BUSCA PELA CATEGORIA "Curiosidades"

Numerólogo diz que fim do mundo será em outubro; previsão inicial era setembro

  • Bahia no ar
  • 29 Set 2017
  • 16:06h

O numerólogo David Meade corrigiu sua previsão para o mês do fim do mundo. Antes garantido para 23 de setembro, com a colisão do planeta Nibiru, ou Planeta X, contra a Terra, agora a nova data é 15 de outubro deste ano. Em seu website, o numerólogo explicou que a previsão inicial do fim do mundo em setembro deste ano marcava, na verdade, o dia que deu início a uma série de eventos catastróficos que deverão levar ao fim do planeta. Mas a "ação real" deve começar em outubro. "É possível que no fim de outubro estejamos prestes a entrar no período de tribulação de sete anos, para ser seguido por um milênio de paz", explicou. A teoria conspiratória já havia sido difundida em 2012, de acordo com a Veja, mas o cientista David Morrison, do Instituto de Astrobiologia da Nasa, desmentiu a tese. Em um vídeo publicado no YouTube, Morrison disse que, se o planeta estivesse tão perto, seria brilhante e facilmente visível a olho nu.

Qual a senha do Wi-Fi? Uma a cada cinco casas conectadas do Brasil usa internet do vizinho

  • 07 Set 2017
  • 09:06h

(Foto: Reprodução)

Para alguns vizinhos, perguntar a senha do Wi-Fi é tão casual quanto pedir açúcar emprestado ou reclamar para que abaixe o volume da música alta. Uma a cada cinco casas conectadas do Brasil usa internet do vizinho, mostra a TIC Domicílios 2016, uma pesquisa que traz o raio-X da internet brasileira. E a partilha da conexão fixa sem fio está no centro desse fenômeno, afirmou ao G1 o coordenador do estudo, Winston Oyadomari. “Quem compartilha faz isso majoritariamente pelo Wi-Fi”, diz. Para 18% dos domicílios brasileiros, usar internet do vizinho é a forma de se manter conectado. Esse índice era de 13% em 2014. A disseminação da conexão compartilhada acompanha o avanço do Wi-Fi nas residências. Passou de 66% há três anos para 80% em 2016.

1,5 milhão de brasileiros não sabem que têm hepatite C

  • Tribuna da Bahia
  • 01 Set 2017
  • 18:00h

Foto: Ilustração

Curável em 90% dos casos, desde que detectada em sua fase inicial, mas principal causa de mortes nos últimos 15 anos pro problemas hepáticos, a hepatite C é atualmente a principal causa de óbito entre as hepatites virais, segundo o Boletim Epidemiológico 2017, emitido pelo Departamento de Aids, Hepatites Virais e Infecções Sexualmente Transmissíveis, do Ministério da Saúde. Com o objetivo de aumentar o diagnóstico da doença e encaminhamento dos pacientes para tratamento adequado, a companhia biofarmacêutica AbbVie, em parceria com as Sociedades Brasileiras de Infectologia e de Hepatologia e AMB – Associação Médica Brasileira, lançou campanha pública  para incentivar os profissionais de saúde, de qualquer especialidade, a incluir o teste para hepatite C na sua prática clínica. Embora seja um exame simples, de sangue, de rápida resposta e que pode ser realizado gratuitamente em centros públicos de saúde, ele acaba muitas vezes não sendo incluído entre os exames laboratoriais de rotina, deixando, muitas vezes, a doença evoluir gradativamente em suas diversas fases até tornar-se crônica e mais difícil o tratamento. “Em cerca de 90 por cento dos casos, a hepatite C pode ser curada”, afirmou o especialista Sergio Cimerman, presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia. “Por isso, é importante o engajamento de toda a classe médica para detectar e tratar a doença precocemente, isto é, quando os danos ao fígado e a outros órgãos ainda podem ser controlados. Com a detecção precoce e  tratamento adequado, podemos acreditar que a erradicação da doença é possível”.

 

 

.

5 dicas para saber se vale fazer determinado concurso

  • G1
  • 15 Jun 2017
  • 17:06h

Foto: Ilustração

Ao G1 a colunista Lia Salgado explica cinco aspetos a serem levados em conta na hora de fazer um concurso. 1 – Examine as condições objetivas; A primeira coisa a fazer é verificar se a vaga é do seu interesse. A atividade a ser realizada tem a ver com você? Porque, se for algo muito fora do seu perfil, ser aprovado pode tornar-se um problema na sua vida. O local para onde serão as vagas é possível, de acordo com a sua situação familiar? A remuneração (salário + benefícios) atende às suas necessidades? 2 – Pode funcionar como um concurso intermediário? Em algumas situações, a vaga oferecida não é exatamente o que você busca, mas pode funcionar como uma etapa intermediária, para garantir aporte financeiro que permita que você siga estudando com melhores condições, até ser aprovado na vaga que deseja de verdade. 3 – Você está apto para preencher essa vaga? Ok, o emprego interessa – seja como objetivo final, seja intermediário. Mas, você preenche os requisitos? Vale lembrar que os requisitos serão exigidos somente no momento da posse. Então, é possível estar concluindo a escolaridade ou prestes a completar a idade e prestar o concurso. Mas, em caso de aprovação, você precisa cumprir os requisitos ou perde a vaga. Há casos em que o edital permite que o candidato convocado vá para o fim da fila. Outro aspecto a ser considerado é que a administração pode a chamar até o fim do prazo de validade do concurso, que pode ser de até 2 anos, e esse prazo pode ser dobrado. Ainda assim, há casos em que os aprovados são convocados quase imediatamente. 

