BUSCA PELA CATEGORIA "Curiosidades"

Mandou mensagem errada no WhatsApp? Veja como apagar

  • 07 Fev 2017
  • 09:24h

(Foto: Reprodução)

Quem nunca? Mandar mensagem errada no WhatsApp – com erros, ou para a pessoa errada, é mais comum do que se imagina. Por isso vem aí uma nova função para apagar ou editar a mensagem antes que ela seja lida pelo destinatário. Sim, será possível deletar, ou alterar mensagens, mesmo se elas já tiverem sido entregues ao celular da outra pessoa. A boa nova vale enquanto aquele ícone de entrega estiver cinza. Então você terá que ser bem rápido. Depois que aparecerem as marquinhas azuis, já era! Como Para editar ou alterar, basta tocar na mensagem. Aí vai aparecer um menu com as opções. Você deve tocar em Revoke, ou Revogar… e pronto! A pessoa do outro lado verá apenas que o texto foi editado, ou que você deletou a mensagem. Aparecerá um aviso dizendo: “esta mensagem foi revogada pelo remetente”. A novidade deve chegar em breve à versão oficial. Ela está em testes, na versão beta do WhatsApp

Ligre, raro híbrido de leão e tigre, nasce na Rússia

  • Veja
  • 05 Fev 2017
  • 12:00h

(Yuri MALTSEV/AFP)

Um raro bebê ligre, híbrido que resulta do cruzamento entre um leão e uma tigresa, nasceu em um zoológico itinerante na região de Rostov del Don, no sul da Rússia. Batizado Zar, o felino é resultado da união entre a tigresa Princesa, e o leão Caesar. Os pais do ligre “vivem juntos há muito tempo e se conhecem bem. Quando a tigresa ficou no cio, ela não tinha outra opção [para acasalar]”, disse Erik Airapetian, diretor do local. Os ligres são animais extremamente raros, já que a probabilidade de que nasçam em liberdade é quase nula. Os tigres vivem na Ásia, e o hábitat dos leões fica na África. Por essa razão, atualmente, há apenas cerca de 20 ligres no mundo. Existem também os tigreões, que resultam do cruzamento de uma leoa e um tigre, mas são bem menores que os pais. O pequeno Zar tem a pele bege, própria dos leões, e o rosto coberto de listras, como os tigres, e está sendo alimentado com o leite de uma das cabras do zoológico. Por enquanto, seu tamanho não ultrapassa o de um gato, mas o ligre adulto é sempre maior do que seus pais. Ele pode chegar a pesar 400 quilos, enquanto o peso máximo de um tigre é de cerca de 300 quilos, e o de um leão, de 250 quilos. Nos Estados Unidos, o ligre Hércules, que pesa 418 kg e mede 3,33 metros, é oficialmente o maior felino do mundo, registrado no Livro Guinness dos recordes.

Por que é tão difícil dormir em noites quentes?

  • Veja
  • 24 Jan 2017
  • 20:15h

(Foto: Ilustração)

Há quem ame e quem odeie o verão. Mas mesmo os amantes da estação tendem a concordar que é difícil adormecer e ter um sono de qualidade em noites muito quentes – a menos que você tenha um ar condicionado. Geralmente, a manhã seguinte a uma noite de verão sufocante se reflete em um despertar não muito agradável. Você acorda meio grogue, cansado, irritado, quase como se estivesse de ressaca. Mas, por que isso acontece? De acordo com o especialista em sono David Hillman, em entrevista à emissora de rádio australiana ABC Radio Sydney, quando a temperatura externa supera os 24ºC nós ultrapassamos a chamada zona termoneutra – quando a temperatura interna do corpo está em equilíbrio com a temperatura externa. Nossa temperatura corporal média é de 37ºC e o corpo consegue mantê-la de forma confortável quando a temperatura externa está em 24ºC. Porém, em um clima mais quente, o corpo começa a se sentir desconfortável e precisa trabalhar mais para manter essa autorregulação interna. 

