BUSCA PELA CATEGORIA "Cultura"

Ancine censura filmes com temáticas gay e negra

  • Redação
  • 16 Set 2019
  • 18:05h

Agência retirou ajuda de custo no valor de R$ 4,6 mil para os produtores de Greta e Negrum3 | Divulgação / Facebook

Agência Nacional do Cinema (Ancine) rescindiu o termo de permissão que dava aos produtores de “Greta” e “Negrum3”, uma ajuda de custo de R$ 4,6 mil para cada um participar do evento que se realiza a partir desta sexta-feira (20), em Lisboa, Portugal. Com informações da Coluna Lauro Jardim. A retirada do auxílio pode ter ligações com a manifestação explícita do presidente Jair Bolsonaro contra os temas de negritude e homossexualidade. Ancine recentemente trocou o comando na agência. Christian de Castro foi afastado da presidência por força de decisão judicial e Alex Braga assumiu como diretor da agência.

Paulo Gustavo veta beijo gay em filme Minha Mãe É Uma Peça 3: ‘Não sou ativista’

  • Redação
  • 13 Set 2019
  • 11:08h

O ator é casado há 6 anos com o dermatologista Thales Bretas e foi duramente criticado nas redes sociais por cortar o momento entre dois personagens no longa | Foto: Marco Antonio Teixeira/ Divulgação

Paulo Gustavo resolveu se pronunciar após vetar o beijo entre os personagens Juliano (Rodrigo Pandolfo) e Thiago (Lucas Cordeiro) no casamento do casal no filme ‘Minha Mãe É Uma Peça 3’. Por meio de seu perfil no Instagram o humorista revelou que a ideia do longa, que estreia no dia 26 de dezembro, é mostrar um pouco da sua história, mas sem puxar para o lado ativista. “Eu quis botar esse trecho do casamento deles dois pra relembrar o que eu vivi e, com isso, tentar inspirar e transformar outras famílias! Coisa que eu tenho feito todos esses anos em vários trabalhos! […] Eu entendo esses questionamentos, acho legítimo e importante! Mas eu acho que estão mirando no alvo errado! Não sou ativista, militante, mas sou um ser político! Minha bandeira é minha vida!”, desabafou.  O ator é casado há 6 anos com o dermatologista Thales Bretas e foi duramente criticado nas redes sociais por não exibir o momento entre o casal no longa. “Paulo Gustavo esqueceu que pra ele ter o direito de ser casado com o maridão há três anos e ter dois filhos gerados em barriga de aluguel, precisou de MUITAS PESSOAS esfregando a opinião pessoal na cara do público”, disse um internauta. “O Carlinhos Maia e o Paulo Gustavo são os gays que tem maior alcance e influência no mundo hetero aqui no Brasil ne e são os que mais prestam desserviço pra própria comunidade… é difícil demais caras”, escreveu outro.

Morre escritora Fernanda Young aos 49 anos

  • Redação
  • 26 Ago 2019
  • 06:48h

Ela foi roteirista das séries “Os Normais”, "Os Aspones", "Minha ada mole vida e "O Sistema", todas da Rede Globo Redação

Morreu na madrugada deste domingo (25), em São Paulo, a atriz, escritora e roteirista Fernanda Young, de 49 anos. Segundo o portal G1, ela teve uma crise de asma seguida de parada cardíaca. O corpo da artista será velado no Cemitério de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, a partir das 13h. O enterro está previsto para ocorrer as 16h no mesmo local. Fernanda entraria em cartaz no dia 12 de setembro em São Paulo com a peça “Ainda nada de novo”, em que contracenaria com Fernanda Nobre. Young foi roteirista das séries “Os Normais”, “Os Aspones”, “Minha Nada Mole Vida” e “O Sistema”, todas da Rede Globo. Ela também é autora de ao menos 14 livros, entre eles, “Pos-F”, “Estragos” e “A mão esquerda de vênus”. Fernanda Young começou sua carreira na televisão em 1995, na série “A comédia da vida privada”, adaptação de textos de Luis Fernando Verissimo que assinou com o marido, Alexandre Machado, exibida pela Rede Globo

