BUSCA PELA CATEGORIA "Brasil"

Deputada sofre onda de ataques nas redes sociais por uso de decote ao tomar posse em SC

  • 05 Fev 2019
  • 08:01h

Foto: Luis Debiasi/Agência AL

A roupa usada pela deputada estadual Ana Paula da Silva, conhecida como Paulinha (PDT), durante a cerimônia de posse no dia 1º de janeiro na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) provocou repercussão nas redes sociais. O macacão vermelho com decote foi alvo de milhares de comentários, muitos deles ofensivos. A parlamentar já foi prefeita de Bombinhas, no Litoral Norte, duas vezes. Uma foto tirada no dia da posse e postada pela deputada numa página de rede social já teve mais de 8,5 mil comentários e 6,2 mil compartilhamentos. As ofensas vieram de várias partes do país. Um dos comentários foi feito por um homem que se identificou como policial militar. Em entrevista à NSC TV, ela disse que sempre usou roupas justas e decotadas e que não vai ser agora que chegou à Alesc que vai mudar."Claro que foi um dia de bastante sofrimento, não vou negar. Mas eu não vou arredar o pé daquilo que eu sou. Eu quero ser feliz acima de todas as coisas. E isso implica em me apresentar para as pessoas como eu sou. Corpo, alma, verdadeiramente aquilo que eu sou. Acho que esse preconceito precisa ser desconstruído. E de fato, no ambiente da política, a presença esmagadora de homens nos faz encolher, nos faz retroagir", disse Paulinha. Para a deputada, as pessoas estão dando atenção para coisas que não são relevantes. "Hoje tem mais de 800 mil catarinenses esperando procedimento médico ou cirúrgico. Nesses 30 dias, essas filas só aumentaram. Essas sim são as questões mais importantes", declarou. Paulinha disse também que pretende processar quem fez comentários ofensivos contra ela. O advogado criminalista Leonardo Costella afirma que no caso da advogada, as pessoas que fizeram os comentários ofensivos podem ser condenadas até a pagar indenização por danos morais. "Esses crimes podem muito bem serem classificados por difamação ou injúria, que são crimes contra a honra", disse. A Assembleia Legislativa informou que o regimento interno diz que o traje do plenário é passeio completo e que a roupa da deputada estava de acordo, por isso não houve quebra de decoro. Disse ainda que repudia os comentários misóginos contra a deputada. Já o comando geral da PM afirmou que vai abrir processo administrativo para investigar a postura do policial da reserva que postou os comentários ofensivos. A deputada Ana Paula foi eleita com 51.739 votos.

Brasil: Policial agride mulher com chicotadas

  • G1
  • 04 Fev 2019
  • 20:11h

Foto: Reprodução

A Polícia Militar do Ceará investiga uma agressão de um policial a uma mulher, durante uma abordagem na Rua do Canal, no Bairro Lagamar, em Fortaleza, na noite de domingo (3). Uma pessoa que não quer se identificar filmou a agressão e enviou a imagem ao G1.Conforme testemunhas, uma festa de pré-carnaval era realizada no local, quando a PM chegou. Dois militares aparecem nas imagens, e um deles agride a jovem com um chicote, segundo uma das garotas agredidas.A assessoria de comunicação do órgão informou, em nota, que "a PMCE está verificando a identificação dos policiais militares envolvidos na ocorrência, para que as devidas providências sejam tomadas".A Polícia Militar lamentou a agressão e também afirmou que "não compactua com qualquer ação policial que vá de encontro aos direitos e garantias fundamentais do cidadão e que se pauta, dentre outros, pelo princípio da legalidade e da impessoalidade".A Instituição lembrou que qualquer ação de seus membros que, porventura, destoe dessas diretrizes são repudiadas e devidamente apuradas por esta Corporação, ocasião em que é dado aos acusados a oportunidade do contraditório e ampla defesa.