4 – Matérias cobradas; Atualmente, os concursos exigem um leque que varia de 6 a 20 matérias. Portanto, é importante observar se há reais possibilidades de você se preparar até a data da prova. Se você já vem estudando há algum tempo, com foco em determinada área de concurso: há aderência entre o que você já estava estudando e o que será cobrado nesse concurso? Ou será necessário um desvio significativo do seu plano de estudo? Outra situação é se você está começando agora a se preparar agora, e ainda não viu sequer as matérias básicas. Se o concurso é de nível relativamente complexo, talvez não seja o caso de investir ainda. 5 – Decida sim ou não e não olhe para trás; Consideradas as dicas 1 a 4, se você percebeu que não vale a pena, siga no seu plano de estudo e aguarde novas oportunidades. Por outro lado, se você avaliou e decidiu que vale a pena, faça um planejamento de matérias e horários de estudo e comprometa-se seriamente. O tempo voa quando há uma prova marcada e qualquer desperdício será lamentado depois. Mas faça isso com equilíbrio, para ter condições de alcançar a faixa de chegada da sua maratona.

CONTINUE LENDO

Neymar é o único brasileiro na lista das 100 pessoas mais influentes do mundo

  • 20 Abr 2017
  • 15:57h

(Foto; Reprodução)

O atacante Neymar foi o único brasileiro presente na lista das 100 pessoas mais influentes do mundo divulgada pela revista americana Time na noite desta quinta (20). A lista conta ainda com os presidentes Donald Trump (EUA), Vladimir Putin (Rússia), Juan Manuel Santos (Colômbia), Kim Jong Un (Coreia do Norte), Recep Tayyp Erdogan (Turquia) e Rodrigo Duterte (Filipinas). A premiê britânica Theresa May, o fundador do WikiLeaks Julian Assange, o papa Francisco e a filha e o genro do presidente americano, Ivanka Trump e Jared Kuschner. Na edição de 2016, o juiz brasileiro Sérgio Moro foi um dos contemplados. Na capa de 2017, está a atriz Viola Davis, vencedora do Oscar de atriz coadjuvante pelo filme Fences. No texto que apresenta Neymar, escrito pelo britânico David Beckham, o brasileiro é descrito como "humilde, respeitoso e ávido por aprender" e a caminho de se tornar o melhor jogador do mundo. Confira a lista completa clicando aqui.

Dietas milagrosas são um risco para a saúde de quem quer perder peso

  • 19 Abr 2017
  • 19:08h

(Foto: Reprodução)

Dietas que prometem redução do peso em poucos dias são cada vez mais frequentes e podem ser facilmente encontradas em fóruns e sites na internet. No entanto, é preciso ficar atento quando o assunto é perder  peso. De acordo com especialistas, a alimentação irregular pode causar danos ao corpo. Professora do Departamento de Ciência de Alimentos da Escola de Nutrição da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Márcia Regina alerta que, antes de seguir uma “receita milagrosa”, é preciso procurar a orientação médica. “O risco é muito grande, pode haver desequilíbrio da ingestão de nutrientes e acabar sobrecarregando os rins e o fígado”, explica Márcia. “A depender da dieta, tem que ter o bom senso.  É preciso que o profissional conheça a pessoa, saiba como estão os marcadores bioquímicos antes de passar a receita”, continua a professora. Ainda de acordo com a especialista, o ideal para quem está brigando com a balança é fazer um processo de reeducação alimentar. 

“É preciso selecionar melhor o que se vai comer. As pessoas costumam consumir muita massa, alimentos calóricos, poucas fibras e geralmente muita gordura hidrogenada. Vale priorizar o grupo de vegetais, uma salada crua ou cozida, arroz, feijão, um pedaço de carne, outros vegetais acompanhando, e ela vai ter uma nutrição rica em fibras”. A também nutricionista Amélia Duarte concorda. “Dietas com peso rápido tem ganho de peso mais rápido ainda. Esses motivos só agravam os problemas de obesidade”, defende. Nos 15 atendimentos diários que faz, Amélia estima que pelo menos 80% dos pacientes estão acima do peso. Ela recomenda o prato ideal: “Opte por refeições simples. Salada de alface com tomate, feijão temperado sem carne, arroz integral, ovo ou um peito de frango é o prato perfeito para quem precisa emagrecer. É bom tomar ainda uma colher de sopa de vinagre de maçã diluída em 100 ml de água antes do almoço e do jantar. Isso vai ajudar a diminuir a gordura no fígado”. 

