é o primeiro carnaval com a lei em vigor. Algumas cidades já registraram prisões em razão da nova legislação durante o feriado, como em Querência (MT) e Salvador (BA).

O que diz a lei?

A lei caracteriza como crime de importunação sexual a realização de ato libidinoso na presença de alguém e sem seu consentimento, como toques inapropriados ou beijos "roubados", por exemplo. A importunação sexual difere do assédio sexual, que se baseia em uma relação de hierarquia e subordinação entre a vítima e o agressor.

O que é importunação sexual?

Alguns dos casos mais comuns são de casos de abuso sofridos por mulheres em meios de transporte coletivo, como ônibus e metrô. A proposta de lei ganhou força – e foi aprovada – após repercutirem na mídia casos de homens que se masturbaram e ejacularam em mulheres em ônibus. Um dos episódios de maior repercussão ocorreu em São Paulo.

Qual é a pena?

Antes da aprovação da lei, casos como esses eram considerados contravenções penais, com pena de multa. Agora, quem pratica casos enquadrados como importunação sexual poderá pegar de 1 a 5 anos de prisão.

22 de fevereiro: Dia Internacional do Maçom

  • 22 Fev 2019
  • 10:59h

Nos dias 20, 21 e 22 de fevereiro de 1994, realizou-se em Washington D.C., nos Estados Unidos da América, a Reunião Anual dos Grãos Mestres das Grandes Lojas da América do Norte (Estados Unidos, Canadá e México). Ao encerramento dos trabalhos, o Grão Mestre da Grande Loja Regular de Portugal, Ir:. Fernando Paes Coelho Teixeira, apresentou uma sugestão encampada pelos Grãos Mestres de todas as Grandes Lojas dos Estados Unidos e mais as do México e Canadá, no sentido de fixar o dia 22 de fevereiro como o DIA INTERNACIONAL DO MAÇOM, a ser comemorado por todas as Obediências Regulares Reconhecidas, o que foi totalmente aprovado.

E por quê 22 de fevereiro?

Porque foi no dia 22 de fevereiro de 1732, em Bridges Creek/VIRGÍNIA – Estados Unidos da América, que nasceu George Washinton (o principal artífice da independência dos Estados Unidos da América). George Washinton foi iniciado a 4/11/1752, na “Loja Maçônica Fredericksburg nº004”, de Fredericksburg/VIRGÍNIA, chegando ao grau de Companheiro Maçom em 1753, e Mestre Maçom em 4/08/1754.

Emponderadas: 50% das mulheres possuem um “homem reserva” como “plano B”, diz estudo estatístico

  • Merelyn Cerqueira
  • 19 Fev 2019
  • 14:59h

(Foto: Ilustrativa)

Um estudo realizado na Inglaterra pela empresa de pesquisa de mercado online, One Poll, descobriu que 50% das mulheres comprometidas mantêm um “homem de reserva”, como uma forma de “plano B”, caso a relação não dê certo. Entre os candidatos prováveis estavam velhos amigos, ex-namorados/maridos, colegas de trabalho ou parceiros de academia. Segundo informações do jornal britânico Daily Mail, a pesquisa contou com a participação de 1.000 mulheres. 50% das mulheres que participaram admitiram ter um “plano B”, cerca de 10% disseram que já juraram amor eterno aos “reservas”, enquanto 20% disseram que largariam tudo (marido, namorado) no momento que eles chamassem. Verificou-se ainda que as mulheres casadas são mais propensas a ter um reserva do que as que estão apenas namorando. Inacreditavelmente, 12% chegaram a admitir que seus sentimentos eram mais fortes para o “Plano B” do que o atual “plano A”, e 7 entre 10 admitiram que atualmente estão em contato com o reserva – diariamente. Mais curioso do que isso só o fato de que 1 em cada 4 mulheres admitiu que o parceiro atual conhece o reserva, enquanto 1 em cada 5 afirmou, surpreendentemente, que o reserva era amigo do companheiro. A boa notícia para os homens, no entanto, é que 1 em cada 3 disseram “duvidar” que algo realmente sério acontecesse para ficarem com o reserva. Enquanto cerca da metade tinha uma abordagem que usava o ditado “nunca diga nunca”, mas 1 em cada 6 disseram “considerar seriamente a possibilidade de troca”. Segundo um porta-voz da OnePoll, uma pesquisa estabelecer que 50% das mulheres nos relacionamentos têm um “Plano B” é um sinal preocupante. “Esta notícia pode fazer com que alguns homens em relacionamentos pensem duas vezes antes de ter preguiça em levar o lixo para fora de casa ou optar por passar ficar no bar ao invés de passar uma noite agradável com sua parceira”, alertou e aconselhou Kevin Smith.