Médica cubana é morta a golpes de chave de fenda pelo marido

  • Veja
  • 04 Fev 2019
  • 16:08h

(Reprodução/Veja SP)

O vigilante Dailton Gonçalves, de 45 anos, foi preso em flagrante após matar a mulher, a médica cubana Laidyes Sosa, de 37 anos, a golpes de chave de fenda no último domingo (3), em Mauá, na Grande São Paulo. De acordo com o boletim de ocorrência, Gonçalves foi preso em flagrante após denúncia de familiares que passaram a placa do carro do agressor. Ele foi localizado nas proximidades da Estrada dos Fernandes, em Ribeirão Pires. Aos policiais militares ele confessou o crime e indicou onde o corpo estava enterrado. O vigilante responderá por feminicídio e ocultação de cadáver. A chave usada no assassinato foi localizada na casa do casal e passará por perícia. De acordo com as redes sociais de Laidyes e Gonçalves, eles eram pais de um menino.

Intestino de Bolsonaro voltou a funcionar após piora, diz médico

  • Estadão
  • 04 Fev 2019
  • 15:06h

Após uma piora no último sábado, 2, o intestino do presidente Jair Bolsonaro voltou a funcionar entre domingo e esta segunda-feira, 4, de acordo com a equipe médica que acompanha o presidente no Hospital Albert Einstein. Por conta da cirurgia de retirada da bolsa colostomia, no último dia 28, os movimentos do intestino ficaram paralisados e chegaram a retomar na semana passada, situação que se reverteu no fim de semana e levou Bolsonaro a usar uma sonda nasogástrica para drenar líquido do estômago.  "A cirurgia demorou nove horas, então o intestino fica paralisado alguns dias. Piorou um pouco de sexta para sábado, quando paralisou mais ainda, e agora voltou a funcionar. É uma evolução boa", disse o cirurgião Antonio Luiz Macedo ao Estadão/Broadcast Político. As funções intestinais, no entanto, não foram retomadas completamente. Portanto, a alimentação oral continua suspensa e Bolsonaro recebe apenas hidratação pela veia. Além disso, os médicos orientaram que o presidente continue em repouso e com visitas restritas, afastando a possibilidade de audiências com ministros a partir desta segunda-feira, 4, como considerado por assessores na semana passada. "É difícil porque começa a falar, engole muito ar e prejudica a função intestinal. Mais uns dias e ele poderá receber quantos ministros quiser, mas agora é um pouco cedo", afirmou Macedo. O médico disse ainda que é preciso esperar "um pouco mais" para se ter uma previsão de alta do hospital. No quarto do hospital, ele está com a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e com o filho Carlos Bolsonaro. Um boletim médico com informações sobre o quadro de saúde deve ser divulgado às 17h. Na sequência, o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, concederá uma entrevista coletiva.

Mortos em Brumadinho sobem para 134; há 199 desaparecidos

  • Terra
  • 04 Fev 2019
  • 14:14h

(Reprodução BandNews)

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais e a Defesa Civil do estado atualizaram para 134 o número de mortos, após o rompimento da Barragem 1 da Vale, em Brumadinho (MG). Desse total, 120 já tiveram as identidades confirmadas pelas autoridades. Além disso, 199 pessoas ainda permanecem desaparecidas. Ao todo, 394 foram localizadas. Segundo o porta-voz da corporação, tenente Pedro Aihara, a previsão é de chuva para os próximos dias, mas as condições meteorológicas não deverão representar um obstáculo, uma vez que parte do efetivo ainda está trabalhando no que chamam de área quente - região mais afetada pelo fluxo de lama e onde há maior chance de vítimas serem encontradas. Ainda de acordo com o tenente, devido ao deslocamento da lama, foi possível encontrar três corpos de vítimas perto do que as equipes acreditam ter sido o vestiário da mineradora Vale. Durante a coletiva de imprensa, o tenente também informou que 15 máquinas deverão auxiliar nas buscas da força-tarefa estruturada no local.

