BUSCA PELA CATEGORIA "Brasil"

Venda de veículos usados tem leve alta no 1º trimestre

  • 03 Abr 2019
  • 19:47h

Foto: Fábio Tito/G1

A venda de veículos usados registrou leve alta de 0,76% no primeiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (2) pela Fenauto, a associação das revendedoras.No total, foram comercializados 2,49 milhões de carros e comerciais leves usados entre janeiro e março deste ano, contra 2,47 milhões nos três primeiros meses de 2018.Entre as motos, a alta foi um pouco mais significativa, de 3,3%. Ao todo, foram 698 mil unidades, ante 676 mil no ano passado.No total, a venda de veículos no geral (considerando automóveis, comerciais leves e pesados, motos e outros tipos de veículos) subiu 1,5% no trimestre, chegando a 3,32 milhões de unidades, contra 3,27 milhões no período anterior.Ao dividir as vendas por idade dos veículos, a Fenauto também soma todos os tipos, e os divide em 4 faixas etárias: seminovos (com até 3 anos de uso), usados jovens (de 4 a 8 anos), usados maduros (de 9 a 12 anos) e velhinhos (com mais de 13 anos). Os números mostram que a procura por modelos seminovos, normalmente mais caros, continua em queda. A tendência já havia sido observada no primeiro semestre do ano passado.Por outro lado, os consumidores têm custado mais modelos considerados usados maduros, com 9 a 12 anos de uso. Esta faixa etária, que era apenas a terceira mais procurada, ultrapassou os seminovos, e agora são a segunda preferida dos clientes.

Neto de Lula não morreu de meningite, aponta laudo

  • 03 Abr 2019
  • 07:09h

Foto: Reprodução/Facebook

A Prefeitura de Santo André informou que o laudo do exame feito no menino Arthur Lula da Silva, de 7 anos, neto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, apontou que ele não morreu por causa de meningite, como foi divulgado. Arthur morreu na manhã do dia 1º de março após dar entrada no Hospital Bartira, em Santo André.A assessoria do Instituto Lula informou que Arthur morreu em decorrência de infecção generalizada provocada pela bactéria Staphylococcus aureus, que provoca infecção na pele. Segundo os exames feitos no Instituto Adolfo Lutz, foram descartadas: meningite, meningite meningocócica e meningococcemia. A Prefeitura explica que o hospital havia notificado que o motivo do óbito foi a meningococcemia, mas o resultado do exame realizado no mesmo dia acusou negativo para bacteria. O ex-presidente Lula obteve autorização judicial para deixar a prisão em Curitiba (PR) acompanhar o velório e a cerimônia de cremação do corpo do neto no dia 2 de março, realizados no Cemitério Jardim das Colinas, em São Bernardo do Campo.

Leia a íntegra da nota da Prefeitura de Santo André:

"Conforme amplamente noticiado, no dia 1°/03/2019 recebemos por volta das 14h20 a notificação de nº 5968951, informando que o paciente A.A.L.S, de 7 anos de idade, deu entrada no Hospital Bartira às 7h14 do dia 1°/03 com cefaleia, febre, mialgia, exantema, cianose, náuseas e dores abdominais. Evoluiu com confusão mental e o paciente veio a óbito por volta das 12h. O Hospital informou na notificação que o motivo do óbito foi meningococcemia (meningite). Apesar da notificação, o resultado do exame de líquor realizado no mesmo dia pelo próprio Hospital Bartira, acusou bacterioscopia negativa.

Em face dessa constatação, na mesma data, a Secretaria de Saúde de Santo André, por meio do Departamento de Vigilância à Saúde, encaminhou as amostras de sangue e líquor coletadas no Hospital para análise e confirmação do Instituto Adolfo Lutz, que normalmente emite os resultados no prazo de 15 a 30 dias. Além de encaminhamento das amostras, realizamos esquema profilático dos comunicantes (pessoas com contato íntimo por mais de quatro horas diárias com o paciente nos últimos sete dias). Devido ao fato do paciente estudar em São Bernardo do Campo, a Vigilância Epidemiológica do referido município foi comunicada para que as medidas de profilaxia cabíveis fossem tomadas na escola, o que devidamente ocorreu.

