BUSCA PELA CATEGORIA "Brasil"

Lucro do carnaval vale mais do que a saúde dos brasileiros?

  • Por Dr. Carlos Ely Eluf
  • 12 Fev 2020
  • 19:36h

(Fotos: Reprodução)

Parece-nos uma grave insensatez de nossas autoridades governamentais em permitirem a realização dos festejos carnavalescos no país em meio à epidemia do coronavírus. É desvario e ausência de responsabilidade. O governo brasileiro, após decretar estado de emergência, se absteve de dar respostas céleres para combater a epidemia, que se torna, a cada dia, mais abrangente no contexto global.

Enquanto os Estados Unidos proíbem, temporariamente, a chegada em seu território de pessoas vindas do continente chinês, as empresas aéreas American Airlines e United Airlines cancelam seus voos para a China. O Japão confina, em transatlântico, os passageiros em quarentena, sem poderem desembarcar naquele país. Nações europeias adotam medidas de urgência e extremamente necessárias para amainar os efeitos desta epidemia.

Já o Brasil segue na contramão e age com grande contrassenso. Nada mais propício para a proliferação do coronavírus do que a vinda de turistas em nosso país, que não tem como controlar o estado de saúde dos estrangeiros. E segue o baile. Teremos aglomerações provenientes de blocos carnavalescos, desfiles de escolas de samba, carnaval de rua e até matinês para crianças. Situações totalmente favoráveis à propagação do coronavírus.
 

Pesado tributo para a humanidade, derivado de seu próprio progresso, o qual pressupõe a conexão entre os países em que são realizadas, frequentemente, viagens facilitadoras do comércio internacional. Nossas autoridades estão levando muito tempo para compreender a dimensão da crise, pois a decretação de um estado de emergência requer uma resposta coordenada de toda a sociedade, evidentemente sob a organização dos dirigentes em todas as esferas de poder.

Há temor em adotar medidas antipopulares e que possam afetar a nossa economia, restringindo o setor hoteleiro e os esperados ganhos com a intensificação do turismo. Mas é óbvio ser de suma importância a consideração de se adiar os festejos carnavalescos para uma época mais oportuna. A prioridade deveria ser a saúde pública, não havendo necessidade de grandes inquirições para imaginar as consequências de uma provável disseminação do coronavírus.

Obviamente, a manutenção do carnaval traz significativa dificuldade aos agentes de saúde para controle, tratamento e erradicação de qualquer epidemia que assole o Brasil. O futuro se mostra nebuloso, pois a expectativa é de que as primeiras amostras de uma vacina para conter o vírus irão demorar cerca de três meses para surgirem, e o índice de propagação deverá ter um exponencial aumento, com a letalidade do coronavírus recrudescendo a níveis inimagináveis, até que surja o preventivo. Portanto, deveríamos traçar um plano de contingência contra este invisível inimigo da humanidade, o que se mostra imperioso, já que no curtíssimo prazo até o carnaval, é possível ocorrer um contágio epidêmico que pode acometer aglomerações por meio do contato físico. Portanto, o carnaval deveria, sim, ter sido cancelado ou adiado, evitando que a saúde da população seja comprometida. Mas o que prevalece são medidas demagógicas inaceitáveis no atual contexto da grave epidemia que assola o planeta.

Brasil: Menina morre após cair e bater a cabeça durante brincadeira com colegas na escola

  • G1
  • 11 Fev 2020
  • 16:02h

(Foto: Reprodução)

Uma menina morreu na tarde de segunda-feira (11), em Mossoró, no Oeste potiguar, depois de bater a cabeça no chão ao cair durante uma brincadeira na Escola Municipal Antônio Fagundes. Emanuela Medeiros, de 16 anos, sofreu traumatismo craniano e foi socorrida pela direção e levada ao Hospital Regional Tarcisio Maia, no bairro Aeroporto, na última sexta-feira (8), onde foi internada. De acordo com a prima da vítima, a estudante participava de uma brincadeira com outras duas pessoas que a seguraram e tentaram girá-la, como uma espécie de cambalhota. Durante o giro, ela caiu e bateu a cabeça no chão. Emanuela era aluna do nono ano. José Altemar da Silva, diretor da escola, contou que não tinha conhecimento a respeito da brincadeira e lamentou a situação. "Infelizmente foi uma fatalidade que não tivemos como evitar", disse. Ele recomendou que os pais ficassem atentos com o que circula nas redes sociais.A Secretaria Municipal de Educação de Mossoró decretou luto. A escola voltará a funcionar a partir da próxima segunda (18). A menina foi velada na manhã desta terça-feira (12) e o enterro está previsto para o período da tarde.

