BUSCA PELA CATEGORIA "Brasil"

Brasileiras triplicam busca por congelamento de óvulos para adiar maternidade

  • 24 Set 2018
  • 17:11h

Desde criança a publicitária Camila Alvarenga de Paula Pinto, hoje com 37 anos, alimenta uma certeza na vida: quer ser mãe. Ela tem como referência a sua própria mãe, Denise, que teve três filhos e ao mesmo tempo construiu uma carreira sólida e de sucesso. A diferença é que a mãe de Camila deu à luz aos 30 anos de idade, no auge da fertilidade, e a publicitária já está com 37 anos e ainda não pretende engravidar. A alternativa para Camila adiar mais um pouco o sonho da maternidade foi congelar seus óvulos - técnica existente há mais de dez anos e cada vez mais comum diante da mudança de comportamento da mulher. Influenciada por uma amiga, Camila passou pelo procedimento no início do ano e disse que o incômodo maior foi receber as doses de hormônio durante 12 dias. "Ao final do período, nos últimos três dias, nem eu me suportava", brinca ela, que está num relacionamento estável mas ainda não sabe quando será mãe. "Meu namorado entendeu e apoiou a minha decisão. Nós sempre conversamos sobre ter filhos, só não sabemos a hora ainda", diz ela. Camila conseguiu coletar 24 óvulos e 18, por terem qualidade, foram congelados. Quem fiscaliza as clínicas de reprodução assistida no Brasil é a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas a agência não possui números oficiais de óvulos congelados no país com o objetivo de prolongar a "janela de oportunidade" das mulheres para a maternidade. A Anvisa tabula e monitora apenas a quantidade de embriões - segundo o Sistema Nacional de Produção de Embriões, o SisEmbrio, em 2017, 75.557 embriões foram congelados no Brasil, um aumento de 13% em relação ao ano de 2016, quando 66.597 embriões foram congelados. Levantamento feito pela BBC News Brasil em seis clínicas de reprodução assistida em São Paulo e no Rio de Janeiro confirma essa tendência de aumento de casos de congelamento para preservar a fertilidade. A Clínica Huntington, por exemplo, uma das maiores de São Paulo, praticamente triplicou o número de pacientes que congelaram seus óvulos em cinco anos: em 2012, 122 mulheres passaram pelo procedimento; em 2017 foram 353 - um salto de 189%. O mesmo aumento foi verificado na clínica Fertility, também em São Paulo. Em 2013, 65 mulheres congelaram seus óvulos na unidade, contra 180 no ano passado, o que representa um aumento de 176% na procura pelo serviço. "Em 2013, 5,5% dos procedimentos da clínica eram congelamento de óvulos. Em 2015, eles já representavam 9,4%. Em 2018, 1 em cada 5 procedimentos realizados na Fertility são de criopreservação de óvulos. Isso mostra claramente uma mudança de conduta da mulher", afirma Edson Borges. Nas Clínicas Mãe e Engravida, o salto foi de quase cinco vezes: saiu de 32 casos em 2012 para 188 casos cinco anos depois.

PF descarta depósitos suspeitos a agressor de Bolsonaro e reforça versão de que atuou sozinho