Ativista morta estava com medo após seu endereço ser descoberto, relatam amigos

  • Correio24h
  • 04 Fev 2019
  • 13:16h

Amigos da ativista social Sabrina Bittencourt, 38, contaram que, antes de morrer,ela estava preocupada por ter tido o endereço, onde morava com os filhos, descoberto. No sábado (2), ela também denunciou que estava recebendo ameaças. O jornalista Gilberto Dimenstein publicou, neste domingo (3), no site Catraca Livre outra mensagem que teria recebido de Sabrina, na qual ela acusa Sandro Teixeira, filho de João de Deus, “de ameaçar as testemunhas que denunciaram seu pai, oferecendo pedras preciosas e casas do programa Minha Casa Minha Vida como forma de obter silêncio”. Na tarde do mesmo sábado, Sabrina disparou mensagens pelo Whatsapp para alguns jornalistas, entre eles os brasileiros Gilberto Dimenstein e Nina Lemos, dizendo sentir-se ameaçada por um homem chamado Paulo Pavesi. De acordo com a reportagem do Uol assinada por Nina Lemos, com colaboração de Talyta Vespa e Luís Lima, “Sabrina estava se sentindo especialmente apavorada porque o endereço onde morava com os filhos havia sido descoberto”.  Ainda segundo o texto publicado no portal de notícias, ela teria combinado com alguns amigos de localidades diferentes do mundo para publicar fotos como se estivesse nestes lugares.  Ao meio-dia de sábado, o cineasta Anderson Lago marcou Sabrina com uma foto da dupla em Angola. “A foto que postei é de 2014. Eu troquei o fundo pela imagem da exposição que, de fato, inaugurou ontem na Angola”, contou Anderson. Ele confirmou que a amiga estava em Barcelona e que teria notado movimentações suspeitas em sua conta de WhatsApp. “Ela deixou o celular com o WhatsApp e percebeu que as conversas estavam deslizando ‘sozinhas’. Percebeu que havia sido hackeada e que alguém tinha acesso a todas as conversas e passos dela. Ficou transtornada”, completou. Morando na Inglaterra, Paulo Pavesi reagiu no Facebook, dizendo que estaria sofrendo um ataque virtual dos “apoiadores de Sabrina” e que vai fazer um pedido à Polícia Federal para que o local do “suposto suicídio” seja investigado. Ele afirma que muitas das denúncias da ativista são mentirosas e pressupõe que ela tenha tirado a própria vida “porque não tinha como provar e sabia que não tinha outra saída”.

Robôs substituirão 30 milhões de empregos até 2026, diz pesquisa

  • 04 Fev 2019
  • 09:09h

Foto: Alex Knight/Unsplash

O pequeno aparelho que limpa o chão de casa e reconhece objetos e paredes, atendentes virtuais e até o garçom em forma de tablet para o jantar a dois. O check-in no aeroporto, a telefonista automática e até o "self-service" no restaurante são serviços, cada vez mais, mediados por robôs e/ou pela inteligência artificial. Um estudo inédito feito com dados pelo Laboratório de Aprendizado de Máquina em Finanças e Organizações da Universidade de Brasília (UnB) mostrou que essas máquinas movidas por tecnologia de inteligência artificial devem, nos próximos anos, ganhar ainda mais espaço – e seguir substituindo postos de trabalho. Segundo a pesquisa, até 2026, 54% dos empregos formais do país poderão ser ocupados por robôs e programas de computador. A porcentagem representa cerca de 30 milhões de vagas. O trabalho, desenvolvido ao longo de 2018, avaliou uma lista de 2.602 profissões brasileiras. Levando em consideração o número de trabalhadores com carteiras assinadas no fim de 2017 – de acordo com os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho –, os pesquisadores chegaram ao resultado de que 25 milhões (57,37%) exerciam funções com probabilidade muita alta (acima de 80%) ou alta (60 a 80%) de automação naquele ano.

'Robocalipse'?

Um dos professores responsáveis pelo levantamento, Pedro Henrique Melo Albuquerque, disse que cada vez mais os brasileiros estão entrando em uma nova fase do avanço da tecnologia sobre os postos de trabalho. Primeiro, máquinas substituíram atividades mais simples, como funções em linhas de montagem de fábricas. Agora, com o avanço da robótica e da inteligência artificial, há uma ameaça cada vez maior a profissões que requerem habilidades complexas. Esse cenário gerou duas correntes de pensamentos sobre o futuro das profissões. Uma pessimista, chamada popularmente de “robocalipse”, defende que a automação causará uma avalanche de desemprego. A segunda, otimista, acredita que o desenvolvimento da inteligência artificial vai impor adaptação dos empregados, mas criará demanda para empregos em tarefas que não podem ser realizadas por robôs e profissionais mais criativos. O pesquisador Albuquerque integra essa corrente. Habilidades como originalidade e inteligência social são características difíceis de se automatizar, segundo o estudo. Por isso, quanto maior a subjetividade e a complexidade da tarefa, menor a chance de um computador roubar a cena. "Acredito na perspectiva positiva. Algumas profissões vão desaparecer, como aquelas que desenvolvem atividades rotineiras e que podem ser automatizadas, como ascensorista. Outras se adaptarão", disse o professor.