As investigações foram finalizadas pela Secretaria de Saúde de Santo André, por intermédio do Departamento de Vigilância à Saúde, e segundo os resultados dos exames realizados pelo Instituto Adolfo Lutz, foram descartadas: meningite, meningite meningocócica e meningococcemia.

Todos os procedimentos de proteção e profilaxia dos comunicantes foram realizados seguindo os protocolos do Ministério da Saúde. Informações adicionais relacionadas ao caso dependem de autorização expressa da família da criança."

Brasil: Jovem usa coleira de cachorro para matar namorada adolescente e dorme 2 dias ao lado do corpo

  • G1
  • 02 Abr 2019
  • 18:07h

Foto: Facebook/Reprodução

Foi encontrado na manhã dessa segunda-feira (1º) o corpo da adolescente Jheniffer Cáceres de Oliveira de 17 anos, morta pelo namorado, Paulo Eduardo dos Santos, de 18. O crime aconteceu no último sábado (30), em Sidrolândia, 70 km de Campo Grande.De acordo com o delegado Diego Dantas, o rapaz usou um fio de celular para tentar esganá-la. Quando não conseguiu, usou uma coleira de cachorro para apertar o pescoço da adolescente, matando-a. Segundo Dantas, o suspeito teria discutido com a namorada em um bar e que ao chegar em casa, as discussões continuaram. Ele disse à polícia que a mulher teria jogado um cabo de vassoura nele e usado uma faca para ameaçá-lo. "O rapaz confessou o crime e alega legítima defesa", afirma o delegado. Dantas relatou ainda que o suspeito dormiu ao lado do corpo desde a madrugada do último sábado. O corpo só foi descoberto nesta segunda-feira porque vizinhos sentiram mau cheiro na residência do casal e acionaram a polícia.O homem foi preso na tarde desta segunda-feira perto da residência. Ele responderá pelos crimes de feminicídio e ocultação de cadáver. O delegado afirmou que, até o momento, o suspeito não possui advogado para representá-lo.

Presidente Bolsonaro poderá acabar com o horário de verão

  • Estadão
  • 02 Abr 2019
  • 16:47h

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse nesta segunda-feira, 1, que o presidente Jair Bolsonaro estuda acabar com o horário de verão. A decisão, segundo ele, pode ser tomada a partir da semana que vem. Albuquerque falou a jornalistas no lobby do hotel King David, onde a comitiva brasileira está hospedada durante a visita do presidente a Israel.De acordo com o ministro, Bolsonaro pediu que ele fizesse um estudo sobre o fim do horário de verão. Albuquerque disse que os ganhos econômicos são poucos, mas não são os únicos aspectos envolvendo a questão. “Entram outros fatores (na decisão), além do econômico. E isso será apresentado ao presidente. Ele tem muito interesse nesse assunto. E eu estarei pronto a partir da semana que vem”, afirmou. O fim no horário de verão chegou a ser cogitado em 2017, quando o governo de Michel Temer chegou a anunciar uma enquete para deliberar sobre o assunto. A ideia acabou recusada e o horário foi mantido.  No ano passado, uma mudança na data oficial para o início do horário de verão chegou a ser anunciada. O governo, no entanto, recuou novamente após o Ministério da Educação (MEC) solicitar formalmente que a data fosse mantida. O receio era de que os candidatos do Enem pudessem ser prejudicados.

Claro é condenada a pagar R$ 40 mil de indenização por ligar mais de 10 vezes por dia

