BUSCA PELA CATEGORIA "Cultura"

Cameron Boyce, astro de produções da Disney, morre aos 20 anos

  • G1
  • 07 Jul 2019
  • 16:35h

ameron Boyce em "Descendants", em 2015 — Foto: Divulgação

O ator americano Cameron Boyce, conhecido por papéis em filmes da Disney como "Descendentes" e pela série "Jessie", morreu neste sábado (6) aos 20 anos, informou a emissora ABC. "Ele morreu enquanto dormia devido a um ataque que foi o resultado de uma doença pela qual estava sendo tratado", disse ao canal de TV um porta-voz da família do ator. "O mundo está agora, sem dúvida, sem uma das suas luzes mais brilhantes, mas seu espírito viverá através da bondade e compaixão de todos os que o conheceram e amaram." Boyce, nascido em Los Angeles, estreou no cinema no filme de terror "Espelhos do medo" (2008), aos nove anos. Dois anos depois, apareceu na bem-sucedida comédia de Adam Sandler "Gente grande" (2010), antes de se tornar um astro do Disney Channel No canal, ele também trabalhou em produções como "Jake e os piratas da Terra do Nunca" e "Bunk'd". Além disso, participou de videoclipes como o da música "That green gentleman", da banda Panic! at the Disco. Nos últimos anos, o ator se dedicou a atividades beneficentes e foi premiado por seu trabalho em uma fundação sem fins lucrativos que conseguiu arrecadar mais de US$ 30 mil para construir poços de água potável no Reino de eSwatini, ex-Suazilândia.

'Cangaceiros' lembram luta do interior no Dois de Julho

  • BN
  • 02 Jul 2019
  • 18:42h

Foto: Joilson César / Ag. Haack / Bahia Notícias

Um grupo de "cangaceiros" de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), também foi às ruas do Centro Antigo da capital baiana homenagear nesta terça-feira (2) o Dois de Julho. Vestidos a caráter, os "Cangaceiros de Ipitanga" trouxeram quase 300 pessoas [entre 180 homens e 100 mulheres] para representar a força dos combatentes do interior do estado na luta pela Independência do Brasil na Bahia, selada em 1823. "Nós entendemos que os cangaceiros também participaram dessa independência, assim como Lauro de Freitas teve uma participação especial na luta dos Malês [1835] no Rio Joanes. Por isso, nós de Lauro de Freitas viemos prestigiar essa grande festa pela independência da Bahia e do Brasil", disse efusivamente o coordenador do grupo, Edivaldo Ferreira. O produtor cultural disse ainda que a proposta de trazer a figura do cangaceiro também é valorizar a cultura nordestina. "A gente que salvaguardar a cultura do Nordeste, tendo Lampião não como alguém ligado a banditismo, mas à cultura nordestina que deve permanecer viva", refletiu. O Cangaceiros de Ipitanga existe há dez anos e passou a desfilar no Dois de Julho, em Salvador, a partir de 2017.

Formada em teatro pela UFBA, atriz da Globo lamenta cortes na educação: 'É deprimente'

  • Ian Meneses / Júnior Moreira Bordalo
  • 29 Jun 2019
  • 08:19h

(Foto: IG)

Após participação em “Velho Chico” e “Segundo Sol”, a baiana Ariane Souza já tem data para voltar às telas da TV Globo. A atriz está gravando a série “Segunda Chamada”, de Carla Four, Jô Bilac e Julia Spadaccini, dirigida por Joana Jabace. A previsão de estreia é para outubro. Na trama, ela vive a Joelma. “A série se passa dentro de um EJA (Educação de Jovens e Adultos), de ensino noturno e eu faço uma das alunas. Ela é meio a ‘intriguentinha’ da escola. Ela se acha dona da situação, tudo tem que passar pelo seu”, explicou ao Bahia Noticias. As duas últimas participações da artista em projetos da platinada foram em obras nordestinas e ter trabalhado nesse contexto foi motivo de comemoração para ela. “Maravilhoso, importantíssimo. Era muito raro na época que eu morava em Salvador. Sempre que existia alguma coisa relacionada a Bahia eu ficava muito animada. Então, comemoro que cada vez mais tem se deslocado o audiovisual do eixo Rio-São Paulo. É uma questão de representatividade. O Brasil não se resume ao eixo, quero que aconteça cada vez mais.