HÁBITOS ALIMENTARES ESTÃO MUDANDO

O consumo regular de frutas e hortaliças aumentou no país nos últimos oito anos, passando de 33% da população em 2008 para 35,2% em 2016, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde. Ainda assim, apenas um em cada três adultos brasileiros consome esse tipo de alimento em pelo menos cinco dos sete dias da semana. A pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) revela ainda que os hábitos, nesse caso, são melhores entre as mulheres – o consumo regular de frutas e hortaliças no grupo passou de 38,6% para 40,7% no período – do que entre homens, cujos percentuais passaram de 26,4% para 28,8%. No prato, o brasileiro reduziu o consumo de feijão nos últimos quatro anos, passando de 67,5% em 2012 para 61,3% em 2016. Entre os homens, o índice passou de 74,2% para 67,9% no período e, entre as mulheres, de 61,7% para 55,7%. Caiu também o consumo  de refrigerantes e sucos artificiais, passando de 30,9% em 2007 para 16,5% em 2016, sobretudo entre as mulheres, caindo de 26,9% para 13,9%. A consciência quanto a necessidade da prática de atividades físicas aumentou nos últimos sete anos. Em 2009, o indicador era de 30,3% e, em 2016, de 37,6%. A frequência maior é entre jovens de 18 a 24 anos (52%) e a menor nas pessoas com 65 anos ou mais (22%).

CONTINUE LENDO

Chocolate com maior teor de cacau pode fazer bem para a memória e para o coração

  • 09 Abr 2017
  • 07:08h

(Foto: Reprodução)

A Páscoa está chegando e o Bem Estar desta sexta-feira (7) deu boas desculpas para não resistir aos chocolates. Será que ele realmente tem benefícios? De acordo com o ginecologista e consultor José Bento, chocolate cai muito bem, principalmente na TPM. A nutricionista Rosana Raele concorda e dá uma boa notícia para os chocólatras: ele pode fazer bem para a memória e para o coração. Entretanto, nada de abuso! Também é preciso saber escolher. Quem traz o benefício para o corpo é o cacau, não o chocolate. O ideal é sempre procurar um chocolate com mais porcentagem de cacau, já que uma barra de chocolate pode ter muita gordura e açúcar. A maioria dos chocolates tem só 25% de cacau, o resto é leite em pó, gorduras e emulsificantes. Um estudo feito por pesquisadores dos Estados Unidos com 18 mil pessoas, durante quatro anos, concluiu que quem comia chocolate com maior teor de cacau teve menos problemas de memória e menos riscos cardíacos. Os flavonoides, presentes no cacau, são os responsáveis por isso.

TPM e chocolate
E qual a relação do chocolate com a TPM? Segundo José Bento, durante o pico da TPM, o gasto calórico aumenta. Essa alteração pode gerar um gasto energético a mais de até 100 calorias. Além disso, na TPM acontece uma modificação hormonal: o aumento da progesterona e a diminuição do estrogênio. Essas variações causam a diminuição da serotonina. A queda da serotonina faz a gente ter vontade de comer alimentos calóricos e doces. Por isso a necessidade do chocolate, que também tem o triptofano, um precursor da serotonina.

CONTINUE LENDO

TV: Emissoras exigiram R$ 3,5 bilhões por ano, antes de cortarem o sinal, dizem operadoras

  • 30 Mar 2017
  • 09:33h

Empresa que representa a Record, o SBT e a RedeTV!, a Simba enviou proposta para operadoras de TV por assinatura pedindo R$ 15 mensais de cada assinante para continuarem sendo distribuídas no cabo e no satélite. O valor, que daria uma receita anual de cerca de R$ 3,5 bilhões, foi considerado “absurdo” por executivos da TV paga, inviável para a realidade do mercado, e teria de ser repassado ao assinante. É quase a mesma quantia que a Globosat recebe por seus canais, incluindo o Sportv, líder de audiência no horário nobre. Desde a meia-noite desta quinta-feira (30), as três emissoras estão fora dos pacotes da Net, Claro, Sky e Oi nas regiões metropolitanas de São Paulo e Brasília. Somente em São Paulo, que teve apagão analógico na noite de ontem, as emissoras deixaram de ser distribuídas para 35% dos telespectadores, ou 7 milhões de pessoas, de acordo com projeção sobre pesquisa do Ibope feita em março. A Vivo é a única operadora com autorização para continuar transmitindo as três emissoras. A operadora ainda não fechou acordo, mas as negociações avançaram na quarta-feira.No mercado de TV por assinatura, avalia-se que Record, SBT e RedeTV! não valem nem um terço do que estão pedindo. A própria Simba admite que não conseguirá alcançar os R$ 15 por assinante. Pediu alto para ter margem de negociação.

A Net e a Claro, que detêm mais da metade dos assinantes do país, negam que tenham recebido proposta da Simba. As duas operadoras da América Móvil aceita dialogar com as emissoras, mas se recusa a pagar por sinais que são distribuídos gratuitamente. A Sky, segunda maior operadora, não quer nem negociar.