  • O Globo
  • 02 Abr 2019
  • 09:02h

Foto: Marcos Alves/Arquivo

A empresa de telefonia Claro deverá pagar R$ 40 mil, como indenização por danos morais, a um homem que recebeu mais de 10 ligações de propaganda diárias da companhia, além de R$ 500 por cada vez que descumprir a ordem. A decisão foi da 22ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo condenou, na última quarta-feira, dia 27 de março.É que, após pedir o cancelamento de seu plano de telefonia celular, o técnico de eletrônicos Nilton Alexandre Andreoli, de 59 anos, começou a receber diversas ligações diárias, em que os operadores de telemarketing ofereciam promoções para que ele continuasse a usar os serviços da Claro. Em uma ocasião, as chamadas somaram 23 tentativas de contato. Para não ser mais incomodado, o consumidor efetuou uma reclamação no Procon de Franca, em São Paulo, e firmou acordo com a companhia, a qual se comprometeu a não ligar mais para ele. Não adiantou. Os telefonemas continuaram constantes. A partir de então, o homem entrou com um processo alegando conduta abusiva por pertubo do sossego — necessário já que ele estava afastado do trabalho por auxílio doença. Em sua defesa, a Claro negou as ligações, mas confirmou ser uma prática comercial comum, o que poderia gerar aborrecimento, mas não obrigação de indenizar. A primeira decisão foi favorável ao cliente: o juiz proibiu a empresa de telefonia de ligar para o homem outras vezes, com multa de R$ 100 por chamada, entendendo que não havia danos morais. Andreoli entrou com um recurso e, dessa vez, o relator, desembargador Roberto Mac Cracken, entendeu que as ligações a toda hora prejudicaram o sossego em um momento delicado porque o homem estava de repouso médico. “Com todas as vênias, a postura da apelada é intolerável e avilta tanto a dignidade do apelante quanto a da Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor – SP. Com o devido respeito, a ordem jurídica não pode tolerar, de forma alguma, a inaceitável e intolerável postura em face de todo o retratado da empresa apelada”, afirmou o magistrado. Sendo assim, condenou a Claro a pagar R$40 mil de indenização por danos morais, além de multa de R$ 500 a cada nova ligação para o autor da ação. Entretanto, depois da decisão, o técnico de eletrônicos já recebeu mais de duas ligações da operadora. — Eles me ligaram várias vezes. Estou até gravando para fins de prova — contou AndreoliSegundo o advogado do apelante, Evandro Pedrolo, o registro telefônico também serve como prova. Ainda cabe recurso, mas se a empresa não recorrer, o consumidor deve receber o dinheiro no prazo de 15 dias úteis após a intimação para pagamento. Em nota, a Claro respondeu que não comenta decisões judiciais.

Mais de 40 mil foram intoxicadas com agrotóxicos no país nos últimos 12 anos

  • 02 Abr 2019
  • 07:10h

Quase duas mil pessoas já morreram por intoxicação com agrotóxicos no Brasil, desde 2007. Mais de 40 mil casos de intoxicação já foram registrados em um levantamento realizado entre 2007 a 2017. O Paraná é o estado com maior número de casos registrados e o que tem o sistema mais eficiente de notificação. O Paraná é o segundo maior produtor de grãos do país. As comunidades paranaenses se organizam para tentar se livrar dos efeitos dos venenos agrícolas. Em alguns casos, ele chega pelo ar. A cidade de Luiziana, no Paraná, é uma das primeiras do país a impor regras para uso de agrotóxicos ao redor da cidade. A norma, de 2017, determina que os agricultores que quiserem produzir perto de núcleos habitacionais têm que implantar "cortinas verdes". Essas cortinas são duas fileiras de árvores para controle de agrotóxico e devem ser implantadas a 50 metros da divisa da propriedade com o núcleo urbano. O agricultor até pode produzir nesta área, desde que não use veneno. Sem a barreira, é proibido usar numa faixa de 100 metros da cidade. Na cidade de Campo Mourão, o Ministério Público tem notificado os agricultores sobre uma lei municipal de 1997, que proíbe a aplicação de veneno a 100 metros de qualquer núcleo habitacional. Uma fazenda está perto de um hospital. De acordo com o Globo Rural, na safra 2017/ 2018 o país produziu cerca de 228 milhões de toneladas de grãos, com uso de 500 mil toneladas de agrotóxicos.  Os dados são do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Em 2017, o mercado de agrotóxicos movimentou mais de R$ 33 bilhões no Brasil. Os campeões de venda são os herbicidas, usados principalmente na cultura da soja. Em seguida, vêm fungicidas e inseticidas.