Sobe para 4 o nº de mortos pela chuva no interior de SP

  • G1
  • 11 Fev 2020
  • 15:12h

(Foto: 14News/Divulgação)

O temporal que provocou estragos no início desta semana no estado de São Paulo deixou quatro pessoas mortas. Os casos foram registrados entre segunda (10) e terça-feira (11), na região de Bauru (SP).Os bombeiros encontraram os corpos de duas mulheres em Vitoriana, distrito de Botucatu (SP), nesta manhã. As vítimas ainda não foram identificadas, mas a suspeita é de que sejam de duas mulheres que estavam com um homem, todos da mesma família, em um carro arrastado por um rio que transbordou.Os corpos foram encontrados a 150 metros do veículo e o homem continua desaparecido. Vídeo mostra helicóptero Águia nas buscas pelas vítimas no distrito de Vitoriana.Outra morte foi registrada na madrugada desta terça-feira, quando um caminhão e um carro caíram em uma cratera que se abriu na Rodovia Leonor Mendes de Barros (SP-333), em Júlio Mesquita (SP). O motorista do carro, que pertence à concessionária que administra a rodovia, foi encontrado morto.A quarta vítima também foi um motorista que caiu com um caminhão em outra cratera, esta aberta na Rodovia Marechal Rondon (SP-300), em Botucatu. O caminhão com o motorista foi sugado com a força da água para o buraco e desapareceu, sendo encontrado horas depois a mais de 1 quilômetro de distância.

Voz que liberou entrada de acusado de matar Marielle em condomínio não é do porteiro que disse ter falado com Bolsonaro, diz laudo

  • G1
  • 11 Fev 2020
  • 14:07h

(Foto: Reprodução)

A voz do porteiro que liberou a entrada do ex-PM Élcio de Queiroz no condomínio Vivendas da Barra, no Rio de Janeiro, em 14 de março de 2018, dia do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, não é a do funcionário que havia mencionado o presidente Jair Bolsonaro aos investigadores da Delegacia de Homicídios (DH). A informação está em um laudo assinado por seis peritos da Polícia Civil e foi publicada nesta terça-feira (11) pelo jornal "O Globo". De acordo com o laudo, a pessoa que autorizou a entrada de Élcio no local foi o policial reformado Ronnie Lessa, morador do condomínio e vizinho de Bolsonaro. Tanto Élcio como Lessa estão presos. O primeiro é acusado de ter dirigido o veículo usado no crime, e o segundo é acusado de ter efetuado os disparos contra Marielle e Anderson. Conforme reportagem que foi ao ar no Jornal Nacional em 29 de outubro de 2019, um dos porteiros afirmou em depoimento que Jair Bolsonaro, então deputado federal, havia liberado a entrada de Élcio no condomínio. Depois, o homem voltou atrás e afirmou que errou ao dizer que havia falado com "seu Jair". Ao apurar as declarações dadas no depoimento, o Jornal Nacional pesquisou os registros da Câmara dos Deputados e encontrou uma contradição. Jair Bolsonaro estava em Brasília naquele dia, como mostram os registros de presença em duas votações no plenário: às 14h e às 20h30. Portanto, ele não poderia estar no Rio. Em novembro, a PF abriu inquérito para investigar o depoimento do porteiro. A investigação apura se o porteiro cometeu crimes de obstrução de Justiça, falso testemunho e denunciação caluniosa contra o presidente. Agora, o laudo da Polícia Civil assinado por 6 peritos confirmou que outro funcionário havia interfonado naquele dia para Lessa, e não o porteiro que havia dado o depoimento envolvendo Jair Bolsonaro. Segundo o documento ao qual "O Globo" teve acesso, não há "indícios sugestivos de edição fraudulenta" do disco rígido (HD) analisado, que contém registros do sistema de gravação do interfone.O G1 esteve nesta manhã no condomínio onde Lessa e Bolsonaro têm residência, e onde o porteiro que deu o depoimento ainda trabalha, mas foi informado que o homem não estava no local.