Isso faz com que os vasos sanguíneos perto da superfície do corpo dilatem, o que, por sua vez, aumenta a quantidade de suor, necessário para manter a temperatura corporal baixa. “Então, mesmo quando você está deitado na cama dormindo, seu corpo está produzindo energia equivalente a uma lâmpada de 100 watts e essa temperatura extra precisa ser eliminada. Se seu corpo considera alguma coisa ameaçadora [como o aumento da temperatura externa], ele irá despertá-lo. Se o sono é interrompido o suficiente para te colocar em um estado de sono-restrito, as coisas não funcionam tão bem.”, explicou Hillman, que também é presidente da Sleep Health Foundation. Se a superfície do corpo não puder ser resfriada, a temperatura interna também irá subir e há a possibilidade até de surgir uma febre. Por isso, é importante tentar resfriar seu corpo durante a noite. Algumas dicas para facilitar esse processo e ter um sono mais tranquilo: Colocar um balde de água ao lado da cama e molhar regularmente uma toalha durante a noite; Preferir roupa de cama e pijamas de algodão; Ter um ventilador; Dê espaço a seu parceiro. Se você dorme acompanhado, o ideal, nessas noites, é que cada um se mantenha do seu lado da cama. Segundo Hillman, “uma noite quente não é um momento para dormir de conchinha”.

CONTINUE LENDO

Saiba por que cachorros grandes vivem menos

  • Veja
  • 15 Jan 2017
  • 18:07h

(Foto: Reprodução)

Na maioria dos mamíferos, quanto maior o tamanho do animal, maior é a sua expectativa de vida. No caso dos cães, no entanto, essa lógica é invertida. Cachorros menores tendem a viver mais do que os de grande porte. Segundo uma pesquisa da Sociedade para Biologia Integrativa e Comparativa, a causa mais provável é que a maior concentração de radicais livres de oxigênio presente nos filhotes de raças grandes esteja diminuindo sua expectativa de vida. Para conseguir energia suficiente para crescer e realizar suas atividades, o corpo precisa quebrar nutrientes presentes no alimento ingerido. Porém, quando isso acontece, algumas moléculas chamadas de radicais livres também são fabricadas no processo – moléculas instáveis que apresentam um elétron e reagem facilmente, podendo oxidar. O problema desses subprodutos é que eles podem danificar as membranas das células e eventualmente contribuir para o desenvolvimento de câncer e outras doenças. Alguns estudos também sugerem que eles podem contribuir para o envelhecimento, embora essa afirmação ainda não seja consenso entre especialistas.

 

Chance de morte por AVC é menor entre casados, aponta pesquisa

  • 01 Jan 2017
  • 15:04h

(Foto: Reprodução)

Um estudo desenvolvido por pesquisadores da Universidade Duke, nos Estados Unidos, identificou uma menor probabilidade de morte por Acidente Vascular Cerebral (AVC) entre pessoas casadas. O risco de morte de quem nunca casou é quase 55% maior, usando os casados como base. Já os viúvos têm aumento de 32% na chance de morrer, com o mesmo referencial. Segundo o blog Cadê a Cura, da Folha de S. Paulo, a maior vantagem é registrada entre aqueles que têm uma única e contínua união. Para o pesquisador Matthew Dupre, líder da pesquisa, pesquisas similares podem ajudar os provedores de saúde a atender e prevenir derrames e mortes em quem corre maior risco. Foram analisados dados de quase 10 mil norte-americanos com mais de 50 anos de idade.

Não vai tão cedo: astronomia faz dia 31 de dezembro ter um segundo a mais

  • Bahia Notícias
  • 31 Dez 2016
  • 08:02h

(Foto: Reprodução)

Enquanto muitas pessoas desejam o fim de 2016, os astros trabalham para atrasar a virada de ano. O último minuto do dia 31 de dezembro será prolongado e terá 61 segundos de duração. A alteração acontece para compensar as pequenas variações na duração do dia que se acumularam e provocam distorções entre o tempo marcado nos relógios atômicos e o período de rotação da Terra. Quando a diferença supera 0,9 segundo, o Serviço Internacional da Rotação Terrestre decide "mudar" o tempo. Segundo Francisco Colomer, do Observatório Astronômico Nacional da Espanha (OAN-IGN), o período de um dia não dura 24 horas exatas: "é uma aproximação". Esta não é a primeira vez que um dia ganha um segundo a mais, chamado de "segundo intercalar". A última vez aconteceu no dia 30 de junho do ano passado. O último caso em um Réveillon foi em 2008.

Comércio pela internet cresce na contramão da crise

  • 29 Dez 2016
  • 20:01h

(Foto: Reprodução)

A gente vem falando em crise, queda nas vendas no Natal. Mas se tem um setor que está terminando o ano com crescimento é o comércio pela internet. O principal motivo é o crescimento da base de consumidores. Tem cada vez mais gente conectada, nos computadores e celulares. O outro motivo é que o setor também aumentou a eficiência e, com isso, vem ganhando a confiança dos compradores.

