BUSCA PELA CATEGORIA "Brasil"

Filho de Huck e Angélica sofre grave acidente de lancha e é internado no Rio de Janeiro

  • Redação
  • 23 Jun 2019
  • 07:53h

O filho mais velho dos apresentadores Angélica e Luciano Huck, Joaquim (14), sofreu um acidente de lancha em Ilha Grande, no Rio de Janeiro, na tarde deste sábado (22). De acordo com informações do jornal O Globo, ele foi internado no Hospital Copa Star, da rede D'or, na capital fluminense, em estado grave, após passar pela emergência pediátrica. Também segundo a publicação, Luciano chegou ao hospital de helicóptero, por volta de meia-noite, e segue no local para acompanhar os procedimentos realizados.  Ainda não foram divulgadas informações sobre o estado de saúde de Joaquim ou como ocorreu o acidente.  Segundo o Corpo de Bombeiros, eles não foram acionados para nenhum salvamento envolvendo lanchas na baía de Ilha Grande, onde ocorreu o incidente. O passeio em família, com direito à observação de uma baleira, foi registrado nas redes sociais do apresentador: "Olha Joaquim, olha, Beni, está vendo, Eva? Está mais pertinho, bem devagarzinho e está super calminha, hein. Nós somos os Whale Watchers da Ilha Grande", diz Luciano. Veja:

 

Mega-Sena pode pagar R$ 2,5 milhões para quem acertar seis dezenas neste sábado

  • Redação
  • 22 Jun 2019
  • 08:06h

(Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

A Mega-Sena pode pagar, neste sábado (22), um prêmio de R$ 2,5 milhões para o ganhador que cravar as seis dezenas. As apostas para o concurso 2.162, segundo o G1, podem ser feitas até às 19h, no horário de Brasília, na internet ou em casas lotéricas de todo o país. O valor mínimo que pode ser apostado para o prêmio é de R$ 3,50. O sorteio será realizado na cidade de São Paulo às 20h. 

Comissão analisa indenização para Dilma, e decisão será de Damares

  • FolhaPress
  • 22 Jun 2019
  • 07:10h

(Foto: Reprodução)

A Comissão de Anistia do governo federal deve analisar na próxima quarta-feira (26) o processo em que a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) pede indenização por ter sido perseguida política pela ditadura militar (1964-1985). O pleito de Dilma é um dos 98 processos que estão na pauta para serem analisados nas primeiras sessões do colegiado deste ano, que serão realizadas na quarta e na quinta-feira (27).

O requerimento da ex-presidente --que foi presa e torturada durante o regime militar-- foi protocolado em outubro de 2002. Mas, segundo contou Dilma no início deste ano, ela pediu que o processo fosse suspenso enquanto ocupou os cargos de ministra de Estado e de presidente da República.

Depois do impeachment, em 2016, ela recorreu para que o pedido de indenização voltasse a tramitar.

A Comissão da Anistia é composta por 27 membros. O órgão tem caráter consultivo, e a decisão final sobre a concessão ou não do benefício cabe à ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

Desde que assumiu o ministério, Damares tem prometido rever reparações dadas nos últimos anos e abrir o que chamou de "caixinhas" da comissão.

No pedido que será analisado pelos conselheiros, Dilma pede indenização e contagem de tempo para efeitos de aposentadoria do período em que foi presa, em 1970, até a promulgação da lei da anistia, nove anos depois.

O valor solicitado pela petista é de cerca de R$ 10,7 mil mensais, "com efeitos financeiros retroativos".

Em seu requerimento, Dilma relata que, após ser colocada em liberdade, em 1972, foi impedida de retomar o curso de economia na Universidade Federal de Minas Gerais.

Isso obrigou a ex-presidente a prestar novo vestibular em 1974, desta vez para ingressar na Faculdade de Economia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Ainda antes de se formar, continua Dilma, ela começou a trabalhar na Fundação de Economia e Estatística do Rio Grande do Sul, onde permaneceu até 1977.

Dilma conta no requerimento que passou a ser pressionada pela direção da instituição a se demitir do cargo. A ex-presidente afirma que o seu desligamento era exigido pelo SNI (Serviço Nacional de Informações), órgão de inteligência da ditadura, em razão de ela ser considerada uma pessoa subversiva ao regime.

No processo, Dilma ainda cita o fato de ter sido incluída na lista, elaborada pelo general Sílvio Frota, dos supostos "97 comunistas infiltrados" em órgãos públicos.