Apesar dos 20 anos de carreira, Ariane segue buscando seu espaço na TV e entende as dificuldades por ser mulher, negra e nordestina. “Acho que o cenário está mudando, mas temos um caminho bem longo a percorrer para chegar à representatividade real do povo brasileiro. Tenho amigos fora do Brasil que assistem televisão brasileira e ficam impressionados com a diferença quando vêm ao País. Espero que em breve isso se equipare”, desejou. Sobre a falta de investimento em artistas negros no audiovisual de uma forma geral, destacou: “Ainda existe uma coisa enraizada da nossa história. É um processo que precisa abrir a cabeça dos investidores, dos diretores, autores...”.

 

CRISE NA EDUCAÇÃO

Morando no Rio de Janeiro há cinco anos, Ariane é bacharel em interpretação teatral pela Universidade Federal da Bahia e lamenta os recentes cortes na educação superior, que atingirão diretamente a sua faculdade. “É deprimente, tive uma experiência muito feliz na ETUFBA. A nossa faculdade é conceituada no mestrado e tudo mais. É uma referência do teatro. Sempre que chego aos lugares e perguntam se eu sou formada e digo que sou pela UFBA as pessoas vibram. Fico muito triste de saber que os jovens que estão entrando e pretendem entrar podem não ter essa experiência que tive, porque para mim a educação em todos os âmbitos é a chave de salvação”, firmou.

 

Para as pessoas que sonham em seguir a carreira, mas desanimam por não fazerem parte do eixo Rio – São Paulo, ela incentiva a não desistir. “Acho que a pessoa tem que seguir para onde é mais interessante à carreira. Para mim foi muito difícil não estar com minha família, principalmente com minha mãe e minha avó. Não foi simples e não está sendo simples”, confessou. Quanto aos sonhos, disse ter muitos: “Cada vez mais galgar espaços no teatro musical. Estou gostando muito de estar na TV, num lugar que nunca me vislumbrei fazendo e meio que caiu no meu colo na época de ‘Velho Chico’. Estou gostando de fazer e quero mais coisas na TV. Além de obviamente o cinema. Sou apaixonada real”, finalizou. Inclusive ela será vista em breve nas telonas nos longas “Pluft, o Fantasminha”, direção Rosane Svartman, e “L.O.C.A”, direção Claudia Jouvin.

CONTINUE LENDO

TVE exibe série sobre a luta pelos direitos civis da comunidade LGBTQIA+

  • IRDEB
  • 01 Jun 2019
  • 17:57h

(Divulgação)

No mês em que a pauta da criminalização da homofobia volta ao Supremo Tribunal Federal, a TVE Bahia exibe a série ‘Diversidade’, que conta histórias de nove personagens que lutam pelo reconhecimento dos direitos civis da comunidade LGBTQIA+. A produção estreia no dia 3 de junho e vai ao ar todas as segundas-feiras, às 23h30. Dirigida por Elen Linth, que luta contra a discriminação e violência a gays, lésbicas, transexuais e travestis, a obra documental foi financiada pelo programa Brasil de Todas as Telas, da Agência Nacional de Cinema (Ancine), e trazem temas como adoção, nome social, casamento e mercado de trabalho. Todos os episódios poderão ser acompanhados também pelo Portalwww.tve.ba.gov.br/tveonline

Brumado: Show do Humorista Zé Lezin será no próximo dia 08/06 na AABB

  • 30 Mai 2019
  • 19:37h

Um dos shows de maior sucesso no Brasil, o “Show Zé Lezin Acústico” promete fazer o público dá muitas gargalhadas. Sempre contextualizado com os acontecimentos, o artista sempre surpreende o seus fãs com piadas e “causos” que arrancam muitos risos de todos. O show acontecerá no próximo sábado 08/06 na AABB de Brumado a partir das 21h:00min. Os ingressos estão disponíveis na Sorveteria Zero Grau, Kabana Natural, Tiazinha Distribuidora, Roteiro Viagens.