Sofrimento emocional pode levar a problemas cardiovasculares

  • 29 Dez 2016
  • 19:04h

(Foto: Reprodução)

A reação próxima entre sofrimentos emocionais intensos e a ocorrência de problemas cardiovasculares pode explicar alguns dos casos em que um paciente tem um mal súbito pouco tempo depois da morte de uma pessoa próxima. É o que pode ter ocorrido com a atriz Debbie Reynolds, de 84 anos, que morreu nesta quarta-feira (28) apenas um dia depois de sua filha, a atriz e escritora Carrie Fisher. Debbie sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) e seu quadro chegou a ser classificado como de moderado a grave, mas ela acabou não resistindo. Segundo o cardiologista José Ibis Coelho das Neves, do Hospital BP (Beneficência Portuguesa de São Paulo), um AVC pode ser desencadeado por um estresse emocional agudo. “Um evento de estresse pode ser o gatilho do aparecimento desse processo. Por isso vemos pessoas que passaram por um estresse grande e tiveram AVC logo em seguida."

Outra ocorrência comum entre pessoas que sofreram uma grande perda, como a morte de alguém querido ou o fim de um relacionamento, é a chamada síndrome do coração partido, que também pode acometer quem sofreu um trauma como um assalto ou um acidente, por exemplo. “Essas circunstâncias podem desencadear uma descarga hormonal muito intensa que afeta o coração causando essa síndrome que se apresenta como um infarto, com fibrilação atrial e até parada cardíaca”, explica o especialista. Os sintomas da síndrome são dor no peito e falta de ar. No eletrocardiograma, o caso é muito similar ao infarto. Somente o ecocardiograma será capaz de diagnosticar a síndrome, cuja característica mais marcante é que o ventrículo esquerdo do coração fica no formato de um vaso. É por isso que a síndrome é também chamada de tako-tsubo, nome em japonês que se refere a um vaso usado para capturar polvos. O problema pode aparecer em pessoas que nunca tiveram histórico de doenças cardiovasculares e é mais incidente em mulheres de meia idade. “Felizmente, na grande maioria das vezes há reversão completa do quadro, sem deixar sequela”, diz Neves.

CONTINUE LENDO

Avós que cuidam dos netos têm maior expectativa de vida, aponta pesquisa

  • 28 Dez 2016
  • 19:03h

(Foto: Reprodução)

Um estudo desenvolvido na Alemanha descobriu que ajudar na criação dos descendentes é benéfico para a expectativa de vida. Os pesquisadores analisaram dados de 500 pessoas, com idades entre 70 e 103 anos, acompanhadas pelo Estudo de Envelhecimento de Berlim ao longo de 19 anos. Foi analisada a diferença da taxa de mortalidade entre avós que ajudam na criação dos netos e idosos sem netos ou que não convivem com eles. Segundo a revista Super Interessante, os resultados mostraram que a convivência com os netos reduz em 37% o risco de mortalidade. Metade do grupo dos avós participantes viveu por dez anos após o início do estudo. No outro grupo, metade viveu por apenas mais cinco anos. Entre os idosos que ajudavam os filhos, a expectativa de vida registrada também foi maior. A sobrevida média foi de sete anos, em comparação com os quatro anos vividos por aqueles que não mantinham uma relação de colaboração. Os pesquisadores disseram acreditar que a relação com a família e de responsabilidade dentro dela ajuda a uma manutenção do estado físico e psicológico de idosos.

Presente entregue fora do prazo vale indenização; saiba o que fazer

  • 26 Dez 2016
  • 14:26h

(Foto: Reprodução)

Encontrar o presente perfeito pode levar tempo e, às vezes, só dá para encontrá-lo pela internet. Mas, imagina se a lembrança comprada para o Natal atrasa e só chega após a festa? Pois é, o Natal passou e muita gente acabou enfrentando mesmo problema. Foi justamente o que aconteceu com o analista de sistemas Pedro Dantas, 27 anos.  “Eu comprei um livro para um amigo secreto, mas acabou que o livro atrasou e não chegou a tempo. Como não podia participar do amigo secreto sem presente, tive que comprar o presente na própria loja física, o que acabou saindo mais caro, quase o dobro do valor”, reclama. 