Maior superlua de 2019: entenda o fenômeno astronômico que ocorre nesta terça (19)

  • 19 Fev 2019
  • 11:18h

(Foto: Reprodução)

Nesta terça-feira, a Lua aparecerá no céu maior e mais iluminada do que o de costume. Este fenômeno é chamado de "superlua" e ocorre quando a Lua está cheia e no perigeu, o ponto mais próximo da Terra. O satélite atingirá essa posição às 6h07 no horário de Brasília, mas a Lua só estará completamente cheia a partir das 12h53. No entanto, só será possível avistar realmente a Lua no Brasil com o pôr do sol, às 19h02. Este período do "nascer da lua" será o melhor do dia para observar a superlua por causa de uma ilusão de ótica. Neste momento, o satélite parece estar maior por ficar perto do horizonte. Nosso cérebro o percebe desta forma porque há objetos próximos, como edifícios e árvores, com os quais é possível comparar seu tamanho.

Esta será a segunda vez que o fenômeno ocorre neste ano, sendo a maior delas - a primeira ocorreu em 21 de janeiro. E não será a última.

No mês passado, o evento foi chamado de "superlua de sangue", por conta do tom avermelhado que a Lua adquiriu com a ocorrência simultânea de um eclipse total enquanto o satélite estava no ponto mais próximo da Terra. É um fenômeno muito mais raro do que uma superlua "comum".

A próxima e última superlua de 2019 está prevista para 21 de março.

O que é uma superlua?

"Superlua" não é um termo oficial da astronomia, que se refere a este fenômeno como "lua cheia perigeana".

O nome "superlua" foi criado em 1979 pelo astrólogo americano Richard Noole para designar "uma Lua nova ou cheia que ocorre quando a Lua chega ou está próxima (pelo menos 90%) de sua maior proximidade da Terra".

No entanto, o termo se popularizou como uma referência a quando a Lua está cheia nesta posição.

Conforme explica a Nasa, isso ocorre porque o satélite orbita a Terra em uma trajetória elíptica a cada 27,3 dias. Assim, ela se aproxima e se afasta do nosso planeta conforme percorre esse caminho.

O ponto mais longe de nós nesta elipse - a 405.500 quilômetros da Terra em média - é chamado de apogeu. Em contrapartida, ela atinge o perigeu quando chega a 363.300 quilômetros de distância em média.

Mas é importante notar que órbita da Lua muda com o tempo, afirma a Nasa, por conta de influência gravitacional do Sol e de outros planetas. Com isso, mudam também seu apogeu e perigeu. No caso desta superlua, seu perigeu será a 356.760 quilômetros de distância.

Quando uma Lua está cheia e no perigeu, ela aparece 7% maior, por sua proximidade da Terra, e 15% mais brilhante - porque reflete mais luz do Sol para a Terra - do que uma lua cheia normal. E pode ficar até 14% maior e 30% mais brilhante do uma "microlua", como é chamada uma lua cheia no apogeu.

No entanto, a diferença de tamanho e iluminação na superfície da Terra será "imperceptível a olho nu", segundo a Nasa.

Um efeito mais simples de ser notado será aquele sobre as marés, diz a agência americana, que serão intensificadas pela maior força gravitacional que a Lua exercerá sobre os oceanos.