Conquista: Atrações do Festival de Inverno dividem opiniões nas redes sociais

  • BRF
  • 27 Mai 2019
  • 19:51h

(Divulgação)

Há 15 anos é sempre assim, as especulações acerca das atrações do Festival de Inverno duram quase o semestre todo, e após a divulgação oficial a “guerra” de opiniões toma conta das redes sociais. Neste ano não foi diferente, uma mar de opiniões a favor e contra as atrações do festival de inverno 2019 invadiu as redes sociais, só se falou nisso durante o final de semana. As opiniões são variadas, teve gente dizendo que “essa é a melhor grade de atrações de todos os tempos, essa mistura vai agradar a todos os públicos”. Por outro lado teve gente afirmando que “o festival de inverno Bahia perdeu sua essência, uma pena.”

‘Bacuru’: filme brasileiro ganha prêmio do júri em Cannes

  • Redação
  • 26 Mai 2019
  • 07:08h

Foto: AFP / Valery HACH

Filme brasileiro dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles,  ‘Bacurau’ recebeu neste sábado (25) o prêmio do júri do Festival de Cannes, ‘ex aequo’ com o francês “Les Misérables”. “Bacurau” narra a história de um pequeno povoado do sertão perseguido por um grupo de assassinos americanos. O filme é visto como uma mensagem de resistência ao atual governo de extrema-direita do Brasil. “Trabalhamos para a cultura no Brasil e o que precisamos é de seu apoio”, disse ao receber o prêmio Mendonça, que já competiu pela Palma de Ouro em 2016 com “Aquarius”. O filme se passa dentro de alguns anos no Brasil. O povoado de Bacurau, localizado no Sertão do Seridó, desaparece do mapa na internet. Os celulares param de funcionar, deixando os moradores isolados. Os assassinos têm carta branca para liquidar todo mundo, mas a comunidade se organiza para resistir.

 

Assembleia de Deus em Brumado empreende esforços na evangelização e realizará cruzada evangelística

  • Renato Santos
  • 03 Mai 2019
  • 10:24h

Cruzada evangelística acontecerá em Umburanas no dia 18 de Maio

A secretaria de Missão e a União da Mocidade das Assembleias de Deus de Brumado realizará no dia 18 de Maio uma cruzada evangelística em Umburanas.

Durante o dia será realizado um importante trabalho social, profissionais das mais distintas áreas estarão prestando serviços gratuitos para os moradores da localidade, assessoria jurídica, corte de cabelo, aferição de pressão, manicure, clareamento dental entre outros. Os organizadores do projeto evangelístico idealizaram também momentos especiais para as crianças, com muito entretenimento e dinamismo, sendo o objetivo maior levar tanto crianças como adultos a terem uma proximidade maior da Palavra de Deus.

A Cruzada iniciará 19h, subordinada ao tema “Sal & Luz”, o preletor o pastor Ivã Leão presidente das Assembleias de Deus em Brumado se mostrou otimista quanto à realização do projeto missionário que a Igreja está empreendendo e convida toda sociedade brumadense para participar das atividades, ele acredita que igreja deve revelar a Cristo não somente através da Pregação, mas também de ações que provoque não somente reflexão, mas mudanças práticas na sociedade e ajudar os mais necessitados está na pauta de prioridades da igreja.

Contamos com seu apoio, pois estaremos distribuindo roupas e alimentos no povoado de Serra Negra, uma localidade muito carente próxima de Umburanas. Para fazer suas doações de cestas básicas, roupas e sapatos entrem em contato com Renato Santos secretário do departamento de missão e evangelismo através do (77) 9 9901 1209.

 

Foto da Cruzada Realizada pela Igreja Assembleia de Deus em Sussuarana Bahia.

