BUSCA PELA CATEGORIA "Bahia"

Secretário diz que governo não tem como atender reivindicações

  • 17 Abr 2014
  • 07:08h

Secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa (Foto: Divulgação)

O aumento de despesa proporcionado pelas reivindicações das associações de policiais militares da Bahia, apresentadas nesta quarta-feira (16), ultrapassa a capacidade orçamentária do Estado. “Essa nova pauta nos causa muita surpresa. Falamos que já estávamos no nosso limite e, hoje, recebemos a proposta com mais coisas inseridas. Esses pontos nos dariam um gasto anual de mais R$ 600 milhões. Consideramos isso um retrocesso”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa. Segundo o secretário, o canal de negociação continua aberto. “Vamos ficar aguardando para que eles encaminhem uma proposta razoável. Esperamos isso rápido porque dependemos desta resposta para chegar a um consenso”. Barbosa informa que, na terça-feira (15), antes de levar a proposta para a categoria na assembleia, novas concessões foram incluídas na proposta apresentada pelo governo, entre elas a aposentadoria aos 25 anos de serviço para as mulheres e o aumento do CET, que representa uma despesa de mais R$ 50 milhões para o Estado. Atendendo a um pedido do governador Jaques Wagner, a presidente Dilma Rousseff autorizou as tropas federais a executarem ações de garantia da lei e da ordem na Bahia. A partir desta quarta-feira (16), mais de seis mil soldados da 6ª Região Militar e vindos de outros estados, estão fazendo um trabalho especial de policiamento nas ruas de Salvador. As ações de segurança foram discutidas pela manhã, em reunião entre o governador Jaques Wagner, o comandante da 6ª Região Militar, general Racine Bezerra, e o secretário Maurício Barbosa. Também participaram do encontro os presidentes da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Nilo, e do Tribunal de Justiça da Bahia, desembargador Eserval Rocha, além do chefe do Ministério Público Estadual, procurador Marcio Fahel, e o representante do Ministério Público Federal na Bahia, Pablo Coutinho.

Mulher de Geddel é assaltada e tem arma apontada para a cabeça

  • Por: Caroline Gois
  • 16 Abr 2014
  • 15:56h

(Foto: Reprodução)

A mulher do pré-candidato ao senado pela opoisção, Geddel Vieira Lima (PMDB), foi assaltada após ter uma arma apontada para a cabeça na tarde desta quarta-feira (16), na farmácia Drogasil, na Sabino Silva, Barra. 
Segundo o cacique pemedebista que relatou o caso com exclusividade ao Bocão News, a esposa dele, Alessandra, foi supreendida por homens armados que entraram na drogaria e renderam todos os clientes. "Levaram tudo dela que teve umna arma apontada para a cabeça. Meu flho estava no carro, graças a Deus, porque ela entrou rápido. Ainda não sei ao certo o que aconteceu. Não estou nem conseguindo falar direito", afirmou o político que estava chorando ao relatar o fato. Geddel não soube dizer se a esposa ou o filho, de apenas cinco anos, ficaram feridos. "Estava saindo do hospital porque estava visitando meu pai. Só recebi uma ligação", contou, emocionado. Diversos furtos e assaltos já foram registrados hoje na capital baiana após a Polícia Militar ter decretado greve por tempo indeterminado nesta terça (15). Nesta quarta-feira (16), quatro homens tentaram arrombar uma unidade da Insinuante, na avenida Manoel Dias da Silva, na Pituba, em Salvador. De acordo com informações da polícia, cerca de trinta pessoas aguardavam para invadir o estabelecimento, no entanto, eles dispersaram com a chegada da segurança. Uma equipe está no local e trabalha para consertar a porta que quase foi arrombada. 