Negociação tensa

Com o fim da TV analógica, as emissoras de TV aberta podem cobrar por seus sinais na TV por assinatura, amparadas na lei 12.485/2011. De olho em uma receita potencial de pelo menos R$ 500 milhões por ano, SBT, Record e RedeTV! se juntaram em uma empresa, a Simba, para negociar seus sinais. A criação da empresa foi duramente combatida por operadoras e programadoras de TV por assinatura durante a tramitação do processo de fusão no Cade (Conselho Administrativo de Direito Econômico).Desde a semana passada, as emissoras e as operadoras travam uma queda de braço. As emissoras querem cobrar por seus sinais. As operadora não querem pagar. As emissoras vêm fazendo intensa campanha em que acusam as operadoras de se recusarem a negociar um “valor justo” por seus sinais. Na sexta-feira passada (24), a Simba enviou às operadoras uma notificação lembrando que elas precisam de autorização das redes para transmitirem seus sinais digitais nas cidades em que não há mais TV analógica. Nenhuma operadora tem essas autorização da Record, SBT e RedeTV!. Baseadas nessa notificação, Sky, Net e Claro decidiram cortar seus sinais de Brasília no início desta semana. Brasília foi a primeira grande capital a ter o chamado apagão analógico, em novembro do ano passado. Assim como em São Paulo, mais da metade dos lares do Distrito Federal recebe TV aberta via cabo ou satélite. // Daniel Castro  . Notícias da TV.

CONTINUE LENDO

Celular pode ser prejudicial para a saúde das crianças

  • A tarde/Uol
  • 26 Mar 2017
  • 10:13h

(Foto: Reprodução)

Na era da internet e das novas tecnologias, os smartphones têm conquistado cada vez mais adeptos, inclusive crianças, que estão substituindo brincadeiras tradicionais pelos modernos celulares, seja para jogos, uso de redes sociais ou até mesmo para fazer ligações. Mas o que os pais não sabem é que este "vício" pode trazer danos à saúde dos filhos. Pelo menos é isso que pretende analisar a pesquisa Exposição das radiações decorrentes do telefone celular e efeitos na saúde de crianças e adolescentes. Realizado pela física baiana Denize Francisca da Silva, o estudo inédito no Brasil faz parte do pós-doutorado dela, desenvolvido em parceria com a pesquisadora Emico Okuno, do Instituto de Física Nuclear da Universidade de São Paulo (USP). Pelo mundo, pesquisas já apontam indícios de que o uso do equipamento pode causar problemas na visão, hipertensão, distúrbios do sono e danos ao cérebro. Em 2011, a Organização Mundial da Saúde classificou o celular como possivelmente cancerígeno. Nas crianças, pesquisadores defendem que, por terem a cabeça menor e os ossos do crânio mais finos, a radiação do celular pode atingir partes mais profundas do cérebro, o que pode gerar danos à saúde. Em crianças, a Agência Sanitária da França aponta, em pesquisa divulgada em 2016, que as ondas eletromagnéticas emitidas por celulares podem ter efeitos sobre as funções cognitivas das crianças, especialmente memória, atenção e coordenação. 

Denize vai a 90 escolas públicas e privadas, onde deve conversar com 2.400 crianças e adolescentes entre 6 e 14 anos, além de pais, e profissionais das unidades de ensino. "O uso inadequado de telefone celular por crianças e adolescentes é bastante preocupante por questões relacionadas tanto com a exposição à radiação quanto ao comportamento", ressalta.

Riscos

As crianças estão mais expostas à radiação do celular e, por isso, os riscos do uso dos equipamentos podem ser maiores. Isso é o que defende o pesquisador gaúcho Cláudio Enrique Fernandez, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), que estuda o tema. "O tipo de exposição de uma criança é diferente de um adulto. A criança tem uma cabeça menor, o osso do crânio é mais fino, a onda do celular atinge partes diferentes do cérebro, mais profundas do que na cabeça de um adulto", explica. Mesmo se o tipo de exposição fosse igual em crianças e adultos, ele complementa, o sistema imunológico dos pequenos não está totalmente desenvolvido. A enfermeira Jácia Uzêda, por exemplo, controla o uso do aparelho pelo filho Luiz Henrique, de 8 anos. Ela conta que entrega o smartphone sexta-feira à tarde e recolhe domingo. "Tento controlar o máximo possível, inclusive evitando que ele fique o dia inteiro", revela. A também enfermeira Edinalva Gomes vai além: a filha dela, Ana Clara, de 7 anos, não tem celular. Usa só um tablet nos finais de semana. "Não tem birra. Tem final de semana que ela nem lembra". As mães confessam que não sabiam dos riscos à saúde, mas ressaltam que há uma preocupação quanto ao comportamento. "Se ficar o dia inteiro no celular, ele fica extremamente nervoso", afirma Jácia. "Tenho medo é de ela deixar de ser criança e esquecer que o bom é estar ao lado de um amigo, descobrindo brincadeiras", completa Edinalva.

CONTINUE LENDO

Paciente israelense queima viva enfermeira por não estar satisfeito com atendimento

  • 14 Mar 2017
  • 14:09h

(Foto: Reprodução)

Um paciente de 78 anos queimou viva nesta terça-feira (14) uma enfermeira em uma clínica do centro de Israel, porque, segundo a polícia, ele não estava satisfeito com o atendimento recebido.O suspeito fugiu em seu carro da clínica em Tel Aviv antes de ser detido.A enfermeira Tova Carero, que morreu em consequência das queimaduras, tinha 56 anos."Segundo os primeiros elementos de que dispomos, o suspeito não estava satisfeito e, durante uma conversa, jogou líquido inflamável sobre a enfermeira e ateou fogo", indicou um oficial da polícia ao portal de notícias Ynet.O diretor da clínica declarou à imprensa que o paciente já era conhecido por seu "passado médico", dando a entender que sofre de problemas mentais.