No Brasil, 30 milhões de empregos podem desaparecer em 7 anos, aponta estudo

  • Fantástico
  • 01 Abr 2019
  • 12:11h

Cenas da fila gigantesca de brasileiros em busca de oportunidade marcaram a semana. No centro de São Paulo, o mutirão de emprego no comércio atraiu 15 mil pessoas à procura de uma vaga com carteira assinada. A disputa é por 6 mil vagas.O último dado do IBGE mostra que o Brasil tem mais de 13 milhões de desempregados. Desde a última pesquisa, mais 900 mil pessoas entraram na estatística. Um estudo inédito do Ipea - Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas, do Ministério da Economia - mostra quais tarefas computadores e robôs podem fazer melhor ou tão bem quanto as pessoas. As profissões com maior risco, segundo o estudo, são: montador de estruturas de aeronaves e trabalhador da exploração de resinas, por exemplo, um seringueiro. As que estão correndo o menor risco são: engenheiro agrícola e músico arranjador. “55% das ocupações hoje, dos empregos formais hoje do Brasil, já poderiam ser substituídas por máquinas ou tecnologias, se a gente levar em conta apenas o aspecto tecnológico”, explica Aguinaldo Maciente, coordenador de Trabalho do Ipea. O estudo só avaliou que tarefas podem ser feitas por máquinas, não levou em conta o mercado, e concluiu que 30 milhões de empregos correm risco de desaparecer no país, nos próximos sete anos.

Bolsonaro cancela instalação de 8 mil radares em estradas do país

  • Agência Brasil
  • 01 Abr 2019
  • 10:10h

Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (31) ter barrado a instalação de mais de 8 mil radares eletrônicos em estradas do país, alegando que o objetivo principal da instalação é arrecadar recursos para os estados.“Após revelação do @MInfraestrutura de pedidos prontos de mais de 8.000 novos radares eletrônicos na rodovias federais do país, determinei de imediato o cancelamento de suas instalações. Sabemos que a grande maioria destes têm o único intuito de retomo financeiro ao estado”, escreveu o presidente em sua conta oficial do Twitter. Bolsonaro disse ainda que no momento de renovação dos contratos de rodovias concedidas, fará uma avaliação sobre a necessidade de que radares já instalados continuem onde estão. “Ao renovar as concessões de trechos rodoviários, revisaremos todos os contratos de radares verificando a real necessidade de sua existência para que não sobrem dúvidas do enriquecimento de poucos em detrimento da paz do motorista”, disse.

Brasil: Jovem cai de andaime e morre após tentar tirar selfie em boate

  • iBahia
  • 01 Abr 2019
  • 08:06h

Foto: Reprodução/Instagram

O estudante Daniel Rubem de 25 anos morreu após cair de um andaime na boate Yurb, no Distrito Federal, na madrugada do último sábado (30). De acordo com informações do UOL, o jovem tentava tirar uma selfie quando se desequilibrou e caiu.Daniel foi encaminhado pelo corpo de bombeiros para o hospital por volta das 6h da manhã, com lesões graves e traumatismo craniano. Ainda de acordo com o portal UOL, por volta das 9:40h ele não resistiu aos ferimentos e morreu.A boate se pronunciou de forma oficial e disse que apesar do acidente ter acontecido fora do horário de funcionamento, após os portões terem sido fechados, o estudante foi socorrido pela equipe de seguranças e brigadistas."Diante do fato, os seguranças e brigadistas do espaço prestaram imediata assistência ao rapaz, buscando mantê-lo em segurança até a chegada do Corpo de Bombeiros, acionado pelo estafe do local", explicou a boate em trecho de comunicado oficial. O caso segue sendo investigado pela polícia civil.

Vídeo que nega o golpe de 1964 é divulgado pelo Planalto

  • 01 Abr 2019
  • 07:09h

O Palácio do Planalto divulgou neste domingo (31) um vídeo negando que um golpe de estado instaurou a ditadura militar no Brasil, ato que completou neste dia 55 anos. A Secretaria de Imprensa da Presidência confirmou que ele foi enviado em um grupo de WhatsApp para distribuição de informações a jornalistas, mas não soube dizer quem enviou para o canal. Também diz que o governo não produziu o vídeo nem soube dizer quem produziu.O vídeo também foi postado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, no Twitter. No vídeo, um homem não identificado fala de uma época em que havia no Brasil "um tempo de medo e ameaças" provocadas pelo comunismo. E que "jornais, rádios, TVs e principalmente o povo na rua" apelaram ao Exército. O vídeo termina com a imagem da bandeira nacional e a inscrição "31 março" e um locutor afirmando que "o Exército não quer palmas nem homenagens. O Exército apenas cumpriu o seu papel". 