No final de janeiro, a ministra Damares sinalizou, em entrevista à revista Época, que poderia negar o pedido de indenização feito por Dilma.

Isso porque a ex-presidente já recebeu reparações, no valor total de R$ 72 mil, por comissões estaduais de análise de pleitos de perseguidos pela ditadura, em Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

A lei que regulamentou a anistia política no Brasil veda "a acumulação de quaisquer pagamentos ou benefícios ou indenização com o mesmo fundamento, facultando-se a opção mais favorável".

Na entrevista, Damares disse que a petista "já está indenizada três vezes pela dor e pelo sofrimento que ela passou".

No início deste ano, Dilma classificou a possibilidade de a Comissão da Anistia barrar seu pedido de indenização como "perseguição política" e disse que doou as reparações que recebeu dos governos do Rio de Janeiro e de São Paulo ao grupo Tortura Nunca Mais.

Após a publicação desta reportagem no site da Folha nesta sexta (21), a ministra Damares afirmou, em rede social, que "tudo será conduzido de forma absolutamente técnica, obedecido o devido processo legal". "Vou analisar, no que tange às legalidades, o que for decidido pelo Conselho e refletir sobre o caso", disse.

A composição do colegiado foi alvo de questionamento neste ano. A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, vinculada à PGR (Procuradoria-Geral da República), defendeu que o ministério revogasse a nomeação, feita por Damares, de novos conselheiros da Comissão de Anistia a fim de "assegurar a necessária imparcialidade e independência" do órgão.

Segundo a Procuradoria, o novo conselho conta com "pessoas com atuação judicial contrária à concessão de reparação a atos da Comissão da Anistia e do ministro da Justiça e à instauração da Comissão Nacional da Verdade".

CONTINUE LENDO

Bolsonaro vê ministros como 'fusíveis' e admite problemas na articulação política

  • por Talita Fernandes e Daniel Carvalho | Folhapress
  • 21 Jun 2019
  • 16:12h

Foto: Reprodução revista Veja

Ao anunciar mudanças em sua equipe ministerial, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) reconheceu que seu governo tinha problemas na articulação política. "Tínhamos problema na articulação política em parte sim", afirmou em entrevista no Palácio do Planalto nesta sexta-feira (21).

Por meio de medida provisória publicada na quarta-feira (19), Bolsonaro transferiu a articulação política de Onyx Lorenzoni (Casa Civil) para o general Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo).

Esta foi a primeira vez que ele falou sobre a mudança. Segundo ele, os ministros que ocupam as pastas do Planalto são "fusíveis" e se queimam para proteger o presidente.

Ele minimizou o fato de ter retirado de Onyx a tarefa de diálogo com o Congresso e disse que a função dele "é a mais ingrata".

O presidente comparou o trabalho a de jogadores de futebol dizendo que quando um centroavante erra, sua falha é esquecida, mas que um goleiro nunca é perdoado por tomar um gol.

Desde o início do governo, deputados e senadores se queixavam do tratamento dado por Onyx às bancadas e aos partidos.

A relação entre o Legislativo e o Executivo é vista como frágil e, na última terça-feira (18), o Senado impôs nova derrota ao Planalto ao derrubar decreto de Bolsonaro que flexibiliza porte e posse de armas. O assunto ainda precisa ser analisado pela Câmara.

Nesta sexta, Bolsonaro disse ainda que acredita que as coisas agora estão adequadas no Planalto. "Aqui não tem ministro fraco ou forte, todo mundo tem que jogar junto nesse time", afirmou.

Além de mudanças feitas na Casa Civil e na Secretaria de Governo, Bolsonaro anunciou nesta sexta a ida de Jorge Oliveira Francisco para a Secretaria-Geral no lugar de Floriano Peixoto, que vai presidir os Correios. Segundo ele, não haverá mais mudanças em sua equipe.

O QUE MUDA COM A MP

Reforma agrária e demarcação de terras indígenas

Temporariamente sob o guarda-chuva do Ministério da Justiça (de Sergio Moro), voltam à Agricultura (chefiada por Tereza Cristina). A medida, proposta na reforma administrativa de janeiro, foi derrubada pelo Congresso no fim de maio

Articulação política

Antes responsabilidade da Casa Civil, sob Onyx Lorenzoni, passa para a Secretaria de Governo. A pasta será chefiada pelo general Ramos, após a demissão do general Santos Cruz na quinta (13)

Imprensa nacional e Subchefia de Assuntos Jurídicos (SAJ)

Deixam a Casa Civil e passam para a Secretaria-Geral, sob o general Floriano Peixoto. O SAJ é responsável pela análise jurídica de atos assinados pelo presidente

Programa de Parcerias e Investimentos (PPI)

Sai da Secretaria de Governo e vai para a Casa Civil. Órgão é responsável por elaborar e acompanhar programas de infraestrutura e privatizações.

