BUSCA PELA CATEGORIA "Brasil"

Site da Caixa Econômica Federal registra instabilidade nesta terça (30)

  • Agência Brasil
  • 30 Jun 2020
  • 17:24h

Instituição confirmou problema e informou que instabilidade ocorreu por conta de aperfeiçoamentos para dar conta ao volume de acessos | Foto: Reprodução

Os clientes da Caixa Econômica Federal que usaram o site do banco enfrentaram instabilidades nesta terça-feira (30). Desde o início da manhã, correntistas relataram dificuldades em fazer consultas e concluir transações. A instituição confirmou o problema, mas informou que a instabilidade se deveu à adoção de aperfeiçoamentos para dar conta do crescimento de volume de acessos nos últimos meses. Segundo o banco, o serviço já foi normalizado nesta tarde. “A Caixa informa que registrou intermitência no Internet Banking em virtude da implementação de melhorias para atender ao crescimento do volume de acessos simultâneos. Os acessos já estão normalizados”, informou a assessoria de imprensa da instituição.

Decotelli demonstra preocupação com permanência e posse no MEC

  • BN
  • 29 Jun 2020
  • 18:41h

Foto: Marcos Corrêa / PR

Desde que teve o nome anunciado como novo ministro da Educação na semana passada, revelações sobre o currículo de Carlos Alberto Decotelli tem vindo a tona. O novo titular do MEC incluiu informações equivocadas no currículo, e este fato tem gerado incertezas sobre a permanência dele no comando da pasta, de acordo com informações apuradas pela Folha de S. Paulo. 

A reportagem traz que Decotelli teve o nome publicado como ministro em edição extra do Diário Oficial na quinta-feira (25). A cerimônia de posse do cargo, agendada inicialmente para esta terça-feira (30), ainda não estava confirmada até o fim da manhã desta segunda-feira (29).

A apuração da Folha ainda indica que o próprio Decotelli está demonstrando certa insegurança e preocupação com a permanência. O novo ministro citou para interlocutores que percebia perseguição da imprensa.

Veterinário morre após cair de lancha durante live da dupla sertaneja Rick & Renner

  • Informações do site O Imparcial
  • 29 Jun 2020
  • 07:06h

(Foto: Reprodução)

Um jovem veterinário, identificado como Isaac Ramos, de 32 anos, desapareceu após cair de uma lancha, após um acidente durante a live da dupla sertaneja Rick & Renner, que foi realizada no último sábado (27), às margens do Rio Tocantins, em Imperatriz, a 626 km de São Luís. De acordo com informações iniciais, duas embarcações teriam colidido durante a apresentação da dupla, que estava sendo transmitida na plataforma Youtube. O local do show solidário que teria doações destinadas ao estado, teria reunido também várias outras embarcações no Náutico Club de Imperatriz. De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA), o acidente aconteceu por volta das 19h e 19h30. O corpo do jovem foi encontrado na manhã deste domingo (28). De acordo com os bombeiros, o corpo foi encontrado cerca de 500 a 600 metros rio abaixo de onde foi o local do acidente.

Apoio a democracia cresce e chega a 75%, identifica Datafolha

  • 28 Jun 2020
  • 12:04h

Foto: Agência Senado

Levantamento do Instituto Datafolha identificou que o apoio do brasileiro à democracia cresceu em meio ao agravamento da crise política do governo Jair Bolsonaro. Os dados indicam que o apoio a democracia atingiu o maior índice da série histórica do Datafolha.

Do total de  2.016 entrevistados, 75% consideram o regime democrático o mais adequado, enquanto 10% afirmam que a ditadura é aceitável em algumas ocasiões.

Foram os pesquisadores aplicaram o questionário  por telefone nos dias 23 e 24 deste mês. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

Na última pesquisa em qie foi feito esse questionamento, no mês de dezembro de 2019, 62% das pessoas apoiavam a democracia e um número semelhante ao de agora, 12%, a ditadura.

A migração pró-democracia ocorreu entre aqueles para quem tanto faz o regime: o contingente caiu de 22% para 12%, ressalta reportagem da Folha de S. Paulo.