A razão pela qual gostamos tanto de comer chocolate

  • 01 Mar 2017
  • 11:09h

(Foto: Reprodução)

Por que gostamos tanto de chocolate? A resposta pode parecer simples - porque tem um "gosto bom". Mas vai além disso. Tem a ver com uma determinada relação entre gorduras e carboidratos, a que somos apresentados logo no início de nossas vidas. Os amantes de chocolate dificilmente abrem um tablete e conseguem se contentar em comer apenas um quadradinho - acabam devorando a barra inteira. E isso também acontece com outros alimentos. Mas o que faz com que a gente ache algumas comidas irresistíveis? E que características o chocolate compartilha com outros alimentos que simplesmente não conseguimos dizer "não"?

'Limonada e fruta do conde'

O chocolate é feito a partir de grãos de cacau, cultivados e consumidos nas Américas há milhares de anos. Os Maias e Astecas criaram uma bebida de cacau chamada xocolatl, que significa "água amarga". Isso porque, in natura, os grãos de cacau são bastante amargos. Para chegar ao grão, primeiro você precisa tirar a casca grossa do cacau, liberando uma polpa de sabor tropical intenso - com gosto entre a limonada e a fruta do conde. Conhecida como baba de cacau, é doce, ácida e muito pegajosa. Os grãos e a polpa são colocados para fermentar durante vários dias, antes de serem secos e torrados. Ao serem torrados, liberam uma variedade de compostos químicos, incluindo o ácido 3-metil-butanoico, que por si só tem um odor rançoso, e o dimetil trissulfeto, com cheiro de repolho cozido em excesso. A combinação dessas e outras moléculas de aroma cria uma assinatura química única que os nossos cérebros adoram. Mas os cheiros e as memórias felizes da juventude que esses odores provocam são apenas parte da atração do chocolate. O chocolate contém uma série de substâncias químicas psicoativas interessantes, que incluem a anandamida, um neurotransmissor cujo nome vem do sânscrito - "ananda", que significa "alegria, felicidade, prazer". As anandamidas estimulam o cérebro da mesma forma que a cannabis. Ele também contém tiramina e feniletilamina, ambas com efeitos semelhantes às anfetaminas. Além disso, você vai encontrar pequenos vestígios de teobromina e cafeína, conhecidos estimulantes. Por algum tempo, alguns cientistas de alimentos ficaram entusiasmados com a descoberta. Mas, embora o chocolate contenha essas substâncias, sabemos agora que são apenas alguns traços.

CONTINUE LENDO

Por que comer mais gordura é mais prejudicial para os homens do que para as mulheres?

  • Uol
  • 28 Fev 2017
  • 19:14h

(Foto: Reprodução)

As gorduras são essenciais em nossa dieta e especialistas recomendam que elas respondam por 20% a 30% das calorias que consumimos diariamente. Mesmo assim, é de conhecimento geral que comer muita gordura pode ser prejudicial para a saúde. Mas você sabia que o impacto em seu corpo vai depender se você for homem ou mulher? Essa é a conclusão de um estudo recente que acompanhou vários indivíduos de ambos os sexos. Durante uma semana, os participantes consumiram em excesso alimentos com alto nível de gordura tipo Omega-6, como salsichas e salgados. Os pesquisadores também analisaram como a ingestão afetou a capacidade deles de controlar o nível de açúcar no sangue. A médica Zoe Williams decidiu se submeter ao experimento para a BBC. Ela pediu ao responsável pelo estudo, Matt Cocks, da Universidade Moores em Liverpool, no Reino Unido, que não só repetisse os testes com ela, como participasse deles. Antes de começar, foram medidos os níveis de gordura e de açúcar no sangue dos dois. Zoe e Cocks também precisaram carregar monitores portáteis de glicose, para registrar a evolução do nível de açúçar no sangue durante a semana em que a pesquisa foi realizada. Além disso, eles tiveram de comer 50% a mais de gordura do que o normal, da seguinte forma:

Açúcar no sangue

Além da variação de peso, os monitores de glicose mostravam se a dieta estava afetando a capacidade de ambos para eliminar açúcar do sangue. Para Zoe, não houve qualquer problema. Mas para Matt a capacidade para eliminar o açúcar piorou em 50%. O resultado do estudo conduzido pelo especialista com outros participantes havia sido semelhante, e, em média, a capacidade para metabolizar o açúcar nos homens que se submeteram à dieta rica em gordura piorou 14%. “Um dos primeiros passos rumo à diabetes tipo 2 é a deterioração do controle da glicose”, explica o médico após o experimento.  “No meu caso, piorou seriamente a capacidade para controlar o nível de açúcar e, se eu tivesse continuado assim por um tempo prolongado, provavelmente teria desenvolvido diabetes tipo 2”, reconhece. O experimento ajuda a entender por que esse tipo de diabetes afeta mais homens do que mulheres. A dieta submetida por Zoe e por Cocks foi extrema, mas as mesmas consequências – embora em menor grau – podem ser sentidas por pessoas que consomem muita gordura regularmente, sobretudo homens.

Diante disso, o que devemos fazer?