Cantor sertanejo respira por aparelhos após carro bater em caminhonete e pegar fogo

  • G1
  • 11 Fev 2020
  • 11:05h

(Foto: Divulgação/Informa Mais/Divulgação)

O cantor sertanejo Henrique, da dupla Netto e Henrique, permanece internado em estado grave na UTI do Hospital de Base de São José do Rio Preto (SP) após sofrer um acidente de trânsito na madrugada de sábado (8), em Santa Fé do Sul (SP). O carro do músico acabou pegando fogo com a batida. Segundo o HB, Henrique está sedado e respirando com auxílio de aparelhos. A assessoria de imprensa da dupla emitiu uma nota e diz que “Henrique tem se mantido estável após cirurgia. Sangramento e pressão intracraniana estão absolutamente controladas”. No acidente, Henrique sofreu traumatismo craniano e passou por cirurgia. Segundo informações da polícia, o músico, de 22 anos, seguia pela Avenida Navarro de Andrade, no bairro Santa Prata, em Santa Fé do Sul, quando bateu na traseira de uma caminhonete. Por causa da força do impacto, o veículo pegou fogo. A Polícia Militar fazia ronda pelo local e constatou o acidente. A equipe conseguiu tirar Henrique, que estava desmaiado, do carro. O Corpo de Bombeiros apagou o incêndio.O motorista da caminhonete não se feriu. Já o cantor foi resgatado pelo Samu e encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. Ele chegou com trauma de face e múltiplas escoriações. Após o atendimento, Henrique foi encaminhado para a Santa Casa de Santa Fé do Sul e transferido para o Hospital de Base de Rio Preto.

'Fomos muito felizes durante esses 20 anos', afirma Rose, viúva de Gugu

  • G1
  • 10 Fev 2020
  • 11:01h

(Foto: Marcelo Brandt/G1)

“As pessoas que disserem que nós não éramos uma família, eu gostaria que entendessem que estão cometendo um grave erro. Nós fomos muito felizes durante esses 20 anos. Tivemos, claro, os nossos altos e baixos, como qualquer casal tem”, afirma Rose Miriam em vídeo enviado ao Fantástico.Vinte anos documentados em fotos. Durante a gravidez, com os filhos pequenos, viagens, férias, em cenas de românticas em revista de celebridades. Rose Miriam Di Matteo reuniu fotos e até recados escritos por Gugu e mandou para o advogado.Todo o material vai ser anexado ao processo de reconhecimento de união estável entre Gugu e Rose. Semana passada os advogados da família Liberato foram enfáticos:“Não há menor condição de ser união estável”, rebatem os advogados Carlos Regina e Dilermando Cigagna Júnior.No testamento, Rose não ficou com nada. Se a união estável for reconhecida, metade do patrimônio de Gugu - avaliado em R$ 1 bilhão - seria, por direito, de Rose.Uma batalha jurídica que nem começou, mas que já teve várias reviravoltas. Rose tinha pedido e conseguido na Justiça uma pensão provisória de R$ 100 mil. A decisão foi derrubada na segunda instância esta semana.Ao invés disso, vai ganhar o equivalente US$ 10 mil por mês. Tudo por conta de um documento divulgado esta semana. Em março de 2011, Gugu e Rose assinaram um "compromisso conjunto para criação de filhos". O documento diz que "por meio de inseminação artificial (...) tiveram três filhos".Também diz que: "os pais apenas vinculam-se por respeito e amizade, ligados somente como pais”, e que "pai e mãe sempre habitaram em residências separadas" e que Gugu arcaria com "todas as despesas", depositando mensalmente um valor na conta do irmão de Rose, Gianfrancesco Di Matteo.O mesmo irmão que, após a morte de Gugu, se instalou na casa da família nos Estados Unidos e que, no sábado (8), foi obrigado a deixar o imóvel, depois que o filho mais velho de Gugu, João Augusto, recorreu a um advogado nos Estados Unidos. O documento termina dizendo que Gugu e Rose "declaram-se plenamente satisfeitos, mantendo e conservando, isoladamente, sem qualquer participação ou ingerência do outro, os seus próprios bens".

Fantástico: Esse documento inviabiliza o pedido de união estável?
Nelson Wilians: De maneira alguma. Em nenhum momento Rose renuncia ao direito de união estável. E nem Gugu manifesta sua vontade à renúncia da união estável.