CONTINUE LENDO

Bolsonaro será o primeiro presidente a participar da Marcha para Jesus

  • Redação
  • 20 Jun 2019
  • 15:23h

(Foto: Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro participa, na tarde desta quinta-feira (20), da Marcha para Jesus de São Paulo, principal encontro evangélico do país. Ele é o primeiro presidente a participar do evento, de acordo com informações do jornal Estado de S.Paulo. No ano passado, ainda como pré-candidato à Presidência da República, ele foi pela primeira vez à marcha em São Paulo, acompanhado do então senador Magno Malta, que é pastor evangélico. Na ocasião, ele falou que era uma oportunidade para pregar “valores familiares” e lutar “contra o aborto, contra as drogas e pelo respeito às crianças em sala de aula”. E prometeu que, como presidente eleito, voltaria lá. A confirmação veio em março deste ano, quando recebeu no Palácio do Planalto lideranças evangélicas, entre elas a do apóstolo Estevam Hernandes, da Igreja Renascer em Cristo, organizador da Marcha para Jesus. Nesta quinta, Bolsonaro subirá ao palco ao lado do deputado Marco Feliciano (Podemos-SP), pastor da Catedral do Avivamento que se tornou um dos principais articuladores do presidente junto à bancada evangélica no Congresso.

 

Estados do Norte e Nordeste querem mudanças na proposta de reforma tributária

  • Alexandro Martello | G1
  • 20 Jun 2019
  • 11:43h

(Foto: Reprodução)

Governadores do Norte e Nordeste estão coordenando um movimento para promover alterações na proposta de reforma tributária aprovada recentemente pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. De autoria do deputado Baleia Rossi (MDB-SP) e do economista Bernard Appy, o texto em discussão prevê a substituição de cinco tributos (PIS, Cofins, IPI, ICMS estadual e ISS municipal) por um só, o Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), cuja arrecadação seria compartilhada entre governo federal, estados e municípios. A equipe econômica do governo Jair Bolsonaro também prepara uma proposta de reforma tributária, mas ela ainda não foi detalhada. Entretanto, ela deve prever a união apenas de tributos federais, ou seja, não deve inclui impostos estaduais. O secretário de Fazenda do Piauí, Rafael Fonteles, que preside o Comsefaz, comitê que reúne os secretários de Fazenda dos estados e do DF, disse que a maioria dos governadores apoia a proposta em análise na Câmara. No entanto, eles querem alterações que tratam desde questões envolvendo competência e autonomia até a divisão do bolo tributário. Entre as mudanças defendidas está a de que o texto passe a prever a redução gradual na participação da União na divisão dos recursos arrecadados através do IBS. Outra é que apenas os estados e municípios possam legislar sobre esse tributo. Os estados do Norte e Nordeste defendem ainda a criação de um fundo de desenvolvimento regional constitucional, e que o comitê gestor do IBS seja formado apenas por representantes de estados e municípios.

 

Aposta de Osasco-SP leva sozinha prêmio de R$ 124 milhões da Mega-Sena

  • Redação
  • 20 Jun 2019
  • 08:23h

(Foto: Reprodução)

Um apostador da cidade de Osasco em São Paulo, levou sozinho o prêmio de R$ 124.209.628,25, sorteado na útima quarta-feira (19). As dezenas sorteadas foram : 08 - 09- 10 - 24 - 42 - 44. Outras 255 apostas acertaram a quina; cada uma levou R$ 22.718,64. A quadra teve 15.769 apostas ganhadoras; cada um receberá R$ 524,83. O próximo concurso será no próximo sábado (22). O prêmio é estimado em R$ 2,5 milhões. A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Filho de Datena supera dependência química e ganha programa em afiliada da Band