Presidente autoriza atuação das Forças Armadas na Bahia durante greve da Polícia

  • Informações Correio
  • 16 Abr 2014
  • 13:06h

(Foto: Mauro Akin Nassor)

Depois do anúncio da greve dos policiais e bombeiros militares da Bahia, nesta terça-feira (15), a presidente Dilma Rousseff assinou o decreto de  Garantia da Lei e Ordem para a Bahia, que autoriza o emprego das Forças Armadas na garantia da segurança pública no Estado. A previsão de que a primeira leva de efetivos federais, que já começou a chegar no início da tarde desta quarta-feira (16), em Salvador, conte com cerca de 5 mil homens. O pedido pelo decreto foi realizado pelo governador Jaques Wagner na terça-feira (15), logo após o anúncio da greve. Com a assinatura do decreto, os militares ficam autorizados a realizar patrulha, vistoria e prisão em flagrante. Segundo a Secretaria de Comunicação do Estado da Bahia (Secom-BA), a Polícia do Exército (PE) já está patrulhando as ruas. O comando das operações ficou por conta do  comandante da 6ª Região Militar, general Racine Bezerra Lima. Na ocasião, o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, pediu para que a população “toque suas vidas” e não deixem de ir trabalhar ou estudar. “Não é momento de criarmos pânico. A sensação de insegurança só prejudica o processo. Estamos lutando para restabelecer o trabalho das forças de segurança”.

Greve da Polícia Militar é considerada ilegal pela Justiça

  • Informações do Correio
  • 16 Abr 2014
  • 13:02h

Com decreto, todo o efetivo da PM deve voltar imediatamente às atividades para a garantia da segurança pública / Foto: Edson Ruiz / COOFIAV / Agência O Globo

O Tribunal de Justiça da Bahia decretou, nesta quarta-feira (16), a ilegalidade da greve da Polícia Militar da Bahia e todo o efetivo deve voltar imediatamente às atividades para a garantia da segurança pública. A Justiça acolheu pedido pelo Ministério Público do Estado da Bahia em uma ação cautelar ajuizada pelo procurador-geral de Justiça Márcio José Cordeiro Fahel contra o governador da Bahia, Jaques Wagner, e seis associações representativas dos policiais militares: a Associação de Policiais e Bombeiros e de Seus Familiares (Aspra), Associação de Praças da Polícia Militar da Bahia (APPM-BA), Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia (AOPM-BA Força Invicta), Associação dos Oficiais Auxiliares da Polícia Militar (AOAPM-BA), Associação dos Subtenentes, Sargentos e Oficiais da Polícia Militar da Bahia (ABSSO-BA) e a Associação dos Bombeiros Militares da Bahia – Associação Dois de Julho. Ainda de acordo com a decisão judicial, concedida liminarmente pelo desembargador plantonista Roberto Maynard Frank, o governador deve realizar, de imediato, um plano de contingenciamento da segurança pública em todo o estado, de modo a preservar os interesses públicos de segurança social e jurídica. O Ministério Público destacou na ação cautelar que o movimento paredista coloca em risco a integridade da população baiana. “O risco à segurança pública e à coletividade é patente”, afirmam o procurador-geral de Justiça Márcio Fahel e o promotor de Justiça Cristiano Chaves na ação. Segundo entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF), os militares e equiparados são proibidos de realizar greve. O movimento grevista deflagrado ontem na Bahia fere, portanto, “frontal e diretamente, o direito constitucionalmente garantido à segurança pública”, afirma o MP. De acordo com o texto constitucional, cabe ao Ministério Público zelar pelo efetivo respeito dos Poderes Públicos e dos serviços de relevância pública aos direitos assegurados na Constituição, devendo promover as medidas necessárias à sua garantia.

Comando da PM está confiante com um acordo rápido com o Governo do Estado

  • Informações da Record Bahia
  • 16 Abr 2014
  • 12:58h

(Foto: Divulgação)

Em entrevista ao apresentador da Record Bahia, Adelson Carvalho, nesta terça-feira (15), o comandante geral da Polícia Militar na Bahia, coronel Alfredo Castro, demonstrou confiança em um acordo entre o governo e os policiais, o que pode evitar uma paralisação da categoria. “Tivemos uma audiência hoje com o secretário de Segurança Pública. Ele está receptivo às propostas que devem ser analisadas a quatro mãos: a instituição, o governo, a associação e o secretário. Não vemos como empecilho as negociações. A decisão está com o governador. Todos eles têm que sair de maneira satisfatória”, relatou o coronel. Alfredo Castro afirmou ainda que a reivindicação dos policiais neste ano está mais favorável a uma negociação que em 2012, quando a categoria entrou em greve pela última vez na Bahia. "A preocupação de 2012 é a mesma desse ano. Estamos falando de homens que fazem a segurança. Em 2014 é um novo momento. Em 2012 não existia o diálogo, hoje já existe, e existem propostas e contrapropostas. O governo está aceitando e respondendo de maneira satisfatória às respostas. Nós temos a certeza que hoje, às 15h, estaremos trazendo uma solução vitoriosa à sociedade, ao governo e a todos nós", finalizou.

