BUSCA PELA CATEGORIA "COVID-19"

Frente de Prefeitos negocia 30 milhões de doses da vacina russa Sputnik V

  • Redação
  • 13 Abr 2021
  • 17:44h

Estimativa é de que os primeiros lotes do imunizante sejam entregues em até três semanas após a assinatura do contrato | Lote de vacina chega à Argentina (Foto: Casa Rosada/Fotos Públicas)

O Consórcio Conectar, liderada pela Frente Nacional de Prefeitos, anunciou nesta terça-feira (13) a negociação da compra de 30 milhões de doses da vacina russa Sputnik V contra a Covid-19. As tratativas estão sendo feitas com o Fundo Soberano Russo (RDIF). A estimativa do RDIF é que os primeiros lotes já sejam entregues em até três semanas após a assinatura de contrato. Aproximadamente 5 milhões de doses devem ser entregues entre maio e junho, enquanto as 25 milhões de doses restantes até dezembro. O consórcio é formado por mais de 2 mil municípios que representam cerca de dois terços da população do Brasil. O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu como prazo até o dia 28 de abril para a Anvisa tomar uma decisão sobre a importação temporária do imunizante.

Conquista: Bares e restaurantes poderão vender bebidas alcóolicas no fim de semana, diz secretário

  • Redação
  • 13 Abr 2021
  • 16:02h

(Foto: Reprodução)

Em entrevista concedida ao Jornal Band News nesta terça-feira (13) o coordenador municipal do comitê de crise, Kairan Rocha, revelou que nos fins de semana estará liberada a venda de bebidas alcoólicas em bares e restaurantes de Vitória da Conquista.

Butantan reduz quantidade de doses de vacinas em frascos e prejudica vacinação na Bahia

  • Rayllanna Lima
  • 13 Abr 2021
  • 10:54h

Secretário estadual de Saúde disse que cerca de 30 cidades baianas receberam lotes com quantidade de doses inferiores ao descrito no rótulo | Foto: Fernando Vivas/GOVBA

A vacinação contra a Covid-19 na Bahia está sendo prejudicada por um erro do Instituto Butantan, segundo informou nesta terça-feira (13) o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas. De acordo com ele, o governo estadual identificou que o instituto, responsável pela CoronaVac no Brasil, está enviando lotes com quantidade de doses inferiores ao descrito no rótulo. “Esse tem sido um problema muito grave. Inicialmente, os frascos vinham sendo envasados com dez a dose doses, na expectativa de que, havendo aspiração de quantidade um pouco maior, não houveses prejuízo para a população. Tem acontecido, por erro do Butantan, de vários frascos virem com menos de dez doses”, explicou Vilas-Boas. Para tentar minimizar os prejuízos, visto que cerca de 30 cidades baianas receberam doses a menos, o governo de Rui Costa (PT) está articulando um plano reserva. “Estamos tentando viabilizar para esses municípios que ficaram prejudicados a regulação dos 5% que temos de reserva para esse tipo de situação, de quebra de frasco, de extravio. E cobrando do Ministério [da Saúde] a reposição”, disse o secretário.

Municípios da BA notificam frascos de vacina com menos doses; Butatan diz ser 'falso'

  • Jade Coelho
  • 13 Abr 2021
  • 10:12h

(Foto: Reprodução)