De acordo com informações do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor da Bahia (Procon-BA), dá para recuperar o prejuízo. Os clientes que não receberam seus produtos no prazo de entrega previsto podem acionar os fornecedores através dos Órgão de Proteção e Defesa do Consumidor ou mesmo judicialmente. O Código de Defesa do Consumidor garante que ele receba o seu produto ou mesmo o dinheiro no valor da compra, nos casos em que o atraso tenha ocorrido por um erro da empresa fornecedora. Vender um produto pela internet exige não apenas a responsabilidade da empresa em enviar o item comprado no prazo determinado. O cliente ainda precisa que os Correios façam o transporte e a entrega em tempo hábil, conforme prazo acordado entre cliente e vendedor. 

Transtorno 
Foi por um erro dos Correios que o gastrônomo Frank Almeida, 34 anos, não recebeu no tempo acordado o presente que daria para a mãe no Natal do ano passado. Segundo ele, a compra foi efetuada com um período de 30 dias de antecedência à data do Natal, exatamente para garantir que o produto chegasse à tempo. Os itens comprados, um mixer e um conjunto de taças, chegaram apenas poucos dias antes do Ano-novo. “Eu comprei 30 dias antes para garantir que chegasse a tempo. Eles me deram um prazo de 11 dias para o produto ser entregue, mas demorou quase 40 dias para chegar. No final das contas, eu paguei por um frete mais caro, porque foi Sedex, e não recebi o produto a tempo”, afirma. Em resposta aos questionamentos do cliente, a empresa alegou que o erro foi dos Correios e que o material foi enviado na data prevista.  Frank conta que os Correios admitiram o erro e não cobraram pelo transporte da mercadoria - medida padrão quando a empresa se responsabiliza por um erro no transporte de mercadoria. Porém, o desconto foi passado à empresa fornecedora e não ao cliente, já que o reembolso ou isenção do frente é feito ao contratante e não ao destinatário do item. Segundo os Correios, é possível fazer reclamações sobre produtos que não chegaram ou não foram entregues no prazo até 90 dias após a data prevista para a entrega. A empresa também costuma pagar indenizações por atraso, extravio, roubo, entrega indevida, espoliação, avaria total ou parcial, devolução indevida e serviços não prestados. O gastrônomo conta que entrou em contato com a empresa fornecedora, mas chegou a ser tratado com grosseria. Até prometeram devolver o valor do frete, o que nunca foi feito. “O que a lei diz é que ele  tem o direito de ser ressarcido. Se ele pagou o frete,  tem o direito de receber o dinheiro de volta”, afirma o advogado Dori Boucault, especialista em Direito do Consumidor e também do Fornecedor.

Interesse em resolver 
Conforme Maurício Salvador, presidente da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), as lojas procuram oferecer um prazo de entrega maior do que o necessário justamente para evitar esses casos de atrasos. “Se uma loja demora quatro dias para entregar, por exemplo, ela informa seis ou oito. Dessa forma, a expectativa do consumidor fica mais controlada”, afirma Salvador. 

Cliente lesado pode acionar o Procon
Em casos de extravio ou perda da mercadoria, o Procon-BA explica que o consumidor pode obrigar que o fornecedor cumpra a oferta. Ou seja, quem vendeu tem que entregar o produto, enviar outro caso o cliente concorde, prestar um serviço equivalente ao contratado ou, ainda, rescindir o contrato. Nesse caso, o cliente tem direito a receber uma restituição da quantia paga antecipadamente, com  correção monetária referente a perdas e danos, conforme consta no artigo 35 do Código de Defesa ao Consumidor (CDC). “Essa correção monetária é calculada com base na inflação do período ou no chamado grave dano ocorrido. É uma compensação financeira que satisfaça o consumidor e penalize o comerciante. E tem que ser uma coisa que incomode financeiramente o comerciante, porque se for uma quantia muito irrisória não vai surtir efeito”, afirma o advogado Dori Boucault, especialista em Direito do Consumidor e do Fornecedor. Além de multa, o vendedor ou prestador de serviço que não cumprir o prazo especificado no momento da venda ou não entregar a mercadoria pode ser notificado pelo Procon.  “Se a loja já foi autuada e reincide na mesma infração, ela pode receber uma multa maior, por causa da chamada reincidência do ato”, conta o especialista em direito do Consumidor e do Fornecedor. Boucault esclarece ainda que outras posturas podem ser adotadas pelo Procon, como a suspensão temporária do funcionamento da loja ou mesmo a retirada do site do ar.  Há também a possibilidade do cliente prestar uma reclamação individual em qualquer posto de atendimento do Procon. Nesses casos, o órgão faz a abertura de um processo administrativo. O passo seguinte a ser adotado pelo Procon é marcar uma audiência conciliatória entre as duas partes.