Bares e restaurantes: 35% já fecharam unidades definitivamente no Brasil

  • Isabela Bolzani | Folhapres
  • 28 Jun 2020
  • 08:51h

(Foto: Reprodução)

Perto de completar 100 dias de portas fechadas, o setor de bares e restaurantes enxerga com preocupação o novo adiamento de reabertura feito pelo governo municipal de São Paulo. O último levantamento realizado pela ANR (Associação Nacional dos Restaurantes) em parceria com a Galunion aponta que 35% dos bares e restaurantes com mais de uma unidade já fecharam lojas permanentemente por conta do isolamento social para deter a pandemia do coronavírus. Outros 15% dos estabelecimentos afirmaram que não conseguirão manter os seus negócios após a pandemia. A pesquisa foi feita entre os dias 5 e 17 de junho. Na sexta-feira (26) o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), protelou a reabertura do segmento para 3 de julho.

A previsão inicial era de que os bares, restaurantes e salões de beleza já poderiam funcionar nesta segunda-feira (29), mas Covas afirmou que, por recomendação do Centro de Contingência, as mudanças só aconteceriam se a capital permanecesse nessa fase por uma semana.

Segundo o presidente da ANR, Cristiano Melles, o governo é descuidado com o setor, que já demitiu 1,3 milhão de pessoas desde o começo da pandemia - 600 mil apenas em São Paulo.

"Cada semana que passa o número de restaurantes que não conseguirão reabrir aumenta e, se considerarmos o alarme falso de sexta-feira, esse contingente ainda pode subir. Muitos pegaram o pouco dinheiro que tinham para fazer um estoque e reabrir nessa segunda-feira e entregaram os pontos, já que parte dos alimentos é perecível e ainda terá que ser jogada fora", disse.

Outro ponto que preocupa o setor é a falta de acesso ao crédito - tanto por programas do governo como pelo próprio sistema financeiro.

Ainda de acordo com a pesquisa, 76% das empresas que buscaram novas linhas para financiar o negócio tiveram suas propostas recusadas. A mesma porcentagem também já fez uso da MP 936, referente à suspensão ou redução de jornada e salário.

Para o presidente da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), Percival Maricato, nem mesmo o Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), linha do governo mais recente voltada para os pequenos empresários, deve ser de grande valia ao setor.

"Mesmo com esse último programa, ainda há restrição de faturamento, e a maioria não receberá a ajuda. Sem contar as exigências de garantias, que ainda limitam o acesso ao crédito. Isso é um problema tão relevante quanto a retomada. É preciso financiamento para reposição de estoque, recontratação de funcionário e para que o empresário consiga colocar toda essa engrenagem para funcionar", disse.

Segundo Melles, presidente da ANR, o segmento também continua em contato com o governo para tentar flexibilizar o horário de funcionamento, ainda restrito a seis horas por dia.

"Pedimos para que ao menos possamos separar, manter o restaurante aberto por três horas durante o almoço e três horas durante a janta. Seria ao menos uma saída, mas nossos pedidos não têm eco. Fazemos reunião, e eles falam que entendem o setor, mas as medidas vêm muito diferentes do que foi conversado", afirmou.

CONTINUE LENDO

Bolsonaro inaugura trecho da transposição do São Francisco, assim como Lula, Dilma e Temer

  • por João Valadares|Folhapress
  • 26 Jun 2020
  • 14:20h

Foto: Reprodução / Facebook

Sem a participação de governadores, prefeitos e senadores nordestinos, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) inaugurou na manhã desta sexta-feira (26) um trecho do eixo norte da transposição do rio São Francisco.

A obra bilionária, iniciada na segunda gestão do governo Lula (PT), teve o eixo leste, que corta Pernambuco e Paraíba, inaugurado às pressas pelo ex-presidente Michel Temer (MDB) em março de 2017. Logo em seguida, de maneira simbólica, pelos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff (PT). A transposição é a maior obra hídrica do Brasil. O eixo leste foi inaugurado às pressas e, o norte segue sem previsão para conclusão. O orçamento inicial de toda a obra saltou de R$ 4,5 bilhões para R$ 12 bilhões.

 

Bolsonaro acionou a abertura de uma das comportas, em Pernambuco, para que a água comece a chegar ao reservatório de Jati, no Ceará. Ele não falou com a imprensa nem fez discurso.