Cinemas têm até janeiro para garantir acessibilidade a cegos e surdos

  • Redação
  • 19 Ago 2019
  • 10:20h

(Foto: Reprodução)

A partir do dia 1º de janeiro de 2020, todas as salas de cinema do país serão obrigadas, sob pena de multa, a oferecer aparelhos de acessibilidade para deficientes visuais e auditivos. A determinação está na Instrução Normativa 128/2016, da Agência Nacional do Cinema (Ancine). Até o dia 16 de setembro deste ano, os exibidores precisam ter atingido a meta de 35% das salas dos grandes complexos e 30% das salas dos grupos menores. Segundo o secretário-executivo da Ancine, João Pinho, o dia 16 de junho foi o primeiro prazo para o cumprimento das metas, com a exigência de 15% das salas de grandes complexos oferecendo os recursos de legendagem, legendagem descritiva, audiodescrição e Língua Brasileira de Sinais (Libras) para quem solicitar.

 

“Agora a gente entrou efetivamente na segunda fase, que é monitoramento do cumprimento em si. Ainda tem um pouco de orientação, mas já começa com a fiscalização pelos complexos. Estamos acompanhando semanalmente pelos sistemas internos da agência e de acordo com o plano de fiscalização, que envolve visitas técnicas quando necessário. Estamos divulgando a lista dos cinemas que se declaram acessíveis.”

Segundo o último levantamento feito pela agência, divulgado no fim de junho, a meta de 15% havia sido cumprida. A lista das salas com os recursos pode ser consultada na internet e o próximo levantamento deve ser divulgado no início de setembro.

Pinho explica que as exigências de acessibilidade para o setor de cinema no Brasil começaram em 2014, com a obrigatoriedade de todos os filmes produzidos com recursos públicos oferecerem os recursos para audiência de cegos e surdos. E desde 16 de junho todos os filmes, inclusive estrangeiros, já estavam adaptados.

“Se a gente colocasse a obrigatoriedade logo, o exibidor não ia ter conteúdo acessível para oferecer ao público alvo. Isso era para criar um estoque de filmes e também de séries, porque vamos começar isso depois para a TV. Então a gente já teve 100% dos filmes nacionais, agora 100% dos filmes de qualquer nacionalidade e em 1º de janeiro 100% dos cinemas”.

O secretário explica que não há dados sobre a utilização dos recursos de acessibilidade nas salas, mas para o ano que vem o sistema da Ancine que contabiliza a bilheteria dos cinemas do país vai trazer essa informação. Além disso, ele destaca que duas câmaras técnicas montadas dentro da agência, uma sobre acessibilidade e outra com os exibidores, acompanha a implementação das medidas para avaliar a eficácia e qualidade dos serviços oferecidos.

“Tem as duas câmaras técnicas para dar o feedback, como melhorar o equipamento, aumentar o número de equipamentos disponíveis se tiver muita demanda, legenda em libras malfeita, por exemplo. Daí teremos que fazer campanhas para melhorar essas coisas”.

Segundo Pinho, o Brasil é pioneiro na área, sendo o único país que exige exibição cinematográfica com língua de sinais. “Temos recebidos feedbacks qualitativos, muito emocionantes, de pessoas com deficiência que nunca tinham ido ao cinema na vida, pessoas que nunca viram ou asistiam filme sem entender. A gente vê que está impactando positivamente a vida dessas pessoas”, explicou.

CONTINUE LENDO

Famoso por papeis no 'Zorra', ator João Carlos Barroso morre aos 69 anos vítima de câncer

  • Redação
  • 13 Ago 2019
  • 09:30h

(Foto: Reprodução TV Globo)

O ator João Carlos Barroso morreu aos 69 anos na noite desta segunda-feira (12) após complicações de um câncer. A notícia foi confirmada por amigos do artista nas redes sociais. "É com imensa tristeza que recebo esta notícia [...] Que Deus o receba em seu reino de luz. Meus sentimentos à família", lamentou o ator Mario Cesar Nogueira. O artista estreou no cinema em 1961 no filme "Pedro e Paulo". Na Globo, ele ficou conhecido pelas atuações em novelas, além de participações em "Os Trapalhões" e "Zorra Total". Seu trabalho mais recente nas telinhas foi em 2016, na novela Sol Nascente, na qual deu vida ao delegado Mesquita.