  • Redação
  • 19 Jun 2019
  • 14:38h

Foto: Arquivo Pessoal/Instagram

Aos 62 anos, o apresentador José Luiz Datena tem buscado deixar o seu legado na TV. Depois de Joel Datena ser anunciado à frente de um telejornal matinal em São Paulo, agora Vicente Datena foi contratado por uma emissora de Goiânia, afiliada da Band. Ele é o segundo filho da lista de cinco herdeiros e lutou por anos contra o vício em crack, assunto comentado pelo pai em diversas entrevistas. Vicente deve ficar no comando do “Na Tela”, programa jornalístico policial, muito semelhante ao “Brasil Urgente”, mas que cobre crimes na cidade de Goiânia e região. No Instagram, Vicente compartilhou um vídeo ao lado de Datena para anunciar a novidade. “Oi, esse aqui você já sabe, é o Datena”, diz o filho, apontando para o pai. “Bom, esse é o Vicente, meu filho. Em breve, ele vai ser a sua voz aí na TV Band”, diz o experiente apresentador. “Jornalismo de verdade, segurança pública, saúde e educação. Em Goiás eu já estou chegando. Jornalismo com responsabilidade”, acrescentou Vicente, recebendo um beijo do pai. “Esse é o cara”, finaliza Datena, sem esconder o olhar orgulhoso. As informações são do Notícias da TV, do UOL. Datena já relatou a história da dependência química do filho em algumas ocasiões. Recentemente, em 2008, ao contar a história de uma confeiteira que venceu o vício, o apresentador citou o drama enfrentado com o seu filho. “Eu vivi isso dentro da minha casa durante um bom tempo. Eu tinha certeza absoluta que meu filho, que é uma pessoa maravilhosa e largou há muito tempo essa droga maldita, sempre foi e sempre será um cara magnífico.E um pai de família exemplar, uma pessoa exemplar, e que a droga tinha tomado da gente”, disse emocionado.

Senado rejeita decretos das armas, principal bandeira de governo Bolsonaro

  • Com informações da Folha de S. Paulo
  • 19 Jun 2019
  • 09:48h

(Foto: Reprodução)

O Senado Federal derrubou nesta terça-feira (18) os decretos do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que flexibilizava o porte e a posse de armas no Brasil. A proposta foi derrotada por 47 votos a 28 e segue agora para apreciação na Câmara dos Deputados. A medida continua valendo até que a Casa vote. O tema deverá tramitar em regime de urgência, indo direto para o plenário. Não há, porém, prazo para a votação. Se o texto também for derrotado pelos deputados, o governo cogita recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal) por entender que o PDL (projeto de decreto legislativo), votado nesta terça para sustar os decretos, é inconstitucional por interferir no mérito da norma editada pelo Executivo. A validade do decreto é questionada em três ações que serão analisadas no Supremo no próximo dia 26. O decreto das armas foi editado por Bolsonaro em 7 de maio. Sob pressão do Legislativo e do Judiciário, o presidente recuou 15 dias depois e fez alterações no texto. A segunda versão da medida proibiu que cidadãos comuns portem armas de fogo como fuzis, espingardas e carabinas, permissão que havia sido criticada por especialistas em segurança pública. 

Com gol sobre a Itália, Marta supera Klose e se torna maior artilheira das Copas do Mundo

  • por Matheus Caldas I BN
  • 18 Jun 2019
  • 18:33h

Foto: Divulgação / Fifa

A classificação da Seleção Brasileira feminina na Copa do Mundo nesta terça-feira (18) trouxe não só o avanço de fase como motivo a see comemorado. A atacante Marta, com o gol marcado sobre as italianas, se tornou a maior artilheira de forma isolada em Mundiais, entre homens e mulheres, com 17 gols.

A atual melhor jogadora do mundo superou o ex-jogador alemão Miroslav Klose, que tem 16 gols marcados. Na partida anterior, derrota por 3 a 2 frente a Austrália, ela já havia igualado a marca do ex-centroavante da seleção da Alemanha.

O Brasil avançou na terceira colocação do grupo C da Copa, com seis pontos conquistados. Agora, o time comandado por Vadão espera a definição do adversário nas oitavas de final. França e Alemanha são os possíveis rivais da seleção canarinho.