Ativista que ajudou a desmascarar João de Deus, Sabrina Bittencourt morre aos 38 anos

  • 04 Fev 2019
  • 07:11h

Sabrina Bittencourt cometeu suicídio em Barcelona, onde morava. Alvo de ameaças no Brasil, a militante de 38 anos atuou durante duas décadas em defesa de vítimas de violência sexual e ajudou a desmascarar o médium.A ativista Sabrina Bittencourt, que ajudou a reunir mulheres vítimas do médium João de Deus para denunciar os crimes sexuais cometidos contra elas, morreu na noite deste sábado (02/02). Em nota, o grupo Vítimas Unidas, ONG de apoio a vítimas de abusos sexuais com a qual Bittencourt trabalhava, informou que a militante de 38 anos se suicidou por volta das 21h em Barcelona, na Espanha, onde ela morava atualmente. "A ativista cometeu suicídio e deixou uma carta de despedida relatando os porquês de tirar sua própria vida", diz o texto, assinado por Maria do Carmo Santos, presidente da ONG, e Vana Lopes, fundadora da organização. "Pedimos a todos que não tentem entrar em contato com nenhum integrante da família, preservando-os de perguntas que sejam dolorosas neste momento tão difícil", acrescenta a nota, sem dar informações sobre velório e enterro. "A luta de Sabrina jamais será esquecida e continuaremos, com a mesma garra, defendendo as minorias, principalmente as mulheres que são vítimas diárias do machismo." Às 20h05 do sábado, Bittencourt publicou um longo texto em seu perfil no Facebook, que foi depois apagado. Ela afirmava que iria se unir à vereadora carioca Marielle Franco, assassinada em março de 2018. "Marielle, me uno a ti. Somos semente", escreveu. "Fiz o que pude, até onde pude. Meu amor será eterno por todos vocês. Perdão por não aguentar, meus filhos. Vocês terão milhares de mães no mundo inteiro. Minas irmãs e irmãos na dor e no amor, cuidem deles por mim", disse ela, que deixa três filhos. Gabriel Baum, o filho mais velho e também ativista social, comentou a morte da mãe na mesma rede social. "Ela só se transformou em outra matéria. Nós seguiremos por ela. Foi isso que minha mãe me ensinou e ninguém vai poder tirar de mim. Não permitam que manchem o nome dela." Segundo o filho, Bittencourt disse a ele que, depois de Marielle, ela seria "a próxima". "Minha mãe passou o ano todo me preparando, mas nunca estamos preparados mesmo", escreveu. "Ela não queria ser morta pelas quadrilhas nem pelo câncer. Minha mãe lutou até o final, ela não desistiu. Ela só se libertou do inferno que estava vivendo." Ativista social há 20 anos, ela fazia parte de uma série de grupos de combate à violência sexual, entre eles a força-tarefa Somos Muitas e o movimento Coame, sigla para Combate ao Abuso no Meio Espiritual, que denuncia crimes sexuais cometidos por religiosos. Durante meses, Bittencourt reuniu relatos de vítimas de João de Deus e incentivou as primeiras mulheres a denunciarem o médium pelos abusos sexuais que elas sofreram. Ele está preso desde dezembro e é réu pelos crimes de estupro de vulnerável e violação sexual. Em janeiro, ela apresentou uma denúncia ao Ministério Público acusando João de Deus de envolvimento também em escravização de mulheres e em tráfico internacional de bebês. No sábado, em postagem no Facebook, a militante celebrou a prisão de Sandro Teixeira, filho do médium, acusado de coagir testemunhas. "Quando falamos que temos provas e evidências, além de relatos, confiem. Somos responsáveis nas nossas acusações e pedidos de investigação", escreveu. Em entrevista recente à revista Marie Claire, Bittencourt disse que estava tratando um câncer no sistema linfático. Contou ainda ter sofrido abusos desde os 4 anos por parte de membros da igreja que sua família frequentava. Aos 16, ficou grávida de um dos estupradores, mas abortou. Ela também esteve envolvida com as denúncias de abuso sexual contra o mestre espiritual Prem Baba. Segundo a imprensa brasileira, Bittencourt era alvo constante de ameaças de morte, por isso vivia fora do Brasil e mudava de endereço com frequência.