  • Folhapress
  • 23 Set 2018
  • 13:45h

A Polícia Federal (PF) afastou a suspeita de que Adélio Bispo de Oliveira, que no último dia 6 tentou matar o candidato Jair Bolsonaro (PSL-RJ) em Juiz de Fora (MG), tenha recebido pagamento em sua conta bancária para executar o crime. A investigação concluiu que o dinheiro localizado com Oliveira tem apenas "origem sustentável", como uma rescisão recente pelo trabalho em um escritório de advocacia, e remuneração pelo trabalho de garçom, pelo qual recebia cerca de R$ 70 por dia. A PF apurou que o cartão de crédito internacional encontrado em poder de Oliveira na verdade nunca foi utilizado e foi emitido automaticamente pelo banco logo após o valor da mesma rescisão trabalhista ter sido depositado em sua conta. Em teorias conspiratórias compartilhadas em redes sociais, o cartão também foi citado como suposta evidência de que Oliveira teria recebido dinheiro de origem suspeita. A PF também concluiu que o computador pessoal localizado com Oliveira não era recente nem caro, ao contrário do propagado em redes sociais. O aparelho era antigo e estava quebrado, tendo sido usado pela última vez no ano passado. Dos quatros telefones celulares encontrados com Oliveira, apenas dois estavam em atividade, e nenhum foi comprado nas semanas anteriores ao crime.Segundo outra conclusão da PF, em razão dos acertos trabalhistas recentes Oliveira tinha condições financeiras próprias de pagar adiantado R$ 400 por hospedagem numa pensão em Juiz de Fora, onde ele disse que procurava emprego. Foi apreendido com Oliveira um recibo que comprova o pagamento. Também foram investigadas todas as pessoas citadas em redes sociais como supostos cúmplices que teriam repassado a faca a Oliveira no dia do atentado. A PF descartou todas as informações, que eram falsas. Pelo menos uma mulher inocente marcada em redes sociais foi perseguida, recebeu ameaças e teve que procurar a PF para obter proteção. A opção de Oliveira por usar uma faca para tentar matar o presidenciável pode ser explicada por outro aspecto da vida do preso levantado durante a investigação da PF. Em um açougue em que Oliveira trabalhou em Curitiba (PR), a PF apurou que Oliveira era conhecido por manejar muito bem facas. Normalmente um novo contratado recebia um "padrinho", responsável por tutelar o novo cortador de carnes. No caso de Oliveira, o próprio açougue dispensou o uso do "padrinho", ao constatar que ela sabia usar as lâminas. Oliveira também teria trabalhado como sushiman, preparador de carnes de peixe em restaurantes japoneses, o que também demanda um bom uso de facas. Sobre a faca, um exame feito por peritos criminais federais do Instituto Nacional de Criminalística apontou traços de DNA de Bolsonaro na lâmina, de cerca de 20 centímetros, o que confirma que a faca foi a mesma usada no crime. Oliveira tinha a faca consigo muitos meses antes do crime. Em um dos três depoimentos que prestou à PF, Oliveira disse que decidiu esfaquear Bolsonaro três dias antes da chegada do presidenciável a Juiz de Fora e que soube que ele estaria na cidade porque viu um outdoor numa rua da cidade. Ele afirmou ter feito uma fotografia do painel. Ao analisar a memória do telefone celular de Oliveira, a PF de fato encontrou a fotografia, tirada no mesmo dia indicado por Oliveira. O presidente do inquérito e também delegado regional de Combate ao Crime Organizado da PF de Minas Gerais, Rodrigo Morais, informou que o inquérito que trata do ato do crime em si deverá ser finalizado até a próxima sexta-feira (28), mas ao mesmo tempo será aberto um novo inquérito para investigar supostos mandantes ou pessoas que teriam instigado o crime, ainda que não exista nenhuma indicação sobre isso até o momento. A PF adotou essa estratégia porque legalmente há um prazo de 15 dias, renovável por mais 15 dias, para o final das investigações. O primeiro prazo acabou na última sexta-feira (21), quando a PF pediu mais duas semanas. O relatório final, contudo, deve ser entregue uma semana antes. Com o novo inquérito, a PF espera aprofundar a investigação. "Não há como esgotar toda a análise de conteúdo num prazo de 30 dias. Obtivemos uma farta informação em computadores, mensagens de aplicativos, telefones. Tudo isso requer uma análise mais acurada. Com o outro inquérito, vamos poder investigar sem estarmos premidos pelo prazo do inquérito inicial", disse Morais. No material a ser analisado estão cinco discos rígidos apreendidos numa lan house frequentada por Oliveira. O primeiro inquérito será relatado e entregue ao Ministério Público Federal, que pode ou não oferecer a denúncia contra Oliveira. Ele foi indiciado pela PF por infração ao artigo 20 da LSN (Lei de Segurança Nacional). Segundo a PF, Oliveira confirmou em depoimento que agiu movido por razões políticas ou religiosas, o que deu base ao enquadramento legal. O artigo prevê inicialmente pena de três a dez anos de reclusão, porém ela é aumentada para de seis a 20 anos caso o crime envolva "lesão corporal grave". O artigo prevê o crime de "devastar, saquear, extorquir, roubar, sequestrar, manter em cárcere privado, incendiar, depredar, provocar explosão, praticar atentado pessoal ou atos de terrorismo, por inconformismo político ou para obtenção de fundos destinados à manutenção de organizações políticas clandestinas ou subversivas". Desde o crime, a PF recebe e está averiguando as diversas informações e teorias conspiratórias que circulam na internet e também tem recebido outra parcela de "dicas" para averiguação. O delegado Morais disse que todas as informações são levadas em conta e estão no radar da PF. "Algumas são esdrúxulas e não merecem nem consideração. Outras vamos olhar com mais atenção", disse o delegado da PF.