CONTINUE LENDO

Não conseguiu emprego em 2016? Veja o que avaliar na busca por vaga em 2017

  • 25 Dez 2016
  • 15:02h

(Foto: Reprodução)

Com  o desemprego em alta em 2016, superando a marca de 12 milhões de pessoas fora do mercado de trabalho, quem está em busca de uma recolocação deve refletir sobre os rumos da carreira e sobre o que pode ser feito para conseguir o tão sonhado emprego no ano de 2017. “Encerrar o ano realizando autoavaliação sobre desempenho nos processos seletivos e os principais direcionadores de busca por vagas são passos importantes para a recolocação em 2017. Sempre que possível, peça feedback para os entrevistadores sobre sua participação, sendo o retorno positivo ou negativo”, afirma Roberto Didio, gerente de RH da unidade carioca da Luandre.  Segundo o especialista, se o candidato não foi chamado para nenhuma entrevista no período em que esteve desempregado, convém analisar a compatibilidade curricular com as oportunidades pretendidas. Podem fazer a diferença atualização de contatos, organização das informações e a síntese na elaboração do currículo. Segundo ele, não se deve economizar na prática de networking (contatos profissionais), ferramenta decisiva para promover conexão constante com o mercado de trabalho.

Veja oito dicas de Didio para recomeçar a busca com o pé direito:

1. O candidato não deve perder as esperanças. Apesar do ritmo ainda lento, as contratações continuam acontecendo e alguns setores já ensaiam retomada de crescimento.

2. Verifique se o seu perfil está condizente com as vagas pleiteadas. É contraproducente encaminhar currículo para oportunidades desalinhadas com sua experiência profissional e formação. Em casos de exceção, investigar com os consultores sobre as particularidades da vaga e a possibilidade de ingressar num processo fora da sua área de atuação.

3. Aproveite o tempo livre para o aperfeiçoamento e desenvolvimento, seja por meio de cursos gratuitos, online ou que exijam baixo investimento.

4. Esteja bem informado sobre o que está acontecendo no mundo. É extremamente importante que o profissional de seleção perceba que você está atualizado. Além disso, observando tendências de mercado, fica mais fácil saber onde estão as vagas em potencial.

5. Antes da próxima entrevista, pesquise sobre a cultura da empresa. Entenda se os valores da organização estão alinhados com seus próprios valores. Leia sobre missão, visão e valores da empresa que irá realizar a seleção.

6. Não descarte oportunidades de trabalho temporário. Há sempre chances consideráveis de efetivação, sobretudo em momentos de crise. Pontualidade, comunicação, participação e alto desempenho são fatores decisivos para garantir sua contratação. Dê o melhor de si.

7. Mantenha seus perfis nas redes sociais em harmonia com suas aspirações profissionais.

8. Nunca espere de forma passiva pelas oportunidades. Elas são criadas em cada acesso aos meios de comunicação, em cada troca de informação com outros profissionais, em cada visita aos sites de busca. Não desista.

CONTINUE LENDO

Celular se consolida como principal meio de acesso à internet no Brasil, aponta IBGE

  • 25 Dez 2016
  • 09:02h

(Foto: Reprodução)

O Celular se consolidou como o principal meio de acesso domiciliar à internet no Brasil. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 92,1% do acesso à rede passou a ser feito pelo dispositivo móvel. O dado é de 2015 e faz parte do suplemento de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgado nesta quinta-feira (22). Em relação à 2014, o uso do celular para acesso à internet aumentou em 11,7 pontos percentuais. Já o acesso por meio de tablete registrou queda de 0,8 p.p., correspondendo a 21,1% do acesso domiciliar. O acesso por meio da televisão correspondeu a 7,5% do total de acessos (aumento de 2,6 p.p.).