Após reclamação, cliente da Tim recebe fatura com 'mineiro boiola otário' impresso no envelope

  • 03 Fev 2019
  • 16:13h

Foto: Arquivo Pessoal

Um cliente da operadora Tim recebeu uma fatura do mês de janeiro, com um relatório das chamadas do celular, com as expressões “mineiro boiola otário” impressas. O caso aconteceu em Lambari (MG). Bruno Ribeiro Carvalho, de 31 anos, reclamou do posicionamento da empresa, que se desculpou em nota e alegou ter dado o suporte necessário. Bruno recebeu um relatório das chamadas do período entre os últimos meses de 2018 e 12 de janeiro de 2019. O documento indica que a impressão foi feita no dia 15 de janeiro, após uma reclamação do cliente pelo atraso do envio. “Como a Tim me mandava todo mês o relatório e esse mês eu ainda não tinha recebido, eu entrei em contato com eles e solicitei através do site do consumidor, porque no 1056 [telefone de contato] eu não conseguia falar”.

Problemas com a operadora

O problema do cliente começou ainda em 2018 quando, segundo ele, foram feitas cobranças indevidas na contratação de um plano. “Em vez de descontar uma vez por mês, descontava todos os dias. Essa situação durou uma semana. Desde que aconteceu, eles me mandam esse relatório”. Bruno, que faz sessões de radioterapia para tratamento contra o câncer, conta que não percebeu os xingamentos ao receber a conta. Só foi notar as palavras ao abrir o documento e checar as informações. As expressões aparecem logo após o endereço. “Eu fiquei bem chateado. Na hora, já comecei a pensar no que deveria fazer”. O cliente tentou o contato com o canal de atendimento por telefone e alega que não foi atendido. “Encerrei a chamada a entrei em contato pelo aplicativo da Anatel e com um site de consumidores do Procon”.

Aposta única do Rio de Janeiro ganha R$ 24,6 milhões da Mega Sena

  • 03 Fev 2019
  • 14:12h

Foto: Reprodução/TV Globo

Uma aposta única feita no Rio de Janeiro ganhou prêmio de R$ 24,6 milhões da Mega Sena. O sorteio foi realizado na noite de ontem (2), em Guaraciaba (SC). O resultado é válido para o concurso 2121.As dezenas sorteadas foram: 08 - 10 - 17 - 29 - 37 - 40. De acordo com a Caixa Econômica Federal, responsável pela administração das loterias, no mesmo concurso, 82 apostas levaram R$ 31,9 mil ao acertarem a quina (cinco dos seis números sorteados). Também foram registradas 5,4 mil apostas ganhadoras da quadra (quatro dos seis números sorteados), que foram premiadas com R$ 682,17. O próximo sorteio da Mega-Sena será realizado na próxima quarta-feira (6). O apostador que acertar as seis dezenas sozinho poderá levar para casa cerca de R$ 3 milhões.

Estudante recorre à Justiça para poder comprar carro anunciado a R$ 0,01 em site, mas tem pedido negado

  • G1
  • 02 Fev 2019
  • 16:09h

Foto: TV Anhanguera/Reprodução

Após ver um carro anunciado por apenas R$ 0,01 em um site de vendas, um estudante de Goiânia recorreu à Justiça para poder comprar o veículo por este valor. No entanto, a juíza Edmée Aguiar de Farias Pereira indeferiu o pedido de Iago Araújo Grande, alegando que houve um "erro na publicação da oferta", que é "perceptível pelo homem médio comum". A defesa promete recorrer da decisão. O automóvel em questão, ano 2013, é avaliado em cerca de R$ 50 mil. Ao ver o anúncio ele se animou: "Quando eu liguei que ele ainda confirmou que falei, 'poxa', negócio ótimo, vamos lá". Para se precaver, ele fez um print da tela e também imprimiu o anúncio. Porém, algum tempo depois, ele atualizou a página e o preço havia mudado. A situação motivou uma ação judicial contra a revendedora do veículo e o site. Porém, a magistrada negou o pedido. Em decisão proferida na última quarta-feira (30), ela explica que "a diferença deste e o valor real do veículo no mercado" torna evidente o erro. A TV Anhanguera entrou em contato com a Tecar Veículos, na sexta-feira (1º), mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem. Já o site Usados BR, que divulgou o anúncio, disse à TV Anhanguera que a publicação ocorreu por erro humano, mas que trabalha para que isso não ocorra de novo.