Ônibus que transportava passageiros para Guanambi envolve em acidente na MGC-122 no Norte de Minas

  • Folha do Vale
  • 22 Set 2018
  • 10:05h

Foto: Polícia Militar/Divulgação

Um ônibus que transportava passageiros para a cidade de Guanambi, no Sudoeste da Bahia, se evolveu em um acidente na tarde de sexta-feira, 21 de setembro, na MGC-122, próximo a Capitão Enéas, região Norte de Minas Gerais. De acordo informações, o acidente ocorreu após o condutor perder o controle da direção do ônibus e colidir contra o fundo de uma carreta. No impacto o motorista sofreu graves ferimentos e foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado a um hospital da cidade de Janaúba. Dois passageiros do coletivo, sendo um idoso de 60 e 74 anos também tiveram ferimentos. A rodovia ficou parcialmente interditada por algumas horas, sendo o trânsito liberado por volta das 17h20. Segundo informações, o ônibus pertence à empresa Edson Turismo, o qual possuía sede na cidade de Euclides da Cunha (BA). Ônibus havia saído da cidade de América (SP) e tinha como destino a cidade de Guanambi. O motorista da carreta não sofreu ferimentos, e segundo a Polícia Militar, ele se apresentou e deve ser ouvido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Brasil: Jovem de 18 anos morre ao ter parada cardíaca após prova do Detran

  • G1
  • 21 Set 2018
  • 12:11h

Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

Um jovem de 18 anos morreu nesta quarta-feira (19) durante a prova prática para obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), na sede do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT). Conforme nota encaminhada pelo governo estadual, Daniel de Oliveira Rodrigues de Souza sofreu uma parada cardíaca enquanto realizava a prova para habilitação de carro e de moto. De acordo com testemunhas, Daniel já havia feito praticamente toda a prova. Já tinha passado pela '‘baliza’' e seguia para o próximo setor, quando se sentiu mal e desmaiou. Durante o teste, o jovem começou a passar mal e foi socorrido por instrutores e técnicos do Detran. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e, ainda por telefone, os profissionais da autarquia foram orientados a retirar o jovem do veículo e a realizar manobras de ressuscitação. Duas equipes médicas foram enviadas até o local, enquanto uma médica do Samu, que atendeu a ocorrência ao telefone, orientou que fossem realizadas manobras de ressuscitação até a chegada das equipes. Daniel foi atendido pelos médicos do Samu e levado ao Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá ainda com vida, porém, não resistiu e morreu na unidade hospitalar.

 