Segundo o advogado, Rose teria assinado o documento enquanto se tratava de uma depressão profunda.

Nelson Wilians: O casal estava naquele momento rompido. Ou seja, o documento, na verdade, estabelece formas de criação do filho.
Fantástico: Eles estariam juntos apenas para ter filhos?
Nelson Wilians: Não, não, não. Esse documento não fala isso. Aquele documento é como se fosse um término de relacionamento. Porém, logo depois, reata o casal. Quantos casais não brigam, saem de casa, depois reatam?Mas o que faz de uma relação uma união estável? O que é e o que não é necessário para comprovar que duas pessoas são ou foram um casal? Filhos? Viver juntos? Separados? Sexo? Como especialistas em direito de família interpretam um contrato como o que foi feito por Gugu?João Ricardo Brandão Aguirre, presidente da Comissão de Direito de Família e Sucessão da OAB-SP, afirma que:“Para se caracterizar união estável existem alguns requisitos. Ela tem que ser duradoura, tem que ser pública, tem que ser contínua e tem que ter o objetivo de constituir família. A filiação, por si só, não comprova existência de uma relação de união estável, então, é possível que a gente tenha filhos sem ter família”. “Eu acho estranho dois amigos criar filhos juntos. É uma união estável. Ninguém tem filho sem ter afeto. Não, eu resolvi ter filho por esporte. Isso não existe”, pontua Paulo Lins e Silva, advogado especializado em direito de família. De acordo com Lins e Silva, não é preciso viver junto e não precisa nem ter sexo. Sexo e local diferentes não desconstituem a união estável. “Não é qualquer contrato que vai produzir efeitos no direito de família”, afirma João Aguirre. “Pode ser que eles dois achem: ‘não, nós não somos família’. O juiz vai analisar e decidir. A prova da união estável é muito fácil de se fazer com documentos, fotografias, bilhetes, cartas, viagens. Isso é muito fácil provar”, explica Lins e Silva. Para o advogado de Rose, não há dúvidas.

Brasil tem 11 casos suspeitos de novo coronavírus

  • G1
  • 10 Fev 2020
  • 10:05h

(Foto: Reprodução)

O Brasil tem 11 casos casos suspeitos de novo coronavírus, de acordo com o Ministério da Saúde. Os dados são do balanço divulgado às 13h30 deste domingo (9). Segundo o governo federal, já foram descartadas 28 suspeitas desde o começo do monitoramento.No balanço de sábado (8), o país tinha oito casos suspeitos de coronavírus em investigação.Os casos ainda sob investigação estão assim distribuídos: Minas Gerais (1), Paraná (1), Rio de Janeiro (2), São Paulo (3), Santa Catarina (1) e Rio Grande do Sul (3).Não há nenhum caso confirmado da doença no Brasil.

Alimentos arrecadados em show de Pabllo Vittar são deixados em rua após evento em BH

  • G1
  • 09 Fev 2020
  • 18:28h

(Foto: Reprodução)

Uma montanha de alimentos arrecadados em um show da cantora Pabllo Vittar foi abandonada na Praça da Estação, em Belo Horizonte, na noite deste sábado (8). Os alimentos foram levados por fãs como entrada para o show. A doação dos produtos seria feita para o Serviço Social Autônomo (Servas) para as vítimas das chuvas no estado. Uma foto tirada no local mostra a montanha de alimentos e um caminhão com agentes da Prefeitura recolhendo os produtos. A organização do evento afirmou que a equipe responsável pela segurança e limpeza do evento abandonou o local por causa da chuva e que o caso foi resolvido nesta manhã (leia nota na íntegra ao fim da reportagem). Os alimentos foram recolhidos e serão aproveitados. A organização se comprometeu a adquirir produtos para substituir o que foi danificado. Disse ainda que vai acionar a empresa de segurança para que ela arque com as responsabilidades. O G1 esteve na praça no início da tarde e os alimentos não estavam mais lá. A Prefeitura afirmou que recolheu o material ainda na noite de sábado e “garantiu o acondicionamento adequado, instaurando procedimento de autuação e multa. Os responsáveis pelo evento terão 24 horas para retirar o material e caso não o faça, será dada destinação adequada pela política de segurança alimentar do município”. Disse ainda que os produtores serão autuados pois a administração municipal precisou limpar a praça.Cerca de 15 mil pessoas estavam presente no evento.