Depois de observar a água correr pelo canal, o presidente desceu do carro em que estava, tirou a máscara, posou para fotos e cumprimentou apoiadores que o chamavam de mito. Um pequeno grupo abriu uma faixa com a imagem do ex-presidente Lula.

Bolsonaro publicou foto nas redes sociais com o canal da transposição ao fundo e informou que a orientação do governo é concluir obras que já estão em andamento. Comentou rapidamente com apoiadores que essa novela estava chegando ao fim.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, que integrou a comitiva do presidente, afirmou que Bolsonaro demonstrou ter postura republicana ao dar continuidade ao projeto. "Estamos em Jati, no Ceará, para testemunharmos aqui um feito histórico. Esta é uma obra do estado brasileiro", declarou.

Deputados federais cearenses do chamado centrão foram maioria no evento. Os governadores do Ceará, Camilo Santana (PT), e de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), não participaram da cerimônia e não mandaram representantes.

Nas redes sociais, o petista disse que o dia era importante para o Ceará e ressaltou que a obra foi concebida e tocada no governo Lula, com apoio do ex-ministro Ciro Gomes (PDT). "E continuada pelos governos Dilma, Temer e, agora, Jair Bolsonaro."

Ele disse que só vai ao local quando a pandemia do novo coronavírus for superada. O Ceará ocupa a terceira posição no Brasil em número de óbitos.

Em nota, o Governo de Pernambuco informou que o gabinete do governador Paulo Câmara recebeu um comunicado do Ministério do Desenvolvimento Regional sobre o evento no fim da tarde desta quinta-feira (25). Por isso, não havia tido tempo hábil para mandar representante à cerimônia.

O presidente desembarcou no aeroporto de Juazeiro do Norte, no Ceará, às 10h. A cidade está em lockdown devido ao avanço do novo coronavírus. De lá, seguiu de helicóptero para Salgueiro, em Pernambuco.

Quatro ministros integraram a comitiva: Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), Tereza Cristina (Agricultura), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Tarcísio de Freitas (Infraestrutura).

De acordo com o governo federal, o eixo norte só deve ser concluído no próximo ano, o que vai possibilitar a chegada da água ao Rio Grande do Norte. Este trecho está com 97% dos canais concluídos desde 2018.

Faltam ainda a implantação de todo o sistema drenagem e de operação e controle. Também não foram instaladas todas as bombas que estavam previstas nas três estações de bombeamento.

"Só há uma bomba em cada estação, o que implica numa capacidade de pouco mais de 10% da vazão prevista", explica o professor o professor da UFPB (Universidade Federal da Paraíba) Francisco Sarmento, que coordenou por 14 anos os estudos e planejamentos hidrográficos da transposição.

No ano passado, a Folha de S.Paulo mostrou que a maior obra hídrica do Brasil sofreu grande deterioração porque foi inaugurada sem que estivesse concluída.

O orçamento inicial de toda a obra, que tem 477 quilômetros de canais, saltou de R$ 4,5 bilhões para R$ 12 bilhões.

O governo Bolsonaro informou que, no ano passado, investiu R$ 1,3 bilhão para recuperação de etapas que já apresentavam 100% de execução física, mas que necessitavam de intervenções e reparos no sistema.

Quando todas a estruturas e sistemas complementares nos estados estiverem em operação, cerca de 12 milhões de pessoas em 390 municípios de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte serão beneficiadas.

CONTINUE LENDO

Mega-Sena sorteia R$ 37 milhões neste sábado (20)

  • Redação
  • 20 Jun 2020
  • 11:50h

(Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

A Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 37 milhões neste sábado (20), pelo concurso 2.272, valor acumulado do último sorteio. As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), nas casas lotéricas ou pela internet, com valor mínimo de R$ 4,50. O sorteio acontece a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, no Terminal Rodoviário Tietê, em São Paulo.

Quina de São João
Além do concurso da Mega, será possível tentar a sorte na 10ª edição da Quina de São João, que será realizado no dia 27 de junho, às 20h. A estimativa inicial é de que o sorteio do concurso 5.299 pague um prêmio de R$ 140 milhões. O prêmio não acumula e, caso não haja vencedores na faixa principal, o prêmio será dividido entre os vencedores da segunda faixa (quatro números) e assim por diante. Para apostar, basta marcar de cinco a 15 números entre os 80 disponíveis no volante. O preço de uma aposta simples, com cinco números, custa R $ 2.