Horário de verão pode ser proibido em todo o país

  • Senado Notícias
  • 21 Set 2018
  • 08:13h

A extinção em definitivo do horário de verão em todo o território nacional está sendo analisada na Comissão de Infraestrutura (CI). A proposta (PLS 438/2017) é do senador Airton Sandoval (MDB-SP) e está sendo relatada pelo senador Valdir Raupp (MDB-RO). Sandoval questiona a alegação de que, ao se adiantar o horário legal em parte do território nacional, proporciona-se maior aproveitamento da luz solar, o que reduz o uso de energia com iluminação artificial. Para o senador, essa tese  não sobrevive a uma análise econômica mais ampla. Na justificativa do projeto, ele cita vários estudos feitos em países diversos que vinculam a adoção do horário de verão com o desenvolvimento de doenças e problemas de saúde, como aumento de infartos do miocárdio, aumento da pressão arterial e agravamento do diabetes mellitus tipo 2. Segundo o autor, a privação do sono causada pelo horário de verão tem vários efeitos: irritabilidade, comprometimento cognitivo (aprendizagem), perda ou lapsos de memória, comprometimento do julgamento moral (que levaria à prática de crimes), sonolência, bocejos, alucinações, comprometimento do sistema imunológico, agravamento de doenças cardíacas, arritmias cardíacas, redução no tempo de reação (causa acidentes no trânsito), tremores, dores, redução da precisão (leva a acidentes de trabalho), aumento dos riscos relacionados com a obesidade e supressão do processo de crescimento (em adolescentes). Neste ano, o horário de verão está previsto para começar em 4 de novembro, um fim de semana após o segundo turno das eleições, marcado para 28 de outubro. Até o ano passado, o início da mudança de horário era em outubro, mas um pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) fez com que o presidente Michel Temer editasse um decreto alterando para novembro, com intuito de evitar atrasos na apuração dos votos e na divulgação dos resultados do pleito. O ajuste nos relógios vale para as Regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal) e vigora até 17 de fevereiro do ano que vem. O projeto será analisado também pelas Comissões de Assuntos Econômicos (CAE) e de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), cabendo à última a decisão terminativa.

Fã de Xuxa morre após passar mal ao encontrá-la no aeroporto

  • Uol
  • 20 Set 2018
  • 16:11h

Xuxa Meneghel afirmou por meio de sua rede social que um fã, identificado pelo nome de Hernan Mondragon, morreu depois de encontrá-la no aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires, nesta quarta-feira (19). Segundo a apresentadora, Mondragon teria se emocionado e passado mal ainda no local. “Quando eu deixei de fazer o programa na Argentina eu fiquei dias com a carinha de Herna (sic) Mondragon na minha cabeça… sempre que me via era emoção pura. Hoje, na chegada do aeroporto, ele se emocionou tanto que passou mal e inacreditavelmente se foi. É, meu seguidor , meu fã e amigo,  virou anjo … meu coração está apertado por não poder fazer nada pra tê-lo ao meu lado, desculpe. Voy te guardar en mi alma”, escreveu ela, no Instagram. A assessoria de imprensa da apresentadora informou que Mondragon já sofria de problemas cardíacos. “Estamos apurando e cuidando do enterro. Xuxa ficou muito mal”, disse. No Twitter, Mondragon se apresentava como fã ativo de Xuxa e a acompanhava de perto, pelas redes sociais. Em janeiro de 2017, por exemplo, escreveu. “Estou feliz porque te vejo mesmo que seja pela TV. Tenho muitas saudades. Eu te amo”, declarou. Mais recentemente, o rapaz também postou a notícia sobre a morte da mãe de Xuxa, dona Alda. A apresentadora brasileira foi à Argentina para a inauguração de sua primeira clínica, a Espacolaser, na região

Brasil: Vídeo mostra professor sendo humilhado e agredido em sala de aula

  • 20 Set 2018
  • 11:07h

Imagens que circulam em redes sociais mostram um professor sendo agredido e humilhado na sala de aula do Ciep Municipal Mestre Marçal, em Rio das Ostras, no interior do Rio de Janeiro, nesta terça-feira (18). Durante três minutos de filmagem, alunos ofendem o professor, que demonstra calma em todos os momentos. Um dos adolescentes chega a arremessar uma pochete na direção do professor quando ele escrevia no quadro. O professor questiona se a intenção era atingi-lo e outro aluno responde: "'Peraí' que agora vai acertar". O aluno chega a fazer ameaças graves quando é questionado por um colega. "Vai matar o professor, cara? Faz isso não. O cara te dá aula, o cara é maneiro", diz o colega, que recebe a resposta: "O cara nunca mais vai dar". Os vídeos foram filmados por um estudante do colégio enquanto a turma fazia prova. Em outro momento do vídeo, o mesmo adolescente que arremessou a pochete amassa a prova na frente do professor. O jovem também tenta destruir as provas dos colegas e quando rasga uma folha, o colega debocha: "Aí, professor, acabou a prova!". As imagens mostram ainda que um dos jovens chega a empurrar o professor exigindo que a porta ficasse aberta. A gravação, que foi editada, mostra outro rapaz quebrando o quadro. Durante todo o tempo em que os jovens cometem os delitos, os colegas brincam e estimulam os atos. Uma funcionária que trabalha no Ciep conversou com a equipe de produção da TV Globo. Ela disse que o professor pediu demissão e vai continuar dando aulas em um colégio no Rio de Janeiro.