No Rio, mulher é presa após fingir ter vírus por atendimento prioritário

  • G1
  • 09 Fev 2020
  • 07:08h

( Foto: Reprodução / TV Globo)

Uma mulher de 39 anos foi presa em flagrante nesta sexta-feira (7) após fingir estar com sintomas de coronavírus ao dar entrada na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Copacabana. Claudete Maria Rosa da Silva foi detida por falsidade ideológica e por provocar alarme para perigo inexistente. De acordo com a polícia, ao chegar na unidade de saúde, Claudete disse que havia acabado de retornar de uma viagem a Hong Kong, província autônoma chinesa, e que sentia os sintomas associados ao vírus coronavírus. A situação provocou comoção na UPA e desencadeou a utilização de protocolos internacionais para o tratamento do vírus. A paciente imediatamente isolada e submetida a uma série de exames e questionamentos. Ainda de acordo com os agentes, Claudete insistiu durante horas em uma narrativa fantasiosa sobre sua viagem como babá de uma família ao país. O Ministério da Saúde foi notificado sobre o caso.Ela foi presa no interior da UPA após ser desmentida por familiares que alegaram que ela não possui sequer passaporte e jamais viajou para fora deste país, fatos que foram comprovados após contato com o Departamento de Polícia Federal. Após a descoberta, a mulher admitiu que mentiu sobre a viagem para ter prioridade no atendimento.

'Muito sofrido', diz brasileiro deportado que desembarcou na Grande BH em avião fretado pelo governo dos EUA

  • G1
  • 08 Fev 2020
  • 12:15h

(Foto: Reprodução)

“Muito sofrido”, disse o agricultor Cleony Dias Lagasso, depois de desembarcar no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, na noite desta sexta-feira (7), junto com a esposa Joyce Lagasso e a filha de três anos do casal. A família – que ficou presa nos Estados Unidos durante 18 dias – faz parte do grupo de 130 brasileiros deportados que chegou ao Brasil no voo fretado pelo governo norte-americano. Eles são da cidade de União Bandeirante, em Rondônia, e ainda teriam que conseguir um voo até lá. "Nós passamos pelo México, todo mundo faz, né? Para tentar a vida lá. Graças a Deus estamos bem de saúde", afirmou Cleony. “Foi horrível”, completou Joyce. Homens, mulheres e crianças, de vários estados do país, chegaram apenas com a roupa do corpo, documentos e o que sobrou do dinheiro que levaram. Muitos esconderam o rosto no momento do desembarque. “Humilhação que eu passei, 15 dias longe da família, sem poder falar com ninguém. Presa em uma cela fria, sem falar com ninguém”, disse uma das mulheres deportadas, que não quis ser identificada. Outra pessoa relatou que a filha e o marido chegaram a desmaiar de fome. O voo fretado pelos EUA e autorizado pelo governo brasileiro, saiu do Texas, parou para reabastecer em Guayaquil, no Equador, e chegou à capital mineira às 23h40. Todos os brasileiros passaram pela fiscalização da Polícia Federal (PF) antes de serem liberados. Desde outubro do ano passado, esse é o terceiro avião com brasileiros extraditados dos EUA que pousa em Confins. Somando os três voos, são cerca de 250 pessoas detidas quando tentavam atravessar a fronteira pelo México.  A Polícia Federal (PF) informou, em nota, que este "é o segundo episódio neste ano, e voos com essas características podem se tornar frequentes". A PF disse ainda que realizou "os procedimentos de controle migratório, uma de suas competências definidas pela Constituição da República" e que "não constatou nenhuma ilegalidade conexa à migração dos deportados e segue investigando casos suspeitos". Livres e de volta ao país, os extraditados não pensam em se arriscar novamente para tentar entrar nos Estados Unidos. “Não, não faria de novo”, disse a desempregada Edinalva Lopes.