Governo do Estado já convocou a presença da Força Nacional

  • Da Redação
  • 16 Abr 2014
  • 09:10h

(Foto: Reprodução)

O secretário de Segurança Pública da Bahia, Mauricio Teles Barbosa, que entrou pela madrugada desta quarta-feira (16)  se reuniu, em caráter de urgência, com o governador Jaques Wagner, para tentar buscar uma solução para a crise gerada pela greve da Polícia Militar, Em tom de preocupação ele comunicou que o governo do Estado está tomando todas as providências na busca de garantir a segurança do baianos e que já fez a convocação do apoio da Força Nacional. "Em primeiro lugar, nossa preocupação é com a segurança de nossa gente. Para isso, o governador Wagner já acionou os meios legais, para decretação da garantia da Lei da Ordem e chamamento da Força Nacional. Mas não sabemos a repercussão e extensão do movimento, qual a adesão da tropa, mas estamos nos antecipando", afirmou.
 

Greve da PM: bandidos aproveitam para aterrorizar baianos

  • Informações do Bocão News
  • 16 Abr 2014
  • 08:49h

(Foto: Reprodução)

Com a confirmação da greve da polícia militar da Bahia, os bandidos já aproveitaram para aterrorizar os moradores de Salvador. Registros feitos por celulares mostram ações ousadas na noite de terça-feira (15), minutos após a categoria definir a paralisação por tempo indeterminado.Na Avenida ACM, próximo ao Hiperposto (Iguatemi), uma mulher teve o veículo roubado por homens que utilizaram uma escopeta calibre 12 para ameaçar a vítima. O assalto a mão armada aconteceu em meio a um congestionamento e foi presenciado por dezenas de pessoas.Saques foram registrados na Cesta do Povo da Avenida Ogunjá, onde bandidos arrombaram a porta principal do estabelecimento e levaram produtos da loja. Em São Caetano, o alvo foi a Ricardoeletro. Dezenas de pessoas filmaram a ação ousada dos bandidos que levaram eletrodomésticos, eletrônicos e celulares sem se preocupar com a polícia. 

Professores estaduais param por 24h nesta quarta-feira (16)

  • Da Redação
  • 16 Abr 2014
  • 07:59h

(Foto: Reprodução)

Os professores da rede estadual de ensino irão parar as atividades nesta quarta-feira (16), em adesão à paralisação dos servidores públicos do Estado. De acordo com a diretora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Marilene Betros, a categoria irá participar da assembleia que reunirá todos os funcionários estaduais, no Ginásio de Esporte dos Bancários, na Ladeira dos Aflitos, na manhã desta quarta. Conforme a sindicalista, os docentes e demais servidores são contrários à proposta de governo de dividir o pagamento do reajuste linear em duas vezes, 2% em abril (retroativo a janeiro) e 3,91% em julho, e cobram o pagamento da Unidade de Real Valor (URV).

Ufba decide suspender aulas por conta da greve da Polícia Militar

  • Política Livre
  • 16 Abr 2014
  • 07:33h

(Foto: Reprodução)

A Universidade Federal da Bahia (Ufba) decidiu nesta terça-feira (15) que irá suspender as aulas e demais atividades acadêmicas e administrativas na quarta e na quinta por conta da greve da Polícia Militar, além da paralisação de 24 horas da Polícia Civil. Em nota, a administração da Ufba informa que “a iniciativa visa acima de tudo preservar a segurança e o bem estar dos estudantes”. A Ufba informa ainda que está acompanhando os desdobramentos e voltará a se pronunciar sobre o assunto de acordo com as decisões da PM, mas somente após o feriado da Semana Santa.