Brasil: Apresentadora de TV é presa suspeita de assassinar transexual de 19 anos

  • Notícias ao Minuto
  • 18 Set 2018
  • 20:13h

Uma apresentadora de TV que não teve o nome revelado foi presa na manhã da última segunda-feira (17) pela Seção de Homicídios da 13ª Subdivisão Policial, que cumpriu mandato de busca e apreensão e de prisão temporária expedidos pelo Juízo da 3ª Vara criminal de Ponta Grossa, Paraná.A apresentadora é acusada pela morte da transexual G. S., que ocorreu no dia 23 de Junho. Como a prisão é temporária a delegada responsável pelo caso, Tânia Sviercoski, informou que a identificação da suspeita não será divulgada. Caso que pode mudar caso a prisão se torne preventiva. Segundo informou a Polícia Civil, testemunhas teriam visto a apresentadora obrigando a transexual a entrar em seu veículo, momentos antes de seu corpo ter sido encontrado nas margens da rodovia que liga os municípios de Castro e Ponta Grossa. A vítima sofreu dois disparos de arma de fogo e,  ao pedir ajuda, acabou atropelada por um veículo que passava pela rodovia. A condutora que acabou atropelando a vítima por volta das 22h30 parou para prestar socorro. Ela chegou a ser submetida ao teste do bafômetro que registrou negativo.

Cantor sertanejo é preso após hackear contas bancárias. Dinheiro financiava clipes

  • BDM
  • 18 Set 2018
  • 09:07h

(Foto: BDM)

A Polícia Civil prendeu 27 suspeitos de estelionato no Rio de Janeiro e no Paraná, nesta segundafeira (17). Entre os detidos está o cantor sertanejo Rick Ribeiro, de Ponta Grossa, que participaria do esquema que roubou mais de R$ 30 milhões de contas bancárias no período de um ano. Segundo o Ministério Público do Paraná, Luiz Henrique Ribeiro da Costa Lesniovski, o Rick, era um dos hackers da quadrilha e utilizava o dinheiro arrecadado com os golpes para bancar seus videoclipesO grupo tinha alvo pessoas físicas e empresas de grande porte. O procedimento adotado pelos estelionatárias era entrar em contato com as vítimas e faziam com que elas deixassem seus computadores vulneráveis para a ação deles, que conseguiam os dados bancários “vítimas” tanto pessoas físicas, quanto grandes empresas. Os criminosos se faziam passar por funcionários de bancos e entravam em contato com as vítimas. Com a desculpa de atualizar cadastro, conseguiam com que elas deixassesm seus computadores vulneráveis a ataques, de maneira a conseguir os dados bancários em cerca de 20 minutos. O grupo se concentrava principalmente na região de Barra Mensa, Sul do estado do Rio de Janeiro. O dinheiro roubado das vítimas era transferido para contas de laranjas e outra parte da quadrilha ia ao banco efetuar os saques. Cerca de 240 suspeitos estão sob investigação. Uma segunda fase da operação, batizada de Open Doors, vai cumprir 43 mandados de prisão e outros 40 de busca em apreensão em sete estados brasileiros. 