Filho de João de Deus é preso em Goiás

  • 02 Fev 2019
  • 14:11h

Foto: Reprodução/ TV Anhanguera

Um dos filhos de João de Deus, Sandro Teixeira de Oliveira foi preso na manhã deste sábado (2), em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Segundo apurou a TV Anhanguera, a Justiça recebeu denúncia do Ministério Público contra ele por coação no curso do processo e corrupção ativa e determinou a detenção. No mesmo processo, o médium, preso desde dezembro acusado de crimes sexuais, também responde pelo crime. João de Deus sempre negou as acusações. O advogado de Sandro, Guilherme do Amaral Pereira, negou todas as acusações. Disse que o caso que motivou a prisão ocorreu em 2016, em Alto Paraíso de Goiás, região noroeste do estado, onde o filho do médium, segundo o defensor, jamais esteve. "Ele nunca esteve em Alto Paraíso, a testemunha não reconhece ele. Ele estava em outro local no dia do fato e há como provar e a como provar, ele já demonstrou isso até mesmo ao MP, que fez vista grossa. É uma prisão arbitrária. Iremos tomar as medias judiciais possíveis para retirá-lo daqui. Temos uma denúncia totalmente sem materialidade", disse. Já o advogado de João de Deus, Alberto Toron, informou que desconhece "qualquer acusação de corrupção de testemunha". Sandro foi denunciado no dia 24 de janeiro no caso envolvendo uma testemunha, em 2016. Na ocasião, segundo o promotor Augusto César de Souza, um dia após o registro do crime, o médium já tinha conhecimento do boletim de ocorrência e tentou, junto com o filho, "comprar" a testemunha. "João de Deus e o seu filho, que estava armado, foram até a cidade da vítima, no norte do estado, e ofereceram a uma das testemunhas que acompanhou a vítima pedras preciosas que valiam R$ 15 mil para que fosse retirado o registro", contou o promotor. O MP pediu as seguintes medidas cautelares para o Sandro: não sair de Anápolis, onde mora; não se aproximar das vítimas; e comparecer ao juiz mensalmente. Porém, segundo a TV Anhanguera, a Justiça entendeu que a prisão de Sandro também era necessária.

Sobe para 121 número de mortos por rompimento de barragem em Brumadinho

  • Com informações da Reuters
  • 02 Fev 2019
  • 13:05h

(Foto: Reprodução)

Subiu para 121 o número de mortos causado pelo rompimento da barragem de rejeitos de mineração operada pela Vale em Brumadinho, informou a Defesa Civil de Minas Gerais neste sábado, 2. O coordenador da Defesa Civil, tenente-coronel Flávio Godinho, apontou ainda que o número de pessoas desaparecidas caiu para 226. Entre os mortos, 93 foram identificados. Até a noite de sexta-feira 1, as equipes tinham registrado 115 mortos, apontando ainda 248 pessoas desaparecidas. A Barragem I da Mina Córrego do Feijão passou por duas inspeções estruturais nos dias 8 e 22 de janeiro deste ano, registradas no sistema de monitoramento da Vale, mineradora responsável pela obra. A estrutura rompeu três dias depois, na última sexta-feira, 25, e destruiu o equivalente a 378 campos de futebol de mata. Mesmo com inspeções e um sistema de alerta através de sirenes – que, na hora da tragédia, foi engolfado pelos rejeitos – a lama foi mais rápida em devastar todo o entorno da barragem. Conforme informa a mineradora, houve seis vistorias dentro do processo de auditoria externa, além das inspeções internas que ocorriam quinzenalmente, que eram previstas no Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM), conforme estabelece a legislação brasileira. Dois engenheiros terceirizados da Vale, André Yassuda e Makoto Manba, suspeitos de fraudarem laudos técnicos da empresa, permitindo operações e atestando a estabilidade da barragem que rompeu, foram presos em São Paulo. Outros três funcionários da Vale em Minas Gerais também foram presos por estarem ligados diretamente ao empreendimento. A Defesa Civil informou nesta quarta-feira 30 que não precisa de novas doações para auxiliar as vítimas no momento.