Brasil chega a marca de um milhão de pessoas infectadas pelo coronavírus

  • Redação
  • 19 Jun 2020
  • 17:53h

De acordo com o levantamento do Brasil.io, pelo menos 98% da população já foi infectada com a doença | Foto: Brumado Urgente Conteúdo

O Brasil superou, na manhã desta sexta-feira (19), a marca de um milhão de pessoas infectadas com o novo coronavírus desde o início da pandemia. A informação foi divulgada pelo jornal Estadão. De acordo com o levantamento do projeto de transparência de dados Brasil.io, a Covid-19 já chegou em 85% dos municípios do país, o que representa 98% da população brasileira que já contraíram ou que estão com o vírus. Desde o dia 26 de fevereiro, quando foi confirmado o primeiro caso, o país registrou 1.009.699 pessoas que foram infectadas com o vírus. Deste total, 48.427 morreram. Só em São Paulo, foram confirmadas 200 mil casos. Porém, de acordo com um estudo epidemiológico organizado pela Universidade Federal de Pelotas, este número é inferior ao real de pessoas contaminadas em todo o Brasil. Os pesquisadores apontam após uma investigação sobre a prevalência do novo coronavírus nas cidades brasileiras com testes sorológicos, foi observado que a ocorrência é de 6 pessoas infectadas para cada uma oficialmente identificada. O dado é válido para as 133 cidade onde foi feita a pesquisa. De acordo com os dados do Estadão, a curva de casos do país evoluiu de modo lento desde o início da pandemia, mas perdeu o controle logo após a saída do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, do carno no dia 16 de abril. Mandetta era um forte defensor das medidas de isolamento social para o controle da propagação da doença. Além do Brasil, apenas os Estados Unidos ultrapassam essa marca, onde teve a sua evolução muito mais rápida do que aqui. O primeiro caso foi registrado nos EUA no dia 21 de janeiro. No dia 28 de abril alcançaram 1 milhão de infectados e nesta sexta chegaram a 2,185 milhões e 118 mil mortes.

Ativista do 300 do Brasil, Sara Winter é presa pela Polícia Federal

  • Bahia Notícias
  • 15 Jun 2020
  • 10:09h

Foto: Divulgação

Ativista do movimento 300 do Brasil, Sara Winter foi presa em Brasília pela Polícia Federal, na manhã desta segunda-feira (15). 

O mandado de prisão foi autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).  O mandado atende a um pedido da Procuradoria Geral da República (PGR).

Sara Winter é investigada no inquérito das fake news, sob suspeita de ameaça aos ministros do STF. Recentemente ela foi alvo de busca e apreensão e fez novas ameaças aos ministros da Corte.

Sara também foi expulsa do Democratas após a sua filiação ao partido vir a público. O próprio prefeito ACM Neto, presidente nacional da legenda, expulsou a ativista.

O dever de não mentir contra o direito de falar sempre a verdade

  • por Fernando Duarte I Bahia Notícias
  • 15 Jun 2020
  • 07:48h

Foto: Reprodução / Redes sociais

Nos anos 2000, um sitcom de Fernanda Young e Alexandre Machado colocou o ator Luiz Fernando Guimarães no papel de "O Super Sincero", com direito à incrível trilha sonora de abertura de Lulu Santos. A época coincide com o início da minha vida adulta e uma crescente demanda pela resignificação da mentira como agente social. Sim, a sociedade nos obriga a conviver com "mentirinhas" para sobreviver. Porém nunca fui completamente convencido dessa convenção. Deveríamos ter o direito inalienável de falar a verdade o tempo inteiro. Tento seguir assim boa parte da vida. E, por isso, me arvoro ao direito de tratar a verdade como um dever individual e coletivo. 