Dupla Serteneja acusa Marília Mendonça de plágio e entra com processo

  • Bahia Notícias
  • 15 Set 2018
  • 18:54h

A dupla Sertaneja Ivis e Carraro moveu um processo de plágio contra Marília Mendonça e os autores da música “Ciumeira”, que foi lançada em agosto deste ano, na 13ª Vara Cível e Ambiental de Goiânia.De acordo com o site Extra, os cantores alegam que a rainha da sofrência teria copiada a melodia de uma música deles, “Panfleto de Rua”, gravada em 2009 e composta por Anair de Paula Silva. A ação está sendo movida pelo autor de “Panfleto de Rua” contra Marília e os seis compositores da canção gravada por ela. Entre os documentos do processo que comprovariam o plágio das melodias, está o laudo de três produtores. “Afirmo que as canções, 'Panfleto de rua', interpretada pela dupla Ivis e Carraro, e de autoria de Anair de Paula Silva, e a música 'Ciumeira', interpretada pela cantora Marília Mendonça, são bem similares, no solo e na parte A (início), da música, e no meio, depois o interlúdio", afirma  o diretor da gravadora Acorde Music Rogério Fuziwara, que foi um dos responsáveis pela análise das músicas.  Segundo o Extra, a assessoria de imprensa de Marília Mendonça se pronunciou sobre um assunto afirmando que a cantora está “judicialmente calçada por ter a cessão de direitos e autorização autoral de interpretação da obra devidamente assinada pelos autores”. Leia o comunicado na íntegra:  "A Marília Mendonça teve seu primeiro contato no universo da música como compositora, função que ainda exerce com maestria. Marília jamais causaria danos a um companheiro de profissão ou a qualquer outra pessoa. A cantora recebeu a música dos compositores que assinam a versão gravada por ela, inclusive com arranjo. Juridicamente, Marília Mendonça está totalmente calçada por ter a cessão de direitos e autorização autoral de interpretação da obra, devidamente assinada pelos autores. Por fim, ela lamenta ter seu nome sendo usado de maneira indevida, por algo que não lhe cabe responsabilidade e deseja que tudo seja esclarecido de maneira justa".

Brasil: Após exames de DNA, mulher descobre que não é mãe biológica de filho depois de 15 anos em MT e faz post

  • 15 Set 2018
  • 11:05h

Mãe fez postagem sobre a descoberta em rede social — Foto: Facebook/ Reprodução

Uma moradora de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, fez uma postagem em uma rede social sobre a descoberta de que o filho, que hoje tem 23 anos, não é biológico. A suspeita da auxiliar administrativo Gislene Diogo da Silva, de 38 anos, é de que o bebê tenha sido trocado na maternidade da Santa Casa de Misericórdia do município, em fevereiro de 1995. O hospital alega que tem tomado todas as medidas para colaborar com as investigações sobre o caso. A mãe afirmou que os exames de DNA foram feitos há oito anos a pedido do próprio filho Wandré Pohl Moreira de Castilho e, desde então, ela procura o filho biológico, que nasceu no mesmo dia e não tem nenhuma pista da localização dele. A publicação feita no último dia 31 já tem mais de 6 mil compartilhamentos e 13 mil comentários. “Depois de 15 anos, descobrimos que meu filho não é meu filho biológico”, diz Gislene, na postagem. Desde criança, segundo ela, Wandré ouvia dos irmãos por parte de pai que ele era filho 'bastardo' devido às características físicas diferentes. Os irmãos diziam que ele não era filho do mesmo pai e que eles eram mais brancos. A dúvida foi alimentada no rapaz até os 15 anos, quando pediu à Gislene que fosse feito um exame de DNA para comprovar que os irmãos estavam errados. “Aos 15 anos, ele chegou da escola e perguntou quanto custava para fazer um exame de DNA. Ele dizia que queria mostrar para os irmãos que era realmente filho do pai dele”, recordou a mãe. Gislene diz que não tinha dúvidas da paternidade e se prontificou a fazer o exame a pedido do filho, que seria fruto do relacionamento de curta duração com o advogado Sival Pohl Moreira. Wandré passou a maior parte do tempo com o pai, apesar de sempre visitar a mãe. No entanto, ao contrário do que mãe e filho imaginavam, veio o resultado surpreendente: o então adolescente não era filho do advogado e nem dela. “Eu fiquei em prantos. Na hora passou muita coisa na minha cabeça, pensava que a criança precisava de mim. Na época, não quis expor, mas hoje fiz a postagem para tentar uma solução”, afirmou. A família fez dois testes de DNA para ter certeza do que estavam para enfrentar. “Na época foi como se eu tivesse sido atingida por um 'Tsunami'. Fiquei com medo de perder meu filho”, lembrou. Tem oito anos que a família vive uma busca incessante para tentar descobrir quem são os pais verdadeiros do jovem e quem é o filho ou a filha de Gislene. Desde 2010, eles fazem exames e procuram famílias que possam estar com o filho de Gislene. Na postagem que fez no Facebook, Gislene explica que deu à luz um menino no dia 13 de fevereiro de 1995 na Santa Casa de Misericórdia de Rondonópolis. Era segunda-feira e o parto normal tinha sido feito às 19h50 daquele dia. A suposta troca começou a ser alvo de duas investigações: uma na Polícia Civil de Mato Grosso e outra em um processo judicial, acompanhado pelo Ministério Público Estadual (MPE). A demora em se resolver a situação que paira sob a família é alvo de crítica da mãe. Para ela, a história já deveria ter tido uma solução. Em nota, a Polícia Civil de Mato Grosso informou que o inquérito em que se apura a suposta troca de bebês foi aberto em 2012 pelo delegado João Paulo Andrade Farias, após solicitação de Wandré. A pedido do delegado, o hospital forneceu uma cópia da lista de crianças que nasceram na unidade em fevereiro de 1995. Foram feitos exames de DNA e todos deram negativos. O período de pesquisa então foi ampliado depois que a polícia soube que as pacientes ficavam três dias internadas no hospital após o parto. Passaram a ser identificadas outras pessoas, nascidas nos dias 12 e 14 de fevereiro daquele ano. Essas pessoas ainda devem ser submetidas a exames com as respectivas genitoras. A Santa Casa de Misericórdia de Rondonópolis emitiu uma nota alegando que, logo após o parto, os bebês recebem uma pulseira de identificação, que somente é retirada na saída da maternidade após a alta médica. Afirmou ainda que não se pode descartar a hipótese da criança ter sido trocada após a saída da maternidade, pois a criança nasceu no dia 13 de fevereiro de 1995 e teve o registro de nascimento feito em 12 de agosto de 1996.