Obra do mosaicista Léo Guenes vem atraindo a atenção dos brumadenses pela originalidade e criatividade

  • Daniel Simurro | Brumado Urgente
  • 01 Ago 2019
  • 16:14h

O mosaicista Léo Guenes atualmente reside em Brumado (Foto: Laércio de Morais | Brumado Urgente)

A arte milenar dos mosaicos ainda continua mais viva do que nunca, com várias obras importantes sendo executados no cenário artístico mundial. No Brasil, existem obras notáveis como o internacional Calçadão de Copacabana. Os mosaicistas organizam com muita criatividade pequenas peças coloridas, que são unidas sobre uma superfície, criando obras que continuam sendo muito admiradas. Em Brumado, um mosaicista vem se destacando, que é o artista Léo Guines (41) que vem desenvolvendo um belo mosaico na frente da Escola Nossa Senhora de Fátima. Natural de Recife (PE), ele é autodidata e já vem desenvolvendo a arte há 4 anos. Atualmente residindo em Brumado, onde está montando um amplo ateliê, Léo está produzindo um trabalho modernista, com caraterísticas de realismo geométrico, que realmente vem chamando a atenção pela sua beleza, criatividade e autenticidade. Tendo o apoio da direção da escola que, mais uma vez, vem comprovar a valorização da arte, desta feita de uma vertente não muito difundida localmente, já que em Brumado não se tem conhecimentos de muitos mosaicos, a não ser os religiosos. Quem se interessar em conhecer melhor o trabalho do artista ou até ter um mosaico em sua residência, fazenda, escritório ou empresa é só entrar em contato pelos celulares ou whatsapp: (77) 9.9957-9951 / 9.9932-1972.

Valorização da Cultura: 4ª Cavalgada de Ubiraçaba tem o apoio de Léo Vasconcelos

  • Divulgação
  • 31 Jul 2019
  • 09:03h

(Divulgação)

Sempre tendo em seu planejamento parlamentar a valorização da cultura local, o presidente do Poder Legislativo de Brumado, vereador Léo Vasconcelos, vem desenvolvendo uma série ações nesse sentido, tendo sempre um foco muito especial no meio rural. Então, dando continuidade aos seus projetos, Léo, que também é um apaixonado pelas cavalgadas, está apoiando um acontecimento que se estabeleceu como um dos mais importantes deste setor que é a 4ª Cavalgada de Ubiraçaba que neste ano de 2019 terá uma logística ainda melhor e também grandes atrações. O evento, que é organizado por Iraci Santos e Ivan Santos e equipe, acontecerá nos dias 07 e 08 de setembro. Os shows ocorrerão na noite de sábado e a grande cavalgada tem seu início marcado para às 10h30m na Lagoa São João. Assim que terminar será servida uma feijoada de confraternização. Então você que também é amante das cavalgadas não pode perder essa grande festa.

Por falta de patrocínio, Festival de Lençóis não será realizado em 2019

  • Redação
  • 30 Jul 2019
  • 12:24h

Foto: Rita Barreto/ Setur

O mais importante evento da cidade de Lençóis, na Chapada Diamantina, o Festival de Lençóis não vai acontecer neste ano. De grande relevância pro turismo e economia local, o evento não será realizado por falta de patrocínio. Com a crise econômica no país, não houve interesse do mercado no investimento no festival que já recebeu O Rappa, BaianaSystem, Attoxxá, Léo Jaime, Lobão, Los Hermanos, Vanessa da Matta e muitos outros artistas. Em contato com o colunista Ronaldo Jacobina, do Correio, a produtora cultural Paula Resende disse que apesar da dificuldade, não pretende encerrar o festival e planeja que ele seja realizado no primeiro semestre de 2020. “Não pensamos em parar o festival, ao contrário, nossa ideia é realizá-lo no primeiro semestre do ano que vem, inclusive com uma edição mais robusta, para comemorar as 20 edições”, diz.