É exatamente o contrário disso que se propõe os grupos que militam contra a criminalização das fake news. Para esse segmento, mentir é tão parte do dia a dia que cabe até pau-de-arara hermenêutico para tentar reinterpretar as leis ao próprio favor. Isso aconteceu no passado, quando houve aval jurídico para atrocidades da ditadura militar, por exemplo. Agora, o nível de sofisticação é ligeiramente maior. Não basta criar uma mentira. É preciso reforçá-la e transformá-la em política de Estado. Ainda que isso permita uma fragilização das instituições, sob a desculpa de que há a defesa tácita da democracia.

Calúnia e difamação são crimes previstos no Código Penal, por exemplo. Mesmo assim, o assassinato de reputações orquestrado por quem quer que seja segue a todo vapor. Antes comum no período eleitoral - e naturalizado como no caso de Marina Silva em 2014 -, agora se percebe que a bola de neve tomou proporções difíceis de controlar. Infelizmente, uma prática que deveria ser repudiada passou a ser política regular, defendida publicamente por importantes atores políticos. Por isso, é mais que necessário que uma legislação específica aborde o tema. E ela não pode ser o arremedo de projeto cheio de buracos que tentam aprovar no Congresso Nacional.

O ataque com foguetes à sede do Supremo Tribunal Federal (STF), pelo direito de mentir, deveria gerar repulsa da população brasileira. Ao invés disso, há quem trate o episódio como mais um exercício de liberdade de expressão. É aí que sinto falta do Super Sincero de Luiz Fernando Guimarães. Talvez ali tivesse uma representação distópica da realidade que poderíamos viver. A verdade pode não ser a pílula vermelha para o mundo que vivemos, mas ela é bem melhor que conviver com esse teatro de mentiras que se tornou o Brasil.

Este texto integra o comentário desta segunda-feira (15) para a RBN Digital, veiculado às 7h e às 12h30, e para as rádios A Tarde FM, Irecê Líder FM, Clube FM, RB FM, Alternativa FM Nazaré e Candeias FM. O comentário pode ser acompanhado também nas principais plataformas de streaming: SpotifyDeezerApple PodcastsGoogle Podcasts e TuneIn.

 

Manifestantes pró-Bolsonaro atiram fogos de artifício contra o STF

  • Redação
  • 14 Jun 2020
  • 08:40h

Ataque aconteceu na noite de sábado (13), após o governo do Distrito Federal desmontar acampamento de apoiadores do presidente |Foto: Marcelo Casal Jr./Agência Brasil

Será que aprova?: PEC propõe cortar salários do Executivo, Legislativo e Judiciário

  • Redação
  • 11 Jun 2020
  • 13:41h

Proposta é da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), que sugere reduzir pagamentos em 25% em salários acima de R$ 15 mil | Foto: Brumado Urgente Conteúdo

Uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que sugere a redução de salários do Executivo, Legislativo e Judiciário foi apresentada à Câmara dos Deputados. De autoria da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), a proposta sugere reduzir em 25% os salários acima de R$ 15 mil. A ideia, segundo informações da colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, é obter recursos para ações de combate à Covid-19. Se o texto for aprovado, o corte vigorará por três meses ou enquanto durar a pandemia. Vale lembrar que, na terça-feira (9), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que manteria o auxílio emergencial por mais dois meses somente se deputados e senadores aceitassem reduzir seus salários para ajudar a financiar os custos do financiamento do programa. Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou que a proposta apenas para deputados e senadores seria insuficiente, já que os salários dos congressistas somam, durante o ano, cerca de R$ 220 milhões. Como o pagamento do benefício por mais dois meses custará cerca de R$ 100 bilhões, ainda faltariam mais de R$ 99 bilhões. Para cobrir o valor do benefício, segundo Maia, uma proposta seria necessária com o apoio de todos, inclusive do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do Judiciário, que são contra a ideia de cortar salários.

Relator do caso, Edson Fachin vota pela continuidade de inquérito das fake news

  • BN
  • 11 Jun 2020
  • 08:52h

Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, votou nesta quarta-feira (10) a favor da legalidade do inquérito aberto pela Corte para apurar a divulgação de notícias falsas e ameaças contra seus integrantes. Fachin é o relator do caso. Os 11 ministros analisam uma ação da Rede Sustentabilidade, protocolada em 2019 e que contesta a maneira de abertura da investigação. Pelas regras processuais penais, o inquérito deveria ter sido iniciado pelo Ministério Público ou pela polícia.