Leia a íntegra da nota


A Universidade Federal da Bahia decidiu pela suspensão das aulas, das demais atividades acadêmicas e das atividades administrativas nesta quarta e quinta-feira, dias 16 e 17 de abril. A inciativa, que visa acima de tudo preservar a segurança e o bem estar dos estudantes, professores e servidores técnico-administrativos da UFBA, foi motivada pela decretação da greve, por tempo indeterminado, da Policia Militar, somada à paralização, por 24 horas, da Policia Civil.


A administração da UFBA estará acompanhando os desdobramentos dos acontecimentos e voltará a se pronunciar sobre o assunto na próxima terça-feira, dia 22 de abril, após os feriados.

 

Agora é Oficial: PM confirma greve por tempo indeterminado em toda a Bahia

  • Informações do Correio
  • 15 Abr 2014
  • 20:05h

Decisão foi tomada em assembleia realizada no Wet'n Wild, na tarde desta terça-feira (Foto: Reprodução)

Os policiais e bombeiros militares da Bahia decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia realizada no Wet’n Wild, na tarde desta terça-feira (15). A categoria rejeitou as propostas apresentadas pelo Governo do Estado de reestruturação e modernização da Polícia Militar. A categoria, que reúne pelo menos 34 mil homens na ativa no estado, reivindica melhoria salarial, mudanças na política remunerativa, plano de carreira, acesso único ao quadro de oficiais, um Código de Ética, aposentadoria com 25 anos de serviço para a Polícia Feminina, aumento do efetivo, bacharelado em Direito para os oficiais, além de elevação de toda a tropa para o nível superior entre 2014 e 2018. O governo tem até 180 dias antes do início do período eleitoral para remeter ao Legislativo qualquer projeto que provoque alterações salariais de servidores. A assembleia desta terça-feira contou com as diversas associações da categoria, como a Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), a Associação de Praças da Polícia Militar do Estado da Bahia (APPM-BA) e a Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia (Força Invicta). O coordenador-geral da Aspra, Marco Prisco, já havia afirmado que as propostas sugeridas pelo Governo não agradavam. “As propostas que o Governo ofereceu para a gente não contemplam a categoria”, disse.

Policiais civis irão paralisar as atividades por 24 horas nesta quarta-feira (16)

  • Informações do Correio
  • 15 Abr 2014
  • 14:27h

(Foto: Brumado Urgente Conteúdo)

A partir das 8h desta quarta-feira (16), os policiais civis da Bahia irão paralisar as atividades e retomarão os serviços apenas no mesmo horário do dia seguinte. Será mantido 30% do efetivo trabalhando no atendimento para prisão em flagrante, levantamento cadavérico, crimes contra a criança e contra a vida, durante a paralisação. A decisão foi aprovada pela categoria na tarde de segunda-feira (14) durante assembleia promovida pelo Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (Sindpoc). O indicativo de paralisação de 24h foi deliberado na assembleia geral do funcionalismo público estadual no último dia 2. Segundo o Sindpoc, a aprovação do Projeto de Lei que define o reajuste dos funcionários do Estado parcelado em duas vezes desagradou os servidores. Na manhã desta quarta-feira (15), os trabalhadores devem se reunir em assembleia no Ginásio de Esportes do Sindicato dos Bancários (na Ladeira dos Aflitos) para discutir uma possível greve geral.Representantes de outras categorias, como Sindicato dos Trabalhadores em Educação (APLB ), Associação dos Motoristas Oficiais do Estado da Bahia (ASMOEB), Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Terceiro Grau (SINTEST), Sindicato dos Servidores Penitenciários (SINSPEB), Sindicato dos Trabalhadores em Saúde (SINDSAÚDE), Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário (SINPOJUD), Sindicato dos Servidores do Detran (SINDETRAN), entre outros, também devem participar da reunião.