4ª edição da feira Literária de Mucugê começa no dia 15 de agosto com homenagem à obra do poeta Castro Alves

  • Redação
  • 25 Jul 2019
  • 17:12h

(Foto: Divulgação)

O poeta baiano Castro Alves será o grande homenageado da 4ª edição da Feira Literária de Mucugê (Fligê), que será realizada de 15 de 18 agosto, no município da Chapada Diamantina. Entre os convidados já confirmados para o evento estão Mailson Furtado, vencedor do Prêmio Jabuti 2018; Jarid Arraes, uma das mais jovens escritoras da literatura brasileira contemporânea; Aleilton Fonseca, poeta, romancista e ensaísta, e Noemi Jaffe, autora, professora e crítica literária. O evento é uma realização em parceria do Instituto Incluso, Coletivo Lavra e Governo do Estado. A solenidade de abertura será realizada, às 20h, no dia 15, no Centro Cultural de Mucugê, com a conferência Castro Alves: o filho da terra em imagens afrofuturistas, comandada pelo dramaturgo e estudioso da obra do poeta Edvard Passos. Às 22h, acontece o Sarau do Poeta, com a participação do ator Jackson e dos músicos Sidney Argolo (percussão), Joaquim Carvalho (violão e voz) e Dinho Sant’Ana (violino e bandolim).

Veja a programação das Mesas  Conversa:

16 de Agosto – Sexta

10h30 – Mesa de Conversa I – Afrofuturismo: o devir negro e a literatura

Quais interpretações sobre as diásporas africanas podem nos ajudar a reconciliar a história de nossa ancestralidade e, ao mesmo tempo, fornecer ferramentas para a construção de novos futuros, de futuros possíveis para outras utopias afrocentradas e poéticas?

Jamille Borges | Wesley Correia | Zulu Araújo (mediação)

Sessão de autógrafo com os escritores

14h – Mesa de conversa II – Quem escreve e se afeta em Castro Alves

Castro Alves como mote da palavra e personagem para a produção literária baiana nos gêneros romance, poesia e teatro. A partir de fatos biográficos, apresenta-se a convivência na sociedade do século XIX, a dimensão performer e a infância da Castro Alves.

Saulo Dourado | Edvard Passos | Adelice Souza | Sérgio Farias  (mediação)

Sessão de autógrafo com os escritores

17 de Agosto – Sábado

10h30 – Mesa de conversa III – Ânimo de invenção e tradição literária

Duas gerações de escritores baianos compõem personagens em itinerâncias errantes, imagens de infância, êxodo, escravidão e vários sertões como ponto de convergência para a narrativa literária.

Aleilton Fonseca | Itamar Vieira Júnior | Carlos Ribeiro (mediação)

Sessão de autógrafos com os escritores

14h – Mesa de conversa IV – O que ainda estamos sonhando?

Gramáticas poéticas da linguagem em escrita de exílios, memórias e reinvenção da palavra.

Noemi Jaffe | Sarah Rebeca Kersley | Rita Queiroz (mediação)

Sessão de autógrafos com as escritoras

18 de Agosto – Domingo

10h – Mesa de Conversa V – Matérias de escrita: mistério, ficção e encantamentos

Mitos, seres, coisas, lugares como mobilizadores de invenção e criação literária.

Breno Fernandes | Franklin Carvalho | Rosana Patrício (mediação)

Sessão de autógrafos com os escritores

14h – Mesa de Conversa VI – Na ContraCorrente: Arquibancadas e curtidas da palavra

Quais efemeridades e asperezas compõem o imaginário poético nas paisagens periféricas e urbanas? Encontro de escritoras que adotam medidas e suportes distintos para a produção e circulação da poesia.

Meimei Bastos | Deisiane Barbosa | Camila Moreno (mediação)

Sessão de autógrafo com as escritoras

CONTINUE LENDO

Transferência da Ancine para Brasília poderá custar caro ao cofres públicos e a cultura nacional

  • Redação
  • 22 Jul 2019
  • 13:22h

(Foto: Reprodução)