Oi, Claro e Vivo são multadas em R$ 9,3 mi por irregularidade em venda de serviço

  • Folhapress
  • 13 Set 2018
  • 16:12h

(Foto: Reprodução)

As operadoras de telefonia Oi, Claro e Vivo foram condenadas a pagar R$ 9,3 milhões por violar direitos dos consumidores. Essa é a maior multa já aplicada pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor, órgão ligado ao Ministério da Justiça. Segundo o relatório do órgão, as empresas cometeram irregularidades na venda dos chamados serviços adicionados -por exemplo,  aplicativos de jogos pagos, contratação de notícias por SMS, horóscopo diário ou espera telefônica personalizada com músicas. Além disso, são apontadas cobranças erradas, muitas vezes superiores ao que foi efetivamente entregue ao cliente ou por serviços nunca contratados. Para o departamento, anúncios de produtos das operadoras induziam o consumidor ao erro. A diretora do departamento Ana Carolina Caram avaliou que as companhias deveriam ser responsabilizadas mesmo que os serviços de valores adicionados fossem oferecidos por terceiros. "O Código de Defesa do Consumidor estabelece que todos os fornecedores respondem solidariamente pela prestação dos serviços e pelos danos daí advindos, para os consumidores", diz ela. As empresas, que ainda poderão recorrer da decisão, teriam 30 dias para o pagamento das multas. Também foi determinada a suspensão imediata do fornecimento de serviços de valores adicionais sem o prévio e expresso consentimento do consumidor. Caso as medidas não sejam cumpridas, o departamento diz que poderá "suspender temporariamente a atividade" das companhias. Procuradas pela reportagem, as três operadoras ainda não se manifestaram.