Bolsonaro autoriza trabalho aos domingos e feriados; norma deve ser publicada na quarta

  • Redação
  • 18 Jun 2019
  • 15:26h

(Foto: Reprodução)

O governo brasileiro pretende autorizar, em caráter permanente, ou regularizar o funcionamento de 78 setores da economia aos domingo e feriados , segundo apurado pela Folha de S. Paulo. O total de setores afetados pela novidade ainda poderá ser alterado até a publicação da norma. O objetivo da mudança é o incentivo a geração de emprego, segundo o secretário especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho. “Com mais dias de trabalho das empresas, mais pessoas serão contratadas. Esses trabalhadores terão suas folgas garantidas em outros dias da semana. Respeito à Constituição e à CLT (Consolidação das Leis do Trabalho)”, publicou o secretário em uma rede social. A expectativa é de que portaria com a lista dos setores incluídos na norma seja publicada oficialmente nesta quarta-feira (19). Parte desses setores aguardam o aval do governo para continuarem funcionando aos domingos e feriados.

Polícia planeja terminar investigação de acusação contra Neymar até quarta-feira

  • por Felipe Pereira e Karla Torralba | Folhapres
  • 17 Jun 2019
  • 12:09h

Foto: Reprodução Instagran

A Polícia Civil espera encerrar a investigação que apura o suposto estupro cometido por Neymar até a quarta-feira (19). As maiores pendências são dois depoimentos, que devem ocorrer até esta terça-feira (18). Todo o material colhido em três semanas de inquérito servirá para preparar o relatório em que a delegada Juliana Bussacos vai dizer se houve ou não crime. Não há pistas sobre o que ela vai decidir.
Um dos depoimentos que ainda precisam ser tomados é o do CEO das empresas do pai de Neymar, o economista Altamiro Bezerra. A outra pessoa a ser ouvida é um amigo de Neymar com quem o atacante comentou que houve problema durante uma relação sexual.
O adido francês no Brasil ofereceu ajuda para investigar as circunstâncias do encontro entre Neymar e Najila em Paris. A oferta foi descartada porque demandaria envolvimento até do Itamaraty e tomaria muito tempo. O benefício para investigação seria comprovar que ambos estiveram na cidade, algo que os dois já declararam.
A expectativa da 6ª DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) é que todos os agentes possam ir para o feriado de Corpus Christi livres da investigação. Na sexta-feira (14), a fisionomia dos policiais civis revelava o esforço. O relatório da delegada será encaminhado para o Ministério Público. As três promotoras de Enfrentamento à Violência Doméstica que acompanham o caso analisarão as conclusões da Polícia Civil. Elas podem pedir abertura de ação penal, arquivamento ou mais investigações. Mas a tendência desta última possibilidade ocorrer é menos provável.

Desde terça-feira (11), o trio atua no inquérito policial, aumentando a troca de informações entre promotoras e polícia. A lei determina que somente a delegada Juliana Bussacos pode determinar o andamento do inquérito, mas a política de boa vizinha e a busca por esclarecimentos tornou este ponto maleável para aceitar sugestões das representantes do Ministério Público.
As promotoras já leram os depoimentos prestados e estão assistindo às declarações de Najila Trindade, modelo que acusa Neymar de estupro. Ela falou durante toda a tarde do dia 7 de junho, antes de as promotoras entrarem no caso, e o depoimento foi gravado.
"Vamos tomar nosso posicionamento depois de tudo. Fomos designadas no dia 8, sábado [entraram no caso na terça]. O depoimento dela foi na sexta [7]. Estamos aguardando a colheita de toda as provas para formar nossa convicção. Ainda estamos vendo todas as provas", disse a promotora Estefânia Paulin na semana passada.
POLÍCIA SÓ INVESTIGOU ESTUPRO
Durante o inquérito, surgiram outros boletins de ocorrência, como o arrombamento do apartamento de Najila, as reclamações do porteiro do prédio de ameaças da modelo e ela sendo acusada de difamação por parte da Polícia Civil por causa da declaração de que a corporação estaria comprada. Também houve acusação de extorsão por parte de Neymar pai contra o advogado José Edgard Bueno Filho, primeiro representante de Najila.
Todos estes casos não serão avaliados pela 6ª DDM. Por tratar-se de uma delegacia especializada, está prevista a apuração de determinados crimes como violência doméstica, agressão e ameaças a mulheres e estupro. O material colhido na investigação pode ser encaminhado para estes outros casos.
O inquérito policial da 6ª DDM foi aberto em 31 de maio, sexta-feira, quando Najila Trindade chegou à delegacia acusando Neymar de estuprá-la. O caso ganhou a imprensa no dia seguinte e o atacante respondeu com um vídeo no Instagram.