CONTINUE LENDO

‘Está virando moda’: Polícia acaba com festa denominada ‘Rodízio Open Xeca’

  • Brumado Urgente
  • 07 Fev 2019
  • 16:30h

(Foto: Divulgação)

A permissividade sexual está cada vez mais sendo difundida e defendida na sociedade atual, o que está causando conflitos ideológicos e religiosos, já que a abertura ultrapassou os limites do bom senso, segundo os críticos. Com o advento e o boom das redes sociais, o “sexo livre”, como alguns denominam, ficou ainda mais fácil, inclusive com a realização de eventos explorando ao máximo a prostituição, onde promoters vêm realizando pelo país vários eventos nesse sentido. Nesta quarta-feira (06), um episódio ocorrido no município de Águas Lindas, em Goiás, bem próximo da capital federal, chamou a atenção nesse sentido, já que uma batida policial fechou um evento realizado na Casa de Show Rancho do Patrão, o qual foi denominado de “Rodízio Open Xeca”, o qual se consistia da presença de homens que podiam fazer sexo livremente com garotas de programa contratadas mediante pagamento de cachê de R$ 300. O material publicitário, inevitavelmente, acabou viralizando e chegou até o conhecimento do setor de investigação da Polícia, que, não pensou duas vezes em colocar o fim no que é classificado como crime de exploração sexual. Então, diante disso, o Centro Integrado de Operações em Segurança (Ciops) de Águas Lindas interditou a “festa”. O proprietário do local, em depoimento, confirmou que o local funcionava como casa de prostituição e que havia contratado garotas de programa para participarem do evento. Ele foi autuado por rufianismo, crime que tipifica a exploração sexual. Duas mulheres também foram conduzidas à unidade para serem ouvidas. Elas contaram que foram contratadas com a promessa de receberem R$ 400 para fazer parte do grupo que faria sexo com os convidados da festa. Após prestarem depoimento, foram liberadas.

Veja a lista de feriados prolongados em 2019

  • 06 Jan 2019
  • 13:17h

O calendário de 2019 terá 9 feriados nacionais e 7 pontos facultativos, sem contar os feriados estaduais e municipais como o do Dia da Consciência Negra e aniversários das cidades.Considerando apenas os feriados nacionais, 3 caem em sábados e 1 em domingo. Outros 2 cairão em sextas-feiras, e nenhum em uma segunda-feira. Apenas o feriado de 1º de janeiro caiu em uma terça-feira. Não há nenhum outro que cairá em uma terça ou quinta, criando os chamados feriados emendados. Outros dois feriados vão cair na quarta-feira (quando a possibilidade de emendar é menor). Mas, considerando os feriados e pontos facultativos, 4 datas cairão em segundas ou sextas. Há ainda 5 datas que caem em terças ou quintas-feiras. Outras 3 cairão em quartas-feiras. Com isso, feriados prolongados este ano previstos no calendário são só 3: 30 de dezembro a 1º de janeiro (confraternização universal), 19 a 21 de abril (Paixão de Cristo) e 15 a 17 de novembro (Proclamação da República). Quem pode gozar do ponto facultativo tem dois a mais: 2 a 6 de março (Carnaval), e 20 a 23 de junho (Corpus Christi). Lista dos feriados nacionais de 2019:

30 de dezembro a 1º de janeiro (sábado a terça): Confraternização Universal é dia 1º

19 a 21 de abril (sexta a domingo): Paixão de Cristo é dia 19; Tiradentes é dia 21

1º de maio (quarta): Dia Mundial do Trabalho

7 de setembro (sábado): Independência do Brasil

12 de outubro (sábado): Nossa Senhora Aparecida

2 de novembro (sábado): Finados

15, 16 e 17 de novembro (sexta a domingo): Proclamação da República é dia 15

25 de dezembro (quarta): Natal

Ponto facultativo

Confira as datas de 2019 em que o ponto será facultativo nas repartições federais:

2 a 6 de março (sábado a quarta): Carnaval é ponto facultativo o dia inteiro na segunda e na terça-feira, e até as 14h na quarta-feira

20 a 23 de junho (quinta a domingo): Corpus Christi é dia 20

28 de outubro (domingo): Dia do Servidor Público

31 de dezembro (terça): véspera de ano novo

Qual é a origem dos rituais de Ano Novo no Brasil?