Greve da Polícia Militar na Bahia pode ser deflagrada nesta terça-feira (15)

  • Informações do Correio
  • 15 Abr 2014
  • 07:28h

(Foto: Reprodução)

Os policiais e bombeiros militares realizam assembleia geral, às 15h desta terça-feira (15), no Wet'n Wild, com o objetivo de discutirem as propostas apresentadas pelo Governo do Estado de reestruturação e modernização da Polícia Militar. A reunião contará com diversas associações da categoria, como a Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), a Associação de Praças da Polícia Militar do Estado da Bahia (APPM-BA) e a Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia (Força Invicta). O Governo da Bahia apresentou suas sugestões para a reestruturação e modernização da Polícia Militar, após nove meses de negociação por um grupo de trabalho formado por representantes das associações de policiais militares e bombeiros, da Polícia Militar, da Casa Civil, da Secretaria da Administração, da Procuradoria Geral do Estado e da Assembleia Legislativa da Bahia.
 

Jaguaquara: funcionário da prefeitura é preso acusado de fraudar folha de pagamento

  • Informações do Correio
  • 15 Abr 2014
  • 07:18h

Foto: Blog Marcos Frahm

Um funcionário da Prefeitura de Jaguaquara foi preso em flagrante esta segunda-feira (14) acusado de fraudar dados da folha de pagamento para desviar dinheiro. Ele deve responder por peculato e pelo artigo 313 do Código Penal, que trata da inserção de dados falsos em sistemas informatizados ou bancos de dados da Administração Pública para obter vantagens indevidas ou causar danos. Segundo a delegada Maria do Socorro Damásio, a polícia começou a investigação depois de receber denúncias de que irregularidades estavam acontecendo na Prefeitura, já que a folha de pagamentos estava apresentado discrepâncias. Iniciou-se assim uma apuração sobre o caso que levou à prisão de Simei Rocha Brito, na própria prefeitura, no fim da tarde de ontem. Ele está detido na delegacia da cidade, mas ainda não prestou depoimento oficial. Informalmente, ele assume ser o único responsável pelo esquema, mas a polícia ainda investiga se outras pessoas se beneficiavam da fraude. “Existe uma questão de delação premiada, que pode levar a outras pessoas. Mas ele assume (o crime) sozinho”, diz a delegada. O crime de peculato tem pena de 1 a 8 anos de prisão. Já o artigo 313 prevê até doze anos de prisão, além de multa.

Geddel diz que desistiu da cabeça de chapa para garantir a unidade

  • Política Livre
  • 14 Abr 2014
  • 08:54h

(Foto: Reprodução)

Após um processo demorado de articulações, o ex-ministro e presidente estadual do PMDB, Geddel Vieira Lima, conquistou o consenso dentro do grupo da oposição, se lançando ao Senado e ainda indicando o vice, Joaci Goés (PSDB), na chapa liderada pelo ex-governador Paulo Souto (DEM). Em entrevista à Tribuna, o líder peemedebista relata o que o levou a tal decisão. Negando negociações em torno de 2016, Geddel destaca que abriu mão de um projeto próprio, e “legítimo”, em nome de uma unidade. Ele frisa que seu diferencial em relação aos adversários na senatoria é a liderança e o conhecimento que tem no Congresso Nacional. O ex-ministro destaca ainda que a candidatura de Rui Costa mostrou que o PT da Bahia tem dono. 

Homicídios na Bahia cresceram 75% entre 2011 e 2012

  • Da Redação
  • 14 Abr 2014
  • 06:50h

(Imagem: Reprodução)

Mais de 10% de todos os homicídios ocorridos no mundo, em 2012, foram registrados no Brasil, de acordo com o Relatório Global sobre Homicídios 2013, do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Unodc) sobre dados do ano anterior. O relatório aponta 437 mil assassinatos no mundo, em 2012, sendo 50.108 no Brasil. O documento também aponta que número de homicídios na Bahia cresceu 75% no período. De acordo com a Unodc, há um cenário de estabilidade no número de homicídios no país, que ao lado do México, da Nigéria e do Congo está no segundo grupo de países com maior número de assassinatos do mundo, com índice de 25 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes. Enquanto nos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo o índice de homicídios caiu, respectivamente, 29% e 11%, na Paraíba a taxa cresceu 150% (na Bahia aumento de 75%). Segundo o estudo, Pernambuco, com redução de 38%, foi o único estado do Nordeste com queda no número de assassinatos. No Brasil, 90% das vítimas de homicídios são homens. O abuso de álcool e outras drogas, e a disponibilidade de armas de fogo, são apontadas no estudo como determinantes para que aconteçam os assassinatos.