Cidades brasileiras têm protestos contra a ditadura militar

  • 31 Mar 2019
  • 19:36h

Foto: Sergio Lima/G1

Manifestações pró e contra a ditadura militar (1964-1985) ocorreram em várias cidades do Brasil neste domingo (31), dia em que o golpe que instaurou o regime completa 55 anos.O golpe de estado de 1964 precedeu um período de ditadura militar em que não houve eleição direta para presidente Brasil. O Congresso Nacional chegou a ser fechado, mandatos foram cassados e houve censura à imprensa. De acordo com a Comissão da Verdade, 434 pessoas foram mortas pelo regime ou desapareceram – somente 33 corpos foram localizados. As manifestações ocorrem em meio a polêmica envolvendo o governo federal após o presidente Jair Bolsonaro determinar que o Ministério da Defesa fizesse as "comemorações devidas" pelos 55 anos do golpe. Após a determinação do presidente, a Justiça Federal em Brasília chegou a proibir, seguindo um pedido da Defensoria Pública da União, que o golpe fosse celebrado pelas Forças Armadas. No entanto, outra decisão, também da Justiça Federal, liberou as comemorações.

Número de adoções internacionais é o menor dos últimos 20 anos no Brasil

  • 31 Mar 2019
  • 15:10h

O número de adoções internacionais realizadas em 2018 é o menor dos últimos 20 anos no Brasil. Foram concretizadas no ano passado 67 adoções de crianças por pretendentes de fora do país. É o que mostram dados obtidos pelo G1.Uma das explicações para a queda é o crescente número de adoções realizadas dentro do território nacional. Houve 2.184 adoções por meio do Cadastro Nacional no ano passado, segundo dados da Corregedoria Nacional de Justiça – um ligeiro aumento em relação ao ano anterior. Ou seja, uma criança é adotada a cada quatro horas, em média, hoje no Brasil. “As pessoas no país têm começado a adotar crianças com doença ou deficiência. Também estão mais abertas a grupos de irmãos que antes. Há uma mudança de mentalidade progressiva”, afirma Paula Leal, responsável pelo núcleo de adoção internacional do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional, subordinado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública. “Isso tem tido um impacto.” “Mas também existem os efeitos da crise mundial de 2008. Entre os quatro principais parceiros que têm entidades credenciadas para adoção (EUA, França, Espanha e Itália), três ainda têm uma taxa de desemprego superior à de 2008. Ou seja, não houve uma recuperação. E a adoção internacional é um processo muito caro”, afirma Paula, que é especialista em políticas públicas e gestão governamental. Segundo ela, o Cadastro Nacional de Adoção – que passa por uma reformulação – também não tem ajudado a mudar essa realidade. Há três anos, os estrangeiros passaram a ser incluídos no cadastro. Ainda assim, existem atualmente apenas 287 pretendentes de fora do país cadastrados. “Ainda há problemas. O novo cadastro está em teste. E o que os servidores dizem é que, por mais que haja melhora na ferramenta, falta pessoal para alimentá-la. A maioria das comissões judiciárias de adoção internacional ainda não consegue utilizar efetivamente o cadastro.” Uma das alterações previstas no novo cadastro é a inclusão de fotos e vídeos das crianças, além do histórico de acolhimento. Outra novidade é a implantação de um sistema que permite uma varredura automática diária entre perfis de crianças e pretendentes informando ao juiz quase que em tempo real sobre um possível “match”.

Em depoimento a jornal, Paulo Coelho diz ter sido torturado durante ditadura

  • Folhapress
  • 31 Mar 2019
  • 13:11h

(Foto: Ernesto Rodrigues/Estadão)