Conquista: Peça ‘Precisamos falar de amor sem eu dizer que te amo’ com os atores Priscila Fantin e Bruno Lopes será apresentada nos dias 01 e 02 de maio

  • 30 Abr 2019
  • 18:28h

Foto: Divulgação

Precisamos Falar de Amor Sem Eu Dizer Te Amo é a peça que será apresentada nos dias 01 e 02 de maio, sempre às 21 horas, no CEMAE, tendo o casal Bruno Lopes e Priscila Fantin como protagonistas do espetáculo.
Os dois artistas estiveram recentemente em Pernambuco, onde apresentaram a Paixão de Cristo durante a Semana Santa. Priscila e Bruno chegam com antecedência para fazer trabalho de divulgação nos diversos órgãos de imprensa da cidade. Os ingressos estão à venda na Banca Central e também através dos seguintes números: 99965-0595, 99929-5333, 98811-9344, 99107-6288 e 98824-1013. Ligue para um desses números e o ingresso chega até você.

Grupo Galpão de Teatro apresenta em Brumado o espetáculo Os Gigantes da Montanha, com entrada gratuita

  • 30 Abr 2019
  • 18:11h

Foto: Divulgação

Depois do sucesso da temporada do ano passado, o grupo mineiro volta à cidade, mais uma vez a convite da RHI Magnesita.

APRESENTAÇÕES:

18 de maio (sábado) - 20h
19 de maio (domingo) – 19h

Praça Coronel Zeca Leita (Praça da Prefeitura) – Brumado/BA

Acesso Gratuito

BATE-PAPO COM OS ATORES:

18 de maio – 14h às 16h
Prefeitura de Brumado

Entrada gratuita e sem necessidade de inscrição prévia

Tatuador brumadense faz sucesso em Vitória da Conquista

  • Brumado Urgente
  • 08 Mar 2019
  • 08:44h

O brumadense tem um talento nato e muito especial para as artes e os esportes, tanto que vários representantes da capital do minério vêm se destacando nos quatro cantos do planeta. Agora alguns seguimentos modernos das artes também já começam a notabilizar novos nomes no cenário que era tido como “underground”, só que agora, com a mentalidade renovada, profissões que eram descriminadas, como a dos tatuadores, hoje, ganharam um reconhecimento muito grande, numa total virada de página, que vem sendo corroborada pela moda e modernidade. Então, nesse novo conceito, Brumado vem revelando ótimos tatuadores e, um deles, vem se notabilizando pelo seu brilhante trabalho, que é o talentoso Leonardo Trindade (34), que abriu recentemente um estúdio de Tatoo e Piercing em Vitória da Conquista e, em menos de 2 anos, já é reconhecido como um dos melhores da região. Com uma carta de clientes cada vez maior, “Léo Tatto” como é popularmente conhecido, vem revelando um trabalho inovador, com equipamentos de última geração, além do rigor da higienização. Com traços muito bem delineados e desenhos exclusivos, ele vem conquistando toda a região. O seu estúdio fica localizado na Av. Olívia Flores, 286, sala 207, contato pelo celular (77) 99121-4877.

Relatório aponta que grandes nomes da música infringiram Lei Antibaixaria no Carnaval 2018

  • 19 Fev 2019
  • 09:20h

Artistas e bandas como Leo Santana, Xanddy, Larissa Luz, Preta Gil, Luiz Caldas, Igor Kannário e La Fúria estão na mira do Ministério Público da Bahia (MP-BA) por supostamente descumprir a Lei Antibaixaria no Carnaval de 2018. O Observatório do Carnaval registrou 32 infrações cometidas por blocos, artistas e bandas na festa de 2018. Em uma recomendação enviada ao Estado da Bahia e à Prefeitura de Salvador, o órgão pede informações de aplicação de penalizações aos blocos que descumpriram a norma, executando músicas de conteúdo racista, homofóbico e/ou machista (veja aqui). A recomendação foi baseada no Relatório do Observatório do Carnaval de 2018, entregue ao MP somente em novembro do ano passado. O MP já recomendou ao Município e ao Estado que fiscalizem os blocos e insiram nos contratos uma cláusula referendando as leis e penalizem os blocos e artistas caso a regra não seja respeitada. O contratante pode ser multado em R$ 10 mil em caso de descumprimento da lei, e os blocos ou artistas podem ser multados em 50% do valor do contrato ou cachê. A Lei 12.573/12 proíbe o uso de recursos públicos do Estado para contratação de artistas que em suas músicas desvalorizem, incentivem a violência ou exponham mulheres a situação de constrangimento, ou ainda, contenham manifestação de homofobia, discriminação racial ou apologia ao uso de drogas ilícitas. Já a Lei Municipal 8.286/12 proíbe o uso de recursos públicos no âmbito do município de Salvador para contratação de artistas que em suas músicas, danças ou coreografias desvalorizem e incentivem a violência ou exponham as mulheres à situação de constrangimento.