 

 

 

Denúncia de palavrão motivou pente-fino de livros em Rondônia

  • 08 Fev 2020
  • 09:03h

(Foto: Reprodução/EPTV)

O pente-fino nas obras literárias das escolas de Rondônia começou após a denúncia de que havia um palavrão no contos "Amálgama" (Ediouro), do escritor Rubem Fonseca, de 94 anos, um dos maiores escritores brasileiros vivos. A revelação foi feita pelo secretário Estadual de Educação do estado (Seduc-RO), Suamy Vivecananda Lacerda de Abreu, em entrevista ao G1 nesta sexta-feira (7).Abreu, no entanto, não citou a origem da denúncia. O Ministério Público Federal (MPF) abriu investigação para apurar a atuação da Seduc em relação ao memorando da pasta. Divulgado nesta quinta-feira (6), o documento ordenava a retirada de 43 livros das escolas.Só de Rubem Fonseca, havia 19 obras na relação. Outros clássicos da literatura como "Memórias Póstumas de Brás Cubas", de Machado de Assis, "Macunaíma", de Mário de Andrade, e "Os sertões", de Euclides da Cunha, compunham a lista (veja abaixo). O ofício trazia também uma observação: "Todos os livros de Rubem Alves devem ser recolhidos".O secretário negou que os livros serão recolhidos e reforçou que o Estado apura o caso. "Os livros estão na escola. Já chegaram. É para serem usados. Não existe nenhum tipo de interesse nosso em censurar uma obra clássica que nós adquirimos. O governo está apurando", disse.O secretário alegou ainda que não assinou o documento que autorizava o recolhimento dos títulos e negou que estava ciente da lista de livros. "O documento não está concluso, não passou pela assessoria técnica que vai deixá-lo apto para que eu assine", explicou.Publicado em 2013, "Amálgama" é uma coletânea de contos que tem, segundo o material de divulgação da editora, "todos os elementos" que caracterizam a obra de Rubem Fonseca ("o erotismo, a violência, a velocidade narrativa, o clima noir"). O volume é o 17º na lista da Seduc.A lista com os 43 livros e o memorando 4/2020 determinando o recolhimento imediato das obras foram divulgadas em redes sociais na quinta-feira (6).No ofício, a Seduc afirmava ser necessário tal recolhimento porque estes apresentavam "conteúdos inadequados às crianças e adolescentes".O documento, que seguia no sistema interno da Secretaria de Educação de Rondônia, passou a ser listado como sigiloso.

Aviões decolam de Wuhan, na China, com 40 passageiros repatriados ao Brasil e à Polônia

  • 08 Fev 2020
  • 07:09h

( Foto: Força Aérea Brasileira/Divulgação)

Os aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) enviados à China para resgatar brasileiros na área mais afetada pela epidemia de coronavírus decolaram de Wuhan por volta das 17h desta sexta-feira (7).Segundo o Ministério da Defesa, a previsão de voo é de 26 horas, descontadas as escalas. Com isso, as aeronaves devem aterrissar em Anápolis (GO) na madrugada de sábado (8) para domingo (9).Os cidadãos repatriados, assim como a equipe médica e a tripulação dos voos, devem cumprir quarentena de 18 dias na cidade goiana, a 150 km do Distrito Federal e 60 km de Goiânia. Se algum dos confinados apresentar sintomas de infecção, o governo prevê transferência para o Hospital das Forças Armadas em Brasília. Até as 15h30 desta sexta, o Brasil continuava sem nenhum caso confirmado de coronavírus. Segundo o balanço do Ministério da Saúde, equipes ainda investigam 8 casos suspeitos. Outros 26 já foram descartados.

Após polêmica sobre foto íntima, Bolsonaro reavalia nomeação de influenciador digital

  • Uol
  • 07 Fev 2020
  • 19:10h

( Foto: Reprodução)

 O presidente Jair Bolsonaro reavalia a nomeação do publicitário bolsonarista Luiz Galeazzo para o comando da Diretoria de Conteúdo e Gestão de Canais Digitais da Secom (Secretaria de Comunicação da Presidência da República). A polêmica criada com a divulgação de fotos íntimas do publicitário pelo deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) causou mal-estar no Palácio do Planalto, que congelou a indicação e passou a buscar outros nomes para o cargo. Galeazzo foi convidado para a função pelo chefe da Secom, o secretário Fabio Wajngarten, investigado pela Polícia Federal por supostas práticas de corrupção passiva. O publicitário já teria entregue seus documentos ao GSI (Gabinete de Segurança Institucional) para que a pasta ministerial faça a análise de seus posts. Para evitar que uma nomeação crie um desgaste com o segmento religioso, considerado um dos pilares de apoio da atual gestão, uma opção avaliada pela equipe do presidente é que, em vez de assumir o posto no governo, o influenciador digital seja contratado por uma das empresas que prestam serviço para a comunicação institucional. Em seu perfil no Instagram, Galeazzo afirmou na quinta-feira (6) que se trata de uma foto antiga. Segundo ele, foi um ataque covarde e criminoso do deputado federal. "Tive minha vida íntima exposta numa foto antiga usada e repercutida por um político e parte da imprensa para me atacar por conta de minha posição política", afirmou. Além da foto íntima, Frota publicou nas redes sociais diversas postagens atribuídas à conta do publicitário no Twitter. Como a conta de Galeazzo nesta rede social foi deletada, a Folha não pode aferir a veracidade dos posts.