CONTINUE LENDO

IR: Receita paga nesta segunda as restituições do 1º lote

  • Redação
  • 17 Jun 2019
  • 09:47h

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasileira

A Receita Federal começa a pagar nesta segunda-feira (17) as restituições do Imposto de Renda Pessoa Física 2019. Serão depositados R$ 5,1 bilhões nas contas de 2.573.186 contribuintes. Neste lote, receberão a restituição os 245.552 contribuintes idosos acima de 80 anos, 2.174.038 contribuintes entre 60 e 79 anos e 153.596 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave. Ao todo, serão desembolsados R$ 4,99 bilhões, do lote deste ano, a 2.551.099 contribuintes. A Receita também pagará R$ 109,6 milhões a 20.087 mil contribuintes que fizeram a declaração entre 2008 e 2018, mas estavam na malha fina. As restituições terão correção de 1,54%, para o lote de 2019, a 109,82% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a data de entrega da declaração até este mês. O dinheiro será depositado nas contas informadas na declaração. O contribuinte que não receber a restituição deverá ir a qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para ter acesso ao pagamento. A restituição ficará disponível durante um ano. Se o resgate não for feito no prazo, a solicitação deverá ser feita por meio do formulário eletrônico – pedido de pagamento de restituição, ou diretamente no e-CAC , no serviço extrato de processamento, na página da Receita na internet. Para quem não sabe usar os serviços no e-CAC, a Receita produziu um vídeo com instruções.

OS DESVIOS DE MORO NOS 100 ANOS DO ECLIPSE DE SOBRAL

  • João Batista de Castro Júnior. Professor do Curso de Direito da Universidade do Estado da Bahia, campus Brumado.
  • 10 Jun 2019
  • 08:27h

Foto: Reprodução pesquisa Google

Não fiquei surpreso com as inconfidências virtuais reveladas hoje. Isso era tão lógico para os estudiosos do Direito quanto a confirmação da teoria de Albert Einstein, anunciada no início do século XX, de que a massa dos corpos deforma o espaço que lhes é próximo, fazendo com que a luz apresente uma trajetória curva na vizinhança deles. A tese foi comprovada com ajuda geográfica do Brasil, pois a melhores fotografias do eclipse solar foram em realidade tiradas em Sobral, no Ceará, há exatos 100 anos.  Quando um colega cientista lhe passou um telegrama anunciando a validação empírica de sua teoria, o celebrado físico judeu-alemão tranquilamente retrucou que “se a luz não se desviasse, Deus estaria errado”.

O eclipse que se abateu sobre Moro deixa agora à mostra a deformação de sua função judicial provocada pela massa política – sem qualquer paixão pessoal – de um astro chamado Lula, como se afirmou desde o início sobretudo no Nordeste brasileiro.

Só a tolice explosiva que tomou conta das redes sociais, motivada em grande parte pelas aperturas econômico-financeiras no campo pessoal, um ambiente propício para o banditismo fascista jogar gasolina e atear fogo ao País, poderia supor que por trás do então juiz federal havia um paladino.

Isso nunca me passou pela cabeça. A semiologia de sua conduta funcional  sinalizou todo o tempo o contrário, pois sua sentença condenatória de Lula é débil, seu desempenho retórico é sofrível, sua consistência intelectual ou mesmo técnico-jurídica inexiste. Atrás do bom moço branco e sulista, a lucidez política, sociológica e mesmo jurídica sempre soube haver uma articulação engendrada nas sombras para que ninguém lhe triscasse a mão. O exemplo mais eloquente foi a montagem de um paredão sonoro de completo desafinamento constitucional tanto na imprensa ideologizada quanto na Turma Recursal do TRF4 para blindá-lo contra representações disciplinares.

Amparado nesse esquema de proteção, por trás do qual operava a manipulação político-ideológica, ele desrespeitou como quis a Constituição e as leis deste País: vazou áudios da Presidente da República, promoveu condução coercitiva ilegalmente desnecessária de um ex-Presidente, mandou-o para a prisão sem esgotamento da via recursal, descumpriu, de férias e em completa desobediência da verticalização hierárquica, ordem superior, deixou-se fotografar aos risos e em fricção epidérmica com Aécio Neves, entre outras coisas que um magistrado em perfeita sanidade psíquica teria prudência em não fazer,  mas que ainda avançou para o arremate da autoconfessada barganha por uma futura cadeira no STF.  