Os blocos que receberam patrocínio do Estado e do Município e que podem ter descumprido as Leis Antibaixaria são: A Sombra, Babado Novo, La Fúria, Magarylord, Pricipe Aira, Psirico e Samba do Pretinho. Entre os possíveis infratores que receberam recursos do Município estão os blocos As Kuviteiras, Atooooxxa, Banda Pagodão, Black Style, Duas Medidas, Edcity, Emicida, Felipe Pezzoni, Hiago Danadinho, Igor Kannario, Jonh Robert, Larissa Luz/Baco Exu Dos Blues, Os Africanos, Pagode Do Vinny, Trio Independente BT- Léo Santana e Xanddy. Já por parte do Estado, receberam patrocínio e infringiram a lei os blocos da Banda Parangolé, Bell Marques, Bloco da Preta (sem cordas), Luiz Calda, Pablo, Solange, Trio Independente BT- Solange e Viola De Doze.

 

Quase 90 blocos também devem ser fiscalizados por não veicular campanhas educativas contra trabalho infantil, racismo, homofobia e violência contra mulher, como previsto no Estatuto do Carnaval. Entre eles, blocos de artistas famosos, como Aline Rosa, Anitta, Alok, Aviões do Forró, Bayana System, Claudia Leitte, Daniela Mercury, Igor Kannário, Pablo, Parangolé, Lá Furia, Ju Moraes, Larissa Luz, Cortejo Afro e Filhos de Gandhy.

 

CUIDADO COM CONVIDADOS

De acordo com a promotora de Justiça Márcia Teixeira, coordenadora do Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos (CAODH), o artista, muitas vezes, é contratado pelo Estado ou Prefetura, mas chama outra pessoa para fazer uma participação especial, e esse convidado descumpre a lei. A promotora reforça que esses artistas listados, “em tese, violaram as leis antibaixaria”. “Nós pedimos que o Estado e o Município nos sinalizem esses casos para que possamos cobrar as medidas. Além disso, temos que observar a precisão das informações, as provas”, afirma. Ela cita um exemplo: “Luiz caldas tem patrocínio estadual e, em tese, violou a lei: que música foi, em quem momento foi?”, questiona. Somente com informações precisas o órgão poderá agir corretamente. “Eu não posso chamar de forma arbitrária esses artistas. Eu oficiei o Governo e o Município para informarem se chegaram denúncias formais, sinalizando essa violação e se foram tomadas providências pelo Estado e Município. Em tese, é uma violação legislativa, mas não é crime. Crime é se houver racismo e apologia ao crime”, declarou, reforçando que o caráter dessas normas é administrativo. Os artistas, por exemplo, que fazem apologia ao crime, ainda que não sejam contratados pelo Estado ou Prefeitura, são alcançados pela tipificação criminosa não prevista na Lei Antibaixaria. Durante o Carnaval, a promotora relata que o MP baiano não recebeu nenhuma denúncia formal de violação da Lei Antibaixaria.

 

Márcia Teixeira afirma que os principais fiscalizadores da lei devem ser o Estado, a Prefeitura e a sociedade e lembra que a regra foi criada para “evitar um número grande de violência contra mulheres e a comunidade LGBT e negra”. “Não é censura, é um cuidado. Embora tenha muitas críticas, a intenção é que não usemos o recurso público para incentivar práticas discriminatórias e de violência, ter mais cuidado com as crianças e adolescentes que estão no circuito e que não precisam tão cedo ficar próximos da hiperssexualização que muitas vezes acontece. Também para que tenhamos cuidado com a apologia ao crime e atos que pode legitimar a violência contra a mulher”, avalia. A promotora também pondera que as normas são uma “proteção ao patrimônio público, ao recurso público, às mulheres, à comunidade LGBT e à população negra”. “Vamos acolher e respeitar a diversidade. Não vamos usar o dinheiro público para bancar para quem não cuida do outro, para quem não é solidário com a dor do outro”, sentenciou.