Beneficiários do Bolsa Família caem no primeiro ano de Bolsonaro

  • Metrópoles
  • 07 Fev 2020
  • 16:11h

( Foto: Reprodução)

A quantidade de pessoas recebendo benefícios do Bolsa Família diminuiu em 590 mil no primeiro ano de Jair Bolsonaro (sem partido) na Presidência da República. Em janeiro de 2019, havia 13,760 milhões nomes na folha de pagamento do programa e em dezembro o valor caiu para 13,170 milhões. A queda corresponde a 4,3% do total de usuários. Para chegar ao valor, o (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, calculou a quantidade de Números de Identificação Social (NIS) únicos nas folhas de pagamento do Bolsa Família, disponibilizados no Portal da Transparência. Quase meio milhão de pessoas, em média, esperaram na fila do programa no ano passado. Mas de acordo com o Ministério da Cidadania, a lista se encontrava perto de zero no fim do governo de Michel Temer. Ou seja, a quantidade de beneficiários caiu, enquanto aumentou o número de brasileiros que precisam do auxílio e esperam o sinal verde para receber o dinheiro. “É importante ressaltar que o Bolsa Família apresentou, durante todo o governo do PT, fila de espera para entrada no programa”, respondeu a pasta por meio de nota.

Paulo Guedes compara funcionário público a 'parasita' ao defender reforma administrativa

  • G1
  • 07 Fev 2020
  • 14:25h

( Foto: Reprodução)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, comparou funcionários públicos a "parasitas" ao comentar, nesta sexta-feira (7), as reformas administrativas pretendidas pelo governo federal. Segundo ele, as propostas referentes ao tema serão enviadas ao Congresso na próxima semana. Guedes criticou o reajuste anual dos salários dos servidores que, segundo ele, já têm como privilégio a estabilidade no emprego e "aposentadoria generosa". O ministro argumentou que a máquina pública, nas três esferas de governo, não se sustenta financeiramente por questões fiscais e, por isso, a carreira do funcionalismo precisa ser revista. "O hospedeiro está morrendo, o cara virou um parasita, o dinheiro não chega no povo e ele quer aumento automático", disse declarou. A declaração foi dada pelo ministro em palestra na Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV EPGE) no encerramento de um seminário sobre o Pacto Federativo. Segundo o ministro, sua crítica é compartilhada pelos brasileiros. "A população não quer isso [reajuste automático do funcionalismo público]. 88% da população brasileira é a favor, inclusive, de demissão no funcionalismo público", disse. Paulo Guedes se referiu a uma pesquisa Datafolha, divulgada em janeiro, que apontava que, para 88% dos entrevistados, o funcionário público que não faz um bom serviço deve ser demitido. "Nos Estados Unidos ficam quatro, cinco anos sem dar reajuste e quando dá todo mundo fica 'oh, muito obrigado'. Aqui o cara é obrigado a dar [reajuste] porque está carimbado e ainda leva xingamento, ovo, não pode andar de avião", continuou o ministro. Guedes afirmou que o texto da reforma administrativa será apresentado na próxima semana à Câmara dos Deputados. Segundo ele, é grande a expectativa do governo de rápida tramitação. "O clima no Congresso é extremamente favorável [à reforma administrativa], ao contrário do nosso clima no ano passado quando nós chegamos com a Reforma da Previdência", disse. Já a reforma tributária, que está sendo desenhada pelo Executivo, "é um pouco mais complexa", segundo o ministro. Ele destacou que ela deverá ser apresentada a um comitê conjunto, formado entre Câmara e Senado.