Pelo menos 30 municípios baianos já notificaram a Secretaria da Saúde (Sesab) sobre frascos da vacina contra a Covid-19 Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, com menos doses do que o previsto. A informação foi confirmada pelo secretário da Saúde Fábio Vilas-Boas nesta terça-feira (13) em entrevista ao Jornal da Manhã. Cada frasco deve conter 10 doses do imunizante. O conteúdo, de acordo com o Butantan, é de 5,7 ml de vacina. A dose aplicada em uma pessoa deve ser de 0,5 ml, o que deveria levar a uma sobra de 0,7 ml, o equivalente a uma dose extra. Mas o secretário afirma que as prefeituras tem reclamado do contrário, de que os frascos tem chegado com doses a menos. Vilas-Boas ressaltou que o problema vem sendo relatado também fora da Bahia e rebateu a justificativa do Butantan. O Instituto argumenta que o problema de perda de doses pode estar acontecendo no processo de aspiração do líquido dentro do frasco, e também no uso de seringas e agulhas não recomendadas. “O Butantan diz que o erro é das pessoas que estão aspirando mais doses, se tivesse ocorrendo ao longo desses três meses de vacinação, já teria identificado”, analisou Fábio Vilas-Boas. O Instituto Butantan, por sua vez, diz que “é falso informar que houve envase inferior a 10 doses na quantidade de cada frasco da vacina do Butantan contra a Covid-19”. “Aliás, os frascos reúnem 5,7 ml, que podem render até 11 doses (cada dose contém 0,5ml), autorizadas pela Anvisa. O Butantan faz a análise constante dos processos de produção e liberação dos lotes da vacina e reafirma seu compromisso com a qualidade, e com a quantidade, da vacina que mais tem salvado vidas no Brasil”, diz uma nota divulgada pelo órgão. A entidade ainda destacou como “muito importante” a aspiração correta das vacinas contidas em cada frasco. “O Butantan já produziu informes técnicos para orientar os profissionais da saúde a usarem essas doses extras”, traz a nota. Por fim o Butantan ainda afirmou que com o objetivo de deixar mais didática a informação, “vai atualizar a bula da Coronavac, adicionando um QR Code que vai direcionar para um vídeo demonstrativo e afim de explicar a forma correta de aspiração das doses.

Governo do estado volta a permitir eventos com até 50 pessoas na Bahia

  • BN
  • 13 Abr 2021
  • 07:52h

(Foto: Reprodução)

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), voltou a permitir a realização de eventos com até 50 pessoas na Bahia. Desde 4 de dezembro do ano passado, ssas atividades estavam proibidas, independentemente do número de pessoas, para evitar aglomerações e, assim, conter a contaminação pelo novo coronavírus. A nova regra está em decreto publicado na edição desta terça-feira do Diário Oficial do Estado. Ao fixar o limite máximo de 50 pessoas, a norma diz que ficam vedados "os eventos e atividades com a presença de público superior a 50 (cinquenta) pessoas, ainda que previamente autorizados, que envolvam aglomeração de pessoas, tais como: eventos desportivos, religiosos, cerimônias de casamento, feiras, circos, eventos científicos, solenidades de formatura, passeatas e afins, bem como aulas em academias de dança e ginástica." A medida vem na esteira de uma série de flexibilizações que o governo estadual e prefeituras vêm fazendo nas medidas restritivas de combate à Covid-19. Em Salvador e Região Metropolitana, por exemplo, atividades econômicas não essenciais como comércio de rua, shoppings e centros comerciais e bares e restaurantes estão com funcionamento liberado deste o último dia 5, com anuência do estado. As liberações, no entanto, acontecem em um momento de quantidade de casos e óbitos ainda alta na Bahia. Nesta manhã, a ocupação de leitos de UTI adulto está em 84% no estado - o governo argumenta ter aberto uma quantidade maior de UTIs do que o existente na primeira onda, o que dá maior segurança para flexibilizações. Entre domingo e segunda (12), a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) registrou 1.581 novas contaminações pelo novo coronavírus e 95 novos óbitos. O número de internados com casos graves da Covid-19 voltou a crescer na Bahia e atingiu um novo recorde: são 1.316 pacientes com a doença ocupando leitos de terapia intensiva no estado, o maior número de toda a pandemia.

Baixa eficácia da Coronavac é admitida pela China, que fala em mistura de vacinas

  • Redação
  • 12 Abr 2021
  • 16:28h

(Foto: Reprodução)

A China reconheceu, neste sábado (10), que a eficácia da vacina CoronaVac, produzida no país para enfrentar a Covid-19, pode ser melhorada. Segundo o diretor dos Centros de Controle de Doenças da China, Gao Fu, o governo do país considera misturar as vacinas de Covid-19 produzidas por lá para aumentar a taxa de efetividade delas. As informações são do G1. 

A Eficácia da CoronaVac chegou a ser avaliada em 50,4% por pesquisadores. O limite estabelecido por especialistas em saúde é de 50%. A mais eficaz, produzida pela Pfizer/BioNTech, tem taxa de 97%. No Brasil, o Instituto Butantan adquiriu o imunizante chinês, que já é aplicado na população. 