 

Acesso por computador caiu pela 1ª vez em todo o país
A pesquisa mostrou que caiu pela primeira vez no Brasil o número de domicílios que utilizam microcomputador para acesso à internet. A queda foi de 2,4% em relação à 2014, passando de 28,2 milhões para 27,5 milhões o número de domicílios com acesso à internet por meio de PC. Em termos percentuais, o acesso domiciliar à internet por meio de microcomputador caiu de 76,6% em 2014 para 70,1% em 2015. Segundo o IBGE, em 2014 já havia ocorrido a redução da proporção de domicílios com acesso à internet por meio de microcomputador. Porém, o número absoluto de domicílios que tinham acesso à internet por meio deste tipo de equipamento ainda havia aumentado. Na divulgação dos dados gerais da Pnad de 2015, ocorrida em novembro passado, o IBGE já havia apontado que o número de casas com computador havia caído pela primeira vez no Brasil, passando de 32,5 milhões para 31,4 milhões entre 2014 e 2015 (-3,4%). A queda no uso do PC se deve, segundo o IBGE, justamente pelo aumento no acesso à por meio de outros equipamentos. O crescimento no uso dos outros equipamentos foi de 36,8% entre 2014 e 2015, passando de 8,6 milhões para 11,8 milhões. Este aumento, porém, foi mais modesto que o observado entre 2013 e 2014, quando foi de 137,7%. “Quando a gente abre estes dados pelas grandes regiões, até 2014 nas regiões Sul e Sudeste ainda era superior o acesso por microcomputador. Em 2015 isso se reverte e a proporção passa a ser maior com o acesso por meio de outros aparelhos. As demais regiões já tinham feito essa reversão em 2014”, destacou a analista do IBGE Helena Oliveira.

CONTINUE LENDO

Coelba dá dicas de como usar o ar condicionado para economizar na conta de energia

  • 24 Dez 2016
  • 16:04h

(Foto: Reprodução)

Com a chegada do verão o uso do ar-condicionado é ainda mais constante. Mas é importante estar atento ao valor da conta de energia que também aumenta nessa época do ano com o uso do eletrodoméstico por mais tempo. A Coelba dá algumas dicas para evitar sustos na hora de receber a conta no fim do mês.

  • Escolha a potência do ar condicionado adequada para o ambiente, isso vai evitar gastos excessivos;
  • Confira o consumo de energia antes da compra, os equipamentos vêm com SELO PROCEL e ENCE/INMETRO que informa o consumo de energia de todos os tipos e modelos de ar condicionando presentes no mercado

  • Prefira modelos com tecnologia Inverter, eles alcançam a temperatura desejada mais rapidamente e a mantêm por todo o tempo de uso;
  • Instale o aparelho corretamente. Instale o ar-condicionado em locais altos e de forma que não fique exposto ao sol;
  • Nunca utilize o ar-condicionado com as portas e janelas do ambiente aberto. Isso dificulta o resfriamento e, consequentemente, o aparelho terá que “trabalhar” mais para refrigerar o local, aumentando o consumo de energia;
  • Verifique se o termostato está funcionando corretamente e regule de forma adequada. Quanto menor a temperatura apresentada nele, maior será o consumo;
  • Mantenha os filtros limpos. Além de facilitar a circulação do ar e economizar energia, ajuda a manter a qualidade do ar do ambiente, evitando a propagação de bactérias que causam doenças.

CONTINUE LENDO

Negócios: Quantos empregos poderiam ser gerados com os Cassinos e Bingos no Brasil?

  • 23 Dez 2016
  • 20:01h

(Foto: Reprodução)

Lugares como o Cassino da Urca, no Rio de Janeiro, que chegou a lançar a cantora mais famosa do nosso país, símbolo dos tupiniquins, a incrível Carmem Miranda. Neste artigo, fique sabendo mais sobre o assunto: quantos empregos seriam gerados com os cassinos e bingos no Brasil? No Brasil, casas que trabalham com qualquer tipo de jogos foram completamente proibidas de funcionar no país a partir de 1946. Os motivos que levaram ao fechamento de tantos locais em pleno trabalho não ficaram muito claros na época, mas muitas pessoas dizem que o maior estímulo para que isso acontecesse foi a religião – por mais que o Brasil seja um país laico, somos o único país que não está sob a religião islâmica que proíbe o funcionamento de cassinos e bingos. Agora, vamos parar para pensar no assunto: com tamanha crise que passamos no atual momento da nossa economia, será que é mesmo uma boa ideia deixar as casas de jogos de fora? Imagine quantos empregos poderiam ser gerados com a reabertura de grandes lugares, que podem ajudar a aquecer novamente o turismo em muitas cidades e, consequentemente, melhorar a economia do país?! 