A mudança da Agência Nacional do Cinema (Ancine) do Rio de Janeiro para Brasília vai custar caro. Cada servidor a ser deslocado terá direito a receber até três salários de indenização para arcar com os custos pessoais de sua mudança. Segundo a coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, o órgão conta com 345 funcionários de carreira. Por lá, a média salarial varia de R$ 9 mil, para os servidores de nível médio, a R$ 18 mil, para os servidores com nível superior. De acordo com a publicação, profissionais em cargos de superintendentes, diretores e secretários que não têm casa em Brasília vão receber auxílio-moradia. Essa quantia varia de R$ 1.800 a até 25% do salário da pessoa. Além disso, como a maioria dos trabalhadores fez concurso para trabalhar no Rio de Janeiro, é possível que alguns deles ofereçam resistência à mudança de cidade. A fim de permanecer, eles podem alegar questões familiares ou de saúde, o que os faria ser deslocados para outros órgãos e entidades do governo. Neste caso, a gestão teria que fazer novas contratações para substituí-los. A discussão ocorre porque na semana passada o presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou que vai levar a Ancine para a Brasília. Crítico ao cinema e à cultura nacional, ele admitiu que deseja extinguir ou pelo menos mudar o desenho da agência. 

Hoje (20) tem Cineclube no CEEP com o filme “A Coleção Invisível”

  • Divulgação
  • 20 Jul 2019
  • 11:27h

(Foto: Divulgação)

Este sábado (20) tem Cineclube no CEEP (Colégio Modelo). A sessão será realizada às 15h. O filme será "A Coleção Invisível", com Vladimir Brichta e último filme do grande ator Walmor Chagas (ganhou prêmio de melhor ator coadjuvante por este filme no Festival de Gramado). Além deste prêmio, o filme ganhou no Festival de Gramado: melhor atriz coadjuvante (Clarisse Abujamra) e Melhor filme pelo júri popular. No Festival Internacional de Bogota ganhou o prêmio de melhor longametragem; Melhor filme latino no Festival internacional de Nashville e melhor filme pelo público no Festival de Cinema Brasileiro em Paris.

Produtores de 'Bruna Surfistinha' rebatem Bolsonaro: 'gerou empregos e bateu recordes'

  • Folha
  • 19 Jul 2019
  • 18:06h

(Fotos: Reprodução)

Após Jair Bolsonaro ordenar mudanças na Agência Nacional do Cinema (Ancine), alegando que é inadmissível que filmes como “Bruna Surfistinha” sejam apoiados por dinheiro público (clique aqui e entenda), indignados, produtores da obra rebateram o presidente. De acordo com informações da coluna Painel, assinada por Daniela Lima, na Folha de S. Paulo, a equipe por trás do longa-metragem defende que ele gerou centenas de empregos e que a série, derivada do filme, foi uma das mais vistas na América Latina. "Como roteirista do filme, sinto-me orgulhosa de ter trabalhado numa produção que empregou 350 pessoas, premiada no Brasil e no mundo e que levou 2 milhões de pessoas ao cinema", comentou Antonia Pellegrino, em suas redes sociais. “Bruna Surfistinha”, teve mais de 2 milhões de espectadores, a segunda maior bilheteria de 2011. O filme é inspirado em "O Doce Veneno do Escorpião", livro biográfico de Raquel Pacheco, menina de classe média alta que trocou os finais de semana com a família no Guarujá para se prostituir aos 17 anos, sob pseudônimo de Bruna Surfistinha.

Lei irá permitir animais em transporte coletivo em toda Bahia

  • Redação
  • 19 Jul 2019
  • 13:09h

(Foto Ilustrativa)

Transportar animais de estimação é um problema para quem não tem um veículo particular, já que a maioria do transporte público isso não é possível, a não ser que o motorista seja bem camarada, ou o coletivo tenham compartimentos que possibilite carregar pets. No estado da Bahia a lei nº 13.547 facilita esse deslocamento já que obriga o transporte de animais domésticos em coletivos. A lei, sancionada em 2017, autoriza aos proprietários de animais domésticos o transporte dos mesmos em ônibus, metrôs, vans e outros meios de transporte coletivo, com exceção dos dias úteis, entre as 6h e as 10h e entre as 16h e as 19h. “Hoje em dia os animais estão cada vez mais inseridos nas famílias brasileiras e com mais direitos. São criados como verdadeiros filhos. Muitas pessoas deixam de sair de casa por não ter como levar os seus animais e não querem deixá-los sozinhos. Esse projeto de Lei tem como objetivo dar melhores condições de viagem para os animais e seus tutores”, explicou o deputado estadual e autor da lei, Marcell Moraes.