Após o voto do ministro, o julgamento foi suspenso e será retomado na próxima quarta-feira (17), às 9h30. Mais dez ministros devem votar. As informações são da Agência Brasil. A abertura do inquérito foi feita em março de 2019. Na época, o presidente do STF, ministro Dias Toffoli, defendeu a medida como forma de combater à veiculação de notícias falsas que atingem a honorabilidade e a segurança do STF, de seus membros e parentes. Segundo o presidente, que nomeou o ministro Alexandre de Moraes como relator do caso, a decisão pela abertura está amparada no regimento interno da Corte.

Com concursos travados, Bolsonaro autoriza contratação de 522 militares no Exército; obras da Fiol estão na lista

  • Redação
  • 08 Jun 2020
  • 14:15h

(Foto: Reprodução)

O Ministério da Defesa governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) autorizou o Comando do Exército a contratar 522 profissionais para atuar temporariamente em grandes obras de infraestrutura comandadas pela área militar. A seleção ocorrerá por meio de processo seletivo simplificado, cuja data ainda não foi informada. Segundo portaria publicada na edição do Diário Oficial da União desta segunda-feira (8), os futuros contratados serão lotados no Departamento de Engenharia e Construção e no Departamento de Ciência e Tecnologia, onde realizarão atividades relacionadas a projetos e obras de engenharia de construção, obras públicas de infraestrutura, atividades de mapeamento cartográfico terrestre, ações de logística e implantação de projetos estratégicos. De acordo com a portara, os salários dos profissionais não serão superiores aos da remunerações já pagas a servidores que já desempenham função semelhante. As despesas com as contratações serão desembolsadas com recursos do próprio Ministério da Defesa, pasta que no primeiro ano de governo Bolsonaro foi privilegiada com o maior reforço de orçamento —encerrou 2019 gastando R$ 6,3 bilhões a mais do que havia sido previsto inicialmente. A autorização para a contratação na área militar se dá no mesmo momento em que os concursos públicos no país estão travados e categorias como a PRF (Polícia Rodoviária Federal) tentam emplacar um grupo de aprovados num certame de 2018. Reportagem do jornal Folha de S. Paulo da semana passada mostrou que o governo Bolsonaro turbinou a contratação do Exército para tocar grandes obras com uma carteira de R$ 1 bilhão de projetos em execução. Com o aporte bilionário, o Departamento de Engenharia do Exército se consolida como uma das maiores empreiteiras na lista de fornecedores da União. Essa injeção de recursos leva a críticas de empresas privadas. Entre as obras a serem tocadas pelos militares estão trechos da Fiol (Ferrovia de Integração Oeste Leste) entre os municípios baianos de Caetité, Brumado, Ilhéus e Barreiras. A ferrovia terá 485,4 km de extensão e prevê investimentos de R$ 2,7 bilhões.

Justiça proíbe que grupos antagônicos protestem na Avenida Paulista neste domingo (07)

  • Ludmilla Souza
  • 07 Jun 2020
  • 13:59h

Medida foi concedida pelo juiz Rodrigo Galvão Medina, do plantão da capital paulista; SSP e MP buscam acordo com manifestantes | Foto: Roberto Parizotti/ Fotos Públicas

O juiz Rodrigo Galvão Medina, do plantão civil da capital paulista, concedeu  na noite desta sexta-feira (5)  liminar proibindo a realização de atos de grupos antagônicos na Avenida Paulista, previstos para este domingo. O magistrado acolheu pedido do governo estadual. No seu despacho, ele destacou que a medida visa evitar confrontos e danos ao patrimônio. “Impeço que os grupos manifestantes, manifestamente antagônicos entre si, se reúnam no mesmo local e data na Avenida Paulista, capital, no próximo dia 7 de junho -, evitando-se, assim, confrontos e prejuízos decorrentes desta realidade, zelando as autoridades administrativas competentes para que tal empreitada possa ter seu efetivo sucesso”, afirmou. Segundo a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça, a Secretaria da Segurança Pública e o Ministério Público estão em contato com os organizadores dos atos para se chegar a um consenso que garanta a segurança de todos e o direito à livre manifestação. A decisão consta do Processo digital nº: 1000553-30.2020.8.6.0228.