Estudos indicam que a mistura de vacinas, ou imunização sequencial, pode ser fator determinante no aumento da eficácia. Na Inglaterra, já se estuda a combinação entre o imunizante de Oxford/AstraZeneca com a Pfizer/BioNTech.

Uma das possibilidades citadas por Gao para mudar a estratégia seria a tecnologia de mRNA, utulizada na Pfizer/BioNTech. “Todos deveriam considerar os benefícios que as vacinas de mRNA podem trazer para a humanidade. Devemos seguir com atenção e não ignorar só porque já temos vários tipos de vacinas”, pontuou. 

Antes, ele havia questionado a segurança deste tipo de imunizante, pois eles estavam sendo utilizados pela primeira vez em pessoas saudáveis.

Porta-voz da Sinovac, Liu Peicheng entende os vários níveis de eficácia encontrados, e justifica que isso pode ocorrer por causa da idade das pessoas em estudo, os tipos de cepa analisados e outros fatores.

Vacinas da Sinovac e Sinopharm, além de terem vindo ao Brasil, foram exportadas para outros 21 países.

O imunizante que usa o processo de mRNA leva para o nosso organismo uma cópia de parte do código genético do vírus. A CoronaVac usa o vírus inativado e a vacina de Oxford usa o chamado vetor viral. 

Vacinas de origem duvidosa são ofertadas em mercado paralelo e até pelo WhatsApp

  • Redação
  • 12 Abr 2021
  • 12:31h

Há promessa de 20 milhões de doses da Oxford-AstraZeneca por 4 euros por unidade (cerca de R$ 26,5) | Foto: Reprodução

Em plena disputa global por vacinas para a Covid-19 é possível receber, via WhatsApp, uma proposta de 20 milhões de doses da Oxford-AstraZeneca por 4 euros por unidade (cerca de R$ 26,5), informa o jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo a publicação, o preço e o cronograma de entrega, em até 30 dias, são melhores do que o governo federal obteve em grandes negociações. A oferta que parece de ouro, porém, não tem garantia de entrega ou aval da fabricante: é um retrato do mercado paralelo de vacinas, que levanta alertas sobre risco de golpe.

O volume de doses que poderiam imunizar uma cidade do porte de São Paulo foi proposto ao Estadão pela empresa alemã GB Trading, que vende luvas, máscaras e álcool em gel pela internet. A exigência é pagar metade do valor antecipadamente. Cobrado sobre provas de que a compra é segura, o vendedor se esquivou, ficou irritado e negou ser um golpista.

Apesar de caricata, a oferta foi uma das que atraíram Christian Faria, empresário do setor de aluguel de trio elétrico em Vila Velha (ES). Ele procurou por meses fornecedores de vacinas na internet, repassou a proposta da GB Trading ao Ministério da Saúde e chegou a se reunir com a cúpula da pasta, em fevereiro.

Neste encontro, apresentou a oferta de outro parceiro, mas de doses da mesma fabricante. No fim de março, Faria se tornou alvo de investigação da Polícia Federal (PF) justamente por entregar documentos falsos nessas negociações. O empresário nega a acusação.

Estado de saúde de Paulo Gustavo é considerado crítico após piora

  • Redação
  • 12 Abr 2021
  • 07:50h

(Foto: Reprodução)

Segundo novo boletim médico, o estado de saúde do ator Paulo Gustavo apresentou nas últimas horas "sinais de gravidade". "A situação clínica do paciente é crítica e todos os profissionais têm se empenhado incessantemente pela sua recuperação", diz a nota divulgada hoje (11), através do Instagram, pelo marido do ator, o dermatologista Thales Bretas. O boletim aponta que, "as diversas complicações pulmonares já demandaram procedimentos invasivos como broncoscopias, pleuroscopias e colocação de dispositivos intrapulmonares". "Às fístulas bronco-pleurais identificadas e tratadas somaram-se a complicações hemorrágicas, mas que vêm respondendo, de certa forma satisfatória, à reposição dos fatores da coagulação deficitários", explica a nota. O ator e humorista está internado desde o dia 13 de março em um hospital do Rio de Janeiro, após receber diagnóstico de Covid. Desde o dia 21 de março, ele também estava respirando com ajuda de ventilação mecânica.