Número de mortos em Brumadinho sobe para 115, e 248 estão desaparecidos

  • 02 Fev 2019
  • 11:09h

Foto: Fabiana Almeida/TV Globo

A Defesa Civil de Minas Gerais informou, no início da noite desta sexta-feira (1º), que subiu para 115 o número de mortos após a tragédia provocada rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte. Também há 248 pessoas desaparecidas.No dia em que o desastre completa uma semana, a operação entrou numa nova fase. Os trabalhos não têm data para acabar, segundo autoridades de Minas Gerais."Não excluímos a possibilidade de sobreviventes até que a gente encontre todos os corpos. Mas essa possibilidade matemática é muito pequena", afirmou o porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, tenente Pedro Aihara.

Números da tragédia

Mais cedo, ele havia dito: "Continuaremos incansavelmente nas buscas". Já o chefe do Estado-Maior do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, coronel Erlon Dias do Nascimento, disse que não há previsão para encerrar a operação de resgate. A barragem de rejeitos, que ficava na mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, se rompeu na sexta-feira (25). O mar de lama varreu a comunidade local e parte do centro administrativo e do refeitório da Vale. Entre as vítimas, estão pessoas que moravam no entorno e funcionários da mineradora. A vegetação e rios foram atingidos. Desde sábado (26), não são achados sobreviventes. Para os bombeiros, é muito pequena a possibilidade de achar alguém vivo em meio ao mar de lama. Já o prefeito de Brumadinho, Avimar Barcelos, disse em entrevista nesta sexta: "Neste momento estamos mais preocupados em resgatar vidas, e depois resgatar corpos". O trabalho de buscas deve ser retomado às 4h deste sábado (2).

Sobreviventes escapam de tragédia da Vale em uma picape que foi levada pela lama

  • 02 Fev 2019
  • 09:07h

Foto: Mauro Pimentel/AFP

Pessoas que estavam em uma picape e em uma retroescavadeira dentro da Mina do Feijão, da Vale, no momento do rompimento da barragem, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, no dia 25 de janeiro, estão vivas. O operador mantenedor de saneamento Sebastião Gomes estava cuidando do tratamento de água da mina e conseguiu escapar. Em depoimento à Polícia Civil, ele disse que machucou o braço e os dois joelhos e que está muito abalado. Em uma das imagens que a TV Globo e o G1 tiveram acesso, uma picape aparece no lado esquerdo do vídeo tentando escapar do tsunami. O operador e o amigo Elias estariam dentro do carro. Ele contou que técnicos da Vale afirmavam aos funcionários, em reuniões de emergência, que não havia risco de a barragem romper. Mas ele e colegas de trabalho desconfiavam que isso poderia acontecer. No vídeo, Sebastião diz que ficava assustado com os drenos da barragem, de onde saía água dia e noite. Ele contou ainda que quando a estrutura arrebentou, achou que o estrondo era o barulho de um pneu de caminhão de grande porte. Ele viu uma imensa nuvem de poeira e vários vagões carregados de minério que estavam vindo em sua direção. Só aí entendeu o que tinha acontecido. Um colega correu para um caminhão e gritou pra ele ir para a caminhonete branca, onde outro amigo, Elias, estava tentando fugir. A caminhonete foi atingida em cheio pela onda de lama. Sebastião e o amigo viram, com desespero, uma locomotiva indo em direção ao carro. Foi aí que eles começaram a rezar. Para Sebastião, foi a locomotiva que salvou a vida deles. Ela foi empurrada pela lama para debaixo da caminhonete, que foi jogada pra cima e não foi encoberta. Quando a onda passou, ele usou o rádio para pedir socorro. Todas as faixas da frequência estavam congestionadas com pedidos de ajuda. Sebastião e Elias saíram do carro para ajudar outros amigos, cavando a lama com as mãos e com a ajuda de partes da lataria de um trator. O sobrevivente contou que conseguiu ligar para filha e passou a localização de onde estavam. Ele recebeu uma ligação de uma funcionária da Vale e comunicou que havia feridos no local. Pouco depois, Sebastião e os outros colegas foram resgatados pelos bombeiros. O homem que escapou quase que por milagre dessa tragédia humana que já é considerada pelo Corpo de Bombeiros como a mais grave da história em Minas Gerais encerrou o depoimento pedindo que as causas do rompimento da barragem sejam esclarecidas e que os peritos avaliem se explosões de minas adjacentes influenciaram em sua ruptura.