A melhor recomendação é ter uma dieta balanceada, aliada, se possível, à prática de exercícios físicos. “Se você come e depois faz exercício, vai começar a queimar o que ingeriu”, explica Cocks. “Dessa forma, se seu almoço for rico em açúcares e gorduras, você pode contrabalancear seus efeitos negativos com uma leve caminhada depois”, completa.

CONTINUE LENDO

Comum no Carnaval, doença do beijo pode ser confundida com a gripe

  • 22 Fev 2017
  • 19:14h

(Foto: Reprodução)

Chamada mononucleose, a doença transmitida pela saliva causa febre e dor de garganta Nem só de marchinhas, serpentina e fantasias se faz o Carnaval. Essa época do ano também é conhecida pelos romances­relâmpagos de quem curte a festa na avenida ou em blocos de rua. Além de ser divertida, a paquera faz parte da folia, mas o problema é que os solteiros ficam mais expostos à mononucleose, também conhecida como “a doença do beijo”. O vírus, que é da mesma família do herpes, apresenta sintomas que podem ser confundidos com uma gripe ou resfriado, como dor de garganta, febre e gânglios inchados. O nome popular surgiu com a forma de transmissão da doença, que acontece principalmente pelo contato íntimo e troca de saliva. “É uma doença benigna, mas pessoas que têm leucemia, linfoma ou usam corticoides podem apresentar quadros mais graves”, disse Marcos Antonio Cyrillo, diretor da Sociedade Brasileira de Infectologia. Com a ajuda de Cyrillo e de Bianca Grassi de Miranda, infectologista do Hospital Samaritano de São Paulo, o site tirou as principais dúvidas sobre a doença do beijo antes de você cair na folia. Confira a seguir.
 

A transmissão acontece apenas pelo beijo? Não necessariamente. De acordo com Marcos Antonio, alguns casos raros também podem envolver uso do mesmo copo ou talher, mas o beijo é a principal forma de transmissão. “É mais comum pelo contato íntimo entre uma pessoa infectada e outra não”, disse. Quais são os sintomas da doença? No início, a doença pode ser confundida com a gripe. ”Muitas vezes (a mononucleose) é assintomática, ou seja, a pessoa infectada não sente nada ou sente sintomas leves, incaracterísticos. Mas pode causar febre, dor de garganta, tosse, dor no corpo, dor nas articulações, aumento dos gânglios da região do pescoço principalmente e manchas na pele. O período de incubação pode durar entre 30 e 45 dias”, explica Bianca. Em casos mais graves, geralmente para pacientes com imunidade baixa, a doença pode causar complicações como anemia e meningite. É possível adquirir mononucleose mais de uma vez na vida? Não. Depois de ser contaminado com a mononucleose, o corpo produz anticorpos específicos para se defender da doença. “O organismo combate o vírus, mas ele pode ficar no corpo durante muito tempo. Por isso, se o paciente tiver imunidade baixa, os sintomas podem voltar”, explica o diretor da Sociedade Brasileira de Infectologia. O problema é mais comum em homens ou mulheres? A transmissão do vírus é igualmente comum para homens e mulheres, mas, de acordo com Bianca, a mononucleose é mais frequente em crianças e adultos jovens, entre 15 e 25 anos. Como é feito o diagnóstico? A partir do momento em que notar os sintomas, o ideal é procurar um médico. O diagnóstico é clínico, associado a exames de sangue. “Para confirmação laboratorial pode­se fazer a sorologia (detecção de anticorpos do tipo IgM e IgG) ou até demonstração do DNA do vírus por técnicas de biologia molecular (usado em casos muito específicos apenas)”, detalha Bianca. A doença tem tratamento? Não. O organismo combate sozinho a mononucleose. “Depois de contaminado, o mais indicado é repousar até o organismo se recuperar”, indica Cyrillo. O que pode ser feito é um tratamento para aliviar os sintomas. “A doença é na imensa maioria dos casos autolimitada e se resolve sozinha. Em alguns casos de acometimento das vias respiratórias o uso de corticoides pode ser benéfico”, aconselha a infectologista do Hospital Samaritano. Quais são as dicas para evitar o problema? Como a doença é transmitida pelo beijo, a principal dica para prevenção é evitar o contato com pessoas infectadas. “Além de higienizar sempre as mãos, o mais indicado é evitar locais com muita gente e o contato com pessoas com sintomas gripais ­ que pode ser a mononucleose ­ , manchas na pele e dor de garganta”, disse Marcos Antonio. (Via site do Terra)

CONTINUE LENDO

Tempo de suspensão por 20 pontos na CNH aumentou; tire dúvidas

  • 18 Fev 2017
  • 17:06h

O Tempo mínimo de suspensão para quem atingiu 20 pontos ou mais na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) dentro de 1 ano aumentou em novembro passado. Foi de 1 mês para 6 meses. A mudança aconteceu na mesma época em que o valor de todas as multas foi reajustado e começaram a valer outras alterações no Código de Trânsito. O prazo máximo de suspensão para quem acumula 20 pontos ou mais continua sendo de 1 ano. Para quem voltar a atingir essa pontuação dentro de 1 ano, a penalidade mínima passou de 6 para 8 meses. A máxima continua em 2 anos. Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), no entanto, para o motorista estar sujeito aos novos prazos, todos os pontos têm de ter sido atribuídos depois de 1º de novembro, quando a mudança na lei começou a valer. Por isso, levando também em conta que existe um tempo entre o cometimento de uma infração e a suspensão ser efetivada, ainda não há muitos motoristas submetidos ao novo prazo, diz o Detran-SP. Veja abaixo perguntas e respostas sobre a suspensão da CNH.