Rui Costa prorroga toque de recolher e proíbe eventos e aulas presencias em todo o estado

  • Redação
  • 12 Abr 2021
  • 06:59h

(Foto: Reprodução)

O Governo do Estado decidiu prorrogar o toque de recolher, a proibição das aulas presenciais e a suspensão de eventos em toda a Bahia. As medidas, que venceriam nesta segunda-feira (12), passam a valer até 19 de abril. A prorrogação será publicada ainda neste domingo (11), na versão on-line do Diário Oficial do Estado (DOE).

Também fica vedada a venda de bebida alcoólica em quaisquer estabelecimentos, inclusive por delivery, no período das 18h do dia 16 até as 5h de 19 de abril. No período das 20h às 5h, em toda a Bahia, segue restrita a locomoção de pessoas, sendo vedados a qualquer indivíduo a permanência e o trânsito em vias, equipamentos, locais e praças públicas.

Segue proibida ainda, em todo o território baiano, a prática de quaisquer atividades esportivas coletivas amadoras até 19 de abril, sendo permitidas as práticas individuais, desde que não gerem aglomerações. Continua autorizado o funcionamento de academias e estabelecimentos voltados para a realização de atividades físicas, desde que limitada a ocupação ao máximo de 50% da capacidade do local, observados os protocolos sanitários estabelecidos.

Transporte

A circulação dos meios de transporte metropolitanos deverá ser suspensa das 20h30 às 5h, até 19 de abril. A circulação dos ferry boats também será suspensa das 20h30 às 5h do dia 12 a 16 de abril, ficando vedado o funcionamento nos dias 17 e 18 de abril.

A circulação das lanchinhas fica proibida das 20h30 às 5h, até 19 de abril, limitada a ocupação ao máximo de 50% da capacidade da embarcação nos dias 17 e 18 de abril.

Aulas presenciais e eventos

Continuam suspensas, até 19 de abril, as aulas presenciais nas unidades de ensino, públicas e particulares, ressalvados os estágios curriculares obrigatórios dos cursos da área de saúde.

Permanecem proibidos também os eventos e atividades, independentemente do número de participantes, ainda que previamente autorizados, que envolvam aglomeração de pessoas, como eventos desportivos coletivos e amadores, cerimônias de casamento, eventos recreativos em logradouros públicos ou privados, circos, eventos científicos, solenidades de formatura, passeatas e afins, bem como aulas em academias de dança e ginástica.

Instituto nos EUA projeta que Brasil terá mais de 650 mil mortes até agosto

  • Redação
  • 11 Abr 2021
  • 11:36h

No cenário mais provável, o país deve contabilizar 591,9 mil óbitos no mesmo período | COVID-19 Publicado em 11/04/2021 às 07h18. Instituto nos EUA projeta que Brasil terá mais de 650 mil mortes até agosto No cenário mais provável, o país deve contabiliza

O Brasil pode chegar a 653,8 mil mortes no dia 1º de agosto no pior cenário projetado pelo Instituto de Métricas de Saúde e Avaliação (IHME) da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, informa o colunista Leonardo Sakamoto, do portal UOL. Isso se refere a uma situação em que os vacinados deixam de usar máscaras e voltam a adotar o mesmo nível de deslocamento que antes da Covid — o imunizante te protege de desenvolver a doença, não de transmitir o coronavírus. O instituto publicou atualização das projeções na sexta (9).

O país atingiu, neste sábado (10), o total de 351.469 óbitos, dos quais 2.535 registrados nas últimas 24 horas, em meio a críticas do presidente Jair Bolsonaro contra a decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, de ordenar a instalação da CPI da Pandemia no Senado, para avaliar as ações e omissões do governo federal.

De acordo com Skamoto, no cenário mais provável, o país deve contabilizar 591,9 mil óbitos no mesmo período. Isso se refere a uma situação em que as variantes conhecidas continuam a circular, mas o governo consegue aumentar a distribuição de vacinas em um prazo de 90 dias. Os sistemáticos atrasos no cronograma de vacinação por parte do Ministério da Saúde, por falta de imunizantes, contudo, podem afetar essa projeção negativamente.

Da mesma forma, quanto mais tempo o país vive uma situação de contágio intenso, maior é a probabilidade de gerar variantes mais transmissíves e mais violentas.