Cineasta português vai se mudar para Canudos para filmar 'Os Sertões'

  • Iara Biderman | Folhapress
  • 14 Jul 2019
  • 09:30h

Foto: Reprodução / Baianolandia

O sertão que vira mar e os sertões que viram cinema foram tema da mesa que reuniu o professor e teórico de cinema Ismail Xavier e o cineasta português Miguel Gomes neste sábado (13), na tenda principal da Flip. Xavier, autor de "Sertão Mar: Glauber Rocha e a Estética da Fome", livro relançado nesta edição da Festa Literária de Paraty, falou sobre o diálogo entre o cineasta baiano e a obra de Euclides em "Deus e o Diabo na Terra do Sol", filmado em 1963 por Glauber. "A filmagem foi marcada pela atmosfera de expectativas de mudanças, de reformas de base", disse Xavier. Miguel Gomes contou sobre o novo filme que vai fazer, também baseado no livro, que o cineasta leu por acaso em um voo de Portugal para o Brasil. "É uma das prosas mais poderosas da língua portuguesa", afirmou. 

 

Gomes, que vai se mudar por um tempo para Canudos, quer ser fiel ao texto a seu modo. "A mitologia do sertão é tão real quanto as pedras." Ele não quis dar spoilers do novo filme, mas contou que terá cerca de duas horas. O título escolhido é "Selvageria".  "Blaise Cendras queria traduzir 'Os Sertões' para o francês, com o título 'sauvagerie'. Ele não fez a tradução e eu roubei o título." Voltando ao sertão-mar de Glauber em "Deus e O Diabo", Xavier disse que o filme era uma alegoria da esperança. "Neste Brasil dos sonhos desfeitos, como falou José Murilo de Carvalho aqui na Flip, precisamos de um novo Glauber que nos traga a profecia de mudança novamente", disse Xavier.  O cineasta português quis encerrar a mesa com uma pequena nota de esperança. "De Portugal, vendo as notícias em jornais e TV sobre o Brasil, ficamos um pouco deprimidos. Mas estar na Flip, vendo brasileiros pensar o Brasil, é algo positivo. Tenho consciência que Paraty é uma bolha, mas é importante ter espaços onde o Brasil se pensa".  Com o tempo reservado à mesa já esgotado, a mediadora Marina Person afirmou que era mesmo o melhor para encerrar o evento, apesar de as perguntas da plateia ainda não terem sido lidas. "Disseram que o melhor é encerrar a mesa no seu auge. Depois desta apoteose, acho que podemos terminar", disse ela.

CONTINUE LENDO

Cameron Boyce, astro de produções da Disney, morre aos 20 anos

  • G1
  • 07 Jul 2019
  • 16:35h

ameron Boyce em "Descendants", em 2015 — Foto: Divulgação

O ator americano Cameron Boyce, conhecido por papéis em filmes da Disney como "Descendentes" e pela série "Jessie", morreu neste sábado (6) aos 20 anos, informou a emissora ABC. "Ele morreu enquanto dormia devido a um ataque que foi o resultado de uma doença pela qual estava sendo tratado", disse ao canal de TV um porta-voz da família do ator. "O mundo está agora, sem dúvida, sem uma das suas luzes mais brilhantes, mas seu espírito viverá através da bondade e compaixão de todos os que o conheceram e amaram." Boyce, nascido em Los Angeles, estreou no cinema no filme de terror "Espelhos do medo" (2008), aos nove anos. Dois anos depois, apareceu na bem-sucedida comédia de Adam Sandler "Gente grande" (2010), antes de se tornar um astro do Disney Channel No canal, ele também trabalhou em produções como "Jake e os piratas da Terra do Nunca" e "Bunk'd". Além disso, participou de videoclipes como o da música "That green gentleman", da banda Panic! at the Disco. Nos últimos anos, o ator se dedicou a atividades beneficentes e foi premiado por seu trabalho em uma fundação sem fins lucrativos que conseguiu arrecadar mais de US$ 30 mil para construir poços de água potável no Reino de eSwatini, ex-Suazilândia.