1) O prazo de suspensão para quem atinge 20 pontos ou mais na CNH mudou?

Sim. Desde 1º de novembro de 2016, o tempo mínimo de suspensão do direito de dirigir para quem atinge 20 pontos na carteira em 1 ano passou de 1 mês para 6 meses. O prazo máximo continua sendo de 1 ano. Se o motorista voltar a atingir essa pontuação dentro de 1 ano, a penalidade passou a ser de 8 meses a 2 anos; antes eram 6 meses a 2 anos. Isso está na lei 13.281, que alterou o artigo 261 do Código de Trânsito Brasileiro.

2) A mudança já está valendo?

A lei passou a vigorar em 1º de novembro de 2016. Mas, para o motorista estar sujeito aos novos prazos, todos os pontos têm de ter sido atribuídos a partir dessa data, informa o Denatran.

3) Quem define se o motorista ficará suspenso por 6 meses ou mais?

Segundo o Denatran, "o período de suspensão será definido pela autoridade de trânsito responsável pela aplicação da penalidade", ou seja, os Detrans. O Detran-SP informou que o tempo varia "de acordo com o tipo e a gravidade das infrações, além de ser levado em conta o histórico do condutor (se é reincidente em suspensão, se já teve a CNH cassada, etc.)". O tempo de suspensão é informado quando a penalidade é confirmada, após os prazos para defesa do condutor.

4) Existem casos em que a suspensão é maior?

O prazo de suspensão para quem torna a atingir 20 pontos ou mais em 1 ano é maior, de 8 meses a 2 anos. Além disso, existem infrações em que é prevista a suspensão do direito de dirigir independentemente do número de pontos que o motorista tenha. Algumas dessas infrações já têm o período de suspensão definido, como dirigir alcoolizado ou recusar teste do bafômetro (1 ano). Outras, como guiar moto sem capacete ou dirigir em velocidade 50% acima do limite da via, não têm um prazo especificado na lei. Nesse caso, o tempo de suspensão vai variar de 2 a 8 meses.

5) Como fico sabendo quantos pontos tenho?

Os Detrans costumam disponibilizar a consulta nos sites. Alguns oferecem o serviço de aviso quando o motorista está prestes a atingir 20 pontos. É o caso do Detran-SP: quem se cadastra no site e autoriza o envio de SMS recebe mensagem quando atinge de 12 a 19 pontos.

6) Como descubro se minha CNH foi suspensa?

O motorista é notificado, via correio, pelo Detran; para isso, é preciso manter os dados atualizados no departamento. Primeiro, ele é avisado de que foi instaurado o processo de suspensão do direito de dirigir. O condutor tem um prazo para se defender. Se a punição for confirmada, ele será avisado disso e do prazo de suspensão. Os nomes dos motoristas que correm o risco de ter a CNH suspensa e dos que tiveram a suspensão efetivada também são divulgados no Diário Oficial do Estado.

7) Posso recorrer da suspensão?

Sim. Após receber a notificação da abertura do processo de suspensão, o motorista pode apresentar sua defesa por escrito em 1ª instância, até a data-limite que consta na carta enviada pelo órgão. Segundo Detran-SP, a data-limite sempre dá um prazo de pelo menos 30 dias a partir da entrega da correspondência para o condutor apresentar a defesa. A contagem do prazo de suspensão não começa enquanto não sair o resultado da análise da defesa. Caso o recurso seja indeferido (recusado), o condutor poderá recorrer em 2ª instância ao Conselho Estadual de Trânsito (Cetran). O recurso deve ser feito por escrito e entregue em até 30 dias a partir do resultado da análise do primeiro recurso. Se todos os recursos forem indeferidos, a penalidade de suspensão do direito de dirigir será aplicada.

8) O que acontece depois que fui suspenso?

É preciso entregar a CNH ao Detran e fazer o curso de reciclagem no Detran ou em um Centro de Formação de Condutores (CFC) credenciado. Alguns estados, como o de SP, permitem fazer o curso online, em CFCs autorizados. Para saber se há essa possibilidade, consulte o Detran do seu estado. Após cumprir o prazo de suspensão, o motorista deve entregar o certificado do curso de reciclagem e solicitar a retomada da CNH.

9) Qual a punição por dirigir com a CNH suspensa?

Quem for pego nessa condição terá a CNH cassada. Além disso, trata-se de infração gravíssima com o valor da multa multiplicado por 3.

10) Qual a diferença entre suspensão e cassação da CNH?