  • 31 Dez 2018
  • 17:06h

O costume de celebrar a chegada de um novo ciclo no calendário não é nada novo. Existe há mais de 4 mil anos. Mas, naquela época, em vez de um "ano" novo, a passagem do tempo era contada pelas estações do ano.O primeiro povo a celebrar a festa de passagem teria sido o da Mesopotâmia, área que corresponde hoje aos territórios de IraqueKuwaitSíria e Turquia. Por dependerem da agricultura para sobreviver, eles celebravam o fim do inverno e início da primavera, época em que se iniciava uma nova safra de plantação. Com isso, a festa de passagem dos mesopotâmicos não se dava na noite do dia 31 de dezembro para 1º de janeiro, mas sim do dia 22 para o 23 de março, data do início da primavera no Hemisfério Norte. Foi somente com a introdução de um novo calendário no Ocidente, em 1582 - o calendário gregoriano, adotado pelo papa Gregório 13 no lugar do calendário juliano - que o primeiro dia do novo ano passou a ser 1º de janeiro. Assim como acontece nas comemorações de Ano Novo atualmente, as celebrações de passagem também representavam esperança. Se hoje alguns rituais têm por objetivo atrair prosperidade e dinheiro - como usar a cor amarela na festa de réveillon ou comer lentilhas - os cultos de 4 mil anos atrás pediam alimento e fartura. Já o termo réveillon, usado em várias partes do mundo para descrever a festa de véspera de Ano Novo, é mais recente: surgiu no século 17, na França, e representava festas da nobreza que duravam a noite toda. O réveillon não tinha data para acontecer, mas com o declínio da nobreza francesa a palavra foi sendo adaptada para a festa de véspera de Ano Novo - a palavra réveillon deriva do verbo "acordar" em francês.No século 19, essas festas foram adotadas pela nobreza de outros lugares do mundo que eram influenciados pela cultura francesa. A nobreza do Brasil foi uma das que adotou o réveillon, mas o sincretismo religioso característico do passado histórico do país fez com que as comemorações aqui adicionassem novos personagens, costumes e comidas às festas de Ano Novo.

Cinco dicas para deixar seu animal seguro na festa de Réveillon

  • iBahia
  • 30 Dez 2018
  • 19:05h

O Réveillon pode não ser tão divertido para os animais. Dos convidados aos fogos de artifício, tudo pode oferecer risco aos pets. O veterinário Gustavo Xavier alerta os donos para cuidarem de seus bichos durante as confraternizações, levando em consideração todos os cuidados especiais de que precisam: Cada animal é único e, por isso, não existem ações totalmente efetivas. No entanto, recomendamos algumas técnicas que ajudam bastante. Mas esses procedimentos só funcionam se forem aplicadas na presença dos tutores, que é como chamamos os donos de pets — alerta o especialista. Para que a comemoração da chegada do novo ano não ofereça riscos aos animais de estimação, o veterinário pontua cinco situações de perigo e a maneira certa de evitá-las:

1. Fogos de artifício

Cães e gatos lidam de forma diferente com a situação. Enquanto os cachorros buscam esconderijo, os felinos tentam fugir. Para protegê-los do barulho dos fogos, indicamos criar um ambiente agradável e seguro, independentemente do porte do animal. Enrole-o num lençol, coloque pedacinhos de algodão nos ouvidos do bichinho e ponha música ambiente um pouco mais alta do que o normal. Gatos também podem ficar mais tranquilos com um difusor de odor felino, que pode ser encontrado em pet shop.

2. Medicamentos

A agitação dos eventos pode prejudicar os animais, mas dar a eles tranquilizantes para humanos não vai fazer o efeito desejado. Se o tutor achar que o pet precisa ser medicado, deve consultar um veterinário de confiança. E, ainda assim, mesmo após a procura por um especialista, existem pessoas que fazem uso indevido da receita e dão remédios quando acham necessário, ou pegam referências com algum amigo que tem animal, desconsiderando que cada bicho é único.

3. Ceia

Após as festas de fim de ano, as clínicas recebem mais animais com intoxicação alimentar do que com problemas causados pelos fogos. O ideal é não dar comida de humanos para os bichos, ainda que façam uma carinha capaz de convencer qualquer tutor. Como sabemos que isso é quase impossível de acontecer, é necessário apenas ficar atento a alguns alimentos específicos. Jamais dar chocolate ou frutas cítricas, e prestar atenção para que não comam caroços.

4. Presentes

Nessa época, crianças costumam ganhar brinquedos que vêm presos às caixas com arame. É importante verificar se as peças não ficaram pelo chão para que os animais não as comam, porque só podem ser removidas com endoscopia ou, em casos mais graves, com procedimentos cirúrgicos.

5. Piscina

A melhor alternativa doméstica para o calor pode ser perigosa para alguns cães que não estejam acostumados. O ideal é ter uma escada por onde o animal possa fugir para evitar afogamentos. Assim que o pet sair da água, é necessário secar o pelo com secador, e não deixar ao sol.

Google divulga lista com as 10 músicas mais pesquisadas de 2018; veja

  • iBahia
  • 13 Dez 2018
  • 20:03h

Chega o fim do ano e as tradicionais listas de "mais buscados" começam a ser divulgadas para o público, e com o google não seria diferente. A plataforma de buscas revelou sua lista com as 10 letras de músicas mais pesquisadas no ano de 2018 pelos brasileiros. Todas as canções do ranking fizeram grande sucesso neste ano. "Era Uma Vez" de Kell Smith que ocupa o primeiro lugar se tornou o maior sucesso da cantora com quase 200 milhões de visualizações em seu clipe. Já "Bohemian Rhapsody" do Queen que é originalmente de 1975, voltou a ser bastante procurada graças ao filme de mesmo nome que conta a história de Freddie Mercury e sua banda de rock. 

Confira a lista completa:
 

10) Ousado Amor - Isaías Saad

9) Mulherão da Porra - Munhoz e Mariano feat. Jerry Smith

8) Notificação Preferida - Zé Neto e Cristiano

7) Mostra Tua Força, Brasil (Jingle)

6) Bohemian Rhapsody - Queen

5) O Sol - Vitor Kley

4) Vai Malandra - Anitta, Mc Zaac, Maejor ft. Tropkillaz & DJ Yuri Martin

3) Dona Maria - Thiago Brava ft. Jorge

2) Que Tiro Foi Esse - Jojo Toddynho

1) Era uma Vez - Kell Smith

Estudo indica que 23% dos jovens brasileiros não trabalham e nem estudam

  • Revista Fórum
  • 06 Dez 2018
  • 20:14h

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) indica que 23% dos jovens brasileiros não trabalham e nem estudam (jovens conhecidos como nem-nem), um dos maiores percentuais de jovens nessa situação entre nove países da América Latina e Caribe. A maioria é de mulheres e de baixa renda. Enquanto isso, 49% se dedicam apenas ao estudo ou capacitação, 13% só trabalham e 15% trabalham e estudam ao mesmo tempo, de acordo com informações de Andreia Verdélio, da Agência Brasil.As razões para esse cenário, segundo aponta o estudo, são problemas com habilidades cognitivas e socioemocionais, falta de políticas públicas, obrigações familiares com parentes e filhos, entre outros.No mesmo grupo estão o México, com 25% de jovens que não estudam nem trabalham, e El Salvador, com 24%. No outro extremo está o Chile, onde apenas 14% dos jovens pesquisados estão nessa situação. A média para a região é de 21% dos jovens, o equivalente a 20 milhões de pessoas, que não estudam nem trabalham.O estudo “Millennials na América e no Caribe: trabalhar ou estudar?”, a respeito de jovens latino-americanos foi lançado nesta segunda-feira (3), durante um seminário no Ipea, em Brasília. Os dados envolvem mais de 15 mil jovens entre 15 e 24 anos de nove países: Brasil, Chile, Colômbia, El Salvador, Haiti, México, Paraguai, Peru e Uruguai.De acordo com a pesquisa, apesar de termo nem-nem induzia à ideia de que os jovens são ociosos e improdutivos, 31% dos deles estão procurando trabalho, principalmente os homens, e mais da metade, 64%, dedicam-se a trabalhos de cuidado doméstico e familiar, principalmente as mulheres.“Ou seja, ao contrário das convenções estabelecidas, este estudo comprova que a maioria dos nem-nem não são jovens sem obrigações, e sim realizam outras atividades produtivas”, aponta a pesquisa.Apenas 3% deles não realizam nenhuma dessas tarefas nem têm uma deficiência que os impede de estudar ou trabalhar. Contudo, as taxas são mais altas no Brasil e no Chile, com aproximadamente 10% de jovens aparentemente inativos.Para a pesquisadora do Ipea Joana Costa, os resultados são bastante otimistas, pois mostra que os jovens não são preguiçosos. “Mas são jovens que têm acesso à educação de baixa qualidade e que, por isso, encontram dificuldade no mercado de trabalhos. De fato, os gestores e as políticas públicas têm que olhar um pouco mais por eles”, alertou.