ONU diz que Brasil, epicentro da covid, caminha para catástrofe

  • Redação
  • 11 Abr 2021
  • 10:28h

(Foto: Reprodução)

O escritório da Organização das Nações Unidas (ONU) no Brasil emitiu nota na última sexta-feira (09) sobre a situação da covid no país. A entidade aponta que o Brasil caminha para uma catástrofe, e que medidas rigorosas de isolamento social são urgentes. O país é o epicentro da pandemia no mundo e, oficialmente com 348 mil mortes e mais de 13 milhões de infectados, está a menos de um dia de passar das 350 mil vítimas desde o início do surto, em março do ano passado. 7

“As Nações Unidas instam os governos a adotar estratégias de restrição da circulação de pessoas e a prover o apoio necessário à população para que essas medidas possam de fato ser cumpridas”, afirma a ONU. O alerta veio no mesmo dia em que a Organização Mundial da Saúde (OMS) comparou a situação brasileira a um inferno furioso. Inúmeras instituições nacionais e internacionais clamam por medidas que protejam as pessoas da covid-19, que mata mais de 3 mil pessoas por dia no Brasil. 

Entretanto, o presidente Jair Bolsonaro rejeita a ciência e reafirma sua posição contrária ao salvamento de milhares de vidas brasileiras. Ao contrário, ele incentiva e promove aglomerações, e rejeita ações básicas de proteção à vida como o uso de máscaras. Neste cenário, o Brasil vive o colapso dos sistemas de saúde nos estados e municípios, com falta de leitos para internar doentes graves em todas as regiões. Pessoas morrem em casa sem conseguir atendimento hospitalar. 

“O Sistema ONU acompanha com preocupação o recrudescimento da pandemia de covid no Brasil e ressalta a necessidade de adoção de medidas preventivas para diminuir a curva de transmissão do coronavírus e garantir o direito humano à saúde”, alerta a mensagem. Por fim, a entidade reafirma que o Brasil representa um perigo para todo o mundo. 

Com o vírus circulando livremente e em grande intensidade, são maiores as chances de mutações do vírus para cepas mais agressivas e resistentes. “O aumento persistente no número de casos e de óbitos deve servir de alerta para todos – governos, população, sociedade civil, academia, setor privado, instituições religiosas, entre outros – quanto à urgência de interromper a escalada da doença no país, sobretudo para evitar o surgimento de novas variantes do vírus”, aponta.

Bahia tem queda no número de novos casos e de óbitos por Covid-19

  • por Matheus Caldas
  • 10 Abr 2021
  • 18:18h

Foto: Paula Fróes / GOVBA

A Bahia registrou diminuição no número óbitos e de novos casos da Covid-19 neste sábado (10). O boletim da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) aponta que foram registrados 3.213 novos casos e 98 mortes nas últimas 24h.

O número é menor que o apresentado na última sexta-feira (9), quando a Sesab divulgou ao público mais 4.283 casos do novo coronavírus, com 115 óbitos.

Dos 835.962 casos confirmados desde o início da pandemia, 805.347 já são considerados recuperados, 14.170 encontram-se ativos e 16.445 tiveram óbito confirmado. 

Brasil não conseguirá domar pandemia só com vacina, diz OMS

  • por Ana Estela de Sousa Pinto | Folhapress
  • 10 Abr 2021
  • 07:15h

Foto: Reprodução / Poder360

O Brasil não vai conseguir domar a pandemia de coronavírus se priorizar apenas a vacinação, afirmou nesta sexta (9) a OMS (Organização Mundial da Saúde).

"Temos que parar de pensar que a crise se resolve com uma ou outra medida. A vacina é apenas um componente, e é preciso adotar ações amplas, apoiadas por líderes, apoiadas pelos governos", disse a líder técnica para Covid-19 da entidade, Maria van Kerkhove.

Ela afirmou que, apesar do avanço nas campanhas de vacinação, "a trajetória desta pandemia está indo na direção errada": "Estamos há seis semanas com os números de casos e de mortes em alta."

Segundo a OMS, embora seja crucial imunizar idosos e profissionais de saúde para reduzir mortes desnecessárias, continua sendo essencial identificar pessoas infectadas e isolá-las rapidamente. Além disso, é preciso evitar contatos entre as pessoas para segurar a transmissão e evitar o aparecimento de novas variantes que escapem da vacina.