 

RELATÓRIO DO OBSERVATÓRIO DO CARNAVAL
Após entregar o relatório do último Carnaval somente em novembro de 2018 ao MP, a secretária municipal da Reparação Ivete Sacramento, conforme diz a promotora, já se comprometeu a entregar os dados do Carnaval de 2019 ao MP-BA logo após a folia para que haja uma atuação mais rápida e eficaz. O relatório aponta que, de forma geral, houve um aumento expressivo de registros de violação da lei, se comparado com 2017, quando foram registradas 16 infrações. Em 2018, foram 117 registros feitos pelos integrantes do Observatório. Do total de registros, 32 artistas, blocos e bandas contavam com patrocínio público, sendo 16 do Governo do Estado e 23 do Município.

CONTINUE LENDO

Baiano cria HQs de heróis negros com orixás e história Yorubá: 'Legado das civilizações africanas'

  • 20 Jan 2019
  • 13:03h

Foto: Hugo Canuto/Reprodução

Filmes, animações e séries de heróis como Pantera Negra, Cyborg (Teen Titans) e Luke Cage ascenderam debates sobre a representatividade entre os heróis nos últimos anos. Como instrumento para reforçar o empoderamento negro nas histórias em quadrinhos (HQs), o quadrinista baiano Hugo Canuto criou os “Contos dos Orixás”.Parte de um projeto que adapta os mitos e lendas sobre as divindades da África Ocidental, as histórias retratam os orixás em linguagem artística e com respeito às tradições dos povos Yorubás – civilização existente no continente africano, onde ficam atualmente a Nigéria e partes do Benin e do Togo.Entre os protagonistas das HQs, por exemplo, está o Rei Xangô, o senhor do trovão. A história conta ainda com Obatalá (outro nome para Oxalá), que criou o mundo com a ajuda dos irmãos. Orixás guerreiros como Ògún, o senhor do ferro, e Oxóssi, o caçador, também são retratados.De acordo com Canuto, a jornada para criar os Contos dos Orixás teve uma inspiração: “O legado das civilizações africanas que moldaram minha terra de origem, a Bahia e sua ancestralidade, representadas aqui pelos Itan, conjunto de narrativas ligadas aos Orixás, arquétipos milenares de força, coragem e sabedoria”.Para construir o projeto, o quadrinista trabalhou por cerca de dois anos e meio, ao lado de sacerdotes, acadêmicos e outros autores que compartilharam saberes. Além do estudo, ele fez cursos de língua e cultura Yorubá, e usou como referência obras de Pierre Verger, Edson Carneiro e Lydia Cabrera.Apesar das referências aos elementos ligados aos orixás, como por exemplo: Oxum, a rainha dos rios e cachoeiras; Iansã, a senhora dos ventos e tempestades, e Yemanjá, a senhora das águas, os Contos dos Orixás não se tratam diretamente de uma obra religiosa.“Os contos não falam sobre o Candomblé, a Umbanda, Santeria ou Ifá, seus ritos, fundamentos iniciações e segredos, mas buscam fazer um recorte respeitoso com foco na cultura Yorubá, assim como os mitos e histórias dos orixás”.No planejamento inicial, as histórias tinham 60 páginas. Hoje, a revista tem o dobro de folhas, no formato americano de HQs. A publicação dos Contos dos Orixás começou a ser viabilizada de forma independente, a partir de um financiamento coletivo, o chamado “crowdfunding”.“Ao longo do tempo de produção, senti a necessidade de ampliar o conteúdo para contar a história que desejava. Assim, dobramos o tamanho da revista, tendo a versão final o total de 120 páginas. Isso exigiu mais tempo na elaboração, visto que, do roteiro até a arte, o processo se deu de maneira autoral”, contou Hugo.O projeto foi disponibilizado na plataforma Cartase e, com o apoio e iniciativa do público, até a publicação desta reportagem, já havia arrecadado 784% da meta que era de R$ 20 mil [a campanha já arrecadou R$ 144.867 ]. Quem deseja apoiar o quadrinista pode fazer contribuições a partir de R$20. As recompensas vão desde revistas impressas e exemplares autografados a ilustrações e outros itens.Durante a primeira campanha, em 2017, o quadrinista subsidiou, em R$25, o preço de 500 exemplares para os apoiadores. O valor do quadrinho atualmente é de R$45.As duas primeiras tiragens tiveram cerca de quatro mil exemplares, e foram lançadas em pré-venda na Comic Con Experience (CCXP), em dezembro do ano passado. O lançamento oficial será na noite de terça-feira (22), com uma palestra e noite de autógrafos no Teatro Sesi, no bairro do Rio Vermelho, em Salvador."Nosso projeto possui um braço social, que busca fazer da arte um instrumento de transformação"."Assim, em ambas as campanhas, determinamos que uma parte dos exemplares seja doada para terreiros, instituições de ensino e de promoção da cultura afro-brasileira, na Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo", explicou Hugo.Como parte do braço social que envolve Canuto e os Contos dos Orixás, exemplares da revista foram distribuídos para educadores, que também costumam usar as 16 artes da representação dos orixás, principalmente em Salvador.“No geral, a maioria usa as imagens disponibilizadas na página e, de maneira orgânica, aplicam em suas disciplinas de história, geografia, artes", ponderou."O trabalho se tornou um instrumento natural de empoderamento e afirmação por parte do público, o que muito nos alegra”.