Algum dia, Moro talvez descubra quem lhe terá passado a rasteira. Não será de estranhar se souber ter saído de “dentro de casa”. Se lhe sobrar algum consolo será o de saber que não está só nos efeitos desse contragolpe, que atingirá também os procuradores do MPF de Curitiba, à frente do quais aquele de autoelogiadas bochechas rosadas surfou – permitida a analogia com seu declarado hobby esportivo – em ridículas teses acusatórias, deixando à mostra as vísceras de sua deficiência intelectual, ainda mais escancarada quando tentou validar, num chocante exercício de debilidade jurídica, o aporte de um monstruoso volume de dinheiro que os Estados Unidos quiseram lhe dar para construir uma cidadela político-ideológica.

Juiz algum teria ficado no cargo mais que 24 horas se na época da judicatura de Moro houvesse força disciplinar independente no País, algo que sempre esteve sob suspeita em se tratando do Judiciário, em razão das conhecidas relações promíscuas historicamente desenvolvidas por muitos de seus setores com o establishment político.

Agora, no estrito rigor legal, se por aqui funcionassem as mesmas instâncias sancionatórias do país ianque que o ex-juiz federal e o procurador tanto celebram e admiram, ambos seriam presos nas próximas horas.

Brumado/Vitória da Conquista, 9 de junho de 2019. 

CONTINUE LENDO

Caso Neymar provoca debate sobre violência contra mulher. Vamos agir?

  • Fernando Duarte
  • 07 Jun 2019
  • 07:50h

(Foto Ilustrativa)

O caso do suposto estupro envolvendo o jogador Neymar expõe muito sobre a sociedade brasileira atual. O tribunal da internet se dividiu entre os defensores dele e aqueles que aproveitaram para atacar o atacante. Porém, independente de quem seja culpado ou inocente, o episódio trouxe ao debate midiático a violência contra a mulher – mesmo que eventualmente não sejam comprovadas as agressões. Falar sobre esse tema é extremamente relevante para a construção de uma sociedade melhor. O Atlas da Violência 2019 prova que os números de homicídios de mulheres são alarmantes, mesmo que com dois anos de atraso. Em todo o país, 4.936 mulheres foram mortas em 2017. Em 10 anos, houve um aumento de 30,7% dos casos. O número se assemelha ao total de homicídios, mostrando que há uma escalada de violência nos mais diversos cantos do país. Infelizmente, sobram exemplos de casos de feminicídio noticiados ao longo dos últimos meses. Os dados chamam tanta atenção que se tornaram alvo de uma campanha publicitária do governo da Bahia sobre a masculinidade tóxica. Vivemos num eterno processo de naturalização da violência, mesmo que nos pequenos gestos, e é preciso chamar à responsabilidade toda a sociedade. Para além de pôr fim ao eterno uso da mulher enquanto objeto, é preciso incrustar a ideia de igualdade de gênero em todos os momentos. Neste domingo, a Seleção Brasileira de Futebol estreia na Copa do Mundo, por exemplo. Mas ninguém vê toda a mobilização em torno da torcida pela camisa amarela. Por quê? Porque é a seleção feminina que entra em campo. A imprensa, todavia, segue pautando com mais frequência a Copa América masculina do que a preparação de Marta e companhia para a disputa. No comparativo com outras edições, houve melhora. Mas ainda é pouco. E o Brasil não está entre os favoritos, até porque o técnico Vadão não apresenta um bom trabalho e nem assim é tão questionado quanto Tite. Mulher ter que servir o homem é uma ideia tão antiquada que não sei como ainda insistem nela. Porém não são raras as vezes que vemos, mesmo no seio da família, essa defesa. Situações como “fazer o prato” do almoço até, simplesmente, preparar a comida. Lembro da minha avó paterna reclamando quando dava meio-dia no domingo e ela começava a pressionar para que minha mãe fosse providenciar o prato de meu pai. À época, não tinha noção de quanto isso era nocivo para a manutenção do machismo. Neymar é culpado? A Justiça vai dizer. A modelo que o acusa de agressão e estupro é culpada? A Justiça também vai dizer. Independentemente do resultado final desse caso, uma coisa é certa. Há muito tempo não se via tão claramente um debate sobre violência contra a mulher. Parte disso é resultado do envolvimento do maior jogador de futebol do Brasil na atualidade. Falar sobre o problema é um dos primeiros passos para solucioná-lo. Mas agora temos que partir para a ação. Afinal, acabar com o machismo é uma obrigação de todos.