No dia 28 de maio de 1974, o escritor Paulo Coelho teve seu apartamento invadido por agentes do regime militar e depois foi preso e torturado, segundo relatou em um texto publicado nesta sexta (29) no jornal americano Washington Post. O texto foi escrito como reação à orientação de Jair Bolsonaro para que quartéis celebrem o golpe de março de 1964. A ordem do presidente foi distribuída pelo Ministério da Defesa. Em seu texto, Paulo conta que, após ter sido levado ao prédio do Dops (Departamento de Ordem Política e Social), onde foi interrogado, pegou um táxi. Estava a caminho da casa de seus pais, quando seu trajeto foi interrompido por dois carros. Retirado a força do automóvel por um homem armado, ele foi obrigado a vestir um capuz e, levado para um lugar que não sabe identificar, passou por sessões de tortura. "Dizem que não quero cooperar, jogam água no chão e colocam algo nos meus pés, e posso ver por debaixo do capuz que é uma máquina com eletrodos que são fixados nos meus genitais", descreve em um trecho. O escritor conta que, após perder a noção de tempo, foi levado para uma sala pequena chamada "geladeira". Diz que ela era "toda pintada de negro, com um ar-condicionado fortíssimo" e que ficou ali no escuro. "Começo a enlouquecer, a ter visões de cavalos. Bato na porta, mas ninguém abre. Desmaio. Acordo e desmaio várias vezes, e em uma delas penso: melhor apanhar do que ficar aqui dentro." O texto do autor de "O Alquimista" termina com um protesto contra a ordem de Bolsonaro. "E são essas décadas de chumbo que o presidente Jair Bolsonaro --depois de mencionar no Congresso um dos piores torturadores como seu ídolo-- quer festejar nesse dia 31 de março."

MP investiga rompimento de duas barragens em Rondônia

  • 31 Mar 2019
  • 11:06h

Foto: Luiz Martins/ Rede Amazônica

O Ministério Público de Rondônia abriu inquérito para apurar a responsabilidade sobre o rompimento de duas barragens no distrito de Oriente Novo, em Machadinho do Oeste, a cerca de 350 quilômetros de Porto Velho. De acordo com o MP-RO, o objetivo é apurar as responsabilidades e mensurar danos ambientais causados pelo incidente na área da mineradora MetalMig, que deixou cerca de 100 famílias isoladas.Neste sábado (30), a promotora de justiça da região de Machadinho, Marlúcia Chianca, solicitou medidas urgentes à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Ambiental (SEDAM), IBAMA E Polícia Militar Ambiental, e à Agência Nacional de Mineração (ANM), os relatórios de avaliações de segurança das barragens nos últimos anos. Representantes dos órgãos ambientais fizeram um sobrevoo na região para avaliar os danos e identificar possíveis áreas de contaminação. O MP orientou a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e a Polícia Militar Ambiental a realizar um levantamento de todas as famílias e áreas prejudicadas. Em 2018, o Ministério Público vistoriou a área e informou que as licenças ambientais e de operação estavam em dia.

Brasil: Sem saber que estava grávida, auxiliar de limpeza dá à luz em shopping

  • 31 Mar 2019
  • 09:09h

Foto: Arquivo pessoal

A auxiliar de limpeza, Diane de Jesus Costa, protagonizou um episódio curioso na tarde deste sábado (30): ela passou mal no trabalho, foi levada para a enfermaria e deu à luz a uma menina. Após o parto, feito por uma enfermeira e bombeiros do centro de compras, ela disse que não sabia que estava grávida. A enfermeira Maria Ivonete da SIlva explica que foi surpreendida com o fato. De acordo com ela, a funcionária de uma loja de roupas foi até o ambulatório alegando um mal estar e dores abdominais. "Medi a pressão e fiz algumas perguntas de rotina. Quando apalpei a barriga dela eu senti que ela estava entrando em trabalho de parto. Então eu perguntei há quanto tempo ela estava grávida, e ela me respondeu que se estava grávida, não sabia", disse. Como a enfermeira soube que não daria tempo de a ambulância chegar, pediu ajuda aos bombeiros do estabelecimento e até da amiga da mulher que daria o parto. A menina nasceu com 2,6 quilos. "Os bombeiros colocaram ela na maca e eu falei para a amiga dela colocar a luva porque poderia precisar de ajuda. Mas como eu já trabalhei em hospital, tenho experiência com parto e foi emocionante ajudar uma mãe nessa situação. Ganhei meu dia", completou. A mãe - que preferiu não dar entrevista, mas autorizou a divulgação da foto - e a recém-nascida, foram levadas ao Hospital Municipal da Vila Industrial. As duas passam bem.