O conselheiro sênior da direção-geral da OMS Bruce Hayward também afirmou que a vacinação pode proteger pessoas mais vulneráveis e reduzir hospitalizações, mas não vai afetar a dinâmica da pandemia na população. "São as medidas básicas de distanciamento físico que seguram a transmissão", disse ele.

Isso ocorre porque, até agora, não há informação suficiente sobre a capacidade da vacina de reduzir o contágio nem sobre a duração da imunidade provocada por ela. Além disso, faltam no mundo imunizantes para acelerar a proteção das populações.

De acordo com Van Kerkhove, nos países em que as medidas não estão sendo adotadas, é necessário entender por quê: "É um problema das políticas públicas? Falta apoio para que as pessoas possam ficar em casa?".

Os diretores da OMS voltaram a descrever o quadro brasileiro como "muito grave" e afirmaram que a organização está em contato com equipes de saúde pública em todos os níveis para tentar ajudar a reduzir infecções e mortes por Covid-19 no Brasil.

O Brasil vive uma situação crítica, com recordes trágicos se acumulando. O ano atual concentra os 32 dias com mais vidas perdidas em 24 horas. Desses, 30 dias ocorreram em março ou abril.

Na quinta, pelo segundo dia na mesma semana e na pandemia, o Brasil registrou mais de 4.000 mortes em 24 horas. Foram 4.190 óbitos. O recorde de mortes, alcançado na última terça, é de 4.211.

Além dos EUA, que tem uma população consideravelmente maior, é o único país no mundo com registros mais regulares a atingir essa marca.

No estado de São Paulo, metade dos municípios registrou mais mortos do que nascidos em março deste ano, segundo os números de certidões de óbito e nascimento emitidas pelos cartórios locais. De acordo com especialistas, o impacto da pandemia do novo coronavírus foi fundamental para a ocorrência desse fenômeno.

São Sebastião do Passé: Profissionais de saúde são atropeladas em posto de vacinação Covid

  • Redação
  • 09 Abr 2021
  • 18:21h

(Foto: G1 | BA)

Um acidente na manhã desta sexta-feira (9), envolvendo um carro e duas profissionais da área da Saúde  em um drive-thru de vacinação da Covid-19,  em São Sebastião do Passé, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), causou angustia em quem estava no local. Por causa do acidente, a imunização foi suspensa no local. Conforme divulgou o Portal G1, a secretaria de saúde da cidade informou que um idoso perdeu o controle da direção do veículo que estava dirigindo e atingiu as mulheres. Uma das vítimas ficou com as pernas presas embaixo do veículo enquanto populares tentavam tirar o carro de cima da profissional.  Ainda de acordo com a secretaria de saúde da cidade,  as duas mulheres foram socorridas e levadas ao Hospital Municipal Albino Leitão. Elas tiveram apenas escoriações e estão em observação. O homem que dirigia o veículo recebeu atendimento médico e passa bem.

Pesquisa comprova reinfecções de covid-19 com sintomas bem mais intensos

  • Redação
  • 09 Abr 2021
  • 17:12h

(Foto: Reprodução)

Um estudo coordenado pelo Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (CDTS/Fiocruz) constatou quatro casos de reinfecção por covid-19 em que os pacientes tiveram sintomas mais fortes da doença na segunda contaminação, apesar de os dois episódios terem sido considerados leves, sem hospitalização. Em ao menos um desses casos, a reinfecção foi provocada pela mesma variante do primeiro episódio. A pesquisa será publicada na forma de artigo científico na revista Emerging Infectious Disease (EID), do Centro de Controle e Prevenção de Doença dos Estados Unidos (CDC). Além da Fiocruz, participaram pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), do Instituto D’Or de Ensino e Pesquisa (Idor) e da empresa chinesa MGI Tech Co. Segundo o coordenador do estudo, o virologista do CDTS/Fiocruz Thiago Moreno, a constatação reforça que uma parcela da população que tem a doença na forma branda não desenvolve memória imunológica. “Demonstramos que um grupo de pessoas com sintomatologia leve para covid-19 teve um segundo episódio de covid um pouco mais forte, porque não foi capaz de gerar uma imunidade de memória depois do primeiro episódio. Assim como vários casos brandos de covid-19, esses indivíduos tiveram o controle dessa primeira infecção pela resposta imune inata, aquela que não forma uma memória consistente e de longo prazo”.