Brumado: Ator global Marcos Junqueiro o ‘Kikito’ da novela a força do querer, virá à cidade fazer divulgação de seu novo filme

  • 15 Jan 2019
  • 08:00h

O ator global Marcos Junqueira que já atuou em diversos trabalhos na Tv, Teatro e Cinema, estará em Brumado amanhã (16), para fazer a divulgação de seu novo filme ‘Reação em Cadeia’, que dirigido pelo ator,  apresentador e cineasta Márcio Garcia. ‘Reação em Cadeia’ mostra como a ação de uns afetam outros. Com personagens fortes e relações intensas, nossa estória, apesar de ser repleta de ação, é humana e sensível”, explica o diretor do filme, Márcio Garcia. O longa tem co-produção e distribuição de potências do cinema como Warner Bros. Pictures, Paris Filmes e Downtown Filmes, além da produção da MGP Filmes, e combina ingredientes capazes de atrair qualquer público. Trata-se de uma estória com pitadas de romance, uma boa dose de suspense e cenas de ação super produzidas, repletas de surpresas e viradas, além de personagens consistentes. O filme que possivelmente estreia em março, tem tudo para ser um novo sucesso das telonas no Brasil. Além da divulgação do filme, o ator Marcos Junqueira, fará também presença VIP em algumas empresas na cidade, como no Rei das Capinhas, Hotel Portal PremiumSabores do Nordeste, Mille Cosméticos, Auto escola Super Modelo, Karina Modas, Odonto Mota, Clínica Dr. Samuel Paulon, Creperia do Cheff, Kart Race Conquista, Chaal-Kun Fotografias, Roteiro Viagens, Perfil Ted, Show de Renato Piaba, Brumado Privilege, Conquista no Insta, Agência Sertão, Rádio Cultura, Rádio Nova Vida, Rádio Alternativa FM, Band FM e TV Sudoeste.

Prestes a completar 100 anos, Terreiro baiano se torna Patrimônio Cultural Brasileiro

  • Francis Juliano
  • 01 Jan 2019
  • 13:02h

Foto: Carolina di Lello/Divulgação

O terreiro de candomblé Tumba Junsara, situado no Engenho Velho de Brotas, em Salvador, foi tombado como Patrimônio Cultural Brasileiro. Uma portaria do Ministério da Cultura, publicada nesta segunda-feira (31) no Diário Oficial da União, torna o terreiro soteropolitano detentor do título. A Casa está prestes a alcançar 100 anos de fundação, que ocorre em 2019. O templo é um dos da tradição Angola mais antigos do país.