Brasil: Homem mata filho de 6 meses após mulher recusar sexo

  • iBahia
  • 13 Set 2018
  • 13:09h

Um homem matou o próprio filho, um bebê de 6 meses, na madrugada desta quarta-feira, com um tiro no peito, no município de Luziânia, em Goiás, por ter se irritado com a recusa da mulher para fazer sexo com ele. Maycon Salustiano, de 25 anos, foi preso em flagrante e confessou o crime. A criança chegou a ser levada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu aos ferimentos. À polícia, Maycon afirmou que tinha intenção de transar com a mulher, mas ela não quis. Ao ser contrariado, ele foi para outro cômodo e pegou uma garrucha calibre 22 e ameaçou atirar no bebê, que estava no berço no quarto do casal. De acordo com a delegada Caroline Matos, responsável pelo caso, Maycon perguntou se a mãe da criança duvidava de que ele seria capaz de disparar. Ela pediu para o marido manter a calma, mas não adiantou. Após dar seu depoimento, a mulher foi liberada.— Os pais do Michael contaram ter ingerido drogas e bebidas alcoólicas antes de dormir. A mãe do bebê disse que seu marido acordou e falou nada com nada, tentou manter relação sexual com ela, e ela negou. Os dois começaram a discutir, quando o homem pegou uma arma, uma garrucha calibre 22, e voltou para o quarto. Primeiro apontou para a mulher, que pediu para ele manter calma, e depois apontou para criança, que estava no berço. O Maycon teria ficado indagando a Jennifer se ela duvidava do que ele faria — disse Matos.

PF avalia abrir nova investigação sobre facada em Bolsonaro

  • Folhapress
  • 12 Set 2018
  • 17:10h

A Polícia Federal avalia abrir um novo inquérito sobre o ataque ao candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro (RJ). O objetivo é investigar a possibilidade de que um terceiro tenha incentivado Adelio Bispo Oliveira, preso desde a última quinta (6), a cometer o crime. A informação foi confirmada à reportagem por um envolvido na investigação. Por ora, a PF mantém como principal tese a de que Oliveira agiu sozinho, pois não foram encontrados indícios da existência de um possível mandante. A hipótese de um coautor ou instigador, no entanto, ainda não foi desconsiderada porque não foi concluída a análise de mídias apreendidas com Oliveira e de dados sobre suas informações financeiras. Os investigadores já descartaram o envolvimento de um homem que estava próximo ao local do atentado, em Juiz de Fora (MG). Ele prestou depoimento nas primeiras horas após o ataque e foi liberado. Também não foram encontradas evidências da participação de uma mulher, que, segundo mensagens nas redes sociais, teria entregado a faca a Oliveira. Diante dos boatos que circulam na internet, a PF estuda, inclusive, a publicação de um comunicado desmentindo informações que não se confirmaram. O inquérito atualmente em curso tem de ser tocado com celeridade, já que apura crime envolvendo um suspeito preso. O prazo para conclusão é de 15 dias, prorrogável por mais 15. A ideia de instaurar uma nova investigação, para avaliar a possível interferência de terceiros, visa evitar eventual atraso na apuração principal, que tem como foco o ato praticado por Oliveira. O caso está sendo conduzido pela Superintendência da PF em Minas, que colhe depoimentos e se debruça sobre o material apreendido. A PF em Brasília fará perícia na faca, analisando as digitais e o DNA do sangue presentes no objeto.

Brasil: Pai inventa tentativa de sequestro do próprio filho, para se livrar da tarefa de cuidar do menino

  • G1
  • 12 Set 2018
  • 16:06h

Luiz Fernando Lara é suspeito de forjar a tentativa de sequestro do próprio filho — Foto: Reprodução/ TV Globo

Um homem de 30 anos foi preso por inventar a tentativa de sequestro do filho. Luiz Fernando Lara aparece em um vídeo publicado na internet com a camiseta rasgada. Ele chegou a registrar o suposto crime na 53ªDP (Mesquita), na Baixada Fluminense. Em depoimento, ele afirmou que estava na rua quando uma mulher em um carro vermelho saiu do veículo e tentou roubar a criança do colo dele. Os policiais acharam a história estranha e começaram a investigar. Os agentes perguntaram sobre vários detalhes do caso e o levaram até o local apontado por ele onde teria acontecido a tentativa de sequestro. Quanto mais ele tentava se explicar, maiores eram as contradições. Os policiais começaram a desconfiar e Luiz foi obrigado a confessar que forjou o caso. Ao apontar os motivos de ter inventado o crime, os policiais se surpreenderam. Luiz Fernando contou que dividia a tarefa de cuidar da criança com a mãe, mas não queria mais cuidar do menino. Ele acreditou que, inventando a história do suposto sequestro, ela ia ficar assustada e cuidaria sozinha do menor. Assim, ele teria mais tempo livre. Luiz Fernando foi preso em flagrante por falsa comunicação de crime. A pena vai de um a seis meses de prisão.