A cassação é uma punição mais severa: o motorista perde o direito de dirigir por 2 anos. Ela acontece se o condutor que estiver cumprindo suspensão for pego dirigindo ou em casos de reincidência, dentro de 1 ano, de determinadas infrações, como dirigir sem a CNH ou com habilitação de categoria diferente, dirigir alcoolizado, etc. Se o motorista tiver a CNH cassada enquanto ainda cumpre suspensão, somente após o término do tempo de suspensão e realização do curso de reciclagem é que a penalidade de cassação começa a ser contada. A partir daí, o motorista pode recorrer da cassação. Após o cumprimento do prazo da penalidade de cassação, o condutor pede autorização ao Detran para iniciar o processo de reabilitação, se quiser voltar a dirigir. É preciso fazer todos os exames como se fosse tirar a habilitação pela 1ª vez (médico, psicológico, prova teórica, prática...), mas, em vez de aulas de autoescola, a pessoa passa por um curso de reciclagem.

11) Se fui notificado sobre uma multa, quais são os meios legais para não ficar com os pontos?

Se o motorista perceber erros ou inconsistências na Notificação de Autuação de Infração de Trânsito ou no Auto de Infração de Trânsito, ele pode fazer uma defesa prévia – ou seja, antes da aplicação da penalidade. Se a defesa não for feita ou não for aceita, ele receberá a multa e poderá entrar com recurso na 1ª instância à Junta Administrativa de Recursos de Infrações (Jari), dentro do prazo estabelecido. Há ainda a possibilidade de recorrer em 2ª instância ao Conselho Estadual de Trânsito de São Paulo (Cetran). Caso, no momento do cometimento da infração, outra pessoa estiver ao volante do veículo, o motorista poderá apontar o infrator, preenchendo o formulário que existe no documento de notificação da infração e anexando a cópia da CNH da pessoa indicada, que também deve assinar o formulário. O Detran-SP alerta que esses processos têm a mesma duração se forem feitos pelo motorista junto ao Detran ou por meio de despachantes.

12) Posso converter multa em advertência?

Sim, em certos casos. O motorista pode fazer isso após ser notificado da infração, dentro do prazo de defesa (30 dias, em média). Mas a advertência só é possível nas seguintes situações:

- a infração de trânsito deve ter sido de natureza leve ou média (3 ou 4 pontos), como a multa por desrespeitar o rodízio de veículos em São Paulo;

- o condutor não pode ter cometido o mesmo tipo de infração nos últimos 12 meses;

- a CNH deverá estar em situação regular (não ter sido cassada ou suspensa).

13) Quem é motorista profissional também é suspenso?

Sim, se alcançar os 20 pontos dentro de 1 ano. Porém, desde 2015, quem exerce atividade remunerada em veículo, habilitado na categoria C (ex: caminhão), D (ônibus) ou E (veículo com reboque acoplado), pode optar por participar de curso preventivo de reciclagem sempre que, no período de 1 ano, atingir 14 pontos. Após a conclusão do curso, a pontuação é eliminada. O motorista, no entanto, não pode solicitar o curso preventivo mais de uma vez dentro de 1 ano.

CONTINUE LENDO

Por que dormir mais de 7 horas pode ajudar a perder peso

  • 12 Fev 2017
  • 17:02h

(Foto: Reprodução)

Quando questão é controlar o peso, normalmente recorremos a dietas e exercícios. Mas diversos estudos científicos sugerem que, se o objetivo é reduzir as calorias, também devemos prestar atenção na quantidade de sono. Uma pesquisa recente da universidade britânica King's College London revisou dezenas de pequenos estudos sobre a relação entre uma boa noite de sono e o apetite. Embora nem todos sejam afetados da mesma maneira, a pesquisa conclui que, em geral, dormir menos de sete horas por noite leva as pessoas a comerem muito mais. O programa da BBC Trust me, I'm a doctor ("Confia em mim, sou médico", em tradução livre para o português), realizou um pequeno experimento com quatro pessoas para testar essa teoria. O teste mostrou que os três voluntários que tiveram o sono interrompido diversas vezes durante a noite, graças a um bebê de brinquedo pré-programado para chorar regularmente, comeram mais do que o habitual no café da manhã e/ou escolheram alimentos menos saudáveis. Em contrapartida, o voluntário sortudo que dormiu bem fez sua refeição como de costume.

Por quê?

Segundo os pesquisadores, uma noite de sono interrompido afeta dois hormônios-chave relacionados à fome. Por um lado, gera um aumento do hormônio grelina, que estimula determinados neurônios hipotalâmicos, provocando um aumento do apetite. Por outro, suprime um hormônio chamado leptina, que normalmente emite um sinal que informa ao hipotálamo que o corpo já tem reservas suficientes, ou seja, que estamos saciados, e o apetite deve ser inibido. Além disso, alguns estudos sugerem que, quando somos expostos à comida em um estado de privação do sono, há uma ativação maior em áreas do cérebro associadas com recompensa. Isso pode fazer com que escolhamos alimentos com maior teor de açúcar e gordura, ao invés de outras opções mais saudáveis. Todos esses fatores ajudam a explicar por que, a longo prazo, existe uma forte ligação entre dormir mal, aumento de peso e outros problemas de saúde, como diabetes tipo 2. Assim, a recomendação dos médicos do programa da BBC é que, se você tem problemas para manter o peso ou para resistir à tentação de alimentos menos saudáveis, considere aumentar suas horas de sono. Pode ser uma forma fácil, barata e agradável de fazer a diferença na dieta.

CONTINUE LENDO