Além disso, se cassinos e bingos voltassem a funcionar por aqui, os locais clandestinos – que sabemos funcionar a toda prosa independente da vigilância policial – seriam inibidos com mais eficácia, até mesmo porque eles não trazem nenhum tipo de retorno positivo e ainda estimula a participação de malfeitores, que apenas visam tirar dinheiro das pessoas. Por esses e outros motivos é que se fala, hoje em dia, sobre legalizar os cassinos e bingos aqui em nosso país. Entre os objetivos, estão a geração de empregos com vagas regulamentadas – a estimativa é de, aproximadamente 500 mil novos empregos; geração de renda que poderia ser aplicada de diversas formas com a arrecadação de impostos sobre as casas de jogos – estimada em até 20 bilhões de reais por ano; entre muitos outros motivos que colocamos os cassinos e bingos como uma ótima opção de comércio no país.A internet e a globalização

Por mais que os cassinos e bingos tenham sido proibidos aqui no Brasil, quem gosta de jogos pode satisfazer a sua vontade por meio da internet. Se tem uma coisa que as novas tecnologias fizeram de muito bom pelo ser humano, além de nos auxiliar como instrumento – quase fundamental – foi abrir as portas do mundo para qualquer um que esteja conectado à uma rede! Você já ouviu falar sobre bingo online? O bingo online e o bingo físico, ou seja, tradicional, quase não possuem nenhuma diferença, a não ser pelo fato de você estar jogando da sua própria casa, no conforto do seu lar. Se quiser experimentar, basta acessar bingogratis.com.br, não precisa fazer cadastro. Fique atento as novidades sobre a legalização dos bingos, cassino e jogos de azar no Brasil!

CONTINUE LENDO

Proposta que permite cobrar preço diferente no cartão opõe varejo e Procon

  • 18 Dez 2016
  • 18:04h

(Foto: Reprodução)

Entidades de defesa do consumidor e representantes de lojistas divergem sobre aproposta do governo, ainda não aprovada, que permite que os comerciantes possam cobrar preços diferentes nas compras com cartão, dinheiro ou cheque. Pela medida, anunciada nesta quinta-feira (15) em umpacote de estímulo à economia, o comerciante pode passar a dar descontos ao consumidor que comprar com dinheiro, por exemplo. O governo não especificou como a medida seria implementada. Hoje a prática é proibida pela resolução 34/1989, do Conselho Nacional de Defesa do Consumidor. As operadoras de cartões cobram dos lojistas uma taxa para operar com o "dinheiro de plástico". Esse custo, somado a impostos como o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) é geralmente repassado ao consumidor e pode encarecer a mercadoria ou serviço. Sem a cobrança extra, o pagamento em dinheiro poderia ser mais barato. Ao defender a proposta, o governo afirma que a diferenciação de preços é vantajosa para o consumidor e “regulariza uma prática informal no comércio”. Também argumenta que ela estimula a competição entre os comerciantes. Para o diretor de relações institucionais da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), Luiz Augusto Ildefonso, se aprovada, a medida regulariza uma situação que não é comum, mas acontece “algumas vezes”. 

“Ela dá um amparo legal para essa modalidade entrar em vigor”, diz. A advogada especializada em direito do consumidor Denise Santos acredita, contudo, que a prática incentiva falsos descontos. “Se isso for permitido, o comerciante pode aumentar o preço de um produto e anunciar uma promoção que na verdade não existe”, argumenta. Para o Procon-SP, a diferenciação de preços nos meios de pagamento é considerada abusiva e resulta em vantagem excessiva ao fornecedor. “A Fundação Procon-SP reitera que o pagamento feito com cartões de crédito é considerado à vista e que os lojistas são responsáveis pelo ônus dos serviços contratados e que não podem ser repassados aos consumidores”, defendeu em nota enviada ao G1. A economista do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), Ione Amorim, diz que cobrar um preço mais alto de quem usa cartão de crédito é uma prática que fere o inciso V do artigo 39 do Código do Consumidor. Esse artigo classifica como prática abusiva exigir do consumidor uma "vantagem manifestamente excessiva".Para Ione, a diferenciação transfere para o consumidor o impasse dos custos operacionais entre estabelecimentos comerciais e empresas de intermediação (bandeira, emissores, adquirentes) sobre os custos de taxas de operação, utilização de máquinas e prazos para pagamentos.

